Resumo olímpico da semana

Tênis

Duas finais para brasileiros na semana nos circuitos mundiais. Em Houston, Thomaz Bellucci perdeu na final para o americano Steve Johnson por 64 46 76(5). Bellucci teve boas chances de vencer e não conseguiu aproveitar, mesmo quando o adversário se arrastava com câimbras. Foi a 8ª final do brasileiro no circuito, que tem 4 vitórias e 4 derrotas. Se o brasileiro vencesse no 3º set, ele seria o 1º desde 2004 a vencer um título do circuito tendo vencido todos os jogos do torneio por 2 sets a 1.

880x400_noticia_58f2a8fc22704_15-04-2017_20-13-00

No WTA de Bogotá, onde as brasileiras tem se saído bem ultimamente, Beatriz Haddad Maia ficou com o título do torneio de duplas ao lado da argentina Nadia Podoroska. Elas venceram por 63 76(4) a paraguaia Veronica Cepede Royg e a polonesa Magda Linette. Foi o 2º título da carreira da Bia no circuito WTA, repetindo o feito de Bogotá em 2015.

Ciclismo Estrada

podiobra

Os ciclistas brasileiros da Soul Brasil Pro Cycling Team dominaram o pódio da Volta do Uruguai, válida pelo Tour Americano da UCI. Após 10 etapas, Magno Nazaret ficou com o título geral com o tempo de 31h09m09s, seguido de Murillo Affonso a 2min36s e de Flávio Cardoso Santos, a 2min43s.

No feminino, Flávia Oliveira, que compete pela equipe belga Lares-Waowdeals, ficou em 17º lugar na Amstel Gold Race, na Holanda neste domingo, a 1min51s da campeã, a holandesa Anna van der Breggen, com 3:15:57. Flávia ganhou 8 pontos pro ranking mundial e foi a melhor de sua equipe na prova.

Atletismo

Em Taicang, na China, Caio Bonfim venceu a etapa do circuito mundial de marcha. 4º no Rio-2016, Caio completou os 20km em 1:22:16, 3s pior que sua melhor marca do ano estabelecida no início do mês em Portugal. Caio contou com as ausências dos principais nomes chineses da prova, como o campeão olímpico Wang Zhen e o vice Cai Zelin e o campeão olímpico em Londres Chen Ding. Ao mesmo tempo foi disputado o Grand Prix Nacional, vencido por Wang Rui com 1:21:58, mas ele não estava inscrito na prova internacional.

No feminino, Érica de Sena ficou em 4º com 1:31:31, atrás de 3 chinesas, incluindo Xiuzhi Lu, bronze no Rio e vencedora desta prova com 1:31:01.

Nos EUA, Darlan Romani venceu prova de arremesso de peso em Clermont, na Flórida, com 19,79m. No mesmo evento, Cleverson Oliveira foi ouro no lançamento de disco com 55,59m. Paulo André de Oliveira foi 2º colocado no 100m com 10.08, mas com um vento (quase um furacão) de 5,5m/s.

Outros Esportes

– Em tomada de tempo no Clube Pinheiros, destaques para 49.53 nos 100m livre de Gabriel Santos, 27.53 nos 50m peito de Felipe França, 23.01 de Nicholas Santos nos 50m borboleta (a 0.25 do recorde sul-americano), César Cielo com 22.04 nos 50m livre. O tempo nem é tão bom, mas finalmente uma brasileira volta a baixar dos 2:30 nos 200m peito! Pamela Souza fez 2:29.73.

– Ex-número 1 do mundo Vinicius Figueira foi 7º na Premier League de Karatê em Rabat, Marrocos. Nos 67kg, ele venceu 3 marroquinos, perdendo para egípcio nas 4as. Ele foi pra repescagem, mas perdeu para tunisiano.Já a vice mundial Valéria Kumizaki caiu logo na estreia dos 55kg para turca.

– Na 3ª etapa do circuito mundial feminino de surfe, Silvana Lima ficou em 9º lugar no Rip Curl Pro, na Austrália. Ela está em 14º no geral após 3 das 10 etapas.

Anúncios

Resumo olímpico da semana

Natação

17425842_10212791494328188_3341800006013130076_n

Guilherme Costa

Fim de semana de ótimos resultados em torneio regionais. Pra começar, um inesperado novo recorde sul-americano nos 1.500m livre masculino em Santos! Guilherme Costa, de 18 anos, venceu a prova mais longa da natação com 15:05.23, baixando a marca sul-americana adulta em mais de 3s! O recorde anterior era do equatoriano Esteban Enderica, com 15:08.57, de 2015. Na parcial dos 800m, Guilherme fez 8:01.41. Após 6 anos, o Brasil volta a ser dono da marca continental dos 1.500m.

Em São Paulo, no Clube Pinheiros, César Cielo voltou a nadar os 100m livre, fazendo 49.46, e venceu os 50m livre com 22.28. Competindo em Auburn, EUA, Bruno Fratus fez 22.02 nos 50m livre e 49.16 nos 100m livre. Marcelo Chierighini fez 22.64 e 49.32 nas mesmas provas e Felipe Lima brilhou com o 4º tempo do mundo nos 100m peito com 1:00.03 (melhor que sua melhor marca de 2016) e 4º tempo do ano nos 50m peito com 27.40.

Judô

No Grand Prix de Tbilisi, na Geórgia, a equipe brasileira ficou em 1º lugar no quadro de medalhas, com 3 ouros, 3 pratas e 4 bronzes.

cgs_2131_134012310317

Mais uma vez, um dos destaques foi Stefannie Koyama, no 48kg. A novidade da equipe deste ano ficou com o ouro, seu 2º no ano no circuito mundial. Victor Penalber assegurou o título dos 81kg após levar um ippon do russo Alan Khubetsov. Mas na hora de projetar o brasileiro, o russo fez uma catada de perna ilegal, levou o 3º shido e foi desclassificado. Maria Portela (70kg) levou o 3º ouro brasileiro na competição.

A campeã olímpica Rafaela Silva perdeu na decisão dos 57kg, assim como Erika Miranda (52kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg). Os bronzes vieram com Phelipe Pelim (60kg), Charles Chibana (66kg), Rafael Buzacarini (100kg) e David Moura (+100kg).

O próximo compromisso da seleção brasileira será o Campeonato Pan-Americano no final de abril no Panamá.

Mountain Bike

No Pan da modalidade na Colômbia, dois brasileiros subiram ao pódio na prova masculina, neste domingo. Henrique Avancini repetiu a prata do último Pan ao completar o percurso em 1:16:34, 33s atrás do argentino Catriel Soto, prata nos Jogos Pan-Americanos de 2015. Avancini foi campeão da prova em 2015. Principal nome da nova geração, Luiz Cocuzzi ficou com o bronze, cruzando a linha de chegada 21s após Avancini. Os canadenses foram a principal ausência deste Pan.

No feminino, Raiza Goulão terminou na 5ª posição com o tempo de 1:21:13. A vitória foi da americana Erin Huck com 1:18:31. João Gabriel de Almeida foi prata na prova Sub23.

Badminton

Em mais uma semana jogando na Europa, Ygor Coelho ficou com o bronze no Torneio Internacional de Orléans, na França. O brasileiro venceu 3 partidas até chegar na semifinal. Ele passou com 21-14 13-21 21-13 por alemão, 15-21 21-8 21-17 em finlandês e 12-21 21-13 21-15 por atleta de Taiwan. Na semifinal, Ygor começou bem contra o francês Lucas Corvee, mas acabou levando a virada. Sentindo-se mito mal no final do 3º set, Ygor perdeu por 15-21 21-9 21-12.

O brasileiro segue na Europa por mais 10 dias, treinando com a equipe francesa e seu técnico, o grande dinamarquês Peter Gade. Depois retorna às Américas onde joga no fim do mês no Peru e depois no Pan em Havana.

Outros Esportes

– No GP de Marcha de Rio Maior, em Portugal, Caio Bonfim terminou na 7ª posição nos 20km com 1:22:13, obtendo o índice pro Mundial de Londres. Em São Bernardo, Geisa Arcanjo venceu o arremesso de peso com 17,98m, ratificando o índice.

– Dois brasileiros disputaram o tradicional Tour de Flandres de ciclismo, válida pelo UCI World Tour. Na prova feminina, Flávia Oliveira terminou em 65º a 5min32s da campeã, a americana Croryn Rivera. No masculino, Rafael Andriato cruzou em 113º a 11min31s do campeão, o belga Philippe Gilbert.

joao_cbh_550_01

João Victor Oliva

João Victor Oliva faz boas apresentações na final da Copa do Mundo de Hipismo, em Omaha. No Grand Prix, ele tirou 68,214%, ficando em 13º entre 15 conjuntos. No sábado, no GP Freestyle a som de ritmos brasileiros, montando Xamã dos Pinhais, ele tirou 70,321%, ficando em 14º. O mito alemão Isabell Werth venceu com Weihegold OLD com 90,704%.

– Apesar de contar com dois atletas bem fortes na Premier League de Dubai de karatê, a equipe brasileira saiu sem medalhas em mais um torneio ruim. Prata no último mundial, Valéria Kumizaki venceu russa por 8-0 mas perdeu na luta seguinte para indonésia por 2-0 nos 55kg.Vinícius Figueira passou por 1-0 por croata e por atleta de Hong Kong para perder nas 8as por 3-2 para russo

– Na 2ª etapa do circuito mundial de surfe, dois brasileiros estão nas 4as no masculino e se enfrentam por vaga na semifinal em Margaret River, Austrália: Adriano de Souza e Filipe Toledo. O campeonato segue por essa semana ainda. Gabriel Medina parou na 2ª rodada. No feminino, Silvana Lima também ficou na 2ª rodada, em 13º lugar.

Primeiro título mundial do novo ciclo

Na semana passada o Brasil conquistou seu 1º título mundial do novo ciclo olímpico. E a vitória veio em um dos esportes que fará sua estreia em Tóquio-2020.

dsc06514-2

Weslley Dantas

No Mundial Juvenil de Surfe, nos Açores, em Portugal, Weslley Dantas se sagrou campeão na categoria masculina Sub-18. Na final, tirou 13,34 e venceu o peruano Alonso Correa por muito pouco. Correa fez 13,00 pontos. Bronze para o francês Colin Doyez com 8,40 e 4º lugar pro australiano Harley Ross com 7,74.

O Brasil é o maior campeão nesta categoria. Em 14 mundiais juvenis, 7 brasileiros venceram o título, incluindo Gabriel Medina em 2010. Depois do Medina ainda tivemos Matheus Navarro em 2012 e Luan Wood em 2014.

Nas outras categorias, os melhores brasileiros caíram na rodada anterior à semifinal: Victor Ferreira no Sub-16 masculino, Carol Boneli no Sub-16 feminino, Karol Ribeiro no Sub-18 feminino. Por equipes, o Brasil ficou na 6ª posição, enquanto o ouro foi pra França. 39 países disputaram o Mundial, um recorde.

Ainda não se sabe como será a disputa em Tóquio, nem onde será, mas o Brasil chegará como um dos favoritos no masculino, com certeza. Acho que o nível olímpico não será muito alto, já que poucos países estão em um nível competitivo de surfe. Na Liga Mundial, apenas Brasil, EUA (incluindo aí o Havaí), Austrália, Japão, África do Sul, França, Itália e Taiti (que não disputa Jogos Olímpicos) tem surfistas entre os 40 primeiros.

 

Rio-2016 – Dia -2

E começou!! Ainda de maneira modesta, mas começaram os Jogos Olímpicos Rio-2016!

Foi meu primeiro dia de trabalho como voluntário no Sambódromo para o tiro com arco, tivemos 6 jogos do futebol feminino e uma definição histórica com a inclusão de 5 novos espores para Tóquio-2020.

Eu no Rio-2016

IMG_1045

Foto: arquivo pessoal

Foi meu primeiro dia de voluntário no Sambódromo. Já fiquei lá em setembro do ano passado no evento-teste e relatei tudo aqui no blog. Agora a coisa é pra valer. Mas foi um dia relativamente tranquilo, pois os atletas apenas treinaram. Há dois campos no Sambódromo, um de treino e onde será a rodada de ranqueamento na sexta-feira, quando todos atirarão juntos para justamente ranqueá-los para formar as chaves de combate e o campo de combate, onde serão apenas 2 alvos e onde o público assistirá as competições.

IMG_1047

Foto: arquivo pessoal

Como é treino, a maioria fica no campo grande e eles vão de 8 em 8 para o campo menor conforme uma programação pré-definida. Sem público e apenas com a presença de atletas e equipes, voluntários e imprensa, o dia passou sem grandes surpresas e apenas pequenos problemas para serem resolvidos. A maioria ficou no control de acessos ou então ajudando na realocação de alvos e cavaletes.

Adicionei 5 novos pins à minha coleção e espero muitos outros, além de, quem sabe, trocar outras coisas como uma camiseta ou uma jaqueta com algum atleta. Afinal, os Jogos são conhecidos pelas trocas de objetos. Quem for assistir a algo no Rio, recomendo levar algo para ser trocado com pessoas de outros países. Isos faz parte do cerne dos Jogos.

Futebol Feminino

Embed from Getty Images

Como tem ocorrido nas últimas edições, o futebol feminino abre as disputas na quarta-feira antes da Cerimônia de Abertura. Tudo começou às 13:00 no Engenhão, pelo Grupo E, com Suécia 1-0 África do Sul, com gol de Nilla Fischer aos 31min do 2º tempo, o 1º dos Jogos. Logo depois, tivemos a estreia da seleção brasileira, que jogou bem e convenceu com uma ótima estreia, com 3-0 sobre a China. Gols de Monica, Andressa e Cristiane, que se tornou a maior artilheira da história dos Jogos Olímpicos.

São Paulo recebeu os jogos do Grupo F no Itaquerão, com Canadá 2-0 Austrália e Alemanha goleando por 6-1 o frágil Zimbábue. No Mineirão, em BH, EUA venceu a Nova Zelândia por 2-0 e a França derrotou a Colômbia por 4-0.

Sessão do COI

A 129ª Sessão do COI no Rio definiu a inclusão de 5 novos esportes ao Jogos de Tóquio-2020! Já era esperada a inclusão de baseball/softball, por conta da pressão japonesa. O caratê também entrou nos Jogos. o esporte tem crescido bastante e o circuito mundial cresce a cada ano, mas não agregará tanto aos Jogos, que já tem judô e taekwondo.

Embed from Getty Images

Skate e surfe entram no programa olímpico também. Na sua busca incessante pelo apoio dos jovens, o COI incluiu os dois. O surfe tem um circuito grande e forte, mas são poucos países que competem em alto nível. O problema seria com o local de competição, pois muitos países não te praias boas com ondas para a prática de surfe, mas um sistema de ondas artificiais poderia ser feito, assim como ocorre com a canoagem slalom.

Agora a surpresa foi a inclusão da escalada. Pouco conhecida, não tem um grande circuito famoso e não está em quase nenhum evento multiesportivo continental. Vamos ver o que nos aguarda, pois confesso que não sei nada dessa modalidade. Mas a ideia é que a escalada e o skate estejam em locais público, abertos, para chamar muito público e, de preferência, bem jovem. O número de vagas é idêntico para homens e mulheres, com exceção do baseball e softball, que terão a mesma quantidade de equipes, mas com tamanhos diferentes de equipes. Serão 18 novos eventos: baseball masculino, softball feminino, 8 categorias no caratê, 2 no surfe, 2 na escalada e 4 no skate.

Pro Brasil foi interessante, pois teríamos boas chances no surfe, na skate e no caratê. Lembrando que o Brasil levou 3 ouros no caratê no Pan e quase sempre vence um ouro nos mundiais.

Resta agora esperar para saber se haverá exclusão de esportes. O golfe já é um dos cotados, por conta das desistências.