Mundial de Natação em Piscina Curta – Dia 4

Que prova! Que dia! O 1º ouro brasileiro em Hangzhou veio de uma maneira espetacular numa prova que o Brasil era cotado como zebra pro pódio. E veio um ouro na última prova do dia.

 

1-37_0

Luiz Altamir, Fernando Scheffer, Breno Correia e Leonardo Santos. Foto: Istvan Derencsenyi/FINA

Foi a final mais emocionante até aqui. O Brasil vinha com o 6º tempo das eliminatórias de 6:58.26, onde ninguém nadou de maneira brilhante e a melhor parcial havia sido na abertura com Fernando Scheffer 1:43.40. Na final a história foi bem diferente com a ordem mudando e a saída de Leonardo de Deus da equipe pra entrada de Leonardo Coelho Santos.

Embed from Getty Images

Luiz Altamir Melo abriu com 1:42.03, tempo que o colocaria no pódio da final da prova de 200m e ele estava atrás apenas do campeão dos 200m livre, o americano Blake Pieroni com 1:41.85. Aí veio Scheffer que voou para 1:40.99 e o Brasil era líder com 0.89 de vantagem na 2º troca. Leonardo, longe da sua especialidade, fez uma parcial ok com 1:42.81 e entregou em 3º, 0.23 atrás da China, que teve Sun Yang nessa perna, e 0.07 atrás da Rússia. Para fechar, o nome da prova, Breno Correia. Com 50m da sua perna o Brasil já era líder novamente, marcou ótimos 48.21 nos 100m iniciais e fechou para a melhor parcial da prova, 1:40.98 e 6:46.81, novo recorde mundial! A Rússia quase pegou o Brasil. Aleksandr Kranykh fechou para 1:41.08 e bateu a apenas 0.03 da equipe brasileira! Ouro inédito para o Brasil com uma equipe extremamente jovem, média de 21 anos! A China fechou o pódio e, pela 1ª vez nesse Mundial, os EUA sequer subiram ao pódio.

César Cielo disputou ainda sua última final dos 50m livre da carreira, mas não fez uma boa prova e terminou em 7º e último com 21.20 (o britânico Benjamin Proud foi desclassificado). Vitória do russo Vladimir Morozov com 20.33, desbancando o americano favorito Caeleb Dressel, prata com 20.54. Nos 50m costas, Guilherme Guido também ficou fora do pódio, terminando em 5º com 22.79. A vitória foi do russo Evgeny Rylov com 22.58. E fechando a participação brasileira em finais, Caio Pumputis acabou em 8º nos 100m medley com 52.28 e o ouro foi para mais um russo, Kliment Kolesnikov com 50.63, recorde mundial júnior.

Embed from Getty Images

A australiana Ariarne Titmus venceu seu 2º ouro com 3:53.92 nos 400m livre, novo recorde mundial. Mais um WR veio na abertura, o 4x50m livre masculino, com 1:21.80 da equipe americana. O Brasil, que seria um dos favoritos, não disputou as eliminatórias. Tivemos ainda mais um ouro de Katinka Hosszu, agora nos 100m medley com 57.26, e da holandesa Ranomi Kromowidjojo, com 24.47 nos 50m borboleta.

Anúncios

Mundial de Natação em Piscina Curta – Dia 1

No 1º dia, o Brasil fez 5 finais e levou sua 1ª medalha, isolando César Cielo na história do esporte brasileiro.

O CREDITO DA FOTO É OBRIGATORIO: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Foto: Satiro Sodre/SSPress/CBDA

Depois de passar com o 2º tempo pra final no 4x100m livre masculino, o Brasil entrou com a mesma equipe das eliminatórias: Matheus Santana, Marcelo Chierighini, César Cielo e Breno Correia. A única alteração foi a ordem. Nas eliminatórias, Breno foi o 3º e Cielo fechou e na decisão eles inverteram. Matheus Santana abriu mal com 46.83, entregando pro Chierighini em 6º. Com 46.37, Cielo pegou também em 6º e conseguiu melhorar para 4º após uma parcial de 46.34. Breno voou pra fechar com 45.61, a 3ª melhor parcial lançada da final. Ele passou o italiano Lorenzo Zazzeri no final e o Brasil levou o bronze com 3:05.15 contra 3:05.20 da Itália. Na frente, os americanos lideraram do início ao fim e venceram com o novo recorde mundial 3:03.03 contra 3:03.11 da equipe da Rússia, que teve como destaque a parcial do Vladimir Morozov 45.06. Tanto na eliminatória como na final a equipe brasileira bateu o recorde sul-americano.

seto_daiya-5

Daiya Seto (JPN). Foto: Istavn Derencsenyi/FINA

Outros quatro brasileiros disputaram finais. Eles fizeram ótimas eliminatórias, mas não evoluíram nas finais. Fernando Scheffer fez o 3º tempo nos 400m livre 3:39.10, recorde sul-americano, mas na final piorou 3:39.40 e terminou em 8º. Vitória foi do lituano Danas Rapsys com 3:34.01. Nos 200m borboleta, Luiz Altamir Melo foi o 3º nas classificatórias 1:51.31, mas piorou 1:51.99 e foi 6º na final. Ouro pro japonês Daiya Seto 1:48.24, novo recorde mundial, impedindo o tetracampeonato do Chad le Clos, prata com 1:48.32.

Caio Pumputis foi o 2º melhor nas eliminatórias dos 200m medley com 1:53.33 e Leonardo Santos 5º com 1:53.53. Os dois melhoraram na final, mas Pumputis foi 5º com 1:53.05 e Leonardo 6º 1:53.38. Vitória do chinês Wang Shun 1:51.01.

Foram 3 finais no feminino. A australiana Ariarne Titmus levou o 200m livre com 1:51.38, passando a americana Mallory Comerford no finalzinho. Katinka Hosszu faturou seu 14º ouro em Mundiais de curta ao sobrar nos 400m medley com 4:21.40, contra 4:25.84 da americana Melanie Margalis. No 4x100m livre, as americanas venceram com 3:27.78 contra 3:28.02 da equipe holandesa.

Cielo no topo

Com o bronze no revezamento, César Cielo chega a 18 medalhas em Mundiais, se tornando o maior medalhista brasileiro da história no esporte. Ele tem agora 11 ouros, 2 pratas e 4 bronzes, sendo 6-1-0 em piscina longa e 5-1-4 em curta.

Maiores medalhistas brasileiros em Mundiais adultos:

César Cielo – 18 medalhas – 11-2-5
Robert Scheidt – 17 medalhas – 12-3-2
Torben Grael – 15 medalhas – 3-8-4
Gustavo Borges – 12 medalhas – 4-4-4
Isaquias Queiroz – 10 medalhas – 5-0-5
Ana Marcela Cunha – 10 medalhas – 3-2-5
Marcelo Ferreira – 10 medalhas – 2-5-3

Vinícius Figueira é prata no Mundial de Karatê

O karatê fará sua estreia olímpica em Tóquio e os japoneses mostraram em Madri que devem fazer bonito em casa daqui a 2 anos.

Captura de Tela 2018-11-13 às 00.13.31

Vinicius Figueira (de vermelho) na final contra o francês Steven Dacosta. Foto: Abelardo Mendes Jr/rededoesporte.gov.br

Eles saíram com 4 ouros e 10 medalhas no total, mas apenas 1 dos ouros foi em categoria olímpica. Ryo Kiyuna venceu a final do kata masculino contra o espanhol Damian Quintero na final que deve ser repetida em Tóquio, levando seu 3º ouro seguido na prova. Já no Kata feminina, o ouro foi pra espanhola Sandra Sanchez sobre a japonesa Kiyou Shimizu. No Kata por equipes, o Japão levou os dois ouros, derrotando nas duas finais os donos da casa espanhóis.

No kumite, as coisas foram mais espalhadas. Vinícius Figueira foi o representante do Brasil no pódio dos 67kg masculino e está muito perto da vaga olímpica. Atual 2 do mundo, venceu sua 2ª medalha em Mundiais (foi bronze em 2014) ao perder a final pro francês Steven Dacosta por 6-5 numa luta muito disputada. O brasileiro abriu 3-0 com um ippon, mas levou o empate. Abriu para 5-3, mas levou a virada no final.

Captura de Tela 2018-11-13 às 00.14.40

Vinicius Figueira. Foto: Abelardo Mendes Jr/rededoesporte.gov.br

Voltando de uma lesão séria e cirurgia, o bicampeão mundial Douglas Brose, nos 60kg, perdeu na 2ª luta, sentindo sua lesão. Prata no Mundial há 2 anos, Valéria Kumizaki caiu logo na estreia dos 55kg. Ninguém repetiu o ouro do último Mundial no kumite individual. Um dos maiores nomes do karatê, o azeri Rafael Aghayev, pentacampeão mundial, foi bronze nos 75kg. Já no kumite por equipes, o Irã no masculino e a França no feminino repetiram o ouro do Mundial de 2016.

27 países ganharam pelo menos uma medalha dos 140 que participaram.

Mundial de Ginástica Artística – Dias 9 e 10

Simone Biles, Artur Dalaloyan, Zou Jingyuan Nina Derwael e Epke Zonderland deram show nas finais por aparelho. Pelo Brasil, medalha com Arthur Zanetti e um quase de Flávia Saraiva.

ori_1206_3001f25b14cf1692b4b0f4697a2853e3_5bdc8df6df5b5

Pódio das Argolas. Foto: CBG

Arthur Zanetti faturou sua 4ª medalha em Mundiais ao ficar com a prata nas argolas. Ele chega a 1 ouro e 3 pratas na carreira, além de 1 ouro e 1 prata olímpicas. Novamente ele ficou atrás do atual campeão olímpico, o grego Eleftherios Petrounias, que venceu com 15,366 contra 15,100 do brasileiro. O bronze foi pro italiano Marco Lodadio com 14,900.

No solo feminino, a última final feminina, vitória tranquilíssima de Simone Biles, que mesmo pousando fora (penalidade de 0,300) venceu com 1 ponto de vantagem. A incrível americana fechou com chave de ouro o Mundial com 14,933 contra 13,933 de sua compatriota Morgan Hurd e 13,866 da japonesa Mai Murakami. Flávia Saraiva fez uma bela apresentação, as acabou pisando fora na 1ª passagem, o que lhe custou 0,100 e a nota de 13,766. Se não pisasse fora, tiraria o mesmo que Murakami, mas a brasileira ficaria com o bronze por ter melhor nota de execução. Uma pena.

Embed from Getty Images

Biles medalhou nos 4 aparelhos, mas não fez um Mundial brilhante. No salto, diminuiu a dificuldade dos seus saltos, mas venceu com sobra com 15,366 contra 14,516 da canadense Shalon Olsen e 14,508 da mexicana Alexa Moreno no pódio norte-americano. Nas barras assimétricas, ficou com a prata com 14,700, atrás da belga Nina Derwael, que foi espetacular com 15,200 nua performance brilhante. Já na trave, Biles se desequilibrou e botou a mão no aparelho, o que equivale a uma queda. Ainda assim, foi bronze com 13,600, atrás da chinesa Liu Tingting com 14,533 e da canadense Ana Padurariu com 14,100. A americana chegou a 20 medalhas em Mundiais, sendo 14 ouros, 3 pratas e 3 bronzes.

No masculino, o russo Artur Dalaloyan desbancou o japonês Kenzo Shirai no solo, vencendo com 14,900 contra 14,866 de Shirai. O filipino Carlos Yulo foi bronze com 14,600 conquistando a 1ª medalha da história de seu país na ginástica. No cavalo com alças, ouro do chinês Xiao Ruoteng com 15,166, mesma nota do britânico campeão olímpico Max Whitlock,mas o chinês foi melhor na execução com 8,566 contra 8,366 do britânico.

Embed from Getty Images

O norte-coreano Ri Se-gwang, campeão olímpico no Rio, venceu o salto com 14,933, seguido de Dalaloyan com  14,883 e Shirai com 14,675. Mas o grande show do Mundial foi nas paralelas. O chinês Zou Jingyuan fez uma apresentação espetacular e coloca o aparelho num outro nível. Venceu com 16,433 com inacreditáveis 9,433 de execução. Prata pro campeão olímpico do Rio, o ucraniano Oleg Verniaiev com 15,591. Fechando o Mundial, Epke Zonderland foi brilhante na barra fixa com 15,100 (6,800 de dificuldade) para faturar seu 3º título mundial no aparelho, deixando o mito Kohei Uchimura em 2º com 14,800 e o americano Sam Mikulak com o bronze com 14,533.

O próximo Mundial será em 2019 Stuttgart, valendo até 144 vagas olímpicas! Será a última chance das equipes se classificarem para Tóquio.

5 medalhas no Mundial Jr de Judô

O Brasil conquistou 5 medalhas no Mundial Jr de Judô, disputado desde quarta-feira, em Nassau, nas Bahamas.

Apesar de não ter conquistado nenhum ouro, a equipe brasileira fez uma boa campanha na capital das Bahamas com 5 medalhas.

66pod-1539901933-1539901933

Michael Marcelino no pódio dos 66kg. Foto: IJF

Nas chaves individuais, foram 2 pratas e 2 bronzes. Michael Marcelino, nos 66kg chegou até a final e perdeu pro italiano Manuel Lombardo por ippon. No acima de 78kg feminino, Beatriz Souza, que disputou o Mundial adulto, perdeu a final pra japonesa Hikaru Kodama também por ippon, só que por imobilização faltando 35s pro fim da luta, e ficou com a prata.

Os bronzes vieram com Renan Torres nos 60kg masculino e com Amanda Arraes nos 44kg feminino. Ellen Santana (70kg) e Camila Ponce (78kg) perderam a disputa do bronze e terminaram em 5º. Além deles, Guilherme Schmidt (81kg), Lucas Lima (100kg), Laura Ferreira (48kg) e Luiza Cruz (+78kg) perderam na 4as e na repescagem e terminaram em 7º. Com isso, o Brasil colocou 10 dos seus 20 judocas entre os 8 melhores do mundo em suas categorias no Sub21.

No domingo, na disputa por equipes, o Brasil fez uma disputa espetacular e muito tensa contra a Rússia pelas 4as. Perdeu os 4 combates no masculino e venceu os 4 no feminino. No desempate, a  categoria escolhida foi os 48kg feminino e Laura Ferreira venceu novamente Diana Tunian numa luta muito travada. Na semifinal, o Brasil fez 5-1 no Cazaquistão, garantindo a vaga na final contra o imbatível Japão. Na decisão, Lucas Lima venceu na abertura, mas o Brasil levou a virada e perdeu de 5-1, ficando com mais uma prata.

Neste ciclo olímpico já são 38 medalhas em Mundiais de base (10O-12P-16B):

Ouro – Wesley Dantas – Surfe Júnior (set/16)
Ouro – Duda / Ana Patrícia – Vôlei de Praia Sub21 (jul/17)
Ouro – Adrielson / Renato  – Vôlei de Praia Sub21 (jul/17)
Ouro – Revezamento 4x400m misto – Atletismo Sub18 (jul/17)
Ouro – Uncas Batista – Remo single skiff peso leve Sub23 (jul/17)
Ouro – Isaquias Queiroz – C1 1.000m Sub23 (jul/17)
Ouro – Aldi de Oliveira – Judô 50kg Sub18 (ago/17)
Ouro – Daniel Cargnin – Judô 66kg Sub21 (out/17)
Ouro – Ana Sátila – Extreme K1 Sub23 (jul/18)
Ouro – Uncas Batista – Remo single skiff peso leve Sub23 (jul/18)
Prata – Manoel Messias – Triatlo Sub23 (set/16)
Prata – Ana Sátila Vargas – Canoagem slalom K1 Sub23 (jul/17)
Prata – Isaquias Queiroz – C1 200m Sub23 (jul/17)
Prata – Gabriella Moraes – Judô 63kg Sub18 (ago/17)
Prata – Milena Silva – Judô 70kg Sub18 (ago/17)
Prata – Judô por Equipe Mista Sub18 (ago/17)
Prata – André dos Santos – Karatê 70kg Cadete (out/17)
Prata – Luana Madeira – Levantamento de Peso 48kg Júnior (jul/18)
Prata – Mirieli Estaili Santos – Salto Triplo Sub20 (jul/18)
Prata – Michael Marcelino – Judô 66kg Sub21 (out/18)
Prata – Beatriz Souza – Judô +78kg Sub21 (out/18)
Prata – Judô por Equipe Mista Sub21 (out/18)
Bronze – Lucas Ferreira – Remo single skiff Júnior (ago/16)
Bronze – Leandro Souza – Taekwondo +78kg Juvneil (nov/16)
Bronze – Luana Madeira – Levantamento de Peso 48kg Júnior (jun/17)
Bronze – Giovana Rosa – Atletismo 400m Sub18 (jul/17)
Bronze – Amanda Arraes – Judô 44kg Sub18 (ago/17)
Bronze – Luiza Cruz – Judô +70kg Sub18 (ago/17)
Bronze – Maria Clara Pacheco – Taekwondo 47kg Cadete (ago/17)
Bronze – Beatriz Souza – Judô +78kg Sub21 (out/17)
Bronze – Futebol Masculino Sub17 (out/17)
Bronze – Gabriel Ramos – Taekwondo 59kg Juvenil (abr/18)
Bronze – Patrik Cardoso – Taekwondo +78kg Juvenil (abr/18)
Bronze – Alison dos Santos – 400m com barreiras Sub20 (jul/18)
Bronze – Luiz Oliveria – Boxe 52kg Juvenil (ago/18)
Bronze – Rebeca Santos – Boxe 60kg Juvenil (ago/18)
Bronze – Amanda Arraes – Judô 44kg Sub21 (out/18)
Bronze – Renan Torres – Judô 60kg Sub21 (out/18)

Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires-2018 – Dia 3

Natação

p1cpf3v4oa1p75g4la7f1dhsti07_crop

Foto: CBDA

O Brasil levou sua 2ª medalha na natação no revezamento 4x100m livre masculino. Na final fez 3:20.99 ficando atrás da Rússia com 3:18.11, que venceu graças a uma parcial espetacular de abertura de Kliment Kolesnikov de 48.04. As parciais dos brasileiros foram Murilo Sartori 50.55, Lucas Peixoto 49.70, André Calvelo 48.87 e Vitor de Souza 51.87. A Itália completou o pódio com 3:22.01. Na abertura da sessão, a húngara Ajna Kesely venceu os 800m livre com 8:27.60, deixando a queridinha da casa Delfina Pignatilello com a prata com 8:32.42. A austríaca Marlene Kahler foi bronze com 8:36.57.

Nos 200m costas, uma zebraça com o ouro de Tatiana Salcutan, da Moldávia, com 2:10.13, deixando a canadense Madison Broad com a prata 2:10.32 e a australiana Kaylee McKeown com o bronze 2:10.67. A favorita, a americana Rhyan White foi 4ª com 2:10.95. O russo Andrei Minakov foi ouro nos 100m borboleta com 51.12, deixando o húngaro Kristof Milak em 2º com 51.50 e o italiano Federico Burdisso em 3º com 52.42. Nos 100m livre feminino, vitória da checa Barbora Seemanova com 54.19, com a chinesa Yang Junxuan na prata 54.43 e a eslovena Neza Klanar no bronze 54.55. André Calvelo foi 5º na semifinal dos 50m livre com 22.71 e Lucas Peixoto 11º com 23.02, fora da final.

Judô

Captura de Tela 2018-10-13 às 01.34.59

Pódio dos 78kg feminino no judô

Eduarda Rosa venceu nas 4as dominicana por wazaari, mas perdeu na semifinal para a alemã Raffaela Igl por hansokumake. Ela voltou na repescagem para disputar o bronze contra a equatoriana Edith Ortiz e venceu por ippon vencendo a medalha nos 78kg. Lembrando que Eduarda é dos 70kg e teve que disputar uma categoria acima. O ouro ficou com a alemã Igl, que dominou a luta contra a cazaque Margarita Gritsenko. Nos 100kg masculino, o ouro ficou com o cazaque Bekarys Saduakas, que derrotou por wazaari o georgiano Ilia Sulamanidze.

Taekwondo

Captura de Tela 2018-10-13 às 01.38.19

Pódio dos 5kg feminino no taekwondo

Sandy Macedo conquistou mais um bronze pro Brasil nos 55kg. Ela venceu nas 4as a egípcia Maya Badawy por 23-3, mas perdeu na semifinal pra marroquina Safia Salih. A luta foi muito truncada e chegiu 1-1 no golden score, onde Salih consegui um chute no rosto em uma boboeada da brasileira e venceu por 4-1. Com a derrota na semi, Sandy foi bronze. Na final, Salih perdeu pra tailandesa Kanthida Saengsin por 10-6. Nos 63kg masculino, o ouro ficou com o sul-coreano Cho Wonhee, que fez 21-16 no tailandês Nareupong Thepsen.

Hipismo

Philip Greenlees e Denise Z zeraram a 2ª passagem na prova por equipes e ajudou a América do Sul a zerar a rodada. Mas na somatória, terminou em 4º. Europa e América do Norte empataram com zero e foram pro desempate. Novamente, as equipes zeraram (tirando os descartes), mas na somatória dos tempos, deu América do Norte com 97.89 contra 101.58 da Europa. Bronze ficou com a surpreendente equipe da África.

Remo

Os italianos Alberto Zamariola e Nicolas Castelnovo venceram o Dois Sem masculino. Eles foram bronze este ano no Quatro Sem no Mundial Jr. No Dois Sem feminino, as gregas Maria Kyridou e Christina Bourbou ficaram com o ouro. Elas foram campeãs mundiais Jr no Dois Sem este ano. Marco de Graaff ficou em 4º na sua bateria de quartas de final e vai disputar semifinais C/D.

Escalada

A austríaca Sandra Lettner venceu a prova feminina sem vencer nenhuma das 3 provas. Ela foi 3ª na velocidade e no boulder e 2ª no lead, onde 4 das 6 chegaram ao topo. Lettner ficou com 18 pontos, o mesmo da eslovena Vita Lukan, que venceu o boulder, foi 3ª no lead e 6ª na velocidade. Nos critérios de desempate, Lettner levou o ouro, por ter sido melhor que Lukan em 2 provas. O bronze foi pra austríaca Laura Lammer.

Esgrima

O francês Armand Spichiger venceu 15-7 o americano Kenji Bravo e foi ouro no florete masculino. Na final do sabre feminino, ouro pra húngara Liza Pusztai, que fez 15-9 na mexicana Natalia Cervantes.

Levantamento de Peso

w53-1024x683

Pódio dos 53kg feminino no levantamento de peso. Foto: IWF

O turco Muhammed Ozbek sobrou nos 69kg para vencer com 305kg no total, 17kg a mais que o georgiano Archil Malakmadze. Nos 53kg feminino, a romena Sabina Baltag levou cvom 177kg, apenas 1 a mais que a colombiana Kely Junkar. No arranco, Junkar fez 78kg contra 77kg de Baltag, que recuperou no arremesso com 100kg contra 98kg da colombiana.

Tiro

A indiana Manu Bhaker venceu a pistola de ar 10m feminina com 236,5 pontos contra 235,9 da russa Iana Enina. A Índia segue mostrando sua enorme evolução no tiro. O bronze ficou com a georgiana Nino Khutsiberidze.

Badminton – Jaqueline Lima perdeu 21-9 21-15 para a taiwanesa Huang Yinhsuan e terminou em 2º no Grupo G, avançando de fase. Fabrício Farias perdeu 21-6 21-16 pro indiano Lakshya Sen, terminando em 3º no Grupo F fora das 8as. Por equipe, a equipe Epsilon, de Fabrício, venceu 110-108 a equipe Delta e a Theta, de Jaqueline, perdeu a 3ª 110-107 para a Gamma.

Basquete 3×3 – Brasil folgou na terça-feira, mas a Argentina venceu novamente no masculino 18-13 a França e no feminino 21-11 a Indonésia.

Futsal – Costa Rica venceu as Ilhas Salomão 11-6 pelo grupo do Brasil. No outro, Egito 8-3 Panamá.

Ginástica Artística – Diogo Soares bateu na trave e terminou em 9º na quali das barras paralelas com 13,300, ficando fora da final por 0,033. Melhor nota do japonês Takeru Kitazono com 14,266. Nas barras assimétricas, Laura Rocha foi 15ª com 11,633. Melhor foi a italiana Giorgia Villa com 14,100.

Golfe – A italiana Alessia Nobilio liderou após o 1º dia com 68 tacadas, 2 abaixo do par, e 3 a frente da 2ª colocada. No masculino, 4 golfistas empatados com 1 abaixo.

Handebol de Areia – Argentina também segue invicta nos torneios. No masculino, 2-1 nas Ilhas Maurício e 2-1 em Portugal. No feminino, 2-0 na Venezuela e 2-0 em Hong Kong.

Hóquei 5s – Argentina também segue invicta aqui. O masculino venceu 5-2 a Polônia e o feminino fez 5-0 na África do Sul.

Tênis – Gilbert Klier venceu na 2ª rodada o americano Drew Baird por 76(7) 64 e se classificou para as 4as. Nas duplas mistas, Klier e a japonesa Naho Sato venceram na 1ª rodada 61 61 a irlandesa Georgia Drummy e Delmas Ntcha, do Benin.

Tênis de Mesa – Bruna Takahashi venceu a sérvia Sabina Surjan nas 8as por 4-0 (12-10, 12-10, 11-6, 14-12), mas caiu nas 4as para a chinesa Sun Yingsha por 4-0 (11-8, 11-5, 12-10, 11-5). Guilherme Teodoro perdeu nas 8as pro americano Kanak Jha por 4-1 (12-10, 11-5, 7-11, 11-3, 11-9)

Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires-2018 – Dia 1

Brasil já leva sua 1ª medalha no 1º dia de competições em solo argentino com 15 finais.

Natação

44445133224_af5cedf599_z

Lucas Peixoto, Ana Vieira, André de Souza e Rafaela Raurich com a prata. Foto: COB

Depois de brilhar nas eliminatórias com o melhor tempo de 3:30.92, o Brasil repetiu a formação na final e ficou com a medalha de prata no revezamento 4x100m livre misto. Com Lucas Peixoto, Ana Carolina Vieira, André Luiz de Souza e Rafaela Raurich, o Brasil marcou 3:30.13 e ficou atrás da Rússia com 3:28.50, que contou com a espetacular parcial de Kliment Kolesnikov abrindo com 48.17. Lembrando que aos 18 anos ele já é o recordista mundial adulto dos 50m costas. A China com 3:30.45 foi bronze.

Nos 400m livre masculino, ouro pro húngaro Kristof Milak com 3:48.08, prata pro italiano Marco de Tullio 3:48.55 e bronze pro japonês Keisuke Yoshida 3:48.68. Nos 200m medley feminino, vitória da israelense Anastasia Gorbenko 2:12.88, seguida da sérvia Anja Crevar 2:13.98 e da francesa Cyrielle Duhamel 2:14.15. Na eliminatórias, Maria Luiza Pessanha foi 12ª nos 200m medley com 2:17.94 e Murilo Sartori 14º nos 400m livre 3:55.76.

Fernanda Goeij terminou com o 9º tempo na semifinal dos 100m costas com 1:02.48 e ficou de fora da final por 0.31. Maria Luiza Pessanha fez 1:03.00 na semi e terminou em 11º. Melhor tempo da russa Polina Egorova 1:00.92. Nos 100m peito masculino, Vitor Pinheiro de Souza fez o 10º tempo na semi 1:02.69 e ficou fora da final. Melhor marca do sul-africano Michael James Houlie 1:00.23. Interessante ver um atleta do Quirguistão, Denis Petrashov, com o 3ª tempo 1:01.95!

Judô

João Santos disputou os 66kg masculino. Ele perdeu na estreia para o cubano Kimy Bravo Blanco. Na repescagem, venceu 3 lutas de judocas de países com zero tradição e na final da repescagem pegou novamente o cubano, perdendo mais uma vez e terminando em 7º. Na categoria, o ouro ficou com o azeri Vugar Talibov, que venceu na decisão o russo Abrek Naguchev. Nos 55kg masculino ouro para o bielorrusso Artsiom Kolasau e nos 44kg feminino vitória da venezuelana María Giménez, único país sul-americano com ouro no 1º dia.

Esgrima

A japonesa Yuka Ueno foi ouro no florete feminino com 15-12 na final sobre a italiana Martina Favaretto. O bronze ficou com a americana May Tieu, que venceu 8-7 venezuelana. No sabre masculino, o húngaro Krisztian Rabb foi ouro com 15-13 na final sobre o sul-coreano Hyun Jun. Bronze do egípcio Mazen Elaraby, com 15-10 sobre americano.

Triatlo

wag0702-21

Amber Schlebuch (RSA). Foto: ITU

A sul-africana Amber Schlebusch venceu a prova feminina com 58:45, graças a uma excelente parcial na corrida, onde tirou mais de 1min das líderes. Prata pra dinamarquesa Sif Bendix Madsen com 58:56 e bronze pra suíça Anja Weber com 59:36. Interessante o 5º lugar de uma equatoriana. A brasileira Giovanna Lacerda terminou em 14º com 1:01:27 entre 30 que terminaram a prova

Levantamento de Peso

O 2º ouro venezuelano em Buenos Aires veio no levantamento de peso feminino, nos 44kg. Katherin Zarate venceu com 162kg no total, melhorando em 8kg sua marca do Pan Youth. Prata pro Vietnã e bronze pra Turquia. Nos 56kg masculino, vitória do vietnamita Son Donh Ngo, bronze este ano no Mundial Jr, com 262kg no total, muito a frente do resto. Tailandês foi prata com 239kg e checo bronze com 233kg.

Taekwondo

Dobradinha russa no 1º dia do taekwondo. Nos 48kg masculino, Dmitrii Shishko venceu por 11-8 o usbeque Ulugbek Rashitov. Nos 44kg feminino, Polina Shcherbakova fez 12-6 na sul-coreana Kang Mi-reu.

Tiro

headline_img

Grigorii Shamakov (RUS). Foto: ISSF

Bronze no Mundial de Tiro mês passado, o russo Grigorii Shamakov venceu o rifle de ar 10m com 249,2 contra 247,5 do indiano Shahu Tushar Mane. O bronze ficou com o sérvio Aleksa Mitrovic com 227,9

Ciclismo

Na prova por equipes do BMX Racing, o ouro ficou com a dupla da Rússia Ilia Beskrovnyy e Varvara Ovchinnikova. Os dois ficaram em 2º lugar nas provas individuais e a Rússia somou mais pontos pro ouro. Suíça foi prata e Colômbia bronze. Maitê Naves chegou à final feminina, terminando em 8º, mas Vitor Marotta não passou pela semifinal e o Brasil acabou em 12º no geral.

Badminton – Jaqueline Lima venceu na sua estreia no Grupo G feminino com 21-16 21-19 sobre holandesa Madouc Lindres. Já Fabrício Farias perdeu no Grupo F masculino 21-15 23-21 para o ucraniano Danylo Bosniuk. Na prova em grupos, que tem um formato bem parecido com a prova em equipes da esgrima, as equipes dos brasileiros perderam na estreia. Jaqueline está na equipe Theta, que perdeu 110-100 para a equipe Sigma e Fabrício está na equipe Epsilon, que perdeu 110-98 para Alpha.

Basquete 3×3 – No 1º dia de disputas, sem Brasil ainda, a Argentina começou bem em casa, vencendo 2 no masculino 22-19 a Estônia e 21-14 a Rússia.\

Escalada – A austríaca Sandra Lettner venceu o lead, foi 4ª no boulder e 8ª na velocidade para ficar me 1º na qualificação da combinada.

Futsal – Brasil ainda não estreou. Destaque para as goleadas no feminino da Tailândia (14-0 em Trinidad & Tobago) e Portugal (15-2 no Chile). No masculino pelo grupo do Brasil, o Irã fez 9-2 nas Ilhas Salomão e a Rússia 6-1 na Costa Rica.

Ginástica Artística – Diogo Soares ficou em 7º na quali do cavalo com alças com 12,733 e pegou final, mas no solo terminou em 14º com 13,066 e ficou fora da decisão. Os melhores foram o japonês Takeru Kitazono no cavalo com 14,133 e o americano Brandon Briones no solo com 13,900. No solo feminino, Laura Rocha terminou a quali em 20º com 11,933. Melhor nota da ucraniana Anastasiia Bachynska com 13,300.

Hóquei 5s – A Argentina começou destruindo Vanuatu na estreia do torneio feminino com 21-0. No masculino, os donos da casa fizeram 6-2 na Zâmbia.

Patinação de Velocidade – Colombianos lideram a classificação geral no 1º dia do combinado. Jhony Andres Reina venceu os 1.000m e foi 2º nos 5.000m com eliminação no masculino. No feminino, Gabriela Rueda venceu as mesmas duas provas.

Remo – As provas tem um forma muito diferente do usual. Disputada no Porto Madero, tem aproximadamente 1.000m, com curvas. Na tomada de tempo, Marco de Graaff fez o 14º tempo no single skiff com 3:43.24 entre 24 atletas.

Tênis – Gilbert Klier estreou com vitória na chave de simples com 64 46 62 sobre o sérvio Marko Miladinovic e está nas 8as, onde pega o americano Drew Baird.

Tênis de Mesa – Bruna Takahashi, uma das favoritas no feminino, venceu na estreia do Grupo G a neozelandesa Hui Ling Vong por 4-0 (11-5, 11-6, 11-5, 11-3). Guilherme Teodoro venceu na estreia do Grupo A atleta do Belize por 4-0 (11-4, 11-3, 11-3, 11-3), mas perdeu pro espetacular japonês Tomokazu Harimoto por 4-0 (11-4, 11-7, 11-7, 11-7).

Vela – Após 2 regatas da Techno 293+, Giovanna Prada em 14º entre 23 e Guilherme Plentz em 23º entre 24.

Vôlei de Praia – As duplas brasileiras ainda não estrearam. Campeões mundiais sub19 este ano, os russos Denis Shekunov e Dmitrii Veretiuk venceram sua 1ª partida 21-12 28-26 os poloneses Poznanski/Miszczuk.

Quadro de Medalha após o 1º dia e 15 finais:

Captura de Tela 2018-10-08 às 09.28.02