Dança das cadeiras no vôlei de praia

Campeões olímpicos no Rio-2016 e mundiais em 2015, Alison Cerutti e Bruno Schmidt encerram uma parceria extremamente vitoriosa nas areis.

Jogando juntos desde 2014, Alison e Bruno disputaram 38 torneios no circuito mundial de vôlei de praia, 2 Mundiais e 1 Olimpíada. Foram 12 títulos: um Olímpico, um mundial, 2 da Final do Circuito e 8 torneios do circuito mundial, e mais 7 pódios. Além disso, conquistaram o título geral da temporada de 2015 e 2 circuitos brasileiros.

Este ano vinham de um 9º lugar em Fort Lauderdale (torneio 5*), um bronze em Xiamen (4*) e um 17º em Huntington Beach (4*). A ausência da dupla foi sentida no Aberto de Itapema na última semana e o anúncio veio nesta quarta-feira.

Bruno voltará a fazer parceria com Pedro Solberg, com quem jogou em 2013 e subiu 6 vezes ao pódio no circuito mundial. Mas a surpresa veio com o anúncio do Mamute, que jogará com André Stein, atual campeão mundial.

O único problema é que André vinha numa fase excepcional com Evandro, com quem foi campeão mundial em 2017. Nesta temporada, eles venceram o Aberto de Itapema no domingo e foram vice no Aberto de Huntington Beach, no início do mês.

A troca de parceiros é comum no vôlei de praia, assim como ocorre no tênis.

Trocas assim são esperadas nessa temporada, que é a última antes do início da corrida para a classificação olímpica, então não surpreendem tanto. Agora é ver como as novas parcerias se saem no circuito mundial, que começa forte no fim de junho com praticamente 9 semanas seguidas de torneio 4 ou 5 estrelas.

Anúncios

Mundial de Vôlei de Praia – Finais

Após um início arrasador do Brasil, muitas eliminações precoces e azar no sorteio do mata-mata, mas, o que parecia um mundial pra esquecer, se tornou vencedor!

Masculino

Captura de Tela 2017-08-07 às 17.44.48

Evandro e André. Foto: FIVB

Talvez a dupla que tinha menos chance do Brasil no início, surpreendeu a todos e se sagrou campeã mundial! No sábado, Evandro Oliveira e André Loyola venceram nas 4as os canadenses Ben Saxton/Chaim Schalk por 17-21 22-20 15-10. Voltaram no domingo para as semifinais derrotando os fortes holandeses Christiaan Valkenhorst e Maarten van Garderen por 21-15 21-13. Na outra semi, os donos da casa Clemens Doppler e Alexander Horst surpreenderam e avançaram pra final com 22-20 21-19 sobre os russos Viacheslav Krasilnikov e Nikita Liamin.

Algumas horas depois, voltaram à quadra pra grande final. Com 10.000 torcedores apoiando em massa os austríacos, Evandro e André souberam controlar a pressão, mas tiveram um jogo duríssimo. Quem ajudava a salvar a dupla brasileira era Evandro no saque. Eleito o melhor sacador nas ultimas duas temporadas, Evandro fez 6 aces na partida e o Brasil fechou com 23-21 22-20 para faturar o ouro! André se torna o campeão mundial de vôlei de praia mais novo da história, aos 22 anos. Foi o 7º título mundial de uma dupla brasileira no masculino, a 7ª formação diferente. Os russos Krasilnikov/Liamin venceram os holandeses Varenhorst/Van Garderen por 21-17 21-17 para levar o bronze.

Feminino

Captura de Tela 2017-08-07 às 17.45.46

Pódio feminino. Foto: FIVB

Após a derrota na semifinal na sexta, Larissa e Talita foram pro bronze contra as ótimas canadenses Sarah Pavan/Melissa Humana-Paredes, que fazem uma excelente temporada. E as brasileiras saíram com a vitória com 21-12 16-21 18-16. Larissa conquista a sua 5ª medalha em mundiais (1O-2P-2B) e Talita a sua 2ª (2B).

Na decisão, as alemãs campeãs olímpicas Laura Ludwig e Kira Walkenhorst sofreram para vencer as americanas April Ross/Lauren Fendrick por 19-21 21-13 15-9. Depois de perderem o 1º set, as alemãs arrasaram no 2º. No tiebreak, uma discussão com a árbitra principal tirou a concentração de Fendrick, que levou um amarelo inclusive. As alemãs mantiveram o forte ritmo para vencer o ouro inédito e se tornar a primeira dupla europeia campeã no feminino.

Brasil sai com um ouro e um bronze e agora soma 31 medalhas em 11 Mundiais! O próximo Mundial será em 2019.

Mundial de Vôlei de Praia – Dia 5

Feminino define os confrontos de mata-mata e masculino encerra alguns grupos.

Feminino

Captura de Tela 2017-08-02 às 00.58.20

Meppelink e Van Iersel (NED)

No último jogo da primeira fase, Ágatha/Duda perderam de 21-19 21-15 para as holandesas Meppelink/Van Gestel. Com este resultado, o Grupo C ficou todo embolado, com 3 duplas com 2 vitórias e 1 derrota, mas pior para as brasileiras, que ficaram em 3º lugar nos critérios de desempate. Pelo Grupo A, Larissa/Talita venceram as alemãs Bieneck/Schneider por 21-16 21-18 para encerrar a 1ª fase com 3 vitórias.

Larissa/Talita no Grupo A, Elize Maia/Taiana no H e Maria Elisa/Carol no I obtiveram 3 vitórias para vencerem seus grupos. Bárbara/Fernanda Berti no H e Ágatha/Duda no C ficaram com 2V e 1D em 3º nos seus grupos, mas conseguiram avançar diretamente pra chave final entre as 4 melhores duplas terceiras colocadas, sem precisar disputar a repescagem. Larissa/Talita, Maria Elisa/Carol e Elize Maia/Taiana estão na mesma chave e só uma dessas duplas pode chegar a semifinal. Do outro lado da chave, Ágatha/Duda e Bárbara/Fernanda Berti só se enfrentariam nas semifinais. Lembrando que Ágatha e Bárbara são as atuais campeãs mundiais, mas estão jogando separadas.

Masculino

No Grupo D, Evandro/André perderam para os mexicanos Virgen/Ontiveros por 21-19 16-21 15-10, mas ainda assim venceram o seu grupo. Eles foram os únicos brasileiros a jogar nesta terça na chave masculina pelo Brasil. Jogando pelo Qatar, Jefferson Pereira e o qatari Cherif Younousse venceram mais um jogo sobre os fortes letões Smedins e Samoilovs e ficaram com o título do Grupo B com 3 vitórias.

Também venceram seus grupos: os russos Krasilnikov/Liaminno F, os poloneses Losiak/Kantor no G, os espanhóis Herrera/Gavira no I, os holandeses Brouwer/Meeuwsen no J, os italianos vice olímpicos Nicolai/Lupo no K e os canadenses Saxton/Schalk no L.

Mundial de Vôlei de Praia – Dias 3 e 4

Os brasileiros seguiram praticamente invictos e as primeiras duplas começam a se classificar.

Masculino

Captura de Tela 2017-07-31 às 23.32.53

Álvaro Filho

Entre os homens, as 4 duplas com 2 vitórias em 2 jogos. Álvaro/Saymon, duplas cabeça 1, venceu os austríacos Kunert/Dressler por 21-17 21-17 no Grupo A. No D, Evandro/André venceram os cubanos Quesada/Piña por 21-17 21-19. Os atuais campeões olímpicos e mundiais Alison/Bruno Schmidt passaram com 21-19 21-19 pelos letões Plavins/Regza. Pedro Solberg/Guto venceram austríacos Seidl/Winter por 21-19 21-14 no H.

No Grupo B, o brasileiro Jefferson e Cherif, que jogam pelo Qatar, venceram seus dois jogos, assim como os letões Smedins/Samoilovs. Duas vitórias também no C pros americanos Dalhausser/Lucena, pros italianos vice olímpicos Nicolai/Lupo no K e outras 13 duplas. A 1ª fase nos dois torneio termina nesta terça.

Feminino

Cabeças 1 Larissa/Talita venceram no domingo 21-15 21-9 as americanas Day/Branagh e já estão classificadas pra próxima rodada com 2 vitórias. Ainda tem um jogo. Ágatha/Duda venceram facilmente as quenianas Gaudencia/Too por 21-5 21-7 e também já avançaram com um jogo restante. Pelo Grupo H, que tem duas duplas brasileiras, Elize Maia/Taiana venceram moçambicanas Manhica/Muianga por 21-5 21-6 e passam em 1º no grupo com 3 vitórias. Já a atual campeã mundial Bárbara e Fernanda Berti perderam nesta segunda para as suíças Heidrich/Vergé-Dépré por 23-21 21-19. Com apenas 1 vitórias em 3 jogos, ficaram em 3º no grupo. Elas podem se classificar como as 4 melhores terceiras colocadas ou disputam um play-off. No Grupo I, Maria Elisa/Carol venceram 18-21 21-16 15-8 americanas Hughes/Claes e ficam em 1º lugar com 3 vitórias.

Pelo Grupo D, as alemãs campeãs olímpicas Ludwig/Walkenhorst venceram seus 3 jogos para avançar em 1º no grupo que contou com 3 duplas alemãs. Pelo F, as checas Hermannová/Sluková venceram o gruypo com 3 vitórias sem perder sets, assim como as canadenses Pavan/Humana-Paredes no Grupo G. Também venceram seus grupos e avançaram: as suíças Betschart/Hüberli no J, as americanas Ross/Fendrick no K e as checas Kolocová/Kvapilová no L.

 

Mundial de Vôlei de Praia – Dias 1 e 2

São 9 duplas brasileiras nas areias de Viena para o Mundial de vôlei de praia, em sua 11ª edição. São 4 duplas no masculino e 5 no feminino. A grande ausência é da tricampeã mundial e olímpica Kerri Walsh, que se lesionou na última etapa na Polônia.

Mundial não tem qualificatória e para se classificar apenas pelo ranking mundial ou pelos qualificatórios continentais. Por isso, há muitas duplas bem fracas e que não disputam o circuito.

Masculino

Captura de Tela 2017-07-29 às 18.31.39

Bruno Schmidt

As 4 duplas brasileiras venceram na estreia. A maior vitória veio com Evandro/André de virada sobre os holandeses Varenhorst/Van Garderen. Os holandeses venceram o 1º set e chegaram ao match point no 2º, quando tudo começou a dar certo pros brasileiros, que viraram com 20-22 23-21 15-7 para vencer a 1ª no Grupo D. Atuais campeões mundiais e olímpicos, Alison/Bruno Schmidt passearam na estreia contra a dupla moçambicana de Nguvo/Tovela por 21-13 21-13 pelo Grupo E.

Melhor dupla nesta temporada, Álvaro/Saymon passaram sem dificuldades por Williams/Phillip de Trinidad & Tobago com 21-11 21-11 no Grupo A. Pelo Grupo H, Pedro Solberg/Guto venceram os sul-africanos Naidoo/Williams por 21-13 21-15.

Nos outros jogos, Dalhausser/Lucena venceram Doherty/Hyden 17-21 21-18 16-14 no duelo entre americanos pelo Grupo C. No J, os holandeses Brouwer/Meeuwsen venceram 21-15 22-20 os uruguaios Vieyto/Cairus. No K, os italianos vice olímpicos Nicolai/Lupo jantaram Lombi/Kamara de Serra Leoa por 21-7 21-8 e no L, a maior esperança austríaca Doppler/Horst fez 21-19 21-15 nos iranianos Raoufi/Salemi.

Feminino

Captura de Tela 2017-07-29 às 18.30.00

Talita Antunes

Em 8 jogos já disputados pelas duplas brasileiras, 7 vitórias. A única derrota ocorreu num duelo brasileiro pelo Grupo H. Elize Maia/Taiana venceram por 10-21 21-16 17-15 a atual campeã mundial e vice olímpica Bárbara, que agora joga com Fernanda Berti. Na 2ª rodada, Bárbara/Fernanda venceram por incrivelmente fáceis 21-4 21-6 as moçambicanas Manhica/Muianga e Elize Maia/Taiana sofreram com 26-24 11-21 15-10 sobre as boas suíças Heidrich/Vergé-Dépré.

Favoritas ao título, Larissa/Talita também precisaram de um tiebreak na estreia, vencendo as austríacas Strauss/Holzer por 21-11 19-21 15-8 pelo Grupo A. No C, Ágatha/Duda passearam nas quenianas Gaudencia/Too com 21-7 21-8. No Grupo I, Maria Elisa/Carol nem jogaram contra dupla de Ruanda, vencendo por W.O. na sexta e neste sábado fizeram 21-14 21-5 nas canadenses Pischke/Broder.

O Grupo D tem três duplas alemãs, incluindo as campeãs olímpicas Ludwig/Walkenhorst, que venceram seus dois jogos já disputados: 21-10 21-12 em marroquinas Mahassine/Zeroual e 17-21 21-15 15-12 sobre compatriotas Glenzke/Grossner. As americanas Summer/Sweat venceram 21-15 21-14 as austríacas Rimser/Plesiutschnig no Grupo E. Canadenses Pavan/Humana-Paredes, que vem de uma ótima temporada, estrearam com 21-13 23-21 sobre holandesas Flier/van Iersel no G.

3 títulos mundiais de base de olho no futuro

Na semana passada, 3 vitórias brasileiras bem interessantes nas categorias de base.

ae6e9b328b45f2d70136f8f40b03472e

A espetacular Duda e Ana Patrícia faturaram o bicampeonato mundial Sub21 de vôlei de praia, em Nanjing, na China. Elas venceram os 7 jogos que disputaram, perdendo apenas um set nas 8as de final para dupla suíça. Na decisão, venceram as russas Makroguzova e Kholomina por 21-15 21-13. Duda fatura o seu 5º título mundial de categorias de base. Ela tem agora dois Sub21 e três Sub19, além de uma prata no Sub23. No masculino, o ouro brasileiro veio com Adrielson e Renato, que venceram os 7 jogos sem perder um único set! Na decisão, mais uma vitória sobre uma dupla russa, com 22-20 21-17 sobre Kramarenko/Ivanov. No Mundial do ano passado, o Brasil também venceu os dois ouros.

9385

Equipe ouro no revezamento. Foto: CBAt

Já em Nairobi, no Quênia, a equipe brasileira conquistou ótimos resultados na última edição do Mundial Sub18 de Atletismo. Foram duas medalhas, 4 quartos lugares e mais 6 Top-8. Vale ressaltar que o Mundial foi marcado pelo ausência de Estados Unidos e Grã-Bretanha, preocupados com a segurança no Quênia. O grande resultado brasileiro veio na prova que fechou o Mundial, a mais nova prova olímpica, o revezamento 4x400m misto. Nas eliminatórias, a equipe formada por Brun Benedito da Silva, Giovana Rosália dos Santos, Jéssica Moreira e Alison dos Santos fez o 3º tempo geral com 3:25.64, atrás de Quênia e Jamaica. Mas na decisão, surpreendeu com 3:21.71 e a medalha de ouro! Jamaica foi prata com 3:22.23 e África do Sul bronze com 3:24.45.

Giovana também levou o bronze na prova dos 400m com melhor marca pessoal de 53.57. Lorraine Martins bateu na trave duas vezes, com o 4º lugar nos 100m com 11.80 e o 4º nos 200m com 23.89. Arielton dos Santos também ficou em 4º nos 100m masculino com 10.73 e Vitor Motim completou o grupo dos que ficaram perto do pódio com o 4º lugar no lançamento de disco com 58,27, a 7cm da medalha. No Mundial de 2015, foram 7 Top-8 e em 2013 foram 6.

Desde o fim dos Jogos do Rio, os brasileiros conquistaram em mundiais de base as seguintes medalhas:

Ouro – Wesley Dantas – Surfe Júnior (set/16)

Ouro – Duda / Ana Patrícia – Vôlei de Praia Sub21 (jul/17)

Ouro – Adrielson / Renato  – Vôlei de Praia Sub21 (jul/17)

Ouro – Revezamento 4x400m misto – Atletismo Sub18 (jul/17)

Prata – Manoel Messias – Triatlo Sub23 (set/16)

Bronze – Lucas Ferreira – Remo single skiff Júnior (ago/16)

Bronze – Luana Madeira – Levantamento de Peso 48kg Júnior (jun/17)

Bronze – Giovana Rosa – Atletismo 400m Sub18 (jul/17)

Resumo olímpico da semana

Saltos Ornamentais

p1bkes1bn4hfg1trc1u3p3fq1nfk7_crop

Isaac Souza Filho no topo do pódio

Uma semana antes da estreia no Mundial de Esportes Aquáticos, a equipe brasileira de saltos ornamentais conquistou 5 medalhas no GP de Saltos em Bolzano, na Itália. Isaac Souza Filho foi o grande destaque do país ao ficar com o ouro na plataforma masculina com a pontuação de 394,00. Na prova feminina, Ingrid Oliveira ficou com a prata com 282,00 atrás da chinesa Zhang Nanju com 292,55.

Tammy Galera ficou com o bronze no trampolim com 263,80 e ainda faturou mais duas medalhas nos saltos sincronizados. No trampolim feminino ao lado de Luana Lira ficou com o bronze (eram 4 países na disputa) e no trampolim misto ao lado de Ian Matos foi prata (eram 3 países). A equipe segue para Budapeste onde já faz sua estreia nesta sexta-feira no trampolim de 1m.

Remo

2017-07_copa-lucerna-06

Pódio na Copa do Mundo

Na 3ª etapa da Copa do Mundo em Lucerna, Suíça, a dupla de Xavier Maggi e Willian Giaretton, que estiver no Rio-2016 no Double skiff leve, faturou a medalha de bronze no Dois Sem Leve, prova que não é olímpica, com 6:37.50, atrás de Irlanda com 6:34.00 e Rússia com 6:36.28. Na etapa anterior, eles já haviam ficado com o bronze, mas eram apenas 3 barcos na disputa. Desta vez, foram 6 embarcações e a dupla ficou a frente de 3: Grã-Bretanha, França e Noruega. Uma boa prova.

Foram ainda outros 3 barcos. No Single skiff masculino peso leve, não olímpico, Uncas Batista venceu a Final C, terminando em 13º no geral entre 26. Mas nas prova olímpicas do single skiff, tanto Lucas Ferreira no masculino como Milena Viana no feminino venceram a Final E. Provas bem ruins

Lutas

A seleção brasileira cadete disputou em Buenos Aires, na Argentina, o Pan da modalidade da categoria. Com 17 atletas no total, o Brasil voltou com 5 medalhas, todas no feminino. Maria Elizabeth da Silva, nos 56kg, foi a única medalha de prata, enquanto Ketellen do Nascimento (43kg), Letícia Pimenta (49kg), Júlia de Oliveira (60kg) e Thaissa Ribeiro (70kg) ficaram com a medalha de bronze.

Na luta livre masculina, foram 5 derrotas nas disputas do bronze. Entre eles, Igor Queiroz, que perdeu o bronze tanto na livre como na Greco-romana. Boa parte da equipe permanece na capital argentina pro Sul-Americano.

Vôlei de Praia

Pela primeira vez no ano o Brasil não venceu um ouro em uma prova de 4 ou 5 estrelas no circuito mundial. No Major de Gstaad, na Suíça, Larissa e Talita foram derrotadas na final para as alemãs Chantal Laboureur e Julia Sude por 21-18, 22-20, ficando com a prata. Entre os homens, Álvaro/Saymon e Evandro/André perderam na semi e se enfrentaram na disputa do bronze, onde Álvaro/Saymon venceram com 21-12, 21-18. O título ficou com os americano Phil Dalhausser/Nick Lucena, com 21-18, 21-19 sobre os poloneses Losiak/Kantor.

Ainda assim, o Brasil está disparado no quadro de medalhas do circuito, com 9 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. EUA vem atrás com 4-1-1.

Outros Esportes

Pedro Barros venceu a etapa de Vancouver do Vans Park Series com a espetacular nota de 95,53.

– Na etapa de Lausanne da Diamond League, o revezamento 4x100m feminino do Brasil ficou com a prata com 42.97, atrás da Suíça com 42.53. No arremesso de peso, Darlan Romani fez apenas um arremesso válido, com 20,07m, terminando em 10º. Na etapa de Londres no domingo, Rosângela Santos fez 11.25 na semifinal dos 100m e na final melhorou para 11.22, ficando em 8º lugar. Vitória foi da campeã olímpica Elaine Thompson com 10.94. Em meeting em Sotteville-Lès-Rouen, na França, Geisa Coutinho venceu os 400m com  51.93. Em Nembro, Itália, Altobeli da Silva venceu os 3.000m (SEM obstáculos) com 7:51.48.

– No Pan Juvenil de pólo aquático em Lima, o Brasil ficou com duas pratas por pouco. No masculino, perdeu a final pros EUA por 6-5 e no feminino foi derrotado pelas americanas por 9-7.

– Depois do 10º lugar na semana anterior, Henrique Avancini foi 22º na Copa do Mundo de Mountian Bike em Lenzerheide, na Suíça, com 1:33:42. O campeão foi, mais uma vez, Nino Schurter, com 1:29:48. No feminino, Raiza Goulão foi 20ª com 1:34:52 entre 67 que terminaram.

Alexandre Rocha não passou no corte no LECOM Health Challenge, válido pelo web.com Tour de golfe.

– Na Classe Star, que deixou de ser olímpica no Rio-2016, Lars Grael e Samuel Gonçalves ficaram com a medalha de prata no Mundial disputado na Dinamarca. Com 20 pontos perdidos, ficaram atrás dos noruegueses Eivind Melleby e Joshua Revkin, com 18.