Resumo olímpica da semana

Natação

Atletas brasileiros venceram 7 medalhas no Torneio Sette Colli, em Roma. Último torneio de preparação pro Mundial de Budapeste, que começa em 14 de julho. Bruno Fratus ficou com o único ouro, com 21.86 nos 50m livre. César Cielo foi 5º com 22.20. Nos 100m livre, Fratus foi prata com 48.75 enquanto Marcel Chierighini ficou em 6º com 49.00. Nos 50m peito, João Gomes Jr ficou em 2º com 26.95, atrás apenas da lancha Adam Peaty, com 26.61.

Também medalharam Etiene Medeiros com a prata nos 50m costas com 27.82, Nicholas Santos prata nos 50m borboleta com 23.08, Thiago Simon bronze nos 200m medley com 1:59.99 e Brandonn Almeida bronze nos 400m medley com 4:15.30

p1bjdm6akdj20ec299j8o6s2l7_crop

Viviane Jungblut no pódio, à esquerda

Um dos principais destaques no Maria Lenk em maio, Viviane Jungblut conquistou a medalha de prata na Copa do Mundo de Águas Abertas 10km, em Setúbal, Portugal.Foi apenas a sua 2ª prova deste nível. Ela completou a prova em 1:37:37.23, apenas 0.95 atrás da italiana Rachele Bruni, vice-campeã olímpica.

Tênis de Mesa

35439925805_66ec667ce2_o

Bruna Takahashi

Bruna Takahashi deu show no Pan Jr de tênis de mesa em Buenos Aires, faturando 3 ouros e 1 prata. No individual, venceu na decisão a porto-riquenha Adriana Diaz por 4-3 (7-11, 6-11, 11-3, 11-5, 13-11, 6-11, 12-10). Nas duplas femininas, ao lado de Alexia Nakashima, venceu 3-1 as americanas Amy Wang/Crystal Wang e nas mistas com Siddharta Almeida venceu por 3-0 na final brasileira Alexia e Carlos Ishida.

Por equipes, veio a única prata, ao perderem na decisão para a equipe americana por 3-2, sendo que Bruna venceu suas duas partidas na decisão. Bruna venceu todas as 13 partidas individuais e 9 de duplas que disputou! Carlos Ishida foi prata no tornei masculino ao perder na decisão de 4-0 pro americano Kanak Jha e ajudou a equipe brasileira a ficar com a prata, também perdendo na decisão pros americanos.

Outros Esportes:

– O Campeonato Brasileiro Sub-18 de atletismo definiu a equipe que irá ao Mundial Sub18 no Quênia em julho. Serão 16 atletas, sendo 7 no masculino e 9 no feminino. Principal destaque da equipe é Lorraine Martins, classificado nos 100m e nos 200m, com tempos entre as 8 melhores da categoria.

– Na 2ª etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom, em Augsburg, Alemanha, Ana Sátila conquistou a melhor colocação do Brasil, com o 8º lugar na final do C1, mesmo perdendo uma porta. No K1, ela perdeu duas portas na semifinal, ficando em 30º lugar. Felipe Borges também chegou na semifinal, no C1, ficando em 26º.

– Após seletiva, CBG convocou os atletas para o Pan de Ginástica Artística de Especialistas, em agosto, e para os Jogos Sul-Americanos da Juventude, em outubro. Para o Pan irão: Caroyne Pedro e Flávia Saraiva no feminino e Péricles Silva, JAred Azarini, Caio Souza e Arthur Zanetti no masculino.

Robert Scheidt e Gabriel Borges começaram muito bem na Semana de Kiel de vela, na Classe 49er, mas caíram muito de rendimento e terminaram em 17º entre 69 barcos. Carlos Lorente e Marco Grael ficaram em 15º.

Henrique Avancini foi 30º no Mundial de Mountain Bike Maratona, na Alemanha. Ele completou o percurso em 3:26:03. O vencedor foi o austríaco Alban Lakata, com 3:17:24. Na Espanha, Raiza Goulão venceu prova em Moralzarzal, faturando mais 30 pontos pro ranking mundial. Em Goiânia, na 2ª etapa da Taça Brasil, vitórias de Erika Gramiscelli e Luiz Cocuzzi. 30 pontos no ranking para cada, também.

– Juliana e Carol Horta perderam nas 4as do Aberto de Nantong de vôlei de praia. Única dupla brasileira na China, foram derrotadas pela dupla russa Abalakina/Dabizha por 21-16, 17-21, 15-12.

Alexandre Rocha foi 59º no Licoln Land Charity Championship, válido pelo circuito web.com Tour de golfe com 279 tacadas no total, 9 acima do campeão.

Yuri Mansur é 5º no Global Champions Tour de Monaco montando Unita Ask. Mesmo zerando no desempate, ele ficou em 5º.

Rugby 7s, handebol, tiro com arco e atletismo em posts individuais.

Troféu Maria Lenk – Final

Maria Lenk terminou nesse sábado com uma grande final dos 50m livre, mais marcas interessantes e expectativa de uma equipe maior pro Mundial de Budapeste.

200m peito

Mais um recorde sul-americano na prova feminina, com a argentina Macarena Ceballos (Minas), ao vencer com 2:26.90. Julia Sebastian, outra argentina, bateu em 2º com 2:27.04 e a brasileira Pâmela Souza chegou em 3º com 2:27.55, baixando bem da barreira dos 2:30 e ficando a apenas 0.13 do recorde brasileiro que é de 2009. Surpresa interessante.

No masculino, Thiago Simon (Unisanta) venceu mais uma vez a prova com 2:12.27. Mas ficou longe do seu 2:10.78 do Open, em dezembro, Felipe Lima com 2:15.17 e Caio Pumputis com 2:16.00 completaram o pódio. Pumputis, aliás, é o melhor índice técnico pro Mundial Júnior, que será em Indianápolis, nos EUA, mas com o tempo do Open de 2:13.95.

50m livre

Meio apagada nesse Maria Lenk, Etiene Medeiros (SESI) venceu os 50m livre com 24.73, 9º tempo de 2017, a 0.28 do seu recorde sul-americano batido nos Jogos do Rio. Alessandra Marchioro bateu em 2º lugar com 25.10 e Graciele Herrmann em 3º com 25.17.

p1bfg4utm51fo51p8510lc1cnu18uo7_crop

Bruno Fratus e César Cielo

Na prova mais esperado, Bruno Fratus (Internacional) levou com 21.70, 4º tempo do ano. Mas quem mostrou que pode ser competitivo e brigar por medalha é César Cielo. Fez uma ótima prova e chegou a liderar na 1ª metade, mas ficou com a prata com 21.79, 6º tempo do ano. Atleta olímpico Ítalo Duarte chegou em 3º com 22.12.

800m livre feminino/1.500m livre masculino

Viviane Jungblut (GNU) sobrou nos 800m livre para levar com 8:34.92, repetindo a vitória dos 1.500m. Medalhista olímpica na maratona Poliana Okimoto bateu em 2º com 8:43.92 e Gabriela Cordeiro completou o pódio com 8:51.14.

89bf6e60dc6f60a881994b71f819b7d5

Guilherme Costa

Na prova mais longa masculina, Guilherme Costa (Unisanta) venceu com tranquilidade, mas não bateu o recorde sul-americano e muito menos baixou da barreira dos 15min. Cachorrão venceu com 15:06.35. Ee vinha num bom ritmo no começo, abaixo do 1min/100m, fazendo 7:29.63 nos 750m, mas caiu um pouco e venceu com 15:06.35, ficando a apenas 1.12 do recorde sul-americano que ele bateu no dia 1º de abril. Brandonn Almeida foi o 2º colocado com 15:12.06 e Diogo Villarinho o 3º com 15:18.15.

Revezamento 4x100m medley

Para fechar o Maria Lenk, o Unisanta venceu a prova feminina com 4:05.18, contando com duas argentinas na equipe, batendo 0.65 na frente do Pinheiros. No masculino, ótima prova do Pinheiros, com 3:34.25, com 3 atletas campeões em provas individuais: Guilherme Guido, João Gomes Jr e Gabriel Santos, ficando bem a frente do Minas, com 3:37.00.

O Pinheiros saiu como grande campeão, com 2.499,0 pontos, seguido do Minas com 2.075,0 e do Unisanta com 1.912,0. O saldo foi de 4 recordes sul-americano e 4 recordes brasileiros. Nicholas Santos foi o melhor índice técnico nos 50m borboleta com 976 pontos.

Não houve alteração no top8 (9, pois há um empate) pro Mundial, mas na quinta-feira deve sair a seleção pro Mundial com algo entre 16 e 20 nomes:

  1. Felipe Lima – 100m peito (Maria Lenk) – 59.32 – 930 pontos
  2. Gabriel Santos – 100m livre (ML) – 48.11 – 927
  3. João Gomes Jr – 100m peito (ML) – 59.41 – 926
  4. Thiago Simon – 200m peito (Open) – 2:10.78 – 915
  5. Leonardo de Deus – 200m borboleta (ML) – 1:54.91 – 913
  6. Marcelo Chierighini – 100m livre (ML) – 48.46 – 907
  7. Henrique Martins – 100m borboleta (ML) – 51.57 – 901
  8. Guilherme Guido – 100m costas (ML) – 53.78 – 900*
  9. Brandonn Almeida – 400m medley (Open) – 4:12.49 – 900*

Pro Mundial Júnior, os 8 nomes já estão definidos. Interessante que são 4 homens e 4 mulheres.

  1. Caio Pumputis – 200 peito – 2:13.95 – 852
  2. Lucas Peixoto – 100 livre – 50.02 – 825
  3. Rafaela Raurich – 200 livre – 2:00.52 – 823
  4. Fernanda Goeij – 100 costas – 1:02.04 – 822
  5. Breno Correia – 100 livre – 50.15 – 818
  6. Matheus Gonche – 200 borboleta – 1:59.62 – 810
  7. Camila Lins Mello – 200 livre – 2:01.52 – 803
  8. Maria Luiza Pessanha – 100 costas – 1:02.73 – 795

Troféu Maria Lenk – Dia 4

Show de Nicholas Santos numa prova histórica.

400m medley

Sem surpresa, Joanna Maranhão (Unisanta) sobrou na prova para vencer pela 4ª vez no Maria Lenk. Ela vinha em um ritmo ótimo para baixar seu recorde brasileiro, mas pecou um pouco no peito e completou em 4:38.63, a a 0.56 do recorde batido no Pan de 2015. A argentina Florencia Perotti bateu em 2º com 4:50.75 e Bruna Primati em 3º com 4:50.85.

No masculino, Brandonn Almeida (Corinthians) venceu tranquilamente com 4:13.06, 9º tempo de 2017 e sua 2ª melhor marca pessoal, em sua prova favorita. Leonardo Santos com 4:22.88 e Ícaro Pereira com 4:22.91 completaram o pódio.

200m livre

Assim como na prova feminina anterior, o recorde não veio por detalhe. Manuella Lyrio (Pinheiros) fez tudo direitinho e abriu enorme vantagem, mas ficou a centésimos do recorde sul-americano. Ela marcou 1:57.34, a apenas 0.06 do recorde. Maria Paula Heitmann com 1:59.91 e Gabrielle Roncatto com 2:00.16 viera logo depois. Foram apenas 2 nadadoras abaixo da marca dos 2min, enquanto em 2016 tivemos 5.

Luiz Altamir (Pinheiros) venceu a prova masculina com 1:48.16, melhor marca pessoal e 1º título dele no Maria Lenk. Fernando Scheffer com 1:48.65 e Giuliano Rocco com 1:48.76 completaram o pódio.

200m costas

cd8444617ddf46f798061472111913a7

Fernanda Goeij

A vitória foi da argentina Andrea Berrino (Unisanta) com 2:13.11, recorde argentino, que sai do Rio com ouro nos 100m e 200m costas. Mas o destaque foi de Fernanda Goeij, prata por apenas 0.22, com 2:13.33 aos 16 anos! Goeij nadou muito, se emocionou demais com o resultado, diminuindo sua marca pessoal em 3s. Gabriela Albuquerque fechou o pódio com 2:16.28.

Leonardo de Deus (Unisanta) venceu pela 6ª vez seguida esta prova no Maria Lenk. Sem adversários, marcou 1:57.95, a pouco mais de 1s do seu recorde brasileiro. Nathan Bighetti foi 2º com 1:59.60 e Fábio Santi 3º com 2:01.30.

50m borboleta

Na preliminar feminina, Daynara de Paula (SESI) venceu com 26.51, deixando Bruna Lemos com 26.65 e Daiene Dias com 26.78 para trás.

a71q9386

Mas o grande destaque do dia foi a prova masculina. Aos 37 anos, Nicholas dos Santos (Unisanta) só melhora e deu um show de velocidade na prova que se tornou especialista. Numa prova mais que perfeita, Nicholas voou para 22.61! Baixou em 0.15 o recorde sul-americano que era do César Cielo e ficou a apenas 0.18 do recorde mundial do espanhol Rafael Muñoz, de 2009. A marca é tão expressiva que é o melhor tempo da história após a era dos trajes, perdendo apenas para o espanhol, que nadou 4 vezes na casa dos 22.4. Henrique Martins com 23.06 e César Cielo com 23.22 completaram o pódio.

(Obs.: Roland Schoeman tem um 22.57 na lista da FINA, mas não foi em nenhuma competição específica e não há outro registro dessa marca)

Revezamento 4x100m livre

Com Etiene Medeiros e Daynara de Paula fechando, o SESI venceu a prova feminina com 3:43.48. Outro destaque foi Joanna Maranhão, que abriu pro Unisanta (2º com 3:44.19) com a melhor parcial da prova, 55.59. No masculino, o Pinheiros venceu com 3:15.35, com 48.22 na parcial do Gabriel Santos (2º a nadar), bem a frente do Minas com 3:19.10.

Na briga pelas 8 vagas no Mundial, nenhuma mudança:

  1. Felipe Lima – 100m peito (Maria Lenk) – 59.32 – 930 pontos
  2. Gabriel Santos – 100m livre (ML) – 48.11 – 927
  3. João Gomes Jr – 100m peito (ML) – 59.41 – 926
  4. Thiago Simon – 200m peito (Open) – 2:10.78 – 915
  5. Leonardo de Deus – 200m borboleta (ML) – 1:54.91 – 913
  6. Marcelo Chierighini – 100m livre (ML) – 48.46 – 907
  7. Henrique Martins – 100m borboleta (ML) – 51.57 – 901
  8. Guilherme Guido – 100m costas (ML) – 53.78 – 900*
  9. Brandonn Almeida – 400m medley (Open) – 4:12.49 – 900*

Troféu Maria Lenk – Dia 3

SaroUm grande dia na piscina do Maria Lenk, que colocou brasileiros entre os 6 melhores do mundo em 6 das 8 provas do dia! Foram ainda dois recordes sul-americanos numa ótima quinta-feira.

100m livre

Nada como começar com a prova mais nobre. Na final feminina, Manuella Lyrio (Pinheiros) aproveitou a ausência de Etiene Medeiros e de Larissa Oliveira para vencer com 54.80. Daynara de Paula fez 55.36 para levar a prata e Alessandra Marchioro e Graciele Herrmann empataram em 3º com 55.92.

1393de1a552534a90d7821abfb5240cf

Gabriel Santos

Já na final masculina, show de Gabriel Santos (Pinheiros). Em seu aniversário de 21 anos, o atleta do Pinheiros voou. Abriu com 22.99 e fechou com 25.12 para vencer com ótimos 48.11, 3º melhor tempo do mundo em 2017! Marcelo Chierighini ficou em 2º com 48.76 e César Cielo fechou o pódio todo do Pinheiros com 48.92. Nas eliminatórias, Bruno Fratus fez o melhor tempo da vida com 48.50 e Murilo Sartori fez 51.72, aos 14 anos!

50m peito

a71q5074

Jhennifer Conceição

Jhennifer Conceição (Pinheiros) faturou a prova com 30.63, melhorando o recorde sul-americano de Tatiane Sakemi de 2009 em 0.18. Foi o 5º tempo do ano no mundo, um feito se considerarmos os histórico do nado de peito feminino. As argentinas Macarena Ceballos com 30.99 e Julia Sebastian com 31.31 completaram o pódio.

Na final masculina, João Gomes Jr. (Pinheiros) venceu com 26.83, 2º melhor tempo do mundo e recorde do campeonato, atrás apenas do monstro britânico Adam Peaty, com 26.48. Felipe Lima veio logo atrás com 27.00, 3º tempo do mundo agora, e Felipe França e Pedro Cardona empataram com 27.32 em 3º.

50m costas

Etiene Medeiros (SESI) sobrou pra vencer a prova que lhe trouxe medalha em mundial de longa. Com 27.62, a nadadora fez o 5º tempo do mundo e ficou quase 1s na frente da 2ª colocada, a argentina Andrea Berrino, com 28.52. Ana Giulia Zortea ficou com o bronze com 29.54.

Na prova masculina, Guilherme Guido (Pinheiros) repetiu a vitória dos 100m. Com 24.72, Guido entra em 4º no ranking mundial. Gabriel Fantoni foi 2º com 25.26 e Guilherme Basseto foi 3º com 25.38.

200m borboleta

O 2º recorde sul-americano veio na prova mais dura, com Joanna Maranhão. Em sua 3ª vitória individual em 3 dias, Joanna fez 2:09.22 baixando em 0.16 o recorde que era dela mesma de 2015. Muito atrás, Giovanna Tomanik ficou em 2º com 2:14.13 e a argentina Virginia Bardach fechou o pódio com 2:14.34.

Na decisão masculina, mais uma vitória de Leonardo de Deus. Com 1:54.91, fez o melhor tempo da sua vida e 4º do ano no mundo e segue em busca do recorde continental que é do Kaio Márcio de 2009 de 1:53.92, da época dos trajes. Kaio ficou em 2º com 1:56.85 e Luiz Altamir Melo em 3º com 1:57.15.

Na briga pelas 8 vagas no Mundial, Gabriel e Léo sobem e Chierighini entra pro bolo. E temos um empate em 8º:

  1. Felipe Lima – 100m peito (Maria Lenk) – 59.32 – 930 pontos
  2. Gabriel Santos – 100m livre (ML) – 48.11 – 927
  3. João Gomes Jr – 100m peito (ML) – 59.41 – 926
  4. Thiago Simon – 200m peito (Open) – 2:10.78 – 915
  5. Leonardo de Deus – 200m borboleta (ML) – 1:54.91 – 913
  6. Marcelo Chierighini – 100m livre (ML) – 48.46 – 907
  7. Henrique Martins – 100m borboleta (ML) – 51.57 – 901
  8. Guilherme Guido – 100m costas (ML) – 53.78 – 900*
  9. Brandonn Almeida – 400m medley (Open) – 4:12.49 – 900*

Está cada vez mais certo que a lista pro Mundial será bem maior, com a ajuda do COB. Ainda mais após as excelentes marcas dos 100m livre. Ainda falta a seletiva americana, mas hoje o Brasil tem a 2ª melhor equipe no 4x100m livre masculino somando-se os tempos individuais. A melhor mulher da lista é Joanna Maranhão em 11º pelos 400m livre.

Troféu Maria Lenk – Dia 2

O torneio teve novamente problemas com a cronometragem e viu poucas grandes marcas nesse 2º dia. Mas tivemos umas surpresas bem interessantes.

100m costas

Natalia de Luccas fez o melhor tempo nas eliminatórias com 1:02.50 e melhorou para 1:02.46 na final, mas bateu em 3º. A vitória foi da argentina Andrea Berrino (Unisanta) com 1:01.56, mas a surpresa veio com o 2º lugar e melhor brasileira na prova Fernanda Goeij, com 1:02.04. Com apenas 16 anos, Goeij sobe para o 2º melhor índice técnico para o Mundial Juvenil.

6bbb8ae4c858ab1303779e8a1e653fb3

Guilherme Guido

No masculino, Guilherme Guido (Pinheiros) sobrou. Fez 53.78 pela manhã e piorou um pouco à noite com 53.84, mas ainda assim venceu com tranquilidade, nadando pela 26º vez na casa dos 53s. Já está mais que na hora de baixar para 52s e brigar por finais mundiais. Prata para Guilherme Basseto com 54.78 e bronze para Nathan Bighetti com 54.93.

200m medley

Vitória mais que tranquila de Joanna Maranhão (Unisanta), 2º neste ano e 31ª na carreira. Com 2:13.32, ficou quase 3s na frente de Gabrielle Roncatto com 2:16.22.

46d4af6cf634491bd9e6548e6a6aeb72

Thiago Simon

No masculino, Thiago Simon (Unisanta) se tornou o 4º brasileiro a baixar dos 2min na prova, vencendo com 1:59.49, com Brandon Almeida em 2º com 2:00.95 e Vinícius Lanza com 2:00.97. Decepção de Henrique Rodrigues, claramente longe do seu melhor e em 7º com 2:02.56.

1.500m livre feminino e 800m livre masculino

Viviane Jungblut (GNU) nadou praticamente sozinha para vencer a prova mais longa com 16:27.57, 2ª melhor marca de uma brasileira na prova, atrás apenas do recorde brasileiro de Poliana Okimoto com 16:26.90. A medalhista olímpica, aliás, ficou com a prata com 16:43.35 e Ana Marcela Cunha completou o pódio com 16:48.86.

Já nos 800m livre masculino, Lucas Kanieski aproveitou a ausência de Guilherme Costa para vencer com 7:58.85, não batendo o recorde brasileiro por apenas 0.65. Miguel Valente bateu em 2º com 7:59.92 e Diogo Villarinho em 3º com 8:00.42. Pódio todo do Minas.

Revezamento 4x200m livre

O Unisanta venceu as duas provas. Com Joanna abrindo e Roncatto fechando, a equipe feminina fez 8:08.63. Legal ver Joanna e Rafaela Raurich abrirem a prova abaixo dos 2min. Entre os homens, o Unisanta fechou em 7:15.54, novo recorde do campeonato, com Guilherme Costa fechando.

Na briga pelas 8 vagas no Mundial, tivemos a entrada de Guilherme Guido, tirando Vinícius Lanza da lista:

  1. Felipe Lima – 100m peito (Maria Lenk) – 59.32 – 930 pontos
  2. João Gomes Jr – 100m peito (ML) – 59.41 – 926
  3. Thiago Simon – 200m peito (Open) – 2:10.78 – 915
  4. Henrique Martins – 100m borboleta (ML) – 51.57 – 901
  5. Guilherme Guido – 100m costas (ML) – 53.78 – 901
  6. Brandonn Almeida – 400m medley (Open) – 4:12.49 – 900
  7. Gabriel Santos – 100m livre (Open) – 48.60 – 899
  8. Leonardo de Deus – 200m borboleta (Open) – 1:56.21 – 883

Já se fala na possibilidade de a lista aumentar com a ajuda do COB, o que colocaria pelo menos algum revezamento na lista. E seguimos esperando a entrada de um nome feminino no top8.

Troféu Maria Lenk – Dia 1

No menor Maria Lenk em anos, os nadadores brasileiros buscam as (por enquanto) 8 vagas para o Mundial de Budapeste na 2ª e última seletiva brasileira pra competição mais importante do ano. O 1º dia contou com problemas no cronômetro, falhas na iluminação, mas um recorde brasileiro e 3 tempos excepcionais.

100m borboleta

Daiene Dias e Daynara de Paula dominam esta prova já há algum tempo e empataram em 1º lugar nas eliminatórias com 59.18. Na final, Daiene foi pior, mas voltou nos 50m melhor para vencer com 58.98 contra 59.07 de Daynara.

Na prova masculina, Henrique Martins brilhou pela manhã com 51.57, 4º tempo do mundo no ano, mas piorou para 51.82 na final, em sua 1ª vitória no Maria Lenk. Vinicius Lanza foi o 2º colocado com 52.02, melhorando pela 10ª vez seguida seu tempo no ML. Kaio Márcio completou o pódio com 52.86.

400m livre

Joanna Maranhão quebrou o 1º recorde brasileiro da competição ao completar as 8 piscinas em 4:09.41, reduzindo em apenas 0.07 o tempo de Manuella Lyrio do ML de 2016. Viviane Jungblut com 4:12.38 e Poliana Okimoto com 4:14.12 completaram o pódio. Foi o 30º título da Joanna no ML!

d68fbf1a8c3670a56af787c2b3dc7ea6

Guilherme Costa

Sensação do começo do ano após quebrar o recorde sul-americano dos 1.500m livre, Guilherme Costa, o Cachorrão, levou seu 1º título adulto da carreira (ele tem 18 anos) ao vencer com 3:49.49, novo recorde do campeonato. Apesar disso, ele saiu muito irritado da piscina por não ter batido o recorde brasileiro por apenas 0.03! Ele nem vai nadar os 800m livre para focar nos 1.500m, com tudo para se tornar o primeiro sul-americano a baixar dos 15min. Giuliano Rocco e Luiz Altamir Melo empataram em 2º com 3:50.49.

100m peito

Mais uma vez as brasileiras perderam o duelo para as argentinas nas provas de peito. Macarena Ceballos venceu com 1:08.00, recorde argentino, seguida de Julia Sebastian com 1:08.05. Jhennifer Conceição ficou em 3º com 1:08.43.

a4a58b721ff8b7d0a20f845037e15d30

João Gomes Jr.

Na prova mais disputada do país, Felipe Lima voou nas eliminatórias com o melhor tempo de excepcionais 59.32, também o 4º tempo de 2017. Mas na final, que também viu problemas de cronometragem, foi a vez de João Gomes Junior vencer com 59.41, 5º tempo do ano. Felipe ficou em 2º com 1:00.05 e Pedro Cardona foi o 3º com 1:00.12.

Revezamento 4x50m livre

O Unisanta venceu a prova feminina com 1:41.27, com destaque para a abertura de Lorrane Ferreira do Minas com 25.12 e da parcial com saída livre de Alessandra Marchiori fechando pro Unisanta com 24.32.

No masculino, título pro Pinheiros com 1:27.15. Guilherme Ocampo abriu pro Minas com 22.01 e César Cielo fechou pro Pinheiros com 21.32!

Por enquanto, irão ao Mundial apenas os 8 melhore índices técnicos, que no momento só com homens:

  1. Felipe Lima – 100m peito (Maria Lenk) – 59.32 – 930 pontos
  2. João Gomes Jr – 100m peito (ML) – 59.41 – 926
  3. Thiago Simon – 200m peito (Open) – 2:10.78 – 915
  4. Henrique Martins – 100m borboleta (ML) – 51.57 – 901
  5. Brandonn Almeida – 400m medley (Open) – 4:12.49 – 900
  6. Gabriel Santos – 100m livre (Open) – 48.60 – 899
  7. Leonardo de Deus – 200m borboleta (Open) – 1:56.21 – 883
  8. Vinicius Lanza – 100m borboleta (ML) – 52.02 – 879

*Guilherme Costa fez 881 nos 400m livre com 3:49.49, mas o tempo é abaixo do índice A da FINA.

Lembrando que a CBDA optou por seguir a tabela de pontuação de 2016, e não a de 2017.

Resumo olímpico da semana

Canoagem

3050-grpaipa-23-4-2017-20-58-15

O Brasil dominou o Sul-Americano de canoagem velocidade em Paipa, na Colômbia, com 32 ouros, 14 pratas e 8 bronzes. Considerando-se apenas as 12 provas olímpicas, o Brasil levou 5 ouros, 3 pratas e 1 bronze, sendo que nas 6 provas masculinas ou foi ouro ou prata.

Isaquias Queiroz sobrou para levar os 200m, 500m e 1.000m do C1. Lembrando que agora apenas os 1.000m são olímpicos. No C2 1.000m, o medalhista olímpico Erlon Santos com Maico Ferreira ficou com o ouro, assim como Vagner Souta no K1 1.000m, a dupla Roberto Mahler/Celso Dias no K2 1.000m e o quarteto no K4 500m. Valdenice do Nascimento venceu o C1 200m feminino, que agora é olímpica. No C2 500m feminino, Angela Silva/Andrea Oliveira ficaram com a prata e Édson Isaíasa foi prata no K1 200m. O K4 500m feminino ficou com o bronze. Nas outras 3 provas femininas, resultados bem ruins. Ana Paula Vergutz foi 4ª no K 200m e no K1 500m e ao lado de Bruna Domingues no K2 500m ficou apenas na 6ª posição, a 13s da dupla campeã.

Ainda assim, o Brasil dominou o Sul-americano, que também contou com provas de paracanoagem, juvenis e sub23.

Natação

Em Cali, na Colômbia, o Brasil fez uma campanha histórica no Sul-Americano Juvenil de Natação. Somando as categorias juvenil A (até 15 anos) e B (16 a 18 anos), a equipe brasileira conquistou 107 medalhas, sendo 46 ouros, 37 pratas e 24 bronzes, mas que o dobro de medalha da Argentina, 2ª colocada. Foi o recorde de medalhas do Brasil na competição (15 a mais que 2015), mas conquistamos 8 ouros a menos que há dois anos.

O CRÉDITO DA FOTO É OBRIGATÓRIO: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Murilo Sartori

O Brasil venceu todas as 16 provas de revezamento. Um dos destaques brasileiros foi Murilo Sartori, no juvenil A. Ele venceu os 100m, 200m e 400m livre, 200m medley e esteve nos 5 revezamentos campeões: 4x100m livre, 4x200m livre, 4x100m medley, 4x100m livre misto e 4x100m medley misto. Resultados completos aqui.

Outros Esportes:

– A seleção feminina de rugby 7s ficou em 11º no torneio do Japão, 4ª etapa do circuito mundial feminino. Na 1ª fase, perdeu feio de 38-0 pra Austrália e 34-7 para Fiji, mas venceu 27-10 a Irlanda. Na disputa do 9º ao 12º, acabou perdendo de 24-5 para a Irlanda e, na decisão do 11º lugar, venceu o Japão por 12-10. O Brasil está em 11º após 4 etapas e precisa melhorar caso queira permanecer no circuito mundial.

Bárbara Seixas e Fernanda Berti venceram o título do Aberto de Xiamen de vôlei de praia, torneio de 3 estrelas do circuito mundial. Na decisão, venceram por 21-12 19-21 16-14 as chinesas Wang/Yue.

Nubia Soares fez 14,35m no salto triplo em prova em São Bernardo, 25cm melhor que o índice para o Mundial de Londres. Andressa de Morais venceu o disco com 61,88m, lançando novamente acima do índice pro Mundial.

– Na maratona de Londres, 3 brasileiras correram os 42.195m abaixo do índice pro Mundial de Londres: Adriana Aparecida com 2:35:44, em 6º lugar, Valdilene dos Santos Silva com 2:36:33, em 7º, e Andreia Aparecida Hessel, 11ª com 2:40:25. Em Viena, Paulo Roberto de Almeida Paula, 15º nos Jogos Olímpicos, foi 9º na maratona com 2:14:17, ratificando o índice pro Mundial.

Henrique Avancini venceu prova de maratona de mountain bike em Santana dos Montes, Minas Gerais, com 2:25:14. Em prova de BMX nos EUA vencida pelo americano campeão olímpico Connor Fields, Anderson de Souza Filho foi 6º colocado.

– Em competição em Indiana pelo web.com Tour de golfe, Alexandre Rocha ficou em 38º com 296 tacadas, 14 a mais que o campeão. Pelo PGA Latino-Americano na Argentina, Rodrigo Lee terminou em 14º.

– As duas duplas com brasileiros foram eliminadas nas 4as do Masters 1.000 de Monte Carlo de tênis. Bruno Soares e Andy Murray caíram para uma dupla convidada com dois desconhecidos e Marcelo Melo e Lukasz Kubot perderam para os espanhóis Feliciano e Marc López.

Daniel Xavier foi prata no GP Mexicano de tiro com arco. Apenas 12º no ranqueamento, Daniel venceu 4 combates até perder na final para o mexicano Luis Tapia por 6-2. Marcus Vinícius D’Almeida foi o melhor no ranqueamento com ótimos 671 pontos, mas perdeu nas 4as para argentino.

Matheus Diniz foi bronze na Copa Americana de Sprint Triatlo em Barbados com 58min12s.