Mundial de Judô – Dia 5

Primeira final sem Japão veio apenas no 5º dia do Mundial em Baku.

Até 90kg masculino

90reac-1537805826-1537805827

Nikoloz Sherazadishvili (ESP). Foto: IJF

Esta é talvez a pior categoria do Japão no masculino. A última vez que um japonês chegou na final foi em 2011 e a última vez que um japonês foi ouro foi no Mundial de 2005! Em compensação foi um japonês que levou o ouro no Rio-2016. Mas em Mundiais a escrita permanece.

Número 1 do ranking, o sérvio Aleksandar Kukolj perdeu para o brasileiro que defende o Líbano Nacif Elias. Nas 8as, Nacif perdeu pro cubano Iván Felipe Silva e, nas 4as, Silva surpreendeu o japonês Kenta Nagasawa por ippon. Mas o principal cubano da categoria é Asley Gonzalez, que perdeu nas 4as para o espanhol Nikoloz Sherazadishvili, que nasceu na Geórgia, mas se mudou ainda criança pra Espanha. O espanhol seguiu surpreendendo, derrotando na semi o húngaro Krisztian Toth e foi pra final contra o cubano Silva, que abriu a decisão com um wazaari. O espanhol conseguiu um belo contra-golpe para empatar a luta e levar pro golden score. Com 2min do tempo extra, Sherazadishvili mandou um uchimata e derrubou o cubano para se tornar o 1º espanhol campeão mundial na história.

O brasileiro Rafael Macedo caiu logo na estreia para o grego Theodoros Tselidis por wazaari. Os bronzes ficaram com o japonês Nagasawa e com o francês Axel Clerget.

Até 70kg feminino

70act-1537805663-1537805664

Arai derrubando Gahié na decisão. Foto: IJF

Maria Portela chegou como a número 1 do mundo e derrotou na sua 1ª luta facilmente a polonesa Daria Pogorzelec, mas nas 8as levou um ippon da porto-riquenha Maria Pérez, que conseguiu derrubá-la com o pé e jogar a brasileira de costas no chão. A grande surpresa da chave foi a vitória da marroquina Assmaa Niang sobre a japonesa Yoko Ono nas 4as. Na semifinais, Perez perdeu para a outra japonesa, Chizuru Arai, que defendia o título mundial, e a francesa Marie-Eve Gahié venceu a marroquina.

Com 10s de luta na final, Gahié fez um wazaari e largou na frente. Mas 1min depois, a japonesa derrubou Gahié e conseguiu um wazaari. Enquanto a francesa ficava olhando pro placar, Arai aproveitou e a imobilizou, para conseguir o segundo wazaari e o ippon. A outra japonesa Yoko Ono e a colombiana Yuri Alvear ficaram com os bronzes. A colombiana chega ao seu 5º pódio seguido em mundiais e 7º em competições globais (mundiais e Olimpíadas).

Anúncios

Copa do Mundo de Basquete Feminino – Dia 2

Vitória africanas históricas marcaram o 2º dia de disputas em Tenerife.

Grupo A

Canadá e França tinham vencido na estreia no sábado e repetiram o feito neste domingo, já se garantindo na próxima fase. As canadenses venceram a Coreia do Sul por 82-63 com 29 pontos de Kia Nurse, do NY Liberty. O Canadá abriu enorme vantagem no 1º tempo, indo pro intervalo com 45-24. Já a França venceu a Grécia por apertados 75-71. França fez 26-17 no 1º quarto, a Grécia encostou no intervalo com 38-36, virou para 59-54, mas fez um péssimo 4º quarto (21-12) para dar a vitória para as francesas. Destaque para os 28 pontos de Evanthia Maltsi, que é a 2ª maior pontuadora do torneio até agora.

Grupo B

d8b3d90e-d7c0-4aa5-ad8d-1c4d68bca9c5_1000

Nigéria comemora sua 1ª vitória em Mundiais. Foto: FIBA

Com mais uma ótima atuação de Liz Cambage, a Austrália arrasou a Argentina por 84-43. Com 24 pontos nesta partida, Cambage é a cestinha do torneio com 58 no total. Já a Nigéria conseguiu uma belíssima vitória sobre a Turquia, 4ª colocada no último Mundial e 6ª no Rio-2016. A Turquia começou melhor com 15-7 no 1ºQ e 34-29 no intervalo. Mas numa atuação de gala, a Nigéria virou no 3ºQ com 23-10 na parcial e 52-44 na partida, chegando a ter 17 pontos de vantagem! Pressionada, a Turquia até buscou no 4ºQ, mas não o suficiente e perdeu de 74-68. Foi a 2ª vitória de uma equipe africana em Mundiais sobre uma europeia. A 1ª foi um pouquinho mais cedo no Grupo D.

Grupo C

Num jogo muito apertado, o Japão venceu a Bélgica na prorrogação, após perder na estreia. Nenhuma seleção conseguia abrir muito o placar e o jogo terminou 68-68 no fim do tempo regulamentar. Na prorrogação, a Bélgica abriu com uma cesta de 3, que foi respondida logo em seguida pelo Japão, que virou e venceu por 77-75. Na partida seguinte, as donas de casa espanholas começaram mal contra Porto Rico (15-8 no 1ºQ), mas logo viraram e mantiveram a vantagem para vencer com 78-53, 22 pontos de Astou Ndour e chegar a 2 vitórias.

Grupo D

c1424442-124a-4c9a-8fb0-cbbc7b234fb9_1000

Astou Traoré (SEN) na vitória sobre a Letônia. Foto: FIBA

A vitória histórica veio no jogo que abriu o grupo. Senegal, que já tinha feito uma boa apresentação no dia anterior contra os EUA, e Letônia fizeram uma partida muito parelha e o placar trocou 22 vezes de liderança! Ninguém abriu mais que 6 pontos da outra equipe, mas enquanto a Letônia marcou 9 cestas de 3, Senegal fez apenas 1. Com 50s pro fim do jogo, as europeias tinham 67-66, Senegal virou 68-67, Letônia virou 69-68 e Senegal pediu tempo. Com 12s pro fim, Mame Marie Sy-Diop marcou uma cesta de 2 e deu a vitória para a equipe africana, a 1ª sobre uma europeia na história dos Mundiais! No jogo que fechou a rodada, os Estados Unidos venceram a equipe da China, mas seguem sem convencer. Apesar de chegarem aos 100 pontos, a vitória foi relativamente magra por 100-88 e as americanas só conseguiram abrir vantagem mesmo no 4ºQ. Breanna Stewart foi o destaque americano com 23 pontos e 5 rebotes.

A 3ª rodada será nesta terça-feira.

Mundial de Judô – Dia 4

Japão perde nas duas finais e judô masculino brasileiro mostra boa evolução.

Até 81kg masculino

81reac-1537719564-1537719564

Saeid Mollaei (IRI) e Sotaro Fujiwara (JPN). Foto: IJF

Número 1 do ranking na categoria, o iraniano Saeid Mollaei confirmou sua posição para levar o 1º título mundial do Irã em 15 anos, desde Arash Miresmaeili em 2003. Moallei vinha este ano do título no GS de Dusseldorf e da prata nos Jogos Asiáticos. Na decisão ele enfrentou o japonês Sotaro Fujiwara, que este ano havia vencido os GS de Ekaterinburg e de Paris. Mollaei dominou o início da final e conseguiu numa técnica bem interessante reverter um ataque do japonês para conseguir um wazaari. Fujiwara não fazia nada, mas, faltando 1min, derrubou o iraniano e empatou a luta. No golden score, Moallei voou pra cima do japonês e, com 16s, fez o 2º wazaari para ficar com o ouro.

Eduardo Yudy Santos começou sua campanha contra uma pedreira, o mongol Uuganbaatar Otgonbaatar, de quem já havia perdido esse ano, mas consegui vencer por wazaari. Depois passou pelo grego Alexios Ntanatsidis e caiu nas 8as para o alemão campeão mundial em 2017 Alexander Wieczerzak. Victor Penalber estreou com vitória de ippon sobre marroquino, mas caiu na 2ª luta para uzbeque. Os bronzes ficaram com Wieczerzak e com o turco Vedat Albayrak.

Até 63kg feminino

63reacfra-1537719377-1537719378

Clarisse Agbegnenou e Miku Tashiro. Foto: IJF

Desde 2010 com Yoshie Ueno que o Japão não venceu esta categoria. E o jejum vai aumentar. A francesa Clarisse Agbegnenou venceu seu 3º título mundial numa campanha perfeita! Número 1 do mundo, a favorita venceu sua 5 lutas por ippon. Na final, pegou a japonesa Miku Tashiro no 8º confronto entre as duas. Mas a vantagem de Agbegnenou é enorme e ela venceu com um lindíssimo ippon, revertendo um ataque de Tashiro. Foi a 7ª vitória da francesa sobre a japonesa na carreira e o 3º título mundial, repetindo 2014 e 2017.

A veterana Ketleyn Quadros, bronze olímpico em 2008, venceu na estreia a americana Hannah Martin por imobilização, mas perdeu na 2ª rodada para a eslovena Andreja Leski por wazaari. Os bronzes ficaram com a outra eslovena, a campeã olímpica Tina Trstenjak, e a holandesa Juul Franssen.

Após 4 dias, o Brasil tem um bronze com Érika Miranda, mas colhe bons resultados, principalmente no masculino, que apaga o péssimo Mundial de 2017. Até agora, os homens tem um 5º e um 7º lugares e 11 vitórias e 8 derrotas após 6 atletas lutarem. No feminino, temos um bronze e 9 vitórias e 6 derrotas após 5 atletas. Desempenho esta muito bom.

Copa do Mundo de Basquete Feminino – Dia 1

Pela 1ª vez desde 1959, o Brasil não disputa o Mundial feminino de basquete, que começou neste sábado em Tenerife, nas Ilhas Canárias, Espanha, com 8 jogos.

Grupo A

Medalhista nos últimos 5 europeus (prata nos 3 últimos), a França começou bem na sua busca pelo 1º pódio em mundiais dede 1953, quando foi bronze na 1ª edição. Com 89-58, derrotou a Coreia do Sul, com 19 pontos de Marina Johannés. O Canadá venceu por 81-50 a Grécia, que surpreendeu com o 4º lugar no Europeu em 2017.

Grupo B

a8d618fe-0556-4b90-bfb5-c243a8e57cce_1000

Liz Cambadge (AUS) contra Nigéria. Foto: FIBA

A Austrália venceu na estreia a Nigéria, mas sem conseguir abrir muito no placar, terminando com 86-68, 34 pontos e 12 rebotes de Liz Cambadge. A Turquia, 4ª no último Mundial em casa, arrasou a Argentina por 63-37.

Grupo C

As donas da casa estrearam com boa vitória sobre o Japão 84-71. No 1º quarto já abrira 20-10 e foram pro intervalo com 39-21 na frente de mais de 4.000 espectadores. No outro jogo do grupo, a Bélgica arrasou Porto Rico 86-36. As 12 jogadoras belgas jogaram e 11 pontuaram! Julie Vanloo foi a cestinha da partida com 17 pontos, sendo 5 bolas de 3.

Grupo D

No jogo mais disputado do dia, a China venceu a Letônia por 64-61. Mas o destaque veio no jogo seguinte entre as favoritíssimas americanas. Senegal começou arrasando no 1º quarto e chegou a ter 10-2 sobre as americanas! Elas ficaram na frente por quase 8min, mas o melhor basquete americano superou e elas venceram por 87-67 graças a um ótimo 2º quarto. Foi a menor diferença de placar em mundiais que uma equipe africana colocou nos EUA.

Mundial de Vôlei Masculino – Dia 10

Com os resultados do 2º dia da 2ª fase, já temos 6 equipes das 16 eliminadas.

Grupo E

Captura de Tela 2018-09-23 às 11.33.00

Itália x Rússia. Foto: FIVB

A Itália sofreu sua 1ª derrota neste Mundial numa batalha de 2h30 contra a sempre temida Rússia. Os russos venceram por 3-2 (19-25, 25-18, 25-21, 19-25, 15-11) com 18 pontos de Maxim Mikhaylov na frente de 12.800 torcedores em Milão. O capitão italiano Ivan Zaytsev marcou 21, mas os apenas 2 pontos de bloqueio prejudicaram muito a Itália, que mesmo com a derrota já está classificada para a 3ª fase como 1ª do grupo. A Holanda fez 3-1 na eliminada Finlândia 25-19, 23-25, 25-16, 25-13 e segue na briga.

Classificação

  1. ITA – 6V – 19 pts – Sets: 20-5 4,000 – Pontos: 598-483 1,238
  2. RUS – 5V – 15 pts – Sets: 18-8 2,250 – Pontos: 600-520 1,154
  3. NED – 5V – 14 pts – Sets: 15-12 1,250 – Pontos: 607-568 1,069
  4. FIN – 2V – 6 pts – Sets: 10-18 0,555 – Pontos: 580-644 0,901

Grupo F

O Brasil conseguiu mais uma boa vitória por 3-0 no grupo menos perigoso dessa fase. Agora fez 3-0 na estreante Eslovênia com 25-22, 25-21, 25-16 e já se garantiu com tranquilidade no Top-6! Douglas Souza com 15 pontos foi o maior pontuador brasileiro. Isac fez 11 e Wallace 10. A Bélgica venceu a Austrália por 3-0 (28-26, 28-26, 25-20) e eliminou os australianos e eslovenos e agora precisa vencer o Brasil e torcer por uma combinação de resultados muito improvável para avançar.

Classificação

  1. BRA – 6V – 17 pts – Sets: 19-6 3,166 – Pontos: 589-522 1,128
  2. BEL – 4V – 13 pts – Sets: 14-11 1,273 – Pontos: 571-547 1,044
  3. SLO – 4V – 12 pts – Sets: 15-13 1,154 – Pontos: 619-609 1,016
  4. AUS – 2V – 7 pts – Sets: 9-17 0,529 – Pontos: 558-598 0,933

Grupo G

Os americanos são os únicos invictos nesse Mundial. Derrotaram a Bulgária por 3-0 (25-20, 25-20, 25-18) e já estão classificados como campeões do grupo. Apesar dos 16 pontos de Aaron Russell, os americanos pecaram nos erros, concedendo 28 pontos para os búlgaros. Na outra partida, o já eliminado Canadá venceu por 3-2 o já eliminado Irã com parciais 25-20, 20-25, 25-15, 23-25, 15-12. Destaque para os 32 pontos de John Gordon Perrin, no lado canadense.

Classificação

  1. USA – 7V – 19 pts – Sets: 21-6 3,500 – Pontos: 627-514 1,220
  2. BUL – 4V – 12 pts – Sets: 14-9 1,555 – Pontos: 532-512 1,039
  3. IRI – 4V – 12 pts – Sets: 14-13 1,077 – Pontos: 603-587 1,027
  4. CAN – 4V – 11 pts – Sets: 15-12 1,250 – Pontos: 607-601 1,010

Grupo H

Captura de Tela 2018-09-23 às 11.33.29

Stephen Boyer (FRA) atacando contra a Polônia. Foto: FIVB

A Sérvia passou pela Argentina com 3-0 (25-18, 25-22, 25-22) e já está na próxima fase. Já França deu a 2ª derrota seguida pros atuais campeões mundiais da Polônia. Depois de uma 1ª fase invicta, a Polônia ainda depende apenas de si, mas pode ser eliminada. Os franceses venceram por 3-1 (25-15, 25-18, 23-25, 25-18). Ngapeth brilhou com 26 pontos.

Classificação

  1. SRB – 6V – 17 pts – Sets: 10-9 2,222 – Pontos: 660-602 1,096
  2. POL – 5V – 16 pts – Sets: 18-9 2,000 – Pontos: 627-546 1,148
  3. FRA – 4V – 15 pts – Sets: 18-11 1,636 – Pontos: 664-605 1,098
  4. ARG – 3V – 8 pts – Sets: 13-16 0,813 – Pontos: 642-650 0,988

Mundial de Judô – Dia 3

Domínio asiático no 3º dia em Baku e os japoneses seguem brilhando.

Até 73kg masculino

73act-1537633935-1537633936

An Changrim (KOR) derrubando Soichi Hashimoto (JPN). Foto: IJF

Campeão em 2017, o japonês Soichi Hashimoto chegou como cabeça 1, mas com uma derrota na final do GP de Hohhot em maio para o sul-coreano An Changrim. O japonês venceu 5 lutas, sendo 4 por ippon, e chegou à final novamente. Do outro lado da chave, An Changrim também venceu suas 5 lutas com tranquilidade até a final, também com 4 ippons.

Na decisão, cm 2min de luta, An fez um uchimata seguido de um ko-soto e controlou o japonês no chão. Ouro pra Coreia do Sul e pela 1ª vez desde 2009, um não-japonês é campeão nesta categoria! A 1ª medalha dos donos da casa veio com o bronze de Hidayat Heydarov e o iraniano Mohammad Mohammadi ficou com o outro bronze. Não tivemos brasileiro nesta categoria.

Até 57kg feminino

57pod-1537633906-1537633907

Foto: IJF

O 4º ouro japonês no Mundial veio com Tsukasa Yoshida, prata no Mundial de 2017 após perder para a mongol Sumiyaa Dorjsuren. Desta vez a japonesa venceu 3 lutas por ippon até ter boa dificuldade na semi contra a canadense Christa Deguchi, que nasceu no Japão. Na decisão, ela enfrentou a britânica Nekoda Smythe-Davis, que buscava o 1º título mundial de seu país no judô em 20 anos. A última campeã foi Kate Howey, sua atual técnica.

Com 1min de luta, Yoshida já tinha um wazaari e conseguiu mais um 15s depois pra levar o ouro. Deguchi e Dorjsuren ficaram com os bronzes. Campeã olímpica, Rafaela Silva novamente decepcionou no Mundial. Vinha 0-0 com a outra canadense da chave, Jessica Klimkait. Faltando 4s pra ir ao golden score, bobeou e levou um wazaari, sendo eliminada logo na estreia pelo 3º mundial seguido!

 

Mundial de Vôlei Masculino – Dia 9

Início da 2ª fase com surpresas e jogos disputados.

Grupo E

Na abertura do grupo, a Rússia passou com 3-0 (25-17, 25-16, 25-21) pela Holanda, a surpresa da 1ª fase. No outro jogo, a dona da casa Itália venceu tranquilamente a Finlândia por 3-0 (25-20, 25-18, 25-16) e eliminou os finlandeses da competição.

Classificação

  1. ITA – 6V – 18 pts – Sets: 18-2 9,000 – Pontos: 498-380 1,311
  2. RUS – 4V – 13 pts – Sets: 15-6 2,500 – Pontos: 497-420 1,183
  3. NED – 4V – 11 pts – Sets: 12-11 1,091 – Pontos: 509-495 1,028
  4. FIN – 2V – 6 pts – Sets: 9-15 0,600 – Pontos: 507-546 0,929

Grupo F

Captura de Tela 2018-09-22 às 00.14.38

Lipe atacando contra a Austrália. Foto: FIVB

O Brasil estreou com uma vitória boa sobre a Austrália por 3-0 (25-21, 25-22, 25-15) com 13 pontos de Douglas, 12 de Wallace e 11 de Lipe. Na outra partida, a estreante Eslovênia fez 3-0 (28-26, 28-26, 25-19) na Bélgica e segue na briga para avançar de fase.

Classificação

  1. BRA – 5V – 14 pts – Sets: 16-6 2,666 – Pontos: 514-463 1,110
  2. SLO – 4V – 12 pts – Sets: 15-10 1,500 – Pontos: 560-534 1,049
  3. BEL – 3V – 10 pts – Sets: 11-11 1,000 – Pontos: 490-475 1,032
  4. AUS – 2V – 7 pts – Sets: 9-14 0,643 – Pontos: 486-517 0,940

Grupo G

Os Estados Unidos seguem invictos no Mundial. Dessa vez venceram os vizinhos do Canadá por 3-1 (25-17, 25-14, 21-25, 25-17). Os números foram bem atípicos. Apesar do certo equilíbrio, os americanos fizeram 62 pontos de ataque contra apenas 35 dos canadenses. Mas foram 30 erros americanos contra 18 dos vizinhos do norte. Matthew Anderson novamente foi o principal pontuador pros EUA com 22 pontos. A Bulgária respirou com um bom 3-0 sobre o forte Irã (25-19, 28-26, 26-24) e segue com chance de avançar. O Canadá, que teve um ótimo início de Mundial com 3 vitórias, chega a sua 3ª derrota seguida.

Classificação

  1. USA – 6V – 16 pts – Sets: 18-6 3,000 – Pontos: 552-456 1,211
  2. BUL – 4V – 12 pts – Sets: 14-6 2,333 – Pontos: 474-437 1,085
  3. IRI – 4V – 11 pts – Sets: 12-10 1,200 – Pontos: 506-479 1,056
  4. CAN – 3V – 9 pts – Sets: 12-10 1,200 – Pontos: 499-504 0,990

Grupo H

Captura de Tela 2018-09-22 às 00.13.45

Argentina x Polônia. Foto: FIVB

No grupo mais imprevisível, as duas partidas foram pro 5º set. A Sérvia derrotou a França por 3-2 (22-25, 26-24, 25-20, 18-25, 18-16) em 2h27. Foram 38 pontos (!!) de Aleksandar Atanasijevic e 34 de Stephen Boyer! Na outra partida, a Argentina surpreendeu a até então invicta Polônia por 3-2 (16-25, 25-19, 25-23, 23-25, 16-14) para chegar à 3ª vitória no campeonato. Mesmo assim, as chances da Argentina avançar são pequenas, assim como da França, que também tem apenas 3 vitórias em 6 jogos.

Classificação

  1. POL – 5V – 16 pts – Sets: 17-6 2,833 – Pontos: 551-448 1,230
  2. SRB – 5V – 14 pts – Sets: 17-9 1,888 – Pontos: 585-540 1,083
  3. FRA – 3V – 12 pts – Sets: 15-10 1,500 – Pontos: 566-529 1,070
  4. ARG – 3V – 8 pts – Sets: 13-13 1,000 – Pontos: 580-575 1,009