Ouro inédito e segue a polêmica no Levantamento de Peso

rosane-do-santos-fica-em-quinto-quinto-na-categoria-ate-53-kg-1470623853053_v2_900x506

Rosane no Rio-2016

No Pan de levantamento de peso em Miami, Rosane Santos conseguiu um feito inédito. 5ª nos Jogos do Rio e uma das melhores do mundo na sua categoria (53kg), Rosane se tornou a 1ª mulher brasileira a ser campeã pan-americana no esporte! Ela foi ouro no arranco com 88kg, 4ª no arremesso com 106kg e ficou com o ouro no total com 194kg, 1kg a mais que a americana Caitlin Hogan e 1kg a mais que a marca feita nos Jogos do Rio. Rosane faz a 3ª melhor marca do ano na sua categoria, atrás apenas de duas chinesas, Wei Chengji com 200kg no campeonato asiático e Zhu Qiaoling com 197kg no Mundial Juvenil.

Os irmãos Marco e Mateus Machado também subiram ao pódio. Marco foi prata nos 94kg com 361kg no total (prata no arranco 166kg e bronze no arremesso 195kg) enquanto Mateus foi bronze no +105kg com 378kg (prata no arranco 176kg e 4º no arremesso 202kg). Ainda tivemos o bronze de Letícia Laurindo no arranco 53kg com 86kg e a prata de Monique Lima no arranco 75kg com 103kg.

Mas a grande polêmica veio com Fernando Reis. Principal nome do esporte no Brasil e 5º colocado no Rio-2016, Fernando mora e treina em Miami, mas não veio ao Brasil disputar o Campeonato Brasileiro no fim de maio. A única seletiva pro Pan era o Campeonato Brasileiro e, como Fernando não o disputou, não foi convocado. Ainda assim, ele disputou o Pan como atleta extra e seus resultados não entraram nas súmulas da competição. Ele bateu o recorde pan-americano  no arranco com 198kg, fez 225kg no arremesso, somando 423kg no total, que lhe daria com folga o ouro na prova.

O problema é que ele não deve ser convocado também para o Mundial, que será em Anaheim, nos EUA, em novembro. E promete entrar na Justiça por uma vaga. Há uma rixa forte entre Fernando e o atual presidente da CBLP, Enrique Montero Dias.

Se tivesse vindo pro Brasileiro, nada disso teria acontecido. Até César Cielo, quando era campeão olímpico, vinha dos EUA disputar o Maria Lenk para conseguir vaga em qualquer competição.

Anúncios

Resumo olímpico da semana

Judô

Num Grand Prix sem grandes nomes, o Brasil reinou absoluto em Cancun, vencendo 5 ouros, 2 pratas e 1 bronze.

78reac-1497838360-1497838360

Mayra Aguiar

Em sua primeira competição no ano, Mayra Aguiar nem precisou se esforçar muito. Com apenas 6 judocas na chave dos 78kg, Mayra já estava direto na semifinal. Na decisão, só precisou de 1min15 e ficou com o ouro sobre a britânica Natalie Powell. Gabriela Chibana foi ouro nos 48kg, derrotando na semi a húngara medalhista olímpica Eva Csernoviczki. Os outros 3 ouros vieram com Marcelo Contini (73kg), David Moura (+100kg – também só precisou de 2 lutas) e Ketleyn Quadros (63kg).

Phelipe Pelim (60kg) e Sarah Menezes (52kg) ficaram com medalhas de prata e Victor Penalber (81kg) foi bronze. Esta foi a última competição da seleção antes da definição da equipe que irá ao Mundial, em Budapeste, no fim de agosto.

Levantamento de Peso

foto-2

Luana Madeira

Luana Madeira ganhou duas medalhas no Mundial Juvenil de levantamento de peso, em Tóquio. Na categoria 48kg, ela foi prata no arranco com 79kg atrás da tailandesa Thunya Sukcharoen, com 82kg, e bronze no total com 169kg, atrás du Sukcharoen com 179kg e de outra tailandesa, Chiraphan Nanthawong, com 174kg. No arremesso, Luana ficou em 6º com 90kg.

Em 2015, Luana já havia entrado pra história com o bronze no histórico Mundial da Juventude, quando Brasil conquistou 3 medalhas nos totais e 6 somando arranco e arremesso.

Tênis

880x400_noticia_5947064f203a6_18-06-2017_20-01-35

Jamie Murray e Bruno Soares em Stuttgart

Dois títulos de duplas na grama na semana. Bruno Soares e Jamie Murray venceram o título do ATP250 de Stuttgart com 67(4) 75 [10-5] sobre o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic. Foi o 25º título da carreira do Bruno e o 5º da dupla em 8 finais. 7º título do Bruno na grama.

Marcelo Melo e Lukasz Kubot venceram no ATP250 de Den Bosch, na Holanda. Eles fizeram 63 64 e Rajeev Ram/Raven Klaasen. Também foi o 25º título do Marcelo e o 5º da dupla em 6 finais. E foi apenas o seu 1º na grama!

Outros Esportes:

Ana Sátila foi o destaque na 1ª etapa da Copa do Mundo de canoagem slalom. Ela fez a única final o Brasil, no C1, mas perdeu 4 portas seguidas e terminou em 10ª e último lugar. Pepê pegou semi do K1, onde terminou em 19º.

Maria Clara/Carol ficaram com o título do Aberto de Haia de vôlei de praia. Elas venceram as suíças Heidrich/Vergé-Depré por 21-17, 21-11. Ágatha/Duda ficaram com o bronze ao vencerem as canadenses Pavan/Humana-Paredes por 16-21, 21-13, 15-11.

– A seleção brasileira masculina encerrou a primeira fase da Liga Mundial de vôlei masculino com mais 2 vitórias e 1 derrota, assim como nas outras 2 semanas. Venceu a Bulgária por 3-0 (25-15, 25-19, 25-22), depois perdeu de 3-1 (19-25, 25-21, 25-22, 25-19) pra Argentina. Por fim, venceram 3-1 (25-22, 25-16, 17-25, 25-23) a Sérvia. O Brasil terminou em 2º no geral, atrás apenas da França (8V-1D).

Lucas da Silva Carvalho venceu prova de 400m em São Bernardo com 45.45 e baixou do índice pro Mundial de atletismo, o 1º nesta prova.

– Nenhuma final na Copa do Mundo de rifle/pistola em Gabala, no Azerbaijão. Os melhores resultados foram de Felipe Wu, 22º na pistola de ar 10m e 23º na pistola 50m.

Bruno Fratus venceu as 3 provas de 50m livre no Circuito Mare Nostrum. Em Canet, na última etapa, venceu com 21.92, nadando pela 6ª vez esse ano abaixo dos 22s.

– Confederação convoca equipe para o Mundial de BMX sem Renato Rezende. Lesão foi mesmo complicada. Irão Anderson Ezequiel, Julia Alves dos Santos, Priscilla Carnaval e Paola Santos (júnior).

– 6 brasileiros disputaram o Karate Serie A de Toledo, na Espanha. Nos 55kg, Valéria Kumizaki venceu 3 lutas até perder para argelina nas 8as. Nos 60kg, Rafael Nascimento disputou o bronze, mas perdeu para italiano por 2-1.

– Alexandre Rocha não passou do corte no Air Capital Classic, válido pelo web.com Tour de golfe, ficando a 2 tacadas de avançar.

Boxe, esgrima e remo em posts individuais.

Polêmica solta no levantamento de peso

Na outra semana, BH recebeu o Brasileiro de levantamento de peso, que contou com 87 atletas, brigando por medalhas e por vaga na seleção que irá ao Pan, em Miami, em julho. Tivemos resultados bem fracos, mas alguns bem interessantes.

levantamento-de-peso-feminino

Rosane Santos nos Jogos do Rio

O melhor resultado foi da Rosane Santos nos 53kg. Ela somou 192kg no total, apenas 1kg abaixo da sua marca nos Jogos do Rio, quando terminou na surpreendente 5ª colocação, a 6kg de uma medalha. Letícia Moraes fez 190kg na mesma categoria, outra boa marca. As duas, aliás, fizeram marcas bem melhores que os 180kg que deu ouro para Eliane Nascimento na categoria bem acima, os 69kg.

No masculino, destaque para Marco Tulio Machado, nos 94kg. Ele levantou no total 360kg o que o colocaria em 11º nos Jogos do Rio. Sem Fernando Reis, Mateus Machado venceu a categoria +105kg com 394kg no total, ainda longe dos 435kg do Fernando no Rio.

A polêmica veio com a convocação para o Pan, que não tem Fernando Reis, parecendo uma retaliação da CBLP por ele não ter vido ao Brasil disputar o campeonato nacional, única seletiva pro torneio, optando por ficar nos EUA treinando. Bicampeão dos Jogos Pan-Americanos, ele seria uma das maiores chances de ouro. Mas a CBLP seguiu os seus critérios, parecido com o que ocorre na CBDA. Quer ir ao Mundial? Tem que fazer índice nas provas no Brasil. Ele fará falta, mas #ficaadica.

Prévias Rio-2016: Levantamento de Peso

Após muitas polêmicas na qualificação, finalmente chegamos a lista de inscritos pros Jogos. Muitos casos de doping fizeram com que a federação internacional (IWF) retirasse vagas de países com casos múltiplos de doping e até baniu a Bulgária há alguns anos. O anúncio de dopings de Pequim-2008 e de Londres-2012 ocasionarão a ausência de alguns até então favoritos e grandes nomes do esporte, como o cazaque Ilia Ilyin, que jamais havia perdido uma prova na carreira e que agora entrou para  alista de maiores fraudes da história, já que perderá seus dois ouros olímpicos.

Outro fato que dificulta a prévia da modalidade é o formato da qualificação. Como não há vagas definidas para cada peso, cada país escolhe o atleta que quiser para enviar aos Jogos. Com isso, temos disparidades grandes no número de atletas em cada categoria. No masculino, por exemplo, temos uma categoria com 13 atletas inscritos, enquanto em outras duas temos 23. No feminino, esse número varia de 10 a 19. Por isso uma prévia melhor só pode aparecer após o anúncio dos inscritos.

Os pódios do mundial de 2015 já estão sem os atletas com resultados positivos nos exames anti-doping, que foram muitos.

56kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Om Yun-chol (PRK); Prata – Wu Jingbiao (CHN); Bronze -Valentin Hristov (AZE)

Último Mundial (2015): Ouro – Om Yun-chol (PRK); Prata – Wu Jingbiao (CHN); Bronze – Thach Kim Tuan (VIE)

ap961834491230

Om Yun-chol (PRK)

O norte-coreano Om Yun-chol (1O) vem de um tricampeonato mundial seguido. Campeão olímpico em Londres, Om é o atual recordista mundial do arremesso e principal favorito ao ouro na categoria mais leve do levantamento de peso. Sua principal ameaça é o vietnamita Thach Kim Tuan, que esteve no pódio dos últimos 3 mundiais. Campeão mundial juvenil em 2014, Tuan venceu os Jogos Olímpicos da Juventude em 2010 e foi prata na última edição dos Jogos Asiáticos.

Esta categoria é historicamente dominada por asiáticos, então também são favoritos a medalha o chinês Long Qingquan (1O), campeão dela em Pequim-2008 e 4 vezes medalhista em mundiais. Outros com boas chances de medalha são o filipino Nestor Colonia, campeão asiático em 2015, os tailandeses Sinphet Kruaithong e Witoon Mingmoon e o cazaque Arli Chontey. O colombiano Habib de la Rosa pode quebrar o domínio asiático.

E o Brasil? O Brasil não participa da prova.

Meu Pódio: Ouro – Om Yun-chol (PRK); Prata – Long Qingquan (CHN); Bronze – Thach Kim Tuan (VIE)

62kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Kim Un-guk (PRK); Prata – Óscar Figueroa (COL); Bronze -Eko Yuli Irawan (INA)

Último Mundial (2015): Ouro – Chen Lijun (CHN); Prata – Francisco Mosquera (COL); Bronze – Óscar Figueroa (COL)

Bicampeão mundial em 2013 e 2015, o chinês Chen Lijun tem a melhor marca em bom tempo com 333kg no total e é o favorito ao ouro. Atrás dele vem a dupla colombiana medalhista no último mundial: Francisco Mosquera e Óscar Figueroa (1P). Ambos fizeram 315kg no último mundial e devem brigar pela prata e bronze, mas Mosquera foi prata na ocasião por ser 370g mais leve que Figueroa, prata em Londres.

Um pouco atrás deles temos o indonésio Eko Yuli Irawan (2B), bronze em Londres nesta categoria, o bielorrusso Stanislau Chadovich, o japonês Yoichi Itokazu e o egípcio Ahmed Saad.

E o Brasil? O Brasil não participa da prova.

Meu Pódio: Ouro – Chen Lijun (CHN); Prata – Óscar Figueroa (COL); Bronze – Francisco Mosquera (COL)

69kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Lin Qingfeng (CHN); Prata – Triyatno (INA); Bronze – Razvan Martin (ROU)

Último Mundial (2015): Ouro – Shi Zhiyong (CHN); Prata – Oleg Chen (RUS); Bronze – Daniyar Ismayilov (TUR)

Campeão mundial no ano passado, o chinês Shi Zhiyong tem 348kg levantados no total nesta ocasião e chega ao Rio com um pouco de vantagem sobre os outros. Três vezes vice mundial, inclusive em 2015, o russo Oleg Chen vem com 4kg a menos que o chinês levantados no Mundial do ano passado.

Com dois bronzes em mundiais, o norte-coreano Kim Myong-hyok deve chegar bem ao Rio, assim como o turco Daniyar Ismayilov, atual bicampeão europeu. Também ficar de olho no colombiano Luis Javier Lozano e em Izzat Artykov, do Quirguistão.

E o Brasil? O Brasil não participa da prova.

Meu Pódio: Ouro – Shi Zhiyong (CHN); Prata – Daniyar Ismayilov (TUR); Bronze – Kim Myong-hyok (PRK)

77kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Lu Xiaojun (CHN); Prata – Lu Haojie (CHN); Bronze – Ivan Cambar (CUB)

Último Mundial (2015): Ouro – Nijat Rahimov (KAZ); Prata – Mohamed Ihab (EGY); Bronze – Andranik Karapetyan (ARM)

lu-xiaojun-chn-4-szj-1024x683

Lu Xiaojun (CHN)

O chinês Lu Xiaojun (1O) venceu em Londres e é dono do recorde mundial. Ele foi ouro no arranco no mundial do ano passado, mas errou nas 3 tentativas do arremesso e ficou sem medalha no total, mas ainda assim é favoritíssimo a 2º ouro olímpico. O cazaque Nijat Rahimov venceu o mundial graças ao erro do chinês e também briga por medalha. Ele defendia o Azerbaijão, por onde venceu o ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2010.

Prata no Mundial, o egípcio Mohamed Ihab Mahmoud também foi bronze no mundial de 2014 e tem boas chances de medalha. Campeão europeu este ano, o armênio Andranik Karapetyan já melhorou este ano a sua marca de 2015 e briga por uma prata ou bronze. Também tem chances o norte-coreano Choe Jon-wi e o tailandês Chatuphum Chinnawong, 4º em Londres na categoria com o menor número de concorrentes, apenas 13.

E o Brasil? O Brasil não disputa a prova.

Meu Pódio: Ouro – Lu Xiaojun (CHN); Prata – Andranik Karapetyan (ARM); Bronze – Nijat Rahimov (KAZ)

85kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Adrian Zielinski (POL); Prata – Apti Aukhadov (RUS)*(deve ser desclassificado); Bronze – Kianoush Rostami (IRI)

Último Mundial (2015): Ouro – Artem Okulov (RUS); Prata – Kianoush Rostami (IRI); Bronze – Apti Aukhadov (RUS)

O russo Artem Okulov foi campeão mundial em 2015 com 391kg no total e tem outras 2 medalhas em mundiais adultos, 2 ouros em mundiais juvenis e um ouro no mundial infanto-juvenil. Mas este ano o iraniano Kianoush Rostami já fez 395kg em prova no Irã e aparece como favorito ao ouro.

Ouro no arranco no último mundial mas sem marca no arremesso, o chinês Tian Tao pode atrapalhar o plano dos dois. Brigam por um bronze o ucraniano Oleksandr Pielieshenko, campeão europeu este ano, o romeno Gabriel Sincraian, o cazaque Denis Ulanov e o cubano Yoelmis Paumier. Esta será a maior categoria dos Jogos, com 25 atletas.

E o Brasil? Welisson da Silva disputa sua 2ª Olimpíada e tem como melhor marca apenas 328kg, que lhe rendera um fraco 7º lugar no pan-americano deste ano. Briga para ficar entre os top-20 e para apagar a imagem dele caindo com a barra sobre ele em Pequim.

Meu Pódio: Ouro – Kianoush Rostami (IRI); Prata – Artem Okulov (RUS); Bronze – Tian Tao (CHN)

94kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Ilya Ilyin (KAZ)* (deve ser desclassificado); Prata – Aleksandr Ivanov (RUS); Bronze – Anarolie Ciricu (MDA)

Último Mundial (2015): Ouro – Vadzim Straltsou (BLR); Prata – Adrian Zielinski (POL); Bronze – Dmytro Chumak (UKR)

Campeão mundial no ano passado, o bielorrusso Vadzim Straltsou tem a melhor marca de inscrição, com 405kg do último mundial e chega como favorito. Colado nele temos o lituano Aurimas Didzbalis, que venceu o arranco, mas queimou as 3 no arremesso em 2015, mas ainda assim fez 403kg no europeu de 2015.

O iraniano Sohrab Moradi fez 400kg este ano em prova em Teerã e deve pegar pódio. Brigam por medalha também o polonês campeão europeu este ano Tomasz Zielinski e seu irmão Adrian Zielinski (1O), campeão olímpico em Londres na categoria abaixo, e o russo Adam Maligov.

E o Brasil? O Brasil não participa da prova.

Meu Pódio: Ouro – Vadzim Straltsou (BLR); Prata – Sohrab Moradi (IRI); Bronze – Aurimas Didzbalis (LTU)

105kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Oleksiy Torokhtiy (UKR); Prata – Navab Nassirshalal (IRI); Bronze – Bartlomiej Bonk (POL)

Último Mundial (2015): Ouro – Alexandr Zaichikov (KAZ); Prata – David Bedzhanyan (RUS); Bronze – Arturs Plesnieks (LAT)

Sem o ex-favorito cazaque Ilya Ilyin punido por doping, o favoritismo recai sobre seu compatriota Alexandr Zaichikov, atual campeão mundial. Um pouco atrás aparece o russo David Bedzhanyan, pódio nos últimos 3 mundiais.

Bronze em Londres, o polonês Bartlomiej Bonk (1B) venceu o europeu no ano passado. Numa categoria bem aberta, também tem chances de pódio o iraniano Mohammadreza Barari, o letão Arturs Plesnieks, atual campeão europeu e bronze no mundial de 2015, o armênio Simon Martirosyan, ouro nos Jogos da Juventude de 2014, e o chinês Yang Zhe.

E o Brasil? Mateus Machado foi bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015, mas briga no máximo por um top-10 numa categoria com 17 atletas.

Meu Pódio: Ouro – Alexandr Zaichikov (KAZ); Prata – David Bedzhanyan (RUS); Bronze – Bartlomiej Bonk (POL)

Acima de 105kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Behdad Salimi (IRI); Prata – Sajjad Anoushiravani (IRI); Bronze – Ruslan Albegov (RUS)

Último Mundial (2015): Ouro – Lasha Talakhadze (GEO); Prata – Mart Seim (EST); Bronze – Gor Minasyan (ARM)

behdad-salimi

Behdad Salimi (IRI)

Na categoria mais pesada no masculino, 23 atletas brigarão por medalha. Sem o russo que venceu e depois perdeu por doping o último mundial, o favorito é o georgiano Lasha Talakhadze, que fez 454kg no ano passado no mundial e 463kg este ano no europeu. Mas os iranianos Bahador Moulaei e Behdad Salimi (1O) podem repetir a dobradinha iraniana que ocorreu em Londres. Os iranianos, aliás, tem dominado esta prova nos últimos 15 anos.

Outros bons concorrentes são o armênio Gor Minasyan, o estoniano Mart Seim, o russo Ruslan Albegov, o taiwanês Chen Shih-chieh, o alemão Almir Velagic e o egípcio Ahmed Mohamed.

E o Brasil? Fernando Reis foi top10 nos últimos 3 mundiais, bicampeão dos Jogos Pan-Americanos e tem dominado a prova nas Américas. Tem chegado perto dos 430kg em competições, mas no evento-teste sentiu uma lesão em sua única competição este ano. Para medalhar, precisaria de uns 445kg no total. Ele tem chances, mas está um pouco acima do que já conseguiu em competições recentes. Difícil, mas não impossível. Ele está na briga.

Meu Pódio: Ouro – Behdad Salimi (IRI); Prata – Lasha Talakhadze (GEO); Bronze – Bahador Moulaei (IRI)

48kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Wang Mingjuan (CHN); Prata – Hiromi Miyake (JPN); Bronze – Ryang Chun-hwa (PRK)

Último Mundial (2015): Ouro – Jiang Huihua (CHN); Prata – Vuong Thi Huyen (VIE); Bronze – Hiromi Miyake (JPN)

Esta categoria é historicamente dominada por chinesas. Elas venceram as últimas duas Olimpíadas e 22 das 25 edições de mundiais! A favorita da vez é a chinesa Hou Zhihui, vice-campeã mundial juvenil em 2015 com 204kg. Mas ela depois fez 211kg no Grand Prix, só que disputando a categoria até 53kg. Sua principal adversária será a tailandesa Sopita Tanasan, que também está descendo de categoria. Ela foi 4ª no Mundial nos 53kg com 210kg no total.

Brigam por um bronze a vietnamita Vuong Thi Huyen, a taiwanesa Chen Wei-ling (1B), a japonesa Hiromi Miyake (1P), prata em Londres, e a indonésia Sri Wahyuni Agustiani, campeã mundial juvenil em 2014.

E o Brasil? O Brasil não disputa a prova.

Meu Pódio: Ouro – Hou Zhihui (CHN); Prata – Sopita Tanasan (THA); Bronze – Vuong Thi Huyen (VIE)

53kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Zulfiya Chinshanlo (KAZ)* (deve ser desclassificada); Prata – Hsu Shu-ching (TPE); Bronze – Cristina Iovu (MDA)

Último Mundial (2015): Ouro – Hsu Shu-ching (TPE); Prata – Chen Xiaoting (CHN); Bronze – Hidilyn Diaz (PHI)

A briga ficará entre a chinesa Li Yajun, campeã mundial em 2013, e a taiwanesa Hsu Shu-ching, atual campeã mundial. Ambas levantaram 221kg no ano passado, a chinesa no Grand Prix e a taiwanesa no mundial. Na categoria com o menor número de concorrentes desses Jogos (apenas 10), a filipina Hidilyn Diaz, bronze no último mundial, tem belas chances de conquistar a 1ª medalha olímpica de seu país desde Atlanta-1996.

A sul-coreana Yoon Jin-hee (1P) foi prata em Pequim, mas no asiático deste ano fez 20kg a menos que sua melhor marca, então ficará um pouco aquém do pódio. Completam esse 2º escalão a indonésia Dewi Safitri e a japonesa Kanae Yagi.

E o Brasil? Rosane dos Reis Santos teve como melhor resultado um 10º lugar no esvaziado Mundial de 2013. No evento-teste que valia como sul-americano, fez sua melhor marca da carreira com 195kg e brigaria por um 5º lugar.

Meu Pódio: Ouro – Li Yajun (CHN); Prata – Hsu Shu-ching (TPR); Bronze – Hidilyn Diaz (PHI)

58kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Li Xueying (CHN); Prata – Pimsiri Sirikaew (THA); Bronze – sem medalha no momento por conta de doping

Último Mundial (2015): Ouro – Boyanka Kostova (KAZ); Prata – Deng Mengrong (CHN); Bronze – Kuo Hsing-chun (TPE)

Thailand's Pimsiri Sirikaew reacts after successful lift on the women's 58Kg Group A weightlifting competition at the London 2012 Olympic Games

Pimsiri Sirikaew (THA)

A favorita da categoria seria a azeri Boyanka Kostova, pega no doping nas reanálises dos Jogos de Londres e que fez com o Azerbaijão perdesse as vagas olímpicas. Sem chinesas na categoria, o favoritismo recai sobre a taiwanesa Kuo Hsing-chun, bronze no último Mundial e campeã mundial em 2013.

Duas tailandesas vem logo atrás: Sukanya Srisurat e Pimsiri Sirikaew (1P), prata em Londres nesta categoria, depois subiu pros 63kg e agora volta aos 58kg. De olho na colombiana Lina Marcela Rivas, 5ª no último mundial, e na equatoriana Alexandra Escobar, 6ª, que podem surpreender.

E o Brasil? O Brasil não disputa a prova.

Meu Pódio: Ouro – Pimsiri Sirikaew (THA); Prata – Kuo Hsing-chun (TPE); Bronze – Sukanya Srisurat (THA)

63kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Maiya Maneza (KAZ)* (deve ser desclassificada); Prata – Svetlana Tsarukayeva (RUS); Bronze – Christine Girard (CAN)

Último Mundial (2015): Ouro – Deng Wei (CHN); Prata – Tima Turieva (RUS); Bronze – Choe Hyo-sim (PRK)

Atual bicampeã mundial, a chinesa Deng Wei não deve encontrar dificuldades para vencer o ouro. Com 259kg obtidos no último mundial, tem boa vantagem sobre a segunda favorita, a russa Tima Turieva, que fez 248kg no ano passado.

Disputariam o bronze a norte-coreana Choe Hyo-sim e a cazaque Karina Goricheva, que fizeram a mesma marca no último mundial. A taiwanesa Lin Tzu-chi, a colombiana Mercedes Perez e a tailandesa Siripuch Gulnoi também podem surpreender.

E o Brasil? O Brasil não disputa a prova.

Meu Pódio: Ouro – Deng Wei (CHN); Prata – Tima Turieva (RUS); Bronze – KArina Goricheva (KAZ)

69kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Rim Jong-sim (PRK); Prata – Roxana cocos (ROU); Bronze – Maryna Shkermankova (BLR)* (deve ser desclassificada)

Último Mundial (2015): Ouro – Xiang Yanmei (CHN); Prata – Zhazira Zhapparkul (KAZ); Bronze – Anastasia Romanova (RUS)

Mais uma chinesa favorita, agora com Xiang Yanmei, bicampeã mundial. Ela levantou 263kg no último mundial. Prata nos dois últimos mundiais, a cazaque Zhazira Zhapparkul tem os mesmo 263kg como melhor marca pessoal. A colombiana Leidy Solis fez 256kg nos Jogos Pan-Americanos e briga por uma medalha também.

Também de olho na russa Anastasiia Romanova, na egípcia Sara Ahmed e na mongol Ankhtsetseg Munkhjantsan.

E o Brasil? O Brasil não disputa a prova.

Meu Pódio: Ouro – Zhazira Zhapparkul (KAZ); Prata – Xiang Yanmei (CHN); Bronze – Sara Ahmed (EGY)

75kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Svetlana Podobedova (KAZ)* (deve ser desclassificada); Prata – Natalya Zabolotnaya (RUS); Bronze – Iryna Kulesha (BLR)

Último Mundial (2015): Ouro – Kang Yue (CHN); Prata – Rim Jong-sim (PRK); Bronze – Svetlana Podobedova (KAZ)

Sem nenhuma campeã mundial na prova, o favoritismo recai sobre a vice mundial, a norte-coreana Rim Jong-sim, que tem 280kg obtidos no Mundial de 2015. Bem longe, vem a espanhola Lidia Perez, com 263kg e boas chances de pódio.

Muito perto da espanhola temos a bielorrussa Darya Naumava, a ucraniana Iryna Dekha e a francesa Gaelle Verlaine Ketchanke.

E o Brasil? Jaqueline Ferreira tem como melhor marca pessoal 235kg que lhe renderam o ótimo 10º lugar no mundial do ano passado. Com apenas 13 na sua categoria, deve brigar pelo 7º-8º lugar.

Meu Pódio: Ouro – Rim Jong-sim (PRK); Prata – Darya Naumava (BLR); Bronze – Lidia Perez (ESP)

Acima de 75kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Zhou Lulu (CHN); Prata – Tatiana Kashirina (RUS); Bronze – Hripsime Khurshudyan (ARM)

Último Mundial (2015): Ouro – Tatiana Kashirina (RUS); Prata – Meng Suping (CHN); Bronze – Kim Kuk-hyang (PRK)

tatianakashirinaolympicsday9weightliftingkqv-qicbjmll

Tatiana Kashirina (RUS)

Sem chinesas na prova, a russa Tatiana Kashirina (1P) é tetracampeã mundial e a única no Rio com mais de 300kg levantados. Ela fez no último mundial 333kg e vai sobrar na disputa do ouro.

A briga pelas outras medalhas vai ser mais dura, e quem tem a melhor chance de passar dos 300kg é a norte-coreana Kim Kuk-hyang, bronze no último mundial. A americana Sarah Robles, a sul-coreana Son Young-hee, a ucraniana Anastasiia Lysenko e a egípcia Shaimaa Haridy.

E o Brasil? O Brasil não disputa a prova.

Meu Pódio: Ouro – Tatiana Kashirina (RUS); Prata – Kim Kuk-hyang (PRK); Bronze – Sarah Robles (USA)

Perfil 2016 – Ilia Ilyin (KAZ)

13/75

Ilia Ilyin

Levantamento de Peso

Até 105kg masculino

Jogos Olímpicos: 2 ouros

Mundiais: 4 ouros

O cazaque Ilya Ilyin não sabe o que é perder.

Apesar do baixo número de competições que disputa, ele jamais deixou de ganhar o ouro quando subiu para competir no levantamento de peso, mesmo subindo duas vezes de categoria.

Sua carreira internacional começou em 2005, aos 17 anos, quando se tornou campeão mundial juvenil na categoria 85kg, com 374kg no total. No mesmo ano, foi para o Mundial em Doha. Ele começou mal no arranco, ficando em 7º com 170kg a 15kg do líder, que quebrou o recorde mundial na ocasião, mas com um belo arremesso de 216kg, somou 386kg para faturar seu primeiro título mundial com 1kg de vantagem sobre chinês. Neste ano, foi eleito o Atleta do Ano pela IWF pela 1ª vez.

Em 2006, Ilyin subiu de peso, agora competindo nos 94kg. Ainda como juvenil, venceu o Mundial da categoria, passando dos 400kg no total pela 1ª vez. No Mundial adulto, fez parte de uma prova espetacular. No arrnaco, fez a 3ª marca com 175kg, atrás de dois russos, Roman Konstantinov com 177kg e Mukhama Sozaev com 176kg. No arremesso, fez a 2ª marca com 217kg, 2kg pior que o polonês Szymon Kolecki. No total, Ilyin, Kolecki e Konstantinov empataram com 392kg com Sozaev logo atrás com 391kg, mas por ser o mais leve, Ilyin faturou seu 2º título mundial, ainda com 18 anos! Encerrou o ano com o título dos Jogos Asiáticos, em Doha. Foi novamente escolhido como melhor atleta do ano.

O cazaque só voltou a competir nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008. Com 180kg no arrnaco e 226kg no arremesso, somou 406kg no total para vencer seu 1º título olímpico, 3kg a mais que Kolecki, faturou um dos dois ouros cazaques nos jogos chineses.

Em mais um longo hiato de competição, Ilyin só voltou a competir no final de 2010, vencendo os Jogos Asiáticos pela 2ª vez, com 394kg no total, em Guangzhou. No ano seguinte, no Mundial de Paris, ele novamente venceu no desempate! Mal no arranco em 5º com 181kg, venceu o arremesso com 226kg, o suficiente para empatar com o ucraniano Artem Ivanov com 407kg no total, mas por ser mais leve, ficou com o ouro.

Nos Jogos de Londres, chegou como grande favorito e sobrou na prova. No arranco, fez sua melhor marca da carreira com 185kg e, graças ao excelente arremesso de 233kg, também seu melhor da vida e recorde mundial, somou 418kg (mais um recorde mundial) para faturar seu 2º título olímpico.

Com mais um intervalo de 2 anos, o cazaque voltou às competições no Mundial de 2014, subindo de categoria para os 105kg. Ele foi 3º no arranco com 190kg, mas com 242kg, bateu o recorde mundial e ficou com o ouro com 432kg. Novamente ele empatou, agora com o uzbeque Ruslan Nurudinov, mas levou por ser mais leve. Em 2015, ele disputou apenas a Copa Presidente, na Rússia, onde venceu com 437kg no total, mais um recorde mundial para sua carreira. Nos dois anos ele foi eleito o melhor atleta do ano pela IWF!

Sem nunca ter sido derrotado, Ilia Ilyin virá ao Rio como favorito ao 3º ouro, podendo se tornar apenas o 5º atleta da história com 3 ouros no levantamento de peso, se juntando a lendas como Pyrros Dimas, Kakhi Kakhiashvili, Halil Mutlu e Naim Suleymanoglu.

Jogos Pan-Americanos Toronto-2015 – Dia 5

No dia das pratas, decepção no remo e na ginástica, mas a natação continua a dominar no masculino. Brasil subiu para 3º lugar no quadro de medalhas enquanto o Canadá segue na frente, mas com os EUA encostando.

Natação

Mais um dia ótimo no masculino e mais recordes no feminino.

Com uma piscina final sensacional, João de Lucca venceu os 200m livre com 1:46.42, recorde do Pan. Nos 200m peito, foi a vez dos Tiagos! Tiago Simon venceu com o ótimo tempo de 2:09.82, recorde do Pan também e 14º tempo do mundo no ano, o que pode colocá-lo numa final do Mundial. Em sua primeira prova individual no Pan, Thiago Pereira ficou com o bronze com 2:11.93.

Thiago Pereira nos 200m peito. Foto: Getty Images

Nos 200m costas, Leonardo de Deus ficou com o bronze com 1:5.27, atrás de dois americanos. Fechando o dia, o revezamento 4x200m livre masculino. Luiz Altamir de Melo abriu muito bem para 1:48.39. Depois, João de Lucca, Thiago Pereira e Nicolas Oliveira fecharam numa disputa forte com os americanos, mas vencida pelos brasileiros. O 5º ouro masculino em 7 provas veio com 7:11.15, recorde do Pan, contra 7:12.20 dos americanos, que haviam sido desclassificados por conta de uma tala nos dedos de um nadador, mas após recurso, a prata foi retomada. Com as duas medalhas do dia, Thiago Pereira se torna o brasileiro com mais medalhas em Pans, 21 no total

Embed from Getty Images

No feminino, a única medalha foi de Manuella Lyrio nos 200m livre com 1:58.03, novo recorde sul-americano, o 4º das meninas neste Pan! A vitória ficou com a campeã olímpica da prova em Londres Allison Schmitt com 1:56.23. Nos 200m costas, Joanna Maranhão terminou em 5º, mas bateu o 5º recorde sul-americano das meninas com 2:12.05. A canadense Hilary Caldwell venceu com 2:08.22 com recorde do Pan. Nos 200m peito, mais um ouro pro Canadá com Kierra Smith com 2:24.38, recorde do Pan.

Levantamento de Peso

Fernando Reis. Foto: Getty Images

Campeão em 2011, o título de homem mais forte das Américas se manteve com o Fernando Reis. A sua vantagem foi imensa na categoria acima de 105kg. No arranco, ele fez 192kg contra 170kg do 2º melhor. No arremesso, com 235kg, Fernando somou 427kg no total, acima das suas marcas nos últimos mundiais. Em 2014, ele foi 9º, mas seria 5º com essa marca! As 3 marcas dele são recordes do Pan.

Nos até 105kg, Mateus Machado fez 175kg no arranco e 202kg no arremesso. Com 377kg no total, ele ficou com a medalha de prata, atrás apenas do venezuelano Jesus Barrios com 385kg, 1º ouro da Venezuela nesse Pan. No acima de 75kg feminino, mais um ouro pra Venezuela com a Yaniuska Espinosa com 263kg total.

TiroEmerson Duarte foi muito bem na pistola de fogo rápido 25m masculina, ficando com a medalha de prata. Na quali, ele terminou em 4º com 579. Na final, na 6ª série, ele, o americano Brad Balsley e venezuelano estavam empatados em 24. Na 7ª, o americano fez 29, mas ele e o venezuelano empataram em 27, mas o brasileiro venceu o desempate. Na última série, o americano ficou com o ouro com 32 contra 31 pontos do brasileiro. Grande prova. Na pistola de 25m feminina, o 2º ouro do Pan pra canadense Lynda Kiejko.

Embed from Getty Images

Badminton – Nas duas finais com Brasil, duas derrotas e duas pratas. Nas duplas femininas, as irmãs Luana e Lohaynny Vicente conquistaram uma prata espetacular perdendo de 21-14 21-6 para americanas Eva Lee/Paula Lynn Obanana. Nas duplas masculinas, Hugo Arthuso/Daniel Paiola perderam 21-18 21-16 para americanos Phillip Chew/Sattawat Pongnairat.

Pólo Aquático – O Brasil não repetiu a grande vitória da Liga Mundial e perdeu para os americanos na final do pólo aquático masculino, por 11-9. Em nenhum momento o Brasil ficou na frente do placar. Bronze para o Canadá, com 16-8 na Argentina.

Embed from Getty Images

Ginástica Artística – No último dia, o Brasil encerrou sua participação bem mal. Apenas um bronze no dia, com Caio Souza na final do salto com 14,925. Vitória do cubano Manrique Larduet com 15,125. O colombiano Jossimar Moreno venceu dois ouros, nas barras paralelas e na barra fixa, obtendo 15,700 em ambas as provas! Notaças! No feminino, Flávia Saraiva decepcionou, com uma queda na trave, prova que era favorita e ficou sem medalha. A canadense Ellie Black se deu bem e levou a trave com 15.050 e o solo com 14,400. Foram apenas 5 medalhas brasileiras, muito abaixo do esperado.

Vela – Os velejadores brasileiros lideram apenas em 2 classes. Após 7 regatas, Bimba e Patrícia Freitas seguem líderes na RSX. Robert Scheidt não embalou e está em 3º na Laser. Kahena e MArtine que estão muito longe do esperado. Após 8 regatas estão em 4º lugar! Nas classes não-olímpicas, apenas na Lightning o Brasil está em posição de medalha, em 2º lugar.

Remo – Nem com a favoritíssima Fabiana Beltrame o Brasil se salvou no remo. Na final do single skiff peso leve, ela ficou com a medalha de prata, perdendo para americana por 5 segundos. Canadá deu show com 3 ouros nesta quarta, no Quatro Sem Leve masculino, no Skiff Quádruplo feminino e no Oito Com masculino. Cubano Angel Fournier venceu o single skiff masculino. Em 10 provas que participou, o Brasil foi último em 5. Campanha patética do remo brasileiro.

Tênis – Bia Haddad Maia e Paula Cristina Gonçalves estrearam já na semifinal das duplas, mas decepcionaram e perderam no super tiebreak para mexicanas e vão disputar o bronze. Na final masculina, Facundo Bagnis (ARG) venceu 61 62 Nicolas Barrientos (COL). Nas duplas masculinas, a dupla chilena Nicolas Jarry/Hans Podlipnik Castillo venceram 64 76(5) Guido Andreozzi/Facundo Bagnis. Nas duplas mistas, Andreozzi e Maria Irigoyen veneram 63 60 canadenses Philip Bester/Gaby Dabrowski.

Tiro com Arco – Nos combates femininos, as 3 brasileiras venceram na estreia, mas perderam nas 8as de final. Sarah Nikitin perdeu 6-2 para mexicana Karla Hinojosa, Larissa Feitosa perdeu 6-0 para colombiana Natalia Sanchez e Ane Marcelle dos Santos perdeu 6-2 para colombiana Ana Maria Rendon. As semifinais serão entre Hinojosa e Rendon e entre Kathuna Lorig (USA) e Aida Roman (MEX).

Embed from Getty Images

Futebol – Com direito a 5 gols de Cristiane, o Brasil arrasou de virada o Equador no futebol feminino, vencendo por 7-1. Costa Rica surpreendeu vencendo o Canadá por 2-0.

Vôlei de Praia – Vítor e Álvaro Filho venceram pela 3ª vez com 21-14 33-31 sobre dupla mexicana Virgen/Ontiveros, ficando em 1º no grupo.

Embed from Getty Images

Luta Greco-Romana – Os americanos chegaram a 3 das 4 finais da greco-romana. Andrew Bisek nos 75kg e Jon Anderson nos 85kg venceram por superioridade, com 8-0 e 9-0 respectivamente. A Venezuela desencantou no dia, levando seu 3º ouro nos 66kg, com Wuileixis Rivas com 13-1 sobre americano. Nos 59kg, ouro pro equatoriano Andres Montaño.

Hóquei na Grama – Na segunda rodada feminina, pelo Grupo A, Argentina 5-0 Canadá e México 1-1 República Dominicana. No B, EUA 2-0 Chile e Uruguai 3-2 Cuba.

Squash – A equipe feminina do Brasil perdeu os dois confrontos do dia, para Colômbia e Canadá, ambos por 3-0 e estão eliminadas.

Baseball e Softball – No baseball masculino, EUA 6-0 Nicarágua, Porto Rico 8-7 Colômbia e Cuba 9-5 República Dominicana. No softball masculino, Venezuela 5-1 México, Argentina 3-1 EUA e Canadá 7-2 República Dominicana.

Quadro de Medalhas após 5 dias

Quadro Dia 5

Uma quarta-feira histórica pro levantamento de peso!

O Brasil só enviou 4 atletas para o Mundial Sub17 de Levantamento de Peso em Lima, Peru, mas logo no primeiro dia já fez história! As 3 meninas que competiram vão voltar com 3 medalhas na prova total, onde são somados os resultados do arranque e do arremesso.

O Brasil só havia conquistado uma medalha em mundiais em qualquer categoria, um bronze do Fernando Saraiva no Mundial Juvenil de 2010, no arranco categoria acima de 105kg. Mas uma medalha no total, isso é um fato inédito! E foram 3 no mesmo dia!

Captura de Tela 2015-04-08 às 23.41.40

Foto: Reprodução/Twitter/IWF Weightlifting

 

Na primeira prova do Mundial, os 44kg feminino, Emily Figueiredo (foto acima), que disputou os Jogos Olímpicos da Juventude ano passado, ficou com o bronze no arranco com 65kg. Já era uma medalha histórica, por ser a primeira feminina. No arremesso, ela levantou 80kg e empatou com uma romena, mas como a romena era mais leve que a brasileira ficou com o bronze. No total, Emily somou 145kg para ficar com o bronze, atrás da chinesa Gao Yimei (155kg) e da vietnamita My Phuong Khong (146kg).

Captura de Tela 2015-04-08 às 23.48.19

Foto: Reprodução/Twitter/IWF Weightlifting

 

Algumas horas depois, na categoria 48kg feminino, duas brasileiras completaram o dia histórico. No arranco, Aline Ferreira ficou com o ouro com 73kg e Luana Madeira foi prata com 72kg. Ela deram sorte que a chinesa Yang Lijin errou sua última tentativa de 74kg. No arremesso, não foram bem, ficando em 5ª e 6ª. Mas no total, Aline somou 157kg e Luana 155kg, conquistando respectivamente a prata e o bronze! A chinesa venceu com 160kg no total.

Deu pra perceber que o arremesso delas está um pouco defasado. A chinesa que venceu os 48kg subiu 20kg do arranco pro arremesso, enquanto as duas brasileiras só aumentaram 11kg de uma prova pra outra. Agora é seguir trabalhando para aumentar essa diferença. As meninas estão com 15-17 anos e devem ser preparadas para os Jogos de Tóquio-2020. O outro brasileiro que falta competir é Victor Borneo, nos 69kg masculino, que deve brigar por um 9º lugar na sua categoria.