Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires-2018 – Dia 1

Brasil já leva sua 1ª medalha no 1º dia de competições em solo argentino com 15 finais.

Natação

44445133224_af5cedf599_z

Lucas Peixoto, Ana Vieira, André de Souza e Rafaela Raurich com a prata. Foto: COB

Depois de brilhar nas eliminatórias com o melhor tempo de 3:30.92, o Brasil repetiu a formação na final e ficou com a medalha de prata no revezamento 4x100m livre misto. Com Lucas Peixoto, Ana Carolina Vieira, André Luiz de Souza e Rafaela Raurich, o Brasil marcou 3:30.13 e ficou atrás da Rússia com 3:28.50, que contou com a espetacular parcial de Kliment Kolesnikov abrindo com 48.17. Lembrando que aos 18 anos ele já é o recordista mundial adulto dos 50m costas. A China com 3:30.45 foi bronze.

Nos 400m livre masculino, ouro pro húngaro Kristof Milak com 3:48.08, prata pro italiano Marco de Tullio 3:48.55 e bronze pro japonês Keisuke Yoshida 3:48.68. Nos 200m medley feminino, vitória da israelense Anastasia Gorbenko 2:12.88, seguida da sérvia Anja Crevar 2:13.98 e da francesa Cyrielle Duhamel 2:14.15. Na eliminatórias, Maria Luiza Pessanha foi 12ª nos 200m medley com 2:17.94 e Murilo Sartori 14º nos 400m livre 3:55.76.

Fernanda Goeij terminou com o 9º tempo na semifinal dos 100m costas com 1:02.48 e ficou de fora da final por 0.31. Maria Luiza Pessanha fez 1:03.00 na semi e terminou em 11º. Melhor tempo da russa Polina Egorova 1:00.92. Nos 100m peito masculino, Vitor Pinheiro de Souza fez o 10º tempo na semi 1:02.69 e ficou fora da final. Melhor marca do sul-africano Michael James Houlie 1:00.23. Interessante ver um atleta do Quirguistão, Denis Petrashov, com o 3ª tempo 1:01.95!

Judô

João Santos disputou os 66kg masculino. Ele perdeu na estreia para o cubano Kimy Bravo Blanco. Na repescagem, venceu 3 lutas de judocas de países com zero tradição e na final da repescagem pegou novamente o cubano, perdendo mais uma vez e terminando em 7º. Na categoria, o ouro ficou com o azeri Vugar Talibov, que venceu na decisão o russo Abrek Naguchev. Nos 55kg masculino ouro para o bielorrusso Artsiom Kolasau e nos 44kg feminino vitória da venezuelana María Giménez, único país sul-americano com ouro no 1º dia.

Esgrima

A japonesa Yuka Ueno foi ouro no florete feminino com 15-12 na final sobre a italiana Martina Favaretto. O bronze ficou com a americana May Tieu, que venceu 8-7 venezuelana. No sabre masculino, o húngaro Krisztian Rabb foi ouro com 15-13 na final sobre o sul-coreano Hyun Jun. Bronze do egípcio Mazen Elaraby, com 15-10 sobre americano.

Triatlo

wag0702-21

Amber Schlebuch (RSA). Foto: ITU

A sul-africana Amber Schlebusch venceu a prova feminina com 58:45, graças a uma excelente parcial na corrida, onde tirou mais de 1min das líderes. Prata pra dinamarquesa Sif Bendix Madsen com 58:56 e bronze pra suíça Anja Weber com 59:36. Interessante o 5º lugar de uma equatoriana. A brasileira Giovanna Lacerda terminou em 14º com 1:01:27 entre 30 que terminaram a prova

Levantamento de Peso

O 2º ouro venezuelano em Buenos Aires veio no levantamento de peso feminino, nos 44kg. Katherin Zarate venceu com 162kg no total, melhorando em 8kg sua marca do Pan Youth. Prata pro Vietnã e bronze pra Turquia. Nos 56kg masculino, vitória do vietnamita Son Donh Ngo, bronze este ano no Mundial Jr, com 262kg no total, muito a frente do resto. Tailandês foi prata com 239kg e checo bronze com 233kg.

Taekwondo

Dobradinha russa no 1º dia do taekwondo. Nos 48kg masculino, Dmitrii Shishko venceu por 11-8 o usbeque Ulugbek Rashitov. Nos 44kg feminino, Polina Shcherbakova fez 12-6 na sul-coreana Kang Mi-reu.

Tiro

headline_img

Grigorii Shamakov (RUS). Foto: ISSF

Bronze no Mundial de Tiro mês passado, o russo Grigorii Shamakov venceu o rifle de ar 10m com 249,2 contra 247,5 do indiano Shahu Tushar Mane. O bronze ficou com o sérvio Aleksa Mitrovic com 227,9

Ciclismo

Na prova por equipes do BMX Racing, o ouro ficou com a dupla da Rússia Ilia Beskrovnyy e Varvara Ovchinnikova. Os dois ficaram em 2º lugar nas provas individuais e a Rússia somou mais pontos pro ouro. Suíça foi prata e Colômbia bronze. Maitê Naves chegou à final feminina, terminando em 8º, mas Vitor Marotta não passou pela semifinal e o Brasil acabou em 12º no geral.

Badminton – Jaqueline Lima venceu na sua estreia no Grupo G feminino com 21-16 21-19 sobre holandesa Madouc Lindres. Já Fabrício Farias perdeu no Grupo F masculino 21-15 23-21 para o ucraniano Danylo Bosniuk. Na prova em grupos, que tem um formato bem parecido com a prova em equipes da esgrima, as equipes dos brasileiros perderam na estreia. Jaqueline está na equipe Theta, que perdeu 110-100 para a equipe Sigma e Fabrício está na equipe Epsilon, que perdeu 110-98 para Alpha.

Basquete 3×3 – No 1º dia de disputas, sem Brasil ainda, a Argentina começou bem em casa, vencendo 2 no masculino 22-19 a Estônia e 21-14 a Rússia.\

Escalada – A austríaca Sandra Lettner venceu o lead, foi 4ª no boulder e 8ª na velocidade para ficar me 1º na qualificação da combinada.

Futsal – Brasil ainda não estreou. Destaque para as goleadas no feminino da Tailândia (14-0 em Trinidad & Tobago) e Portugal (15-2 no Chile). No masculino pelo grupo do Brasil, o Irã fez 9-2 nas Ilhas Salomão e a Rússia 6-1 na Costa Rica.

Ginástica Artística – Diogo Soares ficou em 7º na quali do cavalo com alças com 12,733 e pegou final, mas no solo terminou em 14º com 13,066 e ficou fora da decisão. Os melhores foram o japonês Takeru Kitazono no cavalo com 14,133 e o americano Brandon Briones no solo com 13,900. No solo feminino, Laura Rocha terminou a quali em 20º com 11,933. Melhor nota da ucraniana Anastasiia Bachynska com 13,300.

Hóquei 5s – A Argentina começou destruindo Vanuatu na estreia do torneio feminino com 21-0. No masculino, os donos da casa fizeram 6-2 na Zâmbia.

Patinação de Velocidade – Colombianos lideram a classificação geral no 1º dia do combinado. Jhony Andres Reina venceu os 1.000m e foi 2º nos 5.000m com eliminação no masculino. No feminino, Gabriela Rueda venceu as mesmas duas provas.

Remo – As provas tem um forma muito diferente do usual. Disputada no Porto Madero, tem aproximadamente 1.000m, com curvas. Na tomada de tempo, Marco de Graaff fez o 14º tempo no single skiff com 3:43.24 entre 24 atletas.

Tênis – Gilbert Klier estreou com vitória na chave de simples com 64 46 62 sobre o sérvio Marko Miladinovic e está nas 8as, onde pega o americano Drew Baird.

Tênis de Mesa – Bruna Takahashi, uma das favoritas no feminino, venceu na estreia do Grupo G a neozelandesa Hui Ling Vong por 4-0 (11-5, 11-6, 11-5, 11-3). Guilherme Teodoro venceu na estreia do Grupo A atleta do Belize por 4-0 (11-4, 11-3, 11-3, 11-3), mas perdeu pro espetacular japonês Tomokazu Harimoto por 4-0 (11-4, 11-7, 11-7, 11-7).

Vela – Após 2 regatas da Techno 293+, Giovanna Prada em 14º entre 23 e Guilherme Plentz em 23º entre 24.

Vôlei de Praia – As duplas brasileiras ainda não estrearam. Campeões mundiais sub19 este ano, os russos Denis Shekunov e Dmitrii Veretiuk venceram sua 1ª partida 21-12 28-26 os poloneses Poznanski/Miszczuk.

Quadro de Medalha após o 1º dia e 15 finais:

Captura de Tela 2018-10-08 às 09.28.02

Anúncios

Troféu José Finkel – Dia 5

No último dia do Troféu, mais belos resultados, recordes e a definição de uma forte equipe para o Mundial de piscina curta na China.

A primeira final foi os 200m peito feminino, onde a argentina Julia Sebastian venceu com 2:21.31, batendo o recorde sul-americano da prova. Em segundo lugar, ficou Carolyne Mazzo, que bateu o recorde brasileiro com 2:23.63. Na prova masculina, um show de Caio Pumputis. Nas eliminatórias, ele bateu o recorde brasileiro júnior 2 com 2:07.78 e na final destruiu o tempo com 2:03.27, chegando bem perto do recorde sul-americano (2:02.58) e conseguindo o seu 2º índice para o Mundial. Andreas Mickosz foi prata com 2:06.76.

5987bdb63257f037ca1e2546eaf172de

César Cielo e Matheus Santana. Foto: Satiro Sodré

Larissa Oliveira levou sua 3ª prova individual ao vencer os 50m livre com 24.08, 4 centésimos acima do índice e apenas 20 pior que o recorde continental. Etiene Medeiros ficou em 2º colada com 24.10. Na prova masculina, César Cielo deu seu show final no Brasil. O nosso único campeão olímpico vai encerrar a carreira no Mundial de piscina curta e garantiu seu nome na equipe ao vencer os 50m livre com 20.98, abaixo do índice de 21.29. Surpresa com o 2º lugar de Matheus Santana com 21.29 e fazendo o índice.

Nas provas longas, as vitórias vieram com quem nadou pela manhã. Viviane Jungblut fez 8:25.32 nas séries “fracas” dos 800m livre para ficar com o ouro enquanto Gabrielle Roncatto foi prata nadando à noite com 8:35.43. Nos 1.500m livre masculino, Guilherme Costa venceu com 14:45.59 também nadando pela manhã. Miguel Valente, que nadou à noite foi 2º com 14:51.32 e Diogo Villarinho foi 3º com 14:51.72. Ninguém fez índice.

Nos 100m medley, Andressa Lima foi a surpresa ao vencer com 1:00.74, seguida de Nathalia Almeida com 1:01.29 e Gabi Roncatto (pouco depois de nadar os 800m) com 1:01.78. Na prova masculina, mais um show de Caio Pumputis. Nas eliminatórias, ele havia batido o recorde sul-americano com 51.83 e na final chegou bem perto com 51.88 para levar o ouro e obter seu 3º índice pro Mundial. Vinícius Lanza também fez seu 3º índice ao bater em 2º com 52.22. Diego Prado em 3º também nadou abaixo do índice com 52.30, mas não irá ao Mundial, pois há limite de 2 por prova.

Para fechar o Troféu, os revezamentos 4x100m medley. No feminino, a equipe do Pinheiros, com Maria Pessanha, Jhennifer Conceição, Giovanna Diamante e Larissa Oliveira, bateu o recorde brasileiro com 3:58.07. Vale notar que o recorde sul-americano é do Minas de 2016, mas contava com a argentina Macarena Ceballos. No masculino, uma ótima prova com vitória do Minas cm Gabriel Fantoni, Felipe Lima, Vinícius Lanza e Marco Antonio Ferreira com o tempo de 3:23.89 contra 3:24.10 do Pinheiros. Cielo fechou pro Minas com 45.95, mas Marco Antonio segurou o Cesão. Destaque pra abertura do Guilherme Guido do Pinheiros com excelentes 49.77, bem perto da marca de 49.62 que fez na final da prova.

Com isso, o Brasil tem sua equipe de 20 nadadores definida para o Mundial. Tem nomes consagrados da geração anterior como Cielo, Nicholas Santos e Guilherme Guido, mas ótimos nomes da nova como Vinícius Lanza, Caio Pumputis, Luiz Altamir e Guilherme Costa. Brasil tem boas chances de brigar pelo topo do quadro de medalhas novamente, assim como ocorreu no Mundial de 2014.

  1. Etiene Medeiros – 50m costas – 25.95 (índice) – 967
  2. Guilherme Guido – 100m costas e 50m costas – 49.62 e 22.68 (índices) – 958 e 940
  3. Nicholas Santos – 50m borboleta – 22.17 (índice) – 950
  4. Vinicius Lanza – 200m borboleta, 200m medley e 100m medley – 1:51.00, 1:52.16 e 52.22 (índices) – 935, 933 e 893
  5. Caio Pumputis – 200m peito, 200m medley e 100m medley – 2:03.27, 1:52.26 e 51.88 (índices) – 932, 931 e 911
  6. Luiz Altamir – 200m borboleta e 200m livre – 1:51.54 e 1:42.59 (índices) – 921 e 908
  7. Felipe Lima – 50m peito – 26.00 (índice) – 913
  8. Larissa Oliveira – 100m livre – 52.45 (índice) – 914
  9. Cesar Cielo – 50m livre – 20.98 (índice) – 900
  10. Breno Correia – 200m livre – 1:42.99 (índice) – 898
  11. Matheus Santana – 50m livre – 21.29 (índice) – 861
  12. João Gomes Jr – 100m peito – 909
  13. Guilherme Basseto – 100m costas – 899
  14. Fernando Scheffer – 400m livre – 887
  15. Manuella Lyrio – 200m livre – 887
  16. Daiene Marçal Dias – 100m borboleta – 883
  17. Guilherme Costa – 1.500m livre – 878
  18. Marcelo Chierighini – 100m livre – 874
  19. Leonardo Santos – 400m medley – 874
  20. Brandonn de Almeida – 400m medley – 874

Troféu José Finkel – Dia 4

Mais dois recordes continentais, novos índices e equipe vai tomando forma.

p1cluqhdd0lei91nscft5d4n7_crop

Nicholas Santos. Foto: Satiro Sodre/SSPress/CBDA

O 4º dia de disputas no Clube Pinheiros começou com os 400m medley. No feminino, a checa Barbora Zavadova, competindo pelo Flamengo, venceu com 4:37.18 e Gabrielle Roncatto ficou em 2º com 4:39.31. No masculino, surpresa a vitória de Leonardo Santos com 4:06.26, deixando o favorito Brandonn de Almeida em 2º com 4:06.29.

Nos 50m borboleta, Daiane Marçal Dias venceu a 2ª prova individual no Troféu ao completar em 25.97 seguida de Daynara de Paula com 26.06, ambas longe do índice de 25.50. No masculino, Nicholas Santos segue dominando a prova aos 38 anos. ele bateu o recorde da competição com 22.17, melhorando o ótimo tempo das eliminatórias de 22.22. Nicholas ficou a apenas 0.09 do seu recorde continental e a 0.37 do mundial e conseguiu com tranquilidade baixar do índice pro Mundial, que era 22.53. Vinícius Lanza ficou em 2º com 22.76.

Nos 200m livre, ótimas provas. No feminino, Larissa Oliveira venceu mais uma e bateu o recorde sul-americano com 1:54.50, seguida de Manuella Lyrio com 1:55.26. Somando-se o tempo das 4 primeiras, daria um tempo 7s melhor que o recorde sul-americano do 4x200m livre, o que mostra que dá para baixar muito desse tempo. Bom tempo também de Maria Paula Heitmann em 3º com 1:56.40, recorde brasileiro júnior 2. Foi também uma belíssima final masculina. Luiz Altamir venceu com 1:42.59, Breno Correia foi prata com 1:42.99 e Fernando Scheffer bronze com 1:43.45, todos nadando abaixo do índice. Breno bateu ainda o recorde brasileiro júnior 2.

Nos 100m costas, Etiene Medeiros levou mais uma marcando 57.82, acima do índice de 56.69 (mas ela já tem índice nos 50m costas). Ótima marca de Maria Pessanha, prata com 58.93, recorde júnior 2. E ainda tivemos Fernando Celidônio (guarde esse nome) em 7º com recorde brasileiro juvenil 1 com 1:00.68. Pra fechar o dia, Guilherme Guido voou sozinho pra vencer com 49.62 e baixar o recorde sul-americano que era dele em apenas 1 centésimo e obter o índice pro Mundial com folga (era 50.10). Guilherme Basseto foi 2º com 50.67.

Como está a equipe brasileira pro Mundial de Piscina Curta:

  1. Etiene Medeiros – 50m costas – 25.95 (índice) – 967
  2. Guilherme Guido – 100m costas e 50m costas – 49.62 e 22.68 (índices) – 958 e 940
  3. Nicholas Santos – 50m borboleta – 22.17 (índice) – 950
  4. Vinicius Lanza – 200m borboleta e 200m medley – 1:51.00 e 1:52.16 (índices) – 935 e 933
  5. Caio Pumputis – 200m medley – 1:52.26 (índice) – 931
  6. Luiz Altamir – 200m borboleta e 200m livre – 1:51.54 e 1:42.59 (índices) – 921 e 908
  7. Felipe Lima – 50m peito – 26.00 (índice) – 913
  8. Larissa Oliveira – 100m livre – 52.45 (índice) – 914
  9. Breno Correia – 200m livre – 1:42.99 (índice) – 898
  10. João Gomes Jr – 100m peito – 909
  11. Guilherme Basseto – 100m costas – 899
  12. Fernando Scheffer – 400m livre – 887
  13. Manuella Lyrio – 200m livre – 887
  14. Daiene Marçal Dias – 100m borboleta – 883
  15. Cesar Cielo – 100m livre – 883
  16. Marcelo Chierighini – 100m livre – 874
  17. Leonardo Santos – 400m medley – 874
  18. Brandonn de Almeida – 400m medley – 874
  19. Giovana Diamante – 100m borboleta – 866
  20. Maria Paula Heitmann – 400m livre – 856

 

Troféu José Finkel – Dia 3

Muitos índices, mais recordes e a vitória do nosso campeão olímpico.

Chierighini, Cielo e Santana no pódio dos 100m livre. Foto: Sátiro Sodré/SSPress/CBDA

O grande destaque do domingo no Clube Pinheiros foi a vitória de Cesar Cielo na prova mais nobre, os 100m livre. Cielo não vencia um nacional absoluto desde 2014! Desta vez aproveitou que Gabriel Santos, Marcelo Chierighini e Pedro Spajari não foram bem e venceu com 46.83, apenas 6 centésimos acima do índice pro Mundial de curta. Chierighini foi prata com 46.99, Matheus Santana (olha quem voltou!) bronze 47.00. Ainda tivemos Gabriel Santos 47.09, Breno Correia 47.21 e Pedro Spajari 47.39 fechando com os top-6 do Pinheiros.

No feminino, Larissa Oliveira venceu com 52.45, baixando o recorde sul-americano em 0.23 e nadando 2 centésimos abaixo do índice.

Vinicius Lanza brilhou nos 200m borboleta ao vencer com 1:51.00, seguido de Luiz Altamir 1:51.54 e Léo de Deus 1:51.86. Os dois primeiros nadaram abaixo do índice pro Mundial, que era 1:51.68. No feminino, vitória tranquila de Giovanna Diamante com 2:08.31, quase 3s acima do índice.

Felipe Lima venceu sua 2ª prova, agora levando os 50m peito com 26.00, único abaixo do índice de 26.08. João Gomes Júnior foi 2º com 26.13. No feminino, Jhennifer Conceição venceu no detalhe com 30.00, novo recorde sul-americano, e apenas 0.03 melhor que Carolyne Mazzo, mas sem índice que era 29.88,

Quem brilhou no domingo também foi Guilherme Guido. Ele voou nos 50m costas para bater o recorde sul-americano com 22.68 e obter o 2º melhor da era pós-trajes tecnológicos. Ele já havia melhorado o recorde nas eliminatórias com 22.75. No feminino, Etiene Medeiros marcou 25.95 para vencer e conseguir o índice. Lembrando que o recorde mundial da prova é dela com 25.67.

Como ficaria a equipe brasileira pro Mundial de Piscina Curta:

  1. Etiene Medeiros – 50m costas – 25.95 (índice) – 967
  2. Guilherme Guido – 50m costas – 22.68 (índice) – 940
  3. Vinicius Lanza – 200m medley e 200m borboleta – 1:52.16 e 1:51.00 (índices) – 933 e 935
  4. Caio Pumputis – 200m medley – 1:52.26 (índice) – 931
  5. Luiz Altamir – 200m borboleta – 1:51.54 (índice) – 921
  6. Felipe Lima – 50m peito – 26.00 (índice) – 913
  7. Larissa Oliveira – 100m livre – 52.45 (índice) – 914
  8. João Gomes Jr – 100m peito – 909
  9. Fernando Scheffer – 400m livre – 887
  10. Daiene Marçal Dias – 100m borboleta – 883
  11. Cesar Cielo – 100m livre – 883
  12. Breno Correia – 400m livre – 878
  13. Marcelo Chierighini – 100m livre – 874
  14. Giovana Diamante – 100m borboleta – 866
  15. Maria Paula Heitmann – 400m livre – 856
  16. Jhennifer Conceição – 100m peito – 855
  17. Nicholas Santos – 100m borboleta – 854
  18. Manuela Lyrio – 100m livre – 849
  19. Viviane Jungblut – 400m livre – 848
  20. Carolyne Mazzo – 100m peito – 847

Troféu José Finkel – Dia 2

Com mais 8 provas neste sábado, saíram os primeiros índices para o Mundial de Piscina Curta e mais recordes.

p1clpjojt012vn1i3uqpu1bbt18h07_crop

Caio Pumputis e Vinícius Lanza comemoram índice com Leonardo Santos. Foto: CBDA

A prova do dia foi os 200m medley masculino. Vinícius Lanza levou seu 2º ouro individual ao vencer a prova em 1:52.16, batendo o recorde sul-americano que era do Thiago Pereira de 2012 de 1:52.30. Em 2º lugar ficou Caio Pumputis com 1:52.26, também abaixo do recorde do Thiago. Ambos nadaram abaixo do índice de 1:53.94. No feminino, a checa Barbora Zavadova venceu com 2:11.10 e Maria Pessanha em 2º foi a melhor brasileira com 2:11.19.

Nas provas longas, as vitórias ficaram com quem nadou pela manhã. Guilherme Costa levou os 800m livre com 7:45.29 contra 7:46.04 de Miguel Valente, que nadou a noite. Já nos 1.500m feminino, Viviane Jungblut, que também nadou nas séries (teoricamente) fracas marcou 16:03.29, melhorando o recorde brasileiro que era da Poliana Okimoto de 2010 de 16:09.04.

Leonardo de Deus levou os 200m costas com 1:52.69. No feminino, vitória da argentina Andrea Berrino com 2:07.49, seguida da espanhola Duane Araujo 2:07.57 e de Maria Pessanha 2:08.63. Nos revezamentos 4x200m livre, o Minas TC venceu no feminino com Ana Carolina Vieira, Camila Mello, Andressa Lima e Maria Paula Heitmann e bateu o recorde sul-americano com 7:50.57 (o anterior era 7:52.71 de 2016). No masculino, vitória do Pinheiros com 6:55.87.

Como ficaria a equipe brasileira pro Mundial de Piscina Curta:

  1. Vinícius Lanza – 200m medley – 1:52.16 (índice) – 933
  2. Caio Pumputis – 200m medley – 1:52.26 (índice) – 931
  3. Felipe Lima – 100m peito – 922
  4. João Gomes Jr – 100m peito – 909
  5. Fernando Scheffer – 400m livre – 887
  6. Daiene Marçal Dias – 100m borboleta – 883
  7. Breno Correia – 400m liver – 878
  8. Giovana Diamante – 100m borboleta – 866
  9. Maria Paula Heitmann – 400m livre – 856
  10. Jhennifer dos Santos – 100m peito – 855
  11. Nicholas dos Santos – 100m borboleta – 854
  12. Viviane Jungblut – 400m livre – 848
  13. Carolyne Mazzo – 100m peito – 847
  14. Leonardo de Deus – 200m costas – 823
  15. Gabriel Fantoni – 200m costas – 811
  16. Maria Pessanha – 200m medley – 801

Troféu José Finkel – Dia 1

Única seletiva para o Mundial de Piscina Curta, que será em dezembro, na China, começou nesta sexta o Troféu José Finkel, na piscina do Clube Pinheiros, em São Paulo. Serão selecionados pelo menos 20 atletas para o Mundial. Os índices são fortíssimos, equivalente ao 3º tempo para pegar final no último Mundial, em 2017. Quem fizer índice (só vale se for obtido na Final A) se garante na equipe. Caso não completem 20 atletas, irão os melhores índices técnicos apenas nas distâncias olímpicas, ou seja, 50m estilos e 100m medley não valem.

O CREDITO DA FOTO É OBRIGATORIO: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Vinícius Lanza. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Pela manhã, destaque para Diego Prado, único a nadar abaixo do índice na etapa. Foi nas eliminatórias dos 100m peito com 56.93 (índice é 57.00), mas na final, ficou longe desse tempo e não deve ir o Mundial. Não houve nenhum índice nas finais, mas tivemos ótimas marcas.

Foram 2 recordes sul-americanos em piscina curta. Fernando Scheffer venceu os 400m livre com 3:40.87, melhorando a marca continental (do venezuelano Cristian Quintero) em 0.80 e a marca brasileira (de Leonardo de Deus) em 0.88. Breno Correia, 2º nos 400m livre com 3:41.65, também nadou abaixo do recorde sul-americano anterior. O outro recorde continental foi com Jhennifer Conceição nos 100m peito. Ela venceu com 1:05.69, baixando marca de Carolyne Mazzo obtida há pouco mais de 1 mês, em 0.17. Carolyne bateu em 2º bem perto com 1:05.89.

As outras vitórias do dia foram de Maria Paula Heitman nos 400m livre com 4:06.92, Daiene Marçal Dias nos 100m borboleta com 56.91, Vinícius Lanza nos 100m borboleta com 50.17 e Felipe Lima nos 100m peito com 57.12. O Pinheiros venceu os dois revezamento 4x100m livre, com 3:36.43 no feminino e ótimos 3:06.82 no masculino, bem perto do recorde sul-americano.

Não está claro no sistema que há um limite por prova para os convocados por índice técnico, mas vou assumir isso. Seleção brasileira para o Mundial após o 1º dia, todos por índice técnico:

  1. Felipe Lima – 100m peito – 922
  2. João Gomes Jr – 100m peito – 909
  3. Fernando Scheffer – 400m livre – 887
  4. Daiene Marçal Dias – 100m borboleta – 883
  5. Vinícius Lanza – 100m borboelta – 880
  6. Breno Correia – 400m liver – 878
  7. Giovana Diamante – 100m borboleta – 866
  8. Maria Paula Heitmann – 400m livre – 856
  9. Jhennifer dos Santos – 100m peito – 855
  10. Nicholas dos Santos – 100m borboleta – 854
  11. Viviane Jungblut – 400m livre – 848
  12. Carolyne Mazzo – 100m peito – 847

Campeonatos Europeus – Final

Show de Armand Duplantis e do time britânico no atletismo no dia das provas longas.

4100993c-4729-4839-b6ce-d1b7c82447e0

Armand Duplantis (SWE) após passar por 6,05m. Foto: Getty Images

O grande destaque do dia em Berlim foi a prova do salto com vara masculina. Com apenas 18 anos, o sueco Armand Duplantis colocou seu nome na história do atletismo. Ele já tinha feito 5,93m este ano, que era o recorde mundial sub20. Nesta final europeia, ele passou de 1ª em 5,95m, em 6,00m e em 6,05m (!!) para se tornar o 5º maior da história, igualando sua marca a Maksim Tarasov, Dmitri Markov e Renaud Lavillenie, todos com 6,05m na carreira, atrás apenas de Sergey Bubka, que tem 6,14m. O russo Timur Morgunov também entrou pro clube dos 6m ao fazer 6,00m pra ficar com a prata e Lavillenie foi bronze com 5,95m.

A polonesa Anita Wlodarczyk faturou seu 4º título seguido no lançamento de martelo com 78,94m na 4ª tentativa. Já o veterano português Nelson Évora venceu pela 1ª vez um europeu outdoor no salto triplo com 17,10m. Nos 5.000m feminino, recorde do campeonato para a holandesa Sifan Hassan com 14:46.12. A alemã Gesa-Felicitas Krause venceu os 3.000m com obstáculos com 9:19.80. Na maratona, vitórias da bielorrussa Volha Mazuronak com 2:26:22 e do belga Koen Naert com 2:09:51.

Fechando o atletismo, 3 ouros britânicos. Laura Muir faturou os 1.500m feminino com 4:02.32 e a Grã-Bretanha fez a dobradinha nos revezamentos 4x100m. Os homens venceram com 37.80 (legal a Turquia em 2º com 37.98) e as mulheres levaram com 41.88, melhor tempo do mundo em 2018. Com isso, Dina Asher-Smith faturou a trifeta da velocidade.

ap18224560861127-760x506

Eleftherios Petrounias (GRE). Foto: AP Photo/Darko Bandic

Em Glasgow, tivemos as finais por aparelhos da ginástica masculina. E tivemos mais uma espetacular performance de Eleftherios Petrounias nas argolas. Ele não perde essa prova desde 2015! Já são 4 títulos europeus, 2 mundiais e 1 olímpico. Agora ele tirou 15,466! O russo Artur Dalaloyan venceu o salto com 14,900 e as barras paralelas com 15,433. O britânico Dominick Cunningham foi ouro no solo com 14,666, o irlandês Rhys McClenaghan venceu o cavalo com alças com propriedade com 15,300 e o suíço Oliver Hegi levou a barra fixa com 14,700, deixando o multicampeão holandês Epke Zonderland em 2º com 14,400.

Seguindo nas provas longas (já tivemos as maratonas no atletismo), a italiana Arianna Bridi venceu os 25km águas abertas com 5:19:34.6, bateu apenas 0.1 na frente da holandesa Sharon van Rouwendaal, que por muito pouco não saiu de Glasgow com 4 ouros. No masculino, o húngaro Kristof Rasovszky levou seu 2º ouro, agora com 4:57:53.5 nos 25km. Na longa prova de ciclismo de estrada, o italiano Matteo Trentin venceu no sprint final após 5:50:02 de prova.

Mais um ouro italiano, agora nos saltos ornamentais com Elena Bertocchi e Chiara Pellacani no trampolim 3m sincronizado feminino com 289,26 contra 286,80 da dupla alemã. Na plataforma masculina, dobradinha russa com Aleksandr Bondar com espetaculares 542,05. No golfe, a dupla da Espanha venceu no masculino a Islândia na decisão e, no feminino, ouro para a Suécia sobre a França.

A Rússia (não inclui os atletas autorizados no atletismo) sai como grande vencedora dos Europeus, com 31 ouros, 19 pratas e 16 bronzes, 66 no total, seguida da Grã-Bretanha com 26-26-22, Itália 15-17-28, Holanda 15-15-13 e Alemanha 13-17-23. Ao todo, 25 países ganharam ouro e 34 medalharam nos europeus.