Resumo olímpico da semana

Handebol

not_grd_0000032741

Sem adversários de mesmo nível, a seleção feminina conquistou o Torneio Quatro Nações em São Bernardo. Arrasou por 40-13 o Chile e por 36-9 a República Dominicana e derrotou Portugal por 35-29.

O Brasil enfrentou 3 equipes bem fracas na preparação para o Pan, que começa no próximo domingo na Argentina e dará 3 vagas para o Mundial em dezembro na Alemanha. Na primeira fase, o Brasil pega EUA, Colômbia, Paraguai e Porto Rico.

Luta

img-20170609-wa0046

Joilson Santos Jr no topo do pódio

A equipe brasileira juvenil conquistou 8 medalhas no Pan da categoria em Lima. Apesar da greco-romana ser o pior estilo do Brasil no adulto, foram 4 medalhas na competição juvenil. O único ouro do país em Lima veio com Joilson Ramos Jr, que venceu a categoria 66kg e se tornou bicampeão continental. Ele venceu suas 3 lutas com muita tranquilidade e superioridade. Rafael Crystêllo Filho foi prata nos 120kg, Erivan Rocha nos 55kg foi bronze e Douglas Rocha nos 96kg também foi bronze.

Na luta feminina, Shayenne Silva foi prata nos 48kg ao perder para peruana por 19-17 (!!). Fabiana Alcantara nos 63kg e Thais Oliveira nos 72kg foram bronze. Na luta livre, apenas um bronze, com Daniel Nascimento nos 55kg.

Vôlei

Na 2ª semana da Liga Mundial, o Brasil foi para a Bulgária e, assim como na 1ª, venceu duas partidas e perdeu uma.

Na sexta, venceu o Canadá por 3-1 (23-25, 25-20, 25-22, 25-23). No sábado, fez 3-1 na campeã mundial Polônia (25-21 ,25-20, 17-25, 25-19) e no domingo não foi páreo para a Bulgária, que venceu por 3-1 (25-22, 25-19, 23-25, 25-19).

Após 6 jogos, o Brasil está em 3º no Grupo 1 com 4V e 2D atrás da França, que está invicta com 6 vitórias, e Sérvia, que tem 5.

Outros Esportes

– Participação bem modesta dos brasileiros no Pan de pentatlo moderno, em Santo Domigno. No masculino, William Muinhos foi 8º com 1.399 pontos (52s atrás do campeão) e Gabriel Sasaqui foi 21º com 1.297 entre 41 atletas. No feminino, Priscila Oliveira terminou em 10º com 1,264 (85s atrás da campeã) e Bianca Cavalcanti foi 18ª com 1.189 entre 28 atletas.

Bia Haddad Maia segue embalada e chegou às semifinais do Bol Open, torneio da WTA de US$ 125.000 na Croácia. Bia venceu na 2ª rodada a sueca cabeça 1 Johanna Larsson por 76(3) 61 e nas quartas derrotou a italiana Sara Errani por 61 64, até perder na semifinal para a sérvia Aleksandra Krunic de virda por 16 62 60. Com mais uma boa campanha, Bia atingiu seu melhor ranking da carreira , o 94º lugar

Alexandre Rocha ficou em 4º no Rust-Oleum Championship, em Illinois, com 281 tacadas, 7 acima do alemão campeão Stephan Jaeger. Alexandre somou 3,45333 pontos pro ranking e subiu quase 400 posições no ranking, para 858º.

Philip Greenlees venceu a seletiva brasileira para os Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires-2018, em Campinas. A FEI ainda precisa confirmar as vagas sul-americanas pros Jogos.

– Em amistoso de Rugby XV em São Paulo, Brasil vence Portugal com virada histórica. Com menos de 10min pro final da partida, os Tupis perdiam de 21-6, mas, com 3 tries seguidos, virou para 25-21

– Na Série Mundial de triatlo em Leeds (GBR), Danilo Pimentel foi 31º na prova masculina com 1:53:26, quase 7min atrás do campeão Alistair Brownlee.

Vela e tiro com arco tem seus posts próprios.

Perfil 2016 – Abdulrashid Sadulaev (RUS)

15/75

Abdulrashid Sadulaev

Luta Livre

85kg

Mundiais: 2 ouros

 

 

Com apenas 20 anos, o russo Abdulrashid Sadulaevé hoje o principal nome da luta livre mundial.

De origem sunita, Sadulaev nasceu na República do Daguestão, que fica no sul da Rússia, fazendo fronteira com o Azerbaijão, Geórgia e a Chechênia, região muito forte no esporte. Sua estreia internacional foi no Mundial cadete em 2012, no Azerbaijão. Com 4 vitórias, sendo duas por encostamento, ficou com o título mundial.

Em 2013, voltou pro Mundial cadete na Sérvia, onde arrasou seus adversários. Precisou de 20s na semifinal para vencer e na grande final, encostou turco em 46s para se tornar bicampeão mundial da categoria. 3 meses depois, fez sua estreia em torneio adultos no Memorial Heydar Aliyev, no Azerbaijão, onde perdeu na estreia por encostamento para o azeri Gamzat Osmanov. Voltou na repescagem, venceu duas lutas e foi bronze.

Daí em diante, Sadulaev não soube mais o que é perder. Em 2014, venceu os tradicionais Grands Prix Ivan Yarygin na Rússia e Yasar Dogu, na Turquia. Dois meses depois, no Europeu na Finlândia, venceu 5 lutas e fechou o ouro com 5-2 na final sobre o bielorrusso Murad Gaidarov. Ainda em 2014, foi ouro em torneio na Polônia e chegou no Mundial, em setembro no Uzbequistão como favorito. Em seu primeiro mundial adulto, Sadulaev passeou. Em 3 das 5 lutas precisou de menos de 1min30s. Na final, em 1min25s, encostou o cubano Reineris Salas para levar seu primeiro mundial adulto.

Em 2015, o russo faturou torneio na Bielorrússia em março. Em junho, na primeira edição dos Jogos Europeus em Baku, mais 4 vitórias e o ouro, derrotando na final o moldavo Piotr Ianulov. Em setembro, no Mundial de Las Vegas, sua primeira competição fora da Europa, Sadulaev precisou de 6 lutas para chegar a mais um ouro. Na final, venceu o turco Selim Yasar por 6-0 e faturou seu 2º título mundial.

Neste ano, já venceu o Europeu Sub23 na Bulgária, com 4 encostamentos. Considerando as seletivas russas, Sadulaev tem um retrospecto oficial de 64 vitórias e apenas 1 derrota. Aos 20 anos, é um ouro quase que certo para a Rússia na categoria 86kg da luta livre.

Pan de Lutas

Depois do Pan de esgrima, Santiago recebeu o Pan de lutas, que definiria as últimas vagas pros Jogos Pan-Americanos. O Brasil enviou equipe completa em todas as categorias olímpicas. Só ficou de fora de um peso masculino não olímpico.

Luta Feminina

É a melhor categoria do Brasil e de onde veio a única medalha brasileira da história em Mundiais.

Captura de Tela 2015-04-26 às 22.26.11

Foto: Joice Silva/Instagram/Reprodução

 

Joice Silva conquistou o único ouro do Brasil no Pan na categoria 58kg. Uma das atletas mais experientes do Brasil, Joice já havia ganho em Pans 2 pratas e 4 bronzes, além do bronze no Pan-2011. Ela venceu 4 lutas culminando com 13-4 na final sobre a canadense Jazmyne Barker.

As outras duas medalhas vieram da vice-campeã mundial Aline Silva nos 75kg e de Giulia Oliveira nos 53kg, ambas levando medalha de bronze. Outras 3 atletas perderam a disputa de bronze. Por equipe, o Brasil terminou na ótima 3ª posição com 52 pontos, atrás apenas de Canadá e Venezuela, que empataram com 58 pontos, mas Canadá ficou na frente por ter dois ouros contra nenhuma da Venezuela. Os EUA também levaram equipe completa, mas ficaram em 5º lugar. Belo avanço do Brasil na modalidade.

Luta Masculina

Se as mulheres foram bem, os homens seguem mal. Bem mal.

Juan Bittencourt, de vermelho. Foto: Renato Sette/CBLA/Arquivo

 

Na luta livre, a única medalha veio nos 97kg. Juan Bittencourt perdeu nas 4as para americano e foi pra repescagem, onde venceu duas lutas até passar por 5-0 em argentino e ficar com bronze. Foram duas derrotas nas disputas do bronze, com Pedro Rocha nos 74kg e com Hugo Cunha nos 125kg. Nas outras duas categorias olímpicas que disputou (57kg e 86kg), derrotas logo na estreia. Por equipe, o Brasil ficou em 5º, mas o domínio foi total americano. Das 8 categorias em disputa, os americanos chegaram em todas as finais, vencendo em 6!

Na greco-romana, Davi Albino salvou a pátria brasileira surpreendendo e chegando até a final dos 98kg. Na grande final, perdeu por 4-0 para o cubano Reinier Romero, conquistando a única vaga da greco-romana pro Brasil pro Pan. De resto, todos os brasileiros em categorias olímpicas perderam na estreia.

Esse Pan mostrou mais uma vez a realidade da luta brasileira, onde as mulheres estão milhas na frente dos homens. Em Mundiais, eles raramente tem uma vitória, mas elas brigam pelas primeiras posições. Se nem em um Pan eles vencem, não dá para esperar muita coisa em um mundial ou Olimpíada.

O Brasil conquistou 9 vagas para os Jogos Pan-Americanos. 2 já tinham vindo ano passado com os ouros nos Jogos Sul-Americanos, ambas no feminino. Agora, serão 5 mulheres (em 6 categorias possíveis) e apenas 4 homens, 1 na greco-romana e 3 na livre. Pior que no Pan de 2011.

E a luta segue sem embalar…

Foram várias medalhas em competições pequenas, muitas viagens, intercâmbios, mas a luta olímpica segue sem embalar.

No Mundial cadete, como disse no último post, nenhuma vitória. Nem no Pan adulto os resultados vieram e ficou uma grande decepção, principalmente na luta feminina.

Na greco-romana, apenas um bronze, de Antonio Santos nos 130kg, que venceu na disputa do bronze o venezuelano Moises Perez por 4-0. Nesta categoria, detalhe para o cubano Mijain Lopez que foi ouro. Ele é bicampeão olímpico, tetra mundial e tri nos Jogos Pan Americanos. Nos 80kg, Daniel Ferreira disputou o bronze, mas perdeu por 8-0 para mexicano. Outros resultados: Diego Romanelli 8º nos 59kg, Rafael Pasco 8º nos 66kg, Angelo Marques 7º nos 75kg, Ronisson Brandão 7º nos 85kg e Davi Albino 9º nos 98kg.

Na luta feminina, era esperado uma ótima participação das meninas, mas só veio uma medalha. Nos 60kg, Laís Nunes (foto) chegou a final, vencendo uma mexicana e uma equatoriana. Na final, perdeu por muito pouco, por 3-2 para a canadense Michelle Fazzari. Se esperava uma boa participação de Aline Ferreira nos 75kg, mas ela parou nas 4as e terminou em 7º. Além disso, foram 2 derrotas nas disputas de bronze, de Joice Souza nos 58kg e de Giullia Oliveira nos 55kg. Outros resultados: Susana de Paula 12ª nos 48kg, Camila Fama 11ª nos 53kg, Dailane Reis 8ª nos 63kg e Gilda Oliveira 10ª nos 69kg.

Na luta livre, que teoricamente o Brasil tem mais tradição que na greco-romana, nenhuma medalha! Juliano Carvalho (61kg), Tasso Rocha (70kg) e o experiente Adrian Jaoude (86kg) perderam as disputas de bronze. Outros resultados: Uziel Correia 11º nos 57kg, Willian Elassy 15º nos 65kg, Rafael Jesus 14º nos 74kg, Juan Bittencourt 7º nos 97kg e Hugo Cunha 7º nos 125kg.

As meninas seguem agora para Baku, Azerbaijão, na final do Golden Grand Prix. Vamos ver se elas se recuperam.

Resumo do fim de semana

Medalhas nas Lutas

Após a confusão provocada pela indicação de excluir a Luta Livre e Greco-Romana dos Jogos de 2020, a equipe brasileira foi disputar 2 torneios internacionais.

No tradicional Torneio Dan Kolov & Nikola Petrov, em Plovdiv, Bulgária, as meninas conquistaram 3 bronzes: Joice da Silva no 59kg, Laís Oliveira no 63kg e Aline Ferreira no 72kg. Também conseguiram um 5º lugar com Susana Almeida (48kg), Dailane Gomes dos Reis (63kg), Gilda Oliveira (67kg). Bons resultados para uma competição que contou com países tradicionais na luta, como Rússia, Turquia, Azerbaijão e Bulgária. Os irmãos Jaoude também disputaram o torneio na luta livre. Adrian Jaoude foi 17º no 84kg e Antoine Jaoude perdeu a disputa do bronze e ficou em 5º nos 120kg.

No torneio Granma-Cerro Pelado em Cuba, mais medalhas. Ronisson Brandão foi bronze na greco-romana 84kg e na luta feminina, outras 4 medalhas de bronze. Atualizo quando conseguir os resultados.

A luta ficou nos holofotes essa semana, com a renúncia do presidente da Federação Internacional FILA, Raphael Martinetti e a indicação do presidente da feração brasileira (CBLA) Pedro Grama Filho para o Bureau da FILA, ao lado do super campeão russo Alexander Kareline, tricampeão olímpico e 9 vezes campeão mundial.

No judô, foram 2 medalhas do Aberto Europeu de Oberwart, Áustria. Eleudis Valentim (foto) foi prata no 52kg, perdendo para Mukhbat, da Mongólia. E a medalhista olímpica Ketleyn Quadros foi bronze no 57kg.

No Aberto de Budapeste, foram mais 3 bronzes: Bruno Mendonça no 73kg, Nacif Elias no 90kg e Renan Nunes nos 100kg.

Seguindo nas lutas, novas disputas nas Copas do Mundo de Esgrima. Em Pádova, Renzo Agresta foi o melhor brasileiro em 98º. Na prova por equipes, o Brasil terminou em 14º entre 21 equipes.

Raquetes

Foi disputado o Brasil Open de tênis no Ibirapuera essa semana, com a ilustre presença de Rafael Nadal, que faturou o título sobre David Nalbandian com 62 63. Nadal, que está muito longe de sua forma antiga, sofreu nas quartas e na semi, perdendo 1 set em cada jogo.

Mas o destaque brasileiro foi nas duplas! Bruno Sores (foto, a direita) não cansa de vencer títulos! Ao lado so austríaco Alexander Peya (foto, a esquerda), venceram o checo Frantisek Cermak e o eslovaco Michal Mertinak por 67(5) 62 [10-7]. Bruno é assim, tricampeão seguido do Brasil Open! Conquistou seu 2º título do ano e o 12º na carreira, se tornando o duplista brasileiros com maior número de títulos na história! Bruno não perde um jogo de ATP250 e ATP500 desde agosto do ano passado!

Num challenger feminino de alto nível em Cali, Colômbia, Teliana Pereira (foto) fez um ótimo torneio, chegando às quartas nas simples e ficou com o vice-campeonato nas duplas! Há 7 anos uma brasileira não vence uma partida de simples num torneio do WTA Tour… Tá na hora de quebrar esse tabu!

No forte Aberto de Kuwait de tênis de mesa, a equipe brasileira conseguiu passar pela fase de grupos e chegar a chave final, mas os 3 perderam na estreia. Gustavo Tsuboi foi o que mais deu trabalho, perdendo de 4-3 para sul-coreano Jeong Sangeun. Thiago Monteiro e Cazuo Matsumoto perderam de 4-0.

Atletismo e Natação

No GP de Orlando, 2 brasileiros ganharam medalhas: Felipe Lima, 13º em Londres, faturou o ouro nos 100m peito com o bom tempo de 1:00.86 e a prata nos 200m peito, com 2:14.16. Gabriel Fidélis foi bronze nos 200m peito com 2:17.40. Os destaques do GP ficaram por conta da super Missy Franklin, que venceu 4 provas (100, 200 livre e 100, 200 costas), Becca Mann com 4 ouros também (200 e 400 medley e 400 e 800 livre) e Tyler Clary com 3 vitórias (400 medley, 200 costas e 200 borboleta).

No atletismo, o destaque foi Augusto Dutra (foto). Na 1ª etapa do Circuito de Salto com Vara, realizado no CT da BM&FBovespa, em São Caetano do Sul, ele saltou 5,66m, batendo o recorde sul-americano indoor que era de 5,65m desde 2011. Raro ver uma prova indoor no Brasil! Em meeting indoor em Birmingham, Eliane Martins foi mal e ficou em 8ª nos salto em distância com fracos 6,11m.