Campeonatos Europeus – Final

Show de Armand Duplantis e do time britânico no atletismo no dia das provas longas.

4100993c-4729-4839-b6ce-d1b7c82447e0

Armand Duplantis (SWE) após passar por 6,05m. Foto: Getty Images

O grande destaque do dia em Berlim foi a prova do salto com vara masculina. Com apenas 18 anos, o sueco Armand Duplantis colocou seu nome na história do atletismo. Ele já tinha feito 5,93m este ano, que era o recorde mundial sub20. Nesta final europeia, ele passou de 1ª em 5,95m, em 6,00m e em 6,05m (!!) para se tornar o 5º maior da história, igualando sua marca a Maksim Tarasov, Dmitri Markov e Renaud Lavillenie, todos com 6,05m na carreira, atrás apenas de Sergey Bubka, que tem 6,14m. O russo Timur Morgunov também entrou pro clube dos 6m ao fazer 6,00m pra ficar com a prata e Lavillenie foi bronze com 5,95m.

A polonesa Anita Wlodarczyk faturou seu 4º título seguido no lançamento de martelo com 78,94m na 4ª tentativa. Já o veterano português Nelson Évora venceu pela 1ª vez um europeu outdoor no salto triplo com 17,10m. Nos 5.000m feminino, recorde do campeonato para a holandesa Sifan Hassan com 14:46.12. A alemã Gesa-Felicitas Krause venceu os 3.000m com obstáculos com 9:19.80. Na maratona, vitórias da bielorrussa Volha Mazuronak com 2:26:22 e do belga Koen Naert com 2:09:51.

Fechando o atletismo, 3 ouros britânicos. Laura Muir faturou os 1.500m feminino com 4:02.32 e a Grã-Bretanha fez a dobradinha nos revezamentos 4x100m. Os homens venceram com 37.80 (legal a Turquia em 2º com 37.98) e as mulheres levaram com 41.88, melhor tempo do mundo em 2018. Com isso, Dina Asher-Smith faturou a trifeta da velocidade.

ap18224560861127-760x506

Eleftherios Petrounias (GRE). Foto: AP Photo/Darko Bandic

Em Glasgow, tivemos as finais por aparelhos da ginástica masculina. E tivemos mais uma espetacular performance de Eleftherios Petrounias nas argolas. Ele não perde essa prova desde 2015! Já são 4 títulos europeus, 2 mundiais e 1 olímpico. Agora ele tirou 15,466! O russo Artur Dalaloyan venceu o salto com 14,900 e as barras paralelas com 15,433. O britânico Dominick Cunningham foi ouro no solo com 14,666, o irlandês Rhys McClenaghan venceu o cavalo com alças com propriedade com 15,300 e o suíço Oliver Hegi levou a barra fixa com 14,700, deixando o multicampeão holandês Epke Zonderland em 2º com 14,400.

Seguindo nas provas longas (já tivemos as maratonas no atletismo), a italiana Arianna Bridi venceu os 25km águas abertas com 5:19:34.6, bateu apenas 0.1 na frente da holandesa Sharon van Rouwendaal, que por muito pouco não saiu de Glasgow com 4 ouros. No masculino, o húngaro Kristof Rasovszky levou seu 2º ouro, agora com 4:57:53.5 nos 25km. Na longa prova de ciclismo de estrada, o italiano Matteo Trentin venceu no sprint final após 5:50:02 de prova.

Mais um ouro italiano, agora nos saltos ornamentais com Elena Bertocchi e Chiara Pellacani no trampolim 3m sincronizado feminino com 289,26 contra 286,80 da dupla alemã. Na plataforma masculina, dobradinha russa com Aleksandr Bondar com espetaculares 542,05. No golfe, a dupla da Espanha venceu no masculino a Islândia na decisão e, no feminino, ouro para a Suécia sobre a França.

A Rússia (não inclui os atletas autorizados no atletismo) sai como grande vencedora dos Europeus, com 31 ouros, 19 pratas e 16 bronzes, 66 no total, seguida da Grã-Bretanha com 26-26-22, Itália 15-17-28, Holanda 15-15-13 e Alemanha 13-17-23. Ao todo, 25 países ganharam ouro e 34 medalharam nos europeus.

Anúncios

4 medalhas no Pan-Pacífico de Natação

Com uma equipe de apenas 16 nadadores (14 homens e 2 mulheres), o Brasil fez um bom Pan-Pacífico de natação em Tóquio, na piscina que receberá os jogos de pólo aquático.

file-191

Leonardo de Deus no pódio dos 200m borboleta

No 1º dia, na quinta-feira, João Gomes Jr foi bronze nos 100m peito com 59.60, ficando atrás do japonês Yasuhiro Koseki com 59.08 e do australiano Jake Packard com 59.20. Na sexta-feira, veio o que foi o melhor resultado individual do Brasil, a prata de Leonardo de Deus nos 200m borboleta, repetindo o que fez em 2014. Não só por ter sido a única prata individual, mas por ter batido sua melhor marca pessoal, com 1:54.89, atrás do japonês Daiya Seto 1:54.34.

No sábado, Vinicius Lanza conquistou o bronze nos 100m borboleta com 51.44, atrás dos americanos Caeleb Dressel 50.75 e Jack Conger 51.32. Mas o melhor veio na prova final do dia, no revezamento 4x100m livre masculino. Numa prova disputadíssima, o Brasil ficou lado a lado com Estados Unidos e Austrália. Gabriel Santos abriu com 48.93, Marcelo Chierighini fez 47.62, Marco Ferreira Jr foi a pior parcial com 48.53 lançado e Pedro Spajari fechou com espetaculares 46.94, dando 3:12.02 pro Brasil, que ficou atrás dos americanos que marcaram 3:11.67. Teve pódio, entrega de medalhas e hino americano.

Mas umas 2 horas depois veio a notícia que os americanos nadaram na ordem errada. Blake Pieroni deveria ser o 2º e Zachary Apple o 3º, mas eles inverteram e a equipe foi desclassificada. Neste domingo, pódio refeito e huno brasileiro! O 3:12.02 é o melhor tempo do 4x100m livre do mundo no ano. A Rússia venceu o europeu esta semana com 3:12.23. E Brasil não contou com Bruno Fratus… Vale ressaltar que a parcial do Spajari era a melhor do mundo no ano, mas o australiano Kyle Chalmers fechou o 4x100m medley neste domingo com 46.91. No fim das disputas do domingo, foi realizado um novo pódio do 4x100m livre, com direito a hino brasileiro.

pan-pac-sc3a1bado

Brasil no pódio do 4x100m livre, quando tinha a prata

Entre outros destaques pro Brasil ficaram o 4º lugar de Guilherme Costa nos 800m livre com 7:51.67 e o 4º nos 1.500m com 15:03.40 (foi 5º, mas eram 3 americanos), o 4º lugar de Marcelo Chierighini nos 100m livre com 48.36, o 4º lugar de Fernando Scheffer nos 200m livre com 1:46.12.

Apesar de terem vencido o troféu geral e obtido o maior número de ouros, os americanos decepcionaram um pouco nas marcas. Tirando Ryan Murphy, que brilhou no costas (51.94 nos 100m e 1:53.57 nos 200m), foram poucos resultados excepcionais (pro nível esperado deles, claro). Katie Ledecky venceu os 400m (3:58.50), os 800m (8:09.13) e os 1.500m (15:38.97), mas decepcionou no revezamento 4x200m livre e nos 200m livre, onde acabou com o bronze, seu 1º em uma competição internacional. Aliás, foi nos revezamentos a decepção americano. Dos 7 disputados, venceram apenas o 4x100m medley masculino e o 4x200m livre masculino. Os 3 femininos foram derrotados pra Austrália. Talvez tenha sido o pouco tempo de aclimatação pro fuso horário após um longo voo, mas foram bem abaixo do esperado.

A australiana Cate Campbell foi mais uma vez consagrada. Ela saiu com 5 ouros e venceu nas 5 provas que disputou o duelo direto com a americana Simone Manuel. Os donos da casa faturaram 6 ouros com destaque para Yui Ohashi nas provas de medley feminino e para os nadadores de peito no masculino, que venceram os 2 ouros. O Japão deve brilhar em casa nos Jogos de Tóquio.

Campeonatos Europeus – Dia 8

Último dia da natação e show de marcas no atletismo.

64b944ff-2ce4-4fda-a1a6-96afd7d97139

Ramil Guliyev (TUR). Foto: Getty Images

O destaque da quinta-feira em Berlim foi o turco campeão mundial Ramil Guliyev. Nascido no Azerbaijão, ele compete desde 2011 pela Turquia. E na final dos 200m, fez a espetacular marca de 19.76, recorde do campeonato e 2ª melhor marca da história para um europeu, ficando atrás apenas do recorde continental do italiano Pietro Mennea de 19.72 de 1979! Boa prova das gregas no salto com vara. Ekaterini Stefanidi venceu com 4,85m e Nikoleta Kiriakopoulou foi prata com 4,80m.

O alemão campeão olímpico Thomas Röhler levou o lançamento de dardo com 89,47m, seguido de seu compatriota Andreas Hofmann com 87,60m. Tinha tudo para ser um pódio alemão, mas Johannes Vetter decepcionou com 83,27 e terminou em 5º. O norueguês Karsten Warholm e o cubano naturalizado turco Yasmani Copello repetiram o 1-2 do Mundial de 2017 nos 400m com barreiras. Warholm venceu com 47.64, recorde europeu sub-23, Copello foi prata com 47.81. O irlandês Thomas Barr foi bronze 48.31. Detalhe que os 3 tempos são melhores que a marca que deu ouro mundial pro Warholm.

O francês Mahiedine Mekhissi-Benabbad conquistou o tetracampeonato dos 3.000m com obstáculos, agora marcando 8:31.66. Ele seria penta, mas em 2014, antes de cruzar a linha de chegada, ele rasgou sua camisa e por isso foi desclassificado. A bielorrussa Elvira Herman venceu os 100m com barreiras com 12.67.

Depois do espetacular 21.11 na semifinal dos 50m livre, o melhor tempo na era pós-trajes, o britânico Ben Proud venceu a final da prova com 21.34. O grego Kristian Gkolomeev com 21.44 e o italiano Andrea Vergani com 21.68 completaram o pódio. Sarah Sjöström venceu seu 4º ouro individual, agora levando os 50m borboleta com 25.16. A russa Yuliya Efimova fez a trifeta no peito, agora vencendo os 50m com 29.81.

gettyimages-1013897788

Margherita Panziera (ITA). Foto: Getty Images

Foram mais 3 ouros pro forte time italiano no último dia: Piero Codia nos 100m borboleta com 50.64, recorde do campeonato, Margherita Panziera nos 200m costas com 2:06.18, também recorde do campeonato, e Simona Quadarella nos 400m livre 4:03.35, seu 3º ouro individual.

O húngaro David Verraszto levou os 400m medley com 4:10.65 e nos revezamentos 4x100m medley, mais dois recordes do torneio. A equipe britânica venceu no masculino com 3:30.44 (parcial “fraca” de 57.60 pro Peaty no peito) e arussa levou no feminino com 3:54.22 (espetaculares 1:03.95 da Efimova no peito).

Várias vitórias de campeões olímpicos no dia. O britânico Jack Laugher ganhou o trampolim 3m com 525,95 contra 519,05 do russo Ilia Zakharov, os holandeses Sharon van Rouwendaal e Ferry Weertman ganharam os 10km da maratona aquática, e a suíça Nicola Spirig ficou com o título do triatlo feminino. Sem campeão olímpico na prova, os russos Aleksandr Bondar e Viktor Minibaev foram ouro na plataforma sincronizada masculina.

Campeonatos Europeus – Dia 7

Adam Peaty, Sarah Sjöström e Katinka Hosszu (finalmente ela) brilham no 7º dia do campeonato.

As finais da natação da quarta-feira começaram com mais uma vitória do ucraniano Mykhaylo Romanchuk, agora nos 800m livre, com 7:42.96, deixando o italiano Grigorio Paltrinieri com a prata com 7:45.12 e o alemão campeão dos 1.500m Florian Wellbrock em 3º com 7:45.60. Sarah Sjöström levou seu 3º ouro em Glasgow, agora nos 100m livre. Depois de não vencer no Rio e no Mundial de 2017, a sueca levou a prova no europeu com 52.93, bem acima do seu WR de 51.71 da abertura do revezamento 4x100m no mundial de 2017. A holandesa Femke Heemskerk foi prata com 53.23 e a francesa campeã dos 200m Charlotte Bonnet bronze com 53.35.

gettyimages-1013271006

Adam Peaty (GBR) após vencer os 50m peito. Foto: Getty Images

Sem adversários, o britânico Adam Peaty levou os 50m peito com 26.09, muito a frente do resto e a apenas 0.14 do seu WR. O italiano Fabio Scozzoli ficou em 2º com 26.79 e o esloveno Peter John Stevens bronze com 27.06. Evgeny Rylov venceu os 200m costas com a super marca de 1:53.36, novo recorde europeu, milhas a frente dos outros. O polnês Radoslaw Kawecki foi prata com 1:56.07, bem longe de Rylov.

Ela quase não nadou nesse Europeu. Apenas em sua 2ª (e última) prova individual, Katinka Hoszzu venceu pela 5ª vez seguida os 200m medley no Europeu, agora com 2:10.17, mas a italiana Ilaria Cusinato chegou perto com 2:10.25.No 4x100m livre misto, a França levou a melhor com recorde do campeonato de 3:22.07.

No atletismo, a Polônia levou mais uma prova de campo, agora com Paulina Guba surpreendendo a favorita da casa no arremesso de peso, a alemã Christina Schwanitz (lembrando que o atletismo é em Berlim). Guba marcou 19,33m contra 19,19m de Schwanitz. No salto em distância, ótima marca do grego Miltiadis Tentoglu com 8,25m. No disco, vitória do lituano campeão mundial Andrius Gudzius, com 68,46m na última tentativa! Ela tirou o sueco Daniel Stahl do ouro, que acabou com a prata com 68,23m. Esta foi a prova de despedida do tricampeão mundial e campeão olímpico em Londres, o alemão Robert Harting, que terminou em 6º com 64,33m.

A queniana naturalizada israelense Lonah Chemtai Salpeter venceu os 10.000m com 31:43.29. Ela foi pra Israel como babá pro embaixador queniano, conheceu seu técnico com quem se casou e depois recebeu a cidadania. Ela já disputou os Jogos do Rio como israelense. No decatlo, o alemão Arthur Abele ficou com o ouro com 8431 pontos, aproveitando que o francês campeão mundial Kevin Mayer não conseguiu marca válida no salto em distância.

gettyimages-1013093898_1_0

Sharon van Rouwendaal (NED). Foto: Getty Images

A Holanda levou mais 3 ouros, um em cada modalidade. Celine Maria van Duijn venceu a plataforma feminina nos saltos ornamentais com 319,10, deixando a italiana favorita Noemi Batki com a prata com 315,00. A campeã olímpica Sharon van Rouwendaal venceu os 5km das águas abertas e Ellen van Dijk levou o contrarrelógio no ciclismo estrada, numa dobradinha holandesa com Anna van der Breggen.

Os outros ouros do dia ficaram com os alemães Lou Massenberg e Tina Punzel no trampolim sincronizado misto, com o húngaro Kristof Rasovszky nos 5km nas águas abertas e com o belga Victor Campenaerts no contrarrelógio masculino.

Campeonatos Europeus – Dia 6

813f7407-5c22-44e1-ae19-fb0226a9bf1d

Dina Asher-Smith ao vencer os 100m. Foto: Getty Images

O 1º dia de finais no atletismo em Berlim trouxe algumas surpresas e resultados muito bons. A Grã-Bretanha fez dobradinha nos 100m, levando os dois ouros. Pela primeira vez dede 1962, uma britânica venceu os 100m feminino. Dina Asher-Smith venceu com o tempaço de 10.85, igualando a melhor marca do ano da marfinense Marie-Josée Ta Lou em Doha. A alemã Gina Lückenkemper (guardem esse nome) foi prata com 10.98, igualando o recorde sub23 europeu que ela mesma fez na semifinal no mesmo dia. A holandesa Dafne Schippers foi bronze com 10.99.

Na final masculina, a vitória ficou com o jovem britânico Zharnel Hughes, de 23 anos. Nascido em Anguilla, território britânico no Caribe, por onde foi campeão pan-americano júnior em 2013, Hughes foi ouro com 9.95, recorde do campeonato. O britânico Reece Prescod foi prata com 9.96 e o turco Jak Ali Harvey completou o pódio com 10.01.

730beed5-cf7e-444e-beac-85230a017a9d

Wojciech Nowicki (POL). Foto: Getty Images

A Polônia dominou o campo, com duas dobradinhas. No arremesso de peso, Michal Haratyk venceu com 21,72m e Konrad Bukowiecki prata com 21,66m. No martelo, Wojciech Nowicki levou com 80,12m e Pawel Fajdek foi prata com 78,69m. O francês Morhad Amdouni venceu os 10.000m com 28:11.22, o ucraniano Maryan Zakalnytskyy venceu a marcha 50km com 3:46:35 e a portuguesa Inês Henriques levou a estreia da marcha 50km no feminino no europeu com 4:09.21.

Dois ouros britânicos nos saltos ornamentais, com Jack Laugher vencendo o trampolim de 1m com 414,60 contra 401,10 do italiano Giovanni Tocci. Na plataforma sincronizada feminina, Eden Cheng e Lois Toulson venceram com 289,74 contra 288,6 da dupla russa. No último dia do nado artístico, 3 ouros russos. Venceram no dueto livre, no dueto misto livre e no solo livre. A surpresa foi a prata da italiana Linda Cerruti no solo, que tirou a Ucrânia do 2º lugar pela 1ª vez nesse Europeu. Rússia sai com 8 ouros e 9 provas (não disputou a rotina livre combinada), a Ucrânia com 1 ouro, 5 pratas e 1 bronze e a Itália se firma como 3ª força europeia com 4 pratas e 5 bronzes.

gettyimages-1012614516

Dideriksen e Leth após a vitória na Madison. Foto: Getty Images

Por pouco Daria Shmeleva não foi perfeita no velódromo. Depois de 3 ouros, só restava vencer a Keirin, mas o ouro foi pra francesa Mathilde Gros, a prata pra belga Nicky Degrendele e Shmeleva ficou com o bronze. Na Keirin masculina, o alemão Stefan Bötticher quebrou a hegemonia holandesa na velocidade. As dinamarquesas Julie Leth e Amalie Dideriksen venceram a Madison feminina com 42 pontos contra 38 pontos da dupla russa. Mesmo com a parceria espetacular de Katie Archibald e Laura Kenny, a Grã-Bretanha ficou fora do pódio. No mountain bike, domínio da Suíça. A grande Jolanda Neff sobrou no feminino vencendo com mais de 2min de vantagem sobre a francesa Pauline Ferrand Prevot. No masculino, mesmo sem Nino Schurter na prova, a Suíça levou com Lars Forster, 24s na frente do italiano Luca Braidot.

Na natação, 2 ouros britânicos. Duncan Scott nadou ótimos 1:45.34 nos 200m livre pra ficar com o ouro e a equipe feminina faturou o revezamento 4x200m livre com 7:51.65 A Rússia também levou mais 2 ouros. Yuliya Efimova sobrou nos 200m peito com 2:21.31, muito a frente do resto. A espanhola Jessica Vall Montero foi prata com 2:23.02. Nos 100m costas, Anastasiia Fesikova levou com 59.19, ficando a frente da britânica Georgia Davies com 59.36. O ucraniano Andriy Govorov confirmou o favoritismo e venceu os 50m borboleta com 22.48, recorde do campeonato, e a italiana Simona Quadarella foi campeã nos 1.500m livre com 15:51.61.

Campeonatos Europeus – Dia 5

O destaque da segunda-feira na natação o tempaço de Anton Chupkov nos 200m peito. O russo voou para 2:06.80, ficando a apenas 0.13 do recorde mundial do japonês Ippei Watanabe e batendo o recorde europeu. Bem distante, o britânico James Wilby foi prata com 2L08.39 e o italiano Luca Pizzini bronze com 2:08.54. Kliment Kolesnikov levou os 100m costas com excelentes 52.53, recorde mundial juvenil com Evgeny Rylov fazendo dobradinha russa com 52.74.

A francesa Charlotte Bonnet venceu os 200m livre com 1:54.95, recorde do campeonato, a húngara Boglarka Kapas faturou os 200m borboleta com 2:07.13, apenas 0.20 a frente da russa Svetlana Chimrova. O suíço Jeremy Desplanches levou os 200m medley com bons 1:57.04 e a Grã-Bretanha venceu o revezamento 4x100m medley misto com recorde europeu 3:40.18, com mais uma parcial espetacular do Adam Peaty em 57.27.

gettyimages-1011974408

Jeffrey Hoogland vencendo o britânico Philip Hindes nas 4as do sprint. Foto: Getty Images

A Holanda segue brilhando no velódromo, levando mais dois ouro. Jeffrey Hoogland faturou o sprint vencendo 2-0 o alemão Stefan Bötticher na decisão. Na Omnium, Kirsten Wild ficou com o ouro com 156 pontos no total contra 144 da britânica Katie Archibald. Kenny de Ketele e Robbe Ghys dominaram a prova de Madison masculina com 60 pontos para levar o ouro contra 49 da dupla alemã. A russa Daria Shmeleva é o nome da velocidade, levando o seu 3º ouro, agora nos 500m contrarrelógio. Na decisão ela marcou 33.285 contra 33.593 da ucraniana Starikova e 33.600 da alemã Miriam Welte.

A Rússia venceu mais dois ouros no nado artístico. Svetlana Kolesnichenko venceu no solo técnico com 93,4816 e a equipe levou a equipe técnica com 94,6000, com Ucrânia prata e Itália bronze nas duas provas. Tivemos o início dos saltos ornamentais com a prova de equipe, com ouro pros ucranianos Oleg Kolodiy e Sofiia Lyskun.

O atletismo começou em Berlim, mas sem finais. Os destaques foram o holandês Churandy Martina nas eliminatórias dos 100m com 10.24, o polonês Pawel Fajdek na quali do martelo com 77,86m e o salto em distância de 8,15m na quali com o grego Miltiadis Tentoglou.

Campeonatos Europeus 2018 – Dia 4

Mais uma vez uma enorme polêmica na natação europeia. Após a pataquada em 2014 quando não fizeram exames antidoping corretamente e 2 recordes mundiais não puderam ser homologados, um deles do Adam Peaty, novamente um erro técnico grotesco não deve dar mais recorde pro britânico.

É que neste domingo a Liga Europeia de Natação declarou que a cronometragem de 9 provas (3 finais e 6 semifinais) estava com 0.10 de erro. Ou seja, o tempo correto do Adam Peaty na vitória dos 100m peito foi na verdade de 57.10 e não 57.00. Ainda seria recorde mundial, já que a marca era 57.13, mas acho difícil a FINA homologar o tempo. O recorde dos 50m costas não estava entre as provas com problema.

dd143

Kristof Milák (HUN). Foto: L’Equipe

Neste domingo, um novo dia. O primeiro ouro foi do alemão Florian Wellbrock nos 1.500m livre com 14:36.15 deixando os favoritos pra trás: o ucraniano Mykhaylo Romanchuk 14:36.88 e o italiano Grigorio Paltrinieri 14:42.85. Com apenas 19 anos, o italiano Alessandro Miressi levou os 100m livre com 48.01, enquanto o britânico Duncan Scott foi prata com 48.23 e o francês Mehdy Metella bronze com 48.24.

Como esperado, os húngaros fizeram dobradinha nos 200m borboleta, com Kristof Milák vencendo com 1:52.79, recorde do campeonato, e Tamás Kenderesi prata com 1:54.36. O italiano Federico Burdisso completou o pódio com 1:55.97. No revezamento 4x200m livre, os britânicos venceram com recorde da competição 7:05.32 (ótimas parciais lançadas de Duncan Scott 1:45.48 e James Guy 1:45.60), com Rússia prata 7:06.66 e Itália bronze 7:07.58.

No feminino, Yuliya Efimova venceu os 100m peito com 1:05.53, não dando chance pra lituana Ruta Meilutyte, prata com 1:06.26. Mais um bronze italiano com Arianna Castiglioni 1:06.54. Nos 50m costas, vitória da britânica Georgia Davies 27.23.

Sem Rússia na disputa, a Ucrânia venceu a prova da rotina livre combinada no nado artístico com 94,4667, seguida de Itália 92,6000 e Espanha 91,4667.

Captura de Tela 2018-08-06 às 00.24.41

Sanne Wevers (NED) na final da trave. Foto: Reuters

A holandesa campeã olímpica Sanne Wevers confirmou seu favoritismo e venceu a final da trave na ginástica artística com 13,900, seguida da belga Nina Derwael 13,600 e da francesa Marine Boyer 13,166. Derwael ficou com o ouro nas assimétricas com 14,733, enquanto a francesa Mélanie de Jesus dos Santos venceu o solo com 13,766. No salto, o ouro foi pra húngara Boglárka Devai com 14,349, mesmo com penalidades nos dois saltos.

Campeã mundial em 2007, a italiana Marta Bastianelli venceu a prova de estrada no ciclismo. Após 3h28min15s, ela cruzou na frente da holandesa campeã olímpica de 2012, tricampeã mundial e tricampeã europeia Marianne Vos e da alemã Lisa Brennauer, ouro no sábado na pista na perseguição.

Na pista, as russas favoritas se enfrentaram na final do sprint feminino, com Daria Shmeleva vencendo Anastasiia Voynova. O bronze ficou com a francesa Mathilde Gros, que derrotou a alemã Miriam Welte. Foram mais 3 provas não olímpicas: Laura Kenny (antes Trott) levou a corrida de eliminação, o alemão Dominic Weinstein venceu a perseguição masculina e o polonês Wojciech Pszczolarski brilhou na corrida por pontos, após dar 4 voltas no pelotão e vencer com 102 pontos.

Fechando o dia, as últimas 8 finais do remo. O norueguês Kjetil Borch venceu o single skiff com 6:49.95 contra 6:50.68 do lituano Mindaugas Griskonis. Os dois medalharam no Rio no double skiff. Nesta prova em Glasgow, a vitória ficou com a dupla francesa Hugo Boucheron e Matthieu Androdias com 6:10.21 numa final apertadíssima. A 0.50 dos franceses veio o barco romeno e a 0.63 o barco britânico. Já no Oito Com, a Alemanha confirmou o favoritismo para levar com 5:27.48, com 4 remanescentes da equipe prata no Rio e com praticamente a mesma formação campeã mundial ano passado. O suíço Michael Schmid venceu o single skiff peso leve e, no double skiff leve, vitória dos noruegueses Kristoffer Brun e Are Strandli, bronze no Rio, deixando os irmãos irlandeses Paul e Gary O’Donovan, prata no Rio, com a prata em Glasgow.

132545_12-lg-hd

Marieke Keijser e Ilse Paulis (NED) na final do double skiff leve feminino. Foto: Igor Meijer/FISA

No feminino, a suíça campeã mundial Jeannine Gmelin levou o single skiff com 7:31.15 contra 7:32.62 da austríaca Magdalena Lobnig, bronze no Mundial. No single skiff leve vitória da bielorrussa Alena Furman. Já no double skiff leve, a dupla da Holanda Marieke Keijser e Ilse Paulis venceu a disputa. Paulis foi ouro no Rio na prova com outra parceira.