Resumo olímpico da semana

Judô

48pod-1489164698-1489164698

Após uma semana repleta de medalhas, os judocas brasileiros foram mais comedidos na Europa. No esvaziado Grand Slam de Baku, apenas uma medalha, com o ouro de Stefannie Koyama (guarde esse nome) nos 48kg, na medalha mais importante de sua carreira. Ela precisou de 4 vitórias pro ouro, incluindo uma na decisão sobre a sérvia Milica Nikolic por 2 waza-aris. Eric Takabatake (60kg), Sarah Menezes (52kg), Gilmara Prudêncio (57kg) e Samanta Soares (78kg) perderam na disputa de bronze.

Na Copa Europeia Cadete em Zagreb, novamente com 34 judocas da seleção sub-18, o Brasil conquisotu 9 medalhas, sendo 2 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. Títulos para Willian Lima (60kg) e Laura Ferreira (44kg) e vices para Marcos Santos (66kg), Gabriella Moraes (63kg) e Eduarda Rosa (70kg).

Atletismo

Em torneio realizado em São José dos Campos, 4 índices pro Mundial de Londres. Fernanda Martins venceu o disco com 62,29m, quase 1m melhor que o índice. Nos 800m, Thiago André venceu com 1:45.65, quase 5s melhor que o 2º colocado e apenas 0.25 abaixo do índice. Geisa Arcanjo, que tinha batido na trave, agora conseguiu o índice no arremesso de peso com 17,78m, 3cm acima da marca. Talles Silva levou o salto em altura com 2,30m, exatamente o índice necessário.

Em Ciudad Juaréz, no México, Érica de Sena ficou com a prata na marcha 20km em sua 1ª prova do ano. A brasileira completou a distância em 1:30:49, bem atrás da campeã Maria Guadalupe Gonzalez, prata olímpica, com 1:28:59. Já Caio Bonfim fez prova ruim, marcando 1:26:47 e obtendo o 21º lugar, muito longe do campeão, o colombiano Elder Arevalo com 1:22:29.

Badminton

No já tradicional torneio internacional de São Paulo, os jogadores brasileiros saíram com 2 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. Os destaque foram nas chaves de simples, apesar das duas derrotas nas finais. Ygor Coelho começou bem contra Niluka Karunaratne, do Sri Lanka, mas levou a virada por 9-21 21-14 21-18. Na final feminina, Fabiana Silva mal viu a cor da peteca contra a japonesa Haruko Suzuki, perdendo por 21-9 21-6.

Em chaves bem esvaziadas de estrangeiros, Hugo Arthuso/Fabiana Silva venceram nas duplas mistas 21-11 21-19 a dupla formada pelo alemão Jonathan Persson e por Kate Foo Kune, das Ilhas Maurício. Nas duplas femininas, Jaqueline Lima/Samia Lima venceram em final brasileira 14-21 21-19 21-15 Thalita Correa/Paloma da Silva.

Hipismo

Em tour 4*na Espanha, Pedro Veniss venceu prova de 1,50m na sexta-feira. Outros 10 conjuntos zeraram a primeira passagem, mas no desempate o brasileiro foi mais rápido. Marlon Zanotelli montando Sirene de La Motte venceu prova de 1,45m em Vilamoura, Portugal. Depois de dois vices, ele fez pista limpa em 58.59 para vencer a prova. Também em Vilamoura, Cássio Rivetti (que voltou a defender o Brasil após alguns anos pela Ucrânia) e João Victor Castro fizeram dobradinha em prova 3* a 1,40m.

marcio_iberon650

Márcio Appel

Outro destaque foi João Victor Oliva em Hertogenbosch, na Holanda. Montando Lusitano Xamã dos Pinhais, João Victor fez 67,160% no Grand Prix e 70,340% no Grand Prix Special, com música, sua 1ª nota cima de 70% na carreira. No CCE, em Portugal, Márcio Appel foi 5º em prova 3*, conseguindo o índice técnico para o Mundial de 2018. Fez 54,7 no adestramento, 15,2 no cross-country apenas por excesso de tempo e duas faltas nos saltos.

Outros Esportes

– Desempenho ruim dos brasileiros na 2ª etapa da Copa do Mundo FINA de Maratonas Aquáticas 10km em Abu Dhabi. Ana Marcela Cunha terminou em 12º lugar com 1:53:14.0 e Poliana Okimoto foi 25ª com 1:54:13.7. No masculino, Allan do Carmo terminou em 16º, a 1min12s do campeão, o britânico Jack Brunell.

Adilson da Silva foi 21º no Aberto da Índia de golfe, válido pelo Tour Asiático. Eme somou 292 tacadas, 14 acima do campeão e conseguiu 1,38 ponto para o ranking mundial. Pelo PGA Latino-americano, Rafael Becker foi o melhor brasileiro em 20º em prova em Buenos Aires.

Marcus Vinícius D’Almeida e Ane Marcelle dos Santos saíram na frente na 1ª seletiva de tiro com arco em Maricá. Após 2 rounds de duplo-70m e dois combates, ela soma 24 pontos em 26 possíveis e ele 22. Esta seletiva definiu a equipe que irá para a Copa do Mundo de Antalya, na Turquia. A 2ª seletiva, em julho, definirá a equipe para o Mundial da Cidade do México em outubro.

– No qualificatório das Américas de tênis em cadeiras de rodas, o Brasil venceu tanto no masculino como no feminino e se classificou para a Copa do Mundo por equipes em maio na Itália. Na decisão feminina, 2-0 sobre a Argentina e na masculina, 2-0 sobre os EUA.

– Na 3ª etapa do circuito sul-americano de vôlei de praia, em Rosario, Argentina, as duplas brasileiras conquistaram 1 ouro e 1 bronze. Oscar/Hevaldo venceram 28-26 21-16 dupla chilena na final e Val/Ângela venceram 21-11 21-16 as argentina Gallay/Klug na disputa do 3º lugar.

– Nos dois primeiros amistosos de uma série de 4 no México, o Brasil empatou em 1-1 e depois venceu em 2-1 os donos da casa no hóquei na grama masculino. A equipe se prepara para a Copa Pan-Americana em agosto.

Resumo da semana olímpica

Tênis

23097999

Dois títulos brasileiros no circuito da ATP. no fortíssimo ATP500 de Acapulco, Bruno Soares e Jamie Murray venceram na decisão o americano John Isner e o espanhol Feliciano López por 63 63. Foi a 7ª final da dupla e o 4º título desde que começaram a atuar juntos, em janeiro de 2016. Bruno conquistou seu 24º título na carreira.

Já no ATP250 de São Paulo, o Brasil Open, André Sá e Rogério Dutra Silva venceram Marcelo Demoliner e o neozelandês Marcus Daniell por 76(5) 57 [10-7] para vencerem o título. Foi a 29ª final de Sá e o 11º título dele na carreira. Já Dutra Silva chegou ao seu 1º título no circuito.

Na Austrália, Bia Haddad Maia conquistou o título de simples e de duplas no torneio ITF $25,000 em Clare. Na final de simples venceu a checa Marketa Vondrousova por 62 62.

Atletismo

83 atletas disputaram em Bragança Paulista a Copa Brasil de Marcha Atlética. Em sua primeira competição desde os Jogos Olímpicos, Caio Bonfim confirmou o favoritismo ao vencer os 20km com o alto tempo de 1:30:05, bem a frente de Max Batista dos Santos com 1:33:46 e de Moacir Zimmermann com 1:37:04. Foi a 6ª vitória consecutiva do Caio na competição. Nos 50km, José Alessandro Bagio venceu com 4:17:55.

No feminino, título de Liliane Barbosa com altíssimos 1:57:37. Érica Sena não participou. E na estreia dos 50km feminino, vitória de Nair da Rosa, única das duas atletas concorrente a completar, com 5:13:48, diminuindo o recorde brasileiro da prova em 18 minutos.

Rugby

16903518_10155765205139298_5482369601791332046_o_large

Um resultado histórico para a seleção de rugby XV masculina. Na última rodada do Campeonato das Américas, o Brasil venceu em São Paulo pela 1ª vez na história a seleção do Canadá, num grande jogo por 24-23. Com isso, o Brasil encerrou a competição com 2 vitórias e 3 derrotas, ficando em 4º lugar.

Na 3ª etapa da Série Mundial de Rugby 7s feminino, o Brasil ficou em 11º lugar em Las Vegas. Na 1ª fase, sofreu 3 derrotas sem marcar um único ponto: 24-0 para a Nova Zelândia, 38-0 para a Austrália e 12-0 para a Inglaterra. Aí perdeu de 19-7 para a Espanha e venceu a Argentina por 41-0 na decisão do 11º lugar. Após 3 etapas, o Brasil está em 11º no geral com 7 pontos. A Nova Zelândia lidera com 56.

Esgrima

No Pan Juvenil e Cadete, em Havana, Cuba, a equipe brasileira ficou bem abaixo do esperado. O maior destaque veio no florete feminino juvenil. Gabriela Cecchini, maior revelação do país nos últimso anos, venceu na decisão brasileira Mariana Pistoia por 15-12. Gabriela foi mal na fase de poules, mas nas 8as obteve uma excelente vitória sobre a favorita americana Delphine Devore por 15-9.

Nas provas individuais, foram apenas mais 2 medalhas de bronze, ambas na categoria cadete: Bruno Pekelman no sabre masculino e Leopoldo Gubert na espada masculina.

Hipismo

A equipe brasileira de saltos formada por Eduardo Menezes/Quintol, Yuri Mansur/Babylotte, Pedro Muylaert/MFS Prince Royal Z e Luiz Francisco de Azevedo/Comic ficou com o bronze na Copa das Nações e Wellington, EUA. O Brasil somou 16 pontos, todos de Eduardo Menezes, ficando atrás da Irlanda, com 4, e os EUA, com 13.

Em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice mais uma vez, agora em Vilamoura.

Outros Esportes

d5c914zc95

Lauro Chaman

– No Mundial de Paraciclismo de Pista, em Los Angeles, Lauro Chaman conquistou 3 medalhas na categoria C5. Dono de duas medalhas nos Jogos do Rio, Lauro foi prata na perseguição individual e faturou dois bronzes, na prova de Scratch e do 1km contrarrelógio.

– No Aberto de Tshwane de golfe, em Pretória, África do Sul, Adilson da Silva ficou em 15º lugar. Ele somou 276 tacadas no torneio válido pelo Tour Europeu e pelo Tour Africano, 10 a mais que o sul-africano campeão Dean Burmester. O brasileiro somou 1,72 ponto no ranking mundial, subindo 16 posições, para 374º.

– Na conclusão da etapa de Nova Delhi da Copa do Mundo de tiro, nenhum brasileiro pegou final. Felipe Wu ficou em 10º na quali da pistola de 50m e apenas 24º na pistola de ar 10m, Júlio Almeida foi 11º na prova de 10m e 29º na de 50m e Cássio Rippel foi 23º no rifle deitado 50m.

– Na 2ª etapa do Circuito Sul-Americano de vôlei de praia, no Peru, Lili/josi ficaram com o ouro após vencer 21-9 21-14 dupla do Paraguai. No masculino, Oscar/Hevaldo ficaram com o bronze. Em 2 etapas, Brasil soma 3 ouros, 1 prata e 2 bronzes.

Resumo do fim de semana

Hipismo

Pedro Veniss

Pedro Veniss foi o responsável pelo principal feito esportivo da semana, ao vencer o fortíssimo GP Rolex no Internacional de Genebra. No concurso 5 estrelas com obstáculos a 1,60m, o brasileiro, montando Quabri de l’Isle zerou a primeira passagem, assim como outros 15 conjuntos. No desempate, Pedro zerou novamente, acompanhado de mais 6 conjuntos, mas o brasileiro completou o percurso reduzido em 38.96, o melhor tempo entre os 7. O belga Olivier Philippaerts, filho do grande ginete Ludo Philippaerts, ficou em 2º com 39.21 e o britânico Scott Brash foi 3º com 39.41.

O brasileiro ficou a frente de outros grandes cavaleiros, como o sueco Rolf-Göran Bengtsson e o suíço Steve Guerdat. Pela vitória, Pedro Veniss faturou CHF 400.000. Na sexta, ele havia ficado em 2º em uma prova menor do concurso, com obstáculos a 1,50m.

Esgrima

Nathalie Moellhausen obteve uma excelente participação no forte Grand Prix de Doha de espada. Classificada diretamente para a chave principal, a italiana naturalizada brasileira e quadrifinalista olímpica no Rio venceu na estreia por 15-9 a suíça Laura Staehli. Depois passou por 15-9 pela francesa Aliya Bayram e por 11-10 pela sul-coreana A Lam Shin. Nas 4as, Nathalie caiu por 15-12 para a tunisiana Sarra Besbes, que ficaria com o título ao vencer por 15-8 na final a russa Violetta Kolobova. A brasileira termina na 7ª posição.

No masculino, Athos Schwantes fez uma excelente rodada de poules, vencendo 5 dos 6 combates. Com isso, ficou entre os 16 melhores dos 23 grupos e se garantiu diretamente na chave final, onde perdeu na 1ª rodada por 15-9 para o francês Mathias Biabiany. O ouro ficou com o sul-coreano Youngjun Kweon, com 15-13 na final sobre o francês Alexandre Bardenet.

Taekwondo

Henrique Moura foi o único a vencer um combate na Final do Grand Prix de taekwondo em Baku, Azerbaijão. Na categoria até 68kg, Henrique venceu por 1-0 mexicano para perder na 2ª rodada pro belga Jaouad Achab por 11-3. O nosso medalhista olímpico Maicon Siqueira perdeu na estreia pro Abdoul Issoufou, do Níger por 3-0. Nos Jogos do, Maicon perdeu justamente para Issoufou na 2ª rodada. O africano ficaria com a medalha de prata no Rio.

No feminino, mais duas derrotas na estreia, Raphaella Galacho perdeu de 7-0 para holandesa no +67kg e Íris Tang Sing caiu por superioridade após empate em 0-0 para ucraniana.

Outros Esportes

Bruna Takahashi

Bruna Takahashi foi o destaque brasileiro no Mundial Juvenil de tênis de mesa, na África do Sul. Ela foi a única a chegar na 2ª rodada da chave principal individual, onde perdeu por 4-0 para a sul-coreana Jiho Kim. Nas duplas femininas com Alexia Nakashima e nas mistas ao lado do inglês Tom Jarvis, Bruna também parou na 2ª rodada. Por equipes, o Brasil foi 10º no feminino e 19º no masculino entre 20 equipes.

– Em São José (SC), Bruno Schimdt e Alison venceram mais uma etapa do Circuito Brasileiro de vôlei de praia. Na final, fizeram 21-19 21-18 em Álvaro Filho/Saymon. No feminino, vitória de Juliana e Rebacca, com 21-18 21-19 sobre Patrícia/Ângela na decisão.

– No sul-americano de badminton, em Lima, o Brasil ficou com o ouro por equipes na competição adulta e na Sub15 e foi prata na equipe Sub19.

Adilson da Silva foi 14º no Honk Kong Open de golfe, válido pelo Tour Europeu de 2017. Com 275 tacadas após as 4 rodadas, ficou 8 abaixo do campeão, o australiano Sam Brazel. O brasileiro ganhou mais 2,4272 pontos pro ranking mundial, subindo 25 posições no ranking mundial para 362º.

Resumo do fim de semana

Karatê

14441078_1783815278528380_271895983850828646_n-960x576

Pódio dos 60kg, com ouro para Douglas Brose

Duas medalhas na etapa de Hamburgo da Liga Premier de karatê. Campeão mundial e pan-americano e número 1 do mundo na categoria até 60kg, Douglas Brose venceu 6 lutas para levar  ouro na sua categoria, seu 3º ouro seguido no circuito. Na final, fez 3-0 no azeri Firdovsi Farzaliyev.

Também número 1 do mundo, mas nos 67kg, Vinícius Figueira ficou com a prata, perdendo na final por 4-0 para o egípcio Magdy Hanafy. 2º ouro no circuito do Vinícius esse ano.

Baseball

2013 World Baseball Classic Pool A - Team Brazil v. SoftBank Hawks

Tentando repetir 2013, a equipe brasileira foi a Nova York disputar o último qualificatório pra principal competição do esporte, o World Baseball Classic. Na competição anterior, o Brasil se classificou e fez jogos duríssimo contra o Japão, China e Cuba.

Na estreia, o Brasil arrasou o Paquistão por 10-0, mas na semifinal perdeu por 1-0 para Israel. A equipe brasileira conseguiu 3 rebatidas, mas não pontuou. Foi para a repescagem, mas perdeu para a Grã-Bretanha por 4-3. Vale ressaltar que o Brasil teve 12 rebatidas contra apenas 6 dos britânicos e mesmo assim foi derrotado.

Hipismo

A equipe brasileira ficou na 9ª posição da Copa das Nações de saltos em prova em Barcelona. Na 1ª rodada, mesmo com Rodrigo Pessoa e Pedro Veniss zerando, o Brasil ficou em 9º, graças a 2 faltas de Stephan Barcha e 3 de Felipe Amaral, ficando de fora da final.

Ainda assim, a equipe voltou o domingo pra Challenge Cup e ficou com o título. Pedro zerou, Rodrigo fez uma falta, Yuri Mansur fez 2 e Stephan foi eliminado. Mesmo com 12 pontos, venceram esta prova que contou apenas com os não classificados pra final. A vitória da prova principal ficou com a Alemanha, que venceu o desempate sobre a Grã-Bretanha.

 

Golfe

O campo olímpico de golfe recebeu sua 1ª competição importante após os Jogos, com o 63º Aberto do Brasil, que faz parte do Tour Latino-Americano da PGA. O argentino Jorge Fernandez-Valdes venceu o torneio com 280 tacadas, 4 abaixo do par do campo. O canadense Corey Conners, o americano Brad Hopfinger e o chileno Guillermo Pereira empataram em 2º.

Apenas dois brasileiros passaram pelo corte. Rodrigo Lee fez uma péssima primeira rodada, com 7 acima do par, mas uma ótima 3ª, com 4 abaixo. No total, terminou em 17º com 4 acima. Rafael Becker foi o outro a passar, terminando em 32º com 9 acima.

Alexandre Rocha disputou a penúltima etapa do Web.com Tour, a 2ª divisão do PGA, mas não passou no corte, ficando a 5 tacadas de avançar.

Outros Esportes:

Thiago Monteiro, do tênis, foi vice no challenger de Santos de tênis, perdendo de 64 76(5) para o argentino Renzo Olivo. Com o resultado, Thiago subiu para 87º no ranking mundial com 649 pontos, se aproximando de Thomaz Bellucci, atual 81º com 675.

Thiago Monteiro, do tênis de mesa, disputou o Aberto da Bélgica. Ele venceu duas partidas da chave principal, caindo nas 8as para alemão por 4-0. O indiano Sathiyan Gnanasekaran levou o título masculino. No feminino, vitória da japonesa Yui Hamamoto

8889

Equipe de atletismo Sub-23

– O Brasil conquistou o título no masculino, no feminino e no geral no Sul-Americano de Atletismo Sub-23. Entre os destaques, a vitória de Rodrigo do Nascimento nos 100m com a excelente marca de 10.21, com vento contra de 1,4m/s. Foram 19 ouros, 7 pratas e 9 bronzes no total.

Talita e Larissa vencem a 1ª etapa do circuito brasileiro de vôlei de praia em Campo Grande (MS) com 21-9 21-15 sobre Val e Renata. No masculino, o veterano Ricardo e André Stein venceram com 21-17 21-17 sobre sobre Saymon e Álvaro Filho.

Rio-2016 – Dia 12

Dia de ir pela primeira (e única) vez a Deodoro. Achava que seria muito complicado e só comprei ingresso para a final por equipes do hipismo saltos, mas depois vi que seria bem tranquilo chegar lá, só um pouco mais longe do Parque Olímpico. Mas também há uma longa andada até chegar nos locais de competição, que ficam dentro da Vila Militar.

IMG_1604

Fazia um calor insuportável e ficar de baixo do sol a manhã toda não foi fácil. Muitos cavalos tiveram problemas nos dias anteriores, o que ocasionou desistências de favoritos como a americana Beezie Madden, a francesa Penelope Leprevost e o holandês Jur Vrieling. Com um cavaleiro a menos, por conta da desclassificação de Stephan Barcha, os brasileiros não podiam errar e brigaram por medalha até o final, mas quando o último a entrar, o Doda, cometeu uma falta, o Brasil ficou em 5º por equipe, novamente perto do pódio. Com nenhuma falta nos obstáculos e apenas 2 estourando o tempo, a França assegurou o ouro com boa antecedência, assim como os americanos ficaram com a prata. Canadá e Alemanha empataram com 8 pontos e foram para o desempate, vencido pelos alemães, que zeraram todas as passagens.

Ainda não tinha ido ao Boulevard Olímpico e com bastante tempo até o jogo de vôlei do Brasil, aproveitei para conhecê-lo. E ficou maravilhoso. Estava lotado, mas tudo ficou lindo. Já tinha visto o Museu do Amanhã no ano anterior quando fui ao evento-teste do tiro com arco, mas desta vez pude dar a volta nele. Estava muito cheio e acabei não indo a todos os armazéns, mas dá para dizer que tudo ficou muito muito bonito. Não pude deixar de fazer selfies com a pira olímpica e tirar muitas fotos na Praça Mauá. Da próxima vez que for ao Rio, com certeza voltar aqui para conhecer tudo direitinho.

IMG_1670

Próximo passo, Maracanãzinho para as quartas do vôlei masculino entre Brasil e Argentina. O Brasil havia passado em 4º enquanto os hermanos surpreenderam com o 1º lugar do grupo e, claro, o jogo foi muito disputado, como qualquer duelo entre os dois países é em qualquer esporte. A Argentina fez um ótimo jogo e aproveitou um Brasil completamente apagado no 2º set para empatara a partida, mas depois tudo voltou aos eixos e com 24 pontos de Wallace, o Brasil venceu por 3-1 rumo ao ouro.

Prévias Rio-2016 – Hipismo

Saltos individual

Pódio em Londres-2012: Ouro – Steve Guerdat (SUI); Prata – Gerco Schroder (NED); Bronze – Cian O’Connor (IRL)

Último Mundial (2014): Ouro – Jeroen Dubbeldam (NED); Prata – Patrice Delaveau (FRA); Bronze – Beezie Madden (USA)

Jeroen Dubbeldam (NED)

Uma das prova mais difíceis de prever, os saltos tem muita gente boa junta e tudo pode acontecer. Uma falta separa o ouro de um lugar fora da final. O campeão em Londres, o suíço Steve Guerdat (1O-1B) é a principal esperança do país. O campeão dos Jogos Equestres, o holandês Jeroen Dubbeldam (1O) venceu em Sydney-2000 e levou o europeu no ano passado. Apenas dois britânicos remanescentes de Londres-2012 estão na equipe campeã olímpica: Nick Skelton (1O) e Ben Maher (1O).

A França aposta no líder do ranking Simon Delestre enquanto os Estados Unidos tem os super experientes McLain Ward (2O), Beezie Madden (2O-1B) e Kent Farrington. Já a super equipe da Alemanha tem Marcus Ehning (1O), Ludger Beerbaum (4O) e Christian Ahlmann (1B). De olho também nos suecos Rolf-Göran Bengtsson (2P), Peder Fredricson (1P) e Malin Baryard-Johnsson (1P), na brasileira naturalizada portuguesa Luciana Diniz, no holandês Juri Vrieling (1P), no francês Kevin Staut e no belga Nicola Philippaerts.

E o Brasil? Com equipe renovada, o Brasil tem apenas Álvaro de Miranda Neto (2B), o Doda, com experiência olímpica, indo para sua 5ª participação. Pedro Veniss tem obtido grandes resultados recentes e é o brasileiro em melhor fase. Eduardo Menezes e Stephen Barcha completam a equipe. Difícil uma medalha no individual, mas Pedro tem as melhores condições.

Meu Pódio: Ouro – Jeroen Dubbeldam (NED); Prata – Rolf-Göran Bengtsson (SWE); Bronze – Mclain Ward (USA)

Saltos por Equipe

Pódio em Londres-2012: Ouro – Grã-Bretanha; Prata – Holanda; Bronze – Arábia Saudita

Último Mundial (2014): Ouro – Holanda; Prata – França; Bronze – Estados Unidos

Assim como no individual, a prova por equipes será extremamente disputada, com pelo menos 8 equipes brigando pelo ouro. A equipe alemã vem como força total com Marcus Ehning (1O), Ludger Beerbaum (4O) e Christian Ahlmann (1B), mas ficou fora do pódio olímpico nas 2 últimas edições. A equipe americana liderada por McLain Ward (2O) e Beezie Madden (2O-1B) quer voltar ao topo, após os ouros em Atenas e Pequim. Campeões mundiais nos Jogos Equestres em 2014, a Holanda foi prata em Londres e conta agora com o campeão mundial e olímpico em 2000 Jeroen Dubbeldam (1O) e com 2 remanescentes da prata em Londres.

A França tem o líder do ranking Simon Delestre e também entra na disputa, assim como Suécia, Suíça, Grã-Bretanha, ouro em Londres, e o Qatar, que pode surpreender.

E o Brasil? A equipe brasileira é boa e também está na briga. Foi 4ª colocada nos Jogos Equestres, mas conta com 3 estreantes em Jogos Olímpicos. Ainda assim, pode brigar por um bronze, após ficar fora do pódio por 3 edições seguidas.

Meu Pódio: Ouro – Alemanha; Prata – Estados Unidos; Bronze – Holanda

Adestramento individual

Pódio em Londres-2012: Ouro – Charlotte Dujardin (GBR); Prata – Adelinde Cornelissen (NED); Bronze – Laura Bechtolsheimer (GBR)

Último Mundial (2014): Ouro – Charlotte Dujardin (GBR); Prata – Helen Langehanenberg (GER); Bronze – Adelinde Cornelissen (NED)

Charlotte Dujardin (GBR)

A britânica campeã olímpica e mundial Charlotte Dujardin (2O) é imbatível. Montando o belíssimo Valegro, a dupla faz uma parceria espetacular que atinge facilmente mais de 90%. O recorde mundial é deles com 94,300 obtidos em prova em Londres em 2014. O conjunto venceu que disputou desde julho de 2014! São 16 vitórias consecutivas. A líder do ranking mundial é a alemã Kristina Bröring-Sprehe (1P), campeã mundial por equipes em 2014.

Mas talvez o maior nome da modalidade seja a alemã Isabell Werth (5O-3P). Campeã olímpica em Atlanta-1996, venceu mais 4 ouros por equipe! Além disso tem 7 ouros em mundiais. Werth chega a sua 5ª Olimpíada aos 47 anos e como 3ª do mundo! A equipe holandesa é muito forte e tem Adelinde Cornelissen (1P-1B), Edward Gal (1B) e Hans Peter Minderhoud (1P) como principais nomes. Outros fortes nomes para o pódio são o britânico Carl Hester (1O), a espanhola Beatriz Ferrer-Salat, os americanos Steffen Peters e Laura Graves e a austríaca Victoria Max-Theurer.

E o Brasil? Representam o Brasil Luiza Almeida, Pedro de Almeida, João Victor Oliva e Giovanna Pass. A equipe é bem jovem e tem evoluído bastante, mas não tem pretensão nenhuma de medalha. O objetivo é avançar de fase.

Meu Pódio: Ouro – Charlotte Dujardin (GBR); Prata – Adelinde Cornelissen (NED); Bronze – Kristina Bröring-Sprehe (GER)

Adestramento por Equipes

Pódio em Londres-2012: Ouro – Grã-Bretanha; Prata – Alemanha; Bronze – Holanda

Último Mundial (2014): Ouro – Alemanha; Prata – Grã-Bretanha; Bronze – Holanda

Com sua super equipe com Kristina Bröring-Sprehe (1P), Dorothee Schneider (1P), Sönke Rothenberger e o mito Isabell Werth (5O-3P), a Alemanha é a equipe a ser batida. Mesmo sem a vice-campeã mundial Helen Langehanenberg, a Alemanha vem do título mundial por equipes e conquistou o ouro na prova 7 vezes seguidas, até perder em Londres-2012 para os britânicos. Aliás, a Grã-Bretanha com o incrível conjunto Charlotte Dujardin (2O) e Valegro vem com tudo para conquistar o bi, contando com a ajuda principalmente de Carl Hester (1O).

Bronze em Londres e nos Jogos Equestres de 2014, a Holanda é outra equipe fortíssima, liderada por Adelinde Cornelissen (1P-1B). Outras ótimas equipe são a Espanha, França, Dinamarca e Estados Unidos.

E o Brasil? A equipe brasileira é bem jovem e apenas Luiza Almeida tem experiência olímpica. Ainda estão longe dos melhores do mundo e dificilmente chegam aos 70% de aproveitamento. São 11 equipes na disputa e o Brasil sonha em não ficar em último.

Meu Pódio: Ouro – Alemanha; Prata – Holanda; Bronze – Grã-Bretanha

CCE individual

Pódio em Londres-2012: Ouro – Michael Jung (GER); Prata – Sara Algotsson Ostholt (SWE); Bronze – Sandra Auffarth (GER)

Último Mundial (2014): Ouro – Sandra Auffarth (GER); Prata – Michael Jung (GER); Bronze – William Fox-Pitt (GBR)

Michael Jung (GER)

O alemão Michael Jung (2O) é o cavaleiro a ser batido nos Jogos. Campeão em Londres e nos Jogos Equestres de 2010, perdeu em 2014 para sua compatriota Sandra Auffarth (1O-1B), mas lidera o ranking mundial com muita folga, vindo de títulos importantes no ano, como no torneio de Badminton e de Lexington, nos EUA e possui 3 títulos europeus. Auffarth será sua principal concorrente. Atual campeã mundial, foi bronze em Londres e prata no europeu do ano passado.

O britânico William Fox-Pitt (2P-1B) venceu prova em Badminton este ano também e vem do bronze nos Jogos Equestres. Aos 47 anos, está em sua 4ª Olimpíada. Também de olho na britânica Gemma Tattersall, no experiente americano (antes australiano) Phillip Dutton (2O) de 52 anos em sua 6ª Olimpíada, nos australiano Stuart Tinney (1O) e Shane Rose (1P) e no megaveterano Mark Todd (2O-3B), bicampeão olímpico em 1984 e 1988! Todd vai para sua 8ª Olimpíada!

E o Brasil? Serão 4 cavaleiros brasileiros: Ruy Fonseca, Carlos Paro, Márcio Jorge e Márcio Appel. Com Tom Bambadill Too, Ruy Fonseca foi bronze no Pan e pode surpreender nos Jogos. Eles melhoraram demais no adestramento, que sempre foi nosso ponto fraco, e com isso não ficam mais tão distantes. Ruy pode brigar por um inédito top-10 brasileiro no CCE.

Meu Pódio: Ouro – Michael Jung (GER); Prata – Sandra Auffarth (GER); Bronze – Phillip Dutton (USA)

CCE por Equipes

Pódio em Londres-2012: Ouro – Alemanha; Prata – Grã-Bretanha; Bronze – Nova Zelândia

Último Mundial (2014): Ouro – Alemanha; Prata – Grã-Bretanha; Bronze – Holanda

Dificilmente alguém vencer a Alemanha, que tem tudo para levar o tricampeonato. Com Michael Jung (2O) e Sandra Auffarth (1O-1B) na equipe, a Alemanha é favoritíssima ao ouro. Com apenas um cavaleiro da equipe prata em Londres, William Fox-Pitt (2P-1B), a equipe britânica vem renovada, mas sempre forte. Busca o 5º pódio seguido em Jogos Olímpicos!

Potências no CCE, a Nova Zelândia e a Austrália brigam por medalha, assim como a sempre forte equipe dos Estados Unidos. Irlanda e Holanda vem logo atrás.

E o Brasil? A equipe brasileira é boa e pode surpreender. Liderados por Ruy Fonseca, bronze no Pan, a equipe foi prata em Toronto e tem tudo para ser top-6, entre 13 equipes. O ponto fraco sempre foi o adestramento, mas ele melhorou demais e vai ajudar a equipe.

Meu Pódio: Ouro – Alemanha; Prata – Nova Zelândia; Bronze – Grã-Bretanha

Perfil 2016 – Charlotte Dujardin (GBR)

olympicsday13equestrianlv1jquqo_4zl

27/75

Charlotte Dujardin

Hipismo Adestramento

Jogos Olímpicos: 2 ouros

Mundiais: 2 ouros, 1 prata

 

Montando Valegro, a britânica Charlotte Dujardin é quase imbatível no adestramento na atualidade.

Nascida em 1985 na Grande Londres, começou a montar cavalos aos 2 anos, levando de volta os cavalos de saltos da irmã mais velha. Aos 3 anos, foi 2ª colocada em sua primeira competição de saltos. Com 16 anos, Dujardin já havia vencido o Horse of the Year Show, tradicional evento britânico, 4 vezes.

Em 2007, voltou suas atenções ao adestramento. Em 2011, ela começou a montar Valegro, para treiná-lo para o cavaleiro Carl Hester, mas a dupla foi tão perfeita que a parceria ficou. Em sua 1ª competição juntos no ano, venceram. No Europeu de Adestramento em Roterdã, Dujardin foi ouro por equipes, mas foi apenas 6ª no Grand Prix Especial com 76,548%. Neste mesmo ano, venceram a Copa do Mundo em Londres batendo o recorde mundial para um Grand Prix Especial com 88,022%.

charlotte-dujardin-valegro-img_7625

Em 2012, chegou como forte candidata em casa para os Jogos de Londres e não decepcionou. Dominou as 3 etapas do adestramento, com 83,663% no GP, 83,268% no Grand Prix Especial e excepcionais 90,089% no Grand Prix Estilo Livre, a final olímpica. Ajudou a excelente equipe britânica a ficar com o ouro por equipe e saiu coroada de Londres.

Em 2013, sobrou no Europeu de Adestramento, com ouro no GP Especial com 85,699% e no GP Livre com 91,250%! Foi bronze por equipes e no final do ano foi condecorada com a Ordem do Império Britânico. Em 2014, brilhou mais uma vez, agora nos Jogos Equestres, onde levou os dois ouros individuais em jogo, com 86,120% no Especial e 92,161% no Estilo Livre! Por equipe, uma prata, sempre atrás da fortíssima equipe alemã. No mesmo ano venceu pela primeira vez a Copa do Mundo. No vídeo, a apresentação do recorde mundial de 94,300% de Dujardin e Valegro em Londres em 2014.

Em abril de 2015, venceu mais uma vez a Copa do Mundo, agora com a pontuação monstruosa de 94,169%. Em agosto, mais dois ouros no Europeu e uma prata por equipes, agora atrás da Holanda.

Valegro parece flutuar e é um dos cavalos mais excepcionais para a modalidade, o que faz com que a dupla atinja notas nunca antes alcançadas por ninguém. Favoritíssimos ao ouro, Dujardin deve levar o bicampeonato e tem tudo para em Tóquio igualar o feito da holandesa Anky van Grunsven, tricampeã de 2000 a 2008.