Brasil deve ficar sem atiradores em Tóquio

Depois do fracasso do tiro brasileiro no Pan, onde 4 atletas ficaram muito próximos das vagas olímpicas, mas fizeram bobagem nos últimos tiros, o Rio de Janeiro recebeu em Deodoro a última etapa regular da Copa do Mundo de rifle e pistola, que deu 2 vagas olímpicas por prova.

Captura de Tela 2019-09-01 às 22.46.28

Emerson Duarte na prova da pistola de fogo rápido 25m em Lima. Foto: Pedro Ramos/rededoesporte.gov.br

Por esse motivo, contou com praticamente todos os melhores do mundo, e era a última chance dos brasileiros conseguirem uma vaga para Tóquio.

Logo na quinta-feira, Felipe Wu e Julio Almeida precisavam ir bem na pistola de ar 10m. Wu, prata nesta prova no Rio-2016, havia ficado de fora dos Jogos Pan-Americanos e vinha atirando bem mal desde os Jogos do Rio. Desta vez não foi diferente. Julio ficou em 49º na qualificação e Wu foi apenas 75º com fraquíssimo 563 pontos. No Rio-2016 ele havia feito 580 na quali.

A outra boa chance brasileira era no domingo, com Emerson Duarte na pistola de fogo rápido 25m. Ele até fez uma boa prova, mas terminou em 15º, a 6 pontos da vaga olímpica.

Assim, só restaria ao Brasil conquistar vaga pelo ranking mundial, que dará apenas uma por prova em 31 de maio. As vagas são nominais aos atiradores, e apenas para atletas que não conquistaram nenhuma quota, desde que o seu país não tenha nenhuma vaga no evento específico.

Para se ter uma ideia, na pistola de ar 10m masculina, Julio é o 60º e Wu o 80º. Na pistola de fogo rápido, Emerson Duarte é o 30º e é o que estaria mais próximo do feito, mas tem outros 6 países na frente brigando por essa vaga, só que ainda teremos classificatórios continentais para a Europa, Ásia, África e Oceania.

Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 8

Foi um sábado atípico nos Jogos Pan-Americanos com poucas finais e pouquíssimas medalhas pro Brasil.

Ginástica Rítmica

Captura de Tela 2019-08-05 às 22.55.04

Natalia Gaudio. Foto: COB

No complemento do individual geral, Natália Gaudio fez 17,800 nas maças e 16,550 na fita para acabar com o bronze no individual geral com 67,150, mesma somatória de Bárbara Domingos, que tirou 16,450 nas maças e 17,300 na fita. Mas Gaudio teve uam somatória de execução melhor que a Bárbara e por isso foi bronze. Dobradinha americana com Evita Griskenas 75,825 e Camilla Feeley 70,725. Foi apenas a 2ª medalha de uma brasileira no individual geral em Pans.

Já na prova de grupos, o Brasil errou feio na prova de 3 arcos e 4 maças, perdendo o aparelho e tomando 1,100 de penalidade, acabando em 6º no aparelho com apenas 19,700 e 43,350 no geral, ficando com o bronze atrás de México com 48.375 e Estados Unidos com 45,975. E assim o Brasil quebra uma sequência de 5 ouros seguidos em Pans no grupo geral.

Tênis

Captura de Tela 2019-08-05 às 22.54.46

Luisa Stefani e Carol Alves. Foto: COB

O dia começou com Carolina Alves perdendo na semifinal para a americana Caroline Dolehide por 76(5) 62, mas mais tarde ela voltou à quadra ao lado de Luisa Stefani para vencer as chilenas Alexa Guarachi e Daniela Seguel por 26 75 [11-9] e conquistarem o bronze nas duplas femininas.

João Menezes seguiu sua brilhante campanha ao vencer o argentino Facundo Bagnis, que defendia o ouro,  por 46 62 64 e chegar à decisão de simples, garantindo vaga olímpica!

Tiro

E no último dia do Tiro, seguiu o desastre brasileiro. Ana Luiza Ferrão teve um ótimo segundo dia na quali da pistola de 25m e se classificou pra final. Ela vinha muito bem pra pegar medalha e a vaga olímpica. Precisando de 2 pontos pro bronze, ela errou os 5 tiros e foi eliminada, terminando em 4º.

Brasil termina o tiro com apenas 2 bronzes e nenhuma vaga olímpica, muito inferior aos 3 ouros e 1 prata de Toronto-2015.

Outros Esportes

Com um jogo pífio, o Brasil foi totalmente dominado por Cuba na semifinal do vôlei masculino e perdeu de 3-0, parciais de 25-16, 25-22, 25-21 e foi pra disputa de bronze. Cuba se garantiu na final para enfrentar a Argentina, que venceu o Chile por 3-1 (25-21, 23-25, 28-26, 25-17).

Apesar da eliminação de Ruy Fonseca no cross-country do CCE, os outros 3 conjuntos brasileiros foram bem e contaram com uma péssima participação do Canadá para assumir o 2º lugar da disputa por equipes.

Os Estados Unidos venceram a perseguição por equipes masculina no ciclismo de pista com 4:00.772 contra 4:05.098 da Colômbia. No sprint individual masculino, disputa entre trinitinos na decisão, com vitória de Nicholas Paul por 2-0 sobre Njisane Phillip. Na Omnium feminina, a americana Jennifer Valente sobrou pra levar o ouro com 198 pontos contra 162 da mexicana Lizbeth Salazar. Valente venceu a corrida tempo, a corrida de eliminação e sobrou na corrida por pontos, dando 2 voltas no pelotão. Wellyda dos Santos terminou em 10º com 74 pontos.

A canadense Meaghan Benfeito confirmou o favoritismo para vencer a final da plataforma nos saltos ornamentais com 375,05 pontos, seguida da sua compatriota Caeli McKay com 365,70. Ingrid de Oliveira foi 8ª com 257,90 e Andressa de Lima foi 9ª com 233,20. No trampolim sincronizado masculino, vitória mexicana com 429,81 pontos. A dupla brasileira de Luis Bonfim e Kawan Pereira acabou em 8º com 335,49.

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
Dia 3 4 2 8 14
Dia 4 3 2 4 9
Dia 5 1 2 1 4
Dia 6 0 2 5 7
Dia 7 3 2 1 6
Dia 8 0 0 3 3
TOTAL 15 14 27 56

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Ginástica Artística 4 4 3 11
Taekwondo 2 2 3 7
Triatlo 2 2 0 4
Boxe 1 3 2 5
Surfe 1 1 0 2
Badminton 1 0 4 4
Canoagem Velocidade 1 0 2 3
Patinação Artística 1 0 1 2
Handebol 1 0 0 1
Levantamento de Peso 1 0 0 1
Ciclismo 0 1 2 3
Boliche 0 1 0 1
Ginástica Rítmica 0 0 2 2
Tiro 0 0 2 2
Esqui Aquático 0 0 1 1
Hipismo 0 0 1 1
Pentatlo Moderno 0 0 1 1
Tênis 0 0 1 1
Vôlei de Praia 0 0 2 2
Saltos Ornamentais 0 0 1 1
TOTAL 15 14 27 56

Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 6

Foi mais um dia com poucas provas, mas com a estreia do ciclismo de pista e dos saltos ornamentais. E o 1º do Brasil sem ouro.

Boxe

jogos-pan-americanos-boxe

Keno Machado. Foto: Olimpíada Todo Dia

Foram duas derrotas em finais no boxe. Nos 81kg masculino, Keno Machado perdeu pro incrível cubano Julio Cesar de la Cruz, tetracampeão mundial e atual campeão olímpico, que faturou seu 3º título seguido nos Jogos. No feminino, Jucielen Cerqueira perdeu pra argentina Leonela Sanchez na decisão dos 57kg feminino.

Cuba dominou o dia. Presente nas 5 finais masculinas, venceu 4 delas, só perdendo na 1ª disputa, nos 52kg, onde Rodrigo Marte perdeu para o dominicano Yosbany Veitia.

Badminton

Presente em cinco semifinais, o Brasil venceu apenas uma delas, com o cabeça 1 do masculino Ygor Coelho. Ele venceu de virada o canadense Jason Ho-shue por 20-22, 22-20, 21-8 e chega à decisão, onde enfrenta o canadense Brian Yang. Nas duplas masculinas, os irmãos Fabrício e Francielton Farias perderam de virada 20-22, 21-13, 21-17 para os americanos Phillip e Ryan Chew.

Nas duplas femininas, derrotas nas duas semifinais. Tamires Santos e Fabiana Silva foram arrasadas pelas canadenses Rachel Honderich/Kristen Tsai por 21-5, 21-8 e as irmãs Jaqueline e Sâmia Lima também levaram virada por 17-21, 21-12, 21-18 para as americanas Chen Kuei-Ya e Jamis Hsu. Nas mistas, mais uma derrota de virada de Fabrício Farias e Jaqueline Lima por 20-22, 21-17, 21-13 para os canadenses Joshua Hurlburt-Yu e Josephine Wu.

Ciclismo de Pista

Captura de Tela 2019-08-02 às 00.06.24

Flávio Cipriano, João Vitor da Silva e Kácio Fonseca. Foto: COB

No 1º dia de disputas no velódromo, o Brasil ganhou sua 1º medalha com um bronze no sprint por equipes masculino. E foi num anticlímax total. Na quali, o Brasil, com Flávio Cipriano, João Vitor da Silva e Kácio Fonseca, marcou o 3º tempo com 45.279, muito perto da Colômbia, 2º tempo com 45.046. Na disputa do bronze, Brasil pegou o México, que fez duas largadas falsas e foi desclassificado, dando o ouro de bandeja pro trio brasileiro, repetindo a medalha de 2015. Na decisão, o trio de Trinidad & Tobago venceu com tranquilidade a Colômbia com 43.972 a 44.584.

Na decisão do sprint feminino por equipes, o México, com Jessica Salazar e Daniela Gaxiola, derrotou a dupla do Canadá por 33.424, novo recorde dos Jogos, a 34.096. Já na prova da Omnium masculina, o americano Daniel Holloway vinha praticamente empatado com o chileno Felipe Peñazola, mas o americano sobrou na corrida por pontos para vencer com 181 pontos, contra 166 do chileno, que acabou com o bronze, atrás do mexicano Ignacio Prado, com 168.

Tênis

Boas vitórias no torneio de tênis, mas algumas derrotas também. No masculino, João Menezes derrotou  por 26 63 64 o argentino Francisco Cerundolo e está nas 4as de final e agora enfrenta o cabeça 1, o chileno Nicolas Jarry. No feminino, Carolina Alves teve várias chances de fechar o jogo sacando, mas bobeou algumas vezes, mas ainda assim venceu a argentina Victoria Bosio por 61 67(6) 64 e vai enfrentar nas 4as a mexicana Renata Zarazua. Já Thiago Wild perdeu pro argentino Guido Andreozzi por 62 62 e Luisa Stefani foi derrotada por 63 62 para a canadense Jada Bui.

Nas duplas, Carolina e Luisa venceram 62 62 as argentina Catalina Pella/Nadia Podoroska e estão na semifinal. Já no masculino, Thiago e João perderam de 62 64 para os peruanos Sergio Galdos/Juan Pablo Varillas. Nas mistas, Luisa e João caíram na estreia nas 4as para os peruanos Anastasia Iamachkine/Sergio Galdos por 75 64.

Outros Esportes

O Brasil enfrentou os donos da casa na 2ª rodada do handebol masculino e destruiu os peruanos, com 40-16. No 1º tempo, tinha vantagem de 27-7, mas tirou o pé do acelerador na 2ª metade. Doze jogadores brasileiros fizeram e o único que não marcou foi o goleiro Bombom. Chiuffa foi o artilheiro com 10 tentos. Pelo mesmo grupo do Brasil, México 24-19 em Porto Rico.

Mais uma vez o Brasil teve problema no Tiro Esportivo. Emerson Duarte, que foi prata em 2015 na pistola de fogo rápido 25m, vinha vem na qualificação, brigando por uma vaga no top-6, para ir pra final. Mas no seu último tiro, teve um problema, atirando fora do tempo e ficou com o tiro zerado, terminando em 8º e fora da final com apenas 561 pontos. Na final, dobradinha cubana. No rifle de ar 10m feminino, as brasileiras ficaram longe da final, que teve mais uma dobradinha americana.

Chloe Calmon venceu na 3ª rodada do longboard feminino e já garante pelo menos o bronze no surfe. Wenderson Conceição perdeu e vai pra repescagem. Luiz Diniz, no stand up paddle, venceu na repescagem e segue em busca de vaga para as finais.

A dupla canadense Jennifer Abel e Pamela Ware venceu o ouro no tramplim sincronizado feminino, na estreia dos saltos ornamentais. A veteraníssima Juliana Veloso e Luana Lira ficaram em 6º entre 7 duplas. No trampolim de 1m masculino, ouro pro mexicano Juan Celaya com 435,60, seguido do jamaicano Yona Knight-Wisdom com 429,90. Kawan Pereira foi 9º e Ian Matos 11º.

A Argentina confirmou o favoritismo e foi ouro no softball masculino. Campeões mundiais há algumas semanas, a equipe venceu os EUA na decisão por 5-0

No hóquei masculino, a campeã olímpica Argentina venceu mais uma com 6-0 sobre Trinidad & Tobago pelo Grupo A, que também teve Chile 4-0 Cuba. No B, México 8-2 Peru e Canadá 4-0 Estados Unidos.

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
Dia 3 4 2 8 14
Dia 4 3 2 4 9
Dia 5 1 2 1 4
Dia 6 0 2 5 7
TOTAL 12 12 23 47

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Ginástica Artística 4 4 3 11
Taekwondo 2 2 3 7
Triatlo 2 2 0 4
Canoagem Velocidade 1 0 2 3
Patinação Artística 1 0 1 2
Handebol 1 0 0 1
Levantamento de Peso 1 0 0 1
Boxe 0 2 2 2
Ciclismo 0 1 2 3
Boliche 0 1 0 1
Badminton 0 0 4 4
Tiro 0 0 2 2
Esqui Aquático 0 0 1 1
Hipismo 0 0 1 1
Pentatlo Moderno 0 0 1 1
Vôlei de Praia 0 0 2 2
TOTAL 12 12 23 49

Brasileiro é campeão mundial júnior de tiro!

Foi uma bela surpresa a notícia nesta quarta-feira do título mundial de um brasileiro numa prova de tiro ao prato!

Captura de Tela 2019-07-04 às 00.36.26

Reprodução: Youtube

Leonardo Lustoza brilhou na prova júnior da fossa masculina na cidade italiana de Lonato e faturou o inédito título mundial pro Brasil. Ele já tinha ido muito bem na qualificação, fechando em 1º lugar com 121 entre 125 pratos quebrados, um a mais que o finlandês Matias Koivu e dois a mais que o turco Murat Ilbilgi. Parcial do Leonardo foi 25-24-25-23-24.

Captura de Tela 2019-07-04 às 00.36.53

Reprodução Youtube

Na decisão, Leonardo começou errando o primeiro prato, mas marcou 23 seguidos e errou o 25º e chegou à metade da final em 2º atrás de Koivu, que vinha com 100% de aproveitamento. Na 2º metade, ele seguia atrás do finlandês até a marca de 40 pratos, com 36 empatado com o esloveno Rene Macek contra 38 de Koivu. Macek foi eliminado e o brasileiro foi pro tudo ou nada contra Koivu pros últimos 10 pratos. E com um péssimo final de prova, onde Koivu errou 6 dos 10 tiros finais, Leonardo fechou com 45 pratos contra 42 do finlandês.

Hoje com 19 anos, Leonardo já havia ficado no bom 13º lugar na fossa no Mundial Júnior de 2018 com 112 pratos e se torna uma ótima opção para a disputa olímpica em Tóquio.

Boletim Rumo a Tóquio #7

Fiquei 3 meses sem postar sobre as vagas olímpicas, então vamos a uma atualização das vagas disputadas em março, abril e maio.

Atletismo e Natação

Desde 1º de janeiro, as provas de 10.000m, marchas, maratonas e combinadas já valem para índice no atletismo e desde 1º de maio os índices para as outras provas do atletismo já podem ser feitos. Na natação, a janela para obter índice começou em 1º de março. Não vou contabilizar ainda as vagas individuais dessas modalidades, pois cada país tem seu critério próprio e muita coisa pode mudar.

A CABt ainda não divulgou os critérios para a equipe brasileira de atletismo, mas o mais provável é que quem fizer o índice, irá. 4 brasileiros já fizeram índice olímpico: Daniel Chaves da Silva na maratona, Caio Bonfim e Érica de Sena na marcha 20km, Darlan Romani no arremesso de peso.

Na natação, os índice só podem ser obtidos em competições específicas. O Troféu Brasil não estava nessa lista, mas alguns brasileiros já fizeram índices em outras competições, como Bruno Fratus nos 50m livre, mas a CBDA muito provavelmente terá apenas uma competição como válida para índice olímpico, o Troféu Brasil de 2020.

Tiro

headline_img

Pódio da Fossa masculina na Copa do Mundo de Chnagwon (KOR)

Foi o esporte que mais deu vagas nesses 3 meses, com 5 etapas da Copa do Mundo, 3 de tiro ao prato no México, Emirados Árabes e Coreia do Sul, e 2 de rifle e pistola, em Pequim e Munique. Em vermelho as vagas conquistadas nessas 5 competições. O Brasil ainda não tem nenhuma vaga no tiro. Em compensação a China já conseguiu 20 vagas.

Rifle de ar 10m masculino: AUT, CHN (2), CRO (2), IND, ITA, JPN, RUS (1+1), UKR, USA
Rifle 3 posições 50m masculino:CHN (1+1), CZE, HUN, ITA, JPN, KOR, NOR, POL, SRB, USA (2)
Pistola de ar 10m masculina: CHN (2), IND (1+1), JPN, KOR (2), MGL, RUS, SRB, UKR, USA
Pistola de fogo rápido 25m masculina: CHN (2), CUB, FRA (1+1), GER (2), JPN, RUS (1+1), UKRUSA
Fossa masculina: AUS, CHN, CRO, CYPEGY, ESP, JPN, KUW, GBR, MEX, PER, SVK,
Skeet masculino: CZE, DEN, FIN, FRA, ITA (1+1), JPN, KORKUW, NOR, USA (2)
Rifle de ar 10m feminino: CHN (2), DEN, HUN, IND (2), IRI, JPN, KOR (2), ROU, USA
Rifle 3 posições 50m feminino: CHN, CRO, GBR, GER, JPN, KOR, NOR (2), RUS (1+1), SUI, USA
Pistola de ar 10m feminina: CAN, CHN (1+1), GEO, GRE, IND, JPN, KOR (2), MGL, SRB, TPE
Pistola 25m feminina: BUL (2), CHN, GER (1+1), HUN, IND, JPN, TPE, RUS, UKR, USA
Fossa feminina: AUS, CHN (1+1), FRA (2), GBR, GUA, ITA (1+1), JPN, SVK, USA (1+1)
Skeet feminino: CHI, CHN, CYP, ITA (2), JPN, NZL, POL, RUS, SVK, USA (2)

Ciclismo

Algumas competições continentais definiram vagas na estrada e no mountain bike. Mas como o ranking é preferencial, as vagas continentais podem mudar, caso esses países conquistem vaga pelo ranking. Tivemos disputas do pan-americano, africano e asiático de estrada e do pan-americano e africano de mountain bike.

Estrada masculina: JPN (2), ALG, CHN, COL, ECU, ERI, KAZ
Estrada feminina: JPN (2), ERI, MEX, UZB
Mountain Bike masculino: CAN, JPN, RSA
Mountain Bike feminino: JPN, RSA,USA

Vela

Captura de Tela 2019-04-21 às 23.37.26

Jorge Zarif

O Campeonato Europeu da Classe Finn valeu como classificatório Mundial. Disputado em Atenas, deu 4 vagas. Com o 7º lugar, Jorge Zarif conquistou a vaga pro Brasil. Noruega, Estados Unidos e Grécia também se garantiram.

Finn masculino: ARG, BRA, CAN, GBR, GRE, HUN, JPN, NED, NOR, NZL, SWE, TUR, USA

Hipismo

Dois campeonatos no fim de maio definiram 3 vagas por equipe para o Concurso Completo de Equitação. Na Polônia, uma vaga para o Grupo C (Leste Europeu) em jogo e na França, duas vagas pros grupos F e G (Ásia e Oceania). A Polônia se deu bem em casa e ganhou e vaga. Como Japão tem vaga por ser sede e Austrália e Nova Zelândia conquistaram a vaga pelos Jogos Equestres, China e Tailândia se deram bem e levaram as vagas continentais, algo inimaginável antes dos Jogos Equestres.

CCE por Equipes (3 vagas por equipe): AUS, CHN, FRA, GBR, GER, IRL, JPN, NZL, POL, THA

Nado Artístico

A Copa dos Campeões Europeus definiu as vagas continentais para a Europa. E a vitória da Rússia não foi nenhuma surpresa. Assim, ela se junta ao Japão como únicos classificados até agora na prova de grupo. Quem disputa o grupo, tem vaga pro dueto. A vaga europeia apenas para o Dueto ficou com a Ucrânia que ainda pode brigar pela equipe no Mundial.

Quotas

Sem contar natação e atletismo, já temos 996 vagas definidas até agora, para 64 países. Países com ao menos 5 vagas:

Japão –  394
Estados Unidos – 81
Nova Zelândia – 56
China – 41
Rússia – 37
França – 32
Brasil, Dinamarca, Grã-Bretanha – 24
Itália – 22
Austrália, Alemanha – 18
Angola, África do Sul – 14
Fiji, Holanda – 12
Coreia do Sul – 11
Espanha, Noruega, Suécia – 10
Polônia – 8
Bulgária, Croácia, Índia, Suíça – 7
Grécia, Ucrânia – 6
Áustria, Eslováquia, Hungria – 5

Em junho teremos, valendo vaga olímpica, os pré-olímpicos sul-americanos masculino e feminino de Rugby 7s, a Copa do Mundo de Futebol feminino, a Liga Mundial feminina de Pólo Aquático, o mundial de Tiro com Arco, o Eurobasket feminino, o mundial de Vôlei de Praia, os Jogos Europeus (vagas no Tiro, Tiro com Arco e Karatê), o Europeu Sub21 masculino de Futebol, a final da Copa do Mundo de Pentatlo Moderno e 3 qualificatórios no Hipismo, 2 de saltos e 1 de adestramento.

Boletim Rumo a Tóquio #6

Poucas competições deram vaga olímpica nos 2 primeiros meses do ano. Em janeiro, apenas o Mundial de Handebol masculino classificou para Tóquio. Em fevereiro, a Copa do Mundo de pistola e rifle na Índia e o campeonato africano de pentatlo moderno também valeram vaga para 2020.

Handebol

world20champions_1440x600

Dinamarca campeã mundial. Foto: IHF

A Dinamarca dominou em casa o Mundial masculino e levou seu 1º título mundial, unificando o título mundial ao olímpico. Na final contra a Noruega, os dinamarqueses destruíram seus adversários por 31-22 para levar o título vencendo seus 10 jogos disputados. A próxima vaga masculina será disputada nos Jogos Pan-Americanos, em julho e agosto.

Masculino: Dinamarca e Japão

Tiro

headline_img

Veronika Major (HUN) venceu a pistola de ar 10m e a pistola 25m (bateu WR na final), conquistando vaga olímpica para a Hungria

A Copa do Mundo de tiro 2019 começou na Índia apenas com provas de pistola e rifle. Mas não faltou polêmica, pois 2 atiradores do Paquistão foram impedidos de entrar na Índia. Por isso, o COI e a ISSF decidiram não dar baga olímpica na prova da pistola de fogo rápido 25m masculina, prova que os dois atiradores paquistaneses disputariam. Ainda assim, tivemos 2 vagas olímpicas em jogo para cada uma das outras 7 provas. A China fez a festa, conquistando 5 vagas e chega a 15 atiradores classificados para Tóquio.

Os brasileiros ficaram longe das vagas.

Rifle de ar 10m masculino: AUT, CHN (1+1), CRO (2), JPN, RUS, USA
Rifle 3 posições 50m masculino: CHN, HUN, ITA, JPN, NOR, POL, USA (2)
Pistola de ar 10m masculina: IND, JPN, KOR (2), RUS, SRB, UKR, USA
Rifle de ar 10m feminino: CHN (2), IND (2), JPN, KOR (2), USA
Rifle 3 posições 50m feminino: CHN, CRO, GBR, GER, JPN, RUS, SUI, USA
Pistola de ar 10m feminina: CAN, CHN, GRE, JPN, KOR (1+1), SRB, TPE
Pistola 25m feminina: CHN, GER, HUN, JPN, TPE, RUS, UKR, USA

Pentatlo Moderno

Num campeonato africano vazio, os egípcios dominaram em casa ficando com os dois títulos. Sherif Nazeir venceu no masculino e Haydy Morsy no feminino e ganharam as vagas continentais para Tóquio. A vaga é nominal e não pro país. As próximas vagas sairão da final da Copa do Mundo, em junho, em Tóquio, 1 por gênero.

Masculino: EGY e JPN
Feminino: EGY e JPN

Quotas

830 vagas estão definidas para 51 países. O Egito é o mais novo na lista com as vagas no pentatlo.

As equipes com pelo menos 5 vagas são:

Japão – 394 (4 incluídos por conta da divulgação do sistema de qualificação da canoagem de velocidade)
Estados Unidos – 53
Nova Zelândia – 31
China – 30
França – 29
Rússia – 26
Brasil – 23
Grã-Bretanha – 22
Austrália – 18
Itália – 17
Alemanha – 15
Angola – 14
Holanda – 12
Espanha – 10
Suécia – 10
Coreia do Sul – 8
Noruega – 7
Suíça – 7
Croácia – 6
Áustria – 5
Bulgária – 5
Eslováquia – 5
Grécia – 5

Boletim Rumo a Tóquio-2020 #4

Nas últimas semanas mais dois eventos definiram vagas olímpicas para Tóquio-2020: o Mundial de Ginástica Artística em Doha e o Campeonato das Américas de Tiro, em Guadalajara.

Ginástica Artística

Eram 3 vagas por equipe em jogo por gênero.

GYMNASTICS-QAT-WC-2018

Simone Biles no Mundial de Ginástica em Doha. Foto: Karim Jaafar/AFP

Na final masculina, a China ficou com o ouro com 256,634, muito pouco a frente da equipe da Rússia, com 256,585. A espetacular nota de 16,200 de Zou Jingyuan nas barras paralelas ajudaram e muito o título chinês. Com 253,744 o Japão, atual campeão olímpico e defensor do título mundial, ficou com o bronze, garantindo a 3ª vagas olímpica.

No feminino, mesmo sem uma Simone Biles inspirada e que colocou a mão na trave para se equilibrar, os Estados Unidos venceram novamente com muita folga. As americanas somaram 171,629 colocando quase 9 pontos a frente da Rússia, com 162,863. A última vaga foi pra China, bronze com 162,396. Cada equipe garante 4 vagas pros Jogos e pode até conseguir mais, caso um atleta que não esteve nesse Mundial lidere a Copa do Mundo 2019-2020.

Masculino: China (4 vagas), Japão (4), Rússia (4)
Feminino: China (4 vagas), Estados Unidos (4), Japão (1), Rússia (4)

Tiro

Foram 14 vagas em jogo no Campeonato das Américas, disputado em Guadalajara, no México, 2 na fossa masculina, 2 na feminina e 1 para cada uma das outras 10 provas individuais.

Os americanos faturaram 8 vagas e só não levaram mais porque já tinham conseguido o máximo na fossa feminina. Estados Unidos ficou com as vagas nas seguintes provas: rifle de ar 10m masculino, rifle 3 posições 50m masculino, pistola de ar 10m masculina, skeet masculino, rifle de ar 10m feminino, rifle 3 posições 50m feminino, pistola 25m feminina e fossa feminina.

Outros 6 países conseguiram uma vaga no torneio: Cuba na pistola de fogo rápido 25m masculina, Peru na fossa masculina, México na fossa masculina, Canadá na pistola de ar 10m feminina, Guatemala na fossa feminina e Chile no skeet feminino.

O Brasil ficou muito perto da vaga na pistola de fogo rápido 25m, onde Emerson Duarte foi prata, e na pistola de ar 10m masculina, onde Philipe Severo foi bronze.

Rifle de ar 10m masculino: CHN, CRO (2), JPN, RUS, USA
Rifle 3 posições 50m masculino: CHN, JPN, NOR, POL, USA (2)
Pistola de ar 10m masculina: JPN, KOR (2), RUS, UKR, USA
Pistola de fogo rápido 25m masculina: CHN (2), CUB, FRA, JPN, RUS
Fossa masculina: AUS, ESP, JPN, KUW, MEX, PER, SVK
Skeet masculino: FRA, ITA, JPN, NOR, USA (2)
Rifle de ar 10m feminino: IND (2), JPN, KOR (2), USA
Rifle 3 posições 50m feminino: CRO, GBR, GER, JPN, RUS, USA
Pistola de ar 10m feminina: CAN, CHN, GRE, JPN, KOR, SRB
Pistola 25m feminina: GER, JPN, TPE, RUS, UKR, USA
Fossa feminina: AUS, CHN, GUA, ITA, JPN, SVK, USA
Skeet feminino: CHI, JPN, SVK, RUS, USA (2)

Quotas

750 vagas já estão definidas e 49 países já estão classificados.

Entraram para a lista 4 novos países por conta das vagas no tiro: Chile, Cuba, Guatemala e México.

As equipes com pelo menos 10 vagas são:

Japão – 390
Estados Unidos – 53
Rússia – 26
China – 25
Brasil – 23
Grã-Bretanha – 22
Austrália – 18
Itália – 16
Alemanha – 15
França – 15
Nova Zelândia – 13
Holanda – 12
Espanha – 10
Suécia – 10

Teremos ainda este ano mais 3 competições classificatórias para Tóquio-2020: Copa das Nações Feminina da Oceania, que termina em 1º de dezembro, e os campeonato femininos de handebol da Europa e da África, que acabam no meio de dezembro.