Mundial de Esgrima – Final

Nos 3 dias finais, as sempre emocionantes disputas por equipe na esgrima.

Na espada, a China se sagrou campeã no feminino com um apertadíssimo 29-28 sobre a Rússia, enquanto a França confirmou ser a maior potência no masculino ao vencer por 45-37 a Ucrânia na decisão. Desde 2001, tivemos 16 mundiais e a França venceu 10 edições.

Captura de Tela 2019-07-23 às 21.18.41

Pódio do florete masculino por equipe. Foto: FIE

Foi o florete que salvou os Estados Unidos de um enorme fracasso. Sem medalha no individual, a 1ª medalha veio com o bronze no feminino com 45-43 sobre a França, enquanto o título foi da Rússia, com 43-42 sobre a sempre favorita Itália em confrontos emocionantes. No masculino, a vitória foi do super time americano, que conta com 3 top-10 do mundo: Alexander Masssialas, Gerek Meinhardt e Race Imboden. Eles venceram os 5 combates com tranquilidade, incluindo a decisão contra a França por 45-32.

Já no sabre, a Coreia do Sul levou no masculino, liderada por Oh Sang-uk, campeão mundial no individual. Na decisão, um emocionante 45-44 contra a dona da casa Hungria e os sul-coreanos faturam o tricampeonato mundial. Já no feminino, vitória da Rússia com 45-40 sobre a França na decisão.

Brasil e a vaga olímpica

Pro Brasil, as provas por equipe não foram boas, pois não conseguimos chegar em nenhuma das 4 que disputamos no top-16. No florete masculino e na espada feminina, com a nossa campeã mundial Nathalie Moellhausen, o Brasil não avançou e viu o Canadá ir melhor, o que pode atrapalhar muito nossos planos de classificação olímpica por equipe.

Na espada, os homens venceram 45-19 o Kuwait na preliminar, mas perderam 45-31 pra Coreia do Sul, terminando em 30º. No feminino, caíram logo na estreia 45-38 pro Japão, ficando em 19º. No florete, os homens caíram na estreia também 45-42 pra Hungria e ficaram em 17º e no feminino as mulheres perderam na estreia por muito pouco: 44-43 pra Áustria. Detalhe que o Brasil entrou pro último confronto 40-34, mas Ana Beatriz Bulcão levou 10-3 e o Brasil perdeu, terminando em 17º também.

Após o Mundial, o Brasil está em 17º na espada feminina e o Canadá em 16º e EUA em 4º, então a briga é direta e o Pan será muito importante. No florete masculino, EUA lidera o ranking, com Canadá em 13º e Brasil a 27 pontos em 16º.

Lembrando que classificam pros Jogos os 4 melhores do ranking e os 4 melhores por continente desde que estejam no top-16.

Anúncios

Mundial de Esgrima – Dia 6

No sábado, fechamos as provas individuais no Mundial.

Captura de Tela 2019-07-21 às 23.09.16.png

Pódio do sabre feminino. Foto: FIE/BizziTeam

No sabre feminino, a ucraniana Olha Kharlan faturou seu 4º título mundial ao derrotar a russa bicampeã mundial e vice-olímpica Sofya Velikaya no ponto decisivo por 15-14, na final com as duas melhores do ranking mundial. Com os bronzes, a grega Theodora Gkountoura e a romena Bianca Pascu. Surpresa mais uma vez a fraca participação das americanas, que tem uma história fortíssima nesta prova, mas deram azar nesta vez e 3 estavam na mesma chave, sendo que apenas uma chegaria às 4as, que foi o caso de Anne-Elizabeth Stone, perdendo nas 4as 15-13 para a romena Pascu.

O francês Enzo Lefort se sagrou campeão no florete masculino, 1º francês a ser campeão individual desta prova em um Mundial desde 1990! Contando com uma particpação ruim dos favoritos, Lefort derrotou na final o britânico Marcus Mepstead por 15-6! Número 1 do mundo, o italiano Alessio Foconi perdeu na 1ª rodada 15-5 para Mepstead. Mais uma prova ruim dos americanos. Número 2 do mundo, Race Imboden perdeu na 2ª rodada para atleta de Hong Kong, Alexander Massialas caiu nas 8as e Gerek Meinhardt perdeu na estreia.

Captura de Tela 2019-07-21 às 23.10.50

Guilherme Toldo x Nick Itkin. Foto: FIE/BizzTeam

Animado com o ouro da Nathalie dois dias antes, Guilherme Toldo fez uma ótima prova. Ele venceu na 1ª rodada o japonês Takahiro Shikine por 15-13, depois passou com 15-14 pelo americano Nick Itkin, campeão mundial júnior em 2018, mas perdeu nas 8as no ponto decisivo 15-14 para o sul-coreano Lee Kwang-hyun.

Mundial de Esgrima – Dia 5

A espada é a arma que mais tem surpresas na esgrima. Assim como tivemos na quinta-feira no feminino com o ouro da Nathalie Moellhausen, a chave masculina nessa sexta-feira teve 4 medalhistas inéditos no individual.

Captura de Tela 2019-07-20 às 13.50.23

Pódio da espada masculina. Foto: FIE

O ouro ficou com o húngaro Gergely Siklósi para felicidade da torcida em Budapeste. Ele venceu na decisão o russo Sergey Bida por 15-14 no toque decisivo, assim como foi com a Nathalie no feminino. Número 1 do mundo e favorito ao ouro, o francês Yannick Borel perdeu por 15-12 nas 4as para o italiano Andrea Santarelli, que viria a perder pro Siklósi na semifinal.

Já no florete feminino, ninguém para a russa Inna Deriglazova. Ela disputou 9 competições este ano e venceu 7, incluindo o ouro no Mundial, ao derrotar na decisão a francesa Pauline Ranvier por 15-11. Deriglazova, agora número 1 do mundo, vence pela 3ª vez um mundial individual e chega a 10 medalhas em Mundiais (5-2-3). Ela também foi ouro no Rio-2016. A Itália, que domina o florete feminino, ficou com os dois bronzes, com Elisa Di Francisca e Arianna Errigo. A cabeça 1, a outra italiana Alice Volpi, foi surpreendida na 2ª rodada pela espanhola María Díaz por 15-13.

Mundial de Esgrima – Dia 4 – Ouro inédito pro Brasil!!

Que resultado espetacular da Nathalie Moellhausen, conquistando a 1ª medalha da história pro Brasil em um Mundia de Esgrima!! E foi logo um ouro!

Captura de Tela 2019-07-18 às 23.37.54

Pódio da espada feminina. Foto: FIE

Depois de uma ótima fase de poules na segunda-feira, onde venceu os 6 combates, terminou em 7º no geral e se classificou direto para a chave principal, Nathalie estreou com 15-12 sobre a polonesa Renata Knapik-Miazga. Na 2ª rodada, passou com 15-10 sobre a chinesa Zhu MIngye e nas 8as venceu a italiana Alberta Santuccio por 15-14, no toque final!

Nas 4as, um combate sensacional contra Lis Rottler-Fautrsch, de Luxemburgo. As duas vinham com uma missão inédita e quem vencesse levaria a 1ª medalha da história pro seu país em um mundial. O combate empatou em 10-10 após o fim dos 9min e foi pro ponto decisivo. A europeia marcou, mas os árbitros foram pro vídeo e não validaram o ponto. No retorno, Nathalie marcou e se classificou para a semifinal!

Captura de Tela 2019-07-18 às 23.39.10

Foto: FIE

Já com medalha garantida, Nathalie enfrentou na semi Vivian Kong, de Hong Kong, 3ª do mundo e que vinha em uma excelente temporada. A brasileira tomou conta da luta no 1º round com 4-2, mas a adversária foi buscando e o 2º acabou 8-8. Dominando o 3º, Nathalie venceu 15-11 e se garantiu na final inédita para enfrentar a chinesa Lin Sheng.

Na decisão, Nathalie foi muito bem no 1º round, abrindo 5-3. No 2º, a chinesa chegou a virar com 7-6, mas a brasileira virou 8-7. Muito tenso, ela empataram em 12-12 e foram pro ponto decisivo! E a brasileira marcou pra levar o ouro inédito de maneira espetacular! Após a vitória, Nathalie chorou demais, lembrando seu pai, que faleceu no ano passado e foi carregada pela seleção brasileira, que invadiu o local de competição.

Italiana de avô brasileiro, ela defendeu a Itália e tem 3 medalhas em Mundiais, incluindo um bronze individual em 2010, um ouro por equipes em 2009 e um bronze também por equipes em 2011. Após ficar de fora de Londres-2012, decidiu abandonar o esporte, voltando em 2014 já pelo Brasil, chegando às 4as dos Jogos Rio-2016. Após o falecimento do pai, parou de competir, mas foi resgatada pelo técnico francês que disse que ela ainda precisava ser campeã mundial ou olímpica. E o resultado está aí!

whatsapp-image-2019-07-18-at-16.54.50

Seleção brasileira com a Nathalie no centro

Na outra prova do dia, o sabre masculino, o ouro ficou com o sul-coreano Oh Sang-uk, número 2 do mundo, que fatura seu 1º título individual após 2 por equipes. Ele venceu na decisão o húngaro András Szatmári, campeão mundial em 2017, por 15-12. Nas 4as, Szatmári tinha derrotado o cabeça 1 e favorito ao ouro, o americano Eli Dershwitz, por 15-12.

Mundial de Esgrima – Dias 1 a 3

Os 3 primeiros dias no Mundial de Esgrima em Budapeste foram apenas de preliminares, com a fase de poules e as chaves classificatórias para a chave principal.

O Brasil competiu com 15 atletas e 3 deles conseguiram se classificar para a chave final, de 64 esgrimistas.

Na segunda-feira, Nathalie Moellhausen fez excelente fase de poules na espada feminina, vencendo os 6 combates e terminando em 7º no geral, se classificando direto pra chave final. Amanda Simeão venceu tailandesa 15-7 na 1ª rodada preliminar, mas perdeu na última rodada 15-6 para a italiana Alberta Santuccio. Já Victoria Vizeu foi 154ª na fase de poules e não avançou. Nenhum brasileiro competiu no sabre masculino.

Captura de Tela 2019-07-17 às 22.33.56

Gabriela Cecchini contra atleta de Hong Kong. Foto: FIE/BizziTeam

Na terça-feira, as 4 brasileiras passaram pelo poules, mas apenas Ana Beatriz Bulcão chegou na chave final. Ela já estreou na 2ª rodada da chave preliminar, vencendo 15-6 a polonesa Martyna Dlugosz. Gabriela Cecchini perdeu na última rodada de 15-13 para atleta de Hong Kong, mesma situação de Ana Toldo, perdendo de 15-4 para venezuelana. Mariana Pistoia caiu na 1ª rodada da chave preliminar 15-11 para outra atleta de Hong Kong.

Na espada masculina, Athos Schwantes, que já foi nosso principal esgrimista nesta arma, foi muito mal nos poules, perdendo todos os combates e acabando em 202º entre 208. Já Alexandre Camargo e Fabrizio Lazaroto avançaram, mas perderam no 1º combate preliminar. Alexandre de 15-10 para atleta de Hong Kong e Fabrizio de 15-7 para o americano James Kaull.

Captura de Tela 2019-07-17 às 22.26.54

A ótima equipe de florete masculino do Brasil. Foto: FIE/BizziTeam

Nesta quarta-feira, no florete masculino, Julien Baneux fez ótima fase de poules, ficando em 26º, Guilherme Toldo foi 41º, Henrique Marques 63º e Heitor Shimbo 83º entre 171. Toldo foi o único a chegar na chave final, vencendo 15-2 romeno e 15-4 belga. Baneux, que estreou direto na última rodada sentiu uma lesão e abandonou o combate contra alemão. Henrique venceu 15-8 romeno e perdeu na última fase 15-5 para japonês. Já Heitor perdeu na 1ª rodada 15-13 para taiwanês. Fechando a participação brasileira, Giulia Gasparini competiu no sabre feminino, mas ficou em 113º lugar nos poules e nem avançou.

O Mundial segue até sábado com as provas individuais e depois até a terça-feira com as por equipe.

Mundial de Esgrima – Parte 2

O Mundial em Wuxi, China, fechou nesta sexta-feira com as últimas provas por equipe.

Dia 4

A equipe americana conseguiu aproveitar e levou o ouro pela 1ª vez na história na espada por equipe feminina. Com Katharine Holmes e as irmãs Courtney, bronze no individual, e Kelley Hurley, elas obtiveram uma ótima vitória de 24-23 sobre a forte Estônia, que defendia o título, nas 4as, 27-25 na Rússia na semifinal e um estudado 18-17 sobre a Coreia do Sul na decisão. Na disputa do bronze, a China fez 45-42 nas russas.

Captura de Tela 2018-07-28 às 16.05.54

Coreia do Sul vence o sabre por equipes masculino. Foto: FIE

No sabre masculino, a Coreia do Sul confirmou o favoritismo e levou o bicampeonato, com 45-39 na sempre forte Itália. A Coreia foi pro último combate com uma mega vantagem de 40-26. Luca Curatoli tentou tirar, fazendo 13-5 em Oh Sanguk, mas não foi o suficiente. O bronze foi pra Hungria, que derrotou a enorme zebra Geórgia. Os georgianos surpreenderam ao derrotar e grande equipe americana nas 8as por 45-38 e o forte Irã nas 4as por 45-37.

Dia 5

Captura de Tela 2018-07-28 às 16.07.46

Nicole Ross x Arianna Errigo na final do florete feminino. Foto: FIE

Mais uma medalha inédita pros Estados Unidos, que venceram o florete feminino por equipes. Até este ano, as americanas só haviam levado o sabre por equipes no feminino e uma vez venceram a espada masculina em Mundiais. As americanas surpreenderam a maior potência do florete mundial na decisão, a Itália, que chegou a abrir 15-12, mas viu Nzingha Prescod fazer 8-1 em Camilla Mancini, virar a final e não sair mais da frente. Na disputa do bronze, a França fez 35-26 na Coreia do Sul. Vale lembrar que a Itália venceu 6 dos últimos 9 mundiais nesta prova.

Na espada masculina, a surpresa veio com o título da Suíça, o 1º da história pro país em uma prova por equipes. Eles derrotaram a Itália nas 4as por 36-35, a potência França na semifinal por 45-38 e na decisão 36-31 a Coreia do Sul. A vitória suíça veio no 8º combate, com Max Heinzer pegando perdendo por 31-30 e entregando na frente com 40-33. A Rússia derrotou a França 45-35 pra ficar com o bronze.

Dia 6

Mesmo colocando 3 atletas no pódio da prova individual, a Rússia perdeu a final do sabre feminino por 45-35 pra França, que vence a prova pela 1ª vez desde 2007. A Coreia do Sul derrotou a Itália 45-40 e ficou com o bronze, 4ª medalha sul-coreana em 6 provas por equipes!

Captura de Tela 2018-07-28 às 16.10.08

França x Rússia na decisão do sabre feminino por equipes. Foto: FIE

Para fechar o Mundial, a Itália assegurou o seu 4º ouro com 45-34 sobre a fortíssima equipe americana na final do florete masculino, vencendo pela 3ª vez seguida o título mundial. Interessante que mesmo dominando, a Itália ficou de fora do pódio no Rio-2016. A Rússia venceu a Coreia do Sul (quase a 5ª medalha) por 45-35 pra ser bronze.

O Brasil só disputou as provas de florete. No feminino, o Egito deu WO e as brasileiras foram para as 8as, onde apanharam de 45-12 da Itália. Nos combates classificatórios perderam 45-40 pra China, venceram Singapura novamente por WO e perderam 45-28 pra Ucrânia, terminando na 14ª posição. No florete masculino, o Brasil fez um disputadíssimo duelo contra a Hungria, perdendo de 45-43, não avançando para as 8as. Essa é nossa melhor equipe e ela perdeu pontos importantíssimos para começar a busca por uma vaga olímpica. EUA deve levar uma vaga por ser top-4 do mundo e o Brasil precisa ficar entre os 16 para levar como melhor das Américas. Assim complicou um pouco.

Vale ressaltar que nas chaves principais o Brasil não venceu nenhum combate. No individual colocou 4 atletas entre os 64, mas todos perderam na 1ª rodada e nas equipes, as duas vitórias foram por WO. Em 2017 a situação tinha sido bem parecida, mas pelo menos a Nathalie Moellhausen havia vencido um combate.

O próximo Mundial será em 2019 em Budapeste.

Mundial de Esgrima – Parte 1

A Itália foi o destaque na 1ª metade do Mundial de Esgrima, na cidade chinesa de Wuxi, vencendo 3 ouros e mantendo seu domínio no florete.

Dia 1

Captura de Tela 2018-07-24 às 22.39.03

Pódio da espada feminina. Foto: FIE

No 1º dia de finais, a italiana Mara Navarria derrotou a veterana romena Ana Maria Branza por 13-9 para ficar com o ouro na espada feminina, sua 1ª medalha individual importante. Na semi, Navarria venceu 15-8 a suíça Laura Satehli e Branza passou com 14-13 pela americana Courtney Hurley, que foi ouro no Pan do Rio-2007. Navarria chegou como favorita e líder do ranking, confirmando o favoritismo. A ucraniana Olena Kryvytska, número 2, perdeu nas 4as para Branza. Campeã no Rio-2016, a húngara Emese Szász parou nas 4as para Staehli e a italiana bicampeã mundial Rossella Fiamingo caiu na 2ª rodada, também pra Branza.

No sabre masculino, o título ficou com o sul-coreano Kim Jung-hwan, bronze no Rio. Ele derrotou na final o talentoso americano Eli Dershwitz por 15-11. Nas semis, Kim passou com 15-13 pelo russo Kamil Ibragimov e Dershwitz com 15-14 pelo sul-coreano Kim Jun-ho. O outro coreano, líder do ranking, Gu Bon-gil perdeu para Kim nas 4as por 15-10. Os húngaros András Szatmári e Áron Szilagyi também pararam nas 4as. Szatmari defendia o título e perdeu 15-9 para Ibragimov, enquanto Szilagyi, ouro no Rio, perdeu 15-11 para Dershwitz.

Dia 2

O 2º ouro italiano veio no florete feminino com Alice Volpi. As italianas dominam essa prova e voltaram ao topo do Mundial, o que não acontecia desde 2014. Número 2 do ranking, Volpi venceu 15-12 a francesa Ysaora Thibus na decisão. Ficaram com os bronzes a italiana Arianna Errigo e a tunisiana Ines Boubakri, bronze no Rio. Bicampeã mundial, ouro nos Jogos do Rio e número 1 do mundo, a russa Inna Deriglazova foi surpreendida por Thibus nas 4as por 15-14. Desde 1991, foram 21 mundiais e as italianas venceram 14 títulos.

Captura de Tela 2018-07-24 às 22.37.45

Pódio da espada masculina. Foto: FIE

Na espada masculina, o ouro ficou com o francês Yannick Borel, que passou com fáceis 15-4 sobre o campeão olímpico de Londres, o venezuelano Ruben Limardo. Nas semifinais, os dois passaram por ucranianos. Os bronzes ficaram com Bohdan Nikishyn, número 1 do mundo, e Roman Svichkar. Campeão do Rio, o sul-coreano Park Sang-young caiu nas 4as 13-10 para Limardo e o campeão mundial de 2017, o italiano Paolo Pizzo, perdeu na 2ª rodada 15-14 para Svichkar.

Dia 3

Captura de Tela 2018-07-24 às 22.49.56

Pódio do sabre feminino. Foto: FIE

As russas sobraram no sabre feminino, com 3 chegando às semifinais. O título ficou com Sofia Pozdniakova ao derrotar 15-13 Sofya Velikaya, prata no Rio-2016. Velikaya venceu na semi 15-14 Yana Egorian, na reedição da final olímpica de 2016, quando Egorian venceu. Velikaya passou na semi pela americana Anne-Elizabeth Stone por 15-6. As semifinais só não foram totalmente russas pois Stone tirou Svetlana Sheveleva nas 8as. Número 1 do mundo e tricampeã mundial, Olha Kharlan caiu ainda na 2ª rodada 15-13 para a chinesa Shao Yaqi.

Fechando as provas individuais, veio o 3º ouro italiano, com Alessio Foconi no florete masculino. Ele venceu na final por 15-8 o britânico Richard Kruse, que chegou a estar na frente por 8-6 e não conseguiu encerrar o jejum britânico de ouro em mundiais de 59 anos. O último foi Allan Jay no florete masculino em 1959. Foconi derrotou na semifinal o sul-coreano Heo Jun por 15-12 e Kruse eliminou o espanhol Carlos Llavador por 15-11. Surpresa foi a derrota na 1ª rodada do americano Alexander Massialas, 3º do mundo e vice-olímpico no Rio.

Brasil

O Brasil colocou 4 atletas nas chaves principais, mas todos perderam na 1ª rodada. Na nossa melhor arma, o florete masculino, Julien Baneux, nascido na Bélgica e que mora nos EUA, fez uma excelente fase de poules, passando em 10º, mas caiu na estreia por 15-13 para o ucraniano Andrii Pogrebniak. Guilherme Toldo também chegou na chave principal, mas caiu 15-6 para o francês Enzo Lefort.

Na espada feminina, Nathalie Moellhausen perdeu para a russa Violetta Kolobova por 15-11 e Gabriela Cecchini, no florete feminino, perdeu 15-14 para a polonesa Martyna Jelinska. No último Mundial, foram 3 brasileiros na chave principal: Fabrizio Lazaroto na espada (1ª rodada), Nathalie Moellhausen na espada (2ª rodada) e Guilherme Toldo no florete (1ª rodada).