Resumo da semana olímpica

Tênis

23097999

Dois títulos brasileiros no circuito da ATP. no fortíssimo ATP500 de Acapulco, Bruno Soares e Jamie Murray venceram na decisão o americano John Isner e o espanhol Feliciano López por 63 63. Foi a 7ª final da dupla e o 4º título desde que começaram a atuar juntos, em janeiro de 2016. Bruno conquistou seu 24º título na carreira.

Já no ATP250 de São Paulo, o Brasil Open, André Sá e Rogério Dutra Silva venceram Marcelo Demoliner e o neozelandês Marcus Daniell por 76(5) 57 [10-7] para vencerem o título. Foi a 29ª final de Sá e o 11º título dele na carreira. Já Dutra Silva chegou ao seu 1º título no circuito.

Na Austrália, Bia Haddad Maia conquistou o título de simples e de duplas no torneio ITF $25,000 em Clare. Na final de simples venceu a checa Marketa Vondrousova por 62 62.

Atletismo

83 atletas disputaram em Bragança Paulista a Copa Brasil de Marcha Atlética. Em sua primeira competição desde os Jogos Olímpicos, Caio Bonfim confirmou o favoritismo ao vencer os 20km com o alto tempo de 1:30:05, bem a frente de Max Batista dos Santos com 1:33:46 e de Moacir Zimmermann com 1:37:04. Foi a 6ª vitória consecutiva do Caio na competição. Nos 50km, José Alessandro Bagio venceu com 4:17:55.

No feminino, título de Liliane Barbosa com altíssimos 1:57:37. Érica Sena não participou. E na estreia dos 50km feminino, vitória de Nair da Rosa, única das duas atletas concorrente a completar, com 5:13:48, diminuindo o recorde brasileiro da prova em 18 minutos.

Rugby

16903518_10155765205139298_5482369601791332046_o_large

Um resultado histórico para a seleção de rugby XV masculina. Na última rodada do Campeonato das Américas, o Brasil venceu em São Paulo pela 1ª vez na história a seleção do Canadá, num grande jogo por 24-23. Com isso, o Brasil encerrou a competição com 2 vitórias e 3 derrotas, ficando em 4º lugar.

Na 3ª etapa da Série Mundial de Rugby 7s feminino, o Brasil ficou em 11º lugar em Las Vegas. Na 1ª fase, sofreu 3 derrotas sem marcar um único ponto: 24-0 para a Nova Zelândia, 38-0 para a Austrália e 12-0 para a Inglaterra. Aí perdeu de 19-7 para a Espanha e venceu a Argentina por 41-0 na decisão do 11º lugar. Após 3 etapas, o Brasil está em 11º no geral com 7 pontos. A Nova Zelândia lidera com 56.

Esgrima

No Pan Juvenil e Cadete, em Havana, Cuba, a equipe brasileira ficou bem abaixo do esperado. O maior destaque veio no florete feminino juvenil. Gabriela Cecchini, maior revelação do país nos últimso anos, venceu na decisão brasileira Mariana Pistoia por 15-12. Gabriela foi mal na fase de poules, mas nas 8as obteve uma excelente vitória sobre a favorita americana Delphine Devore por 15-9.

Nas provas individuais, foram apenas mais 2 medalhas de bronze, ambas na categoria cadete: Bruno Pekelman no sabre masculino e Leopoldo Gubert na espada masculina.

Hipismo

A equipe brasileira de saltos formada por Eduardo Menezes/Quintol, Yuri Mansur/Babylotte, Pedro Muylaert/MFS Prince Royal Z e Luiz Francisco de Azevedo/Comic ficou com o bronze na Copa das Nações e Wellington, EUA. O Brasil somou 16 pontos, todos de Eduardo Menezes, ficando atrás da Irlanda, com 4, e os EUA, com 13.

Em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice mais uma vez, agora em Vilamoura.

Outros Esportes

d5c914zc95

Lauro Chaman

– No Mundial de Paraciclismo de Pista, em Los Angeles, Lauro Chaman conquistou 3 medalhas na categoria C5. Dono de duas medalhas nos Jogos do Rio, Lauro foi prata na perseguição individual e faturou dois bronzes, na prova de Scratch e do 1km contrarrelógio.

– No Aberto de Tshwane de golfe, em Pretória, África do Sul, Adilson da Silva ficou em 15º lugar. Ele somou 276 tacadas no torneio válido pelo Tour Europeu e pelo Tour Africano, 10 a mais que o sul-africano campeão Dean Burmester. O brasileiro somou 1,72 ponto no ranking mundial, subindo 16 posições, para 374º.

– Na conclusão da etapa de Nova Delhi da Copa do Mundo de tiro, nenhum brasileiro pegou final. Felipe Wu ficou em 10º na quali da pistola de 50m e apenas 24º na pistola de ar 10m, Júlio Almeida foi 11º na prova de 10m e 29º na de 50m e Cássio Rippel foi 23º no rifle deitado 50m.

– Na 2ª etapa do Circuito Sul-Americano de vôlei de praia, no Peru, Lili/josi ficaram com o ouro após vencer 21-9 21-14 dupla do Paraguai. No masculino, Oscar/Hevaldo ficaram com o bronze. Em 2 etapas, Brasil soma 3 ouros, 1 prata e 2 bronzes.

Resumo da semana olímpica

Badminton

f346db8d48

A equipe brasileira foi prata no Pan-Americano por equipes mistas, disputado na República Dominicana.Na 1ª fase, vitória de 5-0 sobre o México e depois de 3-2 sobre os Estados Unidos. Na semifinal, mais uma boa vitória de 3-2 sobre o Peru. A decisão veio na última partida, de duplas mistas, onde Hugo Arthuso/Fabiana Silva venceram Bruno Deza/Danica Higa por 21-13 21-17.

Na grande final, o Brasil foi derrotado por 3-0 pelo Canadá, maior força da modalidade no continente. Ygor Oliveira perdeu 21-19 21-13 para Jason Ho-Shue. Depois, foi a vez de Brittney Tam vencer 21-14 21-14 Fabiana Silva. Nas duplas masculinas, Ho-Shue e Nyl Yakura derrotaram Hugo Arthuso/Fabrício Farias por 16-21 21-13 21-15, dando o título ao Canadá. A equipe brasileira tinha 19 jogadores, 10 homens e 9 mulheres e não contou com as irmãs Lohaynny e Luana Vicente.

Judô

144842190217european-judo-open-men-rome-2017-02-18-225375

Pódio dos 81kg em Roma

Depois de uma boa campanha no Grand Slam de Paris, Eduardo Yudi Santos faturou o título do Aberto Europeu de Roma. Em final brasileira na categoria 81kg, Eduardo venceu por waza-ari Rafael Macedo no golden score. Na categoria 73kg, Marcelo Contini e Lincoln Neves ficaram com os dois bronzes.

Já a equipe feminina competiu na Áustria, em Oberwart. O melhor resultado foi de Yanka Pascoalino, eu chegou às disputas de bronze dos 63kg, perdendo por ippon para espanhola.

Rugby

Como esperado, o Brasil venceu tranquilamente o Sul-Americano de Rugby 7s feminino, sofrendo tries apenas na final. Na 1ª fase, arrasou o Uruguai por 52-0, depois 45-0 no Paraguai e 31-0 na Venezuela.

Nas 4as, derrotou o Peru por 53-0 e na semifinal passou pela Colômbia por 32-0. Na decisão, mais uma vez contra a Argentina, venceu por 31-12. Assim, o Brasil conquista pela 12ª vez consecutiva o torneio e segue com um retrospecto invicto contra os rivais continentais.

Outros Esportes

9083

Daniel Nascimento

Daniel Nascimento foi o grande destaque brasileiro no Sul-Americano de Cross-Country, em Santiago, Chile. Ele venceu pela 3ª vez seguida a prova juvenil (sub-20) com uma enorme vantagem. Ele completou os 8km da prova em 23:14, bem a frente do colombiano Carlos Hernandez, com 25:28. Gilberto Silvestre Lopes foi bronze no adulto masculino 10km, 7s atrás do peruano campeão René Champi. Daniel será o único brasileiro no Mundial de Cross-Country, no fim de março na Uganda.

Geisa Arcanjo foi o destaque em dois torneios realizados no Esporte Clube Pinheiros na semana. Ela marcou 17,68m e 17,74m no arremesso de peso, ficando a 1cm do índice pro Mundial de Londres (17,75m). Outras boas marcas foram de Darlan Romani também no arremesso de peso (20,29m) e de Gabriel Menezes Oliveira, com 7,51m no salto em distância, índice pro Pan-americano Sub-20.

Gideoni Monteiro terminou em lugar na Copa do Mundo de Ciclismo em Pista, em Cali, Colômbia. Em sua primeira competição no novo formato, com apenas 4 provas em um único dia, o brasileiro foi 13º na Scratch, 10º na Tempo Race e 9º na corrida de eliminação. Na corrida por pontos, somou apenas 6, terminando com 68 pontos no total. Vitória do australiano Sam Welsford, com 128 pontos.

Isaquias Queiroz ganhou dois bronzes em prova desafio em Portugal, nas não-usuais distância de 1.500m e 150m, em prova que reuniu vários nomes fortes da canoagem.

– Ingrid Oliveira e Giovanna Pedroso na plataforma e Luana Lira no trampolim conseguiram índices para disputar o Grand Prix de saltos ornamentais em Porto Rico. Ingrid fez 334,80 e Giovanna 302,00 enquanto o índice na plataforma era 296,85. No trampolim, o índice era 256,81 e Luana somou 287,30.

– Rafael Becker foi 6º no Colombia Open, válido pelo circuito Latinoamericano do PGA de golfe. Ele somou 275 tacadas, ficando 6 acima do campeão, o mexicano Jose de Jesus Rodriguez. Rafael soma 1,2 ponto pro ranking,subindo mais de 350 posições no ranking. No Panamá, pelo circuito web.com Tour, Alexandre Rocha não passou no corte, ficando 3 tacadas acima.

Gabriela Cecchini foi o destaque brasileiro na esgrima, com o 19º lugar na Copa do Mundo juvenil de florete, em Udine, Itália. Ela venceu 5 dos 6 confrontos na fase de poules. Nas 16as de final, perdeu para a grega Aikaterini-Maria Kontochristopoulou por 15-14.

João Victor Oliva, melhor brasileiro no adestramento no Rio-2016, alcançou 67,420% no GP em Neumünster, Alemanha, em prova seletiva para a Copa do Mundo. No GP Freestyle, ele tirou 67,650%.

– Nos saltos, em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice em GP 3* a 1,50m. Ele e mais 11 conjuntos foram para o desempate e o brasileiro não venceu por apenas 0.02.

Thiago Monteiro chegou às 4as de final do ATP250 de Buenos Aires, após vencer na estreia 62 61 o dominicano Victor Estrella Burgos, que vinha de título em Quito, e na 2ª rodada o veterano Tommy Robredo por 63 64.Nas 4as, perdeu de virada para o argentino Carlos Berlocq por 36 62 63.

– Em Maceió, pelo circuito brasileiro de vôlei de praia, Larissa e Talita ficaram com o título no feminino, ao vencer por 21-18 21-16 Ágatha/Duda, repetindo a final da etapa do circuito mundial de Fort Lauderdale. No masculino, Álvaro Filho e Saymon seguem embalados. Eles ficaram com o título após vitória de 19-21 21-16 15-6 sobre Evandro/André, também repetindo a final de Fort Lauderdale.

Resumo da semana passada

Judô

171556050217european-judo-open-men-odivelas-2017-02-04-221616

Nos primeiros torneios do circuito mundial do ano, os judocas brasileiros conquistaram 3 medalhas. 4 homens foram para o Aberto Europeu masculino na cidade portuguesa de Odivelas. Victor Penalber foi o melhor do país, conquistando o ouro na categoria 81kg, após vencer 5 lutas, incluindo a final por waza-ari sobre o russo Denis Kalinin. Rafael Buzacarini ficou com a prata nos 100kg, após perder a decisão por 3 waza-aris. Lembrando que as regras mudaram para esse ciclo, extinguindo o yuko, que passa a ser waza-ari e os waza-aris não viram ippon. Eric Takabatake conquistou o bronze nos 60kg, após perde na semifinal para espanhol e vencer na disputa da medalha francês.

Já as mulheres foram para o Aberto Europeu de Sófia, na Bulgária. Apenas Érika Miranda e Sarah Menezes lutaram. Érika perdeu na estreia dos 52kg para russa. Já Sarah, que agora subiu para a mesma categoria da Érika, nos 52kg, venceu na estreia alemã e perdeu na 2ª rodada para Distria Krasniqi, de Kosovo. A equipe brasileira segue agora pra o Grand Slam de Paris, a primeira grande competição do ano.

Taekwondo

Mais de 30 lutadores brasileiros foram para Las Vegas para o tradicional US Open da modalidade. Após 4 dias de competição, os brasileiros conquistaram 1 prata e 3 bronzes.

O melhor resultado foi de Edival Marques, campeã dos Jogos Olímpicos da Juventude em Nanjing-2014. Ele ficou com a prata na categoria 68kg,ao perder na decisão para o espanhol Javier Perez Polo. Para chegar à final, Edival precisou vencer 5 lutas. As outras 3 medalhas de bronze foram de João Chaves (87kg), Julia Vasconcelos (62kg) e Gabriele Siqueira (+73kg).

Rugby

challenge-trophy-2017-640x427

Apesar do 9º lugar na etapa, a seleção brasileira feminina obteve um resultado histórico na 2ª etapa da Série Mundial 2016-17, em Sydney, Austrália. Na 1ª fase, foi superada facilmente pelas 3 equipes do grupo, perdendo de 24-7 para a Austrália, 31-10 para Fiji e 33-5 para a Irlanda. No troféu de consolação, venceu a Espanha por 10-7 e, na disputo do 9º lugar, obteve a histórica vitória de 17-12 sobre a Inglaterra, que foi a base da equipe britânica, 4ª colocada no Rio-2016.

O título ficou o Canadá, que derrotou a equipe americana na final por 21-17, enquanto a Nova Zelândia, na reedição da final olímpica, superou a Austrália por 19-0. Após 2 etapas, o Brasil está em 11º empatado com a Espanha com 5 pontos.

Na disputa masculina, sem Brasil, título da África do Sul, com 29-14 na Inglaterra na decisão. Após 4 etapas, os sul-africano lideram com 85 pontos contra 68 da Inglaterra e 64 de Fiji.

Outros Esportes

– Depois de vencer em Rouen, Thiago Braz ficou em 3º no meeting indoor de salto com vara em Clermont-Ferrand. O canadense campeão mundial Shawn Barber levou a prova com 5,83m. Seis fizeram 5,71m, entre eles o brasileiro, que ficou em 3º nos critérios de desempate.

– Excelente campanha de Mariana Pistoia na etapa de Gdansk do circuito de florete feminino adulto! Ela fez uma péssima fase de poules, mas passou, venceu 15-12 alemã e 15-12 turca, chegando à chave principal. Entre as 64, venceu 15-13 a francesa Ysaora Thibus e perdeu na 2ª rodada de 15-14 para a francesa Anita Blaze, terminando na ótima 32ª posição. Bela prova.

Tatiane Raquel da Silva e Gilberto Silvestre Lopes venceram a Copa Brasil de Cross-Country, disputada no Parque Ecológico do Tietê, em São Paulo. Ela completou os 10km em 39:22 e ele em 33:09. Ambos se garantiram no Pan da modalidade, que será disputa dia 19/02 em Santiago, no Chile. Também irão para a capital chilena os outros campeões: Daniel Nascimento e Graziele Zarri (sub-20) e Pedro Henrique de Oliveira e Bianca Vitória dos Santos (sub-18). O Pan é classificatório para o Mundial, que será em março na Uganda.

– Na 1ª etapa do Circuito de 10km em águas abertas, a medalhista olímpica Poliana Okimoto ficou com a medalha de prata ao completar a prova em 2:12:13.54, ficando atrás da italiana Arianna Bridi (2:11:30.42). Ainda no feminino, Ana Marcela Cunha ficou em 5º lugar e Betina Lorscheitter foi 14ª e no masculino Allan do Carmo terminou em 6º e Fernando Ponte em 7º.

Hugo Calderano segue subindo no ranking mundial de tênis de mesa. O brasileiro apareceu na 17ª posição do ranking divulgado no dia 1º de fevereiro.

– Em amistoso na Quadra Central de Tênis do Parque Olímpico da Barra, Alison e Bruno Schmidt perderam no Desafio Gigantes da Praia para os americanos Dalhausser/Lucena por 21-17 21-18.

Resumo do fim de semana

Vôlei

Após perder na final do sul-americano Sub18 de vôlei, a equipe masculina perdeu novamente, agora no SulAm Sub-21 de vôlei masculino, novamente para a Argentina. Jogando em casa, os Hermanos venceram no jogo final por 3-1 de virada: 24-26 25-22 25-20 25-21.

O Brasil havia vencido os 4 jogos anteriores (Chile, Uruguai, Colômbia e Peru) por 3-0. Com a derrota, o Brasil não se classificou ainda pro Mundial da categoria de 2017 e precisará conquistar a vaga na Copa Pan-Americana. Final de ano ruim para as seleções de base.

Já no Mundial de Clubes masculino, o Sada Cruzeiro se tornou tricampeão mundial ao vencer na final por 3-0 (25-21 25-23 25-15) o time russo do Zenit Kazan em Betim. No Mundial feminino, o Rio de Janeiro decepcionou e terminou em 5º lugar.

Rugby

Seguindo o seu plano de crescimento do rugby sevens. a CBRu anunciou os novos técnicos das seleções brasileiras. O destaque é o neozelandês Reuben Samuel, que comandará a equipe feminina já neste fim de ano na primeira etapa do Circuito Mundial, em Dubai. Ele já foi técnico assistente da equipe feminina da Nova Zelândia.

O também neozelandês Jacob Mangin comandará a equipe masculina. Ele já fazia parte da equipe brasileira, mas da seleção de XV, desde 2013, e agora acumulará as duas funções. Nos Jogos do Rio, a equipe masculina perdeu todos os 5 jogos e terminou em último, enquanto as meninas venceram 3 jogos, ficando em 9º lugar.

Outros Esportes

Thiago Braz está na lista final da IAAF dos melhores do ano, concorrendo com outros 9 atletas no masculino, entre eles Usain Bolt, Mo Farah, Ashton Eaton, David Rudisha, Christian Taylor e Wayde van Niekerk.

Ane Caroline Lopes

– Ótimas marcas no Brasileiro Sub-16 de atletismo em São Bernardo. Foram estabelecidos 4 recordes brasileiros: Vitor Motin fez 69,86m no disco e 19,60m no arremesso de peso, William Lima 63,09m no dardo e Ana Caroline Lopes 48,64m no disco feminino.

– No Mundial Infanto-Juvenil de levantamento de peso, na Malásia, Laura Amaro terminou em 13º lugar nos 63kg feminino com 171kg no total. Pra quem não lembra, ela disputou o bobsled nos Jogos Olímpicos da Juventude deste ano! Nos 77kg masculino, Renan Fernandes fez 120kg no arranco, mas ficou sem marca no arremesso.

Marcelo Melo e Bruno Soares perderam nas 4as do ATP250 de Estocolmo 62 64 para o croata Mate Pavic e para o neozelandês Michael Vênus. A última final que eles jogaram juntos foi justamente em Estocolmo, mas em 2012.

Thomaz Bellucci fez boa campanha no ATP250 de Moscou, chegando nas 4as de final.Ele venceu o desconhecido turco Cem Ilkel e o russo Andrey Kuznetsov, para perder de 64 62 para o alemão Philipp Kohlschreiber.

Tiago Lobo (amador) foi 3º colocado no Aberto do Kuwait de golfe a 3 tacadas do campeão. No Aberto do Peru do PGA Latinoamericano, Rodrigo Lee melhor brasileiro em 12º.

Prévias Rio-2016: Rugby 7s

Masculino

Pódio em Londres-2012: evento não disputado em 2012

Último Mundial (2013): Ouro – Nova Zelândia; Prata – Inglaterra; Bronze – Fiji

4124

Fiji

A equipe de Fiji tem grandes chances de conquistar sua 1ª medalha olímpica na estreia do rugby 7s nos Jogos Olímpicos. Atuais bicampeões da Série Mundial, Fiji venceu 3 das 10 etapas da última temporada encerrada em maio. Eles chegaram à 9 semifinais em 10 etapas nesta temporada e estão entre os favoritos à medalha. A Nova Zelândia é a maior ameaça ao ouro inédito. Maiores campeões da Série Mundial, com 12 títulos, eles venceram 3 etapas nesta temporada e carregam uma tradição gigantesca nas costas.

A África do Sul é outra potência e foi 2ª colocada na Série Mundial nas últimas 4 temporadas! Nesta temporada, venceram apenas uma etapa, mas ficaram em 7 delas entre os 3 primeiros colocados. A Inglaterra foi 4ª colocada na temporada de 2014-15 e classificou a Grã-Bretanha, mas na de 2015-16 ficou apenas em 8º no geral. Ainda assim, muita tradição a uma forte equipe podem colocá-los no pódio.

O Quênia surpreendeu ao vencer a etapa de Singapura, mas uma nova surpresa é quase impossível. De olho na ótima equipe da Austrália e na Argentina, sempre forte no rugby.

E o Brasil? O Brasil está no Grupo A com Fiji, Estados Unidos e Argentina. O mais provável são 3 derrotas. Para avançar às 4as, o Brasil precisaria vencer um dos jogos e torcer para ficar entre os dois melhores terceiro colocados. O Brasil disputou 3 etapas da Série Mundial este ano e ficou na última colocação em todas.

Meu Pódio: Ouro – Fiji; Prata – África do Sul; Bronze – Nova Zelândia

Feminino

Pódio em Londres-2012: evento não disputado em 2012

Último Mundial (2013): Ouro – Nova Zelândia; Prata – Canadá; Bronze – Estados Unidos

A Nova Zelândia chegou em 13 finais seguidas da Série Mundial feminina e era praticamente imbatível, até que perdeu duas partidas na etapa de Londres em 2015. Desde então, foram 7 etapas e em nenhuma deles a Nova Zelândia venceu o título! Ainda assim, a força das neozelandesas é enorme e nunca devem ser subestimadas. Quem levou o título este ano da Série Mundial foi a Austrália, que venceu 3 das 5 etapas, além de um 2º e um 3º lugares. Nada mais normal que uma final com as duas potências da Oceania em Deodoro.

Quem vem muito bem também é o Canadá, 3º colocado na Série Mundial. Em 4 edições do torneio, sempre ficou entre as 3 melhores equipes e vem de uma vitória na etapa final, na França em maio. Grã-Bretanha (que venceu a etapa do Canadá como Inglaterra), França e Estados Unidos podem beliscar uma medalha também.

E o Brasil? A equipe brasileira feminina tem melhores chances que a masculina. Presente nas últimas 4 temporadas da Série Mundial, o Brasil não conseguiu nunca manter uma série boa de resultados. Na temporada passada chegou 2 vezes às 4as e nesta apenas uma vez. No Grupo C, enfrentará Canada, Grã-Bretanha e Japão. O Brasil precisa vencer as japonesas, quem enfrentamos duas vezes esse ano, com uma vitória para cada lado. Passando para as 4as, o Brasil deve pegar uma potência e parará aí.

Meu Pódio: Ouro – Austrália; Prata – Nova Zelândia; Bronze – Grã-Bretanha

Perfil 2016 – Equipe de Rugby 7s de Fiji

 

31/75

Fiji

Rugby 7s

Mundiais: 2 ouros

 

 

Nunca o arquipélago de Fiji ficou tão perto de uma medalha olímpica como ficará no Rio-2016, graças a sua espetacular seleção masculina de rugby 7s.

Num país formado por mais de 330 ilhas e com uma população de pouco mais de 850.000 habitantes, Fiji consegue montar uma das melhores seleções do mundo da modalidade e chegará ao Rio de Janeiro como a grande favorita para garantir sua primeira medalha olímpica.

Liderados pelo capitão Osea Kolinisau, a equipe de Fiji venceu as últimas duas temporadas da Série Mundial de Rugby 7s masculino. Em 17 temporadas do circuito, Fiji jamais ficou fora do Top-4 e venceu 30 etapas até então.

A primeira grande vitória veio em 1997 em Hong Kong, quando Fiji venceu o Campeonato Mundial da modalidade, com 24-21 na África do Sul na final. Em 2005, veio o 2º título mundial, agora com 29-19 na Nova Zelândia na final.

O primeiro título da Série Mundial veio na temporada de 2005-06, quando Fiji encerrou a sequência espetacular de 6 títulos da Nova Zelândia. Nesta temporada, venceram as etapas da África do Sul, Nova Zelândia, Singapura e de Londres, liderados por Waisale Serevi, considerado até hoje o melhor jogador de rugby 7s de todos os tempos. Conhecido como “maestro”, Serevi jogou até 2006 e encerrou sua carreira de maneira brilhante com o título da série Mundial.

Após a vitória, veio uma seca de 8 temporadas sem títulos da Série Mundial, quando em 2014-15 a equipe levou novamente o troféu, após 4 vitórias em 9 etapas, faturando na Austrália, nos EUA, em Hong Kong e na Escócia. Com 312 pontos, Osea Kolinisau foi eleito o melhor jogador da temproada.

Embalado, Fiji foi o mais regular na seguinte, de 2015-16, vencendo 3 etapas: Dubai, Las Vegas e novamente Hong Kong. Num duelo apertado com África do Sul, venceu o título geral com 181 pontos contra 171 da equipe africana, para levar a 3ª Série Mundial.

Num país pequeno onde o rugby é uma religião e onde não param de surgir grandes talentos, a seleção de Fiji chega ao Rio como a mais forte candidata ao ouro olímpico no retorno do esporte aos Jogos. Nunca Fiji esteve sonhou tanto com uma medalha. E provavelmente de ouro.

Resumo do fim de semana

Rugby

tupis_hk_boy

O Brasil disputou o qualificatória da World Series de Rugby 7s em Hong Kong e obteve uma participação desastrosa. Na fase de grupos, perdeu 36-0 pro Japão e 26-5 para Tonga e empatou 19-19 com Marrocos, nem avançando para as 4as de final. O Japão venceu o torneio e se garantiu na próximo temporada da World Series.

Na etapa da World Series, mais uma vitória de Fiji. Na final, venceram por 21-7 a Nova Zelândia. Na disputa do bronze, a África do Sul fez 14-12 sobre a Austrália. Após 7 etapas, Fiji lidera com 128 pontos, seguido de Nova Zelândia com 123 e África do Sul com 122. Foi a 3ª vitoria da temporada de Fiji.

Esgrima

No Mundial Cadete e Juvenil em Bourges, França, a equipe brasileira foi coadjuvante, mas conseguiu alguns bons resultados.

No cadete, Alexandre Camargo foi o destaque, com a 19ª posição na espada. Na mesma prova, Leopoldo Gubert foi 23º. Alexandre também disputou a prova juvenil, onde terminou na 42ª posição. No florete juvenil, Pedro Marostega foi o 21º e Julien Baneux foi 27º.

No feminino, Mariana Pistoia surpreendeu e chegou até as 8as de final do florete juvenil, quando acabou sendo arrasada por alemã por 15-1. Aliás, as 4 brasileiras chegaram à chave de 64 da prova! O restrospecto era tão bom que na prova por equipes terminaram na ótima 10ª posição.

Remo

2016-04_olimpico-01

Duplas brasileiras dos double skiffs leves. Fotos: CBR

A CBR definiu nesta semana os barcos brasileiros que irão aos Jogos Olímpicos. E surpreendeu com a opção dos dois double skiff leves. No masculino, Xavier Vela e Willian Giaretton irão aos Jogos e no feminino, a vaga ficou com Fernanda Nunes e Vanessa Cozzi.

Eles deixaram Steve Hiestand e Fabiana Beltrame fora do Rio-2016 nos single skiffs. Fabiana disputaria sua 4ª Olimpíada. A vitória dos barcos duplos na seletiva latino-americano foi fundamental para a escolha. Apesar disso, ninguém vai conseguir um resultado expressivo. Uma final B seria excepcional.

Outros Esportes:

José Alessandro Bagio foi 5º na Marcha 20km do GP de Rio Maior com 1:22:15, atingindo o índice olímpico da prova. Caio Bonfim não terminou a prova. No feminino, Érica de Sena fez 1:28:40, a 18s do seu recorde sul-americano, terminando na boa 4ª posição.

wzd69d3czb

Bianca Quinalha. Foto: Jerry Landrum

– Na 2ª etapa da Copa do Mundo de BMX em Manchester, Priscilla Carnaval foi 6ª na sua bateria de 4as de final e Bianca Quinalha 8ª, não avançando para as semifinais. A australiana Caroline Buchanan e o britânico Liam Phillips venceram a etapa.

– Na seletiva americana de águas abertas, Ana Marcela Cunha foi bronze nos 10km com 2:01:55.41 e nos 5km, Poliana Okimoto também ficou em 3º.

Danilo Pimentel foi o melhor brasileiro na Série Mundial de Triatlo em Gold Coast, Austrália. Ele terminou em 25º com 1:49:27, a 3min do campeão, o espanhol Mario Mola.Diogo Sclebin foi 40º com 1:51:29. No feminino, surpresa com a derrota de Gwen Jorgensen. A americana que não perdia uma prova há dois anos ficou 41s atrás da britânica Helen Jenkins.