Mundial de Luta Olímpica – Parte I

Este é o 1º mundial com as novas mudanças nas categorias de peso. A UWW não achava 8 pesos por categoria suficiente e aumentou para 10. Os primeiros dias do Mundial em Budapeste, Hungria, foram da luta livre masculina. E vimos um domínio predominantemente russo e americano. E uma final dos sonhos.

abdulrashid20sadulaev2028rus2920df-20kyle20frederick20snyder2028usa2920-by20vfa2c20220-200-152028129

Abdulrashid Sadulaev (RUS) após vencer Kyle Snyder (USA). Foto: UWW

O grande destaque da parte da luta livre com certeza foi a final dos 97kg entre o russo Abdulrashid Sadulaev e o americano Kyle Snyder. Ambos foram ouro no Rio-2016, mas Sadulaev era dos 86kg enquanto Snyder não mudou de categoria. O russo já tinha subido de categoria desde após os Jogos do Rio e eles se encontraram na final do Mundial de 2017, quando Snyder venceu e deu apenas a 2ª derrota da carreira pro Sadulaev.

Dessa vez, Sadulaev simplesmente acabou com o Snyder. Com 35s de luta, o russo conseguiu pegar a perna do americano e conseguiu girá-lo, abrindo 2-0. Logo depois, ainda dominando Snyder no chão, conseguiu o encostamento e venceu em pouco mais de 1min! Terceiro título mundial pro russo.

Os russo levaram outros 3 ouros nas categorias mais leves com Zaur Uguev nos 57kg, Magomedrasul Gazimagomedov nos 70kg (repete ouro de 2015) e Zaurbek Sidakov nos 74kg. Os americanos foram ouro em 3 categorias médias: Kyle Dake nos 79kg, David Taylor nos 86kg e J’den Cox nos 92kg. Taylor surpreendeu na 1ª rodada o iraniano Hassan Yazdani, ouro no Rio-2016, por 11-6. Isso porque o iraniano tinha 6-2!

fs2086kg20david20morris20taylor20iii2028usa2920df-20hassan20aliazam20yazdanicharati2028iri2920-3

David Taylor (USA, azul). Foto: UWW

Os outros ouros da luta livre ficaram com o cubano Yowlys Bonne nos 61kg, com o japonês Takuto Otoguro nos 65kg e com o georgiano Geno Petriashvili nos 125kg.

Bicampeão mundial e ouro no Rio nos 125kg, o turco Taha Akgül caiu nas 4as para o iraniano Parviz Hadi, que perdeu na semi pro georgiano.

Por equipes, vitória da Rússia com 178 pontos contra 150 dos Estados Unidos e 105 da Geórgia.

Anúncios

10 medalhas em casa no Pan Jr de Lutas

Em Fortaleza, a equipe júnior (sub20) do Brasil faturou 10 medalhas no Pan de lutas, com boas campanhas.

joilson_foto_arquivo-e1534541245979

Joilson Ramos Jr. Foto: CBW

Foram dois ouros, um de Joilson de Brito Ramos Jr, nos 67kg da luta greco-romana, e de Thais de Lucas de Oliveira, nos 72kg feminino. Joilson venceu chileno, equatoriano e de colombiano na final, com todas as vitórias por superioridade (8-0, 9-0 e 10-1, na ordem). Já na categoria da Thais, eram 4 competidoras e a disputa foi todas contra todas. Ela venceu mexicana e peruana por superioridade (9-2 e 10-0) e fez 4-0 em americana para levar o ouro.

Na greco-romana, foram ainda uma prata (Fábio Conceição Rodrigues nos 87kg) e dois bronzes (Michale Hendson Lima nos 72kg e Gabriel Rocha de Lima nos 97kg) e no feminino também 1 prata (Beatriz Rodrigues dos Reis nos 76kg) e 2 bronzes (Evelyn Matos Santos nos 50kg e Gabriela Pedro da Rocha nos 68kg).

Mas a surpresa boa foram as duas pratas na luta livre, de longe a pior categoria pro Brasil. Nos 79kg, Phelipe dos Santos de Carvalho venceu 3 lutas no todos contra todos perdendo apenas para americano por 11-1. Nos 97kg, Guilherme Pradella Lima venceu canadense e mexicano por superioridade, só perdendo para americano. Os americanos, aliás, foram ouro em 9 das 10 categorias na luta livre!

Esta seleção tem nomes que devem brigar por vaga em Tóquio, principalmente Joilson, que já havia sido campeão pan-americano Jr em 2017, prata no Pan adulto em 2017,  ouro nos Jogos Sul-Americanos em junho e ainda um ótimo 9º no Mundial Jr do ano passado.

Em setembro, o Brasil disputa em Goiânia o Mundial Universitário e o Mundial Jr na Eslováquia.

Mundial de Lutas – Final

No sexto e último dia, foi a vez dos americanos brilharem e vencerem a lista livre por equipes.

Livre 65kg masculino

Cabeça 1, o georgiano Zurabi Iakobishvili levou o ouro em seu 1º mundial. Ele só teve mais tranquilidade nas 4as, quando derrotou o turco Mustafa Kaya por 12-6 com encantamento. Na decisão, venceu o russo que agora defende a Polônia Magomedmurad Gadzhiev por 3-1. O russo Alan Gogayev e o cubano Alejandro Valdés ficaram com os bronzes.

Livre 70kg masculino

fs_70kg_gold_frank_chamizo_marquez_ita_df-_james_malcolm_green_usa_by_8-0_d

Frank Chamizo (ITA)

Na categoria de 65kg até o ano passado, o cubano naturalizado italiano Frank Chamizo faturou seu 2º título mundial, agora nos 70kg. Bronze no Rio, ele derrotou na decisão o americano James Green, campeão pan-americano este ano, por 8-0. O japonês Yuhi Fujinami e o cazaque Akzhurek Tanatarov levaram os bronzes.

Livre 74kg masculino

74kg_mf_gold-_khetik_tsabolov_rus_vs-_jordan_ernest_burroughs_usa

Jordan Burroughs (USA)

Com pouquíssimas derrotas na carreira, o americano Jordan Burroughs venceu esta categoria de peso pela 4ª vez em um Mundial! O americano, que era o favorito e fracassou nos Jogos do Rio, derrotou na final o russo Khetag Tsabolov por 9-6 para ficar com mais um ouro no seu currículo. Os bronzes foram para o turco Soner Demirtas e para o bielorrusso Ali Shabanau.

Livre 97kg masculino

fs_97kg_gold_kyle_frederick_snyder_usa_df-_abdulrashid_sadulaev_rus_by_6-5_b

Abdulrashid Sadulaev (RUS, de azul) x Kyle Snyder (USA, vermelho)

A final da categoria encerrou o mundial e não poderia ter sido melhor, pois colocou dois campeões olímpicos no Rio frente a frente neste Mundial: o americano Kyle Snyder (ouro nos 97kg) e o russo Abdulrashid Sadulaev (ouro nos 86kg). Ambos estão com apenas 21 anos! Além dos ouros no Rio, Snyder tem um mundial em 2015 e Sadulaev dois mundiais e é derrotado apenas apela 2ª vez na carreira em torneis internacionais! Na luta, Snyder venceu Sadulaev por apenas 6-5 e ficou com o ouro. O azeri Aslanbek Alborov e o armênio Georgy Ketoyev completaram o pódio.

Com um dia excelente, a equipe dos EUA conquistou o título geral da luta livre masculina com 54 pontos contra 53 da Rússia! Após 24 categorias disputadas, o Japão encerrou o Mundial com espetaculares 6 ouros, 1 prata e 2 bronzes! EUA vem em seguida com 3-3-3, Turquia com 3-1-3, Geórgia com 2-0-3 e Armênia com 2-0-2. Ao todo, 13 países ganharam ouro e 34 medalharam. O próximo mundial será em outubro de 2018 em Budapeste.

Mundial de Lutas – Dia 5

No primeiro dia das finais de luta livre masculina, mais um ouro japonês e a vitória de um campeão olímpico.

Livre 57kg masculino

fs_57kg_gold_yuki_takahashi_jpn_df-_thomas_patrick_gilman_usa_by_6-0_b

Yuki Takahashi (JPN)

Campeão olímpico da juventude em 2010 e campeão asiático este ano, o japonês Yuki Takahashi faturou o 6º ouro de seu país neste mundial, aproveitando a ausência de todos os medalhistas olímpicos do Rio, incluindo o campeão mundial em 2015 e ouro o Rio, o georgiano Vladimer Khinchegashvili, que subiu de categoria. Na decisão, ele derrotou o americano Thomas Gilman por 6-0. Os bronzes foram para o ucraniano Andriy Yatsenko e o mongol Erdenebatyn Bekhbayar,

Livre 61kg masculino

fs_61kg_gold_haji_aliyev_aze_df-_gadzhimurad_rashidov_rus_by_7-1_c

Haji Aliyev (AZE) comemorando o tricampeonato

Bronze no Rio nos 57kg, o azeri Haji Aliyev conquistou o tricampeonato mundial dos 61kg em Paris. Em uma competição impecável, Aliyev venceu 5 combates com 45 pontos a favor e apenas 2 contra. Na final, superou o russo Gadzhimurad Rashidov por 7-1 com encostamento. Campeão olímpico e mundial nos 57kg, o georgiano Vladimer Khinchegashvili, e o cubano Yowlys Bonne, ouro no Pan de Toronto, ficaram com os bronzes.

Livre 86kg masculino

fs_86kg_gold_hassan_aliazam_yazdanicharati_iri_df-_boris_makoev_svk_by_10-0_c

Hassan Yazdani (IRI)

Ouro no Rio-2016, o iraniano Hassan Yazdani levou o ouro na categoria. Começou arrasando nas primeiras lutas, com 12-2 sobre cazaque, 10-0 em atleta da Moldávia e 10-0 em azeri. Na semifinal, 4-0 no russo Vladislav Valiev e na decisão, mais um passeio com 10-0 sobre o eslovaco Boris Makojev, que sobe ao seu 1º pódio em uma competição importante. Valiev e o americano J’den Cox ficaram com os bronzes.

Livre 125kg masculino

fs_125kg_gold_geno_petriashvili_geo_df-_taha_akgul_tur_by_10-8_b

Geno Patriashvili (GEO) de azul na final contra Taha Akgül (TUR)

Campeão olímpico no Rio e bicampeão mundial da categoria, o turco Taha Akgül acabou derrotado na final pelo georgiano Geno Petriashvili, bronze no europeu e no Rio-2016, por um placar bem apertado de 10-8. Os bronzes foram para o americano Nick Gwiazdowski e para o armênio Levan Berianidze, 5º no Rio.

Mundial de Lutas – Dia 4

No fechamento das categorias femininas, um show japonês em Paris.

Livre 48kg feminino

ww_48kg_gold_yui_susaki_jpn_df-_emilia_alina_vuc_rou_by_14-4_b

Yui Sasaki (JPN)

O brilhante dia japonês começa com Yui Sasaki. Tricampeã mundial cadete (2014, 2015 e 2016), Sasaki está em seu 1º ano como adulta com 18 anos e está invicta em 2017. Ela venceu 4 das 5 lutas do dia por superioridade e na decisão derrotou a romena Alina Vuc por 14-4. A maior dificuldade da japonesa foi na semifinal contra a norte-coreana Kim Son-hyang, onde venceu por 5-2. Kim e a turca Evin Dermihan ficaram com os bronzes. A brasileira Caroline Soares perdeu na estreia para a cazaque Zhuldyz Eshimova por 5-0.

Livre 53kg feminino

gold-_vanesa_kaladzinskaya_blr_df-_mayu_mukaida_jpn_by_vpo1_8-6a

Vanesa Kaladzinskaya (BLR)

O Japão só não foi 100% nesta quinta por causa da bielorrussa Vanesa Kaladzinskaya. Campeã europeia esta ano, Kaladzinskaya derrotou Mayu Mukaida por 8-6 na final para ficar com o ouro. As medalhas de bronze foram para a grega Maria Prevolaraki e para a polonesa Roksana Zasina. Esta categoria teria Saori Yoshida e a sueca Sofia Mattsson, que não disputaram o Mundial, e a americana Helen Maroulis, que acabou vencendo os 55kg.

Livre 60kg feminino

A luta mais fácil da japonesa Risako Kawai, campeã olímpica no Rio, foi justamente a final, quando arrasou a americana Allison Ragan, campeã pan-americana este ano, por 13-0. Na estreia, Kawai empatou com a russa Liubov Ovcharova por 2-2, mas a russa se machucou e a vitória acabou com a japonesa. A letã Anastasija Grigorjeva e a sueca Malin Mattsson ficaram com os bronzes.

Livre 69kg feminino

ww_69kg_gold_sara_dosho_jpn_df-_aline_focken_ger_by_3-0_a

Sara Dosho (JPN)

Também campeã no Rio, a japonesa Sara Dosho também teve dificuldades na estreia contra a francesa Koumba Larroque. Após empate em 3-3, Dosho venceu pois buscou o empate. Depois, foram 3 vitorias sem levar pontos incluindo a final com 3-0 sobre a alemã Aline Focken, campeã mundial em 2014 e bronze no último em 2015. Larroque voltou na repescagem e ficou com um dos bronze. O outro foi pra chinesa Yue Han. Dailane dos Reis perdeu na estreia de 4-0 para a austríaca Martina Künz.

Com 4 ouros, 1 prata e 1 bronze, o Japão venceu o troféu geral feminino com 60 pontos contra 38 dos Estados Unidos e da Bielorrússia. O Mundial segue sexta e sábado com a luta livre masculina, sem brasileiros.

Mundial de Luta – Dia 3

Duas africanas nas finais e a coroação de Helen Maroulis no primeiro dia das provas femininas.

Livre 55kg feminino

ww_55kg_gold_haruna_okuno_jpn_df-_odunayo_folasade_adekuoroye_ngr_by_5-4_1_

Haruka Okuno (JPN) na decisão contra nigeriana

No primeiro mundial desde 2001 sem Kaori Icho e Saori Yoshida, o Japão precisa contar com seus outros nomes para dominar o feminino. Haruna Okuno, campeã mundial cadete ano passado e hoje com apenas 18 anos, sobrou nas 3 primeira lutas com 8-0, 8-0 e 11-0 para chegar na final contra a nigeriana Odunayo Adekuoroye, a primeira africana a chegar em uma final de Mundial no feminino. Na decisão, a japonesa levou por 5-4. Os bronzes ficaram com a bielorrussa Iryna Kurachkina e com a americana Becka Anne Leathers.

Livre 58kg feminino

Sem Yoshida, a americana Helen Maroulis passou o trator nas adversárias. Ela venceu todas as 5 lutas por superioridade, fazendo 52 pontos e não levando nenhum! Depois de ocasionar uma das maiores surpresas dos Jogos do Rio ao derrotar a Yoshida na final, Maroulis venceu seu 2º título mundial de maneira incontestável. Na decisão, atropelou por 11-0 a tunisiana Marwa Amri, 2ª africana a chegar numa final no dia. A canadense Michelle Fazzari e Aisuluu Tynybekova, do Quirguistão, ficaram com os bronzes.

Livre 63kg feminino

ww_58kg_gold_helen_louise_maroulis_usa_df-_marwa_amri_tun_by_11-0_2_

Helen Maroulis (USA)

Em seu 1º mundial adulto e sem derrotas em 2017, a mongol Orkhon Pürevdorjiin levou o ouro com 6-3 na final sobre a ucraniana Yuliya Tkach, campeã mundial em 2014. Dona de dois bronzes olímpicos, a colombiana Jackeline Renteria faturou sua 1ª medalha em mundiais, com o bronze. O outro ficou com a russa Valeria Lazinskaya. Laís de Oliveira venceu na estreia a francesa Laetitia Blot por 12-2, mas perdeu nas 4as para a turca Hafize Sahin. Como a turca perdeu na semifinal, a brasileira não foi pra repescagem.

Livre 75kg feminino

Atual bicampeã da categoria, a americana Adeline Gray anunciou não compete em 2017, após o fracasso olímpico. Outra forte ausência foi a da campeã olímpica, a canadense Erica Wiebe. Sendo assim, o ouro ficou com uma novidade, a turca Yasemin Adar, invicta no ano também. Com 5-4 na final sobre a bielorrussa Vasilisa Marzaliuk, Adar conquistou o 3º ouro turco em Paris. Os bronzes foram para a canadense Justina Di Stasio e para a japonesa Hiroe Suzuki. Aline Ferreira perdeu ainda na estreia por 3-0 para a estoniana Epp Mae, que chegou até a semifinal. Como ela foi derrotada pela turca de virada no final, Aline não foi pra repescagem.

Mundial de Lutas – Dia 2

No complemento da luta greco-romana, a coroação de um multicampeão e vários campeões ficam pelo caminho.

Greco-romana 59kg masculino

gr_59kg_semifinal_kenichiro_fumita_jpn_df-_kanybek_zholchubekov_kgz_by_2-1_1_

Kenichiro FUmita (JPN)

Sem o atual campeão mundial e olímpico na disputa, o cubano Ismael Borrero, o título ficou com o japonês Kenichiro Fumita, que repetiu a final do campeonato asiático de maio contra o cazaque Mirambek Ainagulov, quando o japonês também venceu. Dominante no feminino, o Japão não vencia um ouro em uma prova masculina no Mundial de lutas desde 1983! O russo Stepan Maryanyan e o sul-coreano Kim Seung-hak ficaram com os bronzes. Bronze no Rio e cabeça 1, o norueguês Stig-André Berge perdeu logo na estreia.

Greco-romana 66kg masculino

66kg_gr_gold-_hansu_ryu_kor_df-_mateusz_lucjan_bernatek_pol_by_vpo1_2-1

Ryu Han-su (KOR)

Campeão em 2013, o sul-coreano Ryu Han-su faturou o bicampeonato da categoria ao derrotar na final o polonês Mateusz Bernatek, apenas 10º no europeu este ano. Nenhum dos 4 medalhistas no Rio esteve na prova. Cabeça 1 e campeão europeu, o russo Artem Surkov começou arrasando os adversários nas 3 primeiras lutas com 8-0, 9-4 e 9-0, mas parou na semifinal pro sul-coreano Ryu e acabou com o bronze após vencer armênio. O outro bronze ficou com o turco Atakan Yüksel. Diego Romanelli perdeu na estreia para o americano Ellis Coleman por 8-0 e o Brasil fica sem vitória no masculino neste Mundial.

Greco-romana 80kg masculino

80kg_gr_gold-_maksim_manukyan_arm_df-_radzik_kuliyeu_blr_by_vpo_5-0_0

Maksim Manukyan (ARM) dando o golpe que lhe deu o ouro

Com uma catada na barriga ainda no 1º tempo, o armênio Maksim Manukyan venceu por 5-0 o bielorrusso Radzik Kuliyeu para ficar com o ouro. 16º no Rio-2016 e apenas 23º no último mundial nos 85kg, Manukyan baixou de categoria para se dar bem. O alemão Pascal Eisele e o azeri Elvin Mursaliyev ficaram com os bronzes. Dois favoritíssimos perderam ainda na 1ª rodada. Bicampeão olímpico na categoria abaixo, o russo Roman Vlasov perdeu por 2*-2 para Mursaliyev, e o dinamarquês Mark Madsen, prata no Rio também nos 75kg, também perdeu na estreia após um empate em 9-9 para búlgaro.

Greco-romana 130kg masculino

130kg_gr_gold-_riza_kayaalp_tur_df-_heiki_nabi_est_by_vpo1_2-1c

Rıza Kayaalp (TUR)

Se tivemos surpresas nas outras, na categoria mais pesada o turco Rıza Kayaalp confirmou o favoritismo e subiu pelo 9º ano seguido ao pódio de uma competição mundial! O turco chegou ao tricampeonato mundial e à 7ª medalha em Mundiais (3O-2P-2B). Ele venceu suas 4 lutas por placares baixos: 2-0 em uzbeque, 3-1 em bielorrusso, 2-1 em cubano e 2-1 na decisão sobre o estoniano Heiki Nabi, prata em Londres-2012. Dois cubanos ficaram com medalhas de bronze. Óscar Pino por Cuba e Yasmani Acosta, que defende o Chile, conquistando a 1ª medalha da história do país sul-americano em mundiais de luta.

O Mundial segue nesta quarta com 4 categorias femininas.