Judô passa em branco em Osaka

No fortíssimo Grand Slam de Osaka, a equipe brasileira saiu sem medalha.

Se um japonês (ou às vezes dois) numa chave de um Mundial já complica, imagina colocar 4? Esse Grand Slam foi assim e os donos da casa simplesmente destruíram a concorrência. Nada menos que 35 judocas dos 56 que competiram medalharam pro Japão, que saiu com incríveis 11 ouros, 8 pratas e 16 bronzes!

132817251118macedo

Rafael Macedo. Foto: IJF

Sete brasileiros chegaram às 4as de final e quatro deles foram pra disputa de bronze, mas acabaram perdendo. Ficaram em 5º: Eric Takabatake (60kg), Rafael Macedo (90kg), Rafael Buzacarini (100kg) e Beatriz Souza (+78kg). Acabaram em 7º: Phelipe Pelim (60kg), Jéssica Pereira (52kg) e Maria Portela (70kg).

Entre os destaques negativos ficaram a nossa campeã olímpica Rafaela Silva, que caiu novamente na estreia nos 57kg, assim como Rafael Silva no +100kg.

Os únicos que conseguiram quebrar o domínio japonês foram a canadense Jessica Klimkait (57kg), o holandês Henk Grol (+100kg) e a cubana Idalys Ortiz (+78kg). Klimkait e Ortiz venceram nada menos que 3 japonesas no torneio! Mas a campanha da canadense foi um sonho, derrotando Kana Tomizawa nas 8as, a fortíssima mongol Sumiya Dorjsuren nas 4as, Haruka Funakubo na semi e Momo Tamaoki na decisão. Interessante que a única japonesa que ela não enfrentou foi Tsukasa Yoshida, que é a atual campeã mundial.

A temporada será encerrada daqui 2 semanas no Masters de Guangzhou, na China.

Mundial de Judô – Dia 1

Um tricampeonato japonês e um recorde histórico no feminino.

Até 60kg masculino

60actorig-1537460410-1537460411

Takato derrota Mshvidobadze na decisão. Foto: IJF

Os 4 líderes do ranking chegaram às semifinais, espantando qualquer zebra. Na semi de cima, encontro japonês entre o número 1 Ryuju Nagayama e Naohisa Takato. Na de baixo, entre o georgiano Amiran Papinashvili e o russo Robert Mshvidobadze, que tem origem georgiana. Takato, campeão mundial em 2013 e 2017 e bronze no Rio-2016, venceu Nagayama por wazaari enquanto Mshvidobadze derrotou Papinashvili. Na decisão, Takato derrotou o russo para faturar seu 3º título mundial e chegar a 35 lutas invicto!

O brasileiro Eric Takabatake fez excelente campanha. Venceu o chinês Shang Yi, o belga Jorre Verstraeten e o cazaque Gusman Kyrgyzbayev, mas perdeu nas 4as para Papinashvili, que fez uma wazaari e fugiu da luta, tomando 2 shidos. Na repescagem, Takabatake perdeu por ippon para o sul-coreano Lee Ha-rim. Phelipe Pelim também competiu na categoria, mas não fez nada na sua luta contra o espanhol Francisco Garrigos e caiu na estreia. Os bronzes ficaram com Papinashvili e com o Nagayama.

Até 48kg feminino

48actorig-1537456735-1537456736

Bilodid derrubando Tonaki na final. Foto: IJF

A ucraniana Daria Bilodid é a nova sensação do judô feminino. Com apenas 17 anos, ela está invicta no ano e chega a 32 lutas seguidas sem perder com o título conquistado nesta quinta-feira. Ela se tornou a mais jovem campeã mundial da história! No caminho pra final, ela derrotou na 2ª rodada a kosovar Distria Kraniqi, que desceu de categoria para não concorrer com a campeã olímpica Majlinda Kelmendi, e na semifinal a atual campeã olímpica, a argentina Paula Pareto. Na decisão, sobrou para derrotar a japonesa Funa Tonaki, que defendia o título mundial, com ippon aos 2min de luta. O recorde de campeã mundial mais jovem anterior era da espetacular heptacampeã mundial Ryoko Tani, que venceu seu 1º título em 1993 aos 18 anos. A altura da ucraniana impressiona para a categoria. Ela tem 1,72m e é muito mais alta que todas as suas concorrentes.

Gabriela Chibana estreou com vitória sobre a sul-africana Geronay Whitebooi com 2 wazaari, mas perdeu na 2ª rodada para a mongol naturalizada cazaque Galbadrakhyn Otgontsetseg, bronze no Rio-2016. Chibana fez um wazaari com 46s de luta, mas aí foi muito infantil e fugiu do resto da luta, tomando 3 shidos e sendo eliminada. Otgontsetseg acabou com o bronze, ao derrotar na disputa da medalha a mongol Monkhbatyn Urantsetseg, número 1 do mundo. Paula Pareto levou o outro bronze, sua 3ª medalha em Mundiais, mas chorou depois como se fosse a 1ª.

Dois bronzes em Tóquio na competição mais difícil do ano

Nem Mundial, nem Olimpíada. A competição mais difícil no judô é o Grand Slam de Tóquio.

Nos Jogos Olímpicos as chaves são bem menores e com 4 ou 5 vitórias vem o ouro. Em Mundiais as chaves são um pouco maiores e às vezes é necessário vencer 6 ou 7 lutas pra ficar com o título. No Grand Slam de Tóquio as chaves nem chegam a ser tão grandes, mas a presença de 4 japoneses em cada categoria faz desta competição a mais difícil do mundo.

o100pod44

Pódio do +100kg masculino com David Moura. Foto: IJF

Com vários atletas da seleção A, o Brasil conseguiu duas medalhas de bronze com o vice-campeão mundial David Moura nos +100kg e com Maria Suelen Altheman no +78kg. Se vencer um brasileiro no judô já é algo raro pra um brasileiro, David conseguiu um feito ainda mais difícil: venceu dois. Após perder nas 4as para o japonês Kokoro Kageura, ele venceu Takeshi Ojitani na repescagem e Daiki Kamikawa na disputa do bronze. Maria Suelen também perdeu nas 4as para a japonesa Akira Sone e derrotou na disputa do bronze a também japonesa Nami Inamori. Vale ressaltar que a final do +100kg masculino entre o japonês Yusei Ogawa e o checo Lukas Krpalek demorou 14 minutos!

Apenas outros 3 brasileiros conseguiram chegar no top-8: Eduardo Bettoni nos 90kg, Phelipe Pelim nos 60kg e Eduardo Yudi Santos nos 81kg. Pelim e Santos perderam nas 4as e na repescagem, terminando em 7º. Já Bettoni venceu o japonês Shoichiro Mukai nas 4as para perder na semi para Kenta Nagasawa e na disputa de bronze para georgiano.

O domínio japonês foi tão grande que eles levaram 12 dos 14 ouros! Foram 7 finais totalmente japonesas e nos 57kg feminino o pódio foi todo do país-sede, que ficou com 32 medalhas das 56 possíveis. Apenas a Mongólia com Uuganbaatar Otgonbaatar nos 81kg masculino e a Coreia do Sul com Cho Guham nos 100kg masculino conseguiram ouro além do Japão.

Ainda teremos este ano o Masters em São P\etersburgo na Rússia com a participação de 11 judocas brasileiros daqui 2 semanas.

Mundial de Judô – Dia 1

Budapeste volta a receber um grande mundial, após a brilhante edição de esportes aquáticos. Serão 731 judocas de 126 países na disputa. E o Japão brilha no primeiro dia e brasileiros vão dentro do esperado após azar no sorteio das chaves.

60kg masculino

60pod-1503954913-1503954913

Ouro no Mundial do Rio de 2013 e bronze no Rio-2016, o japonês Naohisa Takato voltou ao topo do mundo para vencer a 1ª categoria masculina no Mundial de Judô. Na semifinal, Takato venceu a surpresa checa Pavel Patrikov por waza-ari. Do outro lado, o azeri Orkhan Safarov derrotou com ippon o uzbeque Diyorbek Urozboev. Na decisão, Takato aproveitou um golpe de Safarov para derrubá-lo e fazer o ippon. Urozboev e o mongol Ganbatyn Boldbaatar, campeão mundial em 2014, ficaram com os bronzes.

Eric Takabatake deu azar no sorteio e pegou na estreia o vicecampeão olímpico e campeão mundial em 2015, o cazaque Yeldos Smetov. Já Phelipe Pelim começou vencendo o russo campeão europeu Robert Mshvidobadze e passou por dominicano. Mas nas 8as, perdeu pro uzbeque Mukhriddin Tilovov por ippon.

48kg feminino

48act-1503954741-1503954741

Final entre Funa Tonaki (JPN) e Monkhbatyn Urantsetseg (MGL)

Com a grande ausência da campeã olímpica e mundial, a argentina Paula Pareto, as duas japonesas da categoria largaram como favoritas. E o ouro ficou com a japonesa Funa Tonaki, apenas 13ª do ranking mundial. Tonaki venceu 5 lutas e só levou ponto da brasileira Stefannie Koyama nas 8as. Na semifinal, derrotou a cazaque número 1 do mundo Otgontsetseg Galbadrakhyn. Do outro lado da chave, Ami Kondo, campeã mundial em 2014 e bronze no Rio-2016, buscava uma final toda japonesa, mas levou 3 shidos e foi eliminada pela mongol Urantsetseg Monkhbatyn, campeã mundial em 2013. Na decisão, Tonaki conseguiu um waza-ari com 3:35 de luta para levar o ouro e fazer a festa japonesa.

Grande nome da nova geração brasileira, Stefannie Koyama começou vencendo a romena Monica Unureanu, mas nas 8as acabou sendo derrotada pela eventual campeã por 2 waza-aris a 1. Kondo e Galbadrakhyn ficaram as medalhas de bronze.

Apesar do Brasil sair sem medalha no 1º dia, foi um bom dia, dentro do esperado.

Resumo olímpico da semana

Handebol

not_grd_0000032562

Sofrendo um pouco pela falta de ritmo, o Brasil foi campeão do Pan-Americano Júnior Masculino em Assunção, no Paraguai. No Grupo B com apenas outras 2 equipes, o Brasil arrasou a equipe americana por 52-24, mas teve uma certa dificuldade com o Chile, vencendo por 35-30. Direto na semifinal, venceu novamente o Chile, mas de forma arrasadora por 30-11 (!). Na decisão, pegou a grande rival Argentina e levou o título com 31-23, se classificando para o Mundial Júnior, que Serpa em julho na Argélia.

Foi a 12ª edição do torneio e o Brasil igualou os 6 títulos da Argentina. Assim, cada um tem 6 ouros e 6 pratas na história.

Badminton

Ygor Coelho começou seu tour europeu e foi vice-campeão no Aberto da Polônia. Ele passou pelo americano Bjorn Seguin por 21-19 21-13, depois pelo inglês Sam Parsons por 21-9 10-21 21-15, pelo indiano Subhankar Dey por 13-21 21-19 21-15 e na semifinal pelo polonês Michal Rogalski por 21-15 21-13. Na decisão acabou derrotado pelo malaio Jia Wen Tan por 21-13 20-22 21-10 e conquistou seu segundo vice campeonato no ano. Ele segue agora para a França pro Aberto de Orléans.

Judô

185830260317medalhistas

No Aberto Pan-Americano de Lima, os judocas brasileiros conquistara 18 medalhas, sendo 9 ouros, 3 pratas e 6 bronzes. As vitórias ficaram com: Phelipe Pelim (60kg), Charles Chibana (66kg), Marcelo Contini (73kg), Gustavo Assis (81kg), Ruan Isquierdo (+100kg), Eleudis Valentim (52kg),  Tamires Crude (57kg), Samantha Soares (78kg) e Rochele Nunes (+78kg).

68 judocas sub-18 e sub-21 competiram em dois torneios na Alemanha. As meninas foram para Thuringen e os meninos para Bremen. Eles faturaram 9 medalhas (1O-2P-6B) enquanto elas ganhara 15 (4O-4P-7B).

Tiro

7 atiradores brasileiros foram para Acapulco para mais uma etapa da Copa do Mundo de tiro ao prato. Roberto Schmits vinha muito bem na qualificação da fossa, mas na última série fez apenas 21 pratos e despencou para o 39º lugar com 116 no total. Fernando Mello acabou como o melhor brasileiro em 30º com 117. Na fossa doublê, Filipe Fuzaro terminou em 17º com 122 pratos, 13 a menos pra pegar vaga na final. A próxima etapa será no fim de abril no Chipre.

Outros Esportes

Nathalie Moellhausen entrou direto na have principal do GP de espada em Budapeste, como cabeça de chave 8. Na estreia venceu a polonesa Ewa Nelip por 15-10, mas caiu na 2ª rodada por 15-11 para a japonesa Ayaka Shimookawa, terminando em 18º lugar.

Andressa de Morais fez índice para o Mundial de Londres no lançamento de disco em São Bernardo com 61,78m (índice é 61,20m) no sábado. Neste domingo, Geisa Coutinho fez 52.06 nos 400m e também atingiu o índice pro Mundial.

– Rafael Becker foi 22º (279, 9 abaixo do par) e Rodrigo Lee 36º (281, 7 abaixo) no Aberto de Honduras de golfe, válido pelo Tour PGA Latinoamericano. Em prova na Louisiana pelo web.com Tour, Alexandre Rocha não passou pelo corte, com 1 tacada acima do par, precisando de 2 abaixo para avançar. E pelo Symetra Tour, que e o acesso pro LPGA tour feminino, Luciane Lee foi 17ª com 4 abaixo do par em prova na Califórnia.

– Os brasileiros voltaram do Aberto da Espanha de taekwondo com 4 medalhas, sendo 1 ouro, 1 prata e 2 bronzes. Camila Bezerra (49kg) foi campeã, Raphaella Galacho (73kg) vice e Carolina Bezerra (46kg) e Diego Almeida (68kg) foram bronze.

– Várias medalhas brasileiras no Aberto Juvenil do Paraguai de tênis de mesa, com 4 ouros nas 6 provas individuais. No juvenil masculino, Carlos Ishida ficou com o ouro ao vencer argentino por 4-1. No cadete, Kenzo Carmo venceu argentino por 3-0 e no mini-cadete Joon Shim fez 3-0 em sueco. No feminino juvenil, Beatriz Kimoto venceu por 4-0 Giulia Takahashi em final brasileira.

Judô segue vencendo

junior-european-judo-cup-coimbra-2017-03-18-231247_153837190317

Seleção Sub-28 em Coimbra (POR)

A seleção sub-21 de judô segue em seu brilhando tour europeu. Na 3ª competição, agora em Coimbra, Portugal, a equipe conquistou 19 medalhas com 31 atletas! Foram 10 ouros, 3 pratas e 6 bronze, sendo 3 finais entre brasileiros.

Nos 60kg, Kainan Pires derrotou Renan Torres, nos 73kg Jeferson Santos Jr venceu David Lima e nos 52kg feminino, Jessica Lima passou por Maria Taba. Os outros 7 ouros vieram com: Bruno Watanabe (55kg), Tiago Pinho (81g), Arthur Barbosa (+100kg), Laura Ferreira (44kg, 2º ouro dela na Europa), Larissa Pimenta (48kg), Yanka Pascoalino (63kg) e Ellen Furtado (+78kg). Desde 2006 que o Brasil não ia tão bem uma etapa do circuito de base. Na ocasião, num torneio sub-20 em Boras, na Suécia, a equipe contava com nomes como Sarah Menezes, Ketleyn Quadros, Mayra Aguiar e Rafael Silva e levou 12 ouros.

Que essa nova geração tem muito a oferecer pro país, tem. Dificilmente neste ciclo de Tóquio, pois a maioria teria 20-21 anos, mas para os Jogos de 2024 com certeza. A equipe segue em Portugal para treinamento de campo e embarca para a Alemanha, onde disputará Copas Europeias Sub-21. Até o momento, em 3 competições das categorias de base (sub21 e Sub18), foram conquistadas 42 medalhas (16O-8P-18B).

Onze brasileiros estavam em Santiago para o Aberto Pan-Americano do Chile. Numa competição muito esvaziada, mas muito esvaziada mesmo (apenas 2 atletas no +78kg feminino, por exemplo), todos conquistaram medalha. Nada mais que o esperado. Foram 8 ouros, 1 prata e 2 bronzes.

Os títulos ficaram com Phelipe Pelim (60kg), Marcelo Contini (73kg). Eduardo Bettoni (90kg), Luciano Correa (100kg), Ruan Isquierdo (+100kg), Gabriela Chibana (48kg), Eleudis Valentim (52kg) e Ketleyn Quadros (63kg). Charles Chibana (66kg) perdeu na decisão para canadense. Equipe segue agora para Lima onde se juntará a outros 13 judocas brasileiros.

Resumo da semana olímpica

Sem muitos destaques pro esporte brasileiro na semana que antecedeu o Carnaval.

Tiro

Nos primeiros dias da 1ª etapa da Copa do Mundo de Tiro, em Nova Delhi, Roberto Schmits foi o destaque brasileiro. Ele começou muito bem na qualificação da prova de fossa olímpica. Ele terminou o 1º dia em 5º lugar com 70 pratos em 75 possíveis.

No 2º dia, fez 24 pratos na 4ª rodada e seguia bem, mas na última passagem, fez apenas 21 e terminou na 11ª posição com 115 pratos, fora da final. No rifle 50m 3 posições, Cássio Rippel foi 25º com 1.127 pontos entre 29 atletas. Na pistola de fogo rápido 25m, Emerson Duarte terminou em 16º na quali entre 24 com 568 pontos. A etapa segue até esta sexta-feira, então os outros resultados apenas no próximo post.

Outros Esportes:

60pod-1487966215-1487966215

Pódio do GP de Dusseldorf com Phelipe Pelim a direita

– Apenas um bronze no GP de Dusseldorf de judô. Phelipe Pelim ficou com o bronze nos 60kg numa competição que contou com muitos nomes novos da equipe brasileira. Ficaram em 5º Rochele Nunes (+78kg) e Eleudis Valentim (52kg) e em 7º Marcelo Contini (73kg) e Mariana Silva (63kg).

Letícia Cherpe de Souza foi bronze em uma prova indoor nos EUA nos 400m. Em Iowa ela fez 52.62. No último dia 10, ela havia batido o recorde brasileiro indoor com 52.54.

Adilson da Silva foi 38º na etapa sul-africana do Tour Europeu de golfe. Reduzido para 3 rodadas (54 buracos), o brasileiro somou 207 tacadas. A vitoria foi do sul-africano Darren Fichardt com 200.

Bernardo Alves foi campeão do ranking da Animo Cup, torneio com 4 etapas de saltos na Bélgica. Em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice em torneio 3* em Vilamoura em prova de 1,50m. Com duplo zero, ele perdeu no desempate para o francês Mathieu Billot.

– Pela 4ª semana do Campeonato das Américas de Rugby XV, o Brasil perdeu de 79-7 para a Argentina, jogando em Ushuaia, no extremo sul do continente. Na última rodada, o Brasil receberá no Pacaembu o Chile nesta sexta-feira. Em 4 jogos, foram 1 vitória e 3 derrotas.

– No Rio Open de tênis, Bruno Soares e Jamie Murray chegaram às semifinais do torneio de duplas, caindo por 64 36 [12-10] para o espanhol Pablo Carreño Busta e pro uruguaio Pablo Cuevas. Nas simples, melhor desempenho de Thiago Monteiro, que perdeu nas 4as para o norueguês Casper Ruud por 62 76(2).

Keila Calaça foi bronze no torneio Granma y Cerro Pelado em Havana, Cuba, na luta feminina, nos 75kg. Na disputa do bronze, ela venceu por WO. Diego Romanelli ficou em 5º nos 66kg da greco-romana.

Resumo do fim de semana

Tênis de Mesa

Belo resultado do Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano no Aberto do Qatar de tênis de mesa. A forte etapa contou com toda a força europeia, além de sul-coreanos, japoneses e atletas de Hong Kong. Eles começaram vencendo uma dupla alemã por 3-0, depois um apertado 3-2 sobre a dupla do poderoso bielorrusso Vladimir Samsonov, Na semi, 3-0 em um polonês e um croata.

Já na final, não conseguiram impor seu jogo e perderam por 3-0. Sem dificuldades sobre os brasileiros, o croata Andrej Gacina e o português Marco Freitas venceram com parciais de 11-3 11-5 12-10, mas a medalha de prata na forte etapa foi realmente um belo resultado.

Já no individual, nenhum brasileiro chegou à chave de 32. Samsonov venceu o título no masculino e a romena Elizabeta Samara no feminino.

Judô

Na primeira etapa do ano, no GP de Dusseldorf, os brasileiros tiveram uma participação bem média. Foram 22 judocas para a Alemanha e apenas 2 medalhas, ambas no 1º dia. Foram 7 ouros para o Japão e 2 para a Bélgica.

A campeã mundial Rafaela Silva levou o único ouro brasileiro, nos 57kg, vencendo a mongol Sumiya Dorjsuren por ippon. Phelipe Pelim ficou com o bronze nos 60kg.

Marcelo Contini (73kg) e Mariana Silva (63kg) perderam nas disputas do 5º lugar e Luciano Correa (100kg) e Samantha Soares (78kg) ficaram em 7º.

Pentatlo Moderno

Na primeira etapa da Copa do Mundo em Sarasota (USA), Yane Marques não foi bem. Ela e Priscila Oliveira se classificaram para a final na primeira etapa que contou com a fase de mata-mata na esgrima, uma novidade no pentatlo e que dá pontos extras.

Yane foi apenas a 16ª na esgrima, deu uma recuperada com um 9º lugar na natação, teve problemas na prova de hipismo e já largou com uma defasagem grande na combinada. Ela terminou a prova em 24º lugar a 99s da vencedora, a britânica Samantha Murray, prata em Londres-2012. Priscila Oliveira ficou em 26º, 3s atrás da Yane. Larissa Lellys, Felipe Nascimento, Enrico Ortolani e Danilo Fagundes não avançaram à final.

Saltos Ornamentais

César Castro foi destaque na primeira etapa do Grand Prix de saltos na cidade alemã de Rostock. No trampolim 3m, ele tirou a 3ª melhor pontuação nas preliminares com 399,05. Na semifinal, melhorou sua nota para 402,20, mas foi apenas o 4º na sua semi e não pegou final, terminando em 7º no geral. Ian Matos também competiu na prova terminando em 19º com 344,65 entre 34 atletas. O ouro ficou com o mexicano Jahir Ocampo com 489,80.

Na plataforma 10m, Hugo Parisi não foi nada bem, ficando em 18º entre 19 com a baixa pontuação de 289,80. Vitória do alemão Sascha Klein com 524,20.

Outros Esportes

Fabiana Murer conquistou duas medalhas em provas indoor na Europa. Na quinta-feira foi bronze em Estocolmo com 4,60m e no sábado levou a prata em Birmingham com 4,70m. A grega Nikoleta Kiriakopoulou venceu as duas provas com 4,76m e 4,80m respectivamente.

Renato Rezende ficou em 4º em prova de BMX nos EUA, em prova vencida pelo australianoa Sam Willoughby, prata em Londres-2012.

– Na etapa venezuelana do Tour Sul-Americano de vôlei de praia, Fernanda Berti e Tainá ficaram com o ouro no feminino vencendo dupla da casa por 2-1 na final.

Yuri Mansur montando Cornetto K foi 3º colocado em prova de 3* na Espanha com obstáculo a 1,55m Na mesma prova, Pedro Veniss foi 5º. Outro brasileiros disputaram provas pelo mundo, como Rodrigo Pessoa, Doda, Bernardo Alves, mas sem resultados expressivos.

– A equipe de badminton venceu 7 medalhas em torneio no Peru. Os destaques ficaram com o ouro das irmãs Lohaynny e Luana Vicente nas duplas femininas, vencendo na final as brasileiras Paula Pereira e Fabian Silva. Daniel Paiola ficou com a prata após perder na final por 21-16 22-20 para o guatemalteco Kevin Cordon. Nas duplas, Paiola e Hugo Arthuso também ficaram com a prata.

– Renzo Agresta terminou em 43º lugar na etapa de Varsóvia do circuito mundial de sabre masculino, perdendo por 15-5 para o italiano Luca Curatoli. Na cidade belga de Ghent, Marta Centurion ficou em 119º lugar no sabre feminino.

– Bruno Matheus venceu a Copa América de triatlo em Barranquilla com 1:51:48, 20s de vantagem sobre o segundo colocado.