CBTKD define atletas para o pré-olímpico de taekwondo

A Confederação Brasileira de Taekwondo definiu nesta segunda-feira os atletas que irão disputar o pré-olímpico das Américas, que será disputado em março na Costa Rica.

Milena Titoneli, ouro no Pan de Lima-2019

Alguém bom ficaria de fora mesmo, já que cada país só pode mandar dos homens e duas mulheres, mas o Brasil vem numa fase espetacular na modalidade. E vale lembrar que em 2019 a seleção brasileira deu show vencendo cinco medalhas no Mundial e sete no Pan de Lima.

Os escolhidos foram:

  • Edival Pontes (68kg): ouro no Pan de Lima-2019, campeão panamericano em 2018, ouro no YOG de 2014 e campeão mundial Júnior em 2014
  • Ícaro Soares (80kg): prata no mundial de 2019, prata no Pan Lima-2019 e prata no campeonato Pan-Americano de 2018
  • Talisca Reis (49kg): prata no Pan Lima-2019
  • Milena Titoneli (67kg): bronze no mundial de 2019, ouro no Pan Lima-2019 e bronze no campeonato Pan-Americano de 2018

E ainda assim o medalhista de bronze olímpico e medalhista de bronze no último mundial Maicon Andrade ficou de fora e não poderá defender a sua medalha olímpica.

Como é bom ter uma equipe tão boa que um medalhista olímpico em boa fase nem tem chance de disputar novamente uma Olimpíada!

Brasil brilha no Mundial de taekwondo e cria novas esperanças para Tóquio

Foi um Mundial dos sonhos em Manchester, Inglaterra.

O Brasil sempre mandou equipe completa para os Mundiais de taekwondo, mas tirando um ou outro lutador, a campanha brasileira era bem ruim, com muitas derrotas em estreias e raras medalhas. Mas essa edição foi sensacional.

A 1ª medalha saiu com Paulo Melo na categoria mais leva masculina, os 54kg. Ele venceu neozelandês, costa-riquenho, japonês e australiano, garantindo a vaga na semifinal, onde foi dominado por 34-16 pelo sul-coreano Bae Jun-seo, que foi o campeão da categoria, e acabou com o bronze.

Milena Titoneli surpreendeu na sexta-feira nos 67kg derrotando colombiana na estreia e uma sul-coreana nas 8as por 16-15. Nas 4as, venceu a croata Matea Jelic de maneira espetacular. Milena perdia por 13-9 faltando 15s, quando a croata levou uma punição, a Milena conseguiu um soco e diminuiu para 13-11. E, faltando menos de 1s pro fim, conseguiu um chute no rosto e virou 14-13! Na semifinal, perdeu pra turca Nur Tatar, duas medalhas olímpicas por 20-3 e conquistou o 2º bronze pro Brasil.

Mas o dia mais brilhante foi logo no último, no domingo, onde os 3 atletas que competiram conseguiram medalhar. Bronze no Rio-2016, Maicon Andrade venceu no +87kg marroquino, iraniano e britânico, mas caiu na semifinal pro cubano Rafael Alba e levou o 3º bronze.

Ícaro Miguel Soares, nos 87kg, também foi muito bem, vencendo porto-riquenho, chileno, o alemão campeão mundial Alexander Bachmann nas 4as e croata na semifinal, garantindo presença na decisão, onde foi superado pelo russo Vladislav Larin, bicampeão europeu, por 19-9. A outra prata veio com Caroline Santos nos 62kg. Ela passou por iraniana, montenegrina, espanhola e croata na semifinal. Na final, acabou derrotada pela turca İrem Yaman por 21-7.

Captura de Tela 2019-05-19 às 22.00.17

Ícaro, Milena, Caroline, Paulo e Maicon. Foto: CBTKD

Além dos 5 medalhistas, tivemos ainda Sandy Macedo (57kg), bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018, chegando nas 4as e ficando a uma vitória do pódio. Edival Pontes, que foi ouro nos Jogos da Juventude em 2014 e campeão mundial Jr no mesmo ano, chegou muito bem cotado, mas perdeu numa luta polêmica nas 8as para polonês por 25-24.

Legal ver que este ano todos os homens venceram pelo menos uma luta e apenas 3 mulheres perderam na estreia. Ao todo, Brasil venceu 29 lutas e perdeu 8. Veja abaixo a comparação com os últimos mundiais como todos os números este ano foram melhores:

2019 – 5 medalhas (2P+3B), 29 vitórias (17H+12M), 3 derrotas na estreia (0H+3M)

2017 – nenhuma medalha, 16 vitórias (10H+6M), 6 derrotas na estreia (3H+3M)

2015 – 2 medalhas (2B), 13 vitórias (8H+5M), 11 (!!) derrotas na estreia (5H+6M)

2013 – 1 medalha (1B), 11 vitórias (6H+5M), 9 derrotas na estreia (4H+5M)

2011 – nenhuma medalha, 18 vitórias (10H+8M), 4 derrotas na estreia (2H+2M)

Agora é acompanhar o desempenho deles no resto da temporada, pois eles devem mirar o top-5 do ranking olímpico, pois o 5 primeiros de cada categoria em 9 de dezembro já garantem vaga olímpica para Tóquio.

Brasil chega agora a 19 medalhas em Mundiais: 1 ouro, 6 pratas e 12 bronzes.