Mundial de Badminton – Dias 6 e 7

Semifinais e finais e a quebra de um grande tabu de 20 anos!

Individual masculino

viktor-axelsen

Um incrédulo Viktor Axelsen (DEN). Foto: BWF

Bronze no Rio, o dinamarquês Viktor Axelsen já havia quebrado uma sequência de 16 anos com apenas asiáticos nas finais de mundiais. Ele destruiu o campeão olímpico no Rio, o chinês Chen Long, por 21-9 21-10 para se garantir na final. No outro jogo, Lin Dan chegou a sua 7ª final de mundial ao vencer o cabeça 1, o sul-coreano Son Wan-ho, por 21-17 21-14. Na grande final, Axelsen novamente brilhou para derrotar Lin Dan com 22-20 21-16 e se tornar o primeiro não-asiático campeão mundial desde seu compatriota Peter Rasmussen em 1997!

Individual feminino

ws-medallists

Pódio feminino. Foto: BWF

Com a derrota da espanhola Carolina Marín nas 4as, teríamos uma campeã inédita. Prata no Rio, a indiana P.V. Sindhu eliminou a última chinesa ainda viva, Chen Yufei, por 21-13 21-10. Na outra semi, a japonesa bronze no Rio Nozomi Okuhara preveniu uma final indiana inédita ao eliminar Saina Nehwal por 12-21 21-17 21-10. Na decisão, Okuhara precisou de 1h50min para eliminar Sindhu por 21-19 20-22 22-20 e se tornar a 1ª japonesa campeã mundial de badminton!

Duplas masculinas

Os indonésios Mohammad Ahsan/Rian Saputro venceram na semifinal 21-12 21-15 os japoneses Takeshi Kamura/Keigo Sonoda e pegaram na decisão os chineses Liu Cheng/Zhang Nan, que venceram o duelo contra seus compatriotas Chai Biao/Hong Wei por 21-17 21-19. Liu e Zhang eliminaram as zebras indonésias para ficar com o título com 21-10 21-17. Campeão olímpico no Rio com outro parceiro, Zhang Nan chega a seu 4º título mundial, o 1º nas duplas masculinas.

Duplas femininas

Chen Qingchen/Jia Yifan eram as únicas chinesas ainda vivas na chave, mas mantiveram o favoritismo do seu país. Na semifinal, venceram as japonesas campeãs no Rio-2016 Misaki Matsumoto/Ayaka Takahashi por 21-17 21-15. Yuki Fukushima/Sayaka Hirota colocaram o Japão na decisão ao eliminar as dinamarquesas Kamilla Ritter Juhl/Christinna Pedersen, vice olímpicas, por 21-17 19-21 21-14. Na final, Chen e Jia derrotaram as japonesas por 21-18 17-21 21-15 para manter o domínio chinês na categoria, que não perde o ouro desde 1995.

Duplas mistas

Embed from Getty Images

Os campeões olímpicos da Indonésia Tontowi Ahmad/Liliyana Natsir venceram na semi Lee Chun Hei/Chau Hoi Wah, de Hong Kong, por 21-16 21-13. Na outra semi, os chineses Zheng Siwei/Chen Qingchen eliminaram os irmãos ingleses Chris e Gabrielle Adcock por 21-15 23-21. Na final, os indonésios unificaram os títulos mundial e olímpico ao vencer os chineses por 15-21 21-16 21-15. Foi o 2º título mundial da dupla e o 4º de Natsir.

O próximo mundial será em 2018 na cidade chinesa de Nanjing.

Mundial de Badminton – Dia 5

Dia de quartas de finais em Glasgow. No masculino, o sul-coreano Son Wan-ho vai enfrentar na semifinal o chinês Lin Dan, ouro em Pequim-2008 e em Londres-2012. Na outra semi, a reedição da semifinal olímpico no Rio entre o chinês Chen Long e o dinamarquês Viktor Axelsen.

nozomi-okuhara

Nozomi Okuhara (JPN)

No feminino, teremos duas indianas nas semifinais e apenas uma chinesa. Chen Yufei venceu a tailandesa Ratchanok Intanon por 14-21 21-16 21-12 e terá pela frente a indiana P.V. Sindhu, prata no Rio, e que venceu 21-14 21-9 a chinesa Sun Yu.  Bicampeã mundial e ouro no Rio, a espanhola Carolina Marín teve sua 1ª derrota em mundiais desde 2013. Marín perdeu para a japonesa Nozomi Okuhara, que vai enfrentar por uma vaga na final a indiana Saina Nehwal.

Nas duplas masculinas, os indonésios Mohammad Ahsan/Rian Saputro seguem vencendo, agora foi a vez de derrotarem os sul-coreanos Chung Eun-seo/Kim Duk-young. Com duas vitórias, as duplas chinesas irão se enfrentar na semi. Um delas, formada por Liu Cheng/Zhang Nan derrotou os dinamarqueses Mathias Boe/Carsten Morgensen.

Nas duplas femininas, tudo encaminhando para a repetição da final olímpica entre as japonesas Misaki Matsumoto/Ayaka Takahashi e as dinamarquesas Kamilla Rytter Juhl/Christinna Pedersen, basta elas venceram as semifinais. Nas mistas, Zheng Siwei/Chen Qingchen enfrentarão os irmãos ingleses Chris e Gabriell Adcock. Na outra, duelo entre indonésios Tontowi Ahmad e Liliana Natsir, campeões olímpicos no Rio, contra Lee Chun Hei e Chau Hoi Wah, de Hong Kong.

Mundial de Badminton – Dia 4

Pela chave masculina, 3 chineses estão nas 4as, incluindo os campeões olímpicos Lin Dan (14-21 21-17 21-16 no inglês Rajiv Ouseph) e Chen Long (21-11 21-10 no indiano Ajay Jayaram). Bronze no Rio, o dinamarquês Viktor Axelsen também está nas 4as após vencer por 21-17 21-13 em Ng Ka Long, de Hong Kong, e é o único não-asiático nas 4as. O sul-coreano cabeça 1 Son Wan-ho também venceu com 21-14 17-21 21-13 no tailandês Tanongsak Saensomboonsuk.

4day_kirsty-gilmour

Kirsty Gilmore (SCO)

Já no feminino, caíram as duas primeiras cabeças de chave. A japonesa Akane Yamaguchi, número 1 do mundo, perdeu por 21-18 21-19 para a chinesa Chen Yufei. Já a número 2, a sul-coreana Sung Ji-hyun foi surpreendida pela indiana Saina Nehwal por 21-19 21-15. Assim, a espanhola campeã olímpica Carolina Marín segue rumo ao tricampeonato mundial após 21-7 21-111 na dinamarquesa Mia Blichfeldt. Surpresa a escocesa Kirsty Gilmour, que eliminou a 6ª do mundo, a chinesa He Bingjiao por 21-14 15-21 21-16.

Nas duplas masculinas, os indonésios Mohammad Ahsan/Rian Saputro, que eliminaram os chineses número 1, venceram mais uma com 21-19 21-12 nos dinamarqueses Mathias Christiansen/David Dagaard. Em compensação, as duas outras duplas dinamarquesas venceram: Mathias Boe/Carsten Mogensen e Mads Conrad-Petersen/Mads Pieler Kolding.

No feminino, a única dupla não asiática é a formada pelas dinamarquesas Kamilla Rytter Juhl/Christinnna Perdersen, vice olímpicas no Rio. Nas mistas, apenas os irmãos ingleses Chris e Gabrielle Adcock.

Mundial de Badminton – Dia 3

ygor-coelho-de-oliveira

Ygor Coelho (BRA)

Depois da surpreendente derrota do Lee Chong Wei no dia anterior, os cabeças de chave passaram incólumes nesta quarta-feira em Glasgow, com todos os outros 15 vencendo no masculino. Ygor Coelho deu trabalho para o cabeça 4, o chinês Shi Yuqi, que venceu com 21-17 21-23 21-10. Cabeça 1, o sul-coreano Son Wan-ho venceu 21-13 21-9 o húngaro Gergely Krausz. Também avançaram os chineses Lin Dan (19-21 21-8 21-16 sobre o dinamarquês Emil Holst) e Chen Long (21-13 21-9 no indonésio Sony Dwi Kuncoro). Entre os 16 que restaram, 12 asiáticos e 4 europeus.

Apenas uma cabeça de chave perdeu no feminino. Foi a japonesa Sayaka Sato, cabeça 10, que perdeu de 21-14 14-21 21-18 para a dinamarquesa Mia Blichfeldt. Campeã olímpica e atual bi mundial, a espanhola Carolina Marin destruiu Yip Pui Yin, de Hong Kong, por 21-5 21-7. Também avançaram a japonesa cabeça 1 Akane Yamaguchi (21-6 21-13 na dinamarquesa Line Kjaersfeldt), a sul-coreana Sung Ji-hyun (21-9 21-19 na indiana Tanvi Lad) e a indiana vice olímpica P. V. Sindhu (22-16 22-14).

Nas duplas masculinas, zebra dos indonésios Mohammad Ahsan/Rian Agung Saputro, que derrotaram os chineses cabeças 1 Li Junhui/Liu Yuchen por 19-21 21-18 21-18. Derrota também dos malaios vice olímpicos Goh V Shem/Tan Wee Kiong, que perderam de 21-18 21-16 para dupla sul-coreana. Nas duplas femininas, todas as 16 cabeças de chave venceram. São 12 duplas asiáticas e 4 europeias.

Mundial de Badminton – Dia 2

2day_brice-leverdez2

Brice Leverdez (FRA) após vencer Lee Chong Wei (MAS)

O 2º dia em Glasgow contou com uma zebra inimaginável. O eterno vice-campeão Lee Chong Wei, da Malásia, perdeu logo na estreia para o francês Brice Leverdez por 21-19 22-24 21-17. Lee foi prata em 3 Olimpíadas e 3 Mundiais, mas perde pela 1ª vez na 1ª rodada de um mundial. Os outros favoritos venceram, como o dinamarquês Viktor Axelsen, bronze no Rio-2016 e no mundial de 2014, que fez 17-21 21-6 21-13 no japonês Takuma Ueda, o chinês campeão olímpico no Rio Chen Long (21-7 21-9 de Georges Julien Paul, das Ilhas Maurício), Chou Tien-chen, de Taiwan, com 21-13 10-21 21-14 no inglês Toby Penty, e o chinês Tian Houwei, com 21-14 17-21 21-16 no dinamarquês Hans-Kristian Vittinghus.

No feminino, as 8 cabeças de chave que jogaram venceram. Cabeça 1, a japonesa Akane Yamaguchi fez 21-6 21-13 na dinamarquesa Line Kjaersfeldt e vai enfrentar nas 8as a chinesa Chen Yufei. Prata no Rio, a indiana P.V. Sindhu fez 21-16 21-14 na sul-coreana Kim Hyo-min. As chinesas Chen Xiaoxin (21-13 27-25 na canadense Michelle Li) e Sun Yu (21-13 21-9 na indonésia Lyanny Alessandra Mainaky) e a tailandesa Ratchanok Intanon (21-12 21-7 na malaia Ya Rui Chen) também avançaram.

Na segunda rodada de duplas mistas, 15 das 16 duplas cabeças de chave venceram. A única derrota foi das japonesas Yuta Watanabe/Arisa Higashino para os irmãos irlandesas Sam e Chloe Magee por 21-13 16-21 21-15. Os indonésios campeões do Rio Tontowi Ahmad/Lilyana Natsir venceram 21-13 21-11 Tseng Min-hao/Hu Ling-fang, de Taiwan, e vão pegar os irlandeses. Das 16 duplas, 12 asiáticas e 4 europeias.

Mundial de Badminton – Dia 1

A Emirates Arena em Glasgow recebe de segunda a domingo a 22ª edição do Mundial de badminton, que volta a Glasgow após 20 anos.

day-1-lin-dan

Lin Dan (CHN)

Apenas no masculino tivemos jogos de cabeças de chave e todos venceram. Cabeça 1, o sul-coreano Son Wan-ho venceu 21-14 21-16 o finlandês Kalle Koljonen. O brasileiro Ygor Coelho também venceu na sua estreia com duros 21-18 16-21 21-10 sobre o norueguês Marius Myhre e terá uma duríssima 2ª rodada contra o cabeça 4, o chinês Shi Yuqi, que fez 23-21 22-20 no irlandês Scott Evans. Bicampeão olímpico e penta mundial, o chinês Lin Dan, cabeça 7 apenas, venceu 21-15 21-10 o escocês Kieran Merrilees.

Nas outras 4 categorias, os 16 cabeças de chave são bye de 1ª rodada. No feminino, destaques para as vitórias da canadense Michelle Li, bicampeã dos Jogos Pan-Americano, por 16-21 21-17 21-16 na búlgara Linda Zetchiri, e da suíça Sabrina Jaquet, 21-14 18-21 21-10 na ucraniana Natalya Voytsekh.

E um título pan-americano inédito no badminton!

ygor-coelho-de-oliveira6

Ygor Coelho

Ygor Coelho está mesmo em excelente fase! Depois de vencer seu primeiro título do ano no Peru na semana passada em sua 3ª final do ano, ele conquistou o pan-americano da modalidade em Havana neste domingo.

Cabeça número 1 e favorito ao título, o brasileiro não decepcionou e faturou o ouro após 5 vitórias. Direto na 2ª rodada, ele venceu por 21-13 21-9 o peruano Nicolas Macias, depois fez 21-12 21-10 no chileno Cristian Araya. Nas 4as, passou pelo canadense Paul-Antoine Dostie-Guindon com 21-14 21-17 e na semifinal passeou pelo cubano Leodannis Martinez por 21-6 21-18.

Na decisão, pegou o forte cubano Osleni Guerrero, bicampeão do torneio em 2013 e 2014 e dono de 2 medalhas em Jogos Pan-Americanos. Num jogo bem mais complicado, Ygor passou de virada com 12-21 21-16 21-10 em 56min de jogo. Atual 56º do mundo, Ygor deve alcançar sua melhor classificação da carreira no ranking que será divulgado na quinta-feira. Foi o 1º título de um brasileiro no campeonato pan-americano de badminton!

A confederação não mandou equipe para o Pan. Lucas Constant da Silva foi o único outro brasileiro a competir, perdendo na estreia para Guerrero nas simples e nas duplas ao lado do Ygor para dupla canadense que foi a campeã.

Resumo olímpico da semana

Natação

17425842_10212791494328188_3341800006013130076_n

Guilherme Costa

Fim de semana de ótimos resultados em torneio regionais. Pra começar, um inesperado novo recorde sul-americano nos 1.500m livre masculino em Santos! Guilherme Costa, de 18 anos, venceu a prova mais longa da natação com 15:05.23, baixando a marca sul-americana adulta em mais de 3s! O recorde anterior era do equatoriano Esteban Enderica, com 15:08.57, de 2015. Na parcial dos 800m, Guilherme fez 8:01.41. Após 6 anos, o Brasil volta a ser dono da marca continental dos 1.500m.

Em São Paulo, no Clube Pinheiros, César Cielo voltou a nadar os 100m livre, fazendo 49.46, e venceu os 50m livre com 22.28. Competindo em Auburn, EUA, Bruno Fratus fez 22.02 nos 50m livre e 49.16 nos 100m livre. Marcelo Chierighini fez 22.64 e 49.32 nas mesmas provas e Felipe Lima brilhou com o 4º tempo do mundo nos 100m peito com 1:00.03 (melhor que sua melhor marca de 2016) e 4º tempo do ano nos 50m peito com 27.40.

Judô

No Grand Prix de Tbilisi, na Geórgia, a equipe brasileira ficou em 1º lugar no quadro de medalhas, com 3 ouros, 3 pratas e 4 bronzes.

cgs_2131_134012310317

Mais uma vez, um dos destaques foi Stefannie Koyama, no 48kg. A novidade da equipe deste ano ficou com o ouro, seu 2º no ano no circuito mundial. Victor Penalber assegurou o título dos 81kg após levar um ippon do russo Alan Khubetsov. Mas na hora de projetar o brasileiro, o russo fez uma catada de perna ilegal, levou o 3º shido e foi desclassificado. Maria Portela (70kg) levou o 3º ouro brasileiro na competição.

A campeã olímpica Rafaela Silva perdeu na decisão dos 57kg, assim como Erika Miranda (52kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg). Os bronzes vieram com Phelipe Pelim (60kg), Charles Chibana (66kg), Rafael Buzacarini (100kg) e David Moura (+100kg).

O próximo compromisso da seleção brasileira será o Campeonato Pan-Americano no final de abril no Panamá.

Mountain Bike

No Pan da modalidade na Colômbia, dois brasileiros subiram ao pódio na prova masculina, neste domingo. Henrique Avancini repetiu a prata do último Pan ao completar o percurso em 1:16:34, 33s atrás do argentino Catriel Soto, prata nos Jogos Pan-Americanos de 2015. Avancini foi campeão da prova em 2015. Principal nome da nova geração, Luiz Cocuzzi ficou com o bronze, cruzando a linha de chegada 21s após Avancini. Os canadenses foram a principal ausência deste Pan.

No feminino, Raiza Goulão terminou na 5ª posição com o tempo de 1:21:13. A vitória foi da americana Erin Huck com 1:18:31. João Gabriel de Almeida foi prata na prova Sub23.

Badminton

Em mais uma semana jogando na Europa, Ygor Coelho ficou com o bronze no Torneio Internacional de Orléans, na França. O brasileiro venceu 3 partidas até chegar na semifinal. Ele passou com 21-14 13-21 21-13 por alemão, 15-21 21-8 21-17 em finlandês e 12-21 21-13 21-15 por atleta de Taiwan. Na semifinal, Ygor começou bem contra o francês Lucas Corvee, mas acabou levando a virada. Sentindo-se mito mal no final do 3º set, Ygor perdeu por 15-21 21-9 21-12.

O brasileiro segue na Europa por mais 10 dias, treinando com a equipe francesa e seu técnico, o grande dinamarquês Peter Gade. Depois retorna às Américas onde joga no fim do mês no Peru e depois no Pan em Havana.

Outros Esportes

– No GP de Marcha de Rio Maior, em Portugal, Caio Bonfim terminou na 7ª posição nos 20km com 1:22:13, obtendo o índice pro Mundial de Londres. Em São Bernardo, Geisa Arcanjo venceu o arremesso de peso com 17,98m, ratificando o índice.

– Dois brasileiros disputaram o tradicional Tour de Flandres de ciclismo, válida pelo UCI World Tour. Na prova feminina, Flávia Oliveira terminou em 65º a 5min32s da campeã, a americana Croryn Rivera. No masculino, Rafael Andriato cruzou em 113º a 11min31s do campeão, o belga Philippe Gilbert.

joao_cbh_550_01

João Victor Oliva

João Victor Oliva faz boas apresentações na final da Copa do Mundo de Hipismo, em Omaha. No Grand Prix, ele tirou 68,214%, ficando em 13º entre 15 conjuntos. No sábado, no GP Freestyle a som de ritmos brasileiros, montando Xamã dos Pinhais, ele tirou 70,321%, ficando em 14º. O mito alemão Isabell Werth venceu com Weihegold OLD com 90,704%.

– Apesar de contar com dois atletas bem fortes na Premier League de Dubai de karatê, a equipe brasileira saiu sem medalhas em mais um torneio ruim. Prata no último mundial, Valéria Kumizaki venceu russa por 8-0 mas perdeu na luta seguinte para indonésia por 2-0 nos 55kg.Vinícius Figueira passou por 1-0 por croata e por atleta de Hong Kong para perder nas 8as por 3-2 para russo

– Na 2ª etapa do circuito mundial de surfe, dois brasileiros estão nas 4as no masculino e se enfrentam por vaga na semifinal em Margaret River, Austrália: Adriano de Souza e Filipe Toledo. O campeonato segue por essa semana ainda. Gabriel Medina parou na 2ª rodada. No feminino, Silvana Lima também ficou na 2ª rodada, em 13º lugar.

Resumo olímpico da semana

Handebol

not_grd_0000032562

Sofrendo um pouco pela falta de ritmo, o Brasil foi campeão do Pan-Americano Júnior Masculino em Assunção, no Paraguai. No Grupo B com apenas outras 2 equipes, o Brasil arrasou a equipe americana por 52-24, mas teve uma certa dificuldade com o Chile, vencendo por 35-30. Direto na semifinal, venceu novamente o Chile, mas de forma arrasadora por 30-11 (!). Na decisão, pegou a grande rival Argentina e levou o título com 31-23, se classificando para o Mundial Júnior, que Serpa em julho na Argélia.

Foi a 12ª edição do torneio e o Brasil igualou os 6 títulos da Argentina. Assim, cada um tem 6 ouros e 6 pratas na história.

Badminton

Ygor Coelho começou seu tour europeu e foi vice-campeão no Aberto da Polônia. Ele passou pelo americano Bjorn Seguin por 21-19 21-13, depois pelo inglês Sam Parsons por 21-9 10-21 21-15, pelo indiano Subhankar Dey por 13-21 21-19 21-15 e na semifinal pelo polonês Michal Rogalski por 21-15 21-13. Na decisão acabou derrotado pelo malaio Jia Wen Tan por 21-13 20-22 21-10 e conquistou seu segundo vice campeonato no ano. Ele segue agora para a França pro Aberto de Orléans.

Judô

185830260317medalhistas

No Aberto Pan-Americano de Lima, os judocas brasileiros conquistara 18 medalhas, sendo 9 ouros, 3 pratas e 6 bronzes. As vitórias ficaram com: Phelipe Pelim (60kg), Charles Chibana (66kg), Marcelo Contini (73kg), Gustavo Assis (81kg), Ruan Isquierdo (+100kg), Eleudis Valentim (52kg),  Tamires Crude (57kg), Samantha Soares (78kg) e Rochele Nunes (+78kg).

68 judocas sub-18 e sub-21 competiram em dois torneios na Alemanha. As meninas foram para Thuringen e os meninos para Bremen. Eles faturaram 9 medalhas (1O-2P-6B) enquanto elas ganhara 15 (4O-4P-7B).

Tiro

7 atiradores brasileiros foram para Acapulco para mais uma etapa da Copa do Mundo de tiro ao prato. Roberto Schmits vinha muito bem na qualificação da fossa, mas na última série fez apenas 21 pratos e despencou para o 39º lugar com 116 no total. Fernando Mello acabou como o melhor brasileiro em 30º com 117. Na fossa doublê, Filipe Fuzaro terminou em 17º com 122 pratos, 13 a menos pra pegar vaga na final. A próxima etapa será no fim de abril no Chipre.

Outros Esportes

Nathalie Moellhausen entrou direto na have principal do GP de espada em Budapeste, como cabeça de chave 8. Na estreia venceu a polonesa Ewa Nelip por 15-10, mas caiu na 2ª rodada por 15-11 para a japonesa Ayaka Shimookawa, terminando em 18º lugar.

Andressa de Morais fez índice para o Mundial de Londres no lançamento de disco em São Bernardo com 61,78m (índice é 61,20m) no sábado. Neste domingo, Geisa Coutinho fez 52.06 nos 400m e também atingiu o índice pro Mundial.

– Rafael Becker foi 22º (279, 9 abaixo do par) e Rodrigo Lee 36º (281, 7 abaixo) no Aberto de Honduras de golfe, válido pelo Tour PGA Latinoamericano. Em prova na Louisiana pelo web.com Tour, Alexandre Rocha não passou pelo corte, com 1 tacada acima do par, precisando de 2 abaixo para avançar. E pelo Symetra Tour, que e o acesso pro LPGA tour feminino, Luciane Lee foi 17ª com 4 abaixo do par em prova na Califórnia.

– Os brasileiros voltaram do Aberto da Espanha de taekwondo com 4 medalhas, sendo 1 ouro, 1 prata e 2 bronzes. Camila Bezerra (49kg) foi campeã, Raphaella Galacho (73kg) vice e Carolina Bezerra (46kg) e Diego Almeida (68kg) foram bronze.

– Várias medalhas brasileiras no Aberto Juvenil do Paraguai de tênis de mesa, com 4 ouros nas 6 provas individuais. No juvenil masculino, Carlos Ishida ficou com o ouro ao vencer argentino por 4-1. No cadete, Kenzo Carmo venceu argentino por 3-0 e no mini-cadete Joon Shim fez 3-0 em sueco. No feminino juvenil, Beatriz Kimoto venceu por 4-0 Giulia Takahashi em final brasileira.

Resumo olímpico da semana

Judô

48pod-1489164698-1489164698

Após uma semana repleta de medalhas, os judocas brasileiros foram mais comedidos na Europa. No esvaziado Grand Slam de Baku, apenas uma medalha, com o ouro de Stefannie Koyama (guarde esse nome) nos 48kg, na medalha mais importante de sua carreira. Ela precisou de 4 vitórias pro ouro, incluindo uma na decisão sobre a sérvia Milica Nikolic por 2 waza-aris. Eric Takabatake (60kg), Sarah Menezes (52kg), Gilmara Prudêncio (57kg) e Samanta Soares (78kg) perderam na disputa de bronze.

Na Copa Europeia Cadete em Zagreb, novamente com 34 judocas da seleção sub-18, o Brasil conquisotu 9 medalhas, sendo 2 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. Títulos para Willian Lima (60kg) e Laura Ferreira (44kg) e vices para Marcos Santos (66kg), Gabriella Moraes (63kg) e Eduarda Rosa (70kg).

Atletismo

Em torneio realizado em São José dos Campos, 4 índices pro Mundial de Londres. Fernanda Martins venceu o disco com 62,29m, quase 1m melhor que o índice. Nos 800m, Thiago André venceu com 1:45.65, quase 5s melhor que o 2º colocado e apenas 0.25 abaixo do índice. Geisa Arcanjo, que tinha batido na trave, agora conseguiu o índice no arremesso de peso com 17,78m, 3cm acima da marca. Talles Silva levou o salto em altura com 2,30m, exatamente o índice necessário.

Em Ciudad Juaréz, no México, Érica de Sena ficou com a prata na marcha 20km em sua 1ª prova do ano. A brasileira completou a distância em 1:30:49, bem atrás da campeã Maria Guadalupe Gonzalez, prata olímpica, com 1:28:59. Já Caio Bonfim fez prova ruim, marcando 1:26:47 e obtendo o 21º lugar, muito longe do campeão, o colombiano Elder Arevalo com 1:22:29.

Badminton

No já tradicional torneio internacional de São Paulo, os jogadores brasileiros saíram com 2 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. Os destaque foram nas chaves de simples, apesar das duas derrotas nas finais. Ygor Coelho começou bem contra Niluka Karunaratne, do Sri Lanka, mas levou a virada por 9-21 21-14 21-18. Na final feminina, Fabiana Silva mal viu a cor da peteca contra a japonesa Haruko Suzuki, perdendo por 21-9 21-6.

Em chaves bem esvaziadas de estrangeiros, Hugo Arthuso/Fabiana Silva venceram nas duplas mistas 21-11 21-19 a dupla formada pelo alemão Jonathan Persson e por Kate Foo Kune, das Ilhas Maurício. Nas duplas femininas, Jaqueline Lima/Samia Lima venceram em final brasileira 14-21 21-19 21-15 Thalita Correa/Paloma da Silva.

Hipismo

Em tour 4*na Espanha, Pedro Veniss venceu prova de 1,50m na sexta-feira. Outros 10 conjuntos zeraram a primeira passagem, mas no desempate o brasileiro foi mais rápido. Marlon Zanotelli montando Sirene de La Motte venceu prova de 1,45m em Vilamoura, Portugal. Depois de dois vices, ele fez pista limpa em 58.59 para vencer a prova. Também em Vilamoura, Cássio Rivetti (que voltou a defender o Brasil após alguns anos pela Ucrânia) e João Victor Castro fizeram dobradinha em prova 3* a 1,40m.

marcio_iberon650

Márcio Appel

Outro destaque foi João Victor Oliva em Hertogenbosch, na Holanda. Montando Lusitano Xamã dos Pinhais, João Victor fez 67,160% no Grand Prix e 70,340% no Grand Prix Special, com música, sua 1ª nota cima de 70% na carreira. No CCE, em Portugal, Márcio Appel foi 5º em prova 3*, conseguindo o índice técnico para o Mundial de 2018. Fez 54,7 no adestramento, 15,2 no cross-country apenas por excesso de tempo e duas faltas nos saltos.

Outros Esportes

– Desempenho ruim dos brasileiros na 2ª etapa da Copa do Mundo FINA de Maratonas Aquáticas 10km em Abu Dhabi. Ana Marcela Cunha terminou em 12º lugar com 1:53:14.0 e Poliana Okimoto foi 25ª com 1:54:13.7. No masculino, Allan do Carmo terminou em 16º, a 1min12s do campeão, o britânico Jack Brunell.

Adilson da Silva foi 21º no Aberto da Índia de golfe, válido pelo Tour Asiático. Eme somou 292 tacadas, 14 acima do campeão e conseguiu 1,38 ponto para o ranking mundial. Pelo PGA Latino-americano, Rafael Becker foi o melhor brasileiro em 20º em prova em Buenos Aires.

Marcus Vinícius D’Almeida e Ane Marcelle dos Santos saíram na frente na 1ª seletiva de tiro com arco em Maricá. Após 2 rounds de duplo-70m e dois combates, ela soma 24 pontos em 26 possíveis e ele 22. Esta seletiva definiu a equipe que irá para a Copa do Mundo de Antalya, na Turquia. A 2ª seletiva, em julho, definirá a equipe para o Mundial da Cidade do México em outubro.

– No qualificatório das Américas de tênis em cadeiras de rodas, o Brasil venceu tanto no masculino como no feminino e se classificou para a Copa do Mundo por equipes em maio na Itália. Na decisão feminina, 2-0 sobre a Argentina e na masculina, 2-0 sobre os EUA.

– Na 3ª etapa do circuito sul-americano de vôlei de praia, em Rosario, Argentina, as duplas brasileiras conquistaram 1 ouro e 1 bronze. Oscar/Hevaldo venceram 28-26 21-16 dupla chilena na final e Val/Ângela venceram 21-11 21-16 as argentina Gallay/Klug na disputa do 3º lugar.

– Nos dois primeiros amistosos de uma série de 4 no México, o Brasil empatou em 1-1 e depois venceu em 2-1 os donos da casa no hóquei na grama masculino. A equipe se prepara para a Copa Pan-Americana em agosto.