Mundial Masculino de Handebol – Dia 4

Sem surpresas nos jogos de domingo no Mundial.

Grupo B

A Macedônia passou pelo Bahrain com 28-23 e teve Kiril Lazarov novamente como grande destaque, marcando 8 gols. Lazarov tem mais de 1.600 gols pela equipe nacional, onde joga desde 1999. No 1º tempo, a Macedônia foi melhor abrindo logo 6-2, deixou o Bahrain empatar em 6-6, mas fechou com uma boa sequência o 1º tempo com 12-8. No 2º, os europeus conseguiam virar melhor e chegaram a abrir 26-18. O Bahrain ensaiou uma reação com 4 gols seguidos, mas já era tarde.

130119_FOS_mwol_0144_1440x600_0

Croácia x Japão

No segundo duelo Europa x Ásia do dia, a Croácia passou pelo Japão. Em 10min de jogo, os croatas já tinham 7-1, mas os gols vinham em grupo para os dois lados e a partida acabou 18-13 no 1º tempo pra Croácia. No 2º, os croatas marcaram 6 seguidos no início e abriram uma vantagem muito confortável até vencerem com 35-27, com 8 gols de Zlatko Horvat e um aproveitamento de 80% da equipe em tiros ao gol.

A Espanha fechou o dia com um vitória sobre a Islândia na frente de 12.000 espectadores em Munique. O jogo foi equilibrado até o 5-5. Depois disso, a Espanha conseguia sempre 2 ou 3 gols seguidos contra apenas 1 do lado islandês e os espanhóis foram pro vestiário com uma boa vantagem de 19-14. No 2º, a diferença não mudava até o 27-20, quando a Islândia ensaiou uma reação marcando 4 seguidos faltando 10min pro fim. Só que a Espanha fechou melhor com 5 gols e venceu com 32-25. Foi um jogo bem equilibrado, apesar da diferença de placar. 64% de aproveitamento no ataque espanhol e 60% no islandês. Na defesa, 29% pros goleiros espanhóis e o mesmo número pro lado islandês.

Classificação:

  1. Espanha – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 65-48 (+17)
  2. Macedônia – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 66-52 (+14)
  3. Croácia – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 66-54 (+12)
  4. Islândia – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 52-63 (-11)
  5. Bahrain – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 46-61 (-15)
  6. Japão – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 56-73 (-17)

Grupo D

Depois de ter sido surpreendido por Angola, o Qatar se recuperou e venceu o Egito em Copenhagen na frente de apenas 3.077 espectadores, o pior público do fim de semana. O jogo foi bem equilibrado no início, com ninguém abrindo mais que 3 gols. O Egito chegou a ter 10-8, mas logo o Qatar virou e tece a vitória parcial de 15-12 no 1º tempo. O jogo seguiu equilibrado até o 17-17, mas 6 gols seguidos do lado qatari os colocaram com uma boa vantagem até fecharem em 28-23. Youssef Benali, um dos poucos que joga fora do Qatar, foi o artilheiro da partida com 9 gols.

hun_ang-9_1440x600_0

Laszlo Nagy (HUN)

A Hungria foi arrasadora no 1º tempo contra Angola. Fez 4-1, depois 9-2, 17-5 e fechou o 1º tempo com 18-8. O 2º tempo foi bem mais equilibrado. Angola diminuiu para 21-13, mas aí foi uma sequência de gols alternados que nada adiantavam para o time africano e a Hungria levou com 34-24 e 72% de aproveitamento no ataque. Destaque para os 56% de defesa do goleiro húngaro Roland Mikler.

A Argentina até que segurou um pouco a Suécia no 1º tempo, vencido pelos suecos por 15-10, mas no 2º abriu a porteira. Os argentinos fizeram apenas 3 gols em 20min e viram a diferença ir de 5 para 13 gols no 2º tempo faltando 10min e fechar com 15 no final e o jogo terminou 31-16 pros suecos

Classificação:

  1. Suécia – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 58-40 (+18)
  2. Hungria – Pontos: 3 – 1V-1E-0D – Gols: 59-49 (+10)
  3. Qatar – Pontos: 2 – 1V-0E-1D – Gols: 51-47 (+4)
  4. Angola – Pontos: 2 – 1V-0E-1D – Gols: 48-57 (-9)
  5. Argentina – Pontos: 1 – 0V-1E-1D – Gols: 41-56 (-15)
  6. Egito – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 47-55 (-8)
Anúncios

Mundial Masculino de Handebol – Dia 3

Surpresa sul-americano no 3º dia e muitas goleadas europeias.

Grupo A

A65I3362_1440x600

Kentin Mahé (FRA)

Na abertura da rodada em Berlim, a Rússia fez 20-13 no 1º tempo contra a equipe unificada das Coreias e manteve essa vantagem para vencer com 34-27. Os russos não deram nenhuma chance no 1º tempo e os gols vinham sempre em grupo, enquanto a Coreia sofria para marcar. Maior goleador da 1ª rodada, Timur Dibirov fez apenas 3 na partida enquanto o artilheiro russo do jogo foi Daniil Shishkarev, com 7.

Com uma atuação sofrível, o Brasil levou sua 2ª derrota no Mundial, agora para os donos da casa. A Alemanha passou o carro no Brasil e, com 15min de jogo, tinha 9-2. Liderados por Uwe Gensheimer, que fez 10 na partida, os alemães fecharam o 1º tempo com 15-8. No 2º tempo, o Brasil conseguiu equilibrar e os gols se alternavam. Com 29-20 de vantagem, os alemães emplacaram mais 5 gols seguidos no final do jogo até vencerem por 34-21. Nada funcionou. No ataque, a Alemanha teve uma eficiência de 64% nos tiros, contra apenas 40% do Brasil. Na defesa, conseguimos apenas 1 roubo de bola. Do lado alemão, foram 7 roubos e 5 bloqueios.

Para fechar o dia, a França também sobrou em cima da Sérvia. O jogo começou equilibrado até o 9-9, mas 5 tentos seguidos franceses colocaram os atuais campeões mundiais na frente no 1º tempo com 15-12. No 2º, o ataque francês vinha matador e conseguiu 2 sequências de 5 gols. Nedim Remili foi o artilheiro francês com 5 gols enquanto Bogdan Radivojevic fez 6 do lado sérvio.

Classificação:

  1. Alemanha – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 64-40 (+24)
  2. França – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 56-43 (+13)
  3. Rússia – Pontos: 3 – 1V-1E-0D – Gols: 64-57 (+7)
  4. Sérvia – Pontos: 1 – 0V-1E-1D – Gols: 51-62 (-11)
  5. Brasil – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 43-58 (-15)
  6. Coreia – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 46-64 (-18)

Grupo C

A maior zebra até então veio no jogo de abertura em Herning, onde o Chile venceu a equipe da Áustria. Apesar dos austríacos não serem uma grande potência do handebol continental, um europeu em um Mundial é sempre uma força. O 1º tempo foi bem equilibrado e terminou com 15-14 para os austríacos. Mas no 2º tempo, os chilenos voltaram com tudo e brilharam. Logo no início colocaram uma sequência de 5 gols, tomaram dois e fizeram mais 4 seguidos. Logo depois mais 4 seguidos e fecharam o jogo com um acachapante 32-24. Os irmãos Feuchtmann foram o destaque da partida. Erwin marcou 9 e Emil 6 pro Chile. Emil é o maior jogador da história do Chile. Foi a 2ª vitória chilena sobre um europeu em Mundiais.

No jogo seguinte, a Noruega, finalista no último Mundial, arrasou a Arábia Saudita com 40-21. Foi 20-10 no 1º tempo e 20-11 no 2º. Muito mais time, a Noruega teve como artilheiros Magnus Rod com 9 e Espen Lie Hansen com 8. Os noruegueses tiveram um excepcional aproveitamento de 77% nos ataques contra apenas 42% dos sauditas. Na defesa, os goleiros noruegueses defenderam 50% dos ataques, enquanto os goleiros sauditas apenas 13%. Um abismo de diferença.

Para fechar a sexta-feira em Herning, a Dinamarca venceu a 2ª em casa com tranquilos 36-22 sobre a Tunísia. Começaram destruindo com 7-0, chegaram a 14-2e fecharam o 1º tempo com algumas bobeadas em 19-10. No 2º tempo, mais domínio até os 36-22, com 7 gols de Mikkel Hansen e 7% de aproveitamento da equipe.

Classificação:

  1. Dinamarca – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 75-38 (+37)
  2. Noruega – Pontos: 4 – 2V-0E-0D – Gols: 45-29 (-16)
  3. Áustria – Pontos: 2 – 1V-0E-1D – Gols: 53-54 (-1)
  4. Chile – Pontos: 1 – 1V-0E-1D – Gols: 48-63 (-15)
  5. Tunísia – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 46-70 (-24)
  6. Arábia Saudita – Pontos: 0 – 0V-0E-2D – Gols: 43-69 (-26)

 

Mundial Masculino de Handebol – Dia 2

No 2º dia do Mundial, a estreia do Brasil com derrota e dois belos confrontos entre europeus.

Grupo A

O grupo foi iniciado no dia anterior com a vitória da Alemanha. No 1º jogo do dia um grande duelo entre Rússia e Sérvia, num jogo muito apertado, onde nenhuma equipe conseguiu abrir muita vantagem e as equipe foram pro intervalo empatadas em 16-16. No início do 2º tempo, a Sérvia voltou melhor e conseguiu 4 tentos seguidos, chegando a abrir 4 de vantagem em 23-19, mas logo em seguida a Rússia, liderada por Timur Dibirov com 12 gols, chegou ao empate em 24-24. Faltando 2min, a Sérvia tinha 30-28, mas Dibirov marcou duas vezes seguidas e o jogo terminou 30-30.

HANDBALL-WC-2019-BRA-FRA

Brasil x França

Pra fechar o grupo, a estreia do Brasil contra a sempre favorita França. O Brasil começou muito bem, se impondo, e segurou o placar por 20min, até o 10-10. Em nenhum momento até então a França ficou a frente do placar. Só que algumas expulsões de 2min do lado brasileiro fizeram a França deslanchar e marcar 5 seguidos, com direito a um golaço do craque Luka Karabatic caindo. Aliás, foi seu único gol da partida. O 1º tempo acabou 16-13 pra França. No início do 2º tempo, dois franceses levaram suspensão de 2min, mas o Brasil não conseguiu marcar nenhum gol e até levou um. A França abriu 19-13, mas numa excelente sequencia brasileira com 4 defesas seguidas do goleiro Bombom e 5 gols, encostamos até empatar em 20-20, mas no final dois gols de Timothey N’Guessan deram a vitória a França por 24-22.

Grupo B

Em Munique, a Macedônia abriu o grupo com uma boa vitória de 38-29 sobre o Japão. Sem grandes dificuldades, a equipe europeia só ficou atrás do placar no 1-0 e fechou o 1º tempo com 18-13, liderada pelo seu principal jogador, Kiril Lazarov, que marcou 8 vezes. Na carreira, Lazarov tem mais de 1.600 gols pela equipe nacional!

No outro duelo europeu do dia, a Croácia venceu a Islândia por 31-27, com 8 gols de Luka Stepancic, que joga no PSG. A Croácia ficou na frente no 1º tempo com 16-14, mas a Islândia voltou determinada no 2º tempo e tirou uma desvantagem de 4 gols em 17-21 e virou para 24-22, destaque para os 7 gols de Aron Palmarsson. A Islândia tinha 26-25, mas conseguiu levar 6 gols seguidos nos 10min finais e foi derrotada por 31-27.

Encerrando o dia, a Espanha botou quase todos os jogadores para enfrentar a limitada equipe do Bahrain e venceu com tranquilos 33-23, com 7 gols de Ferran Solé. Bronze em 2011 e campeã mundial em casa em 2013, a Espanha ficou bem perto do pódio nos dois últimos mundiais.

Grupo C

A Áustria venceu a Arábia Saudita na estreia por 29-22 com 7 gols de Mykola Bilyk, mesma quantidade de Mahdi Alsalem do lado saudita. Mas a equipe europeia não ficou atrás do placar em nenhum momento e levou a vitória com tranquilidade.

Pra fechar o grupo, que teve a Dinamarca e Chile se enfrenta no dia anterior, a Noruega passou com fáceis 34-24 sobre a Tunísia com 9 gols de Magnus Jondal e uma ótima atuação do goleiro Torbjorn Bergerud, que salvou 44% das bolas.

Grupo D

ang_qat-40_1440x600_0

Edvaldo Ferreira (ANG)

Em Copenhagen, Angola conseguiu uma ótima vitória sobre o Qatar por 24-23. A equipe africana fez 12-8 no 1º tempo e chegou a abrir 17-13, mas logo o Qatar empatou com 4 gols seguidos. Angola conseguiu abrir novamente e segurou a liderança, com 7 gols de Rome Hebo Prata no Mundial de 2015 em casa e tricampeã asiática, a equipe do Qatar era a favorita para a partida.

Excelente resultado da equipe da Argentina contra a forte equipe da Hungria, que começou arrasando com 5-0, sendo 3 gols de Zsolt Balogh e 2 de Mate Lekai. A Argentina foi entrando aos poucos no jogo e conseguiu diminuir a vantagem até ir pro intervalo com 13-10. No 2º tempo, Federico Fernandez marcou 4 vezes no início e a Argentina passou na frente com 16-15. Os gols foram alternando e ninguém abria muita vantagem e o jogo terminou num empate em 25-25.

Para encerrar o dia, o Egito pegou a Suécia, que ficou na frente no 1º tempo com 13-11, chegando a ter 5 de vantagem em 10-5. Os europeus seguiram melhor no 2º tempo com 16-12, mas o Egito foi buscar e aos poucos encostava até empatar em 22-22. Kim Ekdahl du Rietz, também jogador do PSG, marcou 2 pra Suécia, mas Mohamed Shebib empatou 24-24, faltando 3min pro fim. Só que 3 gols seguidos de Jim Gottfridsson deram a vitória para a Suécia.

Mundial Masculino de Handebol – Dia 1

Começou nesta quinta-feira o Mundial Masculino de Handebol, sediado em conjunto entre a Alemanha e a Dinamarca. As duas seleções fizeram seus jogos de estreia neste 1º dia com ginásios lotados.

Grupo A

Um jogo histórico abriu o Mundial na Arena Mercedes-Benz, em Berlim. Na frente de 13.500 torcedores, a Alemanha recebeu a equipe unificada das Coreias e venceu sem grandes dificuldades. Uwe Gensheimer, jogador mais experiente e maior goleador da seleção atual com 753 gols, foi o artilheiro da partida com 7 gols em 8 tentativas e chega a 760 gols na seleção.       Com 10 minutos de jogo, a Alemanha já tinha 6-2 na partida. Foi ampliando aos poucos a vantagem no 1º tempo e os gols vinham em grupos de 3. Foi pro intervalo com a ótima vantagem de 17-10. No 2º tempo, abriu com mais 4 gols e na metade do tempo abriu para 26-13. Os donos da casa tiraram o pé do acelerador e a Coreia conseguiu 3 gols seguidos e conseguiu equilibrar o jogo, alternando gols, mas a vantagem alemã era enorme e fechou com uma tranquila vitória por 30-19. O time coreano tem 4 jogadores norte-coreanos e Ri Kyong Song entrou para a história como o 1º (e até agora único) norte-coreano a marcar um gol em um Mundial masculino de Handebol de qualquer idade. A única vez que a Coreia do Norte participou de um Mundial foi no júnior feminino de 1993, quando terminou em 14º lugar entre 16 equipes.

Grupo C

Foi um massacre em Copenhagen. Na frente de 12.500 espectadores, a Dinamarca passou o rolo compressor no Chile no 1º tempo. A equipe sul-americana abriu 1-0, mas logo os dinamarqueses viraram e foram para 7-1 com 8min. O Chile teve uma boa sequência até 8-4 com 11min e depois simplesmente apagou. Foram 14 gols seguidos da Dinamarca liderada por Casper Mortensen, que marcou apenas no 1º tempo 8 gols em 8 tentativas e foi pro intervalo com incríveis 22-4. Com tanta vantagem, o técnico Nikolaj Jacobsen trocou boa parte do time da Dinamarca e o Chile conseguiu jogar mais de igual pra igual. A Dinamarca venceu por 39-16 e deve ter mais tranquilidade novamente no sábado, quando enfrenta a Arábia Saudita. Vale lembrar que no Mundial de 2017 o Chile surpreendeu ao vencer na estreia a Bielorrússia.

Boletim Rumo a Tóquio-2020 #5

Dezembro foi um mês com poucas competições classificatórias para Tóquio, com vagas apenas no handebol feminino e no futebol feminino.

Handebol

France-celebrating-their-win-over-Russia-EHF-Euro-2018

França campeã europeia. Foto: ehfeuro/Facebook

No campeonato europeu feminino disputado na França, as donas da casa venceram pela 1ª vez o título continental com 24-21 na final contra a Rússia, na reedição da final olímpica do Rio-2016, e ficaram com a vaga continental. Vale lembrar que a França é a atual campeã mundial no feminino. Já no campeonato africano, no Congo, a equipe de Angola sobrou e venceu mais uma vez o título continental, o 13º das últimas 16 edições, e levou a vaga africana.

Feminino: Angola, França e Japão

Futebol

Sem ser ameaçada em nenhum momento, a Nova Zelândia garantiu o título da Copa das Nações Feminina da Oceania e ficou com a vaga olímpica. Em 5 jogos disputados, as neozelandesas venceram os 5 com 43 gols a favor e nenhum contra. Na decisão, 8-0 sobre Fiji.

Feminino: Brasil, Japão e Nova Zelândia

Quotas

796 vagas estão definidas e temos 50 países já classificados. Angola é a novidade.

As equipes com pelo menos 10 vagas são:

Japão – 390
Estados Unidos – 53
Nova Zelândia – 31
França – 29
Rússia – 26
China – 25
Brasil – 23
Grã-Bretanha – 22
Austrália – 18
Itália – 16
Alemanha – 15
Angola – 14
Holanda – 12
Espanha – 10
Suécia – 10

2019 será um ano com dezenas de torneio classificatórios, mas janeiro ainda será um mês tímido, com vagas apenas no handebol masculino com o Mundial na Alemanha e Dinamarca, e no futebol masculino, com o Sul-Americano Sub20 no Chile. Janeiro também marca o início do período de classificação do hipismo e para obtenção de índices no atletismo para as provas de 10.000m, maratona, marchas, provas combinadas e revezamentos.

Resumo olímpico da semana

Maratona Aquática

O CRƒDITO DA FOTO ƒ OBRIGATîRIO: Satiro SodrŽ/SSPress/CBDA

Victor Colonese, Ana Marcela Cunha, Viviane Jungblut e Allan do Carmo. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Neste domingo, na abertura do Troféu Brasil de natação (antigo Troféu Maria Lenk), Ana Marcela Cunha e Allan do Carmo venceram a prova de 10km, disputada na praia de Copacabana, repetindo o mesmo trajeto da prova olímpica. Foi a 1ª vez que a prova de maratona entrou no programa oficial do Troféu Brasil.

Ana Marcela (Unisanta) venceu a prova em 2:04:04, deixando a campeã olímpica Sharon van Rouwendaal (Unisanta) em um longínquo 2º lugar com 2:07:10. Completou o pódio Viviane Jungblut (GNU) com 2:09:37, que garantiu vaga pro Pan-Pacífico de Tóquio ao lado de Ana Marcela.

Na prova masculina, Allan do Carmo (ACEB) completou em 1:57:57, deixando em 2º lugar Victor Colonese (Unisanta) por apenas 1s. Ambos estarão no PanPac. Luiz Gustavo Barros (GNU) fechou o pódio com 1:58:00.

Handebol

not_grd_0000033564

De maneira invicta o Brasil foi campeão do Pan juvenil feminino, disputado em Buenos Aires. Disputado no esquema todos contra todos, a seleção brasileira venceu os 5 jogos. Na estreia, teve um pouco mais de dificuldade com o Chile, mas venceu por 26-23.

Depois fez 35-15 no Uruguai, arrasou o Peru com 48-12, fez 21-16 na Argentina e fechou com 31-23 no Paraguai. Na última rodada, o Chile venceu a Argentina 20-11 para ficar com a prata e deixar as donas da casa com o bronze. As 3 equipes que subiram ao pódio se classificaram para o Mundial Juvenil, que será disputado em agosto na Polônia.

Este foi o 12º Pan da categoria. O Brasil venceu todos e jamais deixou de ganhar um jogo.

Ciclismo Mountain Bike

Henrique Avancini venceu a Copa Internacional de MTB em Araxá, seguido do campeão pan-americano Luiz Cocuzzi. No feminino, a americana Chloe Woodruff venceu com 14s de vantagem sobre Raiza Goulão.

Com os ótimos resultados recentes do brasileiros, Henrique subiu 3 posições e é o 5º do ranking mundial. Cocuzzi subiu 16 posições e aparece em 37º. Por equipes, o Brasil subiu 2 posições e já a 7ª no ranking de nações. Vale ressaltar que a 7ª colocação garantiria duas vagas olímpicas para o Brasil, mas o ranking será apenas o de maio de 2020. No feminino, Raiza segue em 9º lugar no ranking individual e o Brasil aparece em 13º, que daria apenas 1 vaga olímpica.

Outros Esportes

– Finalista no Mundial indoor este ano, Gabriel Constantino marcou ótimos 13.38 (1,9) nos 110m com barreiras em prova na Flórida. Foi a 4ª melhor marca da história de um brasileiro e o melhor tempo na prova desde 2005!

– Em prova em Cuiabá, Mirieli Estaili conquistou o índice pro Mundial Sub-20 de atletismo. Ela marcou 13,45m no salto triplo, 40cm a mais que o índice mínimo. É a 4ª melhor marca do ano na prova na categoria.

– Diego Araújo do Nascimento terminou a qualificação mundial da canoagem pros Jogos Olímpicos da Juventude em 18º lugar geral no C1 masculino em Barcelona. Ele ficou em 6º na prova de velocidade e em 36º na de obstáculos. A vaga veio por ele ser o 2º melhor das Américas. Maria Eduarda Schlikmann, que disputou o K1 e o C1, e João Victor Vieira, no C1, ficaram longe das outras vagas.

– Adilson da Silva terminou em 14º no Zanaco Masters, na Zâmbia, 1ª prova do Sunshine Tour 2018-19 de golfe. Ele somou 282 tacadas, 8 a mais que o campeão, e somou 1,37 ponto pro ranking mundial. Pelo Tour PGA Latinoamericano, Rodrigo Lee foi 6º no Abierto OSDE, no Chile, 7 tacadas a mais que o campeão.

– Bruna Takahashi, Eric Jouti e Thiago Monteiro chegaram à chave principal do Aberto da Croácia de tênis de mesa, mas apenas Bruna venceu uma partida. Ela caiu na 2ª rodada para romena.

– No Aberto Juvenil e Cadete do Paraguai de tênis de mesa, Guilherme Teodoro foi o destaque vencendo a chave juvenil masculina. Na decisão, ele venceu por 4-0 o tailandês Yanapong Panagitgun.

– Maria Ieda Guimarães foi a única brasileira no Mundial Sub19 de pentatlo moderno em Portugal. Com 890 pontos, ela ficou em 28º no Grupo B e ficou fora da final.

Mundial de Handebol Feminino – Dias 3 e 4

Favoritas Rússia e Noruega seguem invictas e o Brasil continua patinando bem abaixo do que estávamos acostumados.

Grupo A

0_a65i4158

Foto: IHF

A Romênia é a única invicta do forte grupo A, com 4 times europeus. Bronze no último Mundial, a equipe foi apenas 9ª nos Jogos do Rio. Depois de uma estreia tranquila sobre o Paraguai, venceu 31-28 a Eslovênia e fez um duríssimo jogo contra a Espanha, vencendo por 19-17, sendo 8 gols de Cristina Neagu, que joga na supercampeã equipe do CSM Bucareste. No jogo contra as eslovenas, Neagu fez 11 gols! Depois de perder na estreia pra Eslovênia, a França passou com 26-19 pela Angola de Morten Soubak e de fáceis 35-13 pelo Paraguai. A Espanha fez 32-15 no Paraguai e a Eslovênia venceu 32-25 Angola.

Classificação após 3 jogos: 1) ROU (6 Pts, 3V-OE-OD, Saldo +17); 2) FRA (4; 2-0-1; +28); 3) ESP (4; 2-0-1; +19); 4) SLO (4; 2-0-1; +5); 5) ANG (0; 0-0-3; -18); 6) PAR (0; 0-0-3; -51)

Grupo B

Já neste grupo quem passeia é a Noruega. A eterna favorita venceu mais duas com 36-21 na Argentina e 35-20 na Polônia. A República Checa segue como supresa do grupo (que tem 5 equipes europeias) e tem o 2º lugar no momento. Elas venceram 29-25 a forte Polônia, mas perderam 36-32 pra Suécia na terça-feira. No domingo, as suecas já haviam vencido 25-22 a Hungria, que nesta terça massacrou a Argentina por 33-15. O grupo deve ficar bem embolado até o final da fase.

Classificação após 3 jogos: 1) NOR (6; 3-0-0; +38); 2) CZE (4; 2-0-1; +6); 3) SWE (4; 2-0-1; +4); 4) HUN (2; 1-0-2; +7); 5) POL (2; 1-0-2; -16); 6) ARG (0; 0-0-3; -39)

Grupo C

0_rus-bra_079

Rússia atacando contra o Brasil. Foto: IHF

Tá difícil pro Brasil. Depois de sofrer pra empatar com o Japão na estreia, a seleção ficou atrás do placar contra a Tunísia por praticamente todo o jogo. Faltando menos de 10min pro fim do jogo que veio a virada. O Brasil perdia de 20-15 e virou pra 22-21, graças novamente às goleiras Babi e Mayssa e às finalizações de Duda (5 gols) e Ana Paula (7). Já nesta terça, o Brasil não conseguiu ameaçar a campeã olímpica Rússia. As russas fizeram abriram 8-2 rapidamente e o Brasil até que encostou com 9-6, mas o 1º tempo acabou 14-7. Na 2ª metade foi só manter o ritmo e vencer por 24-16. Agora o Brasil tem pela frente Dinamarca e Montenegro precisando vencer um jogo.

O que complicou para o Brasil foi a vitória surpreendente do Japão de 29-28 sobre Montenegro. A Rússia seguiu invicta pois tinha vencido na 2ª rodada 28-24 as montenegrinas. Ainda pelo grupo tivemos duas vitórias dinamarquesas por 32-18 no Japão e 37-19 na Tunísia.

Classificação após 3 jogos: 1) RUS (6; 3-0-0; +32); 2) DEN (4; 2-0-1; +25); 3) BRA (3; 1-1-1; -7); 4) JPN (3; 1-1-1; -13); 5) MNE (2; 1-0-2; +2); 6) TUN (0; 0-0-3; -39)

Grupo D

As donas da casa venceram a 2ª partida com 23-18 sobre a Coreia do Sul, mas na terça-feira sofreu o empate de 22-22 com a Sérvia, que empatou no último segundo com Dragana Cvijic. Na rodada anterior, a Sérvia havia vencido Camarões por 34-21. Quem começou a aparecer após perder na estreia foi a Holanda, com 2 vitórias: 40-15 na China e 29-22 em Camarões. No duelo asiático, as coreanas venceram as chinesas, o saco de pancadas deste Mundial, por enquanto, por 31-19.

Classificação após 3 jogos: 1) SRB (5; 2-1-0; +33); 2) GER (5; 2-1-0; +18); 3) KOR (4; 2-0-1; +9); 4) NED (4; 2-0-1; +30); 5) CMR (0; 0-0-3; -33); 6) CHN (0; 0-0-3; -57)