Mundial de Lutas – Final

No sexto e último dia, foi a vez dos americanos brilharem e vencerem a lista livre por equipes.

Livre 65kg masculino

Cabeça 1, o georgiano Zurabi Iakobishvili levou o ouro em seu 1º mundial. Ele só teve mais tranquilidade nas 4as, quando derrotou o turco Mustafa Kaya por 12-6 com encantamento. Na decisão, venceu o russo que agora defende a Polônia Magomedmurad Gadzhiev por 3-1. O russo Alan Gogayev e o cubano Alejandro Valdés ficaram com os bronzes.

Livre 70kg masculino

fs_70kg_gold_frank_chamizo_marquez_ita_df-_james_malcolm_green_usa_by_8-0_d

Frank Chamizo (ITA)

Na categoria de 65kg até o ano passado, o cubano naturalizado italiano Frank Chamizo faturou seu 2º título mundial, agora nos 70kg. Bronze no Rio, ele derrotou na decisão o americano James Green, campeão pan-americano este ano, por 8-0. O japonês Yuhi Fujinami e o cazaque Akzhurek Tanatarov levaram os bronzes.

Livre 74kg masculino

74kg_mf_gold-_khetik_tsabolov_rus_vs-_jordan_ernest_burroughs_usa

Jordan Burroughs (USA)

Com pouquíssimas derrotas na carreira, o americano Jordan Burroughs venceu esta categoria de peso pela 4ª vez em um Mundial! O americano, que era o favorito e fracassou nos Jogos do Rio, derrotou na final o russo Khetag Tsabolov por 9-6 para ficar com mais um ouro no seu currículo. Os bronzes foram para o turco Soner Demirtas e para o bielorrusso Ali Shabanau.

Livre 97kg masculino

fs_97kg_gold_kyle_frederick_snyder_usa_df-_abdulrashid_sadulaev_rus_by_6-5_b

Abdulrashid Sadulaev (RUS, de azul) x Kyle Snyder (USA, vermelho)

A final da categoria encerrou o mundial e não poderia ter sido melhor, pois colocou dois campeões olímpicos no Rio frente a frente neste Mundial: o americano Kyle Snyder (ouro nos 97kg) e o russo Abdulrashid Sadulaev (ouro nos 86kg). Ambos estão com apenas 21 anos! Além dos ouros no Rio, Snyder tem um mundial em 2015 e Sadulaev dois mundiais e é derrotado apenas apela 2ª vez na carreira em torneis internacionais! Na luta, Snyder venceu Sadulaev por apenas 6-5 e ficou com o ouro. O azeri Aslanbek Alborov e o armênio Georgy Ketoyev completaram o pódio.

Com um dia excelente, a equipe dos EUA conquistou o título geral da luta livre masculina com 54 pontos contra 53 da Rússia! Após 24 categorias disputadas, o Japão encerrou o Mundial com espetaculares 6 ouros, 1 prata e 2 bronzes! EUA vem em seguida com 3-3-3, Turquia com 3-1-3, Geórgia com 2-0-3 e Armênia com 2-0-2. Ao todo, 13 países ganharam ouro e 34 medalharam. O próximo mundial será em outubro de 2018 em Budapeste.

Anúncios

Mundial de Lutas – Dia 5

No primeiro dia das finais de luta livre masculina, mais um ouro japonês e a vitória de um campeão olímpico.

Livre 57kg masculino

fs_57kg_gold_yuki_takahashi_jpn_df-_thomas_patrick_gilman_usa_by_6-0_b

Yuki Takahashi (JPN)

Campeão olímpico da juventude em 2010 e campeão asiático este ano, o japonês Yuki Takahashi faturou o 6º ouro de seu país neste mundial, aproveitando a ausência de todos os medalhistas olímpicos do Rio, incluindo o campeão mundial em 2015 e ouro o Rio, o georgiano Vladimer Khinchegashvili, que subiu de categoria. Na decisão, ele derrotou o americano Thomas Gilman por 6-0. Os bronzes foram para o ucraniano Andriy Yatsenko e o mongol Erdenebatyn Bekhbayar,

Livre 61kg masculino

fs_61kg_gold_haji_aliyev_aze_df-_gadzhimurad_rashidov_rus_by_7-1_c

Haji Aliyev (AZE) comemorando o tricampeonato

Bronze no Rio nos 57kg, o azeri Haji Aliyev conquistou o tricampeonato mundial dos 61kg em Paris. Em uma competição impecável, Aliyev venceu 5 combates com 45 pontos a favor e apenas 2 contra. Na final, superou o russo Gadzhimurad Rashidov por 7-1 com encostamento. Campeão olímpico e mundial nos 57kg, o georgiano Vladimer Khinchegashvili, e o cubano Yowlys Bonne, ouro no Pan de Toronto, ficaram com os bronzes.

Livre 86kg masculino

fs_86kg_gold_hassan_aliazam_yazdanicharati_iri_df-_boris_makoev_svk_by_10-0_c

Hassan Yazdani (IRI)

Ouro no Rio-2016, o iraniano Hassan Yazdani levou o ouro na categoria. Começou arrasando nas primeiras lutas, com 12-2 sobre cazaque, 10-0 em atleta da Moldávia e 10-0 em azeri. Na semifinal, 4-0 no russo Vladislav Valiev e na decisão, mais um passeio com 10-0 sobre o eslovaco Boris Makojev, que sobe ao seu 1º pódio em uma competição importante. Valiev e o americano J’den Cox ficaram com os bronzes.

Livre 125kg masculino

fs_125kg_gold_geno_petriashvili_geo_df-_taha_akgul_tur_by_10-8_b

Geno Patriashvili (GEO) de azul na final contra Taha Akgül (TUR)

Campeão olímpico no Rio e bicampeão mundial da categoria, o turco Taha Akgül acabou derrotado na final pelo georgiano Geno Petriashvili, bronze no europeu e no Rio-2016, por um placar bem apertado de 10-8. Os bronzes foram para o americano Nick Gwiazdowski e para o armênio Levan Berianidze, 5º no Rio.

Mundial de Lutas – Dia 4

No fechamento das categorias femininas, um show japonês em Paris.

Livre 48kg feminino

ww_48kg_gold_yui_susaki_jpn_df-_emilia_alina_vuc_rou_by_14-4_b

Yui Sasaki (JPN)

O brilhante dia japonês começa com Yui Sasaki. Tricampeã mundial cadete (2014, 2015 e 2016), Sasaki está em seu 1º ano como adulta com 18 anos e está invicta em 2017. Ela venceu 4 das 5 lutas do dia por superioridade e na decisão derrotou a romena Alina Vuc por 14-4. A maior dificuldade da japonesa foi na semifinal contra a norte-coreana Kim Son-hyang, onde venceu por 5-2. Kim e a turca Evin Dermihan ficaram com os bronzes. A brasileira Caroline Soares perdeu na estreia para a cazaque Zhuldyz Eshimova por 5-0.

Livre 53kg feminino

gold-_vanesa_kaladzinskaya_blr_df-_mayu_mukaida_jpn_by_vpo1_8-6a

Vanesa Kaladzinskaya (BLR)

O Japão só não foi 100% nesta quinta por causa da bielorrussa Vanesa Kaladzinskaya. Campeã europeia esta ano, Kaladzinskaya derrotou Mayu Mukaida por 8-6 na final para ficar com o ouro. As medalhas de bronze foram para a grega Maria Prevolaraki e para a polonesa Roksana Zasina. Esta categoria teria Saori Yoshida e a sueca Sofia Mattsson, que não disputaram o Mundial, e a americana Helen Maroulis, que acabou vencendo os 55kg.

Livre 60kg feminino

A luta mais fácil da japonesa Risako Kawai, campeã olímpica no Rio, foi justamente a final, quando arrasou a americana Allison Ragan, campeã pan-americana este ano, por 13-0. Na estreia, Kawai empatou com a russa Liubov Ovcharova por 2-2, mas a russa se machucou e a vitória acabou com a japonesa. A letã Anastasija Grigorjeva e a sueca Malin Mattsson ficaram com os bronzes.

Livre 69kg feminino

ww_69kg_gold_sara_dosho_jpn_df-_aline_focken_ger_by_3-0_a

Sara Dosho (JPN)

Também campeã no Rio, a japonesa Sara Dosho também teve dificuldades na estreia contra a francesa Koumba Larroque. Após empate em 3-3, Dosho venceu pois buscou o empate. Depois, foram 3 vitorias sem levar pontos incluindo a final com 3-0 sobre a alemã Aline Focken, campeã mundial em 2014 e bronze no último em 2015. Larroque voltou na repescagem e ficou com um dos bronze. O outro foi pra chinesa Yue Han. Dailane dos Reis perdeu na estreia de 4-0 para a austríaca Martina Künz.

Com 4 ouros, 1 prata e 1 bronze, o Japão venceu o troféu geral feminino com 60 pontos contra 38 dos Estados Unidos e da Bielorrússia. O Mundial segue sexta e sábado com a luta livre masculina, sem brasileiros.

Mundial de Luta – Dia 3

Duas africanas nas finais e a coroação de Helen Maroulis no primeiro dia das provas femininas.

Livre 55kg feminino

ww_55kg_gold_haruna_okuno_jpn_df-_odunayo_folasade_adekuoroye_ngr_by_5-4_1_

Haruka Okuno (JPN) na decisão contra nigeriana

No primeiro mundial desde 2001 sem Kaori Icho e Saori Yoshida, o Japão precisa contar com seus outros nomes para dominar o feminino. Haruna Okuno, campeã mundial cadete ano passado e hoje com apenas 18 anos, sobrou nas 3 primeira lutas com 8-0, 8-0 e 11-0 para chegar na final contra a nigeriana Odunayo Adekuoroye, a primeira africana a chegar em uma final de Mundial no feminino. Na decisão, a japonesa levou por 5-4. Os bronzes ficaram com a bielorrussa Iryna Kurachkina e com a americana Becka Anne Leathers.

Livre 58kg feminino

Sem Yoshida, a americana Helen Maroulis passou o trator nas adversárias. Ela venceu todas as 5 lutas por superioridade, fazendo 52 pontos e não levando nenhum! Depois de ocasionar uma das maiores surpresas dos Jogos do Rio ao derrotar a Yoshida na final, Maroulis venceu seu 2º título mundial de maneira incontestável. Na decisão, atropelou por 11-0 a tunisiana Marwa Amri, 2ª africana a chegar numa final no dia. A canadense Michelle Fazzari e Aisuluu Tynybekova, do Quirguistão, ficaram com os bronzes.

Livre 63kg feminino

ww_58kg_gold_helen_louise_maroulis_usa_df-_marwa_amri_tun_by_11-0_2_

Helen Maroulis (USA)

Em seu 1º mundial adulto e sem derrotas em 2017, a mongol Orkhon Pürevdorjiin levou o ouro com 6-3 na final sobre a ucraniana Yuliya Tkach, campeã mundial em 2014. Dona de dois bronzes olímpicos, a colombiana Jackeline Renteria faturou sua 1ª medalha em mundiais, com o bronze. O outro ficou com a russa Valeria Lazinskaya. Laís de Oliveira venceu na estreia a francesa Laetitia Blot por 12-2, mas perdeu nas 4as para a turca Hafize Sahin. Como a turca perdeu na semifinal, a brasileira não foi pra repescagem.

Livre 75kg feminino

Atual bicampeã da categoria, a americana Adeline Gray anunciou não compete em 2017, após o fracasso olímpico. Outra forte ausência foi a da campeã olímpica, a canadense Erica Wiebe. Sendo assim, o ouro ficou com uma novidade, a turca Yasemin Adar, invicta no ano também. Com 5-4 na final sobre a bielorrussa Vasilisa Marzaliuk, Adar conquistou o 3º ouro turco em Paris. Os bronzes foram para a canadense Justina Di Stasio e para a japonesa Hiroe Suzuki. Aline Ferreira perdeu ainda na estreia por 3-0 para a estoniana Epp Mae, que chegou até a semifinal. Como ela foi derrotada pela turca de virada no final, Aline não foi pra repescagem.

Mundial de Lutas – Dia 2

No complemento da luta greco-romana, a coroação de um multicampeão e vários campeões ficam pelo caminho.

Greco-romana 59kg masculino

gr_59kg_semifinal_kenichiro_fumita_jpn_df-_kanybek_zholchubekov_kgz_by_2-1_1_

Kenichiro FUmita (JPN)

Sem o atual campeão mundial e olímpico na disputa, o cubano Ismael Borrero, o título ficou com o japonês Kenichiro Fumita, que repetiu a final do campeonato asiático de maio contra o cazaque Mirambek Ainagulov, quando o japonês também venceu. Dominante no feminino, o Japão não vencia um ouro em uma prova masculina no Mundial de lutas desde 1983! O russo Stepan Maryanyan e o sul-coreano Kim Seung-hak ficaram com os bronzes. Bronze no Rio e cabeça 1, o norueguês Stig-André Berge perdeu logo na estreia.

Greco-romana 66kg masculino

66kg_gr_gold-_hansu_ryu_kor_df-_mateusz_lucjan_bernatek_pol_by_vpo1_2-1

Ryu Han-su (KOR)

Campeão em 2013, o sul-coreano Ryu Han-su faturou o bicampeonato da categoria ao derrotar na final o polonês Mateusz Bernatek, apenas 10º no europeu este ano. Nenhum dos 4 medalhistas no Rio esteve na prova. Cabeça 1 e campeão europeu, o russo Artem Surkov começou arrasando os adversários nas 3 primeiras lutas com 8-0, 9-4 e 9-0, mas parou na semifinal pro sul-coreano Ryu e acabou com o bronze após vencer armênio. O outro bronze ficou com o turco Atakan Yüksel. Diego Romanelli perdeu na estreia para o americano Ellis Coleman por 8-0 e o Brasil fica sem vitória no masculino neste Mundial.

Greco-romana 80kg masculino

80kg_gr_gold-_maksim_manukyan_arm_df-_radzik_kuliyeu_blr_by_vpo_5-0_0

Maksim Manukyan (ARM) dando o golpe que lhe deu o ouro

Com uma catada na barriga ainda no 1º tempo, o armênio Maksim Manukyan venceu por 5-0 o bielorrusso Radzik Kuliyeu para ficar com o ouro. 16º no Rio-2016 e apenas 23º no último mundial nos 85kg, Manukyan baixou de categoria para se dar bem. O alemão Pascal Eisele e o azeri Elvin Mursaliyev ficaram com os bronzes. Dois favoritíssimos perderam ainda na 1ª rodada. Bicampeão olímpico na categoria abaixo, o russo Roman Vlasov perdeu por 2*-2 para Mursaliyev, e o dinamarquês Mark Madsen, prata no Rio também nos 75kg, também perdeu na estreia após um empate em 9-9 para búlgaro.

Greco-romana 130kg masculino

130kg_gr_gold-_riza_kayaalp_tur_df-_heiki_nabi_est_by_vpo1_2-1c

Rıza Kayaalp (TUR)

Se tivemos surpresas nas outras, na categoria mais pesada o turco Rıza Kayaalp confirmou o favoritismo e subiu pelo 9º ano seguido ao pódio de uma competição mundial! O turco chegou ao tricampeonato mundial e à 7ª medalha em Mundiais (3O-2P-2B). Ele venceu suas 4 lutas por placares baixos: 2-0 em uzbeque, 3-1 em bielorrusso, 2-1 em cubano e 2-1 na decisão sobre o estoniano Heiki Nabi, prata em Londres-2012. Dois cubanos ficaram com medalhas de bronze. Óscar Pino por Cuba e Yasmani Acosta, que defende o Chile, conquistando a 1ª medalha da história do país sul-americano em mundiais de luta.

O Mundial segue nesta quarta com 4 categorias femininas.

Mundial de Lutas – Dia 1

A Arena AccorHotels já recebeu este ano o Mundial de Handebol masculino e de hóquei no gelo masculino e, a partir desta segunda-feira até sábado, sedia seu 3º mundial só em 2017. Na segunda e na terça, teremos luta greco-romana. Na quarta e quinta é a vez das mulheres e sexta e sábado a luta livre masculina.

Greco-romana 71kg masculino

semifinal-_frank_staebler_ger_df-_daniel_cataraga_mda_by_vpo1_4-2

Frank Stäbler (GER), de azul

Campeão mundial nos 66kg em 2015, o alemão Frank Stäbler era o favorito pro ouro olímpico no Rio, mas caiu na 2ª luta e depois foi eliminado na repescagem. Agora na categoria superior dos 71kg, ele não era cabeça de chave e teve que lutar desde a preliminar. No caminho pro ouro, venceu 6 lutas, incluindo o azeri Rasul Chunayev, bronze no Rio-2016, por 2-1. Na decisão, fez 8-3 no cazaque Demeu Zhadrayev para faturar seu 2º título mundial. Os bronzes ficaram com o húngaro Balint Korpasi e com o iraniano Mohammad Ali Geraei. O brasileiro Joilson Ramos Jr perdeu logo na estreia pro letão Nikita Masjuks por 2-1.

Greco-romana 75kg masculino

75kg_gold-_viktor_nemes_srb_df-_aleksandr_chekhirkin_rus_by_vpo1_4-1a

Viktor Nemes (SRB), de azul

A grande ausência foi o bicampeão olímpico e atual campeão mundial da categoria, o russo Roman Vlasov, que subiu pros 80kg. O título ficou com a surpresa sérvia Viktor Nemes, vice europeu em 2016. Nemes derrotou na decisão o russo Aleksandr Chekhirkin por 4-1, 2º ouro da história da Sérvia. Assim como na categoria anterior, bronzes para Hungria, com Tamas Lorincz, e Irã, com Saeid Abdevali, também bronze no Rio-2016. O brasileiro Angelo Moreira perdeu na estreia pro campeão olímpico de Londres e ex-campeão mundial, o sul-coreano Kim Hyeon-woo por encostamento.

Greco-romana 85kg masculino

85kg_gold-_metehan_basar_tur_df-_denis_maksymilian_kudla_ger_by_vpo1_2-1a

Metehan Basar (TUR)

Se nos Jogos Olímpicos os russos venceram ouro nas duas últimas edições, em mundiais, nenhum russo sobe ao pódio da prova desde 2010. O turco Metehan Basar ficou com o título mundial ao derrotar na decisão o alemão Denis Kudla, bronze no Rio, por 2-1. Campeão olímpico em 2016, o russo Davit Chakvetadze foi surpreendido pelo turco na semifinal por 4-2 e na disputa do bronze perdeu pro georgiano Robert Kobliashvili. O 3º bronze iraniano no dia veio com Hossein Nouri. Também bronze no Rio, o bielorrusso Javid Hamzatau perdeu na estreia pro turco e perdeu na 1ª luta da repescagem.

Greco-romana 98kg masculino

98kg_gold-_artur_aleksanyan_arm_df-_musa_evloev_rus_by_vpo1_3-1_

Artur Aleksanyan (ARM)

Mais uma vez o armênio Artur Aleksanyan dominou uma competição mundial e faturou seu 3º título mundial pra lista, além do seu ouro olímpico no Rio. Na final, Aleksanyan venceu por 3-1 o russo Musa Evloev. Assim como o Irã, a Hungria também encerrou o 1º dia com 3 bronzes, agora com Balazs Kiss. O georgiano Revaz Nadareishvili levou o outro bronze. Em 5 lutas disputadas, Aleksanyan fez 30 pontos, sofrendo apenas 5.

Resumo olímpico da semana

Saltos Ornamentais

p1bkes1bn4hfg1trc1u3p3fq1nfk7_crop

Isaac Souza Filho no topo do pódio

Uma semana antes da estreia no Mundial de Esportes Aquáticos, a equipe brasileira de saltos ornamentais conquistou 5 medalhas no GP de Saltos em Bolzano, na Itália. Isaac Souza Filho foi o grande destaque do país ao ficar com o ouro na plataforma masculina com a pontuação de 394,00. Na prova feminina, Ingrid Oliveira ficou com a prata com 282,00 atrás da chinesa Zhang Nanju com 292,55.

Tammy Galera ficou com o bronze no trampolim com 263,80 e ainda faturou mais duas medalhas nos saltos sincronizados. No trampolim feminino ao lado de Luana Lira ficou com o bronze (eram 4 países na disputa) e no trampolim misto ao lado de Ian Matos foi prata (eram 3 países). A equipe segue para Budapeste onde já faz sua estreia nesta sexta-feira no trampolim de 1m.

Remo

2017-07_copa-lucerna-06

Pódio na Copa do Mundo

Na 3ª etapa da Copa do Mundo em Lucerna, Suíça, a dupla de Xavier Maggi e Willian Giaretton, que estiver no Rio-2016 no Double skiff leve, faturou a medalha de bronze no Dois Sem Leve, prova que não é olímpica, com 6:37.50, atrás de Irlanda com 6:34.00 e Rússia com 6:36.28. Na etapa anterior, eles já haviam ficado com o bronze, mas eram apenas 3 barcos na disputa. Desta vez, foram 6 embarcações e a dupla ficou a frente de 3: Grã-Bretanha, França e Noruega. Uma boa prova.

Foram ainda outros 3 barcos. No Single skiff masculino peso leve, não olímpico, Uncas Batista venceu a Final C, terminando em 13º no geral entre 26. Mas nas prova olímpicas do single skiff, tanto Lucas Ferreira no masculino como Milena Viana no feminino venceram a Final E. Provas bem ruins

Lutas

A seleção brasileira cadete disputou em Buenos Aires, na Argentina, o Pan da modalidade da categoria. Com 17 atletas no total, o Brasil voltou com 5 medalhas, todas no feminino. Maria Elizabeth da Silva, nos 56kg, foi a única medalha de prata, enquanto Ketellen do Nascimento (43kg), Letícia Pimenta (49kg), Júlia de Oliveira (60kg) e Thaissa Ribeiro (70kg) ficaram com a medalha de bronze.

Na luta livre masculina, foram 5 derrotas nas disputas do bronze. Entre eles, Igor Queiroz, que perdeu o bronze tanto na livre como na Greco-romana. Boa parte da equipe permanece na capital argentina pro Sul-Americano.

Vôlei de Praia

Pela primeira vez no ano o Brasil não venceu um ouro em uma prova de 4 ou 5 estrelas no circuito mundial. No Major de Gstaad, na Suíça, Larissa e Talita foram derrotadas na final para as alemãs Chantal Laboureur e Julia Sude por 21-18, 22-20, ficando com a prata. Entre os homens, Álvaro/Saymon e Evandro/André perderam na semi e se enfrentaram na disputa do bronze, onde Álvaro/Saymon venceram com 21-12, 21-18. O título ficou com os americano Phil Dalhausser/Nick Lucena, com 21-18, 21-19 sobre os poloneses Losiak/Kantor.

Ainda assim, o Brasil está disparado no quadro de medalhas do circuito, com 9 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. EUA vem atrás com 4-1-1.

Outros Esportes

Pedro Barros venceu a etapa de Vancouver do Vans Park Series com a espetacular nota de 95,53.

– Na etapa de Lausanne da Diamond League, o revezamento 4x100m feminino do Brasil ficou com a prata com 42.97, atrás da Suíça com 42.53. No arremesso de peso, Darlan Romani fez apenas um arremesso válido, com 20,07m, terminando em 10º. Na etapa de Londres no domingo, Rosângela Santos fez 11.25 na semifinal dos 100m e na final melhorou para 11.22, ficando em 8º lugar. Vitória foi da campeã olímpica Elaine Thompson com 10.94. Em meeting em Sotteville-Lès-Rouen, na França, Geisa Coutinho venceu os 400m com  51.93. Em Nembro, Itália, Altobeli da Silva venceu os 3.000m (SEM obstáculos) com 7:51.48.

– No Pan Juvenil de pólo aquático em Lima, o Brasil ficou com duas pratas por pouco. No masculino, perdeu a final pros EUA por 6-5 e no feminino foi derrotado pelas americanas por 9-7.

– Depois do 10º lugar na semana anterior, Henrique Avancini foi 22º na Copa do Mundo de Mountian Bike em Lenzerheide, na Suíça, com 1:33:42. O campeão foi, mais uma vez, Nino Schurter, com 1:29:48. No feminino, Raiza Goulão foi 20ª com 1:34:52 entre 67 que terminaram.

Alexandre Rocha não passou no corte no LECOM Health Challenge, válido pelo web.com Tour de golfe.

– Na Classe Star, que deixou de ser olímpica no Rio-2016, Lars Grael e Samuel Gonçalves ficaram com a medalha de prata no Mundial disputado na Dinamarca. Com 20 pontos perdidos, ficaram atrás dos noruegueses Eivind Melleby e Joshua Revkin, com 18.