Resumo da semana passada

Judô

171556050217european-judo-open-men-odivelas-2017-02-04-221616

Nos primeiros torneios do circuito mundial do ano, os judocas brasileiros conquistaram 3 medalhas. 4 homens foram para o Aberto Europeu masculino na cidade portuguesa de Odivelas. Victor Penalber foi o melhor do país, conquistando o ouro na categoria 81kg, após vencer 5 lutas, incluindo a final por waza-ari sobre o russo Denis Kalinin. Rafael Buzacarini ficou com a prata nos 100kg, após perder a decisão por 3 waza-aris. Lembrando que as regras mudaram para esse ciclo, extinguindo o yuko, que passa a ser waza-ari e os waza-aris não viram ippon. Eric Takabatake conquistou o bronze nos 60kg, após perde na semifinal para espanhol e vencer na disputa da medalha francês.

Já as mulheres foram para o Aberto Europeu de Sófia, na Bulgária. Apenas Érika Miranda e Sarah Menezes lutaram. Érika perdeu na estreia dos 52kg para russa. Já Sarah, que agora subiu para a mesma categoria da Érika, nos 52kg, venceu na estreia alemã e perdeu na 2ª rodada para Distria Krasniqi, de Kosovo. A equipe brasileira segue agora pra o Grand Slam de Paris, a primeira grande competição do ano.

Taekwondo

Mais de 30 lutadores brasileiros foram para Las Vegas para o tradicional US Open da modalidade. Após 4 dias de competição, os brasileiros conquistaram 1 prata e 3 bronzes.

O melhor resultado foi de Edival Marques, campeã dos Jogos Olímpicos da Juventude em Nanjing-2014. Ele ficou com a prata na categoria 68kg,ao perder na decisão para o espanhol Javier Perez Polo. Para chegar à final, Edival precisou vencer 5 lutas. As outras 3 medalhas de bronze foram de João Chaves (87kg), Julia Vasconcelos (62kg) e Gabriele Siqueira (+73kg).

Rugby

challenge-trophy-2017-640x427

Apesar do 9º lugar na etapa, a seleção brasileira feminina obteve um resultado histórico na 2ª etapa da Série Mundial 2016-17, em Sydney, Austrália. Na 1ª fase, foi superada facilmente pelas 3 equipes do grupo, perdendo de 24-7 para a Austrália, 31-10 para Fiji e 33-5 para a Irlanda. No troféu de consolação, venceu a Espanha por 10-7 e, na disputo do 9º lugar, obteve a histórica vitória de 17-12 sobre a Inglaterra, que foi a base da equipe britânica, 4ª colocada no Rio-2016.

O título ficou o Canadá, que derrotou a equipe americana na final por 21-17, enquanto a Nova Zelândia, na reedição da final olímpica, superou a Austrália por 19-0. Após 2 etapas, o Brasil está em 11º empatado com a Espanha com 5 pontos.

Na disputa masculina, sem Brasil, título da África do Sul, com 29-14 na Inglaterra na decisão. Após 4 etapas, os sul-africano lideram com 85 pontos contra 68 da Inglaterra e 64 de Fiji.

Outros Esportes

– Depois de vencer em Rouen, Thiago Braz ficou em 3º no meeting indoor de salto com vara em Clermont-Ferrand. O canadense campeão mundial Shawn Barber levou a prova com 5,83m. Seis fizeram 5,71m, entre eles o brasileiro, que ficou em 3º nos critérios de desempate.

– Excelente campanha de Mariana Pistoia na etapa de Gdansk do circuito de florete feminino adulto! Ela fez uma péssima fase de poules, mas passou, venceu 15-12 alemã e 15-12 turca, chegando à chave principal. Entre as 64, venceu 15-13 a francesa Ysaora Thibus e perdeu na 2ª rodada de 15-14 para a francesa Anita Blaze, terminando na ótima 32ª posição. Bela prova.

Tatiane Raquel da Silva e Gilberto Silvestre Lopes venceram a Copa Brasil de Cross-Country, disputada no Parque Ecológico do Tietê, em São Paulo. Ela completou os 10km em 39:22 e ele em 33:09. Ambos se garantiram no Pan da modalidade, que será disputa dia 19/02 em Santiago, no Chile. Também irão para a capital chilena os outros campeões: Daniel Nascimento e Graziele Zarri (sub-20) e Pedro Henrique de Oliveira e Bianca Vitória dos Santos (sub-18). O Pan é classificatório para o Mundial, que será em março na Uganda.

– Na 1ª etapa do Circuito de 10km em águas abertas, a medalhista olímpica Poliana Okimoto ficou com a medalha de prata ao completar a prova em 2:12:13.54, ficando atrás da italiana Arianna Bridi (2:11:30.42). Ainda no feminino, Ana Marcela Cunha ficou em 5º lugar e Betina Lorscheitter foi 14ª e no masculino Allan do Carmo terminou em 6º e Fernando Ponte em 7º.

Hugo Calderano segue subindo no ranking mundial de tênis de mesa. O brasileiro apareceu na 17ª posição do ranking divulgado no dia 1º de fevereiro.

– Em amistoso na Quadra Central de Tênis do Parque Olímpico da Barra, Alison e Bruno Schmidt perderam no Desafio Gigantes da Praia para os americanos Dalhausser/Lucena por 21-17 21-18.

Resumo do fim de semana

Hipismo

Pedro Veniss

Pedro Veniss foi o responsável pelo principal feito esportivo da semana, ao vencer o fortíssimo GP Rolex no Internacional de Genebra. No concurso 5 estrelas com obstáculos a 1,60m, o brasileiro, montando Quabri de l’Isle zerou a primeira passagem, assim como outros 15 conjuntos. No desempate, Pedro zerou novamente, acompanhado de mais 6 conjuntos, mas o brasileiro completou o percurso reduzido em 38.96, o melhor tempo entre os 7. O belga Olivier Philippaerts, filho do grande ginete Ludo Philippaerts, ficou em 2º com 39.21 e o britânico Scott Brash foi 3º com 39.41.

O brasileiro ficou a frente de outros grandes cavaleiros, como o sueco Rolf-Göran Bengtsson e o suíço Steve Guerdat. Pela vitória, Pedro Veniss faturou CHF 400.000. Na sexta, ele havia ficado em 2º em uma prova menor do concurso, com obstáculos a 1,50m.

Esgrima

Nathalie Moellhausen obteve uma excelente participação no forte Grand Prix de Doha de espada. Classificada diretamente para a chave principal, a italiana naturalizada brasileira e quadrifinalista olímpica no Rio venceu na estreia por 15-9 a suíça Laura Staehli. Depois passou por 15-9 pela francesa Aliya Bayram e por 11-10 pela sul-coreana A Lam Shin. Nas 4as, Nathalie caiu por 15-12 para a tunisiana Sarra Besbes, que ficaria com o título ao vencer por 15-8 na final a russa Violetta Kolobova. A brasileira termina na 7ª posição.

No masculino, Athos Schwantes fez uma excelente rodada de poules, vencendo 5 dos 6 combates. Com isso, ficou entre os 16 melhores dos 23 grupos e se garantiu diretamente na chave final, onde perdeu na 1ª rodada por 15-9 para o francês Mathias Biabiany. O ouro ficou com o sul-coreano Youngjun Kweon, com 15-13 na final sobre o francês Alexandre Bardenet.

Taekwondo

Henrique Moura foi o único a vencer um combate na Final do Grand Prix de taekwondo em Baku, Azerbaijão. Na categoria até 68kg, Henrique venceu por 1-0 mexicano para perder na 2ª rodada pro belga Jaouad Achab por 11-3. O nosso medalhista olímpico Maicon Siqueira perdeu na estreia pro Abdoul Issoufou, do Níger por 3-0. Nos Jogos do, Maicon perdeu justamente para Issoufou na 2ª rodada. O africano ficaria com a medalha de prata no Rio.

No feminino, mais duas derrotas na estreia, Raphaella Galacho perdeu de 7-0 para holandesa no +67kg e Íris Tang Sing caiu por superioridade após empate em 0-0 para ucraniana.

Outros Esportes

Bruna Takahashi

Bruna Takahashi foi o destaque brasileiro no Mundial Juvenil de tênis de mesa, na África do Sul. Ela foi a única a chegar na 2ª rodada da chave principal individual, onde perdeu por 4-0 para a sul-coreana Jiho Kim. Nas duplas femininas com Alexia Nakashima e nas mistas ao lado do inglês Tom Jarvis, Bruna também parou na 2ª rodada. Por equipes, o Brasil foi 10º no feminino e 19º no masculino entre 20 equipes.

– Em São José (SC), Bruno Schimdt e Alison venceram mais uma etapa do Circuito Brasileiro de vôlei de praia. Na final, fizeram 21-19 21-18 em Álvaro Filho/Saymon. No feminino, vitória de Juliana e Rebacca, com 21-18 21-19 sobre Patrícia/Ângela na decisão.

– No sul-americano de badminton, em Lima, o Brasil ficou com o ouro por equipes na competição adulta e na Sub15 e foi prata na equipe Sub19.

Adilson da Silva foi 14º no Honk Kong Open de golfe, válido pelo Tour Europeu de 2017. Com 275 tacadas após as 4 rodadas, ficou 8 abaixo do campeão, o australiano Sam Brazel. O brasileiro ganhou mais 2,4272 pontos pro ranking mundial, subindo 25 posições no ranking mundial para 362º.

Resumo do fim de semana

Tênis

Bruno Soares e o britânico Jamie Murray chegaram até as semifinais do ATP Finals, em Londres. A dupla começou muito bem o torneio, com 3 vitórias em 3 jogos na 1ª fase. Estreou com 6-4 7-5 sobre Treat Huey/Max Mirnyi, depois venceu 6-3 6-4 os irmãos Bryan e encerrou derrotando por 6-3 3-6 [10-6] Marcelo Melo e Ivan Dodig.

Nas semifinais, entretanto, não conseguiram encaixar seu jogo e foram dominados pelo sul-africano Raven Klaasen e pelo americano Rajeev Ram, perdendo por 6-1 6-4. Apesar da derrota, Bruno e Murray contaram com 3 derrotas dos franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut na 1ª fase e, com isso, garantiram o título de melhor dupla do ano. A parceria do brasileiro somou 7.850 pontos contra 7.825 dos franceses. O torneio marcou também a última atuação junta de Marcelo Melo com o croata Ivan Dodig, que encerram uma parceria vitoriosa de 5 anos. Marcelo jogará a partir de 2017 com o polonês Lukasz Kubot.

Tênis de Mesa

Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano

Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi conquistaram um feito inédito para o Brasil, ao levar o título do Aberto da Suécia, em Estocolmo. A dupla derrotou na decisão os franceses Antoine Hachard e Stephane Ouaiche por 3-0 (12-10 12-10 11-7). Foi o 1º título de um Major nas duplas para o Brasil. Em 2015, no Qatar, Calderano e Tsuboi chegaram à final, mas perderam e ficaram com a prata. Com o título na Suécia, os dois se classificaram para o Super Finals, em Doha em dezembro.

Nas simples, Calderano não foi tão bem. Ele estreou com vitória na chave principal de 4-2 sobre o eslovaco Samuel Novota, mas perdeu na 2ª rodada para o inglês Liam Pitchford por 4-2. Tsuboi caiu na estreia por 4-1 para o polonês Wang Zenyi.

Taekwondo

Com um bronze no último dia, o Brasil encerrou o Mundial Juvenil no Canadá com uma medalha. Leandro Souza, na categoria acima de 78kg masculino, chegou às semifinais após vencer bósnio, indiano e turco. Na semi, perdeu de 10-2 para o alemão Aleksandar Keselj, que foi derrotado na decisão pelo russo Georgii Tandelov por 20-6.

Outras 3 lutadoras chegaram às 4 as de final pelo Brasil: Dangela Guimarães (46kg), Thays Barbosa (55kg) e Larissa Pirola (63kg). Com 6 ouros, a Coreia do Sul foi a grande vencedora do Mundial, seguida do Irã com 3 e Rússia e Turquia com 2 títulos cada.

Esgrima

Em uma etapa bem esvaziada da Copa do Mundo juvenil, na Guatemala, que contou com poucos atletas de fora das Américas, os esgrimistas brasileiros fizeram história. No florete feminino, Gabriela Cecchini ficou com a medalha de bronze na disputa individual. Ela chegou até as semifinais, perdendo por 15-12 para a mexicana Lydia Casillas e acabou em 3º lugar. No florete masculino, Pedro Marostega chegou até as 4as, onde foi derrotado por 15-7 para o argentino Augusto Servello.

Na prova por equipes mistas, prova relativamente nova no circuito de esgrima, o Brasil ficou com um inédito ouro. Com apenas 6 países na disputa, jogou direto na semifinal, vencendo por 40-24 o Equador e na decisão derrotou o México por 40-38. Com o ouro, o Brasil lidera o ranking mundial por equipes mistas do florete.

Entre os adultos, em Buenos Aires, Nicolas Ferreira foi o único brasileiro a passar para a fase de mata-mata da Copa do Mundo de espada masculina, vencendo um combate e perdeno o 2º de 15-14 para o americano James Kaull. Nicolas terminou na 80ª posição.

Badminton

Lohaynny Vicente foi a grande campeã do brasileiro de badminton, em Novo Hamburgo-RS com 3 oruos.

A atleta olímpica venceu no individual Fabiana da Silva na final por abandono, junto com Fabiana foi campeã de duplas femininas com 21-18 21-12 na final sobre Amando dos Santos e Jaqueline Carvalho, e ao lado de Alex Tjong venceu o título das duplas mistas com 21-19 26-24 sobre Hugo Arthuso e Fabiana.

No masculino, aproveitando a ausência de Ygor Coelho, Arthur de Pomoceno foi o campeão com 21-19 21-18 na final sobre Cleyson dos Santos. Hugo Arthuso e Daniel Paiola levaram o título das duplas masculinas, com 21-16 21-16 em Alex Tjong/Leonardo Alkimin na decisão.

Outros Esportes

– O Brasil encerrou o Sul-Americano de lutas com discretas 7 medalhas: 4 pratas e 3 bronzes. Com uma equipe sem seus principais nomes, saiu sem ouros. No feminino, 2 pratas e 2 bronze, na llivre masculina conquistou 2 pratas e na greco-romana apenas 1 bronze. A competição foi disputada em Cartagena, na Colômbia.

Natália Gaudio foi a grande campeã do Brasileiro de ginástica rítmica em Aracaju. A atleta olímpica somou 64,950 e levou o ouro no individual geral, seguida de Bárbara Domingos com 58,200 e Karine Walter com 53,800. Natália ainda levou o ouro em todos os aparelhos: arco (16,750), bola (15,500), maças (16,350) e fita (16,350), com notas muito superioras às outras concorrentes.

– Com o vice-campeonato do challenger de Montevidéu, o tenista Rogério Dutra Silva voltou ao top-100 do ranking da ATP. Pela primeira vez em 5 anos o Brasil voltou a ter 3 tenistas entre os 100 melhores do mundo: Thomaz Bellucci (61º), Thiago Monteiro (83º) e Rogério Dutra Silva (99º).

Álvaro Filho/Saymon venceram a 4ª etapa do Circuito Brasileiro de vôlei de praia, em Curitiba. A dupla derrotou na final 22-20 19-21 15-13 os campeões olímpicos Alison/Bruno Schmidt. No feminino, Juliana, jogando com Taiana, venceu 21-15 21-16 Elize Maia/Rebecca na decisão.

Prévias Rio-2016: Taekwondo

Até 58kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Joel González (ESP); Prata – Lee Dae-hoon (KOR); Bronzes – Aleksey Denisenko (RUS) e Óscar Muñoz (COL)

Último Mundial (2015): Ouro – Farzan Ashourzadeh (IRI); Prata – Si Mohamed Ketbi (BEL); Bronzes – Ruslan Poiseev (RUS) e Zhao Shuai (CHN)

farzan20ashour20zadeh20fallah20right

Farzan Ashourzadeh

Na categoria mais leve masculina, a disputa promete com o sul-coreano Kim Tae-hun, bicampeão mundial na categoria 54kg. Atual ouro nos Jogos Asiáticos e no campeonato asiático, Kim venceu a Final do GP de 2015. Seu grande adversário é o líder do ranking olímpico, o iraniano Farzan Ashourzadeh, campeão mundial nesta categoria em 2015 e também campeão asiático e dos Jogos Asiáticos em 2014.

O português Rui Bragança é bicampeão europeu e venceu o GP de Samsum em 2015 e tem boas chances, assim como o alemão Levent Tuncat, tricampeão europeu. De olho também no belga Si Mohamed Ketbi, vice-campeão mundial, o jovem espanhol Jesús Tortosa de 18 anos, e o medalhista em Londres, o colombiano Óscar Muñoz e o mexicano César Rodríguez.

E o Brasil? Venílton Teixeira surpreendeu com o bronze no último, na categoria 54kg e pode surpreender novamente no Rio, mas decepcionou no Pan, ficando em 5º. Pode ser uma boa surpresa pro Brasil, embora ele já seja medalhista mundial.

Meu Pódio: Ouro – Farzan Ashourzadeh (IRI); Prata – Kim Tae-hun (KOR); Bronzes – Levent Tuncat (GER) e Si Mohamed Ketbi (BEL)

Até 68kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Servet Tazegül (TUR); Prata – Moahmmad Bagheri (IRI); Bronzes – Terrence Jennings (USA) e Rohullah Nikpai (AFG)

Último Mundial (2015): Ouro – Servet Tazegül (TUR); Prata – Aleksey Denisenko (RUS); Bronzes – José Antonio Rosillo (ESP) e Shin Dong-yun (KOR)

O turco Servent Tazegül (1O-1B) defende o título olímpico e mundial da categoria e tem boas chances de repetir o feito no Rio. Ele esbarra no sul-coreano Lee Dae-hoon (1P), prata em Londres na categoria abaixo e bicampeão mundial nos 63kg. Lee venceu 2 etapas do Grand Prix em 2014 e 2 em 2015 e é o favorito da categoria.

Esta categoria promete belos duelos com vários medalhistas olímpicos e mundiais. O espanhol Joel González (1O) também subiu de categoria e foi ouro em Londres nos 58kg. Ele também foi vice-campeão mundial nos 63kg em 2015. O russo Aleksey Denisenko (1B) é vice mundial nos 68kg e venceu algumas etapas do circuito mundial, como o Aberto de Samsum em 2015. Também ficar de olho no croata Filip Grgic, no mexicano Saúl Gutiérrez e no belga Jaouad Achab.

E o Brasil? Nenhum brasileiro disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Lee Dae-hoon (KOR); Prata – Aleksey Denisenko (RUS); Bronzes – Joel Gonzalez (ESP) e Servet Tazegül (TUR)

Até 80kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Sebastián Crismanich (ARG); Prata – Nicolás García (ESP); Bronzes – Lutalo Mohammmad (GBR) e Mauro Sarmiento (ITA)

Último Mundial (2015): Ouro – Mehdi Khodabakhshi (IRI); Prata – Damon Sansum (GBR); Bronzes – Aaron Cook (MDA) e Tahir Güleç (GER)

O iraniano Mehdi Khodabakhshi é o campeão mundial e líder do ranking. Campeão asiático e dos jogos Asiáticos, é presença constante em pódios do circuito mundial e nome forte da categoria. Mas um veterano americano quer sua 4ª medalha olímpica aos 37 anos! Steven López (2O-1B) só não subiu ao pódio olímpico em Londres, quando caiu logo na estreia. Hexacampeão mundial, bicampeão dos Jogos Pan-Americano, López é extremamente experiente e um dos maiores nomes do taekwondo. Apesar da idade, não se deve subestimá-lo.

Mas esta categoria promete por conta de outros dois nomes envolvidos em uma mesma polêmica. Aaron Cook (contei a história dele aqui), que agora representa a Moldova, e o britânico Lutalo Muhammad (1B) também tem grandes chances de subir ao pódio e quem sabe se confrontarem em um dos duelos mais esperados do taekwondo. Também de olho nos medalhistas mundiais em 2015 nos 74kg, Ismael Coulibaly, do Mali, e o russo Albert Gaun. Interessante que a Coreia do Sul nunca medalhou nesta categoria na história e não terá representante no Rio.

E o Brasil? Nenhum brasileiro disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Mehdi Khodabakhshi (IRI); Prata – Aaron Cook (MDA); Bronzes – Lutalo Muhammad (GBR) e Steven López (USA)

Acima de 80kg masculino

Pódio de Londres-2012: Ouro – Carlo Molfetta (ITA); Prata – Anthony Obame (GAB); Bronzes – Robelis Despaigne (CUB) e Liu Xiaobo (CHN)

Último Mundial (2015): Ouro – Dmitriy Shokin (UZB); Prata – Firmin Zokou (CIV); Bronzes – Anthony Obame (GAB) e Robelis Despaigne (CUB)

Dois uzbeques lideram o ranking mundial, mas apenas um estará no Rio e é o campeão mundial Dmitriy Shokin. Além do Mundial, ele venceu em 2015 as etapas de Moscou e Manchester do GP e é o favorito. O sul-coreano Cha Dong-min (1O) venceu a categoria em Pequim, mas decepcionou em Londres. Já algum tempo ele não sobe no pódio em uma competição mundial ou continental.

O azeri Radik Isayev foi ouro no Mundial de 2015 na categoria até 87kg e foi ouro nos Jogos Europeus. Outro que tem boas chances é Anthony Obame (1P), do Gabão. Favorito em Londres, perdeu na final para o italiano Carlo Molfetta, que não estará no Rio. Obame foi campeão mundial em 2013 e bronze em 2015 e é forte candidato ao pódio. Também de olho no iraniano Sajjad Mardani e no francês M’Bar N’Diaye.

E o Brasil? Maicon Andrade defende o Brasil na prova, mas tem poucas chances de medalhar. Deve pegar logo na estreia um dos candidatos ao ouro.

Meu Pódio: Ouro – Dmitriy Shokin (UZB); Prata – Radik Isayev (AZE); Bronzes – Anthony Obame (GAB) e Sajjad Mardani (IRI)

Até 49kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Wu Jingyu (CHN); Prata – Brigitte Yagüe (ESP); Bronzes – Chanatip Sonkham (THA) e Lucija Zaninovic (CRO)

Último Mundial (2015): Ouro – Ha Min-ah (KOR); Prata – Wu Jingyu (CHN); Bronzes – Svetlana Igumenova (RUS) e Tijana Bogdanovic (SRB)

Na categoria olímpica mais leve no feminino, a chinesa Wu Jingyu (2O) é o grande nome. Bicampeã olímpica, Wu também é bicampeã mundial (2007 e 2011) e é a atual vice-campeã mundial da categoria. Dominou o circuito em 2015, com 3 ouros em 4 etapas, e lidera o ranking com folga. A tailandesa Panipak Wongpattanakit é campeã mundial dos 46kg, mas esse ano foi ouro no asiático nos 49kg. Aos 18 anos, ela vem forte e com o ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude em Nanjing-2014.

A coreana da categoria será Kim So-hui, bicampeã mundial dos 46kg em 2011 e 2013. Jamais uma coreana medalhou nesta categoria em Olimpíadas e Kim pode quebrar esse tabu. Também de olho na croata Lucija Zaninovic (1B), tricampeã europeia e bronze em Londres.

E o Brasil? Iris Tang Sing chega muito bem aos Jogos, com o bronze no mundial de 2015 nos 46kg, bronze no Pan e o ouro nos Jogos Militares de 2015, disputado na Coreia do Sul.

Meu Pódio: Ouro – Kim So-hui (KOR); Prata – Wu Jingyu (CHN); Bronzes – Iris Tang Sing (BRA) e Lucija Zaninovic (CRO)

57kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Jade Jones (GBR); Prata – Hou Yuzhou (CHN); Bronzes – Marlene Harnois (FRA) e Tseng Li-Cheng (TPE)

Último Mundial (2015): Ouro – Mayu Hamada (JPN); Prata – Eva Calvo (ESP); Bronzes – Kimia Alizadeh (IRI) e Edina Kotsis (HUN)

Campeã em Londres e atual campeã europeia, a britânica Jade Jones (1O) é a líder do ranking e a maior pontuação somando todas as categoria no masculino e no feminino. Grande favorita, ainda levou os Jogos Europeus e medalhou nas 4 etapas do Grand Prix em 2015, vencendo 2. Suas principais adversárias são a japonesa Mayu Hamada, atual campeã mundial da categoria, e a croata Ana Zaninovic, campeã mundial em 2011 e europeia em 2014.

A iraniana Kimia Alizadeh foi ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude em 2014 e bronze no último mundial. Aos 16 anos, em 2015, derrotou por 10-9 Jade Jones no Mundial. Refugiada na Bélgica, a iraniana de nascimento Raheleh Asemani defenderá a nação europeia, mas se classificou no pré-olímpico europeu como refugiada. Já defendendo a Bélgica, foi bronze no europeu este ano e será uma surpresa interessante na categoria. De olho também na forte espanhola Eva Calvo, vice mundial e medalha em 6 dos últimos 8 Grand Prix, e na egípcia Hedaya Malak.

E o Brasil? Júlia Vasconcelos foi 5ª no Pan e bronze no US Open este ano, mas não deve ir longe nos Jogos.

Meu Pódio: Ouro – Jade Jones (GBR); Prata – Kimia Alizadeh (IRI); Bronzes – Eva Calvo (ESP) e Ana Zaninovic (CRO)

67kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Hwang Kyung-Seon (KOR); Prata – Nur Tatar (TUR); Bronzes – Paige McPherson (USA) e Helena Fromm (GER)

Último Mundial (2015): Ouro – Chuang Chia-chia (TPE); Prata – Nur Tatar (TUR); Bronzes – Paige McPherson (USA) e Katherine Dumar (COL)

A número 1 do mundo é a francesa Haby Niaré, campeã mundial em 2013 e campeã dos GPs de Manchester e da Cidade do México em 2015. A taiwanesa Chuang Chia-chia é a campeã mundial e bicampeã asiática, outra favorita ao pódio. De olho também na americana Paige McPherson (1B), bronze em Londres e no último Mundial, ouro no Pan de Toronto-2015 e maior chance americana no esporte.

Também observar a australiana Carmen Marton, campeã mundial nos 62kg em 2013, e na forte turca Nur Tartar (1P), atual vice olímpica e mundial.

E o Brasil? Nenhuma brasileira disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Paige McPherson (USA); Prata – Chung Chia-chia (TPE); Bronzes – Haby Niaré (FRA) e Nur Tartar (TUR)

Acima de 67kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Milica Mandic (SRB); Prata – Anne-Caroline Graffe (FRA); Bronzes – Anastasia Baryshnikova (RUS) e Maria Espinoza (MEX)

Último Mundial (2015): Ouro – Bianca Walkden (GBR); Prata – Gwladys Épangue (FRA); Bronzes – Nafia Kus (TUR) e Olga Ivanova (RUS)

A chinesa Zheng Shuyin foi prata no Mundial de 2015 na categoria 67kg e é presença constante em pódios do Grand Prix e bronze no último asiático. A veterana francesa Gwladys Épangue (1B), bronze em Pequim, tem 5 medalhas em Mundiais  e 7 em europeus e ficou de fora de Londres por conta de uma contusão, mas volta aos Jogos com grandes chances de medalha.

A britânica Bianca Walkden é a atual campeã mundial da categoria além de ser campeã europeia este ano. Campeã em Londres, a sérvia Milica Mandic faz parte do Hall da Fama e tem 3 pratas em europeus. A mexicana María Espinoza (1O-1B) foi ouro em Pequim e bronze em Londres, além de campeã mundial em 2007 e prata no Pan de 2015. Olho também na americana Jackie Galloway e em Sorn Seavmey, do Camboja, ouro nos fortíssimos Jogos Asiáticos de 2014 e única chance de medalha de seu país, que jamais ganhou uma medalha olímpica.

E o Brasil? Nenhuma brasileira disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Gwladys Épangue (FRA); Prata – Bianca Walkden (GBR); Bronzes – Zheng Shuyin (CHN) e Sorn Seavmey (CAM)

Perfil 2016 – Aaron Cook (MDA)

82623300_aaron_cook_getty

03/75

Aaron Cook

Taekwondo

80kg masculino

Mundiais: 1 bronze

 

Um dos maiores nomes do taekwondo da atualidade e um dos mais polêmicos.

Tricampeão europeu, Cook começou sua carreira senior aos 16 anos em 2007, quando foi bronze no Aberto da Holanda. Na semana seguinte, venceu o Aberto da Alemanha. Em seu primeiro mundial neste ano enfrentou na 2ª rodada o iraniano Hadi Saei, que era o atual campeão mundial e olímpico, perdendo por 11-6.

Em 2008, Cook se classificou para os Jogos Olímpicos de Pequim com o 3º lugar no pré-olímpico europeu. Na China, venceu duas lutas até perder na semifinal para o italiano Mauro Sarmiento por 6-5. Na repescagem, perdeu a medalha de bronze para o chinês Zhu Guo por 4-1, ficando sem medalha.

Em 2010, Cook se tornou o 1º do mundo na categoria até 80kg, após vencer seu primeiro título europeu. No Mundial de 2011, uma derrota inesperada na estreia para americano por 7-5 o fez abandonar a seleção britânica e treinar por conta própria, com técnicos próprios. Os resultados vieram com o título no evento-teste em 2011 e com o seu 2º título europeu em 2012.

A surpresa veio às vésperas dos Jogos, quando a federação britânica deu a vaga olímpica para Lutalo Muhammad, tirando Cook dos Jogos. Lutalo foi campeão europeu nos 87kg, mas Cook tinha muito mais experiência e liderava o ranking mundial. Alegando perseguição por ter abandonado a seleção no ano anterior, Cook ficou fora dos Jogos e desistiu de representar a Grã-Bretaha, optando por defender a pequena Ilha de Man.

Em 2013, com mais títulos importantes no circuito mundial, voltou a liderar o ranking dos 80kg e levou seu 3º título europeu em 2014 em Baku. Ele retomou as conversas com o Comitê Olímpico Britânico, mas ele fez um acordo com o bilionário da Moldova Igor Iuzefovici, presidente da federação de taekwondo do país. Cook ganhou cidadania da Moldova e agora defende o pequeno país do leste europeu.

Em 2015, Cook venceu sua 1ª medalha em Mundiais com o bronze já representado a Moldova. Como 2º do ranking mundial, garantiu a vaga olímpica na sua categoria e pode enfrentar nos Jogos o mesmo Lutalo Muhammad que o tirou dos Jogos de 2012. Cook ainda faturou o bronze no Europeu de 2016.

Jogos Pan-Americanos Toronto-2015 – Dia 12

Foi o pior dia do Brasil em Toronto, com apenas 4 bronzes.

Atletismo

Flávia de Lima

A única medalha brasileira no atletismo nesta quarta veio nos 800m feminino. Flávia de Lima já mostrou no Troféu Brasil que está muito bem na distância. Na final do Pan, não largou muito bem e precisou fazer uma corrida de recuperação. Na última volta deu um gás e ficou com o bronze com o ótimo tempo de 2:00.40, atrás da canadense Melissa Bishop com 1:59.62 e da americana Alysia Montano com 1:59.76.

A final dos 100m feminino foi muito muito boa. Campeã olímpica pelo revezamento jamaicana em Atenas-2004, Sherone Simpson venceu com 10.95, seguida da equatoriana Angela Tenorio com excelentes 10.99, novo recorde sul-americano, e da americana Barbara Pierre (que quebrou o recorde do Pan nas eliminatórias com 10.92) com 11.01. Rosângela Santos não largou muito bem, mas fez uma excelente prova, terminando no 4º lugar com 11.04. Ana Cláudia Silva não manteve o ritmo da largada e terminou em 7º com 11.15. Na final masculina, o canadense Andre de Grasse confirmou o favoritismo e levou com 10.05.

Wagner Domingos não levou medalha no lançamento de martelo por apenas 1cm! Na sua 4ª tentativa, ele alcançou 73,74m, a mesma marca do americano Conor McCullough. Mas como o 2º melhor lançamento do americano (73,19m) foi melhor que o 2º do brasileiro (71,71m), ele ficou com o bronze. Uma pena. Ouro pro americano Kibwe Johnson com 75,46m.

A trinitina Cleopatra Borel levou o arremesso de peso com 18,67m, apenas 2cm melhor que a americana Jillian Camarena-Williams. Geisa Coutinho, longe do seu melhor, foi 9ª com 17.18m. O americano Jeffery Henderson aproveitou o alto vento a favor (4,1 m/s) e saltou para 8,54m para faturar o ouro! Marquise Goodwin, que é wide receiver do Buffalo Bills da NFL, fechou a dobradinha americana com 8,27m. Legal o bronze pro uruguaio Emiliano Lasa com 8,17m. Higor Alves só teve um salto válido e ficou em 10º com 7,60m.

Pela manhã, na única final do horário, um pódio muito diferente no salto em altura feminino. Favorita, Levern Spencer, de Santa Lúcia, dominou a prova para vencer com 1,94m, dando o primeiro ouro da história do seu país em Pan e apenas a 3ª medalha (2 são dela). A prata foi pra Priscilla Frederick, de Antígua & Barbuda, e o bronze para Akela Jones, de Barbados. Pódio bem fora do comum.

A americana Shamier Little venceu os 400m com barreiras com 55.50, prova que deu mais um bronze pro Uruguai, para Deborah Rodriguez com 56.41. Após 5 provas do decatlo, a disputa promete. O canadense Damian Warner lidera com 4.460, seguido do brasileiro Felipe dos Santos com 4.397. Luiz Alberto de Araújo está em 4º com 4.267.

Captura de Tela 2015-07-23 às 00.19.59

Ghislain Perrier após vence canadense e se garantir na semifinal. Foto: FIE/Facebook

EsgrimaGhislain Perrier perdeu na semifinal do florete para  americano Gerek Meinhardt por duros 15-12. Ele chegou a liderar por boa parte do confronto. Na final americana, Alexander Massialas, 3º do mundo, venceu Meinhardt por 15-12. No florete feminino, mais um ouro americano, para Lee Kiefer, 4ª do mundo, com 15-11 na colombiana Saskia Garcia. Guilherme Toldo e Gabriela Cecchini perderam nas 4as justamente para os campeões.

Taekwondo – No último dia da modalidade, Raphaella Galacho perdeu na semifinal da categoria acima de 67kg para a ameriacana Jackie Galloway por 5-0, mas na disputa do bronze, venceu por 1-0 a canadense Nathalie Iliesco e faturou o bronze. Guilherme Cezário perdeu nas 4as da categoria acima de 80kg para argentino. Os campeões do dia foram a própria Jackie Galloway e no masculino o cubano Rafael Alba. Brasil encerra com apenas 2 bronzes. Cuba e EUA com 3 ouros cada.

Caroline Kumahara em partida da primeira fase individual. Foto: CBTM

Tênis de Mesa – Pela primeira fase do individual, 9 jogos de brasileiros, 9 vitórias. No feminino, Lin Gui venceu 4-0 peruana e 4-1 argentina, Lígia Silva venceu 4-1 cubana e 4-1 chilena e Caroline Kumahara passou com 4-0 em venezuelana e 4-1 em porto-riquenha. Entre os homens, Thiago Monteiro 4-0 em chileno, Gustavo Tsuboi 4-1 em equatoriano e Hugo Calderano venceu por W.O. de americano.

BoxeJoedilson Teixeira, o Chocolate, perdeu na semi dos 64kg para cubano e ficou com o bronze.Os cubanos fizeram 5 lutas de semifinal neste dia e venceram as 5! Podemos ter até 10 ouros cubanos no Pan.

Ciclismo Estrada – Nas provas contra-relógio, brasileiros foram bem, mas ficaram sem medalha. Ana Paula Polegatch ficou na 5ª posição e Murilo Affonso terminou em 4º. Ouro para a americana Kelly Catlin e pro canadense Hugo Houle.

Futebol – O Brasil venceu na semifinal feminina o México por 4-2, com direito a mais um gol de Cristiane, 2 de Rafaelle, gol contra de mexicana e até gol contra da goleira brasileira. Na final, enfrentará a Colômbia, que passou com 1-0 pelo Canadá.

Handebol – Como esperado, as brasileiras não tiveram dificuldades, venceram por fáceis 40-22 o Uruguai e seguem em busca do penta. Na outra semi, a Argentina venceu por 27-16 o México e não só se garantiu na final como conquistou a vaga olímpica!

Hóquei na Grama – Nas semifinais femininas, deu o esperado. A Argentina goleou o Chile por 5-0 e pega na final os EUA, que passaram com 3-0 pelo Canadá. Será a reedição da final de 2011, vencida pelas americanas.

Basquete – Veio a segunda vitória da equipe masculina, com 79-64 na Venezuela, vitória tranquila e já com vaga na semi. Pelo mesmo grupo, EUA 102-70 Porto Rico. Pelo outro, República Dominicana 95-70 México e Canadá 88-83 Argentina.

Boliche – No primeiro dia das disputas de duplas, o Brasil terminou em 8º tanto no masculino como no feminino, após 6 rodadas. Americano Devin Bidwell fez em uma das séries 299! Errou na última bola e não fez um jogo perfeito! Canadá lidera no masculino e Colômbia no feminino.

Esqui Aquático – No wakeboard masculino, ouro para o canadense Rusty Malinoski enquanto o brasileiro Luciano Rondi ficou em 5º. No geral masculino, ouro pro chileno Felipe Miranda e no geral feminino vitoria da canadense Whitney McClintock.

Baseball e Softball – Mais uma derrota pro Brasil no softball feminino, com 2-0 para Porto Rico. EUA 9-2 Cuba e Canadá 9-7 República Dominicana completam a rodada. No baseball feminino, Canadá 3-2 Porto Rico e EUA 11-0 Cuba.

Quadro de Medalhas após 12 dias

Captura de Tela 2015-07-23 às 00.03.31

Jogos Europeus Baku-2015 – Dia 7

Ginásticas

Yana Kudryavtseva. Foto: David Ramos/Getty Images

No esperado duelo das russas na ginástica rítmica, Yana Kudryavtseva venceu Margarita Mamun por pouco. Sem adversárias no mundo, as russas dominaram a prova do individual geral e devem levar mais 4 ouros nas finais por aparelho (só passa uma por país pras finais por aparelho). Kudryavtseva venceu com 76,100 contra 75,650 de Mamun. Um pouco atrás, bronze para a bielorrussa Melitina Staniouta com 73,100.

Na menos conhecida ginástica acrobática, a equipe feminina da Bélgica levou o ouro com 86,480 contra 65,430 da equipe russa. Nas duplas mistas, foi a Rússia que ficou na frente com 89,310 contra 86,180 da dupla belga.

Tiro

Petra Zublasing. Foto: François Nel/Getty Images

Campeã mundial ano passado no rifle de ar 10m, a italiana Petra Zublasing foi espetacular no rifle 3 posições 50m. Ela fez uma final incrível e venceu com 464,7, batendo o primeiro recorde mundial destes jogos! Ela foi 1,4 melhor que o recorde anterior de uma chinesa. Foi 10,1 melhor que a francesa que ficou com a prata! Uma diferença muito grande pro nível da prova!

Na fossa doublê masculina, vitória do russo Vitaly Fokeev, que fez 29 pratos a final contra 26 do húngaro Richard Bognar.

Tênis de Mesa

Pódio do masculino. Foto: Jamie Squire/Getty Images

Aproveitando a contusão do favorito Timo Boll, seu compatriota Dimitrij Ovtcharov ficou com o ouro vencendo na final por 4-3 outro favorito, o bielorrusso Vladimir Samsonov. Bronze para o ucraniano Kou Lei com 4-2 sobre o britânico Paul Drinkhall.

Numa final holandesa (que na verdade é chinesa), Li Jiao fez 4-0 sobre sua compatriota Li Jie. Completando o pódio chinês, Hu Melek, que representa a Turquia venceu por 4-1 a eslovaca Eva Odorova.

Taekwondo

Nas categorias mais pesadas, o Azerbaijão confirmou o bom momento de sua equipe masculina, levando o 3º ouro em 4 provas. Campeão mundial esse ano e europeu ano passado, Radik Isayev confirmou o favoritismo vencendo na final pot 4-3 o russo Vladislav Larin.

No acima de 67kg feminino, a medalhista olímpica e bicampeã mundial Gwladys Épangue venceu numa dura final por 9-8 a sérvia Milica Mandic e ficou com o ouro.

Outros Esportes

Dois ouros russos nos saltos ornamentais. Maria Polykova venceu o trampolim de 1m e Ilia Molchanov e Nikita Nikolaev venceram o trampolim 3m sincronziado.

Azerbaijão segue invicto no vôlei feminino, com sua 4ª vitória num disputado 3-2 com a Bélgica.

Definida a final do pólo aquático masculino. A Sérvia venceu por 13-12 após cobrança de penaltis a Grécia e pega na final s Espanha, que passou por 9-8 pela Croácia.

No vôlei de praia feminino, estão nas semifinais Lituânia, Áustria, Suíça e Itália.