Mundial de Esportes Aquáticos – Dia 9

Uma prova espetacular da plataforma e a Rússia fecha com mais dois ouros no fim da 1ª semana do Mundial.

Saltos Ornamentais

Plataforma 10m Masculina

gettyimages-1163159973

Podio da plataforma masculina. Foto: FINA

Foi uma prova absolutamente espetacular dos chineses Yang Jian e Wang Hao. Yang Jian fez mais 90 pontos em todos os seus saltos, incluindo 2 com mais de 100 pontos, fechando a prova com um 114,80 em um salto de dificuldade 4,1, a dificuldade mais alta da final, e notas acima de 9,0! Ele somou 598,65 para levar o ouro. Só que Wang Hao não ficou muito pra trás não! No 2º salto, já vieram duas notas 10, mas o 4º salto foi simplesmente perfeito, com 7 notas 10! Ele ainda viria a tirar 4 notas 10 no salto seguinte, mas a sua dificuldade foi menor que de Yang Jian. Somando os 6 saltos, Yang Jian tinha 21,9 de dificuldade enquanto Wang Hao “apenas” 20,6. Wang Hao foi prata com 585,75, pontuação altíssima.

Também com o ótima prova, o russo Aleksandr Bondar foi bronze com 541,05, aproveitando os erros do britânico Tom Daley, que não fez uma boa prova, errando feio o seu 5º salto, terminando em 7º com 470,35.

Trampolim 3m Sincronizado Misto

Embed from Getty Images

Sem China, esta final foi muito disputada e a diferença entre o 1º e o 5º foi de apenas 8,91 pontos! Os australianos Matthew Carter e Maddison Keeney venceram com 304,86 contra 304,08 dos canadenses François Imbeau-Dulac e Jennifer Abel, uma diferença de apenas 0,78! Os alemães Lou Massenberg e Tina Punzel levaram o bronze com 301,62. Os brasileiros Luis Felipe Moura e Tammy Galera ficaram em 16º entre 18 duplas com 249,30.

Nado Artístico

Dueto Misto Rotina Livre

Embed from Getty Images

O pódio da rotina livre foi exatamente o mesmo da rotina técnica, com os russos Mayya Gurbanberdieca e Aleksandr Maltsev vencendo com 92,9667, piorando a nota da preliminar, quando marcaram 93,1000. A prata foi para os italianos Manila Flamini e Giorgio Minisini com 91,8333 e o bronze para os japoneses Yumi Adachi e Atsushi Abe com 90,4000. Os brasileiros Giovana Stephan e Renan Souza terminaram no 7º lugar com 81,2333, mesma colocação da rotina técnica.

Rotina Livre Combinada

Embed from Getty Images

Fechando o nado artístico, a Rússia faturou o seu 9º ouro com a nota mais alta de todo o Mundial (empatada com a mesma Rússia na rotina livre do grupo) de 98,0000. A China foi prata com 96,5667, mesma nota que a Rússia tirara na preliminar, e o bronze foi novamente da Ucrânia com 94,5333. O Brasil melhorou uma posição da preliminar terminando em 8º com 83,6333, subindo sua nota da rodada anterior, que havia sido 81,6667 e por muito pouco não superou Israel, o que teria sido um grande resultado. A rotina foi ao som do tema dos Vingadores e nos maiôs referências ao vários super-heróis.

Pólo Aquático

Sem muita surpresa nos playoffs femininos, valendo vaga nas 4as de final. As 4 equipes vencedoras foram as que ficaram em 2º nos seus grupos, eliminando as 3as colocadas. Grécia venceu a China por 12-8 e enfrenta nas 4as a fortíssima equipe americana. Austrália fez 13-3 no Cazaquistão e pega a Rússia. Holanda e Canadá fizeram um jogo bem parelho, que ficou no 0-0 no 1º quarto, mas a vitória foi das holandesas com 5-4 e elas enfrentarão a Espanha. Hungria venceu fácil a Nova Zelândia por 17-6 e pega a Itália.

Duas goleadas no jogos classificatórios. África do Sul arrasou as donas da casa com 26-3 e disputarão o 13º lugar contra o Japão, que venceu Cuba por 21-9.

O Mundial agora entra na sua segunda semana com os astros da natação! Até agora os Estados Unidos não venceram nenhum ouro. Em 2017 eles tinham vencido 1 ouro antes da natação, em 2015 foram 3, em 2013 foi 1 e em 2011 1 também.

Anúncios

Mundial de Esgrima – Dia 5

A espada é a arma que mais tem surpresas na esgrima. Assim como tivemos na quinta-feira no feminino com o ouro da Nathalie Moellhausen, a chave masculina nessa sexta-feira teve 4 medalhistas inéditos no individual.

Captura de Tela 2019-07-20 às 13.50.23

Pódio da espada masculina. Foto: FIE

O ouro ficou com o húngaro Gergely Siklósi para felicidade da torcida em Budapeste. Ele venceu na decisão o russo Sergey Bida por 15-14 no toque decisivo, assim como foi com a Nathalie no feminino. Número 1 do mundo e favorito ao ouro, o francês Yannick Borel perdeu por 15-12 nas 4as para o italiano Andrea Santarelli, que viria a perder pro Siklósi na semifinal.

Já no florete feminino, ninguém para a russa Inna Deriglazova. Ela disputou 9 competições este ano e venceu 7, incluindo o ouro no Mundial, ao derrotar na decisão a francesa Pauline Ranvier por 15-11. Deriglazova, agora número 1 do mundo, vence pela 3ª vez um mundial individual e chega a 10 medalhas em Mundiais (5-2-3). Ela também foi ouro no Rio-2016. A Itália, que domina o florete feminino, ficou com os dois bronzes, com Elisa Di Francisca e Arianna Errigo. A cabeça 1, a outra italiana Alice Volpi, foi surpreendida na 2ª rodada pela espanhola María Díaz por 15-13.

Mundial de Esportes Aquáticos – Dia 8

Ana Marcela leva seu 2º ouro em Gwangju de maneira espetacular! E o Brasil perde a 3ª no pólo aquático.

Águas Abertas

25km Feminino

gettyimages-1162900422

Pódio dos 25km feminino. Foto: FINA

Com mais de 5h de prova, Ana Marcela Cunha fatura o tetracampeonato mundial da prova mais longa da natação! Desde o início, ela, as francesas Lara Grangeon e Lisa Pou, a americana Erica Sullivan e a alemã Finnia Wunram abriram das outras competidoras e foram se isolando na liderança. Prova muito longa, ninguém queria se desgarrar e elas ficavam alternando a liderança. Com pouco mais de 4h de prova, a americana começou a ficar pra trás e a briga ficava entre as outras quatro.

Nos últimos 2km, a coisa começou a apertar e Pou foi ficando para trás também. Na reta final, só deu Ana Marcela. A brasileira atacou, tirando energia não sei de onde e foi abrindo segundos valioso até bater em 1º em 5:08:03.0, faturando seu 5º título mundial e 12ª medalha em mundiais na carreira! A alemã Wunram bateu 8.6 atrás da brasileira e Grangeon, que também fez um ótimo mundial mas seguia sem medalha, bateu pro bronze a 18.2.

25km Masculino

gettyimages-1162898753

A batida super apertada dos 25km masculino. Foto: FINA

Diferente da prova feminina, a masculina seguiu por um bom tempo com um pelotão enorme, de quase 20 atletas. Faltando menos de 1h pro fim da prova, o húngaro Gergely Gyurta começou a desgarrar e abriu mais de 1min30 sobre o resto do pelotão ao abrir a última volta, faltando meia hora pro fim. Mas na zona de hidratação ele parou por quase 1min, com dificuldades para respirar devido a uma asma. Ele seguiu, mas a diferença pro resto do pelotão, que contava com 10 nadadores, foi diminuindo e ele logo foi ultrapassado, para terminar em 10º.

Seis nadadores seguiram forçando, com o francês Axel Reymond, dois russos, dois italianos e um australiano. Reymond, o russo Kirill Belyaev e o italiano Alessio Occhipinti foram para a frente até a chegada. Reymond e Belyaev estavam lado a lado até que o francês bateu em 4:51:06.2, apenas 0.3 melhor que o russo! Occhipinti foi bronze 3.3 atrás.

Nado Artístico

Equipe Rotina Livre

Embed from Getty Images

Nada mudou na modalidade e a Rússia venceu mais uma, com a espetacular nota de 98,0000, novamente seguida de China (96,0333) e Ucrânia (94,3667), que se firma como a 3ª força do esporte no mundo, passando o Japão, 4º com 93,3667, que precisará evoluir se quiser medalha ano que vem em casa nos Jogos Olímpicos. Entre as equips das Américas, o Canadá se firma como principal força ao terminar em 7º com 90,1000 e o México segue a frente das americanas. As mexicanas ficaram em 10º com 87,0333 e as americanas em 11º um pouco afastadas com 84,4000. Canadá tem tudo para levar o ouro no Pan e a vaga olímpica das Américas.

Saltos Ornamentais

Finalmente um brasileiro foi bem nos saltos. Isaac Souza Filho fez ótima prova na plataforma 10m masculina, ficando em 14º na preliminar com 397,90 e 13º na semifinal com 404,50, ficando a uma posição da final e da vaga olímpica. Curioso que seu melhor salto é o que tem maior dificuldade, 3,7, tirando 7,0-7,5 nas duas chances, somando mais de 80 pontos. O chinês Yang Jian foi o melhor nas duas vezes com 530,10 na preliminar e 573,35 na final, com seu compatriota Yang Hao colado na semi com 572,30.

Trampolim 3m Feminino

Embed from Getty Images

Mais uma dobradinha chinesa, com Shi Tingmao levando o ouro ao somar 391,00 e Wang Han prata com 372,85, mas a australiana Maddison Keeney não ficou longe, levando o bronze com 367,05. Foi o 8º título mundial da Shi Tingmao, que se torna tricampeã mundial desta prova, mas precisa vencer mais duas vezes para igualar o feito de Guo Jingjing, que venceu 5 vezes de 2001 a 2009.

Pólo Aquático

Embed from Getty Images

O Brasil caiu demais desde os Jogos do Rio. E este mundial prova isso. A Copa UANA nos deu uma esperança falsa devido aos bons jogos contra americanos e canadenses, mas neste Mundial a coisa está feia. Precisando vencer de qualquer jeito o Japão para avançar, o Brasil até que começou bem, mas no 2º quarto os japoneses começaram a abrir e foram pro intervalo com 7-3. Na 2ª metade, o Brasil deu uma apertada e chegou a fazer 3 seguidos, mas não foi o suficiente e o Japão venceu por 11-9. O Brasil agora disputa o torneio do 13º ao 16º lugar. Pelo mesmo grupo, a Itália venceu a Alemanha por 8-9 e venceu o grupo, se garantindo direto nas 4as.

No Grupo A, a Sérvia fez 9-3 na Grécia para vencer o grupo e Montenegro derrotou a Coreia do Sul por fáceis 24-6. No B, a Croácia venceu a 3ª partida com fáceis 21-5 no Cazaquistão e os Estados Unidos fizeram 12-11 na Austrália. Pelo C, a Hungria passeou na África do Sul com 23-5 para levar o grupo e a Espanha também goleou com 23-3 na Nova Zelândia, que será o próximo adversário do Brasil.

Mundial de Esportes Aquáticos – Dia 7

Brasil fica bem perto de medalha por equipe nas águas abertas e Rússia e China seguem no topo.

Águas Abertas

Revezamento 4×1,25km Misto

gettyimages-1162651568

Pódio do revezamento. Foto: FINA

Ana Marcela Cunha abriu para o Brasil enquanto a maioria dos países começava com um homem. Mas quem brilhava era a americana Haley Anderson, que chegou junto com os líderes para entregar para Jordan Wilimovsky e os Estados Unidos abriam das equipes favoritas. Viviane Jungblut entregava em 10º para Diogo Villarinho, 36s atrás dos Estados Unidos.

Na 3ª perna, boa parte das equipes favoritas entrava com homens, enquanto os EUA vinham com Ashley Twitchell. China, Alemanha e Itália buscaram os americanos e o Brasil vinha logo atrás com o Diogo, que fez ótima prova. Na última perna, a China veio com a campeã dos 10km Xin Xin e ficou pra trás, terminando em 9º. A Itália fechava com o campeão olímpicos dos 1.500m na piscina Gregorio Paltrinieri, enquanto a Alemanha tinha Rob Muffels, os EUA com Michael Brinegar e o Brasil com Fernando Ponte, um pouco atrás. Os 3 lideravam e brigavam a cada metro, enquanto o Brasil se firmava em 4º mais de 20s atrás. Eles foram pro funil e Muffels conseguiu bater um pouco antes fechando em 53:58.7, 0.2 a frente de Paltrinieri e 0.3 a frente de Brinegar. O Brasil fechou na ótima 4ª posição a 25.8 da Alemanha.

Saltos Ornamentais

No trampolim 3m feminino, Shi Tingmao foi a melhor na preliminar com 357,90 e na semifinal com 359,40, seguida da australiana Maddison Keeney com 348,10 e da outra chinesa Wang Han com 345,80. Luana Lira foi 41ª na preliminar com 220,20 e a veterana Juliana Veloso 43ª com 206,70 entre 51 atletas.

Trampolim de 3m masculino

Embed from Getty Images

Quase que a China perdeu seu 1º ouro nos saltos! O britânico Jack Laugher, prata no Rio-2016, vinha com uma prova espetacular e chegou até a tirar um 10 (descartado) no 4º salto, de dificuldade 3,9! Ele chegou pra última rodada com 473,95, com 31,10 pontos de vantagem sobre o chinês Xie Siyi e 45,40 sobre Cao Yuan. Só que no último salto, Laugher errou feio e tirou apenas 2,5-3,0! Com isso, os chineses o passaram para fazer a dobradinha e Laugher acabou com o bronze. Xie Siyi venceu com 545,45, Cao Yuan prata com 517,85 e Laugher bronze com 504,55. O sul-coreano Woo Haram foi novamente 4º colocado, assim como no trampolim de 1m. Na foot, Jack Laugher e toda sua decepção após errar o último salto.

Nado Artístico

Na preliminar da rotina livre combinada, que mistura solo, dueto e equipe, com 10 atletas na piscina, o Brasil ficou em 9º com 81,6667 e se garantiu na final. Passavam 12 e eram apenas 15 equipes competindo. A melhor, claro, foi a Rússia com 96,5667, seguida de China e Ucrânia.

Dueto Rotina Livre

Embed from Getty Images

Svetlana Kolesnichenko e Svetlana Romashina venceram a final do dueto com 97,5000, deixando novamente a China com a prata com 95,7667 e a Ucrânia com o bronze com 94,1000. Foi o 6º ouro russo no nado artístico neste Mundial. Fio o inacreditável 21º ouro mundial da Romashina e o 16º da Kolesnichenko.

Precisava de tanta prova assim no Mundial?

Pólo Aquático

Tivemos a definição no pólo feminino. Pelo Grupo A, os Estados Unidos arrasaram a África do Sul com 26-1 e a Holanda fez 15-6 na Nova Zelândia. No grupo B, o Canadá venceu a Coreia do Sul por 22-2, num jogo onde claramente as canadenses tiraram o pé (ou seria melhor dizer a mão?) e erravam o gol de propósito. A Rússia fez 17-12 na Hungria e venceu o grupo, se classificando direto para as 4as.

Pelo Grupo C, a campeã mundial em 2013 Espanha fez 19-6 em Cuba enquanto a Grécia derrotou o Cazaquistão por 13-7. Pelo Grupo D, a Itália fez 14-6 na China para vencer o grupo com 3 vitórias e a Austrália ganhou do Japão com 9-7. A húngara Rita Keszthelyi é a artilheira do mundial com 15 gols, mas a holandesa Maud Megens vem em seguida com 12, mas com aproveitamento espetacular com 92%.

Mundial de Esgrima – Dia 4 – Ouro inédito pro Brasil!!

Que resultado espetacular da Nathalie Moellhausen, conquistando a 1ª medalha da história pro Brasil em um Mundia de Esgrima!! E foi logo um ouro!

Captura de Tela 2019-07-18 às 23.37.54

Pódio da espada feminina. Foto: FIE

Depois de uma ótima fase de poules na segunda-feira, onde venceu os 6 combates, terminou em 7º no geral e se classificou direto para a chave principal, Nathalie estreou com 15-12 sobre a polonesa Renata Knapik-Miazga. Na 2ª rodada, passou com 15-10 sobre a chinesa Zhu MIngye e nas 8as venceu a italiana Alberta Santuccio por 15-14, no toque final!

Nas 4as, um combate sensacional contra Lis Rottler-Fautrsch, de Luxemburgo. As duas vinham com uma missão inédita e quem vencesse levaria a 1ª medalha da história pro seu país em um mundial. O combate empatou em 10-10 após o fim dos 9min e foi pro ponto decisivo. A europeia marcou, mas os árbitros foram pro vídeo e não validaram o ponto. No retorno, Nathalie marcou e se classificou para a semifinal!

Captura de Tela 2019-07-18 às 23.39.10

Foto: FIE

Já com medalha garantida, Nathalie enfrentou na semi Vivian Kong, de Hong Kong, 3ª do mundo e que vinha em uma excelente temporada. A brasileira tomou conta da luta no 1º round com 4-2, mas a adversária foi buscando e o 2º acabou 8-8. Dominando o 3º, Nathalie venceu 15-11 e se garantiu na final inédita para enfrentar a chinesa Lin Sheng.

Na decisão, Nathalie foi muito bem no 1º round, abrindo 5-3. No 2º, a chinesa chegou a virar com 7-6, mas a brasileira virou 8-7. Muito tenso, ela empataram em 12-12 e foram pro ponto decisivo! E a brasileira marcou pra levar o ouro inédito de maneira espetacular! Após a vitória, Nathalie chorou demais, lembrando seu pai, que faleceu no ano passado e foi carregada pela seleção brasileira, que invadiu o local de competição.

Italiana de avô brasileiro, ela defendeu a Itália e tem 3 medalhas em Mundiais, incluindo um bronze individual em 2010, um ouro por equipes em 2009 e um bronze também por equipes em 2011. Após ficar de fora de Londres-2012, decidiu abandonar o esporte, voltando em 2014 já pelo Brasil, chegando às 4as dos Jogos Rio-2016. Após o falecimento do pai, parou de competir, mas foi resgatada pelo técnico francês que disse que ela ainda precisava ser campeã mundial ou olímpica. E o resultado está aí!

whatsapp-image-2019-07-18-at-16.54.50

Seleção brasileira com a Nathalie no centro

Na outra prova do dia, o sabre masculino, o ouro ficou com o sul-coreano Oh Sang-uk, número 2 do mundo, que fatura seu 1º título individual após 2 por equipes. Ele venceu na decisão o húngaro András Szatmári, campeão mundial em 2017, por 15-12. Nas 4as, Szatmári tinha derrotado o cabeça 1 e favorito ao ouro, o americano Eli Dershwitz, por 15-12.

Mundial de Esgrima – Dias 1 a 3

Os 3 primeiros dias no Mundial de Esgrima em Budapeste foram apenas de preliminares, com a fase de poules e as chaves classificatórias para a chave principal.

O Brasil competiu com 15 atletas e 3 deles conseguiram se classificar para a chave final, de 64 esgrimistas.

Na segunda-feira, Nathalie Moellhausen fez excelente fase de poules na espada feminina, vencendo os 6 combates e terminando em 7º no geral, se classificando direto pra chave final. Amanda Simeão venceu tailandesa 15-7 na 1ª rodada preliminar, mas perdeu na última rodada 15-6 para a italiana Alberta Santuccio. Já Victoria Vizeu foi 154ª na fase de poules e não avançou. Nenhum brasileiro competiu no sabre masculino.

Captura de Tela 2019-07-17 às 22.33.56

Gabriela Cecchini contra atleta de Hong Kong. Foto: FIE/BizziTeam

Na terça-feira, as 4 brasileiras passaram pelo poules, mas apenas Ana Beatriz Bulcão chegou na chave final. Ela já estreou na 2ª rodada da chave preliminar, vencendo 15-6 a polonesa Martyna Dlugosz. Gabriela Cecchini perdeu na última rodada de 15-13 para atleta de Hong Kong, mesma situação de Ana Toldo, perdendo de 15-4 para venezuelana. Mariana Pistoia caiu na 1ª rodada da chave preliminar 15-11 para outra atleta de Hong Kong.

Na espada masculina, Athos Schwantes, que já foi nosso principal esgrimista nesta arma, foi muito mal nos poules, perdendo todos os combates e acabando em 202º entre 208. Já Alexandre Camargo e Fabrizio Lazaroto avançaram, mas perderam no 1º combate preliminar. Alexandre de 15-10 para atleta de Hong Kong e Fabrizio de 15-7 para o americano James Kaull.

Captura de Tela 2019-07-17 às 22.26.54

A ótima equipe de florete masculino do Brasil. Foto: FIE/BizziTeam

Nesta quarta-feira, no florete masculino, Julien Baneux fez ótima fase de poules, ficando em 26º, Guilherme Toldo foi 41º, Henrique Marques 63º e Heitor Shimbo 83º entre 171. Toldo foi o único a chegar na chave final, vencendo 15-2 romeno e 15-4 belga. Baneux, que estreou direto na última rodada sentiu uma lesão e abandonou o combate contra alemão. Henrique venceu 15-8 romeno e perdeu na última fase 15-5 para japonês. Já Heitor perdeu na 1ª rodada 15-13 para taiwanês. Fechando a participação brasileira, Giulia Gasparini competiu no sabre feminino, mas ficou em 113º lugar nos poules e nem avançou.

O Mundial segue até sábado com as provas individuais e depois até a terça-feira com as por equipe.

Mundial de Esportes Aquáticos – Dia 6

Ana Marcela fatura a 1ª medalha do Brasil em Gwangju (e logo um ouro) e se torna a maior das águas abertas em Mundiais de Esportes Aquáticos! China e Rússia seguem no topo e Brasil perde mais uma no pólo.

Águas Abertas

5km feminino

Embed from Getty Images

Ana Marcela Cunha faturou seu 4º ouro em Mundiais ao vencer de maneira brilhante os 5km. O resumo da prova você pode ler aqui.

Saltos Ornamentais

Tivemos uma interminável preliminar do trampolim 3m masculino com 57 saltadores fazendo 6 saltos cada e a semifinal, que definiu os 12 finalistas e os 12 primeiros classificados para Tóquio. O chinês Xie Siyi liderou na preliminar com 499,15 e deu um show na semi com 522,60, curiosamente só o 1º salto foi o melhor da rodada. Cao Yuan foi 2º na semi com 469,30 e o britânico Jack Laugher em 3º com 468,45. Os brasileiros fizeram uma péssima prova na preliminar: Luis Moura foi 51º com 287,95 e Kawan Pereira 52º com 275,90.

Plataforma 10m feminina

Embed from Getty Images

A chinesa Chen Yuxi, de apenas 13 anos, foi simplesmente espetacular, fazendo uma prova praticamente perfeita. Seu 1º salto, com média de 8,5 foi seu pior salto e justamente no salto de menor grau de dificuldade. Ela somou 439,00 pontos, marcando 94,05 em 2 saltos e mais de 85 pontos em 4 dos 5 saltos, faturando o 9º ouro chinês em 9 provas nos saltos. Sua compatriota Lu Wei, também com apenas 13 anos, ficou com a prata com 377,80, e a americana Delaney Schnell foi bronze com 364,20, desbancando as favoritas canadenses. Meaghan Benfeito vinha em 3º antes do último salto, mas errou, tirando notas 6,0-6,5 e acabou em 6º.

Nado Artístico

A Rússia liderou a preliminar da prova por equipes, rotina livre, com 97,7667, seguida da China com 95.7667 e da Ucrânia com 93,9667. Novamente Canadá, México e EUA pegaram final. O Brasil vinha bem, mas levou uma penalidade de 2 pontos e acabou em 16º com 80,0667. Mesmo sem a penalidade, não pegaria final, mas seria 14º.

Solo Livre

gettyimages-1162534796

Svetlana Romashina. Foto: FINA

Na primeira final de rotina livre, Svetlana Romashina venceu o 5º ouro russo com 97,1333, tirando mais de meio ponto a mais que na preliminar e faturando seu 20º título mundial! A espanhola Ona Carbonell ficou com a prata com 94,5667 e conseguiu sua 22ª medalha em Mundiais, se isolando na liderança contra 21 da russa Natalia Ishchenko. Mas Natalia tem 19 ouros contra apenas de Carbonell. A japonesa Yukiko Inui foi bronze com 93,2000. Na rotina técnica, alguns dias antes, o pódio foi quase igual. A única diferença foi que o ouro foi de outra Svetlana, a Kolesnichenko.

Polo Aquático

O Brasil levou sua 2ª derrota no torneio masculino, perdendo de 15-8 para a Alemanha, parciais 4-1, 6-1, 2-2, 3-4 para os alemães. Jogando muito mal, Brasil não contou com a boa atuação do goleiro Slobodan Soro, que não repetiu o desempenho da estreia contra a Itália. Agora o Brasil precisa vencer o Japão de qualquer maneira na quinta-feira a noite para conquistar a vaga para as 8as. Nesta 2ª rodada, o Japão perdeu de 9-7 para a Itália.

Pelo Grupo A, Montenegro empatou em 10-10 com a Grécia, curiosamente seu 2º empate em 10-10 neste Mundial e a super Sérvia venceu a Coreia do Sul facilmente por 22-2. No B, Austrália fez 17-8 no Cazaquistão e a Croácia mandou um 17-7 nos Estados Unidos. Já pelo C, Hungria venceu 13-11 a Espanha e África do Sul e Nova Zelândia empataram em 8-8. Croácia e Hungria já venceram seus grupos e estão nas 4as.