Título pan-americano e vagas no Mundial de boxe

Com 7 homens e 2 mulheres, a equipe brasileira conquistou apenas 2 medalhas no Pan de boxe, em Tegucigalpa, em Honduras.

5 vagas no Mundial

A disputa masculina daria 6 vagas para cada categoria para o Mundial de Hamburgo, em agosto. Com 7 boxeadores na disputa, o Brasil conquistou 5 vagas, mas apenas uma medalha.

O único que subiu ao pódio foi Michel Borges, nos 81kg. Na estreia já nas 4as, Michel venceu por 4-1 atleta da Nicarágua, mas perdeu na semifinal para o equatoriano Carlos Mina, que chegou nas 4as dos Jogos do Rio, assim como o brasileiro.

As outras 4 vagas vieram nas repescagens, onde os perdedores das 4as se enfrentavam num Box-off. Wanderson Souza (60kg) venceu hondurenho após o árbitro parar a luta no 2º round, Joedison Teixeira (64kg) venceu venezuelano por 5-0, Jhonathan Soares (69kg) passou com 5-0 por costarriquenho e Juan Nogueira (91kg) superou com 5-0 atleta americano. Hebert Souza (75kg) perdeu na repescagem para guatemalteca e Carlos Silva (56kg) caiu logo na estreia para dominicano.

Ouro feminino

1-532

Beatriz Ferreira

O grande destaque do Brasil foi Beatriz Ferreira. A jovem revelação participou da Vivência Olímpica nos Jogos do Rio e segue 100% na temporada. Depois do ouro em sua estreia internacional em abril na Sérvia, agora venceu 3 adversárias para ficar com o título da categoria 60kg. Passou por atleta da Nicarágua por decisão do árbitro no 2º round, depois venceu venezuelana por 5-0. Na decisão, superou por 4-1 a canadense Caroline Veyre, ouro no Pan de Toronto e se sagrou campeã pan-americana.

A única outra brasileira na disputa foi Grazi Souza, nos 51kg, que perdeu logo na estreia para americana que se tornaria campeã.

Apesar do objetivo maior da competição ser as vagas pro Mundial, foi um torneio bem abaixo do esperado. Apesar disso, ótimo resultado de Beatriz, que está se tornando um dos principais nomes da categoria olímpica intermediária.

Resumo olímpico da semana

Vela

2017 World Cup Series Hyères

Martine Grael e Kahena Kunze

Martine Grael e Kahena Kunze dominaram a Copa do Mundo de Hyeres, na França. As campeãs olímpicas somaram 34 pontos com um descarte após 13 regatas, bem a frente da dupla alemã, com 50 pontos, 2ª colocada. Foi a 3ª competição delas este ano e a 3ª vitória.

Fora ainda dois quintos lugares, com Jorge Zarif na Finn e Patrícia Freitas na RSX. Ambos venceram duas regatas cada, mas pecaram feio em outras.

Atletismo

e3ba1997-62af-473b-a291-6f8cd32425a1

Jefferson Santos

Seis brasileiros foram disputar o Multistars, tradicional competição de provas combinadas em Firenze, na Itália. Sem grandes adversários, os brasileiros foram bem. O destaque foi Jefferson Santos, que terminou o 1º dia na liderança do decatlo e venceu a prova ao somar bons 7.728 pontos. Além de bater seu recorde pessoal no decatlo, fez a melhor prova da vida em 7 provas!

No feminino, Tamara de Sousa terminou o 1º dia na frente com 39 pontos de vantagem. Mas ela tem um tradicional 2º dia ruim, enquanto a colombiana Evelis Aguilar fez 3 excelente provas para vencer com 6.228. Tamara acabou na 3ª colocação com 5.866 pontos e Vanessa Chefer, que venceu esta prova no ano passado com 6.100 pontos, acabou em 4º com 5.808, indo mal no peso e no dardo.

Boxe

1-507

Beatriz Ferreira após vencer na semifinal

Beatriz Ferreira foi o destaque brasileiro no Belgrado Winner, competição tradicional na Sérvia, em sua primeira competição internacional. A jovem atleta venceu suas 3 lutas na categoria 60kg, passando por belga após o árbitro parar o combate, depois venceu por 5-0 escocesa e, na final, passou pela polonesa Aneta Rygielska para ficar com o ouro. Beatriz é uma das grandes revelações do boxe feminino brasileiro e mostrou nessa competição que tem tudo para brilhar.

Foram ainda outras 4 medalhas de bronze, com Graziele de Jesus (51kg), Joedison Teixeira (64kg), Jhonatan Soreas (69kg) e Juan Nogueira (91kg).

Outros Esportes

Darlan Romani venceu prova de arremesso de peso nos EUA com 20,93m finalmente conquistando o índice pro Mundial de Londres, ficando a 9cm do seu recorde brasileiro.

– Na copa Europeia Cadete de judô em Berlim, equipe brasileira com 3 ouros, todos no feminino: Laura Ferreira (44kg), Gabriella Moraes (63kg) e Luiza Cruz (+70kg). Teve ainda uma única prata no masculino com Willian Lima (60kg).

Adilson da Silva ficou em 4º lugar e torneio de golfe na Zâmbia válido pelo Sunshine Tour com 277 tacadas, a 4 do campeão. Ele ganhou 4,2 pontos pro ranking, subindo 48 posições para 322º.

– No torneio Superpraia em Niterói, Ágatha e Duda levaram o título no feminino com 21-17 21-14 an final sobre Maria Elisa/Carol. No masculino, os campeões olímpicos Alison/Bruno Schmidt levaram o tetra com 21-19 22-20 sobre Álvaro Filho/Saymon.

Raiza Goulão venceu prova de mountain bike na Espanha, em Arnedo. Ela completou o percurso em 1:18:18, mesmo tempo da espanhola Rocio Martinez, em 2º lugar.

Flávia Oliveira foi 40ª colocada no Festival Elsy Jacobs, prova de 3 etapas em Luxemburgo, ficando a 5:48 da campeã.

Luisa Baptista venceu Copa Americana de triatlo em Salinas, no Equador. Ela completou a distância olímpica em 2:06:05, mais de 1min15s na frente da 2ª colocada. No masculino, Manoel Messias foi 4º colocado.

Ana Beatriz Bulcão foi a única brasileira na Copa do Mundo de florete feminino em Tauberbischofsheim, na Alemanha, ficando em 91º lugar entre 155 competidoras.

– A CBG convocou 10 atletas para a seleção brasileira de ginástica rítmica de conjunto, sendo apenas 2 remanescentes da equipe 9ª colocada nos Jogos do Rio: Francielly Machado e Jéssica Maier.

Resumo Rio-2016: Boxe – pesos leves

Até 49kg masculino

c04fea1584194f81091c1ca450003bee4c9dcb9a

Hasanboy Dusmatov (UZB)

Com a profissionalização do bicampeão da categoria, o chinês Zou Shiming, o favoritismo recaiu sobre os campeões mundiais recentes, o cazaque Birzhan Zhakypov e o cubano Joahnys Argilagos, mas ambos decepcionaram. O cubano, de apenas 19 anos, derrotou na estreia o britânico Galal Yafai por 2-1 e depois o queniano Peter Mungai Warui por 3-0, mas na semifinal foi surpreendido pelo colombiano Yuberjen Martínez por 2-1. Outro grande favorito, o irlandês Paddy Barnes, bronze nas últimas 2 Olimpíadas, foi a grande decepção, perdendo na estreia para o espanhol Samuel Carmona.

Pela chave de baixo, Zhakypov perdeu nas 4as para o uzbeque Hasanboy Dusmatov por decisão unânime. Enquanto isso, o russo vice-campeão mundial Vasily Yegorov também parou na estreia, perdendo de 3-0 para o americano Nico Hernandez. O americano venceu o equatoriano Carlos Quipo nas 4as, mas na semifinal caiu pro uzbeque campeão asiático. Na decisão, Dusmatov começou melhor e foi aumentando o ritmo dos golpes na 1ª final do boxe no Rio-2016. Martínez tentou buscar no 3º round, mas já era tarde e o uzbeque ficou com a medalha de ouro.

Hasanboy Dusmatov venceu o 1º ouro do esporte nos Jogos e a 1ª medalha do Uzbequistão no peso mosca-ligeiro e a 3ª seguida da Ásia na categoria. A prata de Yuberjén Martínez foi a 1ª medalha da Colômbia no boxe desde Seul-1988. Joahnys Argilagos ficou com um dos bronzes, colocando Cuba de volta ao pódio da categoria após ficar de fora em Londres-2012. O americano Nico Hernández ficou com o outro bronze, a 1ª medalha do país na categoria desde Seul-1988. Depois de 3 presenças seguidas no pódio, a China ficou de fora.

Até 52kg masculino

Boxing - Men's Fly (52kg) Final Bout 271

Shakhobidin Zoirov (UZB)

Campeão mundial em 2015 e dos Jogos Europeus no mesmo ano, o azeri Elvin Mamishzada venceu cazaque na estreia, mas perdeu nas 4as para o uzbeque Shakhobidin Zoirov por 3-0, em mais uma boa atuação de um boxeador do Uzbequistão. Prata nos Jogos Asiáticos de 2014, Zoirov venceu por 3-0 na semifinal o venezuelano Yoel Finol, grande surpresa da categoria, que eliminou o britânico Muhammad Ali, homônimo do grande ídolo, e o argelino Mohamed Flissi, 2 medalhas em mundiais.

Na parte do baixo, o favoritismo era todo do russo Misha Aloyan, bronze em Londres-2012 e bicampeão mundial em 2011 e 2013. O russo passou bem pelas 2 lutas iniciais, sempre por unanimidade, até vencer o chinês Hu Jianguan na semifinal também por 3-0. O chinês, aliás, se vingou da derrota na semi do último mundial pro cubano Yosvany Veitia, eliminando-o nas 4as. Na decisão, Aloyan começou melhor e venceu o 1º round, mas Zoirov voltou melhor do intervalo, empatando o confronto. No round decisivo entrou de maneira devastadora para vencer por decisão unânime dos árbitros e levar o ouro com 3-0.

Shakhobidin Zoirov faturou o 2º ouro uzbeque no boxe no Rio-2016, sendo que o 3º viria menos de uma hora depois. Assim como na categoria abaixo, foi a 1ª medalha da história do país na categoria mosca e encerrando a sequencia de ouros de Cuba e Tailândia na categoria, que venceram o ouro nas últimas 5 Olimpíadas. O russo Misha Aloyan ficou com a prata melhorando o bronze conquistado 4 anos antes. O bronze de Yoel Finol foi a 1ª medalha da Venezuela no boxe em 32 anos. O outro bronze foi pro chinês Hu Jianguan, a 1ª medalha do país no peso mosca.

Até 56kg masculino

size_960_16_9_robeisy-ramirez-ouro-boxe-olimpiada-rio-2016

Robeisy Ramirez (CUB)

O irlandês Michael Conlan era o cabeça de chave 1 e atual campeão mundial. Ele começou bem com 3-0 sobre o armênio Aram Avagyan, mas foi derrotado nas 4as pro russo Vladimir Nikitin, vice mundial em 2013. A luta foi muito criticado por ambos os lados por conta das decisões dos juízes, algo que infelizmente foi comum nos Jogos. Por conta de uma lesão adquirida nesse luta, Nikitin não disputou a semifinal, dando a vaga na decisão pro americano Shakur Stevenson. O americano havia eliminado nas 8as o brasileiro Robenílson de Jesus.

Na chave de baixo, todo favoritismo do cubano Robeisy Ramirez, campeão olímpico em Londres-2012 na classe inferior, peso mosca. Agora lutando no peso galo, Ramirez estreou vencendo o indiano Shiva Thapa, bronze no último mundial. Nas 4as boa vitória sobre o chinês Zhangh Jiawei e na semifinal mais uma vitória por 3-0, agora sobre o uzbeque Murodjon Akhmadaliev, atual vice mundial. A final foi espetacular entre o cubano de 22 anos e o americano de apenas 19. Ramirez venceu o 1º round enquanto o americano levou o 2º. O 3º foi muito disputado, mas com ligeira vantagem pro cubano, que acabou com o ouro por 2-1 (29-28, 29-28, 28-29).

Robeisy Ramirez faturou seu 2º ouro olímpico e deu o 4º ouro cubano em 7 Olimpíadas na categoria. Cuba esteve em todos os pódios do peso galo desde Barcelona-1992. Shakur Stevenson ficou com a prata e se tornou o 1º americano a chegar em uma final olímpica desde André Ward em Atenas-2004. O bronze do russo Vladimir Nikitin foi a 1ª medalha russa na categoria desde Atlanta-1996. O outro bronze ficou com o uzbeque Murodjon Akhmadaliev.

Até 60kg masculino

robso

Robson Conceição (BRA)

Assim que saíram as chaves do torneio de boxe dos Jogos Olímpicos do Rio-2016, havia uma certeza: a final do peso leve masculino seria na semifinal. Bicampeão mundial, o cubano Lázaro Álvarez é o nome de Cuba para uma categoria que teve Mario Kindelán, bicampeão olímpico e tri mundial. Do outro lado, o brasileiro Robson Conceição, que subiu ao pódio nos dois últimos mundiais e era a grande esperança do país no esporte. Álvarez iniciou sua campanha vencendo o italiano Carmine Tommasone e depois o americano Carlos Balderas. Robson venceu por nocaute técnico o tadjique Anvar Yunusov e passou pela uzbeque Hurshid Tojibaev. A semifinal foi como esperado, de altíssimo nível e valendo o ouro. Robson tomou a iniciativa da luta desde o início, vencendo os 3 rounds. No último, o cubano deu um golpe que abriu o supercílio do brasileiro, mas nada que tenha atrapalhado a vitória e a vaga na final.

A outra vaga na final ficou com o francês Sofiane Oumiha, prata nos Jogos Europeus em 2015. Ele passou por um boxeador da Nicarágua e por um tailandês, até eliminar nas 4as o azeri Albert Selimov, de quem tinha perdido na final dos Jogos Europeus. Na semi, Oumiha enfrentou o mongol Dorjnyambuugiin Otgondalai, vencendo por 3-0. A decisão lotou o Pavilhão 6 do Riocentro e traria a 3ª medalha de ouro do Brasil nos Jogos, após as vitórias no judô e no salto com vara. O brasileiro começou mais agressivo e o francês buscava o contra-ataque. Mesmo tomando um soco no final do 1º round, Robson saiu vitorioso para todos os juízes. No 2º, fez boas esquivas e dava golpes precisos, que derrubaram o francês, mas o árbitro não abriu contagem. Mais uma vitória do brasileiro que já tinha quase nas mãos o ouro. No 3º e decisivo, Robson foi mais conservador, mas continuou se impondo, apesar de 2 dos 3 árbitros darem a vitória no round para Oumiha. Na soma dos pontos, 3-0 pro brasileiro e o ouro inédito para delírio de 9.000 torcedores presentes no Pavilhão 6.

O ouro de Robson Conceição foi o 1º do Brasil na história do boxe, superando a prata de Esquiva Falcão em Londres-2012. Sofiane Oumiha ficou com a prata, repetindo o feito do francês Daouda Sow na mesma categoria em Pequim-2008. O cubano Lázaro Álvarez ficou com um dos bronzes, sua 2ª medalha olímpica, a 2ª de bronze. Foi o 3º bronze seguido da ilha na categoria e o 5º pódio seguido. O bronze do mongol Dorjnyambuugiin Otgondalai foi a 1ª medalha do país na categoria desde Barcelona-1992.

Até 64kg masculino

597903-fazliddin-gaibnazarov

Fazliddin Gaibnazarov (UZB)

Campeão mundial em 2015, o russo Vitaly Dunaytsev viu em seu caminho para a final o uzbeque Fazliddin Gaibnazarov, no que seria a reedição da final do último mundial ainda na semifinal. Dunaytsev estreou vencendo um boxeador da Mongólia e depois passou por um chinês. Enquanto isso, Gaibnazarov passou por congolês, indiano e por um americano até chegar na semifinal. Em uma luta apertadíssima, Dunaytsev começou vencendo o 1º round, mas sem unanimidade. Gaibnazarov foi melhor no 2º, mas Dunaytsev acabou indo melhor no 3º. Apesar do enorme equilíbrio, na soma das pontuações dos juízes, o uzbeque venceu por 2-1 e foi para a final, concluindo a revanche.

A chave de baixo tinha dois cubanos que se enfrentariam nas 4as. Duas medalhas em mundiais, o cubano Yasniel Toledo venceu britânico e chegou às 4as. Já Lorenzo Sotomayor, sobrinho de Javier Sotomayor, decidiu defender o Azerbaijão, onde teria menor concorrência. Ele venceu duas lutas até enfrentar Toledo. Mas Sotomayor dominou o combate, vencendo por 3-0 e se garantindo na semifinal contra o alemão Artem Harutyunyan. O azeri-cubano mais uma vez dominou e venceu o alemão por 3-0 se garantindo na final. Sotomayor começou melhor e venceu o 1º round da final, mas Gaibnazarov aumentou a velocidade e dominou o resto da decisão, vencendo por unanimidade e levando o 3º ouro do Uzbequistão no Rio-2016, o 2º do último dia dos Jogos.

O ouro de Fazliddin Gaibnazarov foi o 2º da história do Uzbequistão na categoria meio-médio ligeiro. Lorenzo Sotomayor defende o Azerbaijão, mas é cubano de nascimento. Foi a 7ª Olimpíada seguida com um cubano no pódio da prova, apesar de defender outro país. O bronze do alemão Artem Harutyunyan foi a 1ª medalha alemã na categoria desde Atlanta-1996 e a 1ª medalha alemã no boxe olímpico desde Atenas-2004. O russo Vitaly Dunaytsev completou o pódio com o 2º bronze se tornando o 1º russo a medalhar na prova desde Tóquio-1964.

 

Prévias Rio-2016: Boxe

Como falta muito pouco para os Jogos e não terei tempo hábil para escrever as prévias como gostaria, vou apenas dar uma passada geral no esporte e lançar meus palpites de pódio.

Cuba e Rússia são as grandes potências do boxe masculino na atualidade. Cuba tem 34 medalhas de ouro e 67 no total no boxe e só perde para os Estados Unidos, que há algum tempo não consegue grandes resultados. Nas últimas 5 Olimpíadas, conquistou apenas 2 ouros no boxe masculino.

No feminino, os principais nomes são os mesmos que venceram ouro em Londres: a britânica Nicola Adams, a americana Claressa Shields e a irlandesa Katie Taylor.

E o Brasil? A equipe brasileira tem como principal nome Robson Conceição, medalha nos dois últimos mundiais nos 60kg. Robenilson de Jesus nos 56kg e Joedison Teixeira nos 64kg tem boas chances de medalha também. No feminino, são duas boxeadoras que dificilmente medalharão.

49kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Paddy Barnes (IRL); Prata – Vasily Yegorov (RUS); Bronzes – Joahnys Argilagos (CUB) e Birzhan Zhakypov (KAZ)

52kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Yosvany Veitia (CUB); Prata – Elvin Mamishzada (AZE); Bronzes – Mohamed Flissi (ALG) e Misha Aloyan (RUS)

62119393_inpho_00619935

Michael Conlan (IRL)

56kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Michael Conlan (IRL); Prata – Javid Chalabiyev (AZE); Bronzes – Zhang Jiawei (CHN) e Shakur Stevenson (USA)

60kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Robson Conceição (BRA); Prata – Albert Selimov (AZE); Bronzes – Lázaro Alvarez (CUB) e Mahmoud Abdelaal (EGY)

64kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Vitaly Dunaytsev (RUS); Prata – Yasniel Toledo (CUB); Bronzes – Joedison Teixeira (BRA) e Wuttichai Masuk (THA)

69kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Roniel Iglesias (CUB); Prata – Parviz Baghirov (AZE); Bronzes – Daniyar Yeleussinv (KAZ) e Andrey Zamkovoy (RUS)

75kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Bektemir Melikuziev (UZB); Prata – Arlen López (CUB); Bronzes – Zhanibek Alimkhanuly (KAZ) e Michael O’Reilly (IRL)

81kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Julio Cesar la Cruz (CUB); Prata – Elshod Rasulov (UZB); Bronzes – Joe Ward (IRL) e Teymur Mammadov (AZE)

erislandy-savon

Erislandy Savon (CUB)

91kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Erislandy Savon (CUB); Prata – Evgeny Tishchenko (RUS); Bronzes – Chouaib Boulodinat (ALG) e Paul Omba-Biongolo (FRA)

Acima de 91kg masculino

Meu Pódio: Ouro – Ivan Dychko (KAZ); Prata – Filip Hrgovic (CRO); Bronzes – Ynoy Yoka (FRA) e Joe Joyce (GBR)

article_4ab9d99cb62c31ae_1345642406_9j-4aaqsk

Nicola Adams (GBR)

51kg feminino

Meu Pódio: Ouro – Nicola Adams (GBR); Prata – Peamwilai Laopeam (THA); Bronzes – Ren Cancan (CHN) e Zhaina Shekerbekova (KAZ)

60kg feminino

Meu Pódio: Ouro – Katie Taylor (IRL); Prata – Anastasia Belyakova (RUS); Bronzes – Estelle Mossely (FRA) e Yin Junhua (CHN)

75kg feminino

Meu Pódio: Ouro – Claressa Shields (USA); Prata – Savannah Marshall (GBR); Bronzes – Ariane Fortin (CAN) e Li Qian (CHN)

Perfil 2016 – Julio Cesar La Cruz (CUB)

unb3o-6y

35/75

Julio César La Cruz

Boxe

Até 81kg masculino

Mundiais: 3 ouros

Tricampeão mundial, o cubano Julio Cesar La Cruz segue em busca da sua 1ª medalha olímpica.

Nascido na cidade cubana de Camaguey em 1989, La Cruz começou a aparecer em 2008, ao vencer o campeonato cubano na categoria 81kg, derrotando na final Yordanis Despaigne por 14-9. Neste ano, fracassou duas vezes no pré-olímpicos e não se classificou para os Jogos de Pequim. Cuba ficou de fora apenas nesta categoria na China, quando venceu 8 medalhas, 4 pratas e 4 bronzes.

Em 2009, venceu novamente o campeonato cubano, repetindo o feito em 2010. Neste ano, perdeu na final do campeonato pan-americano em Quito, sendo derrota por equatoriano, mas venceu torneios tradicionais, como o Golden Gong na Macedônia e o Cerro Pelado, em Cuba. Começou mal em 2011, com 2 derrotas, uma na Bulgária e uma na Hungria, ambas para russos. Na Venezuela, venceu o qualificatório para os Jogos Pan-Americanos e depois somou 4 ouros em torneios nas Américas. Chegou ao Mundial no Azerbaijão fora dos favoritos, mas venceu 6 lutas para chegar ao ouro, incluindo o russo Egor Mekhontsev, que era campeão mundial na categoria acima. Após o Mundial, foi aos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e ficou com o ouro, derrotando Yamaguchi Falcão na final por 22-12.

Em 2012, venceu alguns torneios de preparação e chegou em Londres como grande favorito. Derrotou jordaniano na estreia, mas nas 4as sofreu a revanche e perdeu de 18-15 para Yamaguchi, que acabou com a medalha de bronze.

Foi novamente campeão cubano e em 2013 começou a disputar a World Series of Boxing. Levou o torneio Golden Belt na Romênia e, no Mundial, venceu 5 lutas para conquistar o bicampeonato, derrotando novamente na final o cazaque Adilbek Niyazymbetov, assim como ocorreu no Mundial anterior. Na WSB temporada 2013/14 venceu 5 das 6 lutas que disputou.

Em 2014, levou mais uma vez o campeonato cubano, foi ouro nos Jogos Centro-Americanos e do Caribe. No ano seguinte, foi ouro nos Jogos Pan-Americanos, vencendo o venezuelano Albert Ramirez na final. No campeonato pan-americano, chegou a final e perdeu de Ramirez. Foi ao Mundial de 2015 em Doha como 2º cabeça de chave, mas venceu suas 5 lutas por 3-0 e faturou seu 3º título mundial!

La Cruz, também conhecido como “A Sombra”, chega ao Rio como tricampeão mundial e favorito na categoria 81kg.

Jogos Europeus Baku-2015 – Dia 15

Judô

Kirill Denisov

Na forte categoria dos 90kg, o ouro foi para o russo Kirill Denisov, dono de 3 medalhas em Mundiais. Ele venceu a final por um yuko sobre o georgiano Varlam Liparteliani, 2º do mundo. Campeão olímpico em 2004 e tri mundial, o o grego Ilias Iliadis foi bronze. Atual campeão mundial e número 1 do mundo, o húngaro Krisztian Toth nem pegou medalha, ficando em 5º.

Henk Grol. Foto: Reuters

Dois bronzes olímpicos, o holandês Henk Grol venceu na final o checo campeão mundial Lukas Krpalek também por um yuko. A surpresa foi pela eliminação do número 2 do mundo e esperança local Elmar Gasimov, que perdeu nas 8as para português. Sem o francês Teddy Riner na disputa, a categoria +100kg estava aberta. Vitória do georgiano Adam Okruashvili, vencendo na final o israelense Or Sasson por ippon.

No feminino, dia ruim para a Alemanha, que perdeu as 2 finais do dia. Nos 78kg, ouro para a holandesa Marhinde Verkerk por waza-ari sobre Luise Malzahn. Decepção da vice-campeã mundial Audrey Tcheumeo, que nem pegou medalha. No +78kg, Emilie Andeol deu o ouro para a França com ippon sobre a alemã Jasmin Kuelbs.

Natação

11 finais para encerrar a natação! E nada menos que 8 ouros russos!

No masculino, Nikolay Sokolov venceu os 400m medley com 4:19.44, Anton Chupkov os 100m peito com o belo tempo de 1:00.65, Daniil Pakhomov faturou os 100m borboleta com 52.72 com apenas 0.06 de vantagem sobre espanhol e o revezamento 4x100m medley venceu com 3:36.38.

Olesia Cherniatina na final do revezamento 4x200m feminino. Foto: Michael Steele/Getty Images

Polina Egorova foi o nome do dia com 2 ouros (e 5 no total nos Jogos) vencendo os 100m costas com 1:01.19 e os 50m borboleta com 26.82. Maria Astashkina levou os 100m peito com 1:07.71 e a equipe levou o revezamento 4x200m livre com 8:03.45.

Na prova mais rápida, os 50m livre, vitória do israelense Ziv Kalontarov com 22.16. O britânico Duncan Scott levou os 200m livre com 1:48.55 e a alemã Maxine Wolters venceu os 200m medley com 2:13.37. Foram 23 ouros russos na natação.

Boxe

Os donos da casa fizeram a festa no último dia do boxe, com 3 ouros! Campeão mundial em 2007, Albert Selimov ficou com o ouro nos 60kg com vitória sobre francês. O Azerbaijão ainda faturou ouro nos 69kg com Parviz Baghirov e nos 91kg com Abdulkadir Abdullayev.

Katie Taylor (azul) na final. Foto: Richard Heathcote/Getty Images

Mas a festa foi na Irlanda! Campeã olímpica e maior atleta do país, Katie Taylor confirmou seu favoritismo e venceu os 60kg feminino, com 3-0 em francesa. Nos 75kg masculino, Michael O’Reilly venceu atleta do Azerbaijão para levar o segundo ouro irlandês dos Jogos.

Outros Esportes

Melhor equipe europeia do badminton, a Dinamarca levou o ouro nas duplas masculinas com Mathias Boe/Carsten Mogensen com tranquilos 21-8 21-13 sobre dupla russa. Nada mais do que esperado para a dupla número 2 do mundo. Nas duplas femininas, ouro para as irmãs búlgaras Gabriela e Stefani Stoeva com 21-12 23-21 em russas.

Fechando a esgrima, mais 3 provas por equipes. No sabre feminino, depois de ser a grande decepção dos jogos, Olha Kharlan ajudou a Ucrânia a levar o ouro com 45-43 na Itália. Na espada masculina, ouro para a França com 45-32 na Rússia e no florete masculino, ouro para a Grã-Bretanha com 45-41 na Itália.

A Turquia levou o ouro no vôlei feminino com 3-0 na Polônia, parciais de 25-11 25-19 25-13. Numa disputa de 5 sets, a Sérvia venceu o Azerbaijão na disputa do bronze.

Jogos Europeus Baku-2015 – Dia 14

Judô

Avtandili Tchrikishvili vencendo o Loic Pietri na semifinal

O primeiro ouro de Israel veio nos 73kg do judô masculino com Sagi Muki. O judoca de 23 anos venceu na final com um ippon faltando 27s para o fim da luta o georgiano Nugzari Tatalashvili, campeão mundial por equipes em 2013 no Rio. Já na final dos 81kg, um belo duelo entre o campeão mundial, o georgiano Avtandili Tchrikishvili, número 1 do mundo disparado, e o russo Ivan Nifontov, bronze em Londres. A luta terminou empatada com um waza-ari para cada lado, mas como o russo levou um shido, ouro para o georgiano. Campeão mundial em 2013, o francês Loic Pietri ficou com um dos bronzes.

O fortíssimo pódio dos 63kg feminino. Foto: Michael Steele/Getty Images

No feminino, surpresa nos 63kg. As 3 líderes do ranking ficaram para trás da alemã Martyna Trajdos. Vice no Grand Slam de Baku esse ano, ela venceu na final por waza-ari a eslovena Tina Trstenjak. As duas surpreenderam as líderes do ranking na semifinal, a francesa número 1 do mundo e campeã mundial em 2014 Clarisse Agbegnenou e a israelense, número 2 e campeã mundial em 2013, Yarden Gerbi. Elas acabaram com o bronze.

Nos 70kg, vitória da número 1 do mundo, a holandesa Kim Polling. Com um ippon aos 1min34, a holandesa venceu a alemã Laura Vargas Koch, vice-campeã mundial em 2013. Nas categorias paralímpicas, para deficientes visuais, ouro para o azeri bicampeão paralímpico Ilham Zakiyev nos acima de 90kg masculino e para a ucraniana Inna Cherniak nos 57kg feminino.

Natação

Mais um dia dourado para a Rússia, com 5 vitórias nas piscinas em 7 provas. Filipp Shopin venceu os50m costas com 25.40. Nos 50m livre feminino, vitória de Mariia Kameneva com 25.23, 0.04 melhor que a holandesa Marrit Steenbergen. Arina Openysheva levou os 200m livre com 1:58.22 também a frente da Steenbergen. Polina Egorova faturou os 100m borboleta com 59.36, única abaixo de 1min e o revezamento misto 4x100m medley levou o 5º ouro com 3:49.53.

Luke Greenbank venceu os 200m costas com 1:56.89 para ao Grã-Bretanha. Ele já tinha vencido os 100m costas. E nos 800m livre masculino, ouro para o francês Nicolas D’Oriano com 7:59.87. Ele já tinha levado os 1.500m.

Boxe

Elvin Mamishzada. Foto: David Ramos/Getty Images

Os donos da casa abriram no quadro de medalhas sobre os britânicos graças aos 2 ouros no boxe. Elvin Mamishzada venceu nos 52kg masculino e Collazo Sotomayor venceu italiano para levar ouro nos 64kg. Collazo, aliás, é sobrinho do grande Javier Sotomayor, cubano que até hoje tem o recorde mundial do salto em altura.

A Rússia não ficou pra trás, vencendo os 54kg feminino com Elena Saveleva e os 64kg com Anastasiia Beliakova. Esse 4 ganhadores, aliás, vencera italianos na final! No acima de 91kg masculino, o britânico Joe Joyce ficou com  ouro.

Outros Esportes

Em 3 finais por equipes da esgrima, a Rússia venceu o florete feminino com arrasadores 45-18 na França na final. Já num disputado 45-44, a Itália venceu a Romênia no sabre masculino. Na espada feminina, Romênia 31-25 na Estônia.

A Rússia levou os dois ouros no basquete 3×3, com 18-14 na Espanha no masculino e 22-17 na Ucrânia no feminino.

Bulgária surpreendeu a Polônia com 3-2 e faz a final do vôlei masculino com a Alemanha, que fez 3-1 na Rússia.