Beatriz Souza salva a pátria e acirra a briga pela vaga olímpica

Que medalhar no Grand Slam de Osaka seria muito difícil, isso todo mundo já sabia. São 4 japoneses em cada chave, em casa, além de muitos grandes nomes na disputa.

123005241119_gs_6881-1574606589-1574606590

Beatriz Souza. Foto: IJF

O Brasil não enviou sua equipe completa, mas contou com grandes nomes como Mayra Aguiar, Rafael Silva, Maria Suelen Altheman e Beatriz Souza. E a única medalha brasileira veio com a última da lista.

Não só a Bia medalhou, como ela venceu por ippon nas 4as ninguém menos que Sarah Asahina, a japonesa campeã mundial em 2018. Na semifinal, levou um ippon da fortíssima cubana Idalys Ortiz em apenas 50s, mas voltou na disputa do bronze para vencer a francesa Julia Tolofua e terminar em 3º. Já Maria Suelen caiu nas 8as para outra japonesa, Wakaba Tomita. Com o bronze, Bia subiu para o 5º lugar no ranking olímpico, a apenas 70 pontos atrás de Maria Suelen, 4ª colocada. Isso vai dar uma dor de cabeça pra CBJ…

Larissa Pimenta chegou à disputa do bronze nos 52kg, perdendo para a japonesa Chishima Maeda. Rafael Silva também chegou às 4as, perdendo para o japonês Daigo Kagawa e na repescagem para o também japonês Kokoro Kageura. Nenhum outro brasileiro chegou às disputas de medalha. Até Mayra Aguiar caiu cedo, na estreia para a japonesa Rinoko Wada.

O Japão, aliás, destruiu tudo, como esperado, vencendo 11 das 14 categorias, fazendo pódio completo nos 66kg masculino e 63kg feminino e conquistando 34 das 56 medalhas possíveis!

A seleção brasileira segue agora para Qingdao, na China, onde disputa o Masters, de 12 a 14 de dezembro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s