Yaras fora da Série Mundial

Na última etapa da temporada 2016-17 do circuito de Rugby 7s feminino na França, a equipe brasileira terminou na 11ª colocação. Na 1ª fase, venceu a Rússia por 12-7, mas perdeu de 29-0 pro Canadá e de 31-24 pra Inglaterra, não passando para as 4as.

ml20170624_036_large

Nos jogos classificatórios, perdeu de 12-5 pra Espanha, mas venceu a Inglaterra por 27-17, ficando na penúltima posição da etapa.

Após 6 eventos, o Brasil terminou em 11º no geral, o último entre as 11 equipes da 1ª divisão, ficando fora das 10 que se garantem na próxima temporada.

Como o Brasil seria sede dos Jogos de 2016, a IRB convidou a seleção feminina para ser um core team, com lugar garantido em todas as etapas do circuito. Na temporada 2015-16, o Brasil ficou em 10º e apenas 9 garantiam vaga na temporada 2016-17, mas como foi a melhor equipe no Rio-2016 das não classificadas se garantiu nesta temporada. Mas não fez um bom trabalho, não classificando em nenhuma das 6 etapas para as 4as de final.

Não merecem mesmo se manter na temporada 2017-18, mas tomara que consigam alguns convites. É uma derrota grande pra confederação, que apostou tudo na equipe de Sevens feminina.

Resumo olímpica da semana

Natação

Atletas brasileiros venceram 7 medalhas no Torneio Sette Colli, em Roma. Último torneio de preparação pro Mundial de Budapeste, que começa em 14 de julho. Bruno Fratus ficou com o único ouro, com 21.86 nos 50m livre. César Cielo foi 5º com 22.20. Nos 100m livre, Fratus foi prata com 48.75 enquanto Marcel Chierighini ficou em 6º com 49.00. Nos 50m peito, João Gomes Jr ficou em 2º com 26.95, atrás apenas da lancha Adam Peaty, com 26.61.

Também medalharam Etiene Medeiros com a prata nos 50m costas com 27.82, Nicholas Santos prata nos 50m borboleta com 23.08, Thiago Simon bronze nos 200m medley com 1:59.99 e Brandonn Almeida bronze nos 400m medley com 4:15.30

p1bjdm6akdj20ec299j8o6s2l7_crop

Viviane Jungblut no pódio, à esquerda

Um dos principais destaques no Maria Lenk em maio, Viviane Jungblut conquistou a medalha de prata na Copa do Mundo de Águas Abertas 10km, em Setúbal, Portugal.Foi apenas a sua 2ª prova deste nível. Ela completou a prova em 1:37:37.23, apenas 0.95 atrás da italiana Rachele Bruni, vice-campeã olímpica.

Tênis de Mesa

35439925805_66ec667ce2_o

Bruna Takahashi

Bruna Takahashi deu show no Pan Jr de tênis de mesa em Buenos Aires, faturando 3 ouros e 1 prata. No individual, venceu na decisão a porto-riquenha Adriana Diaz por 4-3 (7-11, 6-11, 11-3, 11-5, 13-11, 6-11, 12-10). Nas duplas femininas, ao lado de Alexia Nakashima, venceu 3-1 as americanas Amy Wang/Crystal Wang e nas mistas com Siddharta Almeida venceu por 3-0 na final brasileira Alexia e Carlos Ishida.

Por equipes, veio a única prata, ao perderem na decisão para a equipe americana por 3-2, sendo que Bruna venceu suas duas partidas na decisão. Bruna venceu todas as 13 partidas individuais e 9 de duplas que disputou! Carlos Ishida foi prata no tornei masculino ao perder na decisão de 4-0 pro americano Kanak Jha e ajudou a equipe brasileira a ficar com a prata, também perdendo na decisão pros americanos.

Outros Esportes:

– O Campeonato Brasileiro Sub-18 de atletismo definiu a equipe que irá ao Mundial Sub18 no Quênia em julho. Serão 16 atletas, sendo 7 no masculino e 9 no feminino. Principal destaque da equipe é Lorraine Martins, classificado nos 100m e nos 200m, com tempos entre as 8 melhores da categoria.

– Na 2ª etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom, em Augsburg, Alemanha, Ana Sátila conquistou a melhor colocação do Brasil, com o 8º lugar na final do C1, mesmo perdendo uma porta. No K1, ela perdeu duas portas na semifinal, ficando em 30º lugar. Felipe Borges também chegou na semifinal, no C1, ficando em 26º.

– Após seletiva, CBG convocou os atletas para o Pan de Ginástica Artística de Especialistas, em agosto, e para os Jogos Sul-Americanos da Juventude, em outubro. Para o Pan irão: Caroyne Pedro e Flávia Saraiva no feminino e Péricles Silva, JAred Azarini, Caio Souza e Arthur Zanetti no masculino.

Robert Scheidt e Gabriel Borges começaram muito bem na Semana de Kiel de vela, na Classe 49er, mas caíram muito de rendimento e terminaram em 17º entre 69 barcos. Carlos Lorente e Marco Grael ficaram em 15º.

Henrique Avancini foi 30º no Mundial de Mountain Bike Maratona, na Alemanha. Ele completou o percurso em 3:26:03. O vencedor foi o austríaco Alban Lakata, com 3:17:24. Na Espanha, Raiza Goulão venceu prova em Moralzarzal, faturando mais 30 pontos pro ranking mundial. Em Goiânia, na 2ª etapa da Taça Brasil, vitórias de Erika Gramiscelli e Luiz Cocuzzi. 30 pontos no ranking para cada, também.

– Juliana e Carol Horta perderam nas 4as do Aberto de Nantong de vôlei de praia. Única dupla brasileira na China, foram derrotadas pela dupla russa Abalakina/Dabizha por 21-16, 17-21, 15-12.

Alexandre Rocha foi 59º no Licoln Land Charity Championship, válido pelo circuito web.com Tour de golfe com 279 tacadas no total, 9 acima do campeão.

Yuri Mansur é 5º no Global Champions Tour de Monaco montando Unita Ask. Mesmo zerando no desempate, ele ficou em 5º.

Rugby 7s, handebol, tiro com arco e atletismo em posts individuais.

Brasil domina SulAm de atletismo

Mesmo sem equipe completa, o Brasil dominou o Sul-Americano de atletismo com 17 ouros em 44 provas, numa competição dominada por ventos muito fortes em Assunção, Paraguai.

39a4b609-43c9-492f-bbaa-7a0b84b025ab

Andressa de Morais

O grande resultado do campeonato foi de Andressa de Morais, no lançamento de disco. Com uma ótima série, Andressa venceu a prova com 64,68m, batendo o único recorde sul-americano do torneio. A série dela foi: 61,27 – 63,82 – 61,88 – 64,68 – X – X.

Outros bons resultados vieram com Darlan Romani no arremesso de peso com 21,02m (longe do 21,82 obtidos no começo do mês) e com o venezuelano Eure Yáñez no salto em altura, com 2,31m. Núbia Soares foi a grande surpresa do SulAm ao desbancar a venezuelana vice olímpica Yulimar Rojar no salto triplo. Com um vento de +4,2m/s, Núbia saltou 14,42m contra 14,36m da venezuelana (vento válido +1,4m/s), mas Rojas sentiu um desconforto e não saltou mais, dando a vitória à brasileira.

A ventania atrapalhou outras provas, como nos 100m feminino, onde a equatoriana Ángela Tenório venceu com espetacular 11.02, mas vento de +3,4m/s. Nos 200m, Vitória Cristina Rosa venceu com 22.67 (vento +2,8m/s). Tempaço de Fabiana Moraes nos 100m com barreiras, com 12.86, mas vento de +2,9m/s. Nos 110m com barreiras, Eduardo de Deus venceu com 13.42 (vento +3,8m/s). No decatlo, ótima prova de Jefferson Santos, com 8.187 pontos, que lhe dariam o índice pro Mundial, se não fosse o vento de +4,3m/s no salto em distância… Em combinadas, o vento considerado limitador é de 4,0m/s, diferente dos +2,0m/s nas provas individuais. Bela marca do colombiano Diego Palomeque, que venceu os 100m com vento válido de +1,9m/s com 10.11, recorde colombiano.

No geral, o Brasil venceu o torneio com 352 pontos contra 259 da Colômbia e 160 da Argentina. Pela primeira vez na história, todos os 13 países que formam a CONSUDATLE venceram pela menos uma medalha! Guiana e Suriname conquistaram pela 1ª vez um ouro em 95 anos de história do SulAm! Gianna Woodruff venceu os 400m com barreiras com 56.04 para dar o 1º ouro panamenho e Miguel van Assen levou o salto triplo com 16,94m, ouro do Suriname. Até a Bolívia medalhou, com uma prata na Marcha!

O prazo para obtenção de índices pro Mundial termina em 23 de julho.

Remo na Europa

A Confederação Brasileira de Remo e suas traquinagens…

2017-06_poznan-04

Pódio do Dois Sem Leve

Ela já havia “surpreendido” ao convocar para a 2ª etapa da Copa do Mundo de remo, em Poznan, na Polônia, 6 barcos, sendo dois de provas não olímpicas. E a confederação não optou pelos dois single skiffs leves ou então um Quatro Sem Leve, que perdeu o status olímpico na semana passada. A escolha foi pela Dois Sem Leve, com Xavier Maggi e Willian Giaretton, dupla que disputou o Rio-2016 pelo Double skiff leve.

Numa prova absolutamente esvaziada, com apenas 3 barcos, eles ficaram com o bronze, ou seja, em último. Eles ficaram atrás da dupla da Irlanda, que venceu a 1ª etapa e o Europeu este ano, e da Grã-Bretanha, ficando a 3s dos britânicos.

Outros 3 barcos foram em single skiffs. No masculino, Lucas Ferreira, bronze no Mundial Júnior em 2016, ficou em 3º na Final C, 15º no geral entre 21 atletas. No feminino, Milena Viana fez regatas bem ruins e terminou em último lugar na Final C, 18ª no geral entre 18. Já no single skiff leve (que não é olímpica), boa prova de Uncas Batista. Na semi, foi o 3º na sua bateria a frente do 4º lugar por apenas 0.01 e vaga na Final A. Na decisão, terminou em 6º lugar. Os outros barcos foram paralímpicos, com o single skiff masculino com Rene Pereira, 6º na Final A, e o double skiff PR2 misto, 5º na final.

Parece que a CBR está um pouco perdida. Fez um ótimo trabalho na preparação dos barcos pro Rio-2016 e agora começa a apostar em provas não olímpicas, mas pelo menos dando chances aos melhores das categorias de base. Pra ajudar, a Petrobras encerrou o patrocínio pro remo, assim como com outras confederações.

A equipe segue na Europa pra 3ª etapa daqui 3 semanas na Suíça e Lucas, Uncas e Milena depois irão pra Bulgária pro Mundial Sub23.

Resumo olímpico da semana

Judô

Num Grand Prix sem grandes nomes, o Brasil reinou absoluto em Cancun, vencendo 5 ouros, 2 pratas e 1 bronze.

78reac-1497838360-1497838360

Mayra Aguiar

Em sua primeira competição no ano, Mayra Aguiar nem precisou se esforçar muito. Com apenas 6 judocas na chave dos 78kg, Mayra já estava direto na semifinal. Na decisão, só precisou de 1min15 e ficou com o ouro sobre a britânica Natalie Powell. Gabriela Chibana foi ouro nos 48kg, derrotando na semi a húngara medalhista olímpica Eva Csernoviczki. Os outros 3 ouros vieram com Marcelo Contini (73kg), David Moura (+100kg – também só precisou de 2 lutas) e Ketleyn Quadros (63kg).

Phelipe Pelim (60kg) e Sarah Menezes (52kg) ficaram com medalhas de prata e Victor Penalber (81kg) foi bronze. Esta foi a última competição da seleção antes da definição da equipe que irá ao Mundial, em Budapeste, no fim de agosto.

Levantamento de Peso

foto-2

Luana Madeira

Luana Madeira ganhou duas medalhas no Mundial Juvenil de levantamento de peso, em Tóquio. Na categoria 48kg, ela foi prata no arranco com 79kg atrás da tailandesa Thunya Sukcharoen, com 82kg, e bronze no total com 169kg, atrás du Sukcharoen com 179kg e de outra tailandesa, Chiraphan Nanthawong, com 174kg. No arremesso, Luana ficou em 6º com 90kg.

Em 2015, Luana já havia entrado pra história com o bronze no histórico Mundial da Juventude, quando Brasil conquistou 3 medalhas nos totais e 6 somando arranco e arremesso.

Tênis

880x400_noticia_5947064f203a6_18-06-2017_20-01-35

Jamie Murray e Bruno Soares em Stuttgart

Dois títulos de duplas na grama na semana. Bruno Soares e Jamie Murray venceram o título do ATP250 de Stuttgart com 67(4) 75 [10-5] sobre o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic. Foi o 25º título da carreira do Bruno e o 5º da dupla em 8 finais. 7º título do Bruno na grama.

Marcelo Melo e Lukasz Kubot venceram no ATP250 de Den Bosch, na Holanda. Eles fizeram 63 64 e Rajeev Ram/Raven Klaasen. Também foi o 25º título do Marcelo e o 5º da dupla em 6 finais. E foi apenas o seu 1º na grama!

Outros Esportes:

Ana Sátila foi o destaque na 1ª etapa da Copa do Mundo de canoagem slalom. Ela fez a única final o Brasil, no C1, mas perdeu 4 portas seguidas e terminou em 10ª e último lugar. Pepê pegou semi do K1, onde terminou em 19º.

Maria Clara/Carol ficaram com o título do Aberto de Haia de vôlei de praia. Elas venceram as suíças Heidrich/Vergé-Depré por 21-17, 21-11. Ágatha/Duda ficaram com o bronze ao vencerem as canadenses Pavan/Humana-Paredes por 16-21, 21-13, 15-11.

– A seleção brasileira masculina encerrou a primeira fase da Liga Mundial de vôlei masculino com mais 2 vitórias e 1 derrota, assim como nas outras 2 semanas. Venceu a Bulgária por 3-0 (25-15, 25-19, 25-22), depois perdeu de 3-1 (19-25, 25-21, 25-22, 25-19) pra Argentina. Por fim, venceram 3-1 (25-22, 25-16, 17-25, 25-23) a Sérvia. O Brasil terminou em 2º no geral, atrás apenas da França (8V-1D).

Lucas da Silva Carvalho venceu prova de 400m em São Bernardo com 45.45 e baixou do índice pro Mundial de atletismo, o 1º nesta prova.

– Nenhuma final na Copa do Mundo de rifle/pistola em Gabala, no Azerbaijão. Os melhores resultados foram de Felipe Wu, 22º na pistola de ar 10m e 23º na pistola 50m.

Bruno Fratus venceu as 3 provas de 50m livre no Circuito Mare Nostrum. Em Canet, na última etapa, venceu com 21.92, nadando pela 6ª vez esse ano abaixo dos 22s.

– Confederação convoca equipe para o Mundial de BMX sem Renato Rezende. Lesão foi mesmo complicada. Irão Anderson Ezequiel, Julia Alves dos Santos, Priscilla Carnaval e Paola Santos (júnior).

– 6 brasileiros disputaram o Karate Serie A de Toledo, na Espanha. Nos 55kg, Valéria Kumizaki venceu 3 lutas até perder para argelina nas 8as. Nos 60kg, Rafael Nascimento disputou o bronze, mas perdeu para italiano por 2-1.

– Alexandre Rocha não passou do corte no Air Capital Classic, válido pelo web.com Tour de golfe, ficando a 2 tacadas de avançar.

Boxe, esgrima e remo em posts individuais.

Título pan-americano e vagas no Mundial de boxe

Com 7 homens e 2 mulheres, a equipe brasileira conquistou apenas 2 medalhas no Pan de boxe, em Tegucigalpa, em Honduras.

5 vagas no Mundial

A disputa masculina daria 6 vagas para cada categoria para o Mundial de Hamburgo, em agosto. Com 7 boxeadores na disputa, o Brasil conquistou 5 vagas, mas apenas uma medalha.

O único que subiu ao pódio foi Michel Borges, nos 81kg. Na estreia já nas 4as, Michel venceu por 4-1 atleta da Nicarágua, mas perdeu na semifinal para o equatoriano Carlos Mina, que chegou nas 4as dos Jogos do Rio, assim como o brasileiro.

As outras 4 vagas vieram nas repescagens, onde os perdedores das 4as se enfrentavam num Box-off. Wanderson Souza (60kg) venceu hondurenho após o árbitro parar a luta no 2º round, Joedison Teixeira (64kg) venceu venezuelano por 5-0, Jhonathan Soares (69kg) passou com 5-0 por costarriquenho e Juan Nogueira (91kg) superou com 5-0 atleta americano. Hebert Souza (75kg) perdeu na repescagem para guatemalteca e Carlos Silva (56kg) caiu logo na estreia para dominicano.

Ouro feminino

1-532

Beatriz Ferreira

O grande destaque do Brasil foi Beatriz Ferreira. A jovem revelação participou da Vivência Olímpica nos Jogos do Rio e segue 100% na temporada. Depois do ouro em sua estreia internacional em abril na Sérvia, agora venceu 3 adversárias para ficar com o título da categoria 60kg. Passou por atleta da Nicarágua por decisão do árbitro no 2º round, depois venceu venezuelana por 5-0. Na decisão, superou por 4-1 a canadense Caroline Veyre, ouro no Pan de Toronto e se sagrou campeã pan-americana.

A única outra brasileira na disputa foi Grazi Souza, nos 51kg, que perdeu logo na estreia para americana que se tornaria campeã.

Apesar do objetivo maior da competição ser as vagas pro Mundial, foi um torneio bem abaixo do esperado. Apesar disso, ótimo resultado de Beatriz, que está se tornando um dos principais nomes da categoria olímpica intermediária.

Pan de esgrima dentro da média

Foi um Pan de esgrima dentro da média pro Brasil, mas sem ouro, diferente das duas últimas edições. Em Montreal, a equipe brasileira conquistou 5 medalhas, sendo uma prata e 4 bronzes.

19143318_1545479052149742_8847269554680418316_o

Brasil é bronze na espada por equipes feminina

Principal prova do Brasil, o florete masculino saiu zerado no individual e viu os americanos fecharem o pódio com 4 nas semifinais. Guilherme Toldo perdeu nas 4as para o eventual campeão Race Imboden por 15-7. Já por equipes, o Brasil repetiu os dois últimos Pans, perdendo na final para os americanos, por 45-37. Ótima surpresa veio na espada, com Alexandre Camargo. Com apenas 18 anos e principal nome da nova geração, ele perdeu na semifinal por 15-10 para o colombiano John Édison Rodríguez. O ouro ficou com o campeão olímpico de Londres, o venezuelano Ruben Limardo. Já por equipes, o Brasil ficou em 5º. No sabre, o Brasil é o saco de pancadas, ainda mais depois da aposentadoria de Renzo Agresta, campeão no ano passado. O melhor brasileiro (e único a avançar da fase de poules) foi Arthur Whitaker, em 20º.

Entre as mulheres, a única medalha individual veio com o bronze de Nathalie Moellhausen, na espada. Ela perdeu na semi para a americana Kelley Hurley por 15-11. Nos Jogos do Rio, elas se enfrentaram na 1ª rodada, quando Nathalie venceu. Ela não participou da prova por equipes e mesmo assim a equipe ficou com o bronze ao vencer o Chile por 45-24. No florete, a equipe ganhou mais um bronze ao vencer as mexicanas por 45-38. Já no sabre, ninguém chegou perto de nada.

Em número de medalhas, o Brasil igualou a campanha de 2014, quando também venceu 1 prata e 4 bronzes, mas faltou o ouro. Em 2016 foi 1-1-1 e em 2015 1-1-2.

Mas talvez a grande surpresa do Pan foi no sabre feminino, pois nenhuma americana sequer subiu ao pódio no individual! Três perderam nas 4as e tivemos uma final entre mexicanas. Por equipes, o México venceu por 45-40 os EUA, confirmando a ascensão continental na arma. Foi a 1ª vez na história que nenhuma americana subiu ao pódio no sabre feminino e que elas não venceram a prova por equipes! Os americanos ficaram com 8 ouros dos 12 possíveis.

Pro Brasil, tudo dentro do esperado. A equipe agora parte em agosto pro Mundial, em Leipzig, na Alemanha, mas equipe bem mais reduzida. Serão apenas 12 esgrimistas, sendo que 8 estão pagando suas próprias viagens.