Mais duas medalhas na base

O Mundial de base de karatê, na cidade espanhola de Tenerife, recebeu provas cadete, juvenil e sub21. Com equipe completa, o Brasil conseguiu uma medalha de prata com André dos Santos nos 70kg cadete. André venceu 5 lutas até perder na final por decisão dos árbitros para o montenegrino Bojan Boskovic após empate em 0-0. A outra melhor chance de medalha veio com Sabrina Pereira nos 55kg Sub21. Ela chegou na semifinal, perdendo para espanhola e na disputa do bronze na repescagem perdeu de 5-1 para turca.

22894326_968211603318615_8766851041573020923_n

André dos Santos (esquerda), no pódio

Também chegaram nas 4as: Rafael Santos (Kata Sub21), equipe de Kata masculina, Alice Miranda (Kata Cadete feminino), Jéssica de Paula (50kg Sub21) e Brenda Padilha Pereira (+68kg Sub21).

Na Copa do Mundo Sub17 de Futebol, disputada na Índia, a seleção brasileira perdeu na semifinal para a eventual campeã Inglaterra por 3-1. Na disputa do 3º lugar, o Brasil venceu o Mali por 2-0, voltando ao pódio da competição após 12 anos de ausência. Foi o 7º pódio brasileiro na competição em 17 torneios.

Esta foi a 1ª medalha do Brasil na base em um esporte coletivo neste ciclo, depois do fracasso nos 6 Mundiais de base no vôlei.

O Brasil chega, portanto, a 24 medalhas na base (8O-7P-9B):

Ouro – Wesley Dantas – Surfe Júnior (set/16)
Ouro – Duda / Ana Patrícia – Vôlei de Praia Sub21 (jul/17)
Ouro – Adrielson / Renato  – Vôlei de Praia Sub21 (jul/17)
Ouro – Revezamento 4x400m misto – Atletismo Sub18 (jul/17)
Ouro – Uncas Batista – Remo single skiff peso leve Sub23 (jul/17)
Ouro – Isaquias Queiroz – C1 1.000m Sub23 (jul/17)
Ouro – Aldi de Oliveira – Judô 50kg Sub18 (ago/17)
Ouro – Daniel Cargnin – Judô 66kg Sub21 (out/17)
Prata – Manoel Messias – Triatlo Sub23 (set/16)
Prata – Ana Sátila Vargas – Canoagem slalom K1 Sub23 (jul/17)
Prata – Isaquias Queiroz – C1 200m Sub23 (jul/17)
Prata – Gabriella Moraes – Judô 63kg Sub18 (ago/17)
Prata – Milena Silva – Judô 70kg Sub18 (ago/17)
Prata – Judô por Equipe Mista Sub18 (ago/17)
Prata – André dos Santos – Karatê 70kg Cadete (out/17)
Bronze – Lucas Ferreira – Remo single skiff Júnior (ago/16)
Bronze – Leandro Souza – Taekwondo +78kg Juvneil (nov/16)
Bronze – Luana Madeira – Levantamento de Peso 48kg Júnior (jun/17)
Bronze – Giovana Rosa – Atletismo 400m Sub18 (jul/17)
Bronze – Amanda Arraes – Judô 44kg Sub18 (ago/17)
Bronze – Luiza Cruz – Judô +70kg Sub18 (ago/17)
Bronze – Maria Clara Pacheco – Taekwondo 47kg Cadete (ago/17)
Bronze – Beatriz Souza – Judô +78kg Sub21 (out/17)
Bronze – Futebol Masculino Sub17 (out/17)

Anúncios

Prévias Rio-2016: Basquete, handebol, hóquei e futebol

Basquete masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Estados Unidos; Prata – Espanha; Bronze – Rússia

Último Mundial (2014): Ouro – Estados Unidos; Prata – Sérvia; Bronze – França

Kevin Durant (USA)

Mesmo sem ser um Dream Team, não dá para negar que a equipe dos Estados Unidos é mais que favorita ao tricampeonato olímpico. Mesmo sem LeBron James e Stephen Curry, a equipe americana conta com nomes como Kevin Durant (1O), Carmelo Anthony (2O-1B), DeMarcus Cousins, Kyrie Irving e mais 8 que devem dar o ouro para os Estados Unidos. Os americanos estreiam contra a China, depois pegam Venezuela e Austrália. Só devem ter uma partida mais equilibrada contra Sérvia, na repetição da final da última Copa do Mundo, e encerram a 1ª fase contra a França, bronze no mundial de 2014.

Algumas seleções podem estragar a festa dos americanos, embora seja difícil. Sérvia e França, que estão no Grupo A com EUA. Pelo Grupo B, Argentina, única a desbancar os americanos desde Seul-1988, quando venceu o ouro em Atenas-2004, Espanha e Lituânia são fortes e tem grande tradição. Prata em 2008 e em 2012, a Espanha vem com os irmãos Marc (2P) e Pau Gasol (2P). Se alguém vai vencer os americanos, só saberemos nos Jogos. Esse não é a melhor seleção que eles levaram nas últimas Olimpíadas, mas ainda sim é muito forte.

E o Brasil? A equipe brasileira terá o desfalque de Thiago Splitter, mas tem 5 jogadores que atuam na NBA: Leandrinho, Marcelinho Huertas, Nenê, Raulzinho e Anderson Varejão. Em 2008, a derrota para a Argentina nas 4as foi dura, mas a revanche veio na Copa do Mundo de 2014, quando vencemos por 20 pontos nas 8as, mas a derrota para a Sérvia nas 4as foi acachapante por 28 pontos, sendo que o Brasil havia vencido a Sérvia na 1ª fase. Ainda assim, a equipe é boa e, em casa, pode surpreender. Quem sabe um bronze, não?

Meu Pódio: Ouro – Estados Unidos; Prata – Espanha; Bronze – Sérvia

Basquete feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Estados Unidos; Prata – França; Bronze – Austrália

Último Mundial (2014): Ouro – Estados Unidos; Prata – Espanha; Bronze – Austrália

Outra barbada americana. Desde Barcelona-1992 os Estados Unidos não perdem um jogo em uma Olimpíada. São 5 ouros desde então. Em mundiais, são 6 títulos nas últimas 8 edições. Lideradas pelas veteranas Diana Taurasi (3O), Sue Bird (3O) e Tamika Catchings (3O), elas estreiam contra a fraca seleção de Senegal pelo Grupo B, depois enfrentam Espanha, na reedição da final do último mundial, Sérvia, Canadá e China.

Quem ameaça as americanas são a Sérvia, atual campeã europeia, a sempre forte Austrália, bronze em Londres e no mundial de 2014, Espanha e França. Turquia e Bielorrússia podem surpreender.

E o Brasil? Há algum tempo o basquete feminino do Brasil não dá uma alegria. Depois da geração que medalhou em Atlanta-1996 e Sydney-2000 e foi 4º em Atenas-2004, o Brasil foi um fracasso em Pequim e Londres, vencendo apenas 1 partida na primeira fase e não avançando às 4as. No último mundial, só venceram 1 jogo na 1ª fase e perderam para a França nas 8as, em uma apresentação completamente esquecível. A seleção está muito renovada e conta com a experiência de Iziane nas quadras e de Adrianinha (1B) no banco. Já estreia contra a forte Austrália, depois pega Japão, Bielorrússia, França e Turquia. A expectativa é que vença 2 jogos e avance às 4as, para enfrentar as americanas. Já estaria bom.

Meu Pódio: Ouro – Estados Unidos; Prata – Austrália; Bronze – Sérvia

Handebol masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – França; Prata – Espanha; Bronze – Croácia

Último Mundial (2015): Ouro – França; Prata – Qatar; Bronze – Polônia

A França é a equipe a ser batida. Atual bicampeã olímpica, venceu 3 dos últimos 4 mundiais e 3 dos últimos 6 europeus. Com jogadores como Nikola Karabatic (2O), com mais de 1.000 gols pela seleção, e o goleiro Thierry Omeyer (2O), tem tudo para voltar novamente ao pódio. Atuais vice mundiais, o Qatar vem com uma ótima seleção montada, com quase metade do elenco de jogadores naturalizados, incluindo o excelente goleiro Danijel Saric, iugoslavo de nascimento.

Os outros 6 times europeus no torneio são de enorme força e podem ir ao pódio, como a Dinamarca, Croácia, Polônia e Alemanha. São equipes de enorme tradição e muita força. O Egito também tem uma boa equipe. A principal ausência é a Espanha, que parou em um dos torneio pré-olímpicos mundiais.

E o Brasil? A seleção masculina do Brasil não tem toda a força da equipe feminina, mas vem mostrando que pode surpreender. No Mundial de 2015, quase venceu a Espanha na 1ª fase, perdendo por 2 gols e nas 8as fez um jogo espetacular contra a Croácia, perdendo por apenas 1 gol. Resultados recentes em amistosos reforçam isso, como um ótimo empate com a Dinamarca. Está num difícil grupo, com 4 europeus, mas pode avançar e nas 4as surpreender.

Meu Pódio: Ouro – Alemanha; Prata – França; Bronze – Croácia

Handebol feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Noruega; Prata – Montenegro; Bronze – Espanha

Último Mundial (2015): Ouro – Noruega; Prata – Holanda; Bronze – Romênia

Alexandra Nascimento (BRA)

A Noruega é a grande equipe do handebol feminino. Atuais bicampeãs mundiais, venceram os Mundiais de 2011 e 2015, além de 5 dos últimos 6 europeus! Uma equipe fortíssima, tem boas chances de repetir o feito da Dinamarca, que foi tricampeã seguida entre 1996 e 2004. Com grandes jogadoras como Linn-Kristin Riegelhuth Koren (2O), que se aproxima dos 1.000 gols pela seleção, e Kari Grimsbo (2O) a Noruega é a equipe a ser batida. Em Londres, forma muito mal na 1ª fase, passando em 4º e pegaram o Brasil nas 4as, que tinha vencido o seu grupo. Num jogo espetacular, saíram de uma desvantagem de 4 gols no intervalo para vencer por 2.

No Grupo A, as norueguesas não terão tarefa fácil, pois enfrentam Romênia, Montenegro, Romênia e o Brasil. A Romênia foi bronze no último mundial e Montenegro venceu o europeu de 2012, com vitória na final sobre a Noruega. Bronze em 2012 e no Mundial de 2011, a Espanha também é uma ameaça. Pelo Grupo B, Holanda, atuais vice-campeãs mundiais na maior surpresa do mundial de 2015, e Rússia, tricampeãs mundiais entre 2005 e 2009, serão as equipes a serem batidas.

E o Brasil? A seleção brasileira está entre as melhores do mundo de o Mundial de 2011, em São Paulo, quando conquistaram um excelente 6º lugar. A ótima participação nos Jogos de Londres e o título mundial em 2013 só confirmaram a ascensão do Brasil. O 10º lugar no último Mundial com uma derrota besta para a Romênia nas 8as, após vencer seu grupo na 1ª fase, não diminuem o favoritismo do Brasil para subir ao pódio. Em casa, o Brasil é forte e tem grandes chances de pódio, mesmo com 8 seleções europeias na disputa. Alexandra e Duda Amorim já foram eleitas as melhores jogadoras do mundo e são as líderes da excelente equipe brasileira.

Meu Pódio: Ouro – Brasil; Prata – Noruega; Bronze – Rússia

Hóquei na grama masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Alemanha; Prata – Holanda; Bronze – Austrália

Último Mundial (2014): Ouro – Austrália; Prata – Holanda; Bronze – Argentina

Mark Knowles (AUS)

Podemos espera uma disputa forte entre duas equipes no hóquei masculino. A Alemanha é a atual bicampeã olímpica, esteve no pódio dos últimos 4 europeus e tem títulos da Copa do Mundo de 2002 e 2006. Já a Austrália está presente nos principais pódios há quase 2 décadas. São 6 pódios olímpicos seguidos, sendo um ouro em Atenas-2004, 6 títulos do Troféu dos Campeões nas últimas 7 edições, e os 2 últimos títulos da Copa do Mundo em 2010 e 2014. Liderados pelo veterano e experiente capitão Mark Knowles (1O-2B), os australianos figuram entre os favoritos ao ouro olímpico.

A Holanda é atual 2ª do ranking mundial e tem a prata de Londres e da Copa do Mundo de 2014, além do título europeu em 2015 na bagagem. A Argentina foi bronze na última Copa do Mundo, nunca venceu uma medalha olímpica no masculino, mas pode surpreender. Grã-Bretanha tem tradição e tem boas chances de medalha, assim como Bélgica e Índia, 6 vezes campeã olímpica entre 1928 e 1956.

E o Brasil? Será a estreia do Brasil no esporte em Olimpíadas e a vaga veio com o heróico 4º lugar no Pan de Toronto-2015, algo além do imaginável para qualquer um que acompanha o esporte. Tudo graças a uma vitórias nas penalidades sobre os americanos nas 4as. Ainda assim, o Brasil é muito inferior às demais 11 equipes e deve perder seus 5 jogos da primeira fase. A estreia dia 6 será contra a Espanha e já é uma grande vitória estar na disputa. Um empate já seria espetacular, ainda mais pelo fato do Brasil estar no grupo mais forte

Meu Pódio: Ouro – Austrália; Prata – Alemanha; Bronze – Holanda

Hóquei na grama feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Holanda; Prata – Argentina; Bronzes – Grã-Bretanha

Último Mundial (2014): Ouro – Holanda; Prata – Austrália; Bronze – Argentina

No feminino, a Holanda é a maior força da atualidade. Campeã em Pequim e em Londres, as holandesas tem ainda na história recente dois títulos da Copa do Mundo em 2006 e 2014, 9 pódios europeus seguidos, desde 1995, e 17 (!!) pódios seguidos na Copa do Campeões, competição que era anual até 2012 e agora é a cada 2 anos. Quem ameaça o sucesso holandês são as Leonas, a excelente equipe da Argentina. Sem mais o mito Luciana Aymar, aposentada, elas apostam na experiência de Noel Barrionuevo (1P-1B), Carla Rebecchi (1P-1B) e Delfina Moreno (1P) para conquistar o ouro inédito. A argentina esteve na final dos últimos 8 Troféus dos Campeões, com 6 títulos, além dos títulos das Copas do Mundo de 2002 e 2010.

A Austrália foi vice mundial em 2006 e 2014, mas não sobe ao pódio olímpico desde Sydney-2000 em casa, quando foram campeões. A Grã-Bretanha foi bronze em Londres e campeã europeia (como Inglaterra) no ano passado. China, Nova Zelândia e a crescente equipe dos Estados Unidos entram na briga por medalha também.

E o Brasil? O Brasil não disputa a prova.

Meu Pódio: Ouro – Argentina; Prata – Holanda; Bronze – Austrália

Futebol masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – México; Prata – Brasil; Bronze – Coreia do Sul

Último Mundial (Sub20 – 2015): Ouro – Sérvia; Prata – Brasil; Bronze – Mali

O Brasil busca o inédito ouro olímpico no futebol. Com Neymar (1P), Renato Augusto, Gabriel Jesus e Rafinha, a seleção canarinho é boa, mas esbarra na enorme desconfiança do brasileiro, ainda mais após os recentes fracassos da seleção principal. Ainda assim, o ouro pode vir. Por ser uma competição sub-23, não há grandes nomes no torneio. A Sérvia foi campeã do último mundial sub-20, mas não se classificou para os Jogos.

A Suécia veio do título europeu sub-21 e Portugal foi vice, mas não conta com nenhum campeão da Eurocopa. A Argentina teve muitos problemas para formar sua equipe, e pode até vir com menos de 18 jogadores. Por tradição, Alemanha e México podem entrar na briga por medalha. Ainda acho que não deveria existir futebol masculino nos Jogos.

E o Brasil? A seleção brasileira vem com nomes bons, mas, tirando Neymar, ninguém de peso. A pressão pelo ouro inédito e os recentes fracasso da seleção principal são impeditivos ao ouro. Na primeira fase, tem 3 jogos tranquilos, contra África do Sul, Iraque e Dinamarca e deve passar em 1º. Nas 4as pode pegar uma pedreira, como Nigéria, Japão ou Colômbia. Deve chegar às semifinais e aí tudo pode acontecer.

Meu Pódio: Ouro – Brasil; Prata – Alemanha; Bronze – México

Futebol feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Estados Unidos; Prata – Japão; Bronze – Canadá

Último Mundial (2015): Ouro – Estados Unidos; Prata – Japão; Bronze – Inglaterra

Hope Solo (USA)

A equipe dos Estados Unidos é mais que favorita ao 4º ouro seguido. Campeãs da Copa do Mundo no ano passado e com nomes fortíssimos na equipe como Carli Lloyd (2O), Hope Solo (2O) e Megan Rapinoe (1O). Elas não convenceram na 1ª fase da Copa do Mundo, mas foram ganhando confiança durante o mata-mata até a final, onde destruíram o Japão por 5-2, maior ausência dessa Olimpíada.

Depois de ficar de fora de Londres, a Alemanha volta aos Jogos com muita força e em busca do ouro inédito, após 3 bronzes entre 2000 e 2008. Bronze em Londres, o Canadá pode novamente subir ao pódio, assim como a Suécia, vencedora da repescagem europeia, França, China e a crescente Austrália.

E o Brasil? A seleção brasileira não convence há algum tempo e fez uma Copa do Mundo para ser esquecida em 2015. Até fez uma boa 1ª fase, vencendo seus 3 jogos, mas num jogo péssimo, perdeu para a Austrália nas 8as. Depois de duas pratas em 2004 e 2008, a seleção que conta com as experientes Marta (2P), Formiga (2P) e Cristiane (2P) terá o apoio do público e em casa pode até surpreender.

Meu Pódio: Ouro – Estados Unidos; Prata – Alemanha; Bronze – França

Copa do Mundo Feminina – Prévia

Começa neste sábado a maior Copa do Mundo de Futebol Feminino da história, contando pela primeira vez com 24 equipes em 6 grupos diferentes. 6 cidades canadenses receberão os 52 jogos no torneio mais importante do ano e que classificará 3 seleções europeias para os Jogos do Rio-2016. Além disso, será o primeiro mundial jogado em grama artifical.

Grupo A

Christine Sinclair

 

O Canadá quer fazer história e buscar seu primeiro título da Copa do Mundo em casa. Para isso, tem que apagar a péssima campanha do último mundial, quando ficou em último com 3 derrotas. Mas o bronze em Londres-2012 com um gol aos 47 do 2º tempo sobre a França foi o ponto da virada para as canadenses que chegam em alta, com o massivo apoio da torcida em casa e com a força da capitã veteraníssima Christine Sinclair. A China vem como segunda força do grupo, longe do que foi há uma década. Nova Zelândia não deve assustar, apesar de terem chegado às 4as dos Jogos de Londres. A Holanda chega com um time rápido e é uma das 8 seleções que fazem sua estreia na Copa do Mundo.

Grupo B

A Alemanha quer voltar a brilhar. Depois de ficarem nas 4as da última Copa do Mundo em casa e com isso não terem se classificado para os Jogos de Londres-2012, as alemãs contam com a melhor equipe atual e vem do título da Eurocopa de 2013, o 6º seguido. Lideradas pela goleira capitã e veterana de 36 anos Nadine Angerer, mas sem a melhor jogadora do mundo de 2014 fora por contusão Nadine Kessler, a seleção alemã é a equipe a ser batida.

Campeãs olímpicas em 2000 e da Copa do Mundo em 1995, a Noruega não é mais o que já foi. A equipe conta com a volta do treinador Even Pellerud, que levou o país ao título mundial há 20 anos. O vice na Eurocopa em 2013 mostrou isso. Costa do Marfim e Tailândia completam o grupo, com ambas as equipes estreando em Copas do Mundo.

Grupo C

Campeãs em 2011, o Japão quer o bi. Após a prata em Londres-2012, elas chegam bem credenciadas e tem boas chances de novamente ir muito bem. Com maior número de jogos e de gols, Homare Sawa é o maior nome da equipe. Uma das maiores surpresas das eliminatórias, a Suíça foi invicta com 9 vitórias e um empate num grupo forte com Dinamarca e Islândia e chega a sua primeira Copa do Mundo podendo ser uma das zebras. Camarões e Equador completam o grupo.

Grupo D

Hope Solo

 

Num grupo bem forte, os Estados Unidos vem na frente. Sempre bem em competições mundiais, as americanas nunca ficaram fora do pódio em Copas do Mundo! São 2 títulos, um vice e 3 bronzes. Em Olimpíadas, 4 ouros e 1 prata em 5 participações só corroboram o favoritismo e a força das americanas. Com nomes consagrados como Hope Solo, Christie Rampone, Abby Wambach e Shannon Boxx, os EUA devem novamente ir muito longe.

Segunda força do grupo, a Suécia foi terceira colocada na última Copa do Mundo e derrotada na semifinal da última Eurocopa em casa. Austrália e Nigéria completam o grupo e não devem ameaçar as equipes mais fortes do grupo.

Grupo E

O Brasil é a equipe cabeça de chave do grupo e chega como principal favorita do grupo. Marta novamente vem encabeçando a seleção e, jogando bem, desequilibra qualquer partida. Mas todos sabem que o Brasil depende muito dela e o técnico Vadão precisa diminuir essa dependência. Com jogadoras experientes como Formiga, Cristiane e Rosana, o Brasil tem obrigação de ir bem e chegar pelo menos às semifinais. Desde Pequim-2008 a seleção canarinha não chega ao pódio de um torneio mundial.

A Coreia do Sul, que volta a um mundial após 12 anos, será o adversário de estreia do Brasil na terça-feira em Montreal. A Espanha nunca disputou uma Copa do Mundo nem uma Olimpíada e só tem duas Eurocopas no currículo, mas chega com uma equipe nova e já muito bem credenciada, com as pratas nos Mundial Sub-17 e no Europeu Sub-19 ano passado! A fraca Costa Rica fecha o grupo.

Grupo F

Um grupo muito forte, assim como o D, tem a França como principal equipe. O país vem crescendo muito nos últimos anos, evidenciados pelo 4º lugar tanto na última Copa como nos jogos de Londres. Seu maior adversário será a Inglaterra, que também vem crescendo muito. Atual segunda seleção da América do Sul e já classificada para os Jogos do Rio, a Colômbia pode atrapalhar as equipes europeias. O México completa o grupo.

O Mundial começa neste sábado às 19:00 em Edmonton com Canadá e China. Logo depois, Nova Zelândia e Holanda fecham o Grupo A. Os jogos da primeira fase do Brasil serão:

– 09 de junho, terça-feira, 20:00 – Coreia do Sul

– 13 de junho, sábado, 17:00 – Espanha

– 17 de junho, quarta, 20:00 – Costa Rica

A final será no dia 5 de julho em Vancouver.

Copa do Mundo Feminina tá aí. E parece que ninguém se importa…

Em menos de duas semanas terá o início a maior Copa do Mundo feminina de todos os tempos, que pela primeira vez terá 24 equipes, contra as 16 das edições anteriores.

A CBF divulgou na última segunda-feira a lista de convocadas para a seleção, que, claro, conta com Marta e Cristiane. Lista completa aqui. É a grande competição do ano, valendo 3 vagas olímpicas (apenas para equipes da Europa) e é o grande termômetro para os Jogos do Rio-2016.

Mas apesar da grande importância da competição, quase nada é falado na mídia.

O Brasil está no Grupo E e estreia no dia 9 de junho contra a Coreia do Sul em Montreal. O segundo jogo será na mesma cidade em 13 de junho contra a Espanha. O Brasil encerra a 1ª fase contra a Costa Rica em Moncton.

Tá na hora de um bom resultado das meninas. Se preparando para os Jogos Olímpicos, tem obrigação de chegar pelo menos até as 4as de final.

Na última Copa do Mundo, o Brasil perdeu nas 4as num jogo duríssimo contra as americanas num jogo inesquecível. As americanas abrira o placar aos 2min com gol contra, o Brasil empatou de pênalti. Na prorrogação, o Brasil virou para 2-1 logo no início, mas bobeou e levou um gol inacreditável aos 17min do 2º tempo! Nos penaltis, vitória das americanas por 5-3. Nas Olimpíadas de Londres, o Brasil também parou nas 4as, para o Japão. O último pódio do Brasil foi em Pequim-2008, com a prata.

Tá mais que na hora disso mudar!