Boletim Rumo a Tóquio-2020 #1

Nesta série de posts vou repassar todas as vagas olímpicas definidas na semana anterior.

Até a semana passada, além do Japão, o único país que tinha garantido alguma classificação havia sido o Brasil, com a vaga no futebol feminino após a Copa América em abril. Agora já tivemos 101 vagas definidas na vela e 1 no softball.

Vela

180811_jr_aarhus_134852

Foto: World Sailing

Como já disse nos posts sobre o Mundial de Vela em Aarhus, Dinamarca, 33 países se juntam ao Japão na competição olímpica de vela. O grande destaque foi a Grã-Bretanha, que conseguiu garantir vaga nas 10 classes olímpicas! Apesar de ter obtido apenas 2 bronzes (49erFX e 470 feminina), sua excelente equipe já garantiu quota completa. O Brasil conseguiu apenas 3 vagas, na Laser masculina, na 49erFX feminina e na Nacra 17. Vagas definidas:

RSX masculina (10): China, Espanha, França, Grã-Bretanha, Grécia, Holanda, Israel, Itália, Noruega e Polônia
Laser masculina (14): Alemanha, Austrália, Brasil, Chipre, Coreia do Sul, Croácia, Estados Unidos, Estônia, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Noruega, Nova Zelândia e Peru
Finn masculina (8): Argentina, Canadá, Grã-Bretanha, Holanda, Hungria, Nova Zelândia, Suécia e Turquia
470 masculina (8): Austrália, Espanha, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Nova Zelândia e Suécia
49er masculina (8): Alemanha, Croácia, Dinamarca, França, Grã-Bretanha, Nova Zelândia, Portugal e Suíça
RSX feminina (11): China, Dinamarca, Espanha, Estônia, França, Grã-Bretanha, Holanda, Israel, Itália, Polônia e Rússia
Laser Radial feminina (18): Alemanha, Bélgica, Canadá, China, Dinamarca, Estados Unidos, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Noruega, Polônia, Suécia, Suíça e Turquia
470 feminino (8): China, Eslovênia, Espanha, França, Grã-Bretanha, Grécia, Israel e Itália
49erFX feminino (8): Austrália, Áustria, Brasil, Dinamarca, Grã-Bretanha, Holanda, Noruega e Nova Zelândia
Nacra 17 misto (8): Argentina, Austrália, Áustria, Brasil, Dinamarca, Grã-Bretanha, Itália e Nova Zelândia

Softball

20180812-women-softball-world-cup-usa-celebrate-the-win-cover-1280x640

Foto: WBSC

A equipe dos Estados Unidos conseguiu a primeira vaga em jogo no retorno do softball feminino aos Jogos. Por ser sede, o Japão já estava classificado. Na semifinal, as americanas venceram 4-3 o Japão e foram pra final. Quando o Japão venceu por 3-0 o Canadá na small final, as americanas automaticamente se classificaram pros Jogos. Na decisão apertadíssima, os Estados Unidos venceu no 10º inning (o normal são 7) por 7-6. Perdia por 6-5 quando conseguiu 2 corridas pra encerrar o jogo e vencer o 11º título em 16 edições. As últimas 7 finais foram entre os dois países. Restam apenas 4 vagas no softball, e todas sairão apenas no 2º semestre de 2019, sendo 2 pra América, 1 pra Ásia/Oceania e 1 pra África/Europa.

Quotas

34 países já se garantiram nos Jogos. Pelo meu controle, o Japão já tem 363 vagas. Apenas não computei o boxe, o rugby 7s e a canoagem velocidade, pois ainda não saíram os seus sistemas de qualificação.

Países com mais vagas:

Japão – 363
Brasil – 23
Estados Unidos – 19
Grã-Bretanha – 15
França – 10
Nova Zelândia  – 10
Itália – 9
Dinamarca – 8
Austrália – 7
Espanha – 6
Holanda – 6
China – 5
Noruega – 5

Em agosto, teremos vagas olímpicos nos Jogos Asiáticos (hóquei na grama, tênis, tiro com arco e vela) e no Mundial de Tiro.

Anúncios

Sistemas de Qualificação Tóquio-2020 – Parte 1

Nesta semana começa o Mundial de Vela, na Dinamarca, que classificará 101 barcos para os Jogos de Tóquio. Ainda este ano teremos Mundial de Softball, os Jogos Equestres, Mundial de Ginástica Artística, de Ginástica Rítmica, de Tiro, Jogos Asiáticos e ainda pré-olímpicos de futebol e handebol. Vou detalhar cada sistema de qualificação. Alguns são meio complicados…

Vela

gettyimages-591877608

Provas: 10 (5 masculinas, 4 femininas e 1 mista)
Quotas: 350 (175 homens e 175 mulheres)
Quota Máxima por País: 8 homens e 7 mulheres. No máximo 1 barco por prova.
Vagas por Prova: RSX masc – 25 barcos; Laser masc – 35 barcos; Finn masc – 19 barcos; 470 masc – 19 barcos (38 atletas); 49er masc – 19 barcos (38); RSX fem – 27 barcos; Laser Radial fem – 44 barcos; 470 fem – 21 barcos (42); 49erFX – 21 barcos (42) e Nacra 17 Misto – 20 barcos (40)

Sistema:
Será bem parecido com o do Rio-2016. As primeiras vagas saem no Mundial de Vela que começa esta semana: 10 na RSX masc, 14 na Laser, 8 na Finn, 470 masc e fem, 49er, 49erFX e Nacra 17, 11 na RSX fem e 19 na Laser Radial.

Ainda este ano, os Jogos Asiáticos darão 1 vaga na Laser e 1 na Laser Radial. Em 2019, os Jogos Pan-Americanos darão 2 na Laser e 2 na Laser Radial. Nos Mundial de cada uma das classes, mais vagas em 2019: 8 na RSX masc e 9 na fem, 5 na Laser, 10 na Laser Radial, 4 na Finn, 4 na 470 masc, 4 na 49er, 6 na 470 fem, 6 na 49erFX e 5 na Nacra 17.

Em 2019, também teremos pré-olímpicos continentais, dando pelo menos uma vaga em cada classe para cada continente: Europa, América do Sul, América do Norte/Central/Caribe, África, Ásia e Oceania. Será 1 vaga por classe por continente. Menos na Laser e Laser Radial, que dará 2 pra Europa, África, Ásia e Oceania.

Por ser sede, o Japão tem um barco garantido em cada classe. Pra fechar, teremos 2 convites na Laser e 2 na Laser Radial, totalizando 250 barcos e 350 atletas.

Baseball/Softball

Provas: 1 masculina e 1 feminina
Quotas: 234 (144 homens e 90 mulheres)
Quota Máxima por País: 1 equipe masculina e 1 feminina
Vagas por Prova: Baseball masculino – 6 equipes (144 atletas); Softball feminino – 6 equipes (90)

Sistema:
As duas primeiras vagas do baseball saem em 2019 no WBSC Premier 12, uma espécie de mundial que reunirá as 12 principais equipes do mundo dando vagas para a melhor equipe da Ásia/Oceania e a para a melhor das Américas. Brigam por vaga no torneio Taiwan e Coreia do Sul pela Ásia e EUA, Cuba, República Dominicana, Canadá, Porto Rico, Venezuela e México pela América. Em fevereiro de 2020, um pré-olímpico conjunto Europa e África dará 1 vaga e um pré-olímpico das Américas dará 1. Um pré-olímpico mundial dará 1 vaga, onde competirão o vice e o 3º colocado do pré-olímpico das Américas, o vice da Europa, 2 times da Ásia e 1 da Oceania. O Japão, por ser sede, tem a 6ª vaga garantida pros Jogos.

No softball, a 1ª vaga sai ainda esse ano no Mundial que também começa nesta semana. A equipe campeã mundial garante vaga pros Jogos. No 2º semestre de 2019, 3 pré-olímpicos continentais serão disputados: um conjunto Ásia e Oceania que dará 1 vaga, um conjunto Europa e África que dará 1 vaga e um das Américas, que dará 2 vagas. Como sede, Japão já está classificado.

Tiro

c__data_users_defapps_appdata_internetexplorer_temp_saved2bimages_shooting252bolympics252bday252b3252b-lyhi07yd_3l

Provas: 15 (6 masculinas, 6 femininas e 3 mistas)
Quotas: 360 (180 homens e 180 mulheres)
Quota Máxima por País: 15 homens e 15 mulheres. No máximo 2 atletas ou equipes por prova.
Vagas por Prova: 29 vagas para cada prova individual. São ainda mais 2 vagas por equipe para cada uma das 3 provas mistas, totalizando 12 atletas.

Sistema:
O sistema é parecido com o das últimas edições dos Jogos. Um atirador dá a vaga pro seu país (não para ele) e ele só garante uma única vaga, mesmo que obtenha colocação para isso em mais de uma prova. Antes disso, ele precisa confirmar o índice mínimo para cada prova. O primeiro evento classificatório é o Mundial de Tiro em setembro em Changwon, Coreia do Sul, que dará 4 vagas por prova, totalizando 48 vagas. Serão ainda 2 vagas para as equipes mistas no Mundial, totalizando 60 no Mundial.

Cada etapa da Copa do Mundo de 2019 dará 2 vagas por prova. Serão 4 etapas de rifle e pistola (Nova Delhi, Pequim, Munique e Rio de Janeiro) e 4 de tiro ao prato (Acapulco, Al Ain, Changwon e Lahti). Ainda em 2018, teremos o Campeonato das Américas, em Guadalajara, México, que dará 1 vaga por prova, menos da fossa masc e fem, onde serão 2. Os Jogos Pan-Americanos darão mais 2 vagas por prova em 2019.

Temos ainda as seguintes vagas continentais: 14 pra África (2 nas pistola de ar e 1 para as outras), 38 pra Ásia (4 na pistola de fogo rápido masc, 4 na pistola 25m feminina e 3 nas restantes), 14 pra Oceania (2 no rifle de 3 posições 50m masc e fem e 1 nas outras) e 52 pra Europa, sendo 1 por prova nos Jogos Europeus e mais 4 vagas nos rifles de ar e skeet e 3 nas restantes, divididas em 4 torneios continentais. O Japão tem uma vaga garantida por prova. Serão mais 2 vagas por prova para convites e 1 pro melhor do ranking opr prova ainda não classificado.

Futebol

scmp_oly_bra_marta_sweden_080816

Provas: 1 masculina e 1 feminina
Quotas: 504 (288 homens e 216 mulheres)
Quota Máxima por País: 1 equipe masculina e 1 feminina
Vagas por Prova: Futebol masculino – 16 equipes (288 atletas); Futebol feminino – 12 equipes (216)

Sistema:
No masculino, o 1º evento classificatório será o Sul-Americano Sub-20, em janeiro/2019, no Chile, que dará 2 vagas. Em junho/2019 tem o Europeu Sub-21 que dará 4 vagas. Em julho/2019, nos Jogos do Pacífico, 1 vaga para a Oceania. Em outubro/2019, 2 vagas para a América do Norte/Central/Caribe no pré-olímpico da CONCACAF. No fim de 2019, 3 vagas na Copa das Nações Africanas Sub-23 e, em janeiro/2020, 3 vagas no Campeonato Asiático Sub-23. O Japão já está classificado.

No feminino, o Brasil foi o 1º a se classificar com o título da Copa América em abril e se junta ao Japão, classificado como sede. Em novembro/2018, a Copa das Nações da Oceania dará 1 vaga pra equipe campeã. Na Copa do Mundo 2019, na França, as 3 melhores equipes da Europa se classificam para os Jogos. Em outubro/2019, 1 vaga no pré-olímpico da África. Em fevereiro/2020, são 2 vagas no pré-olímpico da CONCACAF e 2 no pré-olímpico da Ásia. A última vaga sai de um play-off entre o vice africano e o Chile, que foi 2º colocado na Copa América.

Resumo do fim de semana

Karatê

14441078_1783815278528380_271895983850828646_n-960x576

Pódio dos 60kg, com ouro para Douglas Brose

Duas medalhas na etapa de Hamburgo da Liga Premier de karatê. Campeão mundial e pan-americano e número 1 do mundo na categoria até 60kg, Douglas Brose venceu 6 lutas para levar  ouro na sua categoria, seu 3º ouro seguido no circuito. Na final, fez 3-0 no azeri Firdovsi Farzaliyev.

Também número 1 do mundo, mas nos 67kg, Vinícius Figueira ficou com a prata, perdendo na final por 4-0 para o egípcio Magdy Hanafy. 2º ouro no circuito do Vinícius esse ano.

Baseball

2013 World Baseball Classic Pool A - Team Brazil v. SoftBank Hawks

Tentando repetir 2013, a equipe brasileira foi a Nova York disputar o último qualificatório pra principal competição do esporte, o World Baseball Classic. Na competição anterior, o Brasil se classificou e fez jogos duríssimo contra o Japão, China e Cuba.

Na estreia, o Brasil arrasou o Paquistão por 10-0, mas na semifinal perdeu por 1-0 para Israel. A equipe brasileira conseguiu 3 rebatidas, mas não pontuou. Foi para a repescagem, mas perdeu para a Grã-Bretanha por 4-3. Vale ressaltar que o Brasil teve 12 rebatidas contra apenas 6 dos britânicos e mesmo assim foi derrotado.

Hipismo

A equipe brasileira ficou na 9ª posição da Copa das Nações de saltos em prova em Barcelona. Na 1ª rodada, mesmo com Rodrigo Pessoa e Pedro Veniss zerando, o Brasil ficou em 9º, graças a 2 faltas de Stephan Barcha e 3 de Felipe Amaral, ficando de fora da final.

Ainda assim, a equipe voltou o domingo pra Challenge Cup e ficou com o título. Pedro zerou, Rodrigo fez uma falta, Yuri Mansur fez 2 e Stephan foi eliminado. Mesmo com 12 pontos, venceram esta prova que contou apenas com os não classificados pra final. A vitória da prova principal ficou com a Alemanha, que venceu o desempate sobre a Grã-Bretanha.

 

Golfe

O campo olímpico de golfe recebeu sua 1ª competição importante após os Jogos, com o 63º Aberto do Brasil, que faz parte do Tour Latino-Americano da PGA. O argentino Jorge Fernandez-Valdes venceu o torneio com 280 tacadas, 4 abaixo do par do campo. O canadense Corey Conners, o americano Brad Hopfinger e o chileno Guillermo Pereira empataram em 2º.

Apenas dois brasileiros passaram pelo corte. Rodrigo Lee fez uma péssima primeira rodada, com 7 acima do par, mas uma ótima 3ª, com 4 abaixo. No total, terminou em 17º com 4 acima. Rafael Becker foi o outro a passar, terminando em 32º com 9 acima.

Alexandre Rocha disputou a penúltima etapa do Web.com Tour, a 2ª divisão do PGA, mas não passou no corte, ficando a 5 tacadas de avançar.

Outros Esportes:

Thiago Monteiro, do tênis, foi vice no challenger de Santos de tênis, perdendo de 64 76(5) para o argentino Renzo Olivo. Com o resultado, Thiago subiu para 87º no ranking mundial com 649 pontos, se aproximando de Thomaz Bellucci, atual 81º com 675.

Thiago Monteiro, do tênis de mesa, disputou o Aberto da Bélgica. Ele venceu duas partidas da chave principal, caindo nas 8as para alemão por 4-0. O indiano Sathiyan Gnanasekaran levou o título masculino. No feminino, vitória da japonesa Yui Hamamoto

8889

Equipe de atletismo Sub-23

– O Brasil conquistou o título no masculino, no feminino e no geral no Sul-Americano de Atletismo Sub-23. Entre os destaques, a vitória de Rodrigo do Nascimento nos 100m com a excelente marca de 10.21, com vento contra de 1,4m/s. Foram 19 ouros, 7 pratas e 9 bronzes no total.

Talita e Larissa vencem a 1ª etapa do circuito brasileiro de vôlei de praia em Campo Grande (MS) com 21-9 21-15 sobre Val e Renata. No masculino, o veterano Ricardo e André Stein venceram com 21-17 21-17 sobre sobre Saymon e Álvaro Filho.