CBTKD define atletas para o pré-olímpico de taekwondo

A Confederação Brasileira de Taekwondo definiu nesta segunda-feira os atletas que irão disputar o pré-olímpico das Américas, que será disputado em março na Costa Rica.

Milena Titoneli, ouro no Pan de Lima-2019

Alguém bom ficaria de fora mesmo, já que cada país só pode mandar dos homens e duas mulheres, mas o Brasil vem numa fase espetacular na modalidade. E vale lembrar que em 2019 a seleção brasileira deu show vencendo cinco medalhas no Mundial e sete no Pan de Lima.

Os escolhidos foram:

  • Edival Pontes (68kg): ouro no Pan de Lima-2019, campeão panamericano em 2018, ouro no YOG de 2014 e campeão mundial Júnior em 2014
  • Ícaro Soares (80kg): prata no mundial de 2019, prata no Pan Lima-2019 e prata no campeonato Pan-Americano de 2018
  • Talisca Reis (49kg): prata no Pan Lima-2019
  • Milena Titoneli (67kg): bronze no mundial de 2019, ouro no Pan Lima-2019 e bronze no campeonato Pan-Americano de 2018

E ainda assim o medalhista de bronze olímpico e medalhista de bronze no último mundial Maicon Andrade ficou de fora e não poderá defender a sua medalha olímpica.

Como é bom ter uma equipe tão boa que um medalhista olímpico em boa fase nem tem chance de disputar novamente uma Olimpíada!

Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 2

Ouro no taekwondo, em dia com algumas decepções e um pouco de azar.

Taekwondo

Edival Pontes. Foto: Jonne Roriz/COB

Campeão olímpico da juventude em 2014, Edival Pontes estreou direto nas 4as na categoria 68kg, passando com tranquilidade pelo costarriquenho Juan Soto por 30-17. Na semifinal, derrotou o chileno Ignacio Morales por 18-7, garantindo mais uma final pro Brasil, repetindo sua namorada Talisca Reis, prata no dia anterior. Na decisão, ele pegou o dominicano Bernardo Pie, irmão do Luisito Pie, bronze no Rio-2016. A luta começou travada, com punições pro dominicano e Edival tinha 2-1 no 1º round. No 2º, Pie começou a encaixar os golpes e abriu 11-5. No 3º round, Edival soube se manter calmo e ir atacando aos poucos, encaixando dois chutes na cabeça até virar e vencer por 17-14! Primeiro ouro brasileiro no taekwondo desde Diogo Silva no Rio-2007!

Ginástica Artística

Pódio da Ginástica. Foto: Reprodução/Sportv

Que final incrível por equipes no masculino! O Brasil competiu na 1ª subdivisão muito bem, com a exceção do cavalo com alças, que quase nos derrubou. Começamos nas paralelas com 43,150, destaque pro excelente 14,850 do Caio Souza, 1º na quali do aparelho. Aí fomos pra barra fixa, com 42,300, sendo as 3 melhores notas do aparelho de brasileiros, com 14,400 do Arthur Nory e 14,050 do Francisco Barretto. Aí no solo, um 40,850 razoáveis. Aí veio o cavalo com alças. Caio caiu, Nory fez uma apresentação muito suja e apenas o Chico nos salvou com 13,950. Nas argolas, Arthur Zanetti brilhou com 15,000. somando 42,050 e no salto fechamos com 43,350 para somar 250,450, bem a frente do Canadá com 246,725, que também se apresentou nesse grupo.

Na 2ª subdivisão, a tensão veio com as apresentações dos americanos. Eles começaram no salto, depois foram para as paralelas e para a barra fixa, sempre com somas inferiores às do Brasil. No solo, foram melhores e diminuíram a diferença. Mas no cavalo, deram show com 42,550 e nos passaram na soma desses 5 aparelhos. Aí foram para as argolas onde não foram bem e ficaram atrás, somando 249,400! 2º ouro do Brasil na história na equipe masculina, repetindo Guadalajara-2011.

Brasileiros pegaram 12 finais ainda. Nory está no individual geral com a 2ª somatória, e ainda estará no solo, nas paralelas e na barra fixa, também com a 1ª nota. Arthur Zanetti vai disputar as argolas e o solo, Francisco Barretto no cavalo com alças e na barra fixa, Caio Souza no individual geral, nas barras paralelas com a melhor nota e nas argolas, e Luis Port no salto.

Mountain Bike

Henrique Avancini chegou em Lima como grande favorito. Número 3 do mundo e vindo de dois bronzes na Copa do Mundo, ele teve problemas técnicos com sua bicicleta e acabou com a prata. No último terço da prova, o pneu traseiro do brasileiro furou e ele acabou perdendo quase 2min pro mexicano José Ulloa, que ficou com o ouro com 1:25:03 contra 1:27:08 do Avancini. O chileno Martín Vidaurre foi bronze com 1:27:31.

Jaqueline Mourão. Foto: Jonne Roriz/COB

Antes da prova masculina, tivemos a feminina com a nossa veteraníssima Jaqueline Mourão, com 43 anos e que esteve em 6 Olimpíadas, sendo 4 de inverno. Numa bela prova, que assim como a masculina não teve americanos nem canadenses, a brasileira conseguiu uma inédita medalha de bronze com 1:31:12, atrás da mexicana Daniela Campuzano 1:30:45 e da argentina Sofia Gomez 1:31:06.

Rugby

Foi um dia duro pro rugby brasileiro. De manhã, derrotas nas semifinais esperadas. As mulheres jogaram muito bem, mas perderam para os Estados Unidos por 33-19. Conseguimos fazer 3 tries nas americanas, que não tinham levado nenhum ponto até então. Já os homens, perderam de 35-5 pro Canadá e as duas equipes foram pra disputa do bronze.

As Yaras enfrentaram a Colômbia, de quem nunca haviam perdido. Tinham a vantagem, mas levaram um empate em 24-24 e a partida foi pra prorrogação com ponto de ouro. E a Colômbia marcou um try. Derrota histórica pra Brasil, que nunca havia perdido para uma seleção sul-americana. Já os Tupis pegaram os EUA na disputa da medalha. Brasil começou bem, com 14-7 no 1º tempo. Mas deu uma bobeada no 2º e a partida acabou empatada em 19-19. Na prorrogação, os americanos erraram um chute pro facílimo, depois erraram um passe tranquilo pro try. Só que o Brasil perdeu a posse de bola e numa enorme bobeada brasileiro, os americanos fizera o try. Foi duro.

Tiro

Outro resultado ruim foi na pistola de ar 10m masculina. Veio um bronze com o Julio Almeida, mas ele perdeu a vaga olímpica no último tiro! Só restavam ele, um cubano e um americano na final e Julio estava na liderança com 198,9 contra 198,3 do cubano e 197,9 do americano. E o Julio mandou dois 9,2… Acabou em 3º, sem vaga olímpica. A última chance dele é na etapa da Copa do Mundo do Rio de Janeiro, em agosto, que dará mais 2 vagas, mas teremos o mundo todo buscando vaga.

Outros Esportes

Depois de decepcionar no Mundial, a equipe masculina do Basquete 3×3 perdeu neste domingo 22-20 pra Venezuela e 21-18 para Port Rico, mas venceu na última partida 21-16 a Argentina e se classificou em 2º lugar para as semifinais, onde enfrentarão os Estados Unidos. No feminino, o Brasil perdeu de 16-12 pra Argentina, mas venceu na última partida 20-16 o Uruguai e avançou pra semifinal em 4º, e também pegam os Estados Unidos na semifinal.

No vôlei de praia, Carol Horta/Ângela venceram nas 4as 21-17, 21-13 as colombiana Ayala/Riose vão enfrentar a dupla americana na semifinal. Já no masculino, Oscar/Thiago foram derrotados nas 4as por 27-25, 22-20 para os mexicanos Virgen/Ontiveros e estão eliminados.

No boxe, mais duas vitórias em semifinais, garantindo mais 2 medalhas. Abner da Silva venceu dominicano nos 91kg e Flávia Figueiredo dominou atleta da Nicarágua nos 75kg e também está na semi.

Os conjuntos brasileiros não tirara grandes notas na prova de adestramento, com João Paulo dos Santos montando Carthago Comando SN melhor brasileiro em 10º com 69,029. Mas a boa notícia foi ver o Brasil em 3º por equipes com 204,473 atrás apenas de Estados Unidos (219,970) e Canadá (219,824), a frente do México com 202,246. Brasil busca uma das duas vagas olímpicas por equipe, sendo que os americanos já tem uma.

No levantamento de peso, nenhum brasileiro neste domingo, mas foram 2 ouros pra Venezuela e 2 para a Colômbia, destaque para Brayan Rodallegas, vencendo a categoria 81kg com 363kg no total, a apenas 12kg do recorde mundial.

Com dois ouros no dia no squash, nas duplas femininas e nas duplas masculinas, um no taekwondo e um no rifle 50m 3 posições feminino, os Estados Unidos finalmente assumiram o topo do quadro de medalhas, desbancando o México, que faz um excelente Pan!

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
TOTAL 4 4 5 13

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Triatlo 1 2 0 3
Taekwondo 1 1 1 3
Ginástica Artística 1 0 1 2
Patinação Artística 1 0 1 2
Ciclismo 0 1 1 2
Tiro 0 0 1 1
TOTAL 4 4 5 13

Brasil brilha no Mundial de taekwondo e cria novas esperanças para Tóquio

Foi um Mundial dos sonhos em Manchester, Inglaterra.

O Brasil sempre mandou equipe completa para os Mundiais de taekwondo, mas tirando um ou outro lutador, a campanha brasileira era bem ruim, com muitas derrotas em estreias e raras medalhas. Mas essa edição foi sensacional.

A 1ª medalha saiu com Paulo Melo na categoria mais leva masculina, os 54kg. Ele venceu neozelandês, costa-riquenho, japonês e australiano, garantindo a vaga na semifinal, onde foi dominado por 34-16 pelo sul-coreano Bae Jun-seo, que foi o campeão da categoria, e acabou com o bronze.

Milena Titoneli surpreendeu na sexta-feira nos 67kg derrotando colombiana na estreia e uma sul-coreana nas 8as por 16-15. Nas 4as, venceu a croata Matea Jelic de maneira espetacular. Milena perdia por 13-9 faltando 15s, quando a croata levou uma punição, a Milena conseguiu um soco e diminuiu para 13-11. E, faltando menos de 1s pro fim, conseguiu um chute no rosto e virou 14-13! Na semifinal, perdeu pra turca Nur Tatar, duas medalhas olímpicas por 20-3 e conquistou o 2º bronze pro Brasil.

Mas o dia mais brilhante foi logo no último, no domingo, onde os 3 atletas que competiram conseguiram medalhar. Bronze no Rio-2016, Maicon Andrade venceu no +87kg marroquino, iraniano e britânico, mas caiu na semifinal pro cubano Rafael Alba e levou o 3º bronze.

Ícaro Miguel Soares, nos 87kg, também foi muito bem, vencendo porto-riquenho, chileno, o alemão campeão mundial Alexander Bachmann nas 4as e croata na semifinal, garantindo presença na decisão, onde foi superado pelo russo Vladislav Larin, bicampeão europeu, por 19-9. A outra prata veio com Caroline Santos nos 62kg. Ela passou por iraniana, montenegrina, espanhola e croata na semifinal. Na final, acabou derrotada pela turca İrem Yaman por 21-7.

Captura de Tela 2019-05-19 às 22.00.17

Ícaro, Milena, Caroline, Paulo e Maicon. Foto: CBTKD

Além dos 5 medalhistas, tivemos ainda Sandy Macedo (57kg), bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018, chegando nas 4as e ficando a uma vitória do pódio. Edival Pontes, que foi ouro nos Jogos da Juventude em 2014 e campeão mundial Jr no mesmo ano, chegou muito bem cotado, mas perdeu numa luta polêmica nas 8as para polonês por 25-24.

Legal ver que este ano todos os homens venceram pelo menos uma luta e apenas 3 mulheres perderam na estreia. Ao todo, Brasil venceu 29 lutas e perdeu 8. Veja abaixo a comparação com os últimos mundiais como todos os números este ano foram melhores:

2019 – 5 medalhas (2P+3B), 29 vitórias (17H+12M), 3 derrotas na estreia (0H+3M)

2017 – nenhuma medalha, 16 vitórias (10H+6M), 6 derrotas na estreia (3H+3M)

2015 – 2 medalhas (2B), 13 vitórias (8H+5M), 11 (!!) derrotas na estreia (5H+6M)

2013 – 1 medalha (1B), 11 vitórias (6H+5M), 9 derrotas na estreia (4H+5M)

2011 – nenhuma medalha, 18 vitórias (10H+8M), 4 derrotas na estreia (2H+2M)

Agora é acompanhar o desempenho deles no resto da temporada, pois eles devem mirar o top-5 do ranking olímpico, pois o 5 primeiros de cada categoria em 9 de dezembro já garantem vaga olímpica para Tóquio.

Brasil chega agora a 19 medalhas em Mundiais: 1 ouro, 6 pratas e 12 bronzes.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 3

Mais um ouro brasileiro, derrota no tênis de mesa, a reestreia do golfe e muito mais.

Ouro inédito no taekwondo

Edival Pontes chegou em Nanjing bem cotado e principal favorito na sua categoria, até 63kg, afinal, ele vinha do ouro no campeonato mundial juvenil. Edival estreou direto nas 4as de final contra Eduard Frankford (AUT), vencendo tranquilamente por 16-4. Na semifinal, enfrentou o britânico Christian McNeish e venceu tranquilo também com 12-6.

Já na final, teve uma disputa muito forte com o mexicano Jose Ruben Rodriguez. Edival abriu 3-1 no 1º round. O mexicano teve um chute na cabeça contabilizado (3 pontos), mas foi solicitada a revisão por vídeo pelo técnico brasileiro e os pontos foram retirados. No 2º round, o mexicano empatou em 3-3. No 3º, luta bem apertada. O brasileiro tomou 6 penalidades (2 por round) e deu de graça 3 pontos para o adversário. A luta chegou nos últimos segundos empatada em 6-6, quando Edivaldo deu um golpe nos últimos segundos e venceu por 7-6! Primeiro ouro brasileiro no taekwondo em edições olímpicas. Até então, a única medalha foi o bronze de Natalia Falavigna em Atenas-2004.

Na outra categoria do dia, os 55kg feminino, Ivana Babic (CRO) venceu na final Fatma Saridogan (TUR) por apenas 1-0.

Raquetes

Hugo Calderano já é uma realidade no tênis de mesa brasileiro e tem tudo para ser o maior nome do esporte da história. Em Nanjing, disputou nesta terça as quartas-de-final, quando venceu por apertados 4-3 o polonês Patryk Zatowka (13-11, 7-11, 11-4, 4-11, 11-4, 10-12, 11-6). Na semifinal, Hugo não conseguiu encaixar o seu jogo e foi dominado pelo 2º cabeça de chave, o japonês Yuto Muramatsu. Hugo errava muito as devoluções e os forehands e acabou perdendo por 4-1, sendo arrasado no 1º set por 11-1. Parciais do jogo de 11-1, 11-4, 10-12, 11-6, 11-8. Agora, Hugo disputa o bronze com Heng-Wei Yang, de Taiwan, e o Muramatsu pega na final o chinês Fan Zhendong.

No tênis, Brasil foi 100%. Único sobrevivente nas simples, Orlando Luz, cabeça 2, venceu Juan Jose Rosas (PER) por 6-2 6-4 e está nas 4as de final. Nas duplas mistas, duas vitórias. Orlando e Luisa Stefani venceram 6-2 6-2 Kamonwan Buayam (THA)/Yun Seong Chung (KOR) e Marcelo Zormann ao lado da paraguaia Liz Camila Campiz venceu 7-5 7-5 Nicolas Alvarez (PER)/Marketa Vondrousova (CZE).

No badminton, Ygor Coelho fechou sua participação com 2 derrotas. Nas simples, caiu para o taiwanês Chia-Hung Lu 21-14 21-11 e nas duplas, com a ucraniana Vladyslava Lisna, perdeu 21-19 21-14 para Shi Yuqi (CHN)/Joy Lai (AUS).

Natação

Nas 5 finais do dia, 6 medalhistas de ouro. Isso porque houve novamente um empate pelo ouro! Foi na prova de 200m costas feminina, com Ambra Esposito (ITA) e Hannah Moore (USA) com 2:10.42. A espanhola Africa Sanz fechou o pódio com 2:11.94.

Nos 800m feminino, sem final, apenas com baterias, a medalha de ouro ficou com a italiana Simona Quadarella, com 8:35.39. O interessante é que ela nadou de manhã, nas baterias fracas. Na série forte, Jimena Blanco (ESP) venceu com 8:36.95 e ficou com a prata. Surpresa um bronze para as Bahamas! Joanna Evans fez 8:39.75. Bruna Primati nadou a noite e foi muito bem, terminado em 6º lugar no geral, com 8:42.80 e Viviane Jungblut foi 11ª com 8:50.49.

Nos 100m borboleta masculino, ouro para Li Zhuhao (CHN) com 52.94, com o russo Aleksandr Sadovnikov a apenas 0.03. Nos 100m livre feminino, mais um ouro chinês com Shen Duo com 53.84. Completou o pódio asiático Siobhan Haughey (HKG) e Qiu Yuhan (CHN). Na última final, o revezamento 4x100m livre masculino, ouro para a Grã-Bretanha com 3:21.19, seguida de Itália e Alemanha.

Matheus Santana finalmente estreou em provas individuais. Nas eliminatórias dos 50m livre, fez o melhor tempo, com 22.55. Já na semifinal, soltou no finalzinho e ficou com o segundo tempo, com 22.48. A surpresa foi o chinês Yu Hexin, com excelentes 22.01, novo recorde mundial júnior! Vitor Santo fez o 4º tempo na semifinal dos 50m costas com 25.79 e também está na final. Giovanna Diamante também faz final nesta quarta, nos 50m borboleta, onde passou com o 7º tempo de 27.05. Na última semifinal do dia, Ruta Meilutyte (LTU) foi a mais rápida nos 100m peito com 1:07.83. Ela perdeu essa prova no Europeu, que também foi nesta terça.

Outras Finais

O legado britânico segue com um ouro na ginástica. Giarnni Regini-Moran venceu o individual geral masculino com 84,725, bem a frente de Nikita Nagornyy (RUS) com 83,050, prata, e Alex Yoder (USA), bronze com 82,800. O britânico teve excelentes notas, como um 14,900 no solo, 14,850 nos salto e 14,400 nas barras paralelas.

Na esgrima, Pedro Marostega disputou o florete masculino, mas perdeu nas 8as por 15-11 para Seo Myeong Cheol (KOR). Quem levou o ouro foi o polonês Andrzej Rzadkowski com 15-13 em Chun Yin Ryan Choi (HKG). No sabre feminino, ouro russo para Alina Moseyko com 15-10 na final sobre Chiara Crovari (ITA).

No judô, Brigita Matic (CRO) venceu os 78kg feminino sobre Aleksandra Samardzic (BIH). Nos 100kg masculino, que tinha apenas QUATRO atletas (que bobeada da IJF), ouro para o iraniano Ramin Safaviyeh (foto), com ippon em Rostislav Dashkov (KGZ).

No rifle de ar 10m feminino, vitória da suíça Sarah Hornung. Ela foi a melhor na qualificação e na final, onde venceu com 207,8 contra 207,1 de Martina Veloso (SIN). Bronze Alemanha.

No levantamento de peso, Nien-Hsin Chiang (TPE) levou os 58kg feminino com 203kg no total, prata para a Rússia e bronze para a Argentina (!). Nos 69kg masculino, o primeiro ouro não-asiático. Bozhidar Andreev (BUL) venceu com 300kg, seguido de russo e colombiano.

Outros Esportes

No basquete 3×3, as meninas sofreram mais um derrota, agora para a Venezuela por 12-10, mas venceram a Síria por 19-7. No masculino, a primeira vitória, com 21-2 em Andorra.

Duda/Paty seguem invictas no vôlei de praia, vencendo a 3ª com 21-6 21-14 dupla do Vietnã. No masculino, George/Arthur venceram 21-17 21-10 dupla da Austrália.

Brasil segue mal no ciclismo. Nas provas de BMX, os brasileiros não passaram das 4as e não pontuaram.

Na abertura da prova de hipismo por equipe, Bianca Rodrigues foi mal e foi eliminada da competição, mas apesar disso, a equipe da América do Sul está em 2º com apenas 4 pontos, atrás apenas da Europa, que zerou.

Na vela, apenas regatas da Byte CII. Pedro Correa com dois 3º lugares segue líder com apenas 11 pontos, bem na frente do 2º, que tem 27. Na mesma classe no feminino, Natascha Boddener obteve um 5º e um 3º lugares e subiu para 7ª no geral.

Por muito, muito pouco Uncas Batista ficou fora da final do single skiff no remo. Ele fez o 4º tempo na sua semifinal e ficou 0.09 atrás do cubano e vai disputar Final B. Sophia Py foi 3ª na sua semi e vai para a Final C.

E o golfe voltou ao Jogos Olímpicos! Na primeira rodada, dois no masculino empatados (sueco e australiano) com 6 abaixo do par e no feminino, foram 4 empatadas com 3 abaixo do par.

O rugby definiu as suas finais. No masculino, França e Argentina se enfrentam enquanto Fiji e Quênia brigam pelo bronze. No feminino, Austrália e Canadá batalham pelo título e o bronze ficará entre Estados Unidos e China

O que vem por aí

Serão 22 finais nesta quarta-feira: na ginástica, o individual geral feminino; no hipismo, a prova por equipes; na esgrima, a prova por equipes; no remo, os dois single skiffs e os dois Dois Sem; no rugby, o masculino e o feminino; no tiro, o rifle de ar 10m masculino; na natação, 50m livre masculino, 200m peito masculino, 50m borboleta feminino, 50m costas masculino, 100m peito feminino, 200m livre feminino e 4x100m medley masculino; no tênis de mesa, o individual masculino e feminino; e no taekwondo, duas categorias.

Além disso, começam as provas de atletismo e os torneios de handebol.