Boletim Rumo a Tóquio-2020 #3

Em setembro tivemos 4 Mundiais que colocaram mais 8 países na lista de classificados para os Jogos.

Tiro

52nd ISSF World Championship All Events 2018 - Changwon, KOR - Final Skeet Men

Vincent Hancock (USA) na prova de Skeet no Mundial em Changwon. Foto: ISSF

O grande Mundial de tiro, em Changwon, na Coreia do Sul, alocou 4 vagas por prova individual e mais 2 por prova em equipe. Lembrando que pro tiro um atleta só pode garantir uma única quota pro seu país e cada país só pode ter no máximo 2 atletas por prova individual. Uma vez classificado, o atleta pode até disputar outras provas. Países classificados:

Pistola de ar 10m masculino: Coreia do Sul (2 vagas), Rússia e Ucrânia
Pistola de fogo rápido 25m masculino: China (2), França e Rússia
Rifle de ar 10m masculino: China, Croácia (2) e Rússia
Rifle 50m 3 posições masculino: China, Estados Unidos, Noruega e Polônia
Fossa masculina: Austrália, Eslováquia, Espanha e Kuwait
Skeet masculino: Estados Unidos, França, Itália e Noruega
Pistola de ar 10m feminino: China, Coreia do Sul, Grécia e Sérvia
Pistola 25m feminino: Alemanha, Rússia, Taiwan e Ucrânia
Rifle de ar 10m feminino: Coreia do Sul (2) e Índia (2)
Rifle 50m 3 posições feminino: Alemanha, Croácia, Grã-Bretanha e Rússia
Fossa feminina: Austrália, China, Eslováquia e Itália
Skeet feminino: Eslováquia, Estados Unidos (2) e Rússia
Pistola de ar 10m por equipe mista: China e Rússia
Rifle de ar 10m por equipe mista: China e Rússia
Fossa por equipe mista: Eslováquia e Rússia

A Rússia levou o maior número de vagas, com 12. China obteve 10, Coreia do Sul e Eslováquia 5 cada e Estados Unidos 4.

Ginástica Rítmica

RG WCh Sofia/BUL 2018:

O Mundial de Ginástica Rítmica em Sófia, na Bulgária, classificou os 3 grupos medalhistas na prova geral para os Jogos. A Rússia venceu a competição com 46,300 contra 44,825 da equipe da Itália e 42,050 da Bulgária. Apesar disso, a Rússia não levou nenhum dos ouros na finais por aparelho. Mas para a classificação olímpica o que valia era o geral.

Grupo feminino: Rússia, Itália e Bulgária.

Hipismo

charlotte-dujardin-mount-st-john-freestyle-photo-by-annan-hepner

Charlotte Dujardin (GBR) no adestramento nos Jogos Equestres

Nos Jogos Equestres, que só ocorrem a cada 4 anos, tivemos 6 vagas para cada uma dos 3 eventos por equipe. E uma extra no adestramento. A equipe americana venceu em casa o saltos por equipe numa disputa emocionante no desempate sobre a Suécia, a Grã-Bretanha levou no Concurso Completo e a Alemanha confirmou o favoritismo para dominar o adestramento. Cada evento vai ter qualificatórios regionais, mas ficou definido que a vaga no adestramento do Grupo G (que compreende o Sudeste Asiático e a Oceania) sairia para o melhor classificado nos Jogos Equestres. A Austrália foi a única equipe inscrito e só precisava que 3 conjuntos se apresentassem. Diferentes das edições anteriores, cada país só pode levar 3 conjuntos por prova e não mais 4. A Alemanha foi o único país que garantiu vaga nas 3 provas pelos Jogos Equestres. A Austrália também já está nos 3, mas a vaga do adestramento veio pela quota regional.

Saltos por Equipes: Alemanha, Austrália, Estados Unidos, Holanda, Suécia e Suíça
CCE por Equipes: Alemanha, Austrália, França, Grã-Bretanha, Irlanda e Nova Zelândia
Adestramento por Equipes: Alemanha, Austrália, Espanha, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Holanda e Suécia

Basquete

usa-basketball-team-768x432

Estados Unidos vence Copa do Mundo feminina. Foto: Xinhuanet.com

A equipe dos Estados Unidos venceu a Copa do Mundo feminina pela 3ª vez seguida e 10ª na história e, assim, já está classificada para os Jogos. As 10 vagas restantes sairão de 4 torneios pré-olímpicos mundiais, acabando com a representação continental no basquete feminino. Para buscar vaga olímpica, o Brasil precisa ficar entre os 8 primeiros na Copa América e depois entre os 2 primeiros de um dos 2 pré-qualificatórios americanos. Essas 4 equipes se classificam para os pré-olímpicos mundiais.

Quotas

45 países já se classificaram para Tóquio-2020. Bulgária, Eslováquia, Índia, Irlanda, Kuwait, Sérvia, Taiwan e Ucrânia entraram para essa lista.

Países com mais vagas:

Japão = 387
Estados Unidos – 41
Brasil – 23
Grã-Bretanha – 22
Austrália – 18
Rússia – 18
China – 17
Itália – 16
Alemanha – 15
França – 15
Nova Zelândia – 13
Holanda – 12
Espanha – 10
Suécia – 10
Dinamarca – 8

Em outubro teremos o início da Série Mundial de Rugby 7s feminino e o Mundial de Ginástica Artística, em Doha.

Anúncios

Jogos Equestres Mundiais – Dias 3 e 4

364_7771hd

Graves, Werth e Dujardin no pódio do adestramento. Foto: 

Na sexta-feira tivemos o Gand Prix Especial de adestramento e a veteraníssima alemã Isabell Werth fez uma grande apresentação na prova de movimentos obrigatórios com Bella Rose para tirar espetaculares 86,246% e levar o ouro! Werth está com 49 anos e chega ao seu 9º título mundial, o 4º individual. Lembrando que ela tem mais 6 ouros e 4 pratas olímpicos!

werth-bellarose-gold-100_v-gseapremiumxl

Isabell Werth (GER)

A americana Laura Graves com Verdades ficou com a medalha de prata com 81,717% e obtem o melhor resultado individual da história de uma americana no adestramento. Até então o melhor resultado era um bronze de Steffen Peters no Mundial de 2010 e um bronze olímpico nos Jogos de 1932! Maior nome da atualidade na modalidade no adestramento, a britânica Charlotte Dujardin, com seu novo cavalo Mount St. John Freestyle no lugar do aposentado Vallegro, ficou com o bronze com 81,489%. Por conta do furacão Florence e de muitas chuvas, a final do Estilo Livre que seria neste domingo foi cancelada.

No Concurso Completo, após a prova de adestramento e de cross-country, a alemã Ingrid Klimke com SAP Hale Bob OLD lidera com 23,3 pontos perdidos, todos do adestramento. Em 2º vem a britânica Rosalind Canter com Allstar B com 24,6 e em 3º a irlandesa Sarah Ennis com Horseware Stellor Rebound com 26,3. Por equipes, a Grã-Bretanha tem 80,8 pontos, contra 89,0 da Irlanda e 91,8 da França.

Márcio Carvalho Jorge com Coronel MCJ é o melhor brasileiro, em 30º com 39,0 pontos, sendo 29,4 do adestramento e 9,6 do cross-country. Marcelo Tosi é 46º com 47,6, Márcio Appel 67º com 87,1, Nilson Moreira da Silva 70º com 99,8 e Henrique Pinheiro foi eliminado no cross-country. Por equipes, o Brasil está em 15º entre 16 países.

Na final individual de Rédeas, o ouro ficou com o belga Bernard Flock com What a Wave, marcando 227,0 pontos. O americano Cade McCutcheon, melhor no qualificatório com 229,0 ficou em 3º com 225,0 empatado com o brasileiro João Felipe Lacerda. No desempate, McCutcheon fez 228,0 contra 227,0 do brasileiro e levou o bronze. Brasil batendo mais uma vez na trave nas rédeas. Thiago Boechat foi 7º com 223,0 e Roberto Inchausti 11º com 221,5.

Jogos Equestres Mundiais – Dia 2

A quinta-feira em Tryon coroou a espetacular equipe de adestramento da Alemanha.

7047cfec-4a90-4d27-ad70-2322813015ea

Isabell Werth e Bella Rose. Foto: Divulgação

A Alemanha vinha de 5 títulos mundiais seguidos por equipe em Jogos Equestres, mas perdeu pra Holanda em 2010 e retomou o título em 2014. Agora em 2018 levou novamente o título sem nenhuma ameaça. Graças às performances espetaculares do mito Isabell Werth (com Bella Rose) com 84,829% e Sönke Rothenberger (com Cosmo) com 81,444%, a Alemanha somou 242,950% para garantir o ouro. A equipe dos Estados Unidos mostrou que segue crescendo demais na modalidade e levou a prata com 233,136%, com destaque para os excelentes 81,527% de Laura Graves e seu cavalo Verdades. A Grã-Bretanha, que conta com a bicampeã olímpica Charlotte Dujardin (com seu novo cavalo Mount St John Freestyle), foi bronze com 229,628%.

O Brasil terminou em 15º e último por equipes com 193,900% com João Victor Oliva e Xiripiti como melhor conjunto com 65,512%. Com a prata, os Estados Unidos garantiram vaga olímpica para a equipe para Tóquio-2020. Com isso, liberaram uma vaga para os Jogos Pan-Americanos, que darão 2 vagas para os Jogos. O Brasil precisa brigar pelo bronze no Pan, o que não será nada fácil.

No 1º dia do adestramento do Concurso Completo, Marcelo Tosi e Glenfly ficaram em 31º com 36,4 pontos perdidos e Nilson Moreira da Silva e Magnum’s Martini em 40º com 41,4 entre 41 conjuntos.

Jogos Equestres Mundiais – Dia 1

Começaram na quarta-feira os Jogos Equestres Mundiais, na cidade americana de Mill Spring, na Carolina do Norte, no centro equestre de Tryon. São mais de 700 atletas de 68 países disputando 29 provas em 8 modalidades equestres diferentes.

Na verdade serão apenas 7, pois a prova de enduro foi cancelada. Ela deveria ter ocorrido logo no 1º dia, mas devido ao forte calor e humidade, a organização cancelou a modalidade, sempre visando ao bem-estar dos cavalos.

Captura de Tela 2018-09-14 às 00.10.10

Cade McCutcheon (USA) e Custom Made Gun na prova de Rédeas. Foto: 

Na única final do dia, na prova por equipes de rédeas, os Estados Unidos seguiram com seu domínio. É a 5ª vez que as rédeas são disputadas nos Jogos e, pela 5ª vez, os americanos venceram a prova por equipe. Eles colocaram 3 conjuntos no top-4 (o melhor foi Cade McCutcheon de apenas 18 anos, com 229,0 pontos) e venceram por equipe com 681,0. O Brasil tem um bom histórico na modalidade, mas segue sem uma medalha. Desta vez veio o 5º lugar com 664,5. Competiram pelo Brasil Marcelo Almeida da Silva/Mahogany Whiz, João Felipe Lacerda/Gunner Dun It Again, Franco Bertolani/Wimpys Littlecolonel e Thiago Boechat/SG Frozen Enterprize.

No 1º dia do GP de adestramento, apenas 2 brasileiros se apresentaram: Giovana Prado Pass/Zingaro de Lyw com 65,217% e Pedro Manuel de Almeida/Aoleo com 62,578%. A melhor do 1º dia foi a alemã Jessica von Bredow-Werndl com TSF Dalera BB, com 76,677!.

Resumo olímpico da semana

Vôlei

Captura de Tela 2017-09-13 às 00.48.37

Foto: FIVB

O Brasil ficou com a prata na Copa dos Campeões de Vôlei feminino no Japão, após 3 vitórias em 5 jogos. Começou vencendo por 3-1 a Rússia, depois perdeu de 3-2 para a China e para o Japão, antes de vencer 3-0 a coreia do Sul e fechar a campanha com 3-0 sobre as americanas. A China ficou com o ouro de maneira invicta e os Estados Unidos foram bronze também com 3 vitórias.

A seleção feminina encerra, assim, o ano com um excelente retrospecto, de 3 ouros (Grand Prix, torneio de Montreux e Sul-Americano) e uma prata em 4 competições, mas mostrou muita inconstância, embora esteja em renovação.

Canoagem Slalom

Ana Sátila não medalhou por pouco na etapa final da Copa do Mundo em La Seu D’Urgell, na Espanha. Na última competição antes do Mundial no fim do mês na França, Ana chegou às finais das duas provas que disputou. No K1, depois de fazer o melhor tempo na semifinal, acabou ficando em 4º lugar na decisão com 99.93, a 1.78 do bronze. A vitória foi da alemã Ricarda Funk com 96.82. No C1, que agora é olímpica, Ana Sátila terminou em 7º com 115.69, ficando a 2.68 do pódio. O ouro ficou com a espanhola Nuria Vilarrubla com 108.37.

Pedro da Silva, finalista olímpico, parou na semifinal do K1 em 25º.

Hipismo

A equipe brasileira formada por Pedro Muylaert/Prince Royal Z MFS, Yuri Mansur/Babylotte, Pedro Veniss/Quabri de Isle e Eduardo Menezes/Quintol foi prata na Copa das Nações no CSIO5* de Spruce Meadows, no Canadá. Somando 8 pontos, o Brasil empatou com os Estados Unidos, que contou com a bicampeã olímpica Beezie Madden. No desempate, Madden e Muylaert zeraram, mas a americana fez o percurso em 39.21 contra 39.75 do brasileiro.

Este torneio não valeu pro circuito da Copa das Nações. Apesar disso, o Brasil já está classificado pra etapa final, que será no fim do mês em Barcelona e contará com os mesmos 4 cavaleiros acima e também com Marlon Zanotelli.

Outros Esportes

img-20170910-wa0011

Equipe de karatê na Alemanha. Foto: CBK

– Os atletas brasileiros conquistaram 2 pratas na etapa final da Karate1 Premier League na Alemanha. Campeão no ano passado, Douglas Brose perdeu na final dos 60kg por 6-2 para o russo Evgeny Plakhutin. Nos 67kg, Vinicius Filgueira também perdeu na decisão 5-3 para o japonês Hiroto Gomyo.

Adilson da Silva fica em 37º no Omega European Masters de golfe, válido pelos fortes Tours Europeu e Asiático, na Suíça. Ele somou 276 tacadas, 10 acima do campeão, o inglês Matthew Fitzpatrick e ganhou 1,2029 potnos no ranking mundial. No Tour Latinoamericano, no México, nenhum brasileiro passou pelo corte.

Shayanne da Silva foi a única brasileira no Mundial Cadete de lutas, em Atenas. Nos 49kg, ela perdeu na estreia de 10-0 por superioridade para a ucraniana Tetiana Profatitilova, que foi bronze na categoria.

Resumo olímpico da semana

Judô

48pod-1489164698-1489164698

Após uma semana repleta de medalhas, os judocas brasileiros foram mais comedidos na Europa. No esvaziado Grand Slam de Baku, apenas uma medalha, com o ouro de Stefannie Koyama (guarde esse nome) nos 48kg, na medalha mais importante de sua carreira. Ela precisou de 4 vitórias pro ouro, incluindo uma na decisão sobre a sérvia Milica Nikolic por 2 waza-aris. Eric Takabatake (60kg), Sarah Menezes (52kg), Gilmara Prudêncio (57kg) e Samanta Soares (78kg) perderam na disputa de bronze.

Na Copa Europeia Cadete em Zagreb, novamente com 34 judocas da seleção sub-18, o Brasil conquisotu 9 medalhas, sendo 2 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. Títulos para Willian Lima (60kg) e Laura Ferreira (44kg) e vices para Marcos Santos (66kg), Gabriella Moraes (63kg) e Eduarda Rosa (70kg).

Atletismo

Em torneio realizado em São José dos Campos, 4 índices pro Mundial de Londres. Fernanda Martins venceu o disco com 62,29m, quase 1m melhor que o índice. Nos 800m, Thiago André venceu com 1:45.65, quase 5s melhor que o 2º colocado e apenas 0.25 abaixo do índice. Geisa Arcanjo, que tinha batido na trave, agora conseguiu o índice no arremesso de peso com 17,78m, 3cm acima da marca. Talles Silva levou o salto em altura com 2,30m, exatamente o índice necessário.

Em Ciudad Juaréz, no México, Érica de Sena ficou com a prata na marcha 20km em sua 1ª prova do ano. A brasileira completou a distância em 1:30:49, bem atrás da campeã Maria Guadalupe Gonzalez, prata olímpica, com 1:28:59. Já Caio Bonfim fez prova ruim, marcando 1:26:47 e obtendo o 21º lugar, muito longe do campeão, o colombiano Elder Arevalo com 1:22:29.

Badminton

No já tradicional torneio internacional de São Paulo, os jogadores brasileiros saíram com 2 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. Os destaque foram nas chaves de simples, apesar das duas derrotas nas finais. Ygor Coelho começou bem contra Niluka Karunaratne, do Sri Lanka, mas levou a virada por 9-21 21-14 21-18. Na final feminina, Fabiana Silva mal viu a cor da peteca contra a japonesa Haruko Suzuki, perdendo por 21-9 21-6.

Em chaves bem esvaziadas de estrangeiros, Hugo Arthuso/Fabiana Silva venceram nas duplas mistas 21-11 21-19 a dupla formada pelo alemão Jonathan Persson e por Kate Foo Kune, das Ilhas Maurício. Nas duplas femininas, Jaqueline Lima/Samia Lima venceram em final brasileira 14-21 21-19 21-15 Thalita Correa/Paloma da Silva.

Hipismo

Em tour 4*na Espanha, Pedro Veniss venceu prova de 1,50m na sexta-feira. Outros 10 conjuntos zeraram a primeira passagem, mas no desempate o brasileiro foi mais rápido. Marlon Zanotelli montando Sirene de La Motte venceu prova de 1,45m em Vilamoura, Portugal. Depois de dois vices, ele fez pista limpa em 58.59 para vencer a prova. Também em Vilamoura, Cássio Rivetti (que voltou a defender o Brasil após alguns anos pela Ucrânia) e João Victor Castro fizeram dobradinha em prova 3* a 1,40m.

marcio_iberon650

Márcio Appel

Outro destaque foi João Victor Oliva em Hertogenbosch, na Holanda. Montando Lusitano Xamã dos Pinhais, João Victor fez 67,160% no Grand Prix e 70,340% no Grand Prix Special, com música, sua 1ª nota cima de 70% na carreira. No CCE, em Portugal, Márcio Appel foi 5º em prova 3*, conseguindo o índice técnico para o Mundial de 2018. Fez 54,7 no adestramento, 15,2 no cross-country apenas por excesso de tempo e duas faltas nos saltos.

Outros Esportes

– Desempenho ruim dos brasileiros na 2ª etapa da Copa do Mundo FINA de Maratonas Aquáticas 10km em Abu Dhabi. Ana Marcela Cunha terminou em 12º lugar com 1:53:14.0 e Poliana Okimoto foi 25ª com 1:54:13.7. No masculino, Allan do Carmo terminou em 16º, a 1min12s do campeão, o britânico Jack Brunell.

Adilson da Silva foi 21º no Aberto da Índia de golfe, válido pelo Tour Asiático. Eme somou 292 tacadas, 14 acima do campeão e conseguiu 1,38 ponto para o ranking mundial. Pelo PGA Latino-americano, Rafael Becker foi o melhor brasileiro em 20º em prova em Buenos Aires.

Marcus Vinícius D’Almeida e Ane Marcelle dos Santos saíram na frente na 1ª seletiva de tiro com arco em Maricá. Após 2 rounds de duplo-70m e dois combates, ela soma 24 pontos em 26 possíveis e ele 22. Esta seletiva definiu a equipe que irá para a Copa do Mundo de Antalya, na Turquia. A 2ª seletiva, em julho, definirá a equipe para o Mundial da Cidade do México em outubro.

– No qualificatório das Américas de tênis em cadeiras de rodas, o Brasil venceu tanto no masculino como no feminino e se classificou para a Copa do Mundo por equipes em maio na Itália. Na decisão feminina, 2-0 sobre a Argentina e na masculina, 2-0 sobre os EUA.

– Na 3ª etapa do circuito sul-americano de vôlei de praia, em Rosario, Argentina, as duplas brasileiras conquistaram 1 ouro e 1 bronze. Oscar/Hevaldo venceram 28-26 21-16 dupla chilena na final e Val/Ângela venceram 21-11 21-16 as argentina Gallay/Klug na disputa do 3º lugar.

– Nos dois primeiros amistosos de uma série de 4 no México, o Brasil empatou em 1-1 e depois venceu em 2-1 os donos da casa no hóquei na grama masculino. A equipe se prepara para a Copa Pan-Americana em agosto.

Resumo da semana olímpica

Tênis

23097999

Dois títulos brasileiros no circuito da ATP. no fortíssimo ATP500 de Acapulco, Bruno Soares e Jamie Murray venceram na decisão o americano John Isner e o espanhol Feliciano López por 63 63. Foi a 7ª final da dupla e o 4º título desde que começaram a atuar juntos, em janeiro de 2016. Bruno conquistou seu 24º título na carreira.

Já no ATP250 de São Paulo, o Brasil Open, André Sá e Rogério Dutra Silva venceram Marcelo Demoliner e o neozelandês Marcus Daniell por 76(5) 57 [10-7] para vencerem o título. Foi a 29ª final de Sá e o 11º título dele na carreira. Já Dutra Silva chegou ao seu 1º título no circuito.

Na Austrália, Bia Haddad Maia conquistou o título de simples e de duplas no torneio ITF $25,000 em Clare. Na final de simples venceu a checa Marketa Vondrousova por 62 62.

Atletismo

83 atletas disputaram em Bragança Paulista a Copa Brasil de Marcha Atlética. Em sua primeira competição desde os Jogos Olímpicos, Caio Bonfim confirmou o favoritismo ao vencer os 20km com o alto tempo de 1:30:05, bem a frente de Max Batista dos Santos com 1:33:46 e de Moacir Zimmermann com 1:37:04. Foi a 6ª vitória consecutiva do Caio na competição. Nos 50km, José Alessandro Bagio venceu com 4:17:55.

No feminino, título de Liliane Barbosa com altíssimos 1:57:37. Érica Sena não participou. E na estreia dos 50km feminino, vitória de Nair da Rosa, única das duas atletas concorrente a completar, com 5:13:48, diminuindo o recorde brasileiro da prova em 18 minutos.

Rugby

16903518_10155765205139298_5482369601791332046_o_large

Um resultado histórico para a seleção de rugby XV masculina. Na última rodada do Campeonato das Américas, o Brasil venceu em São Paulo pela 1ª vez na história a seleção do Canadá, num grande jogo por 24-23. Com isso, o Brasil encerrou a competição com 2 vitórias e 3 derrotas, ficando em 4º lugar.

Na 3ª etapa da Série Mundial de Rugby 7s feminino, o Brasil ficou em 11º lugar em Las Vegas. Na 1ª fase, sofreu 3 derrotas sem marcar um único ponto: 24-0 para a Nova Zelândia, 38-0 para a Austrália e 12-0 para a Inglaterra. Aí perdeu de 19-7 para a Espanha e venceu a Argentina por 41-0 na decisão do 11º lugar. Após 3 etapas, o Brasil está em 11º no geral com 7 pontos. A Nova Zelândia lidera com 56.

Esgrima

No Pan Juvenil e Cadete, em Havana, Cuba, a equipe brasileira ficou bem abaixo do esperado. O maior destaque veio no florete feminino juvenil. Gabriela Cecchini, maior revelação do país nos últimso anos, venceu na decisão brasileira Mariana Pistoia por 15-12. Gabriela foi mal na fase de poules, mas nas 8as obteve uma excelente vitória sobre a favorita americana Delphine Devore por 15-9.

Nas provas individuais, foram apenas mais 2 medalhas de bronze, ambas na categoria cadete: Bruno Pekelman no sabre masculino e Leopoldo Gubert na espada masculina.

Hipismo

A equipe brasileira de saltos formada por Eduardo Menezes/Quintol, Yuri Mansur/Babylotte, Pedro Muylaert/MFS Prince Royal Z e Luiz Francisco de Azevedo/Comic ficou com o bronze na Copa das Nações e Wellington, EUA. O Brasil somou 16 pontos, todos de Eduardo Menezes, ficando atrás da Irlanda, com 4, e os EUA, com 13.

Em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice mais uma vez, agora em Vilamoura.

Outros Esportes

d5c914zc95

Lauro Chaman

– No Mundial de Paraciclismo de Pista, em Los Angeles, Lauro Chaman conquistou 3 medalhas na categoria C5. Dono de duas medalhas nos Jogos do Rio, Lauro foi prata na perseguição individual e faturou dois bronzes, na prova de Scratch e do 1km contrarrelógio.

– No Aberto de Tshwane de golfe, em Pretória, África do Sul, Adilson da Silva ficou em 15º lugar. Ele somou 276 tacadas no torneio válido pelo Tour Europeu e pelo Tour Africano, 10 a mais que o sul-africano campeão Dean Burmester. O brasileiro somou 1,72 ponto no ranking mundial, subindo 16 posições, para 374º.

– Na conclusão da etapa de Nova Delhi da Copa do Mundo de tiro, nenhum brasileiro pegou final. Felipe Wu ficou em 10º na quali da pistola de 50m e apenas 24º na pistola de ar 10m, Júlio Almeida foi 11º na prova de 10m e 29º na de 50m e Cássio Rippel foi 23º no rifle deitado 50m.

– Na 2ª etapa do Circuito Sul-Americano de vôlei de praia, no Peru, Lili/josi ficaram com o ouro após vencer 21-9 21-14 dupla do Paraguai. No masculino, Oscar/Hevaldo ficaram com o bronze. Em 2 etapas, Brasil soma 3 ouros, 1 prata e 2 bronzes.