Resumo olímpico da semana

Handebol

not_grd_0000032741

Sem adversários de mesmo nível, a seleção feminina conquistou o Torneio Quatro Nações em São Bernardo. Arrasou por 40-13 o Chile e por 36-9 a República Dominicana e derrotou Portugal por 35-29.

O Brasil enfrentou 3 equipes bem fracas na preparação para o Pan, que começa no próximo domingo na Argentina e dará 3 vagas para o Mundial em dezembro na Alemanha. Na primeira fase, o Brasil pega EUA, Colômbia, Paraguai e Porto Rico.

Luta

img-20170609-wa0046

Joilson Santos Jr no topo do pódio

A equipe brasileira juvenil conquistou 8 medalhas no Pan da categoria em Lima. Apesar da greco-romana ser o pior estilo do Brasil no adulto, foram 4 medalhas na competição juvenil. O único ouro do país em Lima veio com Joilson Ramos Jr, que venceu a categoria 66kg e se tornou bicampeão continental. Ele venceu suas 3 lutas com muita tranquilidade e superioridade. Rafael Crystêllo Filho foi prata nos 120kg, Erivan Rocha nos 55kg foi bronze e Douglas Rocha nos 96kg também foi bronze.

Na luta feminina, Shayenne Silva foi prata nos 48kg ao perder para peruana por 19-17 (!!). Fabiana Alcantara nos 63kg e Thais Oliveira nos 72kg foram bronze. Na luta livre, apenas um bronze, com Daniel Nascimento nos 55kg.

Vôlei

Na 2ª semana da Liga Mundial, o Brasil foi para a Bulgária e, assim como na 1ª, venceu duas partidas e perdeu uma.

Na sexta, venceu o Canadá por 3-1 (23-25, 25-20, 25-22, 25-23). No sábado, fez 3-1 na campeã mundial Polônia (25-21 ,25-20, 17-25, 25-19) e no domingo não foi páreo para a Bulgária, que venceu por 3-1 (25-22, 25-19, 23-25, 25-19).

Após 6 jogos, o Brasil está em 3º no Grupo 1 com 4V e 2D atrás da França, que está invicta com 6 vitórias, e Sérvia, que tem 5.

Outros Esportes

– Participação bem modesta dos brasileiros no Pan de pentatlo moderno, em Santo Domigno. No masculino, William Muinhos foi 8º com 1.399 pontos (52s atrás do campeão) e Gabriel Sasaqui foi 21º com 1.297 entre 41 atletas. No feminino, Priscila Oliveira terminou em 10º com 1,264 (85s atrás da campeã) e Bianca Cavalcanti foi 18ª com 1.189 entre 28 atletas.

Bia Haddad Maia segue embalada e chegou às semifinais do Bol Open, torneio da WTA de US$ 125.000 na Croácia. Bia venceu na 2ª rodada a sueca cabeça 1 Johanna Larsson por 76(3) 61 e nas quartas derrotou a italiana Sara Errani por 61 64, até perder na semifinal para a sérvia Aleksandra Krunic de virda por 16 62 60. Com mais uma boa campanha, Bia atingiu seu melhor ranking da carreira , o 94º lugar

Alexandre Rocha ficou em 4º no Rust-Oleum Championship, em Illinois, com 281 tacadas, 7 acima do alemão campeão Stephan Jaeger. Alexandre somou 3,45333 pontos pro ranking e subiu quase 400 posições no ranking, para 858º.

Philip Greenlees venceu a seletiva brasileira para os Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires-2018, em Campinas. A FEI ainda precisa confirmar as vagas sul-americanas pros Jogos.

– Em amistoso de Rugby XV em São Paulo, Brasil vence Portugal com virada histórica. Com menos de 10min pro final da partida, os Tupis perdiam de 21-6, mas, com 3 tries seguidos, virou para 25-21

– Na Série Mundial de triatlo em Leeds (GBR), Danilo Pimentel foi 31º na prova masculina com 1:53:26, quase 7min atrás do campeão Alistair Brownlee.

Vela e tiro com arco tem seus posts próprios.

Anúncios

Prévias Rio-2016: Pentatlo Moderno

Masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – David Svoboda (CZE); Prata – Cao Zhongrong (CHN); Bronze – Adam Marosi (HUN)

Último Mundial (2016): Ouro – Valentin Belaud (FRA); Prata – Aleksander Lesun (RUS); Bronze – Jung Jin-hwa (KOR)

08f72ebe-1590-49a5-a309-09023b2a8b67

Aleksander Lesun (RUS)

O checo David Svoboda (1O) venceu em Londres, mas competiu pouco desde então e não obteve nenhum pódio importante. Ano passado foi 8º no Mundial e 4º no Europeu, o que não o coloca entre os favoritos. O líder do ranking mundial é o britânico de 25 anos James Cooke, que venceu este ano 2 etapas da Copa do Mundo e foi 9º no Mundial. Ele nunca venceu uma medalha em Mundiais.

Os xarás franceses Valentin Prades e Valentin Belaud vem logo atrás no ranking. Prades venceu a etapa de Roma e foi bronze na etapa final e Belaud foi bronze no Cairo, mas foi o campeão mundial surpresa em maio em Moscou. De olho nos irmãos egípcios Omar e Amro El-Geziry. Omar foi 4º no Mundial e prata na etapa do Rio e Amro foi 6º no Mundial e ouro na etapa de Cairo.

O russo Aleksander Lesun já foi bicampeão mundial em 2012 e 2014 e foi pódio nos últimos 3 mundiais. Foi um dos favoritos em Londres, mas terminou em 4º. O húngaro Adam Marosi (1B) também é um dos principais do mundo Foi campeão mundial em 2009 e europeu em 2013, mas decepcionou no Mundial, sem nem avançar à final. O chinês Cao Zhongrong (1P) foi prata em Londres, mas não vem em boa fase. Na seletiva asiática foi apenas o 5º. Outros bons nomes são o italiano Riccardo de Luca, o ucraniano Pavlo Tymoshchenko, o coreano Jung Jun-hwa e o lituano Justinas Kinderis.

E o Brasil? Felipe Nascimento será o representante do Brasil, mas deve ficar entre os últimos. Foi 7º nos Jogos Pan-Americano de Toronto-2015, 5º no Sul-americano de 2015, mas em competições de Copa do Mundo jamais cegou a uma final. Ele tem uma boa natação e uma boa combinada, mas peca na esgrima.

Meu Pódio: Ouro – Aleksander Lesun (RUS); Prata – James Cooke (GBR); Bronze – Omar El-Geziry (EGY)

Feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Laura Asadauskaite (LTU); Prata – Samantha Murray (GBR); Bronze Yane Marques (BRA)

Último Mundial (2016): Ouro – Sarolta Kovacs (HUN); Prata – Élodie Clouvel (FRA); Bronze – Lena Schöneborn (GER)

3cae93b6223bd6bb856fe682ef6900e5_600

Laura Asadauskaite (LTU)

A líder do ranking é a alemã Lena Schöneborn (1O) que vem num ano espetacular. Ela foi prata nas etapas do Rio e de Roma da Copa do Mundo e ouro na etapa final, nos EUA. Ainda foi ouro no Mundial por equipe e bronze na prova individual. Campeã olímpica em Pequim-2008, ela tem 6 títulos mundiais entre individual, equipe e revezamentos e 16 medalhas no total! Aos 30 segue com força rumo ao bicampeonato olímpico.

Sua principal adversária é a atual campeã olímpica, a lituana Laura Asadauskaite (1O), de quem falei aqui. Campeã mundial em 2013, venceu a etapa de Roma e foi 4ª no Mundial numa recuperação na prova combinada para entrar para a história do esporte. Com grande tradição, a Hungria vem muito forte, com a grande nadadora Zsofia Foldhazi, prata em 2 etapas esse ano e campeã mundial juvenil em 2014, e Sarolta Kovacs, campeã mundial este ano sem jamais ter subido ao pódio de uma Copa do Mundo!

Outra nomes fortes são as britânicas Samantha Murray (1P), campeã mundial em 2014, e Kate French, a grande nadadora francesa Élodie Clouvel, a chinesa Chen Qian, a lituana Donata Rimsaite e a americana Margaux Isaksen, que vai mal no ano, mas foi 4ª em Londres. Vale ressaltar que nunca uma pentatleta ganhou duas medalhas em Jogos Olímpicos e as britânicas subiram ao pódio nas 4 edições olímpicas da prova disputadas, com 5 atletas diferentes.

E o Brasil? Yane Marques (1B) surpreendeu a todos (não a mim) quando foi bronze em Londres. Ela ainda foi prata no Mundial de 2013 e bronze em 2015. Bicampeã dos Jogos Pan-Americanos, Yane vai para sua 3ª Olimpíada, mas não está em boa fase. Este ano teve como melhor resultado o 5º lugar em Roma, mas com uma corrida muito fraca, Yane fica pra trás. Ela precisaria repetir o feito de Londres, quando foi excelente na esgrima, na natação e no hipismo e largou em 1º lugar pra combinada. Mesmo correndo mal, tinha boa vantagem e foi bronze. As suas vantagens são a ótima esgrima e natação e tiros rápidos e certeiros. Mas sua corrida é muito ruim.

Meu Pódio: Ouro – Laura Asadauskaite (LTU); Prata – Lena Schöneborn (GER); Bronze – Zsofia Foldhazi (HUN)

Perfil 2016 – Laura Asadauskaite (LTU)

1344873638_1

08/75

Laura Asadauskaite

Pentatlo Moderno

Jogos Olímpicos: 1 ouro

Mundiais: 2 ouros, 1 prata e 3 bronzes

Aos 32 anos, a lituana Laura Asadauskaite irá para sua 3ª participação olímpica com grandes chances de realizar um feito inédito no pentatlo moderno olímpico.

A competição feminina se iniciou apenas em Sydney-2000 e, desde então, nunca uma mulher foi bicampeã olímpica. Aliás, nunca uma mulher ganhou mais de uma medalha! São 12 medalhistas diferentes na história.

Criada em Vilnius, Asadauskaite começou sua participação internacional no esporte em 2003, como juvenil. Ela demorou para engrenar e subir num pódio de uma competição importante. Seu primeiro bom resultado veio com o 4º lugar no Mundial Juvenil de 2005, em Moscou. No ano seguinte, em casa, foi prata no Mundial Militar. Neste mesmo ano, disputou seu 1º mundial adulto, na Guatemala, terminando no bom 14º lugar.

Em 2007 veio sua primeira medalha em uma competição adulta, e foi logo no Mundial! Em Berlim, mostrou ao mundo sua espetacular corrida. Ela saiu para a corrida com mais de 1min para as líderes, mas buscou a diferença e conseguiu o bronze.

Olympics Day 16 - Modern Pentathlon

No ano seguinte, foi mal no Mundial, terminando na 22ª posição, mas chegou para a disputa olímpica em Pequim com a prata no Europeu, um mês antes. Nos Jogos, teve uma péssima esgrima, o que a tirou de qualquer possibilidade de medalha, terminando na 15ª posição.

2009 foi o ano que as coisas mudaram. Ela venceu duas etapas da Copa do Mundo e foi vice em outra, além de sua 2ª medalha mundial, com a prata. No meio do ciclo olímpico, a lituana casou-se com o também pentatleta Andrejus Zadneprovskis, prata em Atenas-2004 e bronze em Pequim-2008, e 2010 viu o nascimento de sua filha, Adriana.

De volta em 2011, Asadauskaite começou de maneira tímida a temporada, para culminar com mais medalha no Mundial. Em Moscou, foi bronze no individual e bronze no revezamento misto.

O auge veio em 2012. Com a vitória na final da Copa do Mundo e o título europeu, ela deu show nos Jogos de Londres para vencer com grande vantagem. Ela e a brasileira Yane Marques saíram juntas para a prova combinada, mas com sua espetacular corrida, Asadauskaite voou para vencer com 5.408 pontos, novo recorde olímpicos. O seu tempo fo apenas o 6º, mas o suficiente para vencer com boa vantagem, de 13s sobre Samantha Murray.

Os pódios seguiram em 2013, com o seu primeiro título mundial, em Taiwan! 2014 foi ouro no revezamento misto no Europeu e no Mundial, faturando outras 3 medalhas em Copas do Mundo. Em 2015, venceu as 3 etapas da Copa do Mundo que disputou.

Já em 2016, venceu uma Copa do Mundo e acabou na 4ª posição no Mundial, disputado neste último fim de semana. O destaque foi para a sua espetacular prova combinada, saindo lá de trás para o 4º lugar a 5s do pódio.

Se Asadauskaite fizer boas provas individuais, ninguém a segurará na combinada no Rio-2016 e o 2º ouro será uma realidade.

Mundial de Pentatlo Moderno – Resumo

Se já não bastasse o excelente mundial de vôlei de praia, o Brasil também se deu bem no Mundial de Pentatlo Moderno.

Pódio feminino em Berlim. Foto: UIPM

Bronze em Londres, o que foi algo surpreendente para muita gente (pra mim não), Yane Marques se redimiu de uma temporada bem ruim e conquistou um bronze sensacional no Mundial realizado em Berlim. Quando é pra valer, a Yane não decepciona!

Depois de passar bem na qualificação, com o 5º lugar no seu grupo, Yane deu show na final! Começou com o 5º tempo na natação, completando os 200m livre em 2:12.16. Na esgrima, a brasileira foi muito bem, vencendo 25 dos 35 combates e ficando em 3ª no geral. Ainda ganhou mais 2 pontos de bonificação, na fase extra da esgrima. No hipismo, foi bem, derrubando apenas um obstáculo e perdendo mais 4s por estourar o tempo limite.

Lena Schoneborn. Foto: UIPM

Yane largou na combinada em 2º lugar, apenas 9s atrás da campeã olímpica em Pequim-2008, a alemã Lena Schoneborn, que fez um ótima prova e acabou com o título mundial em casa, já que ela é de Berlim, levando o seu primeiro título mundial individual.

Yane ainda perdeu a 2ª posição para a chinesa Chen Qian. Com uma prova espetacular no tiro, Yane só errou um dos 20, terminando em 3 das 4 sessões em 11s ou menos. Mas como sua corrida não é das melhores, ela ficou com o bronze, ainda com 7s de vantagem sobre russa. Com uma natação e uma esgrima ruins, a campeã olímpica em Londres, a lituana Laura Asadauskaite, ficou apenas na 11ª posição, apesar de fazer o melhor tempo na combinada. Com a medalha, Yane ainda garantiu a vaga olímpica, junto com a alemã e a chinesa.

No masculino, a vitória foi do ucraniano Pavlo Tymoshchenko. Apesar da natação ruim (31º tempo) e de uma esgrima razoável, ele se beneficiou de uma prova de hipismo sem faltas e ainda fez o melhor tempo na combinada, vencendo com 4s de vantagem sobre o russo Aleksander Lesun.

Nos revezamentos, vitória da Alemanha no masculino, China no feminino e República Checa no misto. Por equipes, onde somam-se as pontuações dos 3 melhores de cada país na quali, ouro da Coreia do Sul no masculino e da Polônia no feminino.

O próximo Mundial será em maior de 2016 em Moscou e também dará 3 vagas olímpicas por gênero.

Momentos distintos nas combinadas

Se ser atleta de alto nível não é fácil, imagina ter que treinar 3, 5 ou às vezes até 10 modalidades diferentes? As provas combinadas pedem isso e nada pode ser negligenciado. Uma prova mal treinada pode ser fatal e o fundamental é a estabilidade. Neste fim de semana dois esportes combinados tivera competições importantes dos seus circuitos mundiais. Nenhuma medalha brasileira, mas resultados interessante que mostram um momento diferente, principalmente no lado feminino.

Triatlo

ITU/Divulgação

Já no triatlo, a Pamella Oliveira (foto) vem numa crescente. Em Londres ela ficou na 30ª posição. Em 2013 venceu uma prova da Copa do Mundo no México e foi campeã Pan-Americana.

Em 2014, Pamella obteve bons resultados na World Triathlon Series, culminando com um 8º lugar na grande final no Canadá e terminando em 13º no ranking geral. Este ano, ela foi 24ª na etapa neo-zelandesa, a 2ª do circuito, e neste sábado conquistou o 9º lugar na etapa australiana de Gold Coast, a 1 minutos e meio do pódio. No circuito, Pamella (que só disputou 2 das 3 etapas) aparece em 19º no ranking. O seu crescimento é notório e não arrisco acreditar numa ótima participação no Rio-2016. Medalha é difícil, ainda mais numa prova como o triatlo, mas num dia bom, tudo pode acontecer.

ITU/Divulgação

Quem vencer em Gold Coast foi a espetacular americana Gwen Jorgensen. O domínio da americana é indiscutível! Ela foi novamente perfeita e terminou a prova em 1:56:59, 1min18s de vantagem sobre a segunda colocada, a também americana Sarah True. Katie Zaferes completou o pódio todo americano. Com esta vitória, Jorgensen acumula nada menos que OITO vitórias seguidas no WTS e é o nome a ser batido.

Pentatlo Moderno

Pouca gente sabia o que era pentatlo moderno até o último dia de disputas dos jogos de Londres, quando a Yane Marques ganhou um bronze espetacular, garantindo a última medalha disputada das Olimpíadas. Em 2013, Yane fez uma ótima temporada, com uma prata no Mundial e o bronze na Copa dos Campeões. Em 2014, seu melhor resultado foi um 7º lugar em uma etapa da Copa do Mundo.

Em 2015, a má fase segue. Ela foi 24ª na 1ª etapa nos EUA, 15ª na 2ª em Cairo e nesta última sexta-feira, um 21º lugar na prova em Roma. Yane deu uma caída na esgrima e na natação, mas o que a afundou na etapa italiana foi o hipismo, onde cometeu 6 faltas. Com isso, Yane largou a 62s da líder e deu adeus às chances de um bom resultado, pois não tem uma boa corrida. Priscila Oliveira também pegou final e também sofreu muito no hipismo, largando a 100s da líder. Yane terminou na 21ª posição com 1271 pontos e Priscila em 30º com 1206.

UIPM/Divulgação

Quem venceu foi a campeã olímpica em Londres, a lituana Laura Asadauskaite, que fez uma prova espetacular. Ela largou em 20º lugar na combina a 59s da líder. E não só se recuperou graças à sua excepcional corrida como ainda venceu com 9s de vantagem sobre a húngara Zsofia Foldhazi.

Resumo do fim de semana

Medalha inédita no tiro com arco foi o marco.

Tiro com Arco

Foi o grande destaque da semana! Já tinha falado aqui no blog que o Marcus Vinicius D’Almeida e a Sarah Nikitin estavam na final de duplas mistas da 2ª etapa da Copa do Mundo de Tiro com Arco, em Medellin. Neste domingo, disputaram a final contra a dupla da Coreia do Sul, a Meca deste esporte, que contou com Lee Tuk Young e Oh Jin Hyek, nada menos que o campeão olímpico em Londres.

A dupla brasileira não estava em seus melhores dias e Sarah era a mais nervosa dos dois. No primeiro set, um empate em 35 e o confronto começou com 1-1. No segundo, os coreanos repetiram o 35, mas os brasileiros tiraram 33, com um 7 de Sarah e a Coreia abriu 3-1. No terceiro set, Brasil fez dois 8s e dois 9s, enquanto a Coreia teve dois 9s e dois 10s: 38-34 e partida encerrada com 5-1.

Foi a primeira medalha da história do Brasil em Copas do Mundo no arco recurvo! De olho nesses dois!!

Nas disputas individuais, Marcus foi muito bem, chegando até as 4as de final, onde perdeu numa disputa apertadíssima com o coreano Kim Woojin por 6-4. Kim abriu 2-0, Marcus empatou, depois foram 2 empates e no 5º set, um 29-28 e a vitória do coreano. No feminino, Sarah também foi bem e chegou às 8as, onde perdeu 7-1 para uma russa. Na rodada anterior, um grande resultado quando venceu 6-2 a coreana Chang Hye Jin.

Marcelo Roriz também chegou às 8as, só que no arco composto. Por equipes, o composto masculino e o recurvo feminino perderam nas 4as, novamente perto das disputas de medalha. No recurvo fem, a derrota veio nas flechas de desempate 28-27 para a China! A próxima etapa será em Antalya, Turquia, de 11 a 15 de junho.

Esgrima

O Rio recebeu pela 3ª vez uma etapa da Copa do Mundo de Espada feminina que contou os principais nomes da modalidade, como a romena número 1 do mundo Ana Maria Branza e a ucraniana campeã olímpica Yana Shemyakina. 20 brasileiras disputaram a competição, mas apenas 2 avançaram a chave de 64. E as duas são estrangeiras naturalizadas.

Nathalie Moellhausen é italiana e terminou em 55º enquanto Katherine Miller é canadense e ficou em 60º. Ambas levaram 2 pontos para o ranking. Quem venceu a competição foi a francesa Lauren Rembi, com 15-11 na final sobre a húngara Emese Szasz.

Na prova por equipe, no domingo, o Brasil estreou vencendo 45-36 o Japão, depois foi derrotado pela China, cabeça de chave 1, por 45-31. Nas rodadas de ranqueamento, perdeu 45-39 para a Ucrânia, venceu 39-38 a Venezuela e perdeu 45-31 para a Estônia, terminando em 14º.

Em Varsóvia, Polônia, Renzo Agresta terminou em 19º lugar na copa do mundo de sabre e soma 6 pontos para o ranking. Na Croácia, Athos Schwantes chegou a final do torneio satélite de espada, perdendo na final 15-8 para o romeno Otto Tardi e somando 3 pontos.

Ciclismo BMX

Renato Rezende segue seu bom desempenho e foi prata no Pan-Americano de BMX, em Quito, Equador, perdendo para o colombiano medalhista olímpica Carlos Oquendo. Rogério dos Reis foi bronze. No feminino, Bianca Quinalha também foi prata. No juvenil masculino, Anderson Ezequiel levou o ouro e Hiago Almendra foi bronze.

No domingo, foi a vez das disputas do Sul-Americano. No masculino adulto, prata para Rogério dos Reis. No feminino, prata para Thaynara Chaves e bronze de Priscilla Carnaval. No juvenil masculino, pódio completo do Brasil, com mais um título de Anderson Ezequiel.

Nado Sincronizado

O Rio também recebeu a terceira edição do Brazil Synchro Open, que contou com participações de Ucrânia, Itália e outros países sul-americanos. Foram 5 medalhas no total: 2 pratas e 3 bronzes.

As pratas vieram na rotina livre combinada (80,833) e na equipe livre (82,933) e os bronzes no dueto técnico (81,235), dueto livre (81,933) e equipe técnica (81,421). A Ucrânia levou 5 das 6 provas. Como já disse no blog também, o Brasil teve uma queda nas notas nos últimos anos e ultimamente sofre para chegar no 82, enquanto há um tempo ficava por volta dos 90 pontos.

Rugby 7s

A seleção feminina disputou em Amsterdã a última etapa da World Series de rugby de 7 e terminou na 8ª posição.

Na primeira fase, derrotas para o Canadá por 28-0 e Inglaterra por 19-5 e uma vitória sobre as donas da casa por 5-0. Nas 4as de final, derrota para a Austrália por 33-0. Depois, nova derrota para os Estados Unidos por 34-0 e por 14-5 para a França. O título ficou com a Nova Zelândia com 29-12 sobre a Austrália.

A Nova Zelândia, que venceu 3 das 5 etapas e foi vice nas outras 2, venceu o título geral com 96 pontos, seguida da Austrália com 92 e Canadá com 80. O Brasil, que participou de todas as etapas, ficou em 10º com 18 pontos. Dos países que estiveram em t0das, ficou apenas a frente da Irlanda.

Outros Esportes:

– Brasil vai bem na seletiva sul-americana de atletismo para os Jogos Olímpicos da Juventude e conquista 14 vagas. Nas Américas, perde apenas para os Estados Unidos com 16.

Thiago Pereira foi ouro nos 200m medley com 1:58.44 no forte GP de Charlotte. Ele ainda venceu a final B dos 200m livre e dos 200m borboleta, foi 4º nos 100m borboleta e 6º nos 100m livre. Bruno Fratus foi prata nos 50m livre com 22.27 e 5º nos 100m livre.

– 3 brasileiros disputaram o Mundial Jovem A de Pentatlo Moderno em Budapeste, mas ninguém pegou final. No masculino, Gabriel Sasaqui foi 15º no Grupo A da qualificação e Victor Barbosa 21º no Grupo B. No feminino, Brenna Lima foi 20ª no Grupo A.

Pamela Oliveira foi bem na 3ª etapa do World Triathlon Series, em Yokohama. Ela ficou em 13º com 2:00:31. A vitória foi da americana Gwen Jorgensen com 1:58:38. No masculino, o espanhol Javier Gomez segue imbatível e faturou o 3º ouro em 3 etapas.

– No Aberto da Espanha de Taekwondo, os brasileiros conquistaram 4 ouros, 2 pratas e 2 bronzes. Títulos de Guilherme Dias (58kg), Henrique Moura (74kg), Talita Djalma (57kg) e Raphaela Pereira (73kg).

Resumo do fim de semana

Destaque para as medalhas na canoagem e o título europeu de Duda Amorim!

Canoagem

Boa campanha da equipe de canoa brasileira na primeira Copa do Mundo de Canoagem de Velocidade em Milão. Destaque, claro, para Isaquias Queiroz. No sábado, ele foi prata na prova olímpica C-1 1.000m, a 1.740 do ouro. No domingo, ele venceu o C-1 500m, prova em que é campeão mundial, com 1:49.368, quase 1s mais rápido que o vice-campeão, e bronze no C-1 5.000m com 24:51.581.

A dupla que esteve em Londres Erlon Silva e Ronilson Oliveira ficaram com a prata no C-2 200m, a 0.384 do ouro, fechando os 4 pódios brasileiros. Outros brasileiros ficaram perto de medalha, como Celso Dias Jr, 4º no K-1 5.000m, Nivalter Jesus, 5º no C-1 200m e Erlon e Ronilson, que ficaram em 7º no C-2 1.000m.

Vôlei de Praia

No primeiro Grand Slam do ano, em Xangai, um início ruim para as duplas brasileiras.

No masculino, apenas Pedro Solberg e Emanuel chegaram às semifinais, onde perderam 2-1 para os italianos Nicolai/Lupo. Na disputa do bronze, nova derrota de 2-1, agora para os alemães Erdmann/Matysik. Alison e Bruno Schmidt perderam na primeira rodada eliminatória e Vitor e Evandro foram derrotados na segunda rodada para Pedro Solberg/Emanuel. O título ficou com os italianos Nicolai/Lupo, que venceram seu segundo título do ano em dois torneios do circuito mundial.

No feminino, Talita e Taiana e Agatha e Bárbara chegaram às semifinais, mas ambas perderam por 2-1. Na disputa do bronze, Agatha/Bárbara foram melhor, vencendo por 21-17 21-14 e ficando com o bronze. O título ficou com as alemãs Ludwig/Walkenhorst. Maria Clara/Carol e Juliana/Maria Elisa perderam nas oitavas de final.

Luta

Fortaleza recebeu o Pan de Lutas categoria cadete e o Brasil saiu com 2 ouros, 4 pratas e 7 bronzes.

O destaque foi na luta greco-romana, com 2 ouros. Nos 50kg, Calebe Correia (foto) venceu 3 lutas e ficou com o ouro com convincentes 10-2 em dominicano na final. O outro ouro veio com Rafael Sousa no 76kg, onde venceu americano e canadense. Foram ainda 2 pratas e 3 bronzes no estilo

Na luta feminina, as meninas conquistaram apenas 1 prata e 2 bronzes, mesmo repertório dos meninos na luta livre masculina.

Além disso, o Brasil conquistou 2 vagas para os Jogos Olímpicos da Juventude: Calebe na greco-romana 50kg e Rafael Filho na luta livre 100kg.

Handebol

Uma das principais atletas da seleção feminina campeã mundial em dezembro, Duda Amorim conquistou no domingo o título da Champions League, principal competição europeia de clubes. Em Budapeste, jogando no time húngaro Gyori Audi KC, Duda ajudou sua equipe a vencer na final o Budocnost de Montenegro por 27-21.

Na semifinal, Duda fez 5 gols sobre o FC Midtjylland da Dinamarca e na final converteu 4 bolas. É o segundo título seguido de Duda e do Gyori na Champions!

Outros Esportes

– No Grand Prix de Saltos Ornamentais da FINA em Quebec, Ingrid Oliveira e Giovanna Pedroso ficaram com o bronze na plataforma sincronizada com 275,64, ficando a apenas 10 pontos do índice para disputar a Copa do Mundo.

– São Paulo recebeu um GP internacional de atletismo no domingo. Alguns destaques brasileiros: Hugo Balduíno nos 400m com 45.62, Thiago Braz venceu o salto com vara com fracos 5,40m, Darlan Romani quase chegou nos 20m no arremesso de peso, com 19,71m e Franciela Krasucki levou os 200m com 22.82.

– Foram mais dois índices para o Mundial Juvenil: Vitor Hugo dos Santos já tinha nos 100m e agora conseguiu nos 200m com 20.82 e Jucian Pereira nos 400m com barreiras com 51.52.

– Em mais uma semana de esgrima, 4 brasileiros conquistaram pontos para o ranking. Destaque para Renzo Agresta em 15º no sabre em Chicago. Com isso ele subiu para o 16º lugar do ranking mundial! Também pontuaram Richard Grunhauser, 37º na espada em Paris, Taís Rochel, 57ª no florete em Xangai e Ghislain Perrier, 58º no florete em Tóquio.

– Priscila Oliveira disputou a 4ª etapa da Copa do Mundo de Pentatlo Moderno em Budapeste. Ela não foi bem e terminou na 24ª posição na sua eliminatória, não avançando a final.