Resumo olímpico da semana

Atletismo

Foi um bom Brasileiro Sub20 em São Bernardo do Campo, com vários recordes do campeonato caindo e boas marcas. Foram ao todo 16 novas marcas.

9173

Lorraine Martins (383)

Entre as boas marcas do torneio, podemos destacar 13.71 de Denner da Silva nos 110m com barreiras, a dobradinha de Derick de Souza Silva nos 100m (10.35) e nos 200m (20.85), a também dobradinha de Lorraine Martins nos 100m (11.73) e nos 200m (23.65). As marcas dos lançamentos de martelo também subiram, com 68,21m no masculino (martelo de 6kg) e 59,24m no feminino. Único brasileiro no Mundial de Cross-Country e 2º melhor não-africano na competição, Daniel do Nascimento mostrou que está em outro patamar, vencendo os 5.00m com 14:34.02 e os 10.000m com 30:07.74, mais de 2min melhor que o 2º colocado.

O título geral ficou com o clube EMFCA, com 225 pontos, seguido da Orcampi Unimed com 209. O estado de São Paulo conquistou 21 ouros e 62 medalhas no total.

Esgrima

Em uma participação bem modesta, o Brasil encerrou o Mundial Cadete/Juvenil em Plovdiv, Bulgária, sem medalhas. Os melhores resultados vieram no último dia das disputas individuais.

Gabriela Cecchini, no florete feminino juvenil, e Alexandre Camargo, na espada masculina juvenil, chegaram às 8as de final de suas provas. Gabriela, que já foi medalhista de bronze em 2013 na categoria cadete, fez ótima campanha até cair nas 8as por 14-9 para japonesa e termianndo na 12ª posição. Alexandre também fez excelente campanha, caindo nas 8as para romano por 15-13.

Na categoria cadete, o melhor resultado foi de Leopoldo Gubert, 26º na espada, e de Renata Zettermann, 44ª na espada.

Golfe

img_4952

Equipe brasileira

Numa excelente recuperação na última passagem, Rohan Boettcher ficou com o bronze no Sul-Americano Juvenil, em Porto Alegre. Depois de começar com 4 acima do par e 3 acima, Rohan fez o par na 3ª passagem e uma abaixo na última, faturando o bronze com 294 tacadas, 6 acima. O campeão foi o peruano Julian Perico com 3 abaixo. Andrey Xavier ficou em 4º a uma tacada de empatar com Rohan. Por equipes, o Brasil empatou com o Equador na medalha de bronze, com 13 acima. A vitória foi do Peru, com 4 acima.

No feminino, Ana Beatriz Cordeiro foi a melhor brasileira em 11º lugar, com 21 acima do par. O ouro foi dividioentre a venezuelana Valentina Gilly e a argentina Ela Belen Anacona ambas no par. Por equipe, o Brasil foi 8º.

Tênis

880x400_noticia_58ea93bdab05b_09-04-2017_17-04-13

Com 5-0, o Brasil venceu o Equador pela 2ª rodada do Zonal Americano da Copa Davis e se classificou para disputar a repescagem mundial. Na abertura, Thomaz Bellucci vencia por 2-0, mas quase levou a virada após a partida ser interrompida pela chuva, mas venceu Emilio Goméx por 62 64 67(1) 46 64. Thiago Monteiro fez 2-0 ao vencer Roberto Quiroz por 67(6) 76(0) 63 76(7). Nas duplas, Marcelo Melo e Bruno Soares derrotaram com tranquilidade Gonzalo Escobar e Quiroz por 63 64 63, fechando a série. No domingo, Belluci ainda venceu 76(7) 64 Iván Endara e Thiago passou com 67(5) 64 63 por Escobar. Na repescagem mundial, o Brasil vai ao Japão.

Outros Esportes

Filipe Toledo foi o melhor brasileiro na 2ª etapa da Liga Mundial de Surfe, na Austrália. Ele venceu nas 4as Adriano de Souza e parou na semifinal na etapa vencida pelo havaiano John John Florence. No feminino, vitória da australiana Sally Fitzgibbons com a brasileira Silvana Lima em 13º.

José Roberto Reynoso, montando Azrael W, venceu prova em Palm Beach, do circuito Winter Equestrian Festival. 9 conjuntos zeraram e foram para o desempate, vencido pelo brasileiro, que faturou USD 10.500.

– Na 2ª etapa da Vans Park Series de skate, em Serra Negra, Pedro Barros venceu a prova masculina com 94,45 na final contra 87,31 do italiano Ivan Federico. Na etapa nacional, Luiz Francisco venceu no masculino e Dora Varella no feminino. De olho inclusive na Isa Pacheco, 3ª colocada no feminino aos 12 anos!

– Em BH, na 3ª etapa do brasileiro de tiro ao prato, boas marcas de Filipe Fuzaro na fossa doublê com 142 pratos em 150 e de Sérgio Barbosa na fossa com 119 em 125.

– Em seletiva em São Paulo, a CBTM definiu a equipe que vai para o Sul-Americano da Juventude de tênis de mesa: Lívia Lima, Beatriz Kimoto, Guilherme Teodoro e Rafael Torino.

– Na 9ª e última etapa do circuito brasileiro de vôlei de praia, em Vitória, Pedro Solberg/Guto venceram na decisão os campeões olímpicos Alison e Bruno Schmidt por 21-17 13-21 15-13. Na decisão feminina, Larissa e Talita derrotaram por 21-17 21-15 Ana Patrícia/Rebecca.

– CBW convocou equipe completa para o Pan de lutas com 24 nomes, incluindo a vice mundial Aline Silva.

Anúncios

Resumo do fim de semana

Karatê

14441078_1783815278528380_271895983850828646_n-960x576

Pódio dos 60kg, com ouro para Douglas Brose

Duas medalhas na etapa de Hamburgo da Liga Premier de karatê. Campeão mundial e pan-americano e número 1 do mundo na categoria até 60kg, Douglas Brose venceu 6 lutas para levar  ouro na sua categoria, seu 3º ouro seguido no circuito. Na final, fez 3-0 no azeri Firdovsi Farzaliyev.

Também número 1 do mundo, mas nos 67kg, Vinícius Figueira ficou com a prata, perdendo na final por 4-0 para o egípcio Magdy Hanafy. 2º ouro no circuito do Vinícius esse ano.

Baseball

2013 World Baseball Classic Pool A - Team Brazil v. SoftBank Hawks

Tentando repetir 2013, a equipe brasileira foi a Nova York disputar o último qualificatório pra principal competição do esporte, o World Baseball Classic. Na competição anterior, o Brasil se classificou e fez jogos duríssimo contra o Japão, China e Cuba.

Na estreia, o Brasil arrasou o Paquistão por 10-0, mas na semifinal perdeu por 1-0 para Israel. A equipe brasileira conseguiu 3 rebatidas, mas não pontuou. Foi para a repescagem, mas perdeu para a Grã-Bretanha por 4-3. Vale ressaltar que o Brasil teve 12 rebatidas contra apenas 6 dos britânicos e mesmo assim foi derrotado.

Hipismo

A equipe brasileira ficou na 9ª posição da Copa das Nações de saltos em prova em Barcelona. Na 1ª rodada, mesmo com Rodrigo Pessoa e Pedro Veniss zerando, o Brasil ficou em 9º, graças a 2 faltas de Stephan Barcha e 3 de Felipe Amaral, ficando de fora da final.

Ainda assim, a equipe voltou o domingo pra Challenge Cup e ficou com o título. Pedro zerou, Rodrigo fez uma falta, Yuri Mansur fez 2 e Stephan foi eliminado. Mesmo com 12 pontos, venceram esta prova que contou apenas com os não classificados pra final. A vitória da prova principal ficou com a Alemanha, que venceu o desempate sobre a Grã-Bretanha.

 

Golfe

O campo olímpico de golfe recebeu sua 1ª competição importante após os Jogos, com o 63º Aberto do Brasil, que faz parte do Tour Latino-Americano da PGA. O argentino Jorge Fernandez-Valdes venceu o torneio com 280 tacadas, 4 abaixo do par do campo. O canadense Corey Conners, o americano Brad Hopfinger e o chileno Guillermo Pereira empataram em 2º.

Apenas dois brasileiros passaram pelo corte. Rodrigo Lee fez uma péssima primeira rodada, com 7 acima do par, mas uma ótima 3ª, com 4 abaixo. No total, terminou em 17º com 4 acima. Rafael Becker foi o outro a passar, terminando em 32º com 9 acima.

Alexandre Rocha disputou a penúltima etapa do Web.com Tour, a 2ª divisão do PGA, mas não passou no corte, ficando a 5 tacadas de avançar.

Outros Esportes:

Thiago Monteiro, do tênis, foi vice no challenger de Santos de tênis, perdendo de 64 76(5) para o argentino Renzo Olivo. Com o resultado, Thiago subiu para 87º no ranking mundial com 649 pontos, se aproximando de Thomaz Bellucci, atual 81º com 675.

Thiago Monteiro, do tênis de mesa, disputou o Aberto da Bélgica. Ele venceu duas partidas da chave principal, caindo nas 8as para alemão por 4-0. O indiano Sathiyan Gnanasekaran levou o título masculino. No feminino, vitória da japonesa Yui Hamamoto

8889

Equipe de atletismo Sub-23

– O Brasil conquistou o título no masculino, no feminino e no geral no Sul-Americano de Atletismo Sub-23. Entre os destaques, a vitória de Rodrigo do Nascimento nos 100m com a excelente marca de 10.21, com vento contra de 1,4m/s. Foram 19 ouros, 7 pratas e 9 bronzes no total.

Talita e Larissa vencem a 1ª etapa do circuito brasileiro de vôlei de praia em Campo Grande (MS) com 21-9 21-15 sobre Val e Renata. No masculino, o veterano Ricardo e André Stein venceram com 21-17 21-17 sobre sobre Saymon e Álvaro Filho.

Prévias Rio-2016 – Golfe

Masculino

Pódio em Londres-2012: evento não disputado

Último Mundial: não existe um mundial de golfe masculino, mas 4 torneios chamados de mundiais

AP RYDER CUP GOLF S GLF USA IL

Bubba Watson (USA)

Sem a presença dos 4 primeiros do ranking mundial, o torneio olímpico de golfe está bem abaixo do esperado. São apenas 15 entre os 50 melhores do mundo. O melhor ranqueado que vai disputar é o sueco Henrik Stenson. Ele acabou de vencer há 10 dias o British Open, um dos 4 Majors da temporada. Stenson venceu com 20 tacadas abaixo do par e com uma vantagem de 3 sobre o americano Phil Mickelson. Foi o 2º título no ano do sueco, que disputa o circuito europeu, não o PGA. 6º do mundo, o americano Bubba Watson possui 9 títulos do circuito, incluindo 2 Masters, em 2012 e 2014.

Em 7º no ranking, temos o americano Rickie Fowler, que em 2014 foi vice em dois Majors, 3º em um e 5º em outro. Em abril, o inglês Danny Willett surpreendeu ao vencer o Masters, sem ter praticamente nenhum resultado importante antes disso. O espanhol Sergio Garcia tem 9 títulos no PGA Tour e vem bem no ano com dois quintos lugares nos Majors. O sul-africano Justin Rose venceu o US Open em 2013 e teve um ótimo ano de 2015. Ficar esperto com o irlandês Padraig Harrington, que não faz boa temporada, mas tem 3 Majors na carreira.

E o Brasil? Adilson da Silva é o atual 278º do mundo e não briga por medalha.  Se ficar na metade de cima do ranking (top-30) já está muito no lucro. Seu melhor resultado no ano foi o vice em uma etapa da Sunshine Cup, circuito africano de golfe, na Suazilândia.

Meu Pódio: Ouro – Bubba Watson (USA); Prata – Sergio Garcia (ESP); Bronze – Henrik Stenson (SWE)

Feminino

Pódio em Londres-2012: evento não disputado

Último Mundial: não existe mundial de golfe feminino

578c176c11773_lydia_ko_1boo5qu-1boo5rc

Lydia Ko (NZL)

A competição feminina terá um nível relativamente melhor que a masculina. Praticamente metade das 50 primeiras estarão no Rio e não tivemos quase nenhuma desistência. 9 das 0 melhores do mundo vem aos Jogos. Disparada na liderança da ranking a neozelandesa Lydia Ko é a grande favorita ao ouro. Com apenas 19 anos, Ko já venceu 14 torneios do circuito feminino, onde joga desde os 15 anos! Este ano já venceu 4 torneios, incluindo o ANA Inspiration, um dos 5 Majors femininos. Ele foi top-3 nos últimos 5 Majors disputados.

Segunda do mundo, a canadense Brooke Henderson venceu o PGA Championship feminino este ano. Com apenas 18 anos, é outra grande jogadora jovem do circuito. Com 17 títulos, sendo 7 Majors (3 em 2013), a sul-coreana Inbee Park é uma das grandes jogadoras da história do golfe feminino. Juntam-se a Park outras 3 fortes sul-coreanas que estão entre as 10 do mundo: Kim Sei-young, Amy Yang e Chun In-gee. Também de olho na americana Lexi Thompson, na tailandesa Ariya Jutanugarn, que venceu 3 títulos esse ano, e a japonesa Haru Nomura.

E o Brasil? Duas brasileiras vão cumprir tabela nos Jogos: Miriam Nagl e Victoria Lovelady. Miriam é 451ª do mundo e Victoria a 470ª. Brigam para não ficar entre as últimas.

Meu Pódio: Ouro – Lydia Ko (NZL); Prata – Inbee Park (KOR); Bronze – Brooke Henderson (CAN)

Um ultimato ao golfe

Jordan Spieth (USA)

O retorno do golfe ao programa olímpico foi algo polêmico desde o início, mas com a aproximação dos Jogos do Rio, a polêmica só aumenta.

Esperava-se a presença dos principais nomes do esporte, assim como é esperado pro tênis. Mesmo sem dar pontos ao ranking, o torneio de tênis está praticamente completo, com poucas ausências dos top-30. Em 2011, quando foi anunciado o retorno do esporte, os principais nomes da época, Tiger Woods e Annika Sörenstam, anunciaram que disputariam os jogos. Nenhum dos dois estaria classificado hoje.

Mas o golfe viu uma enxurrada de desistências. 13 golfistas no masculino e uma no feminino que estariam classificados pelo ranking já anunciaram que não irão disputar os jogos. A maioria alegou medo do zika, mas essa justificativa é bem questionável. Parece mais uma mera desculpa para não ir, já que as ausências de atletas de outros esportes por conta do vírus são quase nulas. Sem falar que um deles, o irlandês Rory McIlroy, passou férias em Barbados, onde o zika também é um problema.

O circuito de golfe é o que mais envolve dinheiro no mundo e não há um apelo por defender seu país no esporte. Com isso, o desinteresse foi bem grande. Outro fator que fará o nível cair é o alto número de americanos praticantes em relação aos outros países. Como há uma limitação de 4 por país e são 46 americanos entre os 100 primeiros no masculino, será preciso ir até o posto 330 para completar os 60 classificados entre os homens e até o 450º posto para as mulheres!

Muita gente acha o esporte chato e não tem vontade de vê-lo (eu sou um desses), mas isso nunca foi justificativa para o COI. Há muitas modalidades consideradas “chatas” por boa parte do público, mas dificilmente elas sairão do programa olímpico, como o tiro, tiro com arco, remo, marcha atlética, ciclismo de pista, hipismo adestramento, vela. Mas essas modalidade tem uma grande distribuição de países, tem um envolvimento olímpico grande, tem grande tradição e consolidam o espírito olímpico. A luta recebeu um ultimato há alguns anos, mudou suas regras, se tornou mais compreensível pro grande público e cresceu como esporte. Outros esportes tentam entrar nos Jogos há anos, como o karatê e a patinação, mas nunca tiveram a oportunidade.

Foi dada uma chance ao golfe, mas ele não vem correspondendo. Bem provável que seja mantido para Tóquio-2020 quando será dado o ultimato. Caso os maiores nomes desistam, a sua retirada do programa olímpico será iminente.

Por mim, nem teria entrado.

Resumo do fim de semana

Ciclismo

A seleção masculina do Brasil foi para Guadalajara disputar a primeira etapa da Copa do Mundo de ciclismo de pista e conseguiu resultados razoáveis. Só foram disputadas as 10 provas olímpicas nesta etapa.

No sprint por equipe, o Brasil ficou em 13º com 44.232 na quali entre 24 equipes, ficando na frente de Argentina, Espanha, Canadá, Estados Unidos, Japão. Na Omnium, Gideoni Monteiro terminou na 13ª posição entre 23, boa prova dele.

Flávio Cipriano ficou em 36º na quali do sprint individual com 10.141 e não avançou de fase. Já na Keirin, ele foi muito bem, vencendo sua bateria da primeira fase, mas não avançando para a final. Na disputa do 7º ao 12º lugares, ele foi desclassificado por passar sua roda dianteira pela roda traseira da moto.

Golfe

O golfe clube da Gávea no Rio recebeu a única etapa brasileira do tour latino-americano do PGA.

O jovem brasileiro Rafael Becker, de apenas 23 anos, foi o grande campeão da etapa, com 14 tacadas abaixo do par após 4 passagens, 3 melhor que os segundos colocados e faturou US$ 27.000. Este ano, seu melhor resultado havia sido um 12º lugar na etapa da Colômbia.

Com o resultado, Rafael é disparado o melhor brasileiro no ranking do circuito em 16º. No ranking mundial, Rafael subiu do 1.543º lugar (sem pontos) para o 754º. Adilson da Silva é o melhor brasileiro em 297º.

Outros Esportes

– Sem os principais nomes do esporte, os saltadores brasileiros ficaram com apenas 3 bronzes na parte dos saltos ornamentais do Sul-Americano de esportes aquáticos.  As medalhas vieram com Tammy Galera no trampolim 3m, Tammy e Ingrid Oliveira no trampolim sincronizado e Luiz Felipe Outerelo e Ian Matos na plataforma sincronizada. A Venezuela dominou levando 8 das 10 provas.

– Na esgrima, Ghislain Perrier foi o único brasileiro a pontuar no fim de semana. Na etapa de Tóquio do florete masculino, ele terminou na 64ª posição após perder para o favorito vice-campeão mundial Ma Jianfei (CHN) por 15-10. Guilherme Toldo foi o 71º. Por equipe, o Brasil terminou em 13º entre 18 países. Na disputa do 13º lugar, uma boa vitória de 45-44 sobre a Polônia. Em St. Maur, próximo a Paris, no florete feminino, Ana Beatriz Bulcão foi a melhor brasileira em 67º.

– Na fraca etapa de Medellin da Copa do Mundo de ginástica artística, os ginastas brasileiros levaram 3 ouros e 1 bronze. Sem praticamente nenhum nome forte do esporte, Diego Hypolito venceu o solo com 15,867 e o salto com 14,884. Henrique Medina talbém foi ouro nas argolas com 15,700 e Miguel Hudson foi bronze no salto com 14,767.

– A seleção feminino de rugby 7s venceu o torneio Valentin Martinez em Montevidéu, Uruguai. As meninas não tiveram dificuldade alguma para vencer seus 5 jogos e levar o título. Na primeira fase 48-0 no Peru, 46-0 na Venezuela e 48-0 na Argentina “Vermelha”. Na semi, 45-0 na Venezuela e na final 25-10 na Argentina “Azul”.

– A ITTF confirmou a presença do Brasil no masculino e no feminino na Copa do Mundo de tênis de mesa em janeiro. No Aberto da Rússia, Thiago Monteiro caiu nas 16as-de-final perdendo 4-0 para Tiago Apolonia (POR).

Resumo do fim de semana

Fim do jejum no vôlei, mais medalhas no badminton e uma prévia do golfe

Título no vôlei

No curto Torneio dos Campeões de vôlei, a equipe brasileira faturou o título com uma boa performance e com um elenco renovado.

O Brasil começou com uma vitória de 3-1 sobre o Irã e um 3-0 duro sobre os Estados Unidos. Após o dia de descanso, uma vitória tranquila sobre o Japão e aí veio a Rússia. A pedra no sapato desde Londres.

A Rússia havia perdido para a Itália na estreia por 3-1 e o Brasil poderia ser campeão com uma rodada de antecedência se vencesse por 3-0 ou 3-1. E parecia caminhar para isso. 25-20 no 1° set e 25-22 no 2° e um Brasil jogando bem, conseguindo anular o ataque russo. Aí entrou Sivozhelez no lugar do Spiridonov e mudou a cara do jogo. Nem os 21 pontos de Wallace e 5 aces de Lucão impediram a reação russa, que fechou com 20-25 22-25 25-21 25-17 15-9.

Foi a quarta derrota seguida para os russos: na espetacular final olímpica, na estreia da fase final na Liga Mundial este ano, na final da Liga este ano e agora.

Apesar da derrota, o Brasil chegou para o jogo final contra a Itália precisando apenas de 2 sets para ficar com o tetracampeonato do torneio. O Brasil venceu os 2 primeiros sets e, já com o título nas mãos, cochilou, cedendo o empate italiano. No tie-break, 15-11 e fechando o torneio com mais uma vitória. Rússia foi prata e Itália bronze.

O russo Dmitriy Muserskiy foi eleito o MVP do torneio, Bruninho o melhor levantador e Wallace o melhor oposto.

O Brasil vinha de um longo jejum de torneios importantes. O último foi o Mundial de 2010! Desde então, pratas, bronzes e um 6° na Liga Mundial de 2012. Que venha o Mundial de 2014!

Copa do Mundo de Golfe

Melbourne recebeu a reformulada Copa do Mundo de Golfe, no mesmo formato que deve ser o torneio olímpico do Rio-2016. Classificação pelo ranking mundial, no máximo dois por país. Apesar das muitas ausências (apenas 2 top 10), um bom torneio com enorme premiação (USD 8.000.000).

O australiano Jason Day fez um ótimo torneio e após 4 rodadas fechou com 10 tacadas abaixo do par, faturando o título, o seu primeiro importante desde maio de 2010. O dinamarquês Thomas Bjorn fechou com 8 abaixo e ficou em 2° e o outro australiano Adam Scott com 7 abaixo foi o 3°. No torneio de duplas, vitória da Austrália seguida dos Estados Unidos.

Dois brasileiros participaram e faziam um ótimo torneio, até a quarta rodada… Adilson da Silva foi 42° com 7 acima do par e Alexandre Rocha em 44° com 8 acima. No fim da 3ª, ambos estavam com 1 acima do par e brigavam por uma classificação muito melhor. Por equipe, terminaram em 20°.

Badminton no México

Mais um bom torneio da seleção de badminton brasileira. Desta vez no Aberto do México em Guadalajara, foram 3 ouros, 3 pratas e 1 bronze. E novamente as meninas foram muito melhor que os homens.

Lohaynny Vicente segue fazendo um bom final de ano, e levou o título individual e nas duplas, além do bronze nas mistas. Na final individual, bateu a compatriota Fabiana Silva 18-21 21-17 21-12. Nas duplas, ao lado de Paula Pereira venceu uma dupla mexicana.

Nas duplas mistas, título de Paula e Daniel Paiola, com 13-21 21-13 21-19 nos companheiros de seleção Hugo Arthuso e Fabiana Silva. Daniel tmabém foi vice no individual após perder 21-16 21-17 para o cubano Osleni Guerrero.

Esportes de inverno

Quem fez sua estreia na temporada de inverno foi Jaqueline Mourão. Nome certo no cross country em Sochi, Jaqueline busca a inédita vaga no biatlo, o que a tornaria a primeira brasileira a disputar Olimpíadas em 3 esportes diferentes.

Ela disputou na Suécia a primeira etapa da IBU Cup, a 2ª divisão do biatlo mundial. No sprint 7,5km de sábado, ela não foi bem, errando 3 tiros e terminando em 102ª a 5min47s4 da campeã. Já no sprint de domingo, também errou 3 tiros, mas melhorou sua posição, terminando em 77ª a 4min45s8 da campeã. Ela agora parte para a Oestersund onde disputa o resto da primeira etapa da Copa do Mundo.

Mas a maratona de Jaquelina não aprou aí! No domingo, ela acordou super cedo, andou 2 horas de carro até Bruksvallarna para participar de uma prova de sprint de 1km. Ela ficou em 58ª entre 65 e voltou para a largada do sprint. A vitõria ficou com a sueca Charlotte Kalla, uma das favoritas para Sochi. Também em Bruksvallarna, Leandro Ribela também fez sua estreia na temporada, com o 99º lugar

A equipe de bosbled e skeleton foi disputar a 2ª etapa da Copa Norte-Americana em Park City, Estados Unidos. Foram 3 corridas para cada veículo.

No bobsled de 2 masculino, Édson Bindilatti e Edson Martins obtiveram um 15°, um 18° e um 19°. Já no bob feminino, Fabiana Santos e Larissa da Silva ficaram com dois 11° e um 7° lugares. No skeleton masculino, Emílio Strapasson tem melhorado a cada prova. Conseguiu neste fim de semana um 18°, um 15° e um 13° entre mais de 30 competidores.

Resumo do fim de semana de Carnaval

É Carnaval, mas o mundo não para!

Ciclismo

No Pan Americano de Ciclismo Pista, no México, o Brasil até levou uma boa equipe, principalmente no masculino. Mas deixou a desejar, não conquistando nenhuma medalha. No masculino, os melhores resultados foram os 5º lugares na perseguição por equipes e na corrida por pontos, com Armando Camargo. Nas provas rápidas, Flávio Cipriano foi 10º na Keirin e 7º no sprint. No último Pan, Gideoni Monteiro foi ouro na perseguição individual. Desta vez, ficou apenas em 14º. No feminino, com apenas 2 atletas de sprint participando, o melhor resultado foi o 5º lugar no sprint por equipes.

Cuba venceu 7 das 9 provas femininas. No masculino, com 10 provas, Argentina, Colômbia e Venezuela venceram 3 cada e os mexicanos donos da casa faturaram apenas a prova de Madison.

Em Paulínia, na Copa América de BMX, vitórias brasileiras na competição que contou com 64 atletas de 6 países. Renato Rezende, que esteve em Londres, venceu no masculino e Priscilla Carnaval venceu no feminino.

Tênis, golfe e esgrima

No tênis, a jovem equipe feminina conseguiu bons resultados no Zonal Americano da Fed Cup. Na 1ª fase, não perdeu nenhum jogo: 3-0 no Chile, 3-0 no México e 2-0 no Paraguai, passando para a final como campeão do grupo. Na final, pegou as favoritas canadenses. Paula Cristina Gonçalves começou mal e levou um pneu de Sharon Fichman, mas se recuperou e não só devolveu o pneu como virou o jogo: 06 60 64. A número 1 do país, Teliana Pereira não foi páreo para a jovem de 18 anos Eugenie Bouchard, campeã do torneion juvenil de Wimbledon ano passado e levou um 62 62. Na decisão nas duplas, Teliana e Laura Pigossi fizera um jogo apertado, mas perderam para Gabriela Dabrowski e Fichman 76(4) 75. Desta forma, o país fica novamente fora das repescagens no feminino.

No golfe, Alexandre Rocha foi bem no torneio Pro-Am Pebble Beach, na Califórnia. São 3 campos diferentes e cada golfista passa por cada um dos campos nas 3 primeiras rodadas. E por apenas um ponto ele não passou no corte para disputar a rodada final, finalizando com 214, exatamente a soma do par dos 3 campos.

No Pan Juvenil e Cadete de Esgrima, bons resultados. Entre os cadetes, Gabriela Cecchini (foto) foi ouro no florete e Eduardo Gastal no florete e Naira Ferreira na espada foram bronze. Entre os juvenis, apenas um bronze na espada masculina com Guilherme Melaragno. A promessa Amanda Simeão ficou em 7ª na espada. Nas provas por equipes, dois bronzes, no florete feminino e no masculino.

Judô e Atletismo

Nos torneios indoor na Europa, Eliane Martins e Rogério Bispo venceram o salto em distância em Ludwigshafen. Ela com 6,31m e ele com 7,69m. Fabiana Murer sentiu o tendão de Aquiles em Donetsk e vai voltar para o Brasil para tratamento. Ela saltou apenas 4,45m e ficou em 7ª, mesma posição de Thiago Braz com 5,50m.

Em Praga, Vanessa Spíndola conseguiu outra medalha no pentatlo indoor, a prata com 4.082 pontos.

No Grand Prix de Judô de Paris, prova muito esperada e que já contou com as novas regras do esporte, duas medalhas: Bruno Mendonça (foto) foi prata no 73kg e Victor Penalber bronze no 81kg. Os medalhistas olímpicos Sarah Menezes, Ketleyn Quadros, Felipe Kitadai e Rafael Silva perderam a disputa do bronze e ficaram em 5º.