Saem os índices olímpicos pro Atletismo

Demorou, mas finalmente a IAAF divulgou os índices olímpicos pro atletismo.

Desta vez, a IAAF mudou seu sistema de classificação pros Jogos. Os índices estão bem mais fortes e poucos conseguirão classificação via índice. As vagas restantes para cada prova serão completadas pelo novo ranking da entidade.

esporte-salto-com-vara-thiago-braz-da-silva-20160815-135

Thiago Braz no Rio-2016

Aliás, que baita ranking!

A IAAF usou suas tabelas de pontuação (não são as mesmas tabelas usadas nas provas combinadas) para converter cada performance em pontos. Além disso, há uma bonificação para o nível da competição. Ou seja, se um atleta fizer uma baita marca para vencer em um meeting local (como muitos brasileiros fazem em São Bernardo e em Bragança Paulista), ele soma apenas 15 pontos. Se ele vencer uma final olímpico ou de mundial, soma 350 pontos independente da marca. No ranking, é tirada a média das 5 melhores performances de cada atleta dos últimos 12 meses (18 meses para os 10.000m).

Considerando as marcas de 2018 e desde ano, o Brasil teria 15 atletas com índice olímpicos já classificados para Tóquio:

  • Paulo André de Oliveira (100m – 10.02; índice 10.05)
  • Vitor Hugo dos Santos (200m – 20.21; índice 20.24)
  • Derick de Souza Silva (200m – 20.23; índice 20.24)
  • Aldemir Gomes da Silva Jr (200m – 20.23; índice 20.24)
  • Thiago André (800m – 1:45.10; índice 1:45.20)
  • Gabriel Constantino (110m com barreiras – 13.23; índice 13.32)
  • Márcio Teles (400m com barreiras – 48.70; índice 48.90)
  • Almir Cunha dos Santos (salto triplo – 17,53m; índice 17,14m)
  • Thiago Braz (salto com vara – 5,80m; índice 5,80m)
  • Darlan Romani (arremesso de peso – 22,00m; índice 21,10m)
  • Vitória Cristina Rosa (100m – 11.03; índice 11.15 e 200m – 22.73; índice 22.80)
  • Érica Sena (marcha 20km – 1:28:11; índice 1:31:00)
  • Nubia Soares (salto triplo – 14,69m; índice 14,32m)
  • Andressa de Moraes (lançamento de disco – 65,10m; índice 63,50m)
  • Fernanda Martins (lançamento de disco – 64,66m; índice 63,50m)

O último ranking foi divulgado no último dia 5. Coloca abaixo os outros brasileiros que pegariam vaga olímpica por estarem dentro das vagas por prova considerando 3 por país (só não contabilizei a maratona):

Jorge Henrique Vides – 100m (32º)
Rodrigo Pereira do Nascimento – 100m (63º)
Lucas da Silva Carvalho – 400m (28º)
Alexandre Russo – 400m (52º)
Altobeli Santos da Silva – 1.500m (65º) e 3.000m com obstáculos (33º)
Eduardo Santos Rodrigues – 110m com barreiras (26º)
Éder Antonio de Souza – 110m com barreiras (41º)
Talles Souza Silva – salto em altura (23º)
Alexsandro de Melo – salto em distância (21º)
Paulo Sérgio Oliveira – salto em distância (24º)
Mateus de Sá – salto triplo (18º)
Wagner Domingos – lançamento de martelo (14º)
Allan Wolski – lançamento de martelo (23º)
Caio Bonfim – Marcha 20km (55º)
Rosângela Santos – 100m (34ª)
Franciela Krasucki – 100m (79ª)
Geisa Coutinho – 400m (26ª)
Tatiane Raquel da Silva – 3.000m com obstáculos (38ª)
Juliana de Menis Campos – salto com vara (21ª)
Eliane Martins – salto em distância (14ª)
Geisa Arcanjo – arremesso de peso (17ª)
Mariana Marcelino – lançamento de martelo (28ª)
Laila Ferrer de Silva – lançamento de dardo (11ª)
Elianay Pereira – Marcha 20km (62ª)

A equipe teria 39 nomes mais os maratonistas, isso sem considerar a classificação dos revezamentos. Em Londres-2012 o Brasil levou 36 atletas no atletismo e no Rio-2016 contou com 67 competidores.

Anúncios

Andressa e Darlan brilham na Diamond League

Nas duas etapas finais da Diamond League, Darlan Romani e Andressa de Morais obtiveram mais um ótimo resultado na temporada.

lg-e9c59f4a-26c0-4919-b062-b7db37625900

Andressa de Morais

Na quinta, em Zurique, Darlan chegou pro arremesso de peso com 3 medalhas no circuito da Diamond League e o título do Ibero-Americano na semana passada na bagagem. Numa prova fortíssima, ele terminou em 4º com 21,94m, ficando a 1cm do seu recorde sul-americano. A vitória foi do neozelandês Tomas Walsh, com excelentes 22,60m. Os americanos Darrell Hill com 22,40m e Ryan Crouser com 22,18m ainda ficaram na frente do brasileiro. Aliás, a prova do Darlan foi de extrema regularidade: 21,94m – x – 21,84m – 21,85m – 21,65m – 21,70m. Vale ressaltar que com essa marca, Darlan seria prata no Mundial de 2017 e no Rio-2016.

Nesta sexta, em Bruxelas, Andressa de Morais por muito pouco não fez história. Na final do arremesso de disco, ela vinha em 6º após 3 tentativas, mas foi subindo até que assumiu a liderança na última tentativa com 64,65m, pouco menos de meio metro do seu recorde continental. Mas ai veio a cubana Yaimé Pérez e marcou 65,00m para assumir a liderança. Restava apenas a (quase) imbatível croata Sandra Perkovic, que decepcionou e terminou em 3º com 64,31m. Depois de 3 quartos lugares em etapas da Diamond League, Andressa finalmente conseguiu um top-3 e por muito pouco não levou o diamante pra casa.

Os dois seguem agora para a República Checa onde disputarão no próximo fim de semana a Copa Continental, onde farão parte da equipe das Américas, ao lado de Laila Domingos no dardo e Vitória Cristina Rosa no revezamento 4x100m.

Campeonatos Europeus – Final

Show de Armand Duplantis e do time britânico no atletismo no dia das provas longas.

4100993c-4729-4839-b6ce-d1b7c82447e0

Armand Duplantis (SWE) após passar por 6,05m. Foto: Getty Images

O grande destaque do dia em Berlim foi a prova do salto com vara masculina. Com apenas 18 anos, o sueco Armand Duplantis colocou seu nome na história do atletismo. Ele já tinha feito 5,93m este ano, que era o recorde mundial sub20. Nesta final europeia, ele passou de 1ª em 5,95m, em 6,00m e em 6,05m (!!) para se tornar o 5º maior da história, igualando sua marca a Maksim Tarasov, Dmitri Markov e Renaud Lavillenie, todos com 6,05m na carreira, atrás apenas de Sergey Bubka, que tem 6,14m. O russo Timur Morgunov também entrou pro clube dos 6m ao fazer 6,00m pra ficar com a prata e Lavillenie foi bronze com 5,95m.

A polonesa Anita Wlodarczyk faturou seu 4º título seguido no lançamento de martelo com 78,94m na 4ª tentativa. Já o veterano português Nelson Évora venceu pela 1ª vez um europeu outdoor no salto triplo com 17,10m. Nos 5.000m feminino, recorde do campeonato para a holandesa Sifan Hassan com 14:46.12. A alemã Gesa-Felicitas Krause venceu os 3.000m com obstáculos com 9:19.80. Na maratona, vitórias da bielorrussa Volha Mazuronak com 2:26:22 e do belga Koen Naert com 2:09:51.

Fechando o atletismo, 3 ouros britânicos. Laura Muir faturou os 1.500m feminino com 4:02.32 e a Grã-Bretanha fez a dobradinha nos revezamentos 4x100m. Os homens venceram com 37.80 (legal a Turquia em 2º com 37.98) e as mulheres levaram com 41.88, melhor tempo do mundo em 2018. Com isso, Dina Asher-Smith faturou a trifeta da velocidade.

ap18224560861127-760x506

Eleftherios Petrounias (GRE). Foto: AP Photo/Darko Bandic

Em Glasgow, tivemos as finais por aparelhos da ginástica masculina. E tivemos mais uma espetacular performance de Eleftherios Petrounias nas argolas. Ele não perde essa prova desde 2015! Já são 4 títulos europeus, 2 mundiais e 1 olímpico. Agora ele tirou 15,466! O russo Artur Dalaloyan venceu o salto com 14,900 e as barras paralelas com 15,433. O britânico Dominick Cunningham foi ouro no solo com 14,666, o irlandês Rhys McClenaghan venceu o cavalo com alças com propriedade com 15,300 e o suíço Oliver Hegi levou a barra fixa com 14,700, deixando o multicampeão holandês Epke Zonderland em 2º com 14,400.

Seguindo nas provas longas (já tivemos as maratonas no atletismo), a italiana Arianna Bridi venceu os 25km águas abertas com 5:19:34.6, bateu apenas 0.1 na frente da holandesa Sharon van Rouwendaal, que por muito pouco não saiu de Glasgow com 4 ouros. No masculino, o húngaro Kristof Rasovszky levou seu 2º ouro, agora com 4:57:53.5 nos 25km. Na longa prova de ciclismo de estrada, o italiano Matteo Trentin venceu no sprint final após 5:50:02 de prova.

Mais um ouro italiano, agora nos saltos ornamentais com Elena Bertocchi e Chiara Pellacani no trampolim 3m sincronizado feminino com 289,26 contra 286,80 da dupla alemã. Na plataforma masculina, dobradinha russa com Aleksandr Bondar com espetaculares 542,05. No golfe, a dupla da Espanha venceu no masculino a Islândia na decisão e, no feminino, ouro para a Suécia sobre a França.

A Rússia (não inclui os atletas autorizados no atletismo) sai como grande vencedora dos Europeus, com 31 ouros, 19 pratas e 16 bronzes, 66 no total, seguida da Grã-Bretanha com 26-26-22, Itália 15-17-28, Holanda 15-15-13 e Alemanha 13-17-23. Ao todo, 25 países ganharam ouro e 34 medalharam nos europeus.

Campeonatos Europeus – Dia 10

Dia dos favoritos e dos irmãos em Berlim.

93177340-307e-41aa-808c-096aceec212e

Sandra Perkovic (CRO). Foto: Getty Images

No penúltimo dia do atletismo, a croata Sandra Perkovic segue sem adversárias no disco. Ela faturou o pentacampeonato europeu com 67,62m, mais de 4m a mais que a alemã Nadine Müller, prata. Outro que segue dominando sua prova é o polonês Adam Kszczot, que levou seu 3º título europeu seguido ao vencer os 800m com 1:44.59.

Dina Asher-Smith brilhou mais uma vez, agora nos 200m. A britânica marcou 21.89, melhor tempo do mundo no ano na prova e única a baixar de 22s esse ano. Bicampeã mundial, a holandesa Dafne Schippers foi prata com 22.14. 2º ouro nesse europeu também pro norueguês Jakob Ingebrigtsen, com apenas 17 anos. Ele venceu agora os 5.000m com 13:17.06, recorde europeu sub20, deixando seu irmão Henrik com a prata com 13:18.75.

9fabf82c-1cf8-4a63-bdf4-07b3c0ea33ce

Jakob Ingebrigtsen (NOR). Foto: Getty Images

A noite era mesmo dos irmãos. No 4x400m masculino, o time da Bélgica, ou melhor, o time Borlée, venceu com 2:59.47. Kevin, Jonathan e Dylan ao lado do campeão mundial Sub20 este ano Jonathan Sacoor, venceu o europeu com a mesma formação bronze este ano no Mundial indoor. Prata pros britânicos com 3:00.36 e bronze pra Espanha com 3:00.78. No feminino, vitória da equipe da Polônia com 3:26.59.

Os outros campeões do dia no atletismo foram os espanhóis Álvaro Martin na marcha 20km 1:20:42 e María Pérez na mesma prova no feminino 1:26:36, os alemães Mateusz Przybylko no salto em altura com 2,35m e Malaika Mihambo no salto em distância com 6,75m e a polonesa Justyna Swiety-Ersetic nos 400m feminino com 50.41.

laura_smulders_of_netherlands_waves_to_the_crowd_after_winning_gold_in_the_womens_final_during_the_bmx_on_day_ten

Laura Smulders (NED). Foto: Getty Images

Campeã mundial este ano, a holandesa Laura Smulders também venceu o euripeu de ciclismo BMX. Ela marcou 38.700 na decisão contra 38.965 da dinamarquesa Simone Christensen. No masculino, dobradinha britânica com Kyle Evans e Kyle Whyte.

A equipe da Rússia venceu com tranquilidade a prova por equipes da ginástica artística, somando 257,260 contra 253,362 da Grã-Bretanha e 246,928 da França. Até o último aparelho a briga estava parelha, mas na barra fixa, dois britânicos caíram (um deles duas vezes) e aí ficou fácil pra Rússia. Já nos saltos ornamentais, um ouro para cada um. A britânica Grace Reid venceu o trampolim de 3m e na plataforma mista, deu Rússia.

Mais um ouro holandês nas águas abertas. Na prova por equipes, a Holanda fez 52:35.0 contra 52:35.6 da Alemanha. Sharon van Rouwendaal estava na equipe e fatura seu 3º ouro! No revezamento misto do triatlo, vitória dos campeões mundiais franceses com 1:15:07, 11s mais rápidos que a Suíça. E na prova por equipes mistas do golfe, o ouro ficou com a Islândia com 141 tacadas contra 142 da equipe Grã-Bretanha 3.

Campeonatos Europeus – Dia 9

Com o fim da natação, o atletismo dominou o europeu nesta sexta-feira.

E está difícil alguém tirar a Mariya Lasitskene do topo no salto em altura. A russa teve sua sequência de 45 vitórias quebrada no mês passado, na Diamond Legue de Rabat, mas já voltou ao topo. Ela empatou com a búlgara vice olímpica no Rio Mirela Demireva com 2,00m, mas a russa passou na 2ª tentativa e a búlgara apenas na 3ª. Só falta agora pra Lasitskene o título olímpico.

428c489e-46ce-42fe-8be6-4f7e2b4c40de

Chegada dos 110m com barreiras. Foto: Getty Images

A belga campeã olímpica Nafissatou Thiam e a britânica Katarina Johnson-Thompson disputaram prova a prova o heptatlo, até o dardo, a 6ª prova. A britânica tinha 113 pontos de vantagem, mas com um dardo horrível de 42,16m contra um 57,91m de Thiam, caiu para 192 de desvantagem! Thiam podia perder os 800m por até 13s que seria ouro. Na corrida final, Johnson-Thompson fez 2:09.84 e Thiam 2:19.35 para vencer com 6816 pontos, melhor marca do mundo no ano, contra 6759 da britânica. Em outro belo duelo do dia, o francês Pascal Martinot-Lagarde venceu os 110m com barreiras com o mesmo tempo do favorito russo Sergey Shubenkov, 13.17, mas levou na foto.

A grega Paraskevi Papahristou venceu o salto triplo com 14,60m, a alemã levou o dardo com 67,90m, recorde do campeonato, a suíça Lea Sprunger faturou os 400m com barreiras com 54.33, o britânico Matthew Hudson-Smith foi ouro nos 400m com 44.78, a ucraniana Nataliya Pryshchepa levou os 800m com 2:00.38 e o norueguês de 17 anos Jakob Ingebrigtsen venceu os 1.500m com 3:38.10.

Os russos Evegnii Kuznetsov e Ilia Zakharov venceram o trampolim sincronizado masculino com 431,16 contra 430,62 dos campeões olímpicos Jack Laugher e Christopher Mears, impedindo o 3º ouro do britânico Mears. No trampolim de 1m feminino, vitória da russa Mariia Poliakova com 285,55.

Triathlon - European Championships Glasgow 2018: Day Nine

Pierre le Corre (FRA). Foto: ITU

Sem as grandes estrelas do triatlo, o francês Pierre le Corre venceu a prova masculina com 1:47:17, 11s de vantagem sobre o espanhol Fernando Alarza e 23s sobre o belga Marten va Riel. O bicampeão olímpico Alistair Brownlee ficou em 4º, 55s atrás do campeão. Destaque pra baita corrida do Alarza. Na transição do ciclismo era 15º, 1min23s atrás do líder, que já era o el Corre, e foi pra apenas 11s.

Campeonatos Europeus – Dia 8

Último dia da natação e show de marcas no atletismo.

64b944ff-2ce4-4fda-a1a6-96afd7d97139

Ramil Guliyev (TUR). Foto: Getty Images

O destaque da quinta-feira em Berlim foi o turco campeão mundial Ramil Guliyev. Nascido no Azerbaijão, ele compete desde 2011 pela Turquia. E na final dos 200m, fez a espetacular marca de 19.76, recorde do campeonato e 2ª melhor marca da história para um europeu, ficando atrás apenas do recorde continental do italiano Pietro Mennea de 19.72 de 1979! Boa prova das gregas no salto com vara. Ekaterini Stefanidi venceu com 4,85m e Nikoleta Kiriakopoulou foi prata com 4,80m.

O alemão campeão olímpico Thomas Röhler levou o lançamento de dardo com 89,47m, seguido de seu compatriota Andreas Hofmann com 87,60m. Tinha tudo para ser um pódio alemão, mas Johannes Vetter decepcionou com 83,27 e terminou em 5º. O norueguês Karsten Warholm e o cubano naturalizado turco Yasmani Copello repetiram o 1-2 do Mundial de 2017 nos 400m com barreiras. Warholm venceu com 47.64, recorde europeu sub-23, Copello foi prata com 47.81. O irlandês Thomas Barr foi bronze 48.31. Detalhe que os 3 tempos são melhores que a marca que deu ouro mundial pro Warholm.

O francês Mahiedine Mekhissi-Benabbad conquistou o tetracampeonato dos 3.000m com obstáculos, agora marcando 8:31.66. Ele seria penta, mas em 2014, antes de cruzar a linha de chegada, ele rasgou sua camisa e por isso foi desclassificado. A bielorrussa Elvira Herman venceu os 100m com barreiras com 12.67.

Depois do espetacular 21.11 na semifinal dos 50m livre, o melhor tempo na era pós-trajes, o britânico Ben Proud venceu a final da prova com 21.34. O grego Kristian Gkolomeev com 21.44 e o italiano Andrea Vergani com 21.68 completaram o pódio. Sarah Sjöström venceu seu 4º ouro individual, agora levando os 50m borboleta com 25.16. A russa Yuliya Efimova fez a trifeta no peito, agora vencendo os 50m com 29.81.

gettyimages-1013897788

Margherita Panziera (ITA). Foto: Getty Images

Foram mais 3 ouros pro forte time italiano no último dia: Piero Codia nos 100m borboleta com 50.64, recorde do campeonato, Margherita Panziera nos 200m costas com 2:06.18, também recorde do campeonato, e Simona Quadarella nos 400m livre 4:03.35, seu 3º ouro individual.

O húngaro David Verraszto levou os 400m medley com 4:10.65 e nos revezamentos 4x100m medley, mais dois recordes do torneio. A equipe britânica venceu no masculino com 3:30.44 (parcial “fraca” de 57.60 pro Peaty no peito) e arussa levou no feminino com 3:54.22 (espetaculares 1:03.95 da Efimova no peito).

Várias vitórias de campeões olímpicos no dia. O britânico Jack Laugher ganhou o trampolim 3m com 525,95 contra 519,05 do russo Ilia Zakharov, os holandeses Sharon van Rouwendaal e Ferry Weertman ganharam os 10km da maratona aquática, e a suíça Nicola Spirig ficou com o título do triatlo feminino. Sem campeão olímpico na prova, os russos Aleksandr Bondar e Viktor Minibaev foram ouro na plataforma sincronizada masculina.

Campeonatos Europeus – Dia 7

Adam Peaty, Sarah Sjöström e Katinka Hosszu (finalmente ela) brilham no 7º dia do campeonato.

As finais da natação da quarta-feira começaram com mais uma vitória do ucraniano Mykhaylo Romanchuk, agora nos 800m livre, com 7:42.96, deixando o italiano Grigorio Paltrinieri com a prata com 7:45.12 e o alemão campeão dos 1.500m Florian Wellbrock em 3º com 7:45.60. Sarah Sjöström levou seu 3º ouro em Glasgow, agora nos 100m livre. Depois de não vencer no Rio e no Mundial de 2017, a sueca levou a prova no europeu com 52.93, bem acima do seu WR de 51.71 da abertura do revezamento 4x100m no mundial de 2017. A holandesa Femke Heemskerk foi prata com 53.23 e a francesa campeã dos 200m Charlotte Bonnet bronze com 53.35.

gettyimages-1013271006

Adam Peaty (GBR) após vencer os 50m peito. Foto: Getty Images

Sem adversários, o britânico Adam Peaty levou os 50m peito com 26.09, muito a frente do resto e a apenas 0.14 do seu WR. O italiano Fabio Scozzoli ficou em 2º com 26.79 e o esloveno Peter John Stevens bronze com 27.06. Evgeny Rylov venceu os 200m costas com a super marca de 1:53.36, novo recorde europeu, milhas a frente dos outros. O polnês Radoslaw Kawecki foi prata com 1:56.07, bem longe de Rylov.

Ela quase não nadou nesse Europeu. Apenas em sua 2ª (e última) prova individual, Katinka Hoszzu venceu pela 5ª vez seguida os 200m medley no Europeu, agora com 2:10.17, mas a italiana Ilaria Cusinato chegou perto com 2:10.25.No 4x100m livre misto, a França levou a melhor com recorde do campeonato de 3:22.07.

No atletismo, a Polônia levou mais uma prova de campo, agora com Paulina Guba surpreendendo a favorita da casa no arremesso de peso, a alemã Christina Schwanitz (lembrando que o atletismo é em Berlim). Guba marcou 19,33m contra 19,19m de Schwanitz. No salto em distância, ótima marca do grego Miltiadis Tentoglu com 8,25m. No disco, vitória do lituano campeão mundial Andrius Gudzius, com 68,46m na última tentativa! Ela tirou o sueco Daniel Stahl do ouro, que acabou com a prata com 68,23m. Esta foi a prova de despedida do tricampeão mundial e campeão olímpico em Londres, o alemão Robert Harting, que terminou em 6º com 64,33m.

A queniana naturalizada israelense Lonah Chemtai Salpeter venceu os 10.000m com 31:43.29. Ela foi pra Israel como babá pro embaixador queniano, conheceu seu técnico com quem se casou e depois recebeu a cidadania. Ela já disputou os Jogos do Rio como israelense. No decatlo, o alemão Arthur Abele ficou com o ouro com 8431 pontos, aproveitando que o francês campeão mundial Kevin Mayer não conseguiu marca válida no salto em distância.

gettyimages-1013093898_1_0

Sharon van Rouwendaal (NED). Foto: Getty Images

A Holanda levou mais 3 ouros, um em cada modalidade. Celine Maria van Duijn venceu a plataforma feminina nos saltos ornamentais com 319,10, deixando a italiana favorita Noemi Batki com a prata com 315,00. A campeã olímpica Sharon van Rouwendaal venceu os 5km das águas abertas e Ellen van Dijk levou o contrarrelógio no ciclismo estrada, numa dobradinha holandesa com Anna van der Breggen.

Os outros ouros do dia ficaram com os alemães Lou Massenberg e Tina Punzel no trampolim sincronizado misto, com o húngaro Kristof Rasovszky nos 5km nas águas abertas e com o belga Victor Campenaerts no contrarrelógio masculino.