Troféu Brasil – Dia 1

7 finais no primeiro dia e alguns recordes quebrados!

Pista

9291

Final dos 100m feminina

Rosângela Santos venceu os 100m feminino com bons 11.20 (0,0m/s) e finalmente conseguindo o índice para disputar o Mundial. Vitória Cristina Rosa ficou em 2º lugar com 11.24, também fazendo o índice na prova. Ana Cláudia Lemos foi 3ª com 11.35. Na prova masculina, vitória de Paulo André de Oliveira, com 10.18 (+0,5m/s), novo recorde sul-americano Sub20! Nas semifinais ele já havia igualado o recorde, com 10.20. Bruno Lins foi o 2º com 10.22 e Felipe Bardi dos Santos o 3º com 10.27.

Nos 10.000m, Tatiele de Carvalho venceu no feminino com 33:48.50. Num primeiro momento o placar deu 31min baixos, o que seria uma marca excepcional. Mas enganou todo mundo. No masculino, Daniel do Nascimento segue voando e venceu com 29:13.34, novo recorde sul-americano Sub20! Geração muito boa vindo por aí.

Campo

9292

Mariana Marcelino

O finalista olímpico Wagner Domingos foi o 1º campeão do Troféu, ao vencer o lançamento de martelo com 73,82m, ainda longe dos 77m que já fez este ano. Em 2º bem perto ficou Allan Wolski, com bons 73,31m. Na final feminina, Mariana Marcelino fez 67,02m na sua 1ª tentativa, estabelecendo o novo recorde brasileiro da prova, que era de 66,64m dela mesma.

Numa final fraca do salto com vara (saudades Murer), Patrícia Gabriela dos Santos e Juliana Campos (18 anos) fizeram prova idêntica e empataram no ouro com 4,10m. Veterana Joana Costa, também com 4,10m, foi bronze. Alex parecido Soares lidera o 1º dia do decatlo com 4,193 pontos.

Troféu Brasil de Atletismo – Dia 1

Com 779 atletas, começou nesta quinta em São Bernardo do Campo o Troféu Brasil e última oportunidade de classificação olímpica pra equipe brasileira.

8708

Vitor Hugo na final dos 100m. Foto: Wagner Carmo/CBAt

O grande destaque do dia foi Vitor Hugo dos Santos. Na sua semifinal dos 100m masculino, ele venceu com excelentes 10.11 e foi o primeiro brasileiro a conseguir o índice olímpico na prova mais rápida do atletismo. Na final, Vitor venceu com 10.21. José Carlos Moreira foi prata com 10.25 e Rodrigo Nascimento bronze com 10.26. Nas eliminatórias, Paulo André de Oliveira fez 10.26 e bateu o recorde brasileiro juvenil.

Na prova feminina, Rosângela Santos venceu com tranquilidade na semifinal e na final. Com 11.34, deixou Bruna Farias em 2º com 11.45 e Vitória Cristina Rosa em 3º com 11.54. Os revezamentos 4x100m começam a ser formados.

No lançamento de martelo, Wagner Domingo, o Montanha, venceu com tranquilidade. Com 74.49m, ele não bateu o recorde brasileiro, como já havia feito 3 vezes esse ano. Se manter os lançamentos nessa distância, pode pegar uma final olímpica inédita. Na final feminina, Mariana Marcelino foi ouro com 64,90m, batendo o recorde brasileiro por 25cm que Anna Paula Pereira havia batido no dia 19 neste mesmo estádio. Anna Paula foi prata com 62,56m.

Nas provas de 10.000m, Eder Uillian da Silva venceu com 29:19.36 e Tatiele de Carvalho levou com 34:25.86, mais de 2min pior que o índice olímpico que ela fez há algumas semanas.

Após 4 provas do heptatlo, Vanessa Spínola lidera com 3.634 pontos, seguida de Giovana Cavaleti com 3.524 e Tamara de Sousa com 3.471.

O Pinheiros lidera com 66 pontos, seguido da BM&FBovespa com 53 e Orcampi com 50.

Resumo do fim de semana

Atletismo

8679

Wagner Domingos bateu pela 3ª vez no ano o recorde brasileiro do lançamento de martelo. Agora foi em Celje, na Eslovênia, onde ele fez excelente 78,63m! Pra completar, ele bateu o recorde sul-americano, que era 76,42m do argentino Juan Cerra de 2006, e ainda fez o índice olímpico para a prova! Será o primeiro brasileiro na prova em Olimpíadas desde Los Angeles-1932!

No GP Brasil Caixa de Atletismo, em São Bernardo foram poucos os resultados marcantes. O mais expressivo foi nos 100m, de Vitor Hugo dos Santos, com 10.17! Ficou a 0.01 do índice olímpico. Ele competirá ainda na Colômbia nesta semana e semana que vem no Troféu Brasil. Últimas chances. Outro bom resultado foi de Eliane Martins no salto em distância com 6,72m, acima do índice olímpico, que ela já tinha. Augusto Dutra venceu o salto com vara com 5,70m, Altobeli da Silva fez 8:32.24 nos 3.000m com obstáculos, Geisa Arcanjo levou o arremesso de peso com 17,70m e Anna Paula Magalhães foi prata no martelo com 64,65m, novo recorde brasileiro.

Handebol

not_grd_0000031746

Foto: CBHb

O Brasil sobrou e faturou com tranquilidade o Pan de Handebol masculino. Na 1ª fase, 5 vitórias bem fáceis: 54-14 no Paraguai, 38-24 em Porto Rico, 42-10 na Colômbia, 40-15 nos EUA e 40-15 no Uruguai.

Na semifinal, duelo apertado com a Argentina por 23-20 e na grande final venceu o Chile com 28-24. Depois de perder 3 Pans seguidos para a Argentina na final, o Brasil volta a vencer a competição. Com o título, o Brasil assegurou vaga no Mundial de 2017.

Canoagem

Pela 3ª semana seguida, Ana Sátila chegou a final do K1 na Copa do Mundo de canoagem slalom. Na etapa de Pau, na França, Ana passou para a semi apenas na 2ª descida, mas fez o 3º tempo na semifinal e ficou em 6º lugar na grande final. Ela cometeu uma falta, o que a tirou do pódio.

A etapa definiu a última vaga ainda em aberto pro brasil nos Jogos. No C1, Felipe da Silva somou mais pontos após todas as seletivas e colocou seu nome nos Jogos.

Outros Esportes

– Embora continue por toda essa semana, os 3 brasileiros perderam na estreia do pré-olímpico mundial de boxe. Pedro Lima (75kg) perdeu para suíço por 2-1, Roberto Custódio (69kg) perdeu por 3-0 para trinitino e Rafael Lima (+91kg) perdeu 3-0 para italiano.

– Na etapa da Hungria do circuito mundial de 10km, Ana Marcela Cunha foi 4ª colocada, ficando a 0.08 do pódio. Poliana Okimoto foi 6ª a 2s do pódio, Diogo Villarinho 8º e Allan do Carmo 16º.

– Na 3ª etapa da Copa do Mundo de remo, 4 finais B pros barcos brasileiros. No double skiff leve masculino e feminino, as duplas que estarão nos Jogos ficaram em 3º na sua final e 9º em geral. Fabiana Beltrame foi 6ª na Final B do single skiff leve (12ª no geral), Steve Hiestand foi 4º na Final C do single skiff, Lucas Ferreira foi 3º na Final D do single skiff e Uncas Batista 3º na Final B do single skiff leve. A etapa foi bem esvaziada.

Resumo do fim de semana

Vôlei de Praia

Captura de Tela 2016-06-13 às 23.12.27

Larissa e Talita na disputa do bronze. Foto: FIVB

No Major de Hamburgo, na Alemanha, as duplas olímpicas femininas do Brasil subiram no pódio. As campeãs mundiais Ágatha e Bárbara perderam na final para as alemãs Ludwig/Walkenhorst por 21-19 19-21 15-12 e ficaram com a prata. Na disputa do bronze, Larissa e Talita obtiveram uma bela vitória sobre as americanas Ross/Walsh, por 21-15 21-17. As brasileiras se enfrentaram na semifinal.

Na disputa masculina, Alison e Bruno Schmidt, que vinham de uma sequencia excelente de vitórias até o torneio anterior, chegaram na semifinal, mas perderam para os americanos Lucena/Dalhausser por 21-16 21-15 e na disputa do bronze perderam novamente de virada 15-21 22-20 15-10 para os russo Semenov/Krasilnikov. A outra dupla olímpica brasileira, Pedro Solberg/Evandro parou nas 8as de final.

Canoagem Slalom

Na 2ª etapa da Copa do Mundo de slalom, em La Seu d’Urgell, na Espanha, mais um ótimo resultado de Ana Sátila. Na primeira descida da qualificação, ela fez o 2º melhor tempo e se garantiu na semifinal. Na semi, foi a 9º e se garantiu na final pela 2ª etapa seguida. Na final, zerou a descida em 105.91, terminando na 7ª posição. A vitória foi pra espanhola Maialen Chourraut com 99.61.

No C2, Charles Correa e Anderson Oliveira garantiram vaga na semifinal pela 2ª etapa seguida, mas diferente da anterior, não se classificaram para a final, terminando em 15º na semi.

No K1, Ricardo Taques foi o único a avançar de fase, ficando em 36º na semi, mas a festa foi de Pedro da Silva que se garantiu matematicamente no Rio-2016! A vaga do C1 está quase definida. Basta Felipe Borges participar da 3ª etapa que a vaga será dele.

Atletismo

8650

Wagner Domingos. Divulgação

O lançador de martelo Wagner Domingo bateu pela 3ª vez no ano o recorde brasileiro da prova, com 75,62m, em Varazdin, na Croácia. Mas ele segue ainda sem índice olímpico, que é 77m. Mas o fim de semana viu dois novos índices olímpicos: Márcio Teles nos 400m com barreiras, com 49.09, em prova em Genebra, e Tatiele de Carvalho nos 10.000m com 32:09.14, em Portland. É o 4º melhor tempo da história de uma sul-americana!

Outros Esportes

– Na 1ª rodada do Grand Prix de vôlei feminino, o Brasil começou com 3 vitórias. Jogando no Rio, venceu 3-1 a Itália, 3-0 o Japão e 3-0 a Sérvia. Está em 2º na classificação geral, atrás da China que tem vantagem na razão de pontos.

Lucas Lee disputou o FedEx St. Jude Classic, no Tennessee, do PGA Tour. Lucas passou do corte e terminou em 58º com 284 tacadas.É a 2ª vez no ano que ele passa pelo corte numa etapa do PGA.

– Brasileiros conquistaram 4 pratas e 5 bronzes em Barcelona, no Mare Nostrum de natação. As pratas foram de Felipe França (100m peito com 59.63 e 50m peito com 26.43), Henrique Martins (50m borboleta com 23.56) e Guilherme Guido (100m costas com 54.52).

– Sem Fernando Saraiva na disputa, a seleção de levantamento de peso conquistou 3 bronzes no Pan em Cartagena, nenhum no total: Jaqueline Ferreira nos 75kg feminino com 105kg no arranco, Wellison da Silva nos 85kg no arremesso com 188kg e Mateus Machado nos 105kg no arranco com 170kg. A melhor colocação no total foi de Liliane Lacerda, em 4º nos 69kg.

– Como esperado, o Brasil ficou em 8º e último na Liga Mundial de Pólo Aquático Feminino. Em Xangai, perdeu na 1ª fase de 20-2 para EUA, 10-6 para a Espanha e de 16-4 para o Canadá. Nas 4as de 11-2 pra Austrália e nas rodada classificatórias de 7-6 para a Itália e de 12-6 para o Canadá novamente. O título ficou com as americanas, com 13-9 na Espanha na final.

Atletismo teste o Engenhão

Começa neste sábado e segue até segunda o Ibero-Americano de atletismo, valendo como evento-teste do esporte.

8575

Fabiana Murer no Engenhão. Foto: CBAt

Mais de 400 atletas de 24 países estão no Rio para testar a pista recém colocada no estádio, incluindo alguns países vem como convidados para a competição, como EUA e Arábia Saudita, já que o ibero é apenas para países que falam português ou espanhol.

É uma boa oportunidade para conquistar e confirmar índices olímpicos. Numa pista novinha em folha, os tempos tendem a melhorar e devemos ter novos nomes na equipe olímpica, que já tem mais de 50 classificados.

Muito curioso para ver alguns nomes, como o Altobeli Silva, que conquistou o índice dos 3.000m com obstáculos no último fim de semana. O Brasil não disputa esta prova nos Jogos Olímpicos desde 1996, quando Clodoaldo do Carmo fez o pior tempo nas eliminatórias. Altobeli fez 8:28.56 sem ninguém para forçar seu ritmo na prova. Vamos ver o que ele faz com atletas que correm na faixa de 8:20 para puxá-lo.

Mauro Vinicius da Silva, bicampeão mundial indoor no salto em distância, não tem índice olímpico ainda e pode ser um dos novos nomes na equipe. Darlan Romani vem batendo na trave no arremesso de peso e competirá com argentino e português que tem mais de 21m na carreira, o que pode ajudá-lo a obter o índice.

Wagner Domingos bateu novamente o recorde brasileiro no lançamento de martelo neste último fim de semana, o que deixa uma boa expectativa pro índice. Sem adversárias de peso, Fabiana Murer deve levar com tranquilidade o salto com vara já neste sábado.

A outra grande chance de entrar na equipe olímpica e que deverá inclusive definir os revezamentos é o Troféu Brasil, a ser disputado no final de junho em São Bernardo.

Resumo do fim de semana

Judô

70pod35

Pódio em Baku. Foto: IJF Media

Na Grand Slam de Baku, no Azerbaijão, apenas 2 medalhas brasileiras para 11 judocas. Única a não medalhar no Pan, Maria Portela chegou à final da categoria 70kg, após vencer 3 judocas inexpressivas por ippon. Na final, caiu para a espanhola Maria Bernabeu, então 14ª do ranking, por ippon.

A única outra medalha veio com David Moura no +100kg, com o bronze. Rafael Silva perdeu nas 4as, após sentir lesão e nem foi disputar a repescagem. A categoria segue indefinida pros Jogos, com Rafael agora em 8º no ranking e David Moura em 10º.

Luta

Como esperado, nenhuma nova vaga veio pelo 2º pré-olímpico mundial disputado em Istambul.

fs_65kg_lukacs_hun_df-_messias_moreira_dos_santos_bra

Paulo Victor Santos, na categoria 96kg da luta livre

11 lutadores tentaram vagas, mas apenas 2 venceram uma luta. Nos 86kg da luta livre, Adrian Jaoude venceu por 10-0 atleta de Samoa Americana, mas perdeu por 11-0 para canadense na 2ª rodada. Nos 97kg, Paulo Victor Santos obteve uma vitória apertada por 8-7 com encostamento sobre japonês, mas perdeu na 2ª rodada por 10-0 romeno.

No feminino, nos 48kg Susana Almeida caiu nas 8as para uzbeque e nos 53kg Giulia Penalber caiu por 11-0 para russa. Na luta greco-romana, 4 derrotas na estreia. Davi Albino, único a medalha no Pan em 2015, novamente decepcionou e perdeu por 6-2 para alemão.

Outros Esportes:

– 4 novos índices olímpico no fim de semana. A grande surpresa veio de Altobeli Santos da Silva que completou em São Bernardo os 3.000m com obstáculos em 8:28.56, melhor tempo de um brasileiro desde 1998! Mahau Suguimati fez 49.26 nos 400m com barreiras em Kawasaki (JPN) e também estará no Rio-2016. Foram mais 2 índices na maratona, ambos em Praga. Vagner da Silva Noronha fez 2:18:45 e Cruz Nonata 2:41:09. Agora são 13 homens e 7 mulheres com índice na maratona.

– Ainda sem índice, Wagner Domingos bateu o recorde brasileiro no lançamento de martelo com 75,60m, em prova em Zagreb, Croácia. o índice para a prova é 77,00m.

– Na 3ª etapa da Copa do Mundo de BMX, Renato Rezende chegou à semifinal da prova, não passando para a final, terminando em 11º no geral. No feminino, Bianca Quinalha e Priscila Carnaval pararam nas 4as. Vitórias do bicampeão olímpico, o letão Maris Strombergs, e da holandesa Laura Smulders.

– Rubens Donizete venceu prova de mountain bike no Chile faturando 30 pontos para o ranking mundial. No momento, o Brasil é 13º no ranking olímpico e com isso garantiria 2 vagas na prova masculina.

Yane Marques terminou em 14º lugar na final da Copa do Mundo de pentatlo moderno nos EUA a 78s da campeã, a alemã Lena Schoneborn. Yane foi mal na esgrima, com apenas o 16º lugar, se recuperou na natação com o 7º tempo e teve uma prova de hipismo quase limpa. Largou em 3º na combinada, mas sofreu novamente na corrida. Yane segue para o Mundial da modalidade, no final do mês em Moscou.

Adilson da Silva foi vice no Aberto da Suazilândia de golfe, que faz parte do Sunshine Tour com 22 abaixo do par, contra 26 abaixo do sul-africano Titch Moore. Com o vice, Adilson sobe 70 posições no ranking para 275º lugar, se garantindo nos Jogos Olímpicos.

– Em etapa esvaziada, brasileiros ficaram perto do pódio na Copa do Mundo de triatlo em Huatulco, no México. Danilo Pimentel foi 4º, Anton Ruanova 5º e Diogo Sclebin 6º. Danilo ficou a 19s do pódio. A vitória foi para o francês Etienne Diemunsch, com 1:58:23.

Mundial de Atletismo – Dia 1

Três finais com boas emoções e algumas surpresas no dia que abre o 15º Mundial de Atletismo no antológico estádio Ninho de Pássaro em Pequim.

Maratona Masculina

Ghirmay Ghebreslassie. Foto: AFP

Na primeira prova do Mundial, muito calor, muita humidade e muita poluição atrapalharam muito os atletas. Um grande pelotão se formou com mais de 30 atletas e assim ficou por uns 20km, incluindo o brasileiro Solonei da Silva. Aos 25km, dois italianos abriram, mas foram engolidos pelo pelotão. Aos 30km, a surpresa foi um corredor do Lesoto liderar e chegou a abrir mais de 1min do resto. Seria a primeira medalha da história do Lesoto. Seria. Aí surgiu a figura do eritrino Ghirmay Ghebreslassie. Aos 19 anos, Ghebreslassie disparou para vencer desbancando todos os favoritos e entrar no Estádio para cruzar com 2:12:28. O etíope Yemane Tsegay foi prata com 2:13:08 e o ugandense Munyo Solomon Mutai completou o pódio com 2:13:30. Solonei foi o único brasileiro a completar, em 18º com 2:19:20.

Arremesso de Peso Feminino

Sem a pentacampeã mundial Valerie Adams na disputa, o pódio era quase certo, só faltava definir as colocações das 3 favoritas. A chinesa Gong Lijiao, bronze em Londres-2012, abriu com 20,30m. A alemã Christina Schwanitz foi aproximando com 19,80m e 20,00m até passar com 20,37m, assumir a liderança e não perder mais! Gong não conseguiu melhorar e teve que ficar com a prata. A americana Michelle Carter foi bronze com 19,76m. E 4º, a húngara Anita Marton com 19,48m, novo recorde nacional. Geisa Arcanjo está voltando aos pouco e foi 15ª na quali com 17,42m.

10.000m Masculino

Num ritmo bem forte a partir da metade da prova, um pelotão de 5 atletas disparou, com 3 queniano, o campeão mundial e olímpico Mo Farah e o americano Galen Rupp, único que consegue acompanhar o ritmo dos africanos. Na última volta, Mo Farah fez o que sabe melhor, abrir no final. Faltando 300m, ele quase tropeçou e perdeu tudo, mas terminou com 27:01.13 para levar seu 4º título mundial. O campeão mundial de cross-country este ano, Geoffrey Kamworor foi prata com 27:01.76 e Paul Tanui completou o pódio com dois quenianos com 27:02.83, repetindo o bronze de 2013.

Outras Provas

Decepção brasileira no salto com vara. 4º do mundo este ano, Thiago Braz sofreu com 5,55, passando apenas na 3ª chance, mas não conseguiu passar em 5,70m e fica fora da final. Já Augusto de Oliveira também penou em 5,55m, mas passou de 1ª em 5,65m e em 5,70m e se garantiu na final. Fábio da Silva, longe da sua melhor forma, não passou em 5,40m. Renaud Laviellenie só entrou na prova em 5,70m, passando de 1ª e se garantindo na final. Atual campeão mundial, o alemão Raphael Holzdeppe fez a mesma estratégia, mas só passou na 3ª tentativa e também está na final.

Keila Costa chega em sua 3ª final do salto triplo, após atingir 14,03m e passar em 10º lugar. Núbia Soares sofreu para acertar sua marca e só conseguiu um salto válido, 13,52m, melhor salto da temporada e 22ª. A búlgara Gabriela Petrova fez a melhor marca com 14,44m, seguida da favorita colombiana Caterina Ibarguen com 14,42m na 1ª tentativa.

Wagner Domingos em seu 1ª mundial terminou em 22º no lançamento de martelo com 71,82m na frente de bons nomes. Sem esforço, o polonês Pawel Fajdek que defende o ouro fez 78,38m.

Justin Gatlin venceu sua bateria dos 100m com impressionantes 9.83 (+2,1), melhor tempo do dia nos 100m. A sensação americana de 20 anos Trayvon Bromell fez o 2º tempo com 9.91. Ao todo 8 atletas correram abaixo de 10s, incluindo Asafa Powell com 9.95 e o bicampeão mundial Usain Bolt, com 9.96 soltando demais no final. Campeão mundial de 2003, o veterano Kim Collin (SKN) não avançou.

Grande surpresa nos 400m com barreiras masculino, com o campeão mundial em 2005, o americano Bershawn Jackson correu bem mal para 50.14 e não avançou. Melhor tempo do queniano Nicholas Bett com 48.37. Favoritos como Javier Culson (PUR) e Kerron Clement (USA) avançaram.

Quenianos dominaram as eliminatórias dos 3.000m com obstáculos masculino, vencendo as 3 baterias. Melhor tempo do favoritíssimo Ezekiel Kemboi com 8:24.75. Pintando mais um pódio todo queniano na prova. Kemboi busca o tetra!

Já ns 1.500m feminino, as etíopes que dominaram. Recordista mundial Genzebe Dibaba fez o melhor tempo com 4:02.59. Na bateria mais fraca, Sifan Hassan (NED) quebrou a hegemonia etíope, vencendo com 4:09.52. Abeba Aregawi (SWE) e Jennifer Simpson (USA) também avançaram.

Nos 800m masculino, melhor tempo do queniano Ferguson Rotich com 1:45.83. Outros favoritos como Amel Tuka (BIH), Adam Kszczot (POL), Nijel Amos (BOT) e Mohammd Aman (ETH) venceram suas baterias. Cleiton Abrão fez um dos piores tempos do dia, 1:49.79, terminando em 42º e eliminado.

O primeiro dia do heptatlo viu a campeã olímpica Jessica Ennis-Hill liderar em sua volta às pistas com 4.005 pontos, seguida da sua compatriota Katarina Johnson-Thompson com 3.925 e da holandesa Nadine Visser com 3.871. Vanessa Spinola não faz bom Mundial, bem abaixo da sua marca do Pan. Ela tem 3.438 pontos e está em 27ª entre 33.