Brasil domina Ibero-Americano

No evento-teste de atletismo no Engenhão, o Ibero-Americano foi dominado pelo Brasil, com 17 ouros em 44 provas. Algumas marcas boas, índices novos e a equipe olímpica brasileira cresceu mais, mas segue sem expectativa de grande resultado nos Jogos.

8583

Fabiana e Maila após os índices nos 100m com barreiras. Foto: Carol Coelho/CBAt

Entre os novos índices, a dobradinha nos 800m masculino com Lutimar Paes (1:45.42) e Kleberson Davide (1:45.79), correndo abaixo do 1:46 necessário. Outra dobradinha veio nos 100m com barreiras feminino, onde Fabiana Moraes venceu com 12.91 e Maila de Paula Machado foi prata com 12.99, ambas abaixo do índice de 13.00. O outro índice veio com Jailma Lima nos 400m, prova que venceu com 51.99. Nos 200m feminino, Kauiza Venancio também fez índice, com 23.18 e um bronze, mas é o 4º nome da prova.

Entre as boas marcas da equipe brasileira podemos ressaltar Geisa Arcanjo no arremesso de peso, prata com 17,92m, Caio Bonfim na marcha 20.000m com 1:26:40.7, Altobeli Silva com 8:33.72 nos 3.000m com obstáculos e Fabiana Murer com 4,60m no salto com vara.

8580

Kleberson e Lutimar após a prova dos 800m. Foto: Washington Alves/CBAt

Ainda seguem sem índice nomes fortes como Mauro Vinícius da Silva, apenas bronze no salto em distância com 7,71m. Mauro fez 8,14m esse ano no Rio em fevereiro, ficando a 1cm do índice. Ele é bicampeão mundial indoor da prova. Darlan Romani também segue sem índice no arremesso de peso. Ele venceu a prova no Ibero com 19,67m, longe do índice de 20,50m. Sua melhor marca do ano é 20,21m, de janeiro. Ronald Julião também segue longe do índice no disco. Ele venceu a prova com 59,56m e segue com dificuldades de atingir o índice de 65,00m.

O destaque negativo do evento foi por conta de Rosângela Santos. A velocista reclamou da pista e ainda foi mal educada com os jornalistas que cobriram o evento. Apesar disso, ela venceu os 100m com bons 11.24, mas isso não ajudou nada em sua imagem.

Agora os brasileiros seguem para campings na Europa e competições da Liga Diamante. O Troféu Brasil, no final de junho, vai fechar a equipe olímpica, que já tem cerca de 60 vagas e com quase nenhuma chance de medalha.

Jogos Pan-Americanos Toronto-2015 – Dia 13

O jejum de ouros foi quebrado graças ao caratê! Grande final do salto com vara e ótimos resultados no atletismo. Não do Brasil.

Atletismo

Fabiana Murer. Foto: Danilo Verpa/Folhapress

Três nomes fortíssimo numa grande final do salto com vara feminino: a campeã olímpica Jenn Suhr, a vice olímpica Yarisley Silva e a campeã mundial Fabiana Murer. Elas só entraram na disputa com 4,50m, com quase todas as outras já eliminadas. Fabiana e a cubana passaram em primeira em 4,50m, mas Suhr só passou na segunda. Em 4,60m, todas de primeira. Nos 4,65m, Suhr queimou as 3 vezes e foi eliminada. Em 4,70m, novamente Fabiana e Yarisley passaram de 1ª e estavam empatadas. No 4,75m, a cubana passa de segunda e com dois erros, Fabiana arrisca e decide saltar direto em 4,80m, com apenas uma chance. Ela passa de primeira e joga a pressão pra cubana que vai lá e também passa de primeira, assumindo novamente a liderança da prova. Pressionada, Fabiana não consegue encaixar e falha nas 3 chances nos 4,85m, terminando com a prata. Yarisley ainda conseguiu os 4,85m para faturar o bicampeonato do Pan.

Prova de altíssimo nível também no decatlo. 5º em Londres, o canadense Damian Warner dominou a prova para vencer com excelentes 8.659 pontos, melhorando o recorde do Pan em quase 300 pontos. Os brasileiros estavam em 2º e 3º quando na penúltima prova, no dardo, Kurt Felix, de Grenada conseguiu 800 pontos, abrindo boa vantagem em cima dos brasileiros, em 3º e 4º. Nos 1.500m, nada se alterou e Luiz Alberto de Araujo terminou com um bronze e a ótima pontuação de 8.179, conseguindo o índice olímpico. Felipe dos Santos também foi bem com 8.019, mas sem índice.

Embed from Getty Images

Ronald Julião conquistou a prata no lançamento de disco com 64,65m na sua última tentativa, a apenas 15cm do campeão, o jamaicano Fedrick Dacres. Na pista, Jeffery Gibson, de Bahamas, venceu os 400m com barreiras com 48.51, recorde do Pan. O americano Clayton Murphy levou os 800m com 1:47.19, apenas 4 centésimos na frente de colombiano. Kendall Baisden liderou a dobradinha americana nos 400 feminino com 51.27. A primeira medalha de São Vicente e Granadinas veio com o bronze na prova.

Vice-campeão olímpico, o dominicana Luguelin Santos levou os 400m com o belo tempo de 44.56 e a mexicana Brenda Flores venceu os 10.000m feminino com 32:41.33, mais um recorde pan-americano no dia.

Douglas Brose. Foto: Sérgio Duti/Exemplus/COB

Karatê – Não é olímpico, mas foi o destaque do dia! Bicampeão mundial Douglas Brose ficou com o ouro nos 60kg masculino, com 4-0 sobre venezuelano na final. Valéria Kumizaki venceu canadense na bandeirada e ficou com o outro ouro do dia, na categoria 55kg. Já Aline Souza perdeu na semifinal para dominicana  ficou com a medalha de bronze nos 50kg. Karatê salvou o dia.

BoxeRafael Lima perdeu na semifinal do super pesado (+91kg) para venezuelano e terminou com a medalha de bronze. Sem nenhum brasileiro nas finais, o país fica com apenas 2 bronzes, muito abaixo do esperado. Já Cuba fez a lição de casa e está em todas as 10 finais masculinas!

Hipismo Saltos – Na primeira rodada por equipe, a Colômbia surpreendeu com apenas 1 pontos perdido, seguida da Argentina com 2 e Brasil e Canadá com 6. Todos os conjuntos americanos cometeram uma falta e eles acabaram com 12, em 6º. Na segunda passagem, todos os americanos zeraram e só precisavam torcer contra. Entre os brasileiros, apenas Eduardo Menezes zerou e o Brasil terminou na 4ª posição. O ouro ficou com o Canadá e a Argentina surpreendeu com a prata, seguida dos americanos. É a primeira vez desde o Pan de 1987 que o Brasil não faz pódio nos saltos por equipe. Após 3 rodadas, quem lidera no individual é Eduardo Menezes, com apenas 1 ponto perdido!

Esgrima – Como esperado, EUA levou os dois ouros no sabre por equipes. No feminino, com sua super equipe bronze no Mundial na semana passada, venceu na final 45-31 o México. No masculino, vitória de 45-37 no Canadá. O Brasil ficou em 5º no masculino e em 6º no feminino.

Vôlei – Numa virada sensacional, o Brasil venceu Porto Rico no vôlei feminino e se classificou para a final. O Brasil perdia por 2-0 jogando mal, mas numa bela reação liderada por Fernanda Garay com 28 pontos, virou a partida, com parciais de 18-25 24-26 25-22 25-19 15-11. Na final, enfrentará os EUA, que venceram por 3-1 a República Dominicana.

Hóquei na Grama – O Brasil conseguiu novamente segurar o placar. esta vez, na semifinal contra o Canadá, de quem havia perdido na primeira fase de 9-1. Com 0-0, o jogo foi novamente para os shootouts, onde o Canadá venceu por 5-3. O Brasil disputará o bronze contra o Chile, enquanto Canadá e Argentina duelam pelo ouro. Resultado espetacular do Brasil. Simplesmente espetacular.

Embed from Getty Images

Futebol – Já no futebol, a derrota na semifinal teve outro sabor. O Brasil abriu 1-0 com um jogador a mais e parecia que iria pra final. Aos 35min do 2º tempo, Raphael foi expulso e o Uruguai virou o jogo em 2min. Resta o jogo pelo bronze contra o Panamá, que perdeu de 2-1 para o México.

Tênis de Mesa – Ainda pela fase de grupos, somente vitórias. Em 7 jogos, 7 vitórias dos brasileiros.

Handebol – Também pela semifinal, o Brasil passeou com 34-24 no Chile e chega pela 7ª vez seguida à final do Pan, onde enfrentará pela 4ª vez seguida a Argentina, que passou com o baixo placar de 20-12 pelo Uruguai. Além da vaga na final, os argentinos garantiram a vaga no Rio-2016.

Embed from Getty Images

Basquete – Com uma grande atuação de Vitor Benite com 34 pontos e 8 rebotes, o Brasil venceu os EUA pelo placar de 93-83 e se sagrou campeão do Grupo A. Na semifinal enfrenta a República Dominicana enquanto os americanos vão pegar o Canadá.

Embed from Getty Images

Esqui Aquático – Nas 6 finais do dia, 3 ouros americanos: Nate Smith no slalom, Adam Pickos nos truques e Regina Jaquess no salto feminino. No slalom feminino, ouro para a canadense Whitney McClintock, no salto masculino para o canadense Ryan Dodd e nos truques feminino para a peruana Natalia Cuglievan.

Baseball e Softball – Numa bela virada na 6ª entrada, o Brasil venceu as cubanas por 5-3 e passaram pra semifinal do softball feminino. Elas perdiam por 3-0! O Brasil enfrenta na semifinal Porto Rico.

Boliche – A Colômbia ficou com o ouro nas duplas femininas, com 5.074 pontos, seguidos de EUA e Venezuela. Brasil em 11º. No masculino, Canadá venceu com 5.607, seguido de Colômbia e EUA. Brasil em 9º.

Troféu Brasil de Atletismo – Dia 3

Num dia onde poucos resultados expressivos eram esperados, com várias provas em que o Brasil não tem grandes nomes, acabou vindo o primeiro índice olímpico masculino de provas de pista/campo.

Pista

Éder Souza. Foto: Wagner Carmo/CBAt

E o índice foi na semifinal dos 110m com barreiras, cuja final será no domingo. Éder Souza venceu a segunda bateria com 13.46 (vento de +1,4) e baixo dos 13.50 necessários para conseguir vaga para o Rio-2016! O Brasil já chegou a ter 4 atletas com índice olímpico, mas vem enfrentando uma fase ruim na prova.

Caio Bonfim no pelotão durante prova da marcha de 20km. Foto: Wagner Carmo/CBAt

Pela manhã, as marchas de 20km, onde venceram os favoritos. Caio Bonfim confirmou o favoritismo com 1:24:53, mais de 3min acima do seu melhor tempo no ano. Érica Sena levou no feminino com 1:37:10.

Tatiele de Carvalho venceu sua segunda prova no Troféu, levando os 5.000m com 16:02.41. Nos 3.000m com obstáculos masculino, vitória do Jean Carlos Machado com 8:54.17.

Nas eliminatórias dos 200m, Ana Cláudia Lemos fez ótimos 22.84, mas com vento bem acima do permitido, de 3,1m/s (o máximo para validar resultados é 2,0). Bruno Lins fez 20.50, que também seria índice olímpico, mas o vento também foi acima, com 3,7m/s.

Campo

No decatlo (que não é exatamente uma prova de campo apenas), boa performance do Luiz Alberto de Araújo. Ele venceu com 8.034 pontos, perto do índice olímpico de 8.100. Ele não bateu nenhum recorde pessoal na competição e ficou longe do seu PB de 8.276. Quem sabe o índice pro mundial vem no SulAm ou no Pan.

Fernando Ferreira conquistou o bi no salto em altura com 2,25m. Ele tentou o índice pro mundial de 2.28m mas não conseguiu. Talles Silva, que vai pro mundial, decepcionou com 2,15m. No salto em altura feminino, uma das provas mais fracas do Brasil, Ana Paula de Oliveira, de 19 anos, venceu com 1,82m, marca bem fraca.

Ronald Julião completou uma sequencia impressionante de 11 títulos seguidos no Troféu Brasil no disco. Ele venceu com 61,55m, bem longe do índice de 66m. Felipe Lorenzon vem chegando e ficou em 2º com 59,76m.

No dardo feminino, Jucilene de Lima venceu pela 4ª vez o título nacional com 60,54m. O índice é 62m, marca que ela já superou ano passado. Precisa superar novamente.

O Troféu Brasil promete ótimas performances neste domingo, com o encerramento com as 15 finais restantes.

Resumo do fim de semana

Medalhas nos saltos, título no vôlei de praia e ciclismo passa em branco.

Saltos Ornamentais

A seleção brasileira conseguiu bons resultados no Grand Prix em Porto Rico e traz para casa duas medalhas. César Castro foi prata no trampolim 3m com 422,05 pontos, atrás do chinês Sun Zhiyi com 442,25. Hugo Parisi (foto) deu a volta por cima e ficou com o bronze na plataforma com 466,25, atrás de dois chineses: o campeão olímpico Huo Liang com 534,00 e Yanquan Zhang com 530,30.

Ótimo resultado de Ingrid Oliveira na plataforma, com o 5º lugar com 302,30. Nos saltos sincronizados, Ingrid e Giovana Pedroso ficaram em 4º na plataforma sincronziada, Hugo Parisi/Rui Marinho também em 4º na plataforma, Juliana Veloso/Tammy Galera em 5º no trampolim sincronizado e Rui Marinho/Luiz Outerelo em 7º no trampolim.

Com os resultados, serão 5 atletas na Copa do Mundo de Xangai, a principal competição do ano: César Castro, Hugo Parisi, Juliana Veloso, Ingrid Oliveira e Giovana Pedroso.

Vôlei de Praia

No Aberto de Puerto Vallarta, no México, final brasileira no feminino. Agatha/Bárbara venceram Juliana/Maria Elisa 21-19 21-18 e ficaram com o ouro. Primeira vitória de uma dupla brasileira no ano, após duas etapas de fracasso na China.

No masculino, nenhuma dupla chegou sequer às quartas!

Ciclismo

Na segunda etapa da Copa do Mundo de BMX em Papendal, Holanda, os brasileiros tiveram uma participação média.

Renato Rezende ficou em 7º na prova contra relógio, mas nas eliminatórias sofreu uma queda na sua bateria de quartas-de-final e não avançou às semifinais. Já no feminino, Priscila Carnaval chegou até a semifinal, onde não foi bem e ficou apenas em 8ª. Após 2 etapas, Priscila é 16ª no geral e Renato o 21º.

No Pan de Ciclismo de Pista, nenhuma medalha. As melhores marcas vieram no feminino, com o 4º lugar de Clemilda Fernandes no contra-relógio a apenas 2s do bronze e o também 4º lugar na prova de estrada de Flávia Oliveira. No masculino adulto, Cristian da Rosa foi 8º no contra-relógio e Carlos Manarelli o melhor na estrada em 8º. No Sub-23, Endrigo Pereira foi 17º no contra-relógio e 9º na estrada a mais de 12min do campeão numa prova onde apenas 10 dos 54 competidores terminou.

Outros Esportes:

– O brasileiro radicado no Japão Mahau Suguimati foi prata nos 400m com barreiras em Tóquio, na despedida do estádio antes de fechar para reforma para os Jogos Olímpicos de 2020. Ele fez o tempo de 49.52. Na primeira etapa da Diamond League, em Doha, Keila Costa foi apenas a 8ª no salto triplo com 13,61m.

– Mais medalhas no EUA dos lançadores de disco, agora em Los Angeles. Ronald Julião venceu com 61,06m e Fernanda Borges foi prata com 60,15m.

– No Pan Infanto-Juvenil de Levantamento de Peso, apenas uma medalha, com Emily Figueiredo no 48kg. Ela foi prata com 140kg no total. O masculino passou em branco e o melhor resultado foi um 6º. Com esses resultados, o Brasil conquistou uma vaga no feminino para os Jogos Olímpicos da Juventude.

– No Pan Juvenil de Ginástica Rítmica, Brasil venceu 4 medalhas. No individual, apenas um bronze de Mara Sineriz no aro. Na prova de grupos, a equipe foi prata no geral, mas nas finais por aparelho ficou com 2 bronzes. O Brasil também ganhou uma vaga para os Jogos Olímpicos da Juventude

Robert Scheidt foi campeão da Semana Olímpica de Garda, na Itália, na classe Laser, depois de ficar sem medalha em duas etapas seguidas da Copa do Mundo. Desde que voltou para a Laser de vez, em 2012, Scheidt disputou 15 competições, vencendo 9 e sendo vice em 4 (!!!).

– Na etapa espanhola do Circuito Juvenil e Cadete de tênis de mesa, Letícia Nakada foi bronze no individual juvenil e nas duplas juvenis ao lado de Bruna Takanashi. Por equipe, ao lado de uma suíça, as brasileiras foram bronze perdendo na semifinal para a equipe da Bélgica.

Resumo do fim de semana

Já falei da canoagem, da esgrima, da natação, de tiro com arco, mas teve muito mais coisa neste fim de semana super agitado!

Judô

O Brasil venceu o Pan de Judô em Guayaquil, Equador, como já era mais que esperado. Só que, diferente do que aconteceu no último Mundial no Rio, os homens foram quase perfeitos e as mulheres decepcionaram.

No masculino, foram 6 ouros, 1 prata e 2 bronzes em 8 categorias. Títulos continentais para Felipe Kitadai (60kg), Charles Chibana (66kg), Alex Pombo (73kg), Victor Penalber (81kg), Tiago Camilo (90kg) e Rafael Silva (+100kg). A prata foi para Luciano Correa (100kg) e bronzes para Rafael Buzacarini (100kg) e David Moura (+100kg).

No feminino, muitas decepções e Cuba dominou com 5 ouros, 1 prata e 1 bronze. Pro Brasil, apenas 1 ouro, 3 pratas e 3 bronzes. O único título veio na sexta com Érika Miranda (52kg). Já a campeã olímpica Sarah Menezes (48kg), a campeã mundial Rafaela Silva (57kg), e a vice-campeã mundial Maria Suelen Altheman (+78kg) perderam na final e ficaram com a prata . Bronzes para Ketleyn Quadros (57kg), Samanta Soares (78kg) e Rochele Nunes (+78kg).

Nas disputas por equipe, o Brasil sobrou no masculino, vencendo 4-1 Cuba na final e terminando com o ouro. No feminino, mais uma decepção e as vice-campeãs mundiais perderam na final para as cubanas por 3-2. O confront foi decidido na última luta, quando Rochele Nunes perdeu para a campeã olímpica e mundial Ydalis Ortiz. Rochele venceu a cubana duas vezes em 2013, mas desta vez Ortiz usou a experiência e fez com que a brasileira fosse punida 4 vezes na luta.

Muito legal ver o retorno do Tiago Camilo já com título!

Vela

Na última etapa da Copa do Mundo de Vela, Martine Grael e Kahena Kunze continuam com o que todo mundo já sabe: são as mulheres a serem batidas na 49erFX! Elas venceram a etapa da Hyeres, na França, com 68 pontos perdidos, contra 76 de dupla da Nova Zelândia.

Os brasileiros não conquistaram mais nenhuma medalha e Robert Scheidt ficou na 4ª posição da Laser com 67 pontos perdidos. Também na Laser, Bruno Fontes ficou em 8º. Na Finn, o campeão mundial Jorge Zarif ficou em 9º. Na 470 feminino, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan ficaram em 6º e o Bimba ficou em 8º na RSX masculina.

Esgrima

Já falei da medalha do Ghislain Perrier no blog, mas outros ótimos resultados no fim de semana.

Também no sábado, Renzo Agresta foi muito bem em torneio em Atenas de sabre, chegando às 8as de final, quando perdeu 15-10 para Kim Junghwan (KOR) e terminou na ótima 10ª posição.

Animados com a medalha do Ghislain no sábado, que venceu na competição dois italianos campeões olímpicos e mundiais por equipe, a seleção de florete masculino enfrentou a Itália na primeira rodada e, acreditem, venceu! Foi por apertadíssimos 45-44, mas já pode ser considerado um dos maiores feitos da esgrima brasileira na história! Vencer a Itália no florete é quase impossível.

Nas 4as, o Brasil perdeu 45-33 para a Polônia e depois sofreu mais duas derrotas, 45-33 para a China e 45-31 para a Coreia do Sul, terminando em 8º. O Brasil subiu para 15º no ranking mundial da categoria.

Vôlei de Praia

Começou a temporada internacional do vôlei de praia com o Aberto de Fuzhou, na China. E o Brasil sofreu duas derrotas nas finais.

No masculino, Alison e Bruno Schmidt fizeram um jogo duro nas 4as contra Ricardo/Álvaro com direito a 17-15 no 3º set. Na semi, passaram pelos campeões do circuito Samoilovs/Smedins, da Letônia, mas na final perderam num jogo duro contra os italianos Nicolai/Lupo 21-17 16-21 15-13.

Já o torneio feminino contou com o retorno à seleção de Juliana, que precisou disputar o qualificatório ao lado de Maria Elisa para chegar à chave principal. E não só passaram pelo quali como chegaram até a final! Na semi pegaram as irmãs Maria Clara/Carol no duelo brasileiro, vencendo por 2-1. Já na final, as americanas Walsh/Ross, lideradas pela tricampeã olímpica Kerri Walsh, venceram fácil com 21-11 21-18. Apesar da derrota, um bom retorno da Juliana e bom início das brasileiras.

O circuito segue nesta semana com o primeiro Grand Slam do calendária em Xangai.

Outros Esportes

Pamela Oliveira fez uma boa prova na etapa da Cidade do Cabo do Mundial de triatlo, terminando a distancia olímpica em 1:48:42 no 11º lugar. Vitória de Jodie Stimpson (GBR) e de Javier Gomez (ESP). Ambos haviam vencido na primeira etapa na Austrália.

Franck Caldeira foi vice-campeão da maratona de Pádova na Itália com 2:12:04, apenas 1s do campeão e já fez índice para o Mundial de 2015.

– Em San Diego, Ronald Julião venceu prova de lançamento de disco com 63,91m e Jucilene Lima ganhou no dardo com 58,01m.

– Em São Bernardo, na Copa Brasil de Provas Combinadas, Alex Soares venceu o decatlo juvenil com 7.341 pontos, conquistando o índice para o Mundial Juvenil.

– O Brasil venceu o Chile por 24-16 no Sul-Americano A de Rugby. Agora enfrenta sábado o Uruguai em Bento Gonçalves pela 2ª rodada.

-Na etapa croata de Osijek da copa do mundo de ginástica artística, Angelo Assumpção, de 17 anos, se classificou para 2 finais, terminando em 6º no solo e em 8º no salto. Péricles da Silva disputou a final das barras paralelas, terminando em 7º.

Mundial de Atletismo – Dia 3

Mais 6 finais, sendo uma com final espetacular.

Salto com vara masculino

20130813-021603.jpg

Já está acontecendo há um tempo. Chega na final de competições importantes, quase todo mundo cai de nível nesta prova. Augusto de Oliveira, que bateu o recorde sul-americano algumas vezes esse ano atingindo 5,82, sofreu na final do seu primeiro campeonato importante. Nos 5,50m ele só passou na 3ª tentativa, assim como no 5,65m. Aí no 5,75m ele não passou e terminou na 11ª posição em seu primeiro Mundial. A disputa seria entre os alemães e o campeão olímpico Renaud Lavillenie. Apenas 7 passaram do 5,75m e apenas 5 no 5,82m. Aí no 5,89m, o alemão Raphael Hoelzdeppe foi o único a passar de primeira e levou o ouro. Lavillenie não fez uma boa prova e ultrapassou a altura apenas na 3ª chance, levando a prata. Com 5,82m, Björn Otto deu mais uma medalha aos alemães, com o bronze.

400m feminino

20130813-022051.jpg
A grande final até o momento! Amantle Montsho, de Botsuana, vinha fazendo uma excelente temporada, ganhando varias etapas da Liga Diamante e era a favorita para a final, fazendo o melhor tempo na semi. Após a curva final, ela abriu uma boa vantagem, mas numa recuperação absolutamente espetacular, a campeã olímpica de Pequim-2008, a britânica Christine Ohuruogu alcançou Montsho e se projetou para frente na linha de chegada. As duas fizeram o ótimo tempo de 49.41, recorde britânico, e até no photo finish fica difícil dizer quem ganhou. E o ouro heróico ficou com a britânica de 29 anos, que conquista seu 2º título mundial na prova (primeiro em 2007). O bronze foi para a russa Antonina Krivoshapka com 49.78. Grande prova, que contou com a ilustre ausência de Sanya Richards-Ross, campeã olímpica.

Lançamento do martelo masculino

Com 81,02 em junho e a melhor marca na qualificação, o húngaro Kristina Pars era o grande favorito para a final. Ms o campeão olímpico não contava com o polonês Pawel Fajdek de 24 anos e apenas 9º no quali. Em Londres, o polonês errou seus 3 lançamentos e não chegou a final. Em Moscou, logo na 1ª tentativa atingiu excelentes 81,97, melhor marca do ano na prova! Na segunda ainda fez 80,92, melhor que a marca de Pars de 80,30, que levou a prata. Com 79,36 o checo Lukas Melich conquistou seu primeiro resultado expressivo da carreira.

Arremesso de peso feminino

Outra que pode ser considerada quase imbatível é a neozelandesa Valerie Adams. Aos 28 anos, a bicampeã olímpica conquista nada menos que o seu 4º título mundial na prova! Ela venceu com 20,88m e teve mais dois arremessos menores que a medalhista de prata, a alemã Christina Schwanitz, com 20,41m. O bronze ficou com a chinesa Gong Lijiao, com 19,95m, apenas 1cm a mais que a americana Michelle Carter.

110m com barreiras masculino

Nas semifinais, domínio americano, com os 4 representante chegando a final, mas com o melhor tempo de um russo, Sergey Shubenkov, com 13.17. Na final, a história foi outra e os americanos levaram ouro e prata. David Oliver com 13.00 cravado, melhor marca do ano na prova, levou o ouro e seu compatriota Ryan Wilson foi prata com 13.13. Shubenkov ficou com o bronze com 13.24. O campeão olímpico Aries Merritt ficou apenas em 6º com 13.31.

100m feminino

Na prova mais rápida feminina que fechou o dia em Moscou, a bicampeã olímpica Shelley-Ann Fraser-Pryce correu praticamente sozinha e levou o ouro com 10.71, melhor tempo do ano da prova! A prata ficou com a marfinense Murielle Ahouré com 10.93 contra 110.94 da americana Carmelita Jeter, bronze. Nas semifinais um pouco mais cedo, Ana Cláudia Silva foi a 4ª na sua serie com 11.25, 11ª geral e Franciele Krasucki foi 6ª na sua serie, com 11.34, 15ª geral.

Provas da manhã

Na qualificação do lançamento de disco masculino, Ronald Julião novamente não conseguiu repetir suas boas marcas e ficou apenas em 22º com 59,36. A melhor marca foi do favorito, o alemão Robert Harting com 66,62m. Nas eliminatórias dos 400m com barreiras masculino, Mahau Suguimati foi o 6º na sua forte serie com 50.00 e avançou com pior tempo entre os que avançavam por tempo para as semifinais. Melhor marca do americano Michael Tinsley com 49.07.
Na mesma prova feminina, a britânica Perri Shakes-Drayton fez o menor tempo, com 54.42. Nos 3.000m com obstáculos masculino, sem surpresas e o francês Mahiedine Mekhissi-Benabbad fez o menor tempo com 8:15.43.

Provas da tarde

Anderson Henriques vem se sobressaindo em Moscou! Após bater seu recorde pessoal nas eliminatórias dos 400m, na semifinal ele novamente se superou, foi o 3º com 44.95 e avançou para a final! Primeiro brasileiro abaixo de 45s desde Sanderlei Parrela! Melhor tempo da semifinal foi LaShawn Merritt com 44.60.
No 1º dia do heptatlo, após 4 provas, a ucraniana Hanna Melnychenko lidera com 3.913 pontos. Em 2ª, a holandesa Dafne Schippers com 3.837, apenas 1 ponto a mais que a americana Sharon Day. Destaque para o ótimo salto em altura da belga Nafissatou Thiam, que com 1,92m (1132 pontos) até poderia brigar por uma final.

Troféu Brasil de Atletismo

Na semana passada, na pista do Ibirapuera, uma das melhores edições do Troféu Brasil de Atletismo, senão a melhor! Vamos ao que de melhor aconteceu.

Dia 1

No 1º dia, na quinta-feira dia 6, apenas 6 finais: lançamento de martelo, 100m e 10.000m, tanto no masculino como no feminino.

A prova mais esperada é sempre os 100m, mas posso dizer que esperava mais o 100m feminino que o masculino… As mulheres correram 3 vezes no dia e Ana Cláudia Silva (foto) e Franciela Krasucki deram show. Neste ano, Franciela igualou o recorde sul-americano e Ana Cláudia bateu o recorde por 2 vezes. Na final, deu Ana Cláudia com ótimos 11s07, seguida de Franciela com bons 11s15. As duas já tinhas índice para o Mundial. Na final masculina, vitória de José Carlos Moreira, com 10s16, seguido de Bruno Lins, com 10s24. Nenhum brasileiro tem índice nesta prova ainda…

Na prova mais longa, os 10.000m, Marilson Gomes dos Santos venceu mais um vez a prova com 28:37.71, também sem índice.

Dia 2

O grande nome do 2º dia foi Keila Costa (foto). Na final do salto triplo, Keila venceu com 14,58m no seu 6º e último salto e novo recorde brasileiro! O recorde anterior era dela mesma, com 14,57m. Ela venceu a prova com mais de 1m de vantagem sobre a 2ª colocada.

No salto com vara masculino, Augusto Dutra confirmou sua ótima fase, vencendo com 5,70m, no recorde da competição. Ele ainda tentou o 5,85m, que seria novo recorde sul-americano e a 2ª melhor marca do ano, mas não conseguiu. Na mesma prova, o campeão mundial juvenil Thiago Braz fez sua melhor marca pessoal em competições com 5,60m.

No heptatlo, a medalhista de bronze no Mundial Juvenil do ano passado, Tamara de Sousa (foto) fez uma boa prova e terminou com 5.814 pontos, 86 a menos que sua marca no Mundial. O seu 1º dia foi excelente com média nas 4 provas superior a 900 pontos. Já no segundo dia, vem suas provas mais fracas e sua médias dessas 3 últimas prova foi pouco superior a 700. Nos 800m, nem chegou aos 600 pontos. No Mundial ano passado ela brigava pelo ouro, mas quase ficou sem medalha por conta de uma prova tão fraca.

No arremesso de peso masculino, uma grande final! Gustavo Mendonça liderava com 18,52m, atingido na 2ª tentativa. Na 4ª, Ronald Julião fez 18,51m. Na última tentativa, o favorito Darlan Romani (foto) vinha em 3º com 18,40m, quando conseguiu 18,53m! Ou seja, 18,53, 18,52 e 18,51 no pódio! Darlan ainda está sem índice e não consegue repetir os 20,48m que conseguiu ano passado.

No lançamento de disco feminino, esperava-se o índice de Andressa de Morais, que fez 58,78m, 2,50m do índice ainda… Nas finais das duas Marchas de 20km, vitórias de Érica Sena (1:33:37) e de Caio Bonfim (1:26:19). Nenhum marchador conseguiu o índice ainda.

Dia 3

O grande destaque do dia (e do Troféu todo): Carlos Chinin (foto)! Bronze no Pan do Rio-2007, Chini bateu o recorde sul-americano do decatlo com ótimos 8.393 pontos! Uma competição excelente onde ele foi o melhor em 7 das 10 provas e foi o 2º melhor nas outras 3. Ele fez sua melhor marca em 5 provas e aparece na 2ª posição nas melhores marcas do ano! Só precisa melhorar um pouco nos lançamentos de disco e dardo, onde fez pouco mais de 700 pontos por prova, contra quase 900 das outras. Este foi o único recorde sul-americano da competição e deu a ele o título de melhor atleta do Troféu.

Outra boa marca do dia foi no lançamento de dardo feminino, onde Jucilene Sales de Lima, que já tinha o índice, venceu com 61,98m, igualando o recorde brasileiro que é de Sueli dos Santos de 2000. No disco masculino, Ronald Julião venceu mais uma vez com 61,62m, 6m melhor que o 2º colocado.

Dia 4

No último dia, pudemos contar com a volta de Fabiana Murer (foto) ao Troféu Brasil, após 2 anos de ausência. E ela não decepcionou, vencendo com 4,73m, 3ª marca do ano! Nos 200m feminino, Franciela Krasucki conseguiu a revanche sobre Ana Cláudia Silva, fazendo 22.76 contra 22.85 de Ana. Com a marca, Franciela agora tem o índice também para os 200m! Na prova masculina, o finalista mundial em 2011 Bruno Lins venceu com 20s33.

Grande prova do salto triplo! Jefferson Sabino venceu com 16,94m no último salto e garantiu seu nome na lista de Moscou! Jonathan Henrique Silva, que esteve em Londres, foi o 2º com 16,84m, apenas 1cm do índice. Jean Rosa foi o 3º com 16,82m, a 3cm do índice!

Radicado no Japão, Mahau Suguimati venceu os 400m com barreiras com 49.59. Ele já tem índice e tem chances de pegar uma final no Mundial. Quem conseguiu o índice, mas não conseguiu foi Matheus Inocêncio, nos 110m com barreiras. Ele venceu com 13.43, abaixo dos 13.45 necessários, mas o vento estava a 2,2m/s, acima dos 2,0 permitidos. Ele vai precisar de outra oportunidade. Aliás, nesta prova já chegamos a ter 4 atletas com índice para Mundiais e Olimpíadas, agora faz tempo que alguém faz um tempo bom.

Outra que ainda está devendo é a finalista olímpica Geisa Coutinho. Ela venceu o arremesso de peso com 17,55m, a pouco mais de 1m do índice ainda.

O que esperar de Moscou

Chances de medalhas são poucas, mas prováveis. Fabiana Murer vai defender seu título mundial, tentando esquecer o vexame de Londres. Mauro Vinícius tem grandes chances no salto em distância, mas para isso vai precisar de uns 8,40m. O revezamento 4x100m feminino pode surpreender. A equipe está ótima, com 3 meninas correndo por volta de 11.10.

Dos já classificados, alguns tem chances de finais (top 8). Augusto de Oliveira vai disputar sua 1ª competição internacional de grande porte e só precisa barrar o nervosismo de estreia. Karla Costa no salto triplo tem a 4ª marca do ano e pode brigar por um Top 5. Ana Cláudia é a mulher que tem melhores chances de final nas pistas nos 100m e nos 200m. Bruno Lins pode brigar novamente por uma vaga na final dos 200m e Carlos Chinin tem chances de bater novamente o recorde sul-americano e brigar por um top 8, que seria espetacular.

Resumo do fim de semana

Medalhas nos saltos ornamentais, triatlo, ginástica rítmica e esgrima!

Esportes aquáticos

Nos saltos ornamentais, o Brasil volta do GP de San Juan, em Porto Rico com 3 medalhas. No domingo, destaque para o ouro de César Castro (foto) no trampolim de 3m com boa marca de 467,45 pontos, pouco a frente do chinês Sun Zhiyi com 462,65. No sábado, medalhas nos saltos sincronizados. As gêmeas Natali e Nicoli Cruz ficaram com a prata na plataforma sincronizada com 268,32, e César Castro e Cassius Duran foram bronze no trampolim sincronizado com 342,09. Apesar das medalhas, nenhum novo índice para o Mundial, que só contará com César e Hugo Parisi.

Na natação, tivemos em Curitiba o Brasileiro Junior/Senior de Inverno, que fechou as equipes para os Mundiais de Barcelona e Juvenil de Dubai. Nenhum novo índice individual para a competição espanhola, mas os revezamentos tiveram sua equipe anunciada. Assim, o Brasil enviará para as prova de natação 23 atletas, sendo 11 mulheres e 12 homens. As principais ausências serão de Felipe França, que não conseguiu índice e não irá defender seu título mundial nos 50m peito e de Bruno Fratus, que só tem vaga para o revezamento 4x100m livre, mas deve desistir pois acaba de realizar operação no ombro. Novamente as principais chances brasileiras serão nas provas curtas de 50m de todos os estilos, nos 200m e 400m medley com Thiago Pereira e no revezamento 4x100m, que volta a ficar forte após muitos anos seguidos de decepção.

A equipe para Dubai também foi definida e contará com 32 nomes, 21 homens e 11 mulheres! A equipe é forte e vai em busca de muitas medalhas. A única prova masculina sem índice foi os 200m medley. O Brasil possui 1 ouros, 4 pratas e 3 bronzes nas 3 edições já realizadas do Mundial Juvenil de Natação.

Equipe de Barcelona completa aqui e de Dubai aqui.

Medalhas no Triatlo e Ginástica Rítmica

Pamela Oliveira (foto) conquistou em Huatulco, México, a sua 1ª vitória na Copa do Mundo de Triatlo. Ela terminou a distância olímpica sob forte calor em 2:16:10, terminando com 38s de vantagem sobre a austríaca Lisa Perterer. Ótima atuação da brasileira. Na prova masculina, Bruno Matheus foi o melhor brasileiro, terminando em 4º, a 14s do bronze. O russo Artem Parienko venceu a prova.

Na Copa do Mundo de ginástica rítmica em Minsk, Bielorrússia, a equipe brasileira de conjunto conquistou o bronze na final por aparelhos de fitas e bolas! Com 16,133, ficaram atrás apenas das donas da casa (17,717) e das russas (17,233). Na final de maças, o Brasil terminou em 5º entre 8 equipes.

Esgrima

O Rio de Janeiro já faz parte da Copa do Mundo de espada feminina. Na edição deste ano, vitória da coreana Shin A-Lam (foto das Olimpíadas de 2012), 4ª em Londres, com 6-5 na final sobre a alemã Britta Heidemann, campeã olímpica em Pequim e prata em Londres. A coreana é lembrada pelo imbróglio da sua semifinal, onde, não concordando com a decisão dos árbitros na derrota para a própria Heidemann, ficou 1 hora sem sair da pista atrasando a competição e chorando muito. As melhores brasileiras no Rio foram Cleia Guilhon, em 53ª e Rayssa Costa em 56º. Ambas perderam por 15-13 e por pouco não terminam em as 32. Na prova por equipes, o Brasil foi bem mal, perdendo 4 confrontos seguidos para vencer Taiwan por 40-38 e terminar na 15ª posição.

Em torneio satélite também de espada em Split, Croácia, Athos Schwantes conquistou a medalha de bronze, ao perder na semifinal para o húngaro Solt Serra por 15-14.

Atletismo

O Brazilian Athletics Tour contou com o GP de Uberlândia na quinta e se encerrou neste domingo com o GP de São Paulo. Na cidade mineira, grande marca de Augusto de Oliveira (foto) com 5,81m no salto com vara, novo recorde sul americano e 3ª melhor marca do ano! No salto em distância, o campeão mundial indoor Mauro Vinicius da Silva finalmente conseguiu o índice com 8,14m. Nos 100m, Bruno Lins venceu com 10s22 e ainda não tem índice. O mesmo ocorreu com Andressa de Morais no lançamento de disco, que venceu a prova com 60,97m, a apenas 27cm da vaga para Moscou! Quem também não conseguiu vaga foram os arremessadores de peso Darlan Romani e Geisa Arcanjo.

No domingo, em SP, Augusto fez novamente boa prova, vencendo com 5,75m. Ele tentou os 5,85m, mas não conseguiu. Ana Claudia Silva venceu os 100m com 11.34, não repetindo suas ótimas marcas recentes, mas o bronze nos 200m veio com 22.61, índice para o Mundial. Nos 200m masculino, Bruno Lins venceu com boa marca de 20.24, seu melhor tempo do ano. Boas marcas de Ronald Julião no disco com 64,27m e de Mauro Vinícius no salto em distância com 8,18m, 5ª marca do ano.

Resumo do fim de semana

Após uma ausência de um mês, retomando o blog e tudo o que de melhor aconteceu nos esportes olímpicos.

Troféu Maria Lenk

Após 6 dias de disputas, grandes resultados da natação brasileira, novos nomes e vários índices para os Mundiais de Barcelona e de Dubai (juvenil). Quem finalmente despontou e vai para o seu primeiro Mundial é João Gomes Jr. (foto) e na prova mais disputada dos últimos anos da natação brasileira, os 100m peito. João fez 1:00.21 e foi o melhor com índice. Quem vai acompanha-lo em Barcelona na prova é Felipe Lima, que esteve em Londres. João ainda foi o grande destaque no último dia do Troféu, onde venceu os 50m peito com o tempo de 27.20, o melhor tempo do ano no mundo.

Ainda se recuperando da cirurgia nos dois joelhos, César Cielo venceu os 50m livre com 21.58, 2ª melhor marca do ano e se garantiu na Espanha. Marcelo Chierighini vai com o 2º tempo, com 21.88. Aliás, Chierighini também foi um dos destaque do torneio, vencendo os 100m livre com a boa marca de 48.11, 2ª marca do ano. O interessante foi o empate de Nicolas Oliveira e Fernando Ernesto na 2ª posição com 48.72. Cabe agora a CBDA definir como será o desempate destes dois para o Mundial. Apesar da indecisão, muito bom ver ótimos tempos nos 100m livre, o que só dá mais confiança para o revezamento. Henrique Rodrigues venceu Thiago Pereira nos 200m medley, com o ótimo tempo de 1:57.37. Assim como João, Thiago Pereira, Leonardo de Deus e conseguiu índice para 2 provas. Muito bom ver também Etiene Medeiros (50m costas) e Alessandra Marchioro (50m livre) se garantindo em Barcelona. No total, são 4 mulheres em 4 provas e 11 homens em 11 provas individuais.

Já para o Mundial Juvenil, a lista já conta com 23 nomes (5 meninas e 18 meninos) em 16 provas individuais. Em maio, o Brasileiro Júnior e Sênior em Curitiba vale como última seletiva para as duas competições.

Copa do Mundo de Vela

A 3ª etapa da Copa do Mundo de Vela em Hyères, França, trouxe medalhas para a equipe brasileira e o retorno quase perfeito de um dos maiores nomes da vela brasileira.

A dupla Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (foto) vem faturando quase tudo no ano, e não foi diferente em Hyères. Com 38 pontos, faturaram o ouro, contra 39 da dupla francesa. Na classe Laser, Robert Scheidt chegou a assumir a liderança da competição, mas terminou com a medalha de prata, atrás do australiano Tom Burton. Bruno Fontes ainda ficou em 6º. Ricardo Santos terminou a RS:X masculina em 6º e Patrícia Freitas, na versão feminina, conquistou um ótimo 5º lugar. Sem repetir as medalhas no começo do ano, Martine Grael e Kahena Kunze terminaram em 6º na classe 49erFX.

Atletismo

Bons desempenhos em meeting em Campinas! Ana Cláudia Lemos fez 11.18 nas eliminatórias dos 100m, e ficou a apenas 0.01 do índice para o Mundial. Na final, um ótimo 11.06, mas como o vento estava em 2,3m/s, acima do limite de 2,0, a marca não vale como índice nem como recorde sul-americano. Outros ficaram por pouco em Campinas. Keila Costa fez 14,19m no salto triplo, ficando a apenas 1cm do índice! No arremesso de peso, Darlan Romani fez 20,08m, apenas 8cm do índice para Moscou. Ainda no interior paulista, Luis Gustavo da Silva fez 65,67m no lançamento de martelo, batendo o recorde brasileiro de menores da prova.

Quem se deu bem, mas em prova nos EUA foi Ronald Julião, no lançamento de disco em prova em San Diego. Ele conseguiu 65,55m, novo recorde sul americano e índice para o Mundial!

Título em Barcelona

Bruno Soares segue sua ótima fase e ao lado do austríaco Alexander Peya faturou o título do ATP500 de Barcelona, com 57 76(7) 10-4 sobre Robert Lindstedt e Daniel Nestor. Foi o seu 13º título de duplas na carreira, 3º no ano e 5º da parceria, que tem menos de 1 ano. É a 3ª conquista de um ATP500. Com o título, Bruno subiu para 14º do ranking mundial, igualando sua melhor marca e a dupla chega a 3ª colocação do ranking de parcerias. Eles seguem agora para Munique, onde são os cabeças-de-chave número 1.

Boxe, remo e ginástica

A seleção brasileira de boxe disputou o Torneio Feliks Stamm, em Varsóvia e volta pra casa com 3 medalhas, 2 ouros e 1 bronze. Patrick Lourenço faturou a categoria 49kg e Robson Conceição venceu a categoria 60kg. O peso-pesado Juan Nogueira ficou com o bronze.

O Rio recebeu o Sul Americano de Remo, mas os resultados não foram muito bons para a equipe brasileira. Foram apenas 5 ouros em 26 provas. Definitivamente um dos esportes que o Brasil precisa melhorar e muito.

Angelica Kvieczynski disputou a Copa do Mundo de Ginástica Rítmica em Pesaro, Itália e ficou na 49ª posição entre 54 participantes.

Diário de Londres – 5 e 6 de agosto

Mais um dia sme publicar porque acabei chegando bem tarde e tinha que acordar cedo. Então vão dois dias neste post.

Hipismo

Domingão começa com um dia frio, garoa alternando com chuva, vento, aquela maravilha do verão londrino. Fui então para o belo Greenwich Park acompanhar a 2ª rodada da prova de hipismo saltos. No primeiro dia, os cavaleiros brasileiros tinham ido bem, com exceção de Carlos Ribas, que foi eliminado da competição. Na primeira rodada por equipe, Doda zerou o percurso, e Rodrigo Pessoa e José Roberto Fernandez Filho fizeram 1 falta e o Brasil passou para a final por equipe com 8 pontos, em 7º lugar empatado com os EUA. Aliás, as potências Alemanha, Bélgica e França foram eliminadas e não disputaram a final na segunda.

Vale destacar os belos obstáculos, que chamam a atenção em Olimpíadas. Desta vez estavam os principais pontos turísticos da cidade, como o Big Ben, a London Eye e a Trafalgar Square.

Ginástica Artística

Pertinho do Greenwich Paark, mas não tão perto para ir a pré para quem está com pressa, um ônibus e 4 estações depois cheguei na O2 Arena para ver o 1º dia das finais por aparelhos da ginástica. Solo masculino, salto feminino e cavalo com alças masculino. A esperança neste dia era a presença de Diego Hypolito, mas nem precisa comentar, né?

Com alta dificuldade, o chinês Zou Kai venceu o solo e se sagrou bicampeão olímpico da prova e conquistou seu 5º ouro. No salto feminino, uma surpresa. A campeã mundial americana McKayla Maroney era a favorita disparada, com saltos dificílimos que só ela consegue fazer. Após um 1º salto brilhante, no 2º ela cai sentada e fica arrasada (foto). Ainda assim, ela leva a prata! Festa da romena Sandra Izbasa, que cravou os dois e levou um ouro inesperado. No cavalo, a esperanla local era Louis Smith. E ele e o grande nome da prova, o húngaro Kristian Berki empataram com 16,066! Mas pelo critério de desempate, vence quem tem nota de execução mais alta, caso do húngaro. Não foi desta vez que vi um ouro britânico…

Vôlei de Praia

Me dirigi para o centro da cidade para a famosa Horse Guards Parade para acompanhar ass 4 quartas-de-finais femininas do vôlei de praia, com apenas 1 dupla brasileira. Sorte minha que tinha ingressos para as 2 sessões 9cada uma com 2 jogos), porque muitos brasileiros compraram para a 1ª, mas a organização mudou o horário do jogo de Laarissa/Juliana e pôs na 2ª. Nas 4 partidas, as 4 duplas favoritas venceram e teremos semifinais com as melhores. As brasileiras estavam bem tranquilas, mas deram uma bobeada no final do 2º set e quase tiveram que disputar o 3º, mas não foi necessário.

Vale ressaltar o local da disputa, com vista para o Big Ben, Parlamento, Abadia de Westmister e London Eye. E também a animação da arena, com Olas que dão pelo menos umas 10 voltas,  povo dançando, batendo palma. O lugar mais animado dos Jogos, por enquato!

Atletismo

Nesta segunda, fui conhecer o belo estádio olímpico na sessão da manhã, apenas com eliminatórias, onde pude acompanhar a classificação de Geisa Arcanjo para a final do arremesso de peso, a de Fabiano Peçanha para a semifinal dos 800m e a horrenda apresentação de Ronald Julião, que ficou em último na qualificação do lançamento de disco, quase 10m pior que seu melhor lançamento.

O incrível é ver como tudo está absolutamente lotado, inclusive um estádio para 80.000 pessoas numa segunda-feira as 10:00 da manhã!

Ginástica Artística

O ponto alto do dia! Nada como ver um ouro brasileiro e ouvir o hino nacional! Arthur Zanetti teve que esperar os 7 ginastas se apresentarem para dar o seu melhor e, mesmo com um passinho na aterrissagem, ficou 0,100 na frente do chinês Chen Yibing, até então favorito. Na saída, esperando o campeão, conversei com os seus pais, seu irmão, eu e mais um casal de amigos tivemos uma longa conversa com o ídolo Oscar, para ver Arthur na correria com 500 jornalistas brasileiros o cercando. Mas deu para tirar uma foto com ele e ver a medalha ainda que de longe! Valeu, Arthur!

O interessante da prova de argola é a longevidade que ela proporciona. Arthur tem apenas 22, mas o bronze italiano Matteo Morandi tem 30 e o mito búlgaro das argolas Iordan Iovtchev, que ficou em 7º, tem 39.

Nas outras finais, uma excelente apresentação da russa Aliya Mustafina para levar o ouro nas barras assimétricas e dois saltos espetacular do coreano Yang Hak-seo para ficar com o ouro no salto.

Atletismo

Encerrando o dia de volta ao Éstádio Olímpico, agora para ver 5 finais! No arremesso de peso feminino, uma enorme surpresa! A quase imbatível neo-zelandesa, campeã olímpica, tri mundial Valerie Adams não consegue acertar o arremesso e foi só prata com 20,70, perdendo para sua adversária de longa data, a bielorrusa Nadzeya Ostapchuk, que fez 21,36m. Na mesma prova, Geisa Arcanjo terminou numa ótima 8ª colocação, com 19,02m, sua melhor marca da carreira.

Ainda nas provas de campo, numa final de salto com vara sem Fabiana Murer, todas estavam errando muito no começo. Até que sobraram as principais e quem ficou com o ouro foi a american Jenn Suhr, que contou com falhas da super Elena Isinbayeva, que teve que amargar um bronze.

Na pista, 3 belas vitórias! Nos 400m com barrreiras, o veterano dominicano Felix Sanchez (na foto, cruzando a linha de chegada), ouro em Atenas-2004, venceu a prova com exatamente o mesmo tempo que lhe deu o ouro 8 anos atrás: 47s63! Nos 3.000m com obstáculos feminino, a russa Yuliya Zaripova conseguiu segurar as favoritas quenianas e venceu com 9:06.72, o 3º melhor tempo da história. E nos 400m, venceu o favorito de Grenada Kirani James, de apenas 19 anos! Apesar da idade, ele vem dominando a prova e é o atual campeão mundial Foi a 1ª medalha de Grenada da história em Olimpíadas!

Por aí

Teremos nesta quarta dois duelos Brasil x Argentina: no vôlei masculino e no basquete masculino. Basquete que venceu por belos 88-82 a Espanha, e ficou com a 2ª colocação do grupo. Torcer nesta terça para o nosso handball, que conseguiu avançar como 1º do Grupo, mas enfrenta as fortíssimas norueguesas nas quartas, que não vem fazendo boa campanha.

No boxe, já mais duas medalhas garantidas, com as vitórias nesta segunda de Adriana Araújo, no 60kg feminino (100ª medalha da história para o Brasil) e de Esquiva Florentino, no 75kg masculino. No domingo, tivemos ainda o bronze de Robert Schedit/Bruno Prada na Classe Star, um resultado ruim para eles. Scheidt se junta a Torben Grael e os dois tem agora 5 medalhas olímpicas em 5 Olimpíadas!

Programação de amanhã:

10:00 – Saltos Ornamentais – Semifinal do Trampolim 3m Masculino

17:00 – Vôlei de Praia – Semifinal masculina (Alison/Emanuel x Plavins/Smedins LAT)

18:00 – Vôlei de Praia – Semifinal feminina (Walsh/May USA x Xue/Zhang Xie CHN)

Mas vou tentar na hora o ingresso dos Saltos pelas quartas do Handball! Me desejem boa sorte!

Números

Medalhas Brasileiras: 2-1-5

Medalhas Distribuídas: 179-181-196 = 556

Países com Ouro: 38

Maior número de ouros: China (31)

Países com Medalhas: 70

Maior número de medalhas: China (64)

Maior medalhista: Michael Phelps (USA – natação) 4-2-0

Finais restantes: 123

Recordes Mundiais: 33 + 5 igualados

Recordes Olímpicos: 80 + 5 igualados