Troféu Brasil – Dia 1

7 finais no primeiro dia e alguns recordes quebrados!

Pista

9291

Final dos 100m feminina

Rosângela Santos venceu os 100m feminino com bons 11.20 (0,0m/s) e finalmente conseguindo o índice para disputar o Mundial. Vitória Cristina Rosa ficou em 2º lugar com 11.24, também fazendo o índice na prova. Ana Cláudia Lemos foi 3ª com 11.35. Na prova masculina, vitória de Paulo André de Oliveira, com 10.18 (+0,5m/s), novo recorde sul-americano Sub20! Nas semifinais ele já havia igualado o recorde, com 10.20. Bruno Lins foi o 2º com 10.22 e Felipe Bardi dos Santos o 3º com 10.27.

Nos 10.000m, Tatiele de Carvalho venceu no feminino com 33:48.50. Num primeiro momento o placar deu 31min baixos, o que seria uma marca excepcional. Mas enganou todo mundo. No masculino, Daniel do Nascimento segue voando e venceu com 29:13.34, novo recorde sul-americano Sub20! Geração muito boa vindo por aí.

Campo

9292

Mariana Marcelino

O finalista olímpico Wagner Domingos foi o 1º campeão do Troféu, ao vencer o lançamento de martelo com 73,82m, ainda longe dos 77m que já fez este ano. Em 2º bem perto ficou Allan Wolski, com bons 73,31m. Na final feminina, Mariana Marcelino fez 67,02m na sua 1ª tentativa, estabelecendo o novo recorde brasileiro da prova, que era de 66,64m dela mesma.

Numa final fraca do salto com vara (saudades Murer), Patrícia Gabriela dos Santos e Juliana Campos (18 anos) fizeram prova idêntica e empataram no ouro com 4,10m. Veterana Joana Costa, também com 4,10m, foi bronze. Alex parecido Soares lidera o 1º dia do decatlo com 4,193 pontos.

Troféu Brasil de Atletismo – Dia 3

Num dia onde poucos resultados expressivos eram esperados, com várias provas em que o Brasil não tem grandes nomes, acabou vindo o primeiro índice olímpico masculino de provas de pista/campo.

Pista

Éder Souza. Foto: Wagner Carmo/CBAt

E o índice foi na semifinal dos 110m com barreiras, cuja final será no domingo. Éder Souza venceu a segunda bateria com 13.46 (vento de +1,4) e baixo dos 13.50 necessários para conseguir vaga para o Rio-2016! O Brasil já chegou a ter 4 atletas com índice olímpico, mas vem enfrentando uma fase ruim na prova.

Caio Bonfim no pelotão durante prova da marcha de 20km. Foto: Wagner Carmo/CBAt

Pela manhã, as marchas de 20km, onde venceram os favoritos. Caio Bonfim confirmou o favoritismo com 1:24:53, mais de 3min acima do seu melhor tempo no ano. Érica Sena levou no feminino com 1:37:10.

Tatiele de Carvalho venceu sua segunda prova no Troféu, levando os 5.000m com 16:02.41. Nos 3.000m com obstáculos masculino, vitória do Jean Carlos Machado com 8:54.17.

Nas eliminatórias dos 200m, Ana Cláudia Lemos fez ótimos 22.84, mas com vento bem acima do permitido, de 3,1m/s (o máximo para validar resultados é 2,0). Bruno Lins fez 20.50, que também seria índice olímpico, mas o vento também foi acima, com 3,7m/s.

Campo

No decatlo (que não é exatamente uma prova de campo apenas), boa performance do Luiz Alberto de Araújo. Ele venceu com 8.034 pontos, perto do índice olímpico de 8.100. Ele não bateu nenhum recorde pessoal na competição e ficou longe do seu PB de 8.276. Quem sabe o índice pro mundial vem no SulAm ou no Pan.

Fernando Ferreira conquistou o bi no salto em altura com 2,25m. Ele tentou o índice pro mundial de 2.28m mas não conseguiu. Talles Silva, que vai pro mundial, decepcionou com 2,15m. No salto em altura feminino, uma das provas mais fracas do Brasil, Ana Paula de Oliveira, de 19 anos, venceu com 1,82m, marca bem fraca.

Ronald Julião completou uma sequencia impressionante de 11 títulos seguidos no Troféu Brasil no disco. Ele venceu com 61,55m, bem longe do índice de 66m. Felipe Lorenzon vem chegando e ficou em 2º com 59,76m.

No dardo feminino, Jucilene de Lima venceu pela 4ª vez o título nacional com 60,54m. O índice é 62m, marca que ela já superou ano passado. Precisa superar novamente.

O Troféu Brasil promete ótimas performances neste domingo, com o encerramento com as 15 finais restantes.