4 medalhas no Pan-Pacífico de Natação

Com uma equipe de apenas 16 nadadores (14 homens e 2 mulheres), o Brasil fez um bom Pan-Pacífico de natação em Tóquio, na piscina que receberá os jogos de pólo aquático.

file-191

Leonardo de Deus no pódio dos 200m borboleta

No 1º dia, na quinta-feira, João Gomes Jr foi bronze nos 100m peito com 59.60, ficando atrás do japonês Yasuhiro Koseki com 59.08 e do australiano Jake Packard com 59.20. Na sexta-feira, veio o que foi o melhor resultado individual do Brasil, a prata de Leonardo de Deus nos 200m borboleta, repetindo o que fez em 2014. Não só por ter sido a única prata individual, mas por ter batido sua melhor marca pessoal, com 1:54.89, atrás do japonês Daiya Seto 1:54.34.

No sábado, Vinicius Lanza conquistou o bronze nos 100m borboleta com 51.44, atrás dos americanos Caeleb Dressel 50.75 e Jack Conger 51.32. Mas o melhor veio na prova final do dia, no revezamento 4x100m livre masculino. Numa prova disputadíssima, o Brasil ficou lado a lado com Estados Unidos e Austrália. Gabriel Santos abriu com 48.93, Marcelo Chierighini fez 47.62, Marco Ferreira Jr foi a pior parcial com 48.53 lançado e Pedro Spajari fechou com espetaculares 46.94, dando 3:12.02 pro Brasil, que ficou atrás dos americanos que marcaram 3:11.67. Teve pódio, entrega de medalhas e hino americano.

Mas umas 2 horas depois veio a notícia que os americanos nadaram na ordem errada. Blake Pieroni deveria ser o 2º e Zachary Apple o 3º, mas eles inverteram e a equipe foi desclassificada. Neste domingo, pódio refeito e huno brasileiro! O 3:12.02 é o melhor tempo do 4x100m livre do mundo no ano. A Rússia venceu o europeu esta semana com 3:12.23. E Brasil não contou com Bruno Fratus… Vale ressaltar que a parcial do Spajari era a melhor do mundo no ano, mas o australiano Kyle Chalmers fechou o 4x100m medley neste domingo com 46.91. No fim das disputas do domingo, foi realizado um novo pódio do 4x100m livre, com direito a hino brasileiro.

pan-pac-sc3a1bado

Brasil no pódio do 4x100m livre, quando tinha a prata

Entre outros destaques pro Brasil ficaram o 4º lugar de Guilherme Costa nos 800m livre com 7:51.67 e o 4º nos 1.500m com 15:03.40 (foi 5º, mas eram 3 americanos), o 4º lugar de Marcelo Chierighini nos 100m livre com 48.36, o 4º lugar de Fernando Scheffer nos 200m livre com 1:46.12.

Apesar de terem vencido o troféu geral e obtido o maior número de ouros, os americanos decepcionaram um pouco nas marcas. Tirando Ryan Murphy, que brilhou no costas (51.94 nos 100m e 1:53.57 nos 200m), foram poucos resultados excepcionais (pro nível esperado deles, claro). Katie Ledecky venceu os 400m (3:58.50), os 800m (8:09.13) e os 1.500m (15:38.97), mas decepcionou no revezamento 4x200m livre e nos 200m livre, onde acabou com o bronze, seu 1º em uma competição internacional. Aliás, foi nos revezamentos a decepção americano. Dos 7 disputados, venceram apenas o 4x100m medley masculino e o 4x200m livre masculino. Os 3 femininos foram derrotados pra Austrália. Talvez tenha sido o pouco tempo de aclimatação pro fuso horário após um longo voo, mas foram bem abaixo do esperado.

A australiana Cate Campbell foi mais uma vez consagrada. Ela saiu com 5 ouros e venceu nas 5 provas que disputou o duelo direto com a americana Simone Manuel. Os donos da casa faturaram 6 ouros com destaque para Yui Ohashi nas provas de medley feminino e para os nadadores de peito no masculino, que venceram os 2 ouros. O Japão deve brilhar em casa nos Jogos de Tóquio.

Anúncios

Natação de olho no Pan-Pacífico

Em ano sem Mundial, JO ou mesmo Jogos Pan-Americanos, a principal competição internacional da temporada da natação brasileira será o Pan-Pacífico, no começo de agosto em Tóquio, na piscina que receberá o pólo aquático em 2020.

Na preparação, duas competições fortes: o torneio Sette Colli, em Roma, e o Aberto de Paris. Ao todo, os brasileiros conquistaram 53 medalhas nos dois torneios, sendo 15 no torneio italiano e 38 no francês. Foram 14 ouros, 24 pratas e 15 bronzes.

lg-88714daf-cafa-4fe1-9b26-b0b7a68f33f9

Guilherme Costa

O principal destaque foi Guilherme Costa, que bateu o recorde sul-americano dos 800m livre no meeting italiano com 7:50.92, quando ficou com a prata. Ele ainda foi bronze nos 1.500m livre em Roma, ouro nos 400m livre e prata nos 1.500m livre em Paris. Luiz Altamir Melo foi muito bem, levando os 200m livre (1:46.84, empatado com Fernando Scheffer) e os 200m borboleta (1:55.83) em Roma e repetindo o feito em Paris, com 1:48.26 na prova livre e 1:57.19 no borboleta.

Bruno Fratus nadou novamente bem levando os 50m livre em Paris com 21.80, além das pratas em Roma nos 50m livre (21.77) e nos 100m livre (48.58). Nas provas olímpicas masculinas, o único outro ouro foi de Pedro Spajari nos 100m livre em Paris com 49.02.

No feminino, Manuella Lyrio foi o destaque ao vencer os 400m livre em Paris numa prova extremamente esvaziada com fracos 4:17.61, mas mostrou que está voltando ao seu melhor nos 200m livre, ao ser prata nas duas competições, com 1:57.99 em Roma e 1:58.47 em Paris. Larissa Olivera foi bronze nas duas, com 1:58.55 em Roma e 1:58.66 em Paris. Bom ver Etiene Medeiros voltando a nadar bem, mas ainda um pouco longe do seu melhor.

Vale lembrar que o Brasil enviará para Tóquio apenas 16 atletas para a piscina e mais 4 para as águas abertas. Na piscina, apenas Lorrane Ferreira e Larissa Oliveira serão as representantes femininas.

Troféu Brasil de Natação – Dia 3

Com certeza um dos dias mais históricos da natação brasileira. A quinta-feira no Parque Aquático Maria Lenk viu uma prova histórica pro Brasil, com dois entrando no clube dos 47!

p1cbg2vmva191d14ja1o7u1us3rd37_crop

Pedro Spajari e Gabriel Santos. Foto: CBDA

As coisas já começaram bem com as eliminatórias, quando Pedro Spajari (Pinheiros) foi o mais rápido ao marcar excelentes 47.95, 2º melhor tempo de 2018, atrás apenas do japonês Katsumi Nakamura, com 47.87. Marcelo Chierighini (Pinheiros) fez 48.60 e Gabriel Silva Santos (Pinheiros) 48.73. Na final, Bruno Fratus (Minas) bateu na frente nos 50m com 22.47 contra 22.64 de Spajari, 22.85 de Chierighini e 22.94 de Gabriel, mas este voltou melhor e fechou em 47.98! Com a vitórias, Gabriel chega a 6 títulos nacionais seguidos na prova: Finkel 2016, Open 2016, Maria Lenk 2017, Finkel 2017, Open 2017 e agora o Troféu Brasil 2018, nadando pela 1ª vez abaixo de 48s. Spajari vinha na frente, mas uma levantada de cabeça pouco antes da chegada tirou a vitória e ele fez 48.01. A surpresa veio com Marco Antonio Ferreira (Minas), que pegou o bronze com bons 48.46. Chierighini em 4º completa a equipe do revezamento 4x100m pro Pan-Pacífico com 48.48. Fratus terminou em 5º com 48.68.

Na prova feminina, vitória de Larissa Oliveira (Pinheiros), já recuperada do acidente que a tirou de boa parte da temporada de 2017. Ela venceu com 54.53 seguida de Manuella Lyrio (Pinheiros) 55.19 e Dayna de Paula (SESI) 55.44. Brigando por vaga nos Jogos Olímpicos da Juventude, Rafaela Raurich foi 4ª com 55.96.

Giovanna Diamante (Pinheiros) venceu os 200m borboleta com 2:12.07, sua melhor marca pessoal e 1ª vitória na carreira no Troféu Brasil. A argentina Virginia Bardach (Corinthians) ficou em 2º com 2:13.05 e Nathalia Almeida (Flamengo) completou o pódio com 2:15.33. No masculino, Leonardo de Deus venceu seu 19º título individual no Troféu Brasil, recorde dos nadadores em atividade. Ele marcou bons 1:55.05 seguido de Luiz Altamir Melo (Pinheiros) com 1:55.92 e Kaue Carvalho (Corinthians) 1:56.76.

Nos 50m peito, Jhennifer Conceição (Pinheiros), mesmo largando muito mal, venceu a campeã olímpico dos 100m, a lituana Ruta Meilutyte (Flamengo). A brasileira marcou 30.64 contra 30.75 da lituana. Renata Sander (Minas) foi 3ª com 31.10. No masculino, o pódio segue com os mesmo 3: João Gomes Jr venceu com 26.85, Felipe Lima 2º com 26.87 e Felipe Silva 3º com 27.04.

Dobradinha estrangeira nos 50m costas feminino com a holandesa Kira Toussaint (Minas) 28.11 e a argentina Andrea Berrino (Unisanta) 28.26. Fernanda Goeij (Curitibano) foi 3ª com 28.92. No masculino, Guilherme Guido (Pinheiros) venceu com 25.00, seguido de Gabriel Fantoni (Minas) 25.14 e Guilherme Massê (Pinheiros) 25.24.

Após o 3º dia, a seleção pro Pan-Pacífico está assim, com os 4 melhores nos 100m livre masculino e os 12 melhores nas outras provas:

  1. Gabriel Santos – 100m livre – 47.98
  2. Pedro Spajari – 100m livre – 48.01
  3. Marco Antonio Jr – 100m livre – 48.46
  4. Marcelo Chierighini – 100m livre – 48.48
  5. Leo de Deus – 200m borboleta – 1:55.05 – 9º
  6. Vinícius Lanza – 200m medley – 1:58.10 – 12º
  7. Guilherme Costa – 800m livre – 7:52.54 – 14º
  8. Luiz Altamir Melo – 200m borboleta – 1:55.92 – 17º
  9. Leonardo Santos – 200m medley – 1:59.66 – 22º
  10. João Gomes Jr – 100m peito – 59.98 – 22º
  11. Iago Moussalem – 100m borboleta – 52.09 – 23º
  12. Larissa Oliveira – 100m livre – 54.53 – 24ª
  13. Daynara de Paula – 100m borboleta – 58.67 – 26ª
  14. Felipe França – 100m peito – 1:00.26 – 27º
  15. Fernando Scheffer – 400m livre – 3:49.06 – 28º
  16. Viviane Jungblut – 400m livre – 4:12.47 – 34ª

Pro YOG temos no momento:

  1. Ana Carolina Vieira – 100m peito – 1:09.95 – 21ª ranking mundial junior de 2017
  2. Rafaela Raurich – 400m livre – 4:14.74 – 24ª
  3. Maria Luiza Pessanha – 200m medley – 2:16.92 – 29ª
  4. Fernanda Goeij – 200m costas – 2:14.69 – 29ª
  5. André Luis Souza – 100m livre – 49.47 – 6º
  6. Lucas Peixoto – 100m livre – 49.66 – 6º
  7. Vitor Pinheiro de Souza – 100m peito – 1:02.87 – 13º
  8. Izaac de Paula Jr – 800m livre – 8:14.26 – 20º