Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 2

Ouro no taekwondo, em dia com algumas decepções e um pouco de azar.

Taekwondo

Edival Pontes. Foto: Jonne Roriz/COB

Campeão olímpico da juventude em 2014, Edival Pontes estreou direto nas 4as na categoria 68kg, passando com tranquilidade pelo costarriquenho Juan Soto por 30-17. Na semifinal, derrotou o chileno Ignacio Morales por 18-7, garantindo mais uma final pro Brasil, repetindo sua namorada Talisca Reis, prata no dia anterior. Na decisão, ele pegou o dominicano Bernardo Pie, irmão do Luisito Pie, bronze no Rio-2016. A luta começou travada, com punições pro dominicano e Edival tinha 2-1 no 1º round. No 2º, Pie começou a encaixar os golpes e abriu 11-5. No 3º round, Edival soube se manter calmo e ir atacando aos poucos, encaixando dois chutes na cabeça até virar e vencer por 17-14! Primeiro ouro brasileiro no taekwondo desde Diogo Silva no Rio-2007!

Ginástica Artística

Pódio da Ginástica. Foto: Reprodução/Sportv

Que final incrível por equipes no masculino! O Brasil competiu na 1ª subdivisão muito bem, com a exceção do cavalo com alças, que quase nos derrubou. Começamos nas paralelas com 43,150, destaque pro excelente 14,850 do Caio Souza, 1º na quali do aparelho. Aí fomos pra barra fixa, com 42,300, sendo as 3 melhores notas do aparelho de brasileiros, com 14,400 do Arthur Nory e 14,050 do Francisco Barretto. Aí no solo, um 40,850 razoáveis. Aí veio o cavalo com alças. Caio caiu, Nory fez uma apresentação muito suja e apenas o Chico nos salvou com 13,950. Nas argolas, Arthur Zanetti brilhou com 15,000. somando 42,050 e no salto fechamos com 43,350 para somar 250,450, bem a frente do Canadá com 246,725, que também se apresentou nesse grupo.

Na 2ª subdivisão, a tensão veio com as apresentações dos americanos. Eles começaram no salto, depois foram para as paralelas e para a barra fixa, sempre com somas inferiores às do Brasil. No solo, foram melhores e diminuíram a diferença. Mas no cavalo, deram show com 42,550 e nos passaram na soma desses 5 aparelhos. Aí foram para as argolas onde não foram bem e ficaram atrás, somando 249,400! 2º ouro do Brasil na história na equipe masculina, repetindo Guadalajara-2011.

Brasileiros pegaram 12 finais ainda. Nory está no individual geral com a 2ª somatória, e ainda estará no solo, nas paralelas e na barra fixa, também com a 1ª nota. Arthur Zanetti vai disputar as argolas e o solo, Francisco Barretto no cavalo com alças e na barra fixa, Caio Souza no individual geral, nas barras paralelas com a melhor nota e nas argolas, e Luis Port no salto.

Mountain Bike

Henrique Avancini chegou em Lima como grande favorito. Número 3 do mundo e vindo de dois bronzes na Copa do Mundo, ele teve problemas técnicos com sua bicicleta e acabou com a prata. No último terço da prova, o pneu traseiro do brasileiro furou e ele acabou perdendo quase 2min pro mexicano José Ulloa, que ficou com o ouro com 1:25:03 contra 1:27:08 do Avancini. O chileno Martín Vidaurre foi bronze com 1:27:31.

Jaqueline Mourão. Foto: Jonne Roriz/COB

Antes da prova masculina, tivemos a feminina com a nossa veteraníssima Jaqueline Mourão, com 43 anos e que esteve em 6 Olimpíadas, sendo 4 de inverno. Numa bela prova, que assim como a masculina não teve americanos nem canadenses, a brasileira conseguiu uma inédita medalha de bronze com 1:31:12, atrás da mexicana Daniela Campuzano 1:30:45 e da argentina Sofia Gomez 1:31:06.

Rugby

Foi um dia duro pro rugby brasileiro. De manhã, derrotas nas semifinais esperadas. As mulheres jogaram muito bem, mas perderam para os Estados Unidos por 33-19. Conseguimos fazer 3 tries nas americanas, que não tinham levado nenhum ponto até então. Já os homens, perderam de 35-5 pro Canadá e as duas equipes foram pra disputa do bronze.

As Yaras enfrentaram a Colômbia, de quem nunca haviam perdido. Tinham a vantagem, mas levaram um empate em 24-24 e a partida foi pra prorrogação com ponto de ouro. E a Colômbia marcou um try. Derrota histórica pra Brasil, que nunca havia perdido para uma seleção sul-americana. Já os Tupis pegaram os EUA na disputa da medalha. Brasil começou bem, com 14-7 no 1º tempo. Mas deu uma bobeada no 2º e a partida acabou empatada em 19-19. Na prorrogação, os americanos erraram um chute pro facílimo, depois erraram um passe tranquilo pro try. Só que o Brasil perdeu a posse de bola e numa enorme bobeada brasileiro, os americanos fizera o try. Foi duro.

Tiro

Outro resultado ruim foi na pistola de ar 10m masculina. Veio um bronze com o Julio Almeida, mas ele perdeu a vaga olímpica no último tiro! Só restavam ele, um cubano e um americano na final e Julio estava na liderança com 198,9 contra 198,3 do cubano e 197,9 do americano. E o Julio mandou dois 9,2… Acabou em 3º, sem vaga olímpica. A última chance dele é na etapa da Copa do Mundo do Rio de Janeiro, em agosto, que dará mais 2 vagas, mas teremos o mundo todo buscando vaga.

Outros Esportes

Depois de decepcionar no Mundial, a equipe masculina do Basquete 3×3 perdeu neste domingo 22-20 pra Venezuela e 21-18 para Port Rico, mas venceu na última partida 21-16 a Argentina e se classificou em 2º lugar para as semifinais, onde enfrentarão os Estados Unidos. No feminino, o Brasil perdeu de 16-12 pra Argentina, mas venceu na última partida 20-16 o Uruguai e avançou pra semifinal em 4º, e também pegam os Estados Unidos na semifinal.

No vôlei de praia, Carol Horta/Ângela venceram nas 4as 21-17, 21-13 as colombiana Ayala/Riose vão enfrentar a dupla americana na semifinal. Já no masculino, Oscar/Thiago foram derrotados nas 4as por 27-25, 22-20 para os mexicanos Virgen/Ontiveros e estão eliminados.

No boxe, mais duas vitórias em semifinais, garantindo mais 2 medalhas. Abner da Silva venceu dominicano nos 91kg e Flávia Figueiredo dominou atleta da Nicarágua nos 75kg e também está na semi.

Os conjuntos brasileiros não tirara grandes notas na prova de adestramento, com João Paulo dos Santos montando Carthago Comando SN melhor brasileiro em 10º com 69,029. Mas a boa notícia foi ver o Brasil em 3º por equipes com 204,473 atrás apenas de Estados Unidos (219,970) e Canadá (219,824), a frente do México com 202,246. Brasil busca uma das duas vagas olímpicas por equipe, sendo que os americanos já tem uma.

No levantamento de peso, nenhum brasileiro neste domingo, mas foram 2 ouros pra Venezuela e 2 para a Colômbia, destaque para Brayan Rodallegas, vencendo a categoria 81kg com 363kg no total, a apenas 12kg do recorde mundial.

Com dois ouros no dia no squash, nas duplas femininas e nas duplas masculinas, um no taekwondo e um no rifle 50m 3 posições feminino, os Estados Unidos finalmente assumiram o topo do quadro de medalhas, desbancando o México, que faz um excelente Pan!

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
TOTAL 4 4 5 13

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Triatlo 1 2 0 3
Taekwondo 1 1 1 3
Ginástica Artística 1 0 1 2
Patinação Artística 1 0 1 2
Ciclismo 0 1 1 2
Tiro 0 0 1 1
TOTAL 4 4 5 13

Rugby brasileiro de volta à elite

O grande destaque do final de semana (embora tenha ocorrido na sexta-feira), foi o título da seleção feminina de Rugby 7s no Hong Kong Sevens!

Este tradicional torneio é disputado pelas melhores equipes do mundo que não estão na Série Mundial e dá vaga ao campeão para a Série Mundial da temporada seguinte.

O Brasil venceu seus 3 jogos na 1ª fase com certa dificuldade: 14-12 na Polônia. 14-12 no Cazaquistão e 26-24 na Argentina.

Nas 4as, pegou novamente o Cazaquistão, vencendo por tranquilos 21-5. Depois passou na semi pela boa equipe do Quênia por 17-5 e, na decisão, venceu por ótimos 28-19 a Escócia. Este foi o 1º título do Brasil em uma competição internacional fora da América do Sul!

Com a vitória, o Brasil voltará a disputar a Série Mundial como um core team, se juntando às grandes potências. Isso dará mais uma ótima rodagem pra equipe brasileira, que jogará ainda como convidada na etapa canadense da Série Mundial 2018-19 em maio. Além disso, a próxima temporada terá 8 torneios, 2 a mais que a atual.

Resumo olímpico da semana

Tênis

TENNIS-DAVIS-DOM-BRA

João Pedro Sorgi

Com equipe desfalcada, o Brasil sofreu para vencer a República Dominicana no Zonal Americano por 3-2.  Começando com João Pedro Sorgi, o Brasil perdeu o 1º jogo por 62 46 76(3) para José Hernandez-Fernandez. Na 2ª partida Thiago Monteiro sofreu para vencer Roberto Cid Subervi, 468º do ranking da ATP, por 67(6) 75 62. Nas duplas, Marcelo Melo e Marcelo Demoliner passaram com 63 64 sobre Nick Hardt e José Olivares. Nos jogos reversos de simples, Thiago perdeu 64 76(4) para Hernandez-Fernandez e o confronto chegou a 2-2.

No jogo decisivo, Sorgi, que é hoje o 364º do mundo obteve a vitória mais importante da carreira com 67(8) 61 64 sobre Cid Subervi e o Brasil venceu, marcando encontro com a Colômbia em abril, fora de casa.

Atletismo

Thiago Braz disputou na cidade alemã de Karlsruhe a 1ª etapa do novo circuito indoor da IAAF, mas queimou as 3 tentativa em 5,45m, terminando sem marca válida. A vitória foi do alemão Raphael Holzdeppe, com 5,88m.

Em Torneio Indoor em São Caetano do Sul, Talles Silva foi o destaque ao bater o recorde brasileiro indoor do salto em altura com 2,26m. Darlan Romani fez 21,06m no arremesso de peso e confirmou o índice pro Mundial Indoor. Já Vitor Hugo dos Santos fez 6.67 nos 60m e ficou a 0.04 do índice.

Gilberto Silvestre Lopes e Jenifer do Nascimento Silva venceram a Copa Brasil de Cross-Country, em Bragança Paulista e foram convocados para o Campeonato Pan-Americano, que será na outra semana em El Salvador. Também foram convocados os vices Valério de Souza Fabiano e Maria Aparecida Ferraz e os campeões da prova Sub-20 Francisco Perrout Lima e Raquel de Carvalho Xavier.

Tiro

n1542_002

Felipe Wu (centro). Reprodução

Felipe Wu disputou 3 provas da pistola de ar 10m no torneio Intershoot, na Holanda, saindo com 2 medalhas. No 1º dia ficou com o ouro após 576 na quali e 242,2 na final contra 239,8 do japonês Matsuda Tomoyuki. No 2º dia, fez os mesmo 576 pontos na quali, mas na final acabou em 5º após alguns tiros ruins. No 3º dia de prova, foi o 2º melhor na quali com 586 e na decisão perdeu pro veterano português João Costa por 241,7 a 241,4.

Esgrima

Atual 5º do ranking mundial juvenil na espada, Alexandre Camargo perdeu na 4ª rodada da Copa do Mundo juvenil em Sabac, na Sérvia e terminou na 28ª posição. Depois de passar pela fase de poules, ele foi bye na 1ª rodada, venceu belga por 15-9, norueguês por 15-8 até perder por 15-14 para francês Arthur Philippe. Por equipes, o Brasil fez uma boa campanha. Venceu na estreia 45-43 a Ucrânia e perdeu nas 8as 45-36 pra Hungria. Nos combates classificatórios venceu 42-40 a Romênia e 45-33 a Espanha, perdendo na disputa do 9º lugar 45-33 pra Suíça. Um bom 10º lugar.

Ana Beatriz Bulcão disputou a Copa do Mundo adulta de florete feminino em Alger, na Argélia, perdeu na 1ª rodada preliminar de 15-7 para australiana e terminou em 101º lugar.

Outros Esportes:

Raphaela Galacho foi prata no US Open de taekwondo, em Las Vegas. Cabeça 1, ela venceu 3 americanas e pegou mais uma na decisão, que precisou abandonar por conta de uma lesão para a americana Madelynn Gorman-Shore. Os brasileiros ganharam mais duas medalhas na categoria Jr e 3 no parataekwondo.

img-20180204-wa0005

Garipov no pódio em Zagreb. Foto: CBW

Marat Garipov, cazaque naturalizado brasileiro, foi medalha de prata no Grand Prix de Zagreb de luta greco-romana. Ele venceu duas lutas e perdeu na decisão pro turco Dogus Ayaczi por 8-0.

Ane Marcelle Santos e Lugui Cruz venceram a seletiva de tiro com arco para as etapas de Antalya (TUR) e Salt Lake City (USA) da Copa do Mundo. Eles foram os únicos a atingirem os índices no round duplo-70m nas duas tentativas. Ane Marcelle fez 648 no domingo (índice era 629) e Lugui fez 651 também no domingo (índice 650).

Adilson da Silva não passou pelo corte do Maybank Championship, na Malásia, válido pelo Tour Europeu e Asiático de golfe.

– A seleção de Rugby XV do Brasil derrotou por 16-14 o Chile na abertura do Campeonato das Américas, jogando fora de casa. Com a vitória, o Brasil subiu para 25º lugar no ranking mundial masculino, sua melhor colocação da história.

Resumo olímpico da semana

Handebol

not_grd_0000032741

Sem adversários de mesmo nível, a seleção feminina conquistou o Torneio Quatro Nações em São Bernardo. Arrasou por 40-13 o Chile e por 36-9 a República Dominicana e derrotou Portugal por 35-29.

O Brasil enfrentou 3 equipes bem fracas na preparação para o Pan, que começa no próximo domingo na Argentina e dará 3 vagas para o Mundial em dezembro na Alemanha. Na primeira fase, o Brasil pega EUA, Colômbia, Paraguai e Porto Rico.

Luta

img-20170609-wa0046

Joilson Santos Jr no topo do pódio

A equipe brasileira juvenil conquistou 8 medalhas no Pan da categoria em Lima. Apesar da greco-romana ser o pior estilo do Brasil no adulto, foram 4 medalhas na competição juvenil. O único ouro do país em Lima veio com Joilson Ramos Jr, que venceu a categoria 66kg e se tornou bicampeão continental. Ele venceu suas 3 lutas com muita tranquilidade e superioridade. Rafael Crystêllo Filho foi prata nos 120kg, Erivan Rocha nos 55kg foi bronze e Douglas Rocha nos 96kg também foi bronze.

Na luta feminina, Shayenne Silva foi prata nos 48kg ao perder para peruana por 19-17 (!!). Fabiana Alcantara nos 63kg e Thais Oliveira nos 72kg foram bronze. Na luta livre, apenas um bronze, com Daniel Nascimento nos 55kg.

Vôlei

Na 2ª semana da Liga Mundial, o Brasil foi para a Bulgária e, assim como na 1ª, venceu duas partidas e perdeu uma.

Na sexta, venceu o Canadá por 3-1 (23-25, 25-20, 25-22, 25-23). No sábado, fez 3-1 na campeã mundial Polônia (25-21 ,25-20, 17-25, 25-19) e no domingo não foi páreo para a Bulgária, que venceu por 3-1 (25-22, 25-19, 23-25, 25-19).

Após 6 jogos, o Brasil está em 3º no Grupo 1 com 4V e 2D atrás da França, que está invicta com 6 vitórias, e Sérvia, que tem 5.

Outros Esportes

– Participação bem modesta dos brasileiros no Pan de pentatlo moderno, em Santo Domigno. No masculino, William Muinhos foi 8º com 1.399 pontos (52s atrás do campeão) e Gabriel Sasaqui foi 21º com 1.297 entre 41 atletas. No feminino, Priscila Oliveira terminou em 10º com 1,264 (85s atrás da campeã) e Bianca Cavalcanti foi 18ª com 1.189 entre 28 atletas.

Bia Haddad Maia segue embalada e chegou às semifinais do Bol Open, torneio da WTA de US$ 125.000 na Croácia. Bia venceu na 2ª rodada a sueca cabeça 1 Johanna Larsson por 76(3) 61 e nas quartas derrotou a italiana Sara Errani por 61 64, até perder na semifinal para a sérvia Aleksandra Krunic de virda por 16 62 60. Com mais uma boa campanha, Bia atingiu seu melhor ranking da carreira , o 94º lugar

Alexandre Rocha ficou em 4º no Rust-Oleum Championship, em Illinois, com 281 tacadas, 7 acima do alemão campeão Stephan Jaeger. Alexandre somou 3,45333 pontos pro ranking e subiu quase 400 posições no ranking, para 858º.

Philip Greenlees venceu a seletiva brasileira para os Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires-2018, em Campinas. A FEI ainda precisa confirmar as vagas sul-americanas pros Jogos.

– Em amistoso de Rugby XV em São Paulo, Brasil vence Portugal com virada histórica. Com menos de 10min pro final da partida, os Tupis perdiam de 21-6, mas, com 3 tries seguidos, virou para 25-21

– Na Série Mundial de triatlo em Leeds (GBR), Danilo Pimentel foi 31º na prova masculina com 1:53:26, quase 7min atrás do campeão Alistair Brownlee.

Vela e tiro com arco tem seus posts próprios.

Resumo da semana olímpica

Tênis

23097999

Dois títulos brasileiros no circuito da ATP. no fortíssimo ATP500 de Acapulco, Bruno Soares e Jamie Murray venceram na decisão o americano John Isner e o espanhol Feliciano López por 63 63. Foi a 7ª final da dupla e o 4º título desde que começaram a atuar juntos, em janeiro de 2016. Bruno conquistou seu 24º título na carreira.

Já no ATP250 de São Paulo, o Brasil Open, André Sá e Rogério Dutra Silva venceram Marcelo Demoliner e o neozelandês Marcus Daniell por 76(5) 57 [10-7] para vencerem o título. Foi a 29ª final de Sá e o 11º título dele na carreira. Já Dutra Silva chegou ao seu 1º título no circuito.

Na Austrália, Bia Haddad Maia conquistou o título de simples e de duplas no torneio ITF $25,000 em Clare. Na final de simples venceu a checa Marketa Vondrousova por 62 62.

Atletismo

83 atletas disputaram em Bragança Paulista a Copa Brasil de Marcha Atlética. Em sua primeira competição desde os Jogos Olímpicos, Caio Bonfim confirmou o favoritismo ao vencer os 20km com o alto tempo de 1:30:05, bem a frente de Max Batista dos Santos com 1:33:46 e de Moacir Zimmermann com 1:37:04. Foi a 6ª vitória consecutiva do Caio na competição. Nos 50km, José Alessandro Bagio venceu com 4:17:55.

No feminino, título de Liliane Barbosa com altíssimos 1:57:37. Érica Sena não participou. E na estreia dos 50km feminino, vitória de Nair da Rosa, única das duas atletas concorrente a completar, com 5:13:48, diminuindo o recorde brasileiro da prova em 18 minutos.

Rugby

16903518_10155765205139298_5482369601791332046_o_large

Um resultado histórico para a seleção de rugby XV masculina. Na última rodada do Campeonato das Américas, o Brasil venceu em São Paulo pela 1ª vez na história a seleção do Canadá, num grande jogo por 24-23. Com isso, o Brasil encerrou a competição com 2 vitórias e 3 derrotas, ficando em 4º lugar.

Na 3ª etapa da Série Mundial de Rugby 7s feminino, o Brasil ficou em 11º lugar em Las Vegas. Na 1ª fase, sofreu 3 derrotas sem marcar um único ponto: 24-0 para a Nova Zelândia, 38-0 para a Austrália e 12-0 para a Inglaterra. Aí perdeu de 19-7 para a Espanha e venceu a Argentina por 41-0 na decisão do 11º lugar. Após 3 etapas, o Brasil está em 11º no geral com 7 pontos. A Nova Zelândia lidera com 56.

Esgrima

No Pan Juvenil e Cadete, em Havana, Cuba, a equipe brasileira ficou bem abaixo do esperado. O maior destaque veio no florete feminino juvenil. Gabriela Cecchini, maior revelação do país nos últimso anos, venceu na decisão brasileira Mariana Pistoia por 15-12. Gabriela foi mal na fase de poules, mas nas 8as obteve uma excelente vitória sobre a favorita americana Delphine Devore por 15-9.

Nas provas individuais, foram apenas mais 2 medalhas de bronze, ambas na categoria cadete: Bruno Pekelman no sabre masculino e Leopoldo Gubert na espada masculina.

Hipismo

A equipe brasileira de saltos formada por Eduardo Menezes/Quintol, Yuri Mansur/Babylotte, Pedro Muylaert/MFS Prince Royal Z e Luiz Francisco de Azevedo/Comic ficou com o bronze na Copa das Nações e Wellington, EUA. O Brasil somou 16 pontos, todos de Eduardo Menezes, ficando atrás da Irlanda, com 4, e os EUA, com 13.

Em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice mais uma vez, agora em Vilamoura.

Outros Esportes

d5c914zc95

Lauro Chaman

– No Mundial de Paraciclismo de Pista, em Los Angeles, Lauro Chaman conquistou 3 medalhas na categoria C5. Dono de duas medalhas nos Jogos do Rio, Lauro foi prata na perseguição individual e faturou dois bronzes, na prova de Scratch e do 1km contrarrelógio.

– No Aberto de Tshwane de golfe, em Pretória, África do Sul, Adilson da Silva ficou em 15º lugar. Ele somou 276 tacadas no torneio válido pelo Tour Europeu e pelo Tour Africano, 10 a mais que o sul-africano campeão Dean Burmester. O brasileiro somou 1,72 ponto no ranking mundial, subindo 16 posições, para 374º.

– Na conclusão da etapa de Nova Delhi da Copa do Mundo de tiro, nenhum brasileiro pegou final. Felipe Wu ficou em 10º na quali da pistola de 50m e apenas 24º na pistola de ar 10m, Júlio Almeida foi 11º na prova de 10m e 29º na de 50m e Cássio Rippel foi 23º no rifle deitado 50m.

– Na 2ª etapa do Circuito Sul-Americano de vôlei de praia, no Peru, Lili/josi ficaram com o ouro após vencer 21-9 21-14 dupla do Paraguai. No masculino, Oscar/Hevaldo ficaram com o bronze. Em 2 etapas, Brasil soma 3 ouros, 1 prata e 2 bronzes.

Resumo da semana olímpica

Sem muitos destaques pro esporte brasileiro na semana que antecedeu o Carnaval.

Tiro

Nos primeiros dias da 1ª etapa da Copa do Mundo de Tiro, em Nova Delhi, Roberto Schmits foi o destaque brasileiro. Ele começou muito bem na qualificação da prova de fossa olímpica. Ele terminou o 1º dia em 5º lugar com 70 pratos em 75 possíveis.

No 2º dia, fez 24 pratos na 4ª rodada e seguia bem, mas na última passagem, fez apenas 21 e terminou na 11ª posição com 115 pratos, fora da final. No rifle 50m 3 posições, Cássio Rippel foi 25º com 1.127 pontos entre 29 atletas. Na pistola de fogo rápido 25m, Emerson Duarte terminou em 16º na quali entre 24 com 568 pontos. A etapa segue até esta sexta-feira, então os outros resultados apenas no próximo post.

Outros Esportes:

60pod-1487966215-1487966215

Pódio do GP de Dusseldorf com Phelipe Pelim a direita

– Apenas um bronze no GP de Dusseldorf de judô. Phelipe Pelim ficou com o bronze nos 60kg numa competição que contou com muitos nomes novos da equipe brasileira. Ficaram em 5º Rochele Nunes (+78kg) e Eleudis Valentim (52kg) e em 7º Marcelo Contini (73kg) e Mariana Silva (63kg).

Letícia Cherpe de Souza foi bronze em uma prova indoor nos EUA nos 400m. Em Iowa ela fez 52.62. No último dia 10, ela havia batido o recorde brasileiro indoor com 52.54.

Adilson da Silva foi 38º na etapa sul-africana do Tour Europeu de golfe. Reduzido para 3 rodadas (54 buracos), o brasileiro somou 207 tacadas. A vitoria foi do sul-africano Darren Fichardt com 200.

Bernardo Alves foi campeão do ranking da Animo Cup, torneio com 4 etapas de saltos na Bélgica. Em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice em torneio 3* em Vilamoura em prova de 1,50m. Com duplo zero, ele perdeu no desempate para o francês Mathieu Billot.

– Pela 4ª semana do Campeonato das Américas de Rugby XV, o Brasil perdeu de 79-7 para a Argentina, jogando em Ushuaia, no extremo sul do continente. Na última rodada, o Brasil receberá no Pacaembu o Chile nesta sexta-feira. Em 4 jogos, foram 1 vitória e 3 derrotas.

– No Rio Open de tênis, Bruno Soares e Jamie Murray chegaram às semifinais do torneio de duplas, caindo por 64 36 [12-10] para o espanhol Pablo Carreño Busta e pro uruguaio Pablo Cuevas. Nas simples, melhor desempenho de Thiago Monteiro, que perdeu nas 4as para o norueguês Casper Ruud por 62 76(2).

Keila Calaça foi bronze no torneio Granma y Cerro Pelado em Havana, Cuba, na luta feminina, nos 75kg. Na disputa do bronze, ela venceu por WO. Diego Romanelli ficou em 5º nos 66kg da greco-romana.

Perfil 2016 – Equipe de Rugby 7s de Fiji

 

31/75

Fiji

Rugby 7s

Mundiais: 2 ouros

 

 

Nunca o arquipélago de Fiji ficou tão perto de uma medalha olímpica como ficará no Rio-2016, graças a sua espetacular seleção masculina de rugby 7s.

Num país formado por mais de 330 ilhas e com uma população de pouco mais de 850.000 habitantes, Fiji consegue montar uma das melhores seleções do mundo da modalidade e chegará ao Rio de Janeiro como a grande favorita para garantir sua primeira medalha olímpica.

Liderados pelo capitão Osea Kolinisau, a equipe de Fiji venceu as últimas duas temporadas da Série Mundial de Rugby 7s masculino. Em 17 temporadas do circuito, Fiji jamais ficou fora do Top-4 e venceu 30 etapas até então.

A primeira grande vitória veio em 1997 em Hong Kong, quando Fiji venceu o Campeonato Mundial da modalidade, com 24-21 na África do Sul na final. Em 2005, veio o 2º título mundial, agora com 29-19 na Nova Zelândia na final.

O primeiro título da Série Mundial veio na temporada de 2005-06, quando Fiji encerrou a sequência espetacular de 6 títulos da Nova Zelândia. Nesta temporada, venceram as etapas da África do Sul, Nova Zelândia, Singapura e de Londres, liderados por Waisale Serevi, considerado até hoje o melhor jogador de rugby 7s de todos os tempos. Conhecido como “maestro”, Serevi jogou até 2006 e encerrou sua carreira de maneira brilhante com o título da série Mundial.

Após a vitória, veio uma seca de 8 temporadas sem títulos da Série Mundial, quando em 2014-15 a equipe levou novamente o troféu, após 4 vitórias em 9 etapas, faturando na Austrália, nos EUA, em Hong Kong e na Escócia. Com 312 pontos, Osea Kolinisau foi eleito o melhor jogador da temproada.

Embalado, Fiji foi o mais regular na seguinte, de 2015-16, vencendo 3 etapas: Dubai, Las Vegas e novamente Hong Kong. Num duelo apertado com África do Sul, venceu o título geral com 181 pontos contra 171 da equipe africana, para levar a 3ª Série Mundial.

Num país pequeno onde o rugby é uma religião e onde não param de surgir grandes talentos, a seleção de Fiji chega ao Rio como a mais forte candidata ao ouro olímpico no retorno do esporte aos Jogos. Nunca Fiji esteve sonhou tanto com uma medalha. E provavelmente de ouro.