Resumo olímpico da semana

Vôlei

Captura de Tela 2017-09-13 às 00.48.37

Foto: FIVB

O Brasil ficou com a prata na Copa dos Campeões de Vôlei feminino no Japão, após 3 vitórias em 5 jogos. Começou vencendo por 3-1 a Rússia, depois perdeu de 3-2 para a China e para o Japão, antes de vencer 3-0 a coreia do Sul e fechar a campanha com 3-0 sobre as americanas. A China ficou com o ouro de maneira invicta e os Estados Unidos foram bronze também com 3 vitórias.

A seleção feminina encerra, assim, o ano com um excelente retrospecto, de 3 ouros (Grand Prix, torneio de Montreux e Sul-Americano) e uma prata em 4 competições, mas mostrou muita inconstância, embora esteja em renovação.

Canoagem Slalom

Ana Sátila não medalhou por pouco na etapa final da Copa do Mundo em La Seu D’Urgell, na Espanha. Na última competição antes do Mundial no fim do mês na França, Ana chegou às finais das duas provas que disputou. No K1, depois de fazer o melhor tempo na semifinal, acabou ficando em 4º lugar na decisão com 99.93, a 1.78 do bronze. A vitória foi da alemã Ricarda Funk com 96.82. No C1, que agora é olímpica, Ana Sátila terminou em 7º com 115.69, ficando a 2.68 do pódio. O ouro ficou com a espanhola Nuria Vilarrubla com 108.37.

Pedro da Silva, finalista olímpico, parou na semifinal do K1 em 25º.

Hipismo

A equipe brasileira formada por Pedro Muylaert/Prince Royal Z MFS, Yuri Mansur/Babylotte, Pedro Veniss/Quabri de Isle e Eduardo Menezes/Quintol foi prata na Copa das Nações no CSIO5* de Spruce Meadows, no Canadá. Somando 8 pontos, o Brasil empatou com os Estados Unidos, que contou com a bicampeã olímpica Beezie Madden. No desempate, Madden e Muylaert zeraram, mas a americana fez o percurso em 39.21 contra 39.75 do brasileiro.

Este torneio não valeu pro circuito da Copa das Nações. Apesar disso, o Brasil já está classificado pra etapa final, que será no fim do mês em Barcelona e contará com os mesmos 4 cavaleiros acima e também com Marlon Zanotelli.

Outros Esportes

img-20170910-wa0011

Equipe de karatê na Alemanha. Foto: CBK

– Os atletas brasileiros conquistaram 2 pratas na etapa final da Karate1 Premier League na Alemanha. Campeão no ano passado, Douglas Brose perdeu na final dos 60kg por 6-2 para o russo Evgeny Plakhutin. Nos 67kg, Vinicius Filgueira também perdeu na decisão 5-3 para o japonês Hiroto Gomyo.

Adilson da Silva fica em 37º no Omega European Masters de golfe, válido pelos fortes Tours Europeu e Asiático, na Suíça. Ele somou 276 tacadas, 10 acima do campeão, o inglês Matthew Fitzpatrick e ganhou 1,2029 potnos no ranking mundial. No Tour Latinoamericano, no México, nenhum brasileiro passou pelo corte.

Shayanne da Silva foi a única brasileira no Mundial Cadete de lutas, em Atenas. Nos 49kg, ela perdeu na estreia de 10-0 por superioridade para a ucraniana Tetiana Profatitilova, que foi bronze na categoria.

Anúncios

Mundial de Lutas – Final

No sexto e último dia, foi a vez dos americanos brilharem e vencerem a lista livre por equipes.

Livre 65kg masculino

Cabeça 1, o georgiano Zurabi Iakobishvili levou o ouro em seu 1º mundial. Ele só teve mais tranquilidade nas 4as, quando derrotou o turco Mustafa Kaya por 12-6 com encantamento. Na decisão, venceu o russo que agora defende a Polônia Magomedmurad Gadzhiev por 3-1. O russo Alan Gogayev e o cubano Alejandro Valdés ficaram com os bronzes.

Livre 70kg masculino

fs_70kg_gold_frank_chamizo_marquez_ita_df-_james_malcolm_green_usa_by_8-0_d

Frank Chamizo (ITA)

Na categoria de 65kg até o ano passado, o cubano naturalizado italiano Frank Chamizo faturou seu 2º título mundial, agora nos 70kg. Bronze no Rio, ele derrotou na decisão o americano James Green, campeão pan-americano este ano, por 8-0. O japonês Yuhi Fujinami e o cazaque Akzhurek Tanatarov levaram os bronzes.

Livre 74kg masculino

74kg_mf_gold-_khetik_tsabolov_rus_vs-_jordan_ernest_burroughs_usa

Jordan Burroughs (USA)

Com pouquíssimas derrotas na carreira, o americano Jordan Burroughs venceu esta categoria de peso pela 4ª vez em um Mundial! O americano, que era o favorito e fracassou nos Jogos do Rio, derrotou na final o russo Khetag Tsabolov por 9-6 para ficar com mais um ouro no seu currículo. Os bronzes foram para o turco Soner Demirtas e para o bielorrusso Ali Shabanau.

Livre 97kg masculino

fs_97kg_gold_kyle_frederick_snyder_usa_df-_abdulrashid_sadulaev_rus_by_6-5_b

Abdulrashid Sadulaev (RUS, de azul) x Kyle Snyder (USA, vermelho)

A final da categoria encerrou o mundial e não poderia ter sido melhor, pois colocou dois campeões olímpicos no Rio frente a frente neste Mundial: o americano Kyle Snyder (ouro nos 97kg) e o russo Abdulrashid Sadulaev (ouro nos 86kg). Ambos estão com apenas 21 anos! Além dos ouros no Rio, Snyder tem um mundial em 2015 e Sadulaev dois mundiais e é derrotado apenas apela 2ª vez na carreira em torneis internacionais! Na luta, Snyder venceu Sadulaev por apenas 6-5 e ficou com o ouro. O azeri Aslanbek Alborov e o armênio Georgy Ketoyev completaram o pódio.

Com um dia excelente, a equipe dos EUA conquistou o título geral da luta livre masculina com 54 pontos contra 53 da Rússia! Após 24 categorias disputadas, o Japão encerrou o Mundial com espetaculares 6 ouros, 1 prata e 2 bronzes! EUA vem em seguida com 3-3-3, Turquia com 3-1-3, Geórgia com 2-0-3 e Armênia com 2-0-2. Ao todo, 13 países ganharam ouro e 34 medalharam. O próximo mundial será em outubro de 2018 em Budapeste.

Mundial de Lutas – Dia 5

No primeiro dia das finais de luta livre masculina, mais um ouro japonês e a vitória de um campeão olímpico.

Livre 57kg masculino

fs_57kg_gold_yuki_takahashi_jpn_df-_thomas_patrick_gilman_usa_by_6-0_b

Yuki Takahashi (JPN)

Campeão olímpico da juventude em 2010 e campeão asiático este ano, o japonês Yuki Takahashi faturou o 6º ouro de seu país neste mundial, aproveitando a ausência de todos os medalhistas olímpicos do Rio, incluindo o campeão mundial em 2015 e ouro o Rio, o georgiano Vladimer Khinchegashvili, que subiu de categoria. Na decisão, ele derrotou o americano Thomas Gilman por 6-0. Os bronzes foram para o ucraniano Andriy Yatsenko e o mongol Erdenebatyn Bekhbayar,

Livre 61kg masculino

fs_61kg_gold_haji_aliyev_aze_df-_gadzhimurad_rashidov_rus_by_7-1_c

Haji Aliyev (AZE) comemorando o tricampeonato

Bronze no Rio nos 57kg, o azeri Haji Aliyev conquistou o tricampeonato mundial dos 61kg em Paris. Em uma competição impecável, Aliyev venceu 5 combates com 45 pontos a favor e apenas 2 contra. Na final, superou o russo Gadzhimurad Rashidov por 7-1 com encostamento. Campeão olímpico e mundial nos 57kg, o georgiano Vladimer Khinchegashvili, e o cubano Yowlys Bonne, ouro no Pan de Toronto, ficaram com os bronzes.

Livre 86kg masculino

fs_86kg_gold_hassan_aliazam_yazdanicharati_iri_df-_boris_makoev_svk_by_10-0_c

Hassan Yazdani (IRI)

Ouro no Rio-2016, o iraniano Hassan Yazdani levou o ouro na categoria. Começou arrasando nas primeiras lutas, com 12-2 sobre cazaque, 10-0 em atleta da Moldávia e 10-0 em azeri. Na semifinal, 4-0 no russo Vladislav Valiev e na decisão, mais um passeio com 10-0 sobre o eslovaco Boris Makojev, que sobe ao seu 1º pódio em uma competição importante. Valiev e o americano J’den Cox ficaram com os bronzes.

Livre 125kg masculino

fs_125kg_gold_geno_petriashvili_geo_df-_taha_akgul_tur_by_10-8_b

Geno Patriashvili (GEO) de azul na final contra Taha Akgül (TUR)

Campeão olímpico no Rio e bicampeão mundial da categoria, o turco Taha Akgül acabou derrotado na final pelo georgiano Geno Petriashvili, bronze no europeu e no Rio-2016, por um placar bem apertado de 10-8. Os bronzes foram para o americano Nick Gwiazdowski e para o armênio Levan Berianidze, 5º no Rio.

Resumo olímpico da semana

Saltos Ornamentais

p1bkes1bn4hfg1trc1u3p3fq1nfk7_crop

Isaac Souza Filho no topo do pódio

Uma semana antes da estreia no Mundial de Esportes Aquáticos, a equipe brasileira de saltos ornamentais conquistou 5 medalhas no GP de Saltos em Bolzano, na Itália. Isaac Souza Filho foi o grande destaque do país ao ficar com o ouro na plataforma masculina com a pontuação de 394,00. Na prova feminina, Ingrid Oliveira ficou com a prata com 282,00 atrás da chinesa Zhang Nanju com 292,55.

Tammy Galera ficou com o bronze no trampolim com 263,80 e ainda faturou mais duas medalhas nos saltos sincronizados. No trampolim feminino ao lado de Luana Lira ficou com o bronze (eram 4 países na disputa) e no trampolim misto ao lado de Ian Matos foi prata (eram 3 países). A equipe segue para Budapeste onde já faz sua estreia nesta sexta-feira no trampolim de 1m.

Remo

2017-07_copa-lucerna-06

Pódio na Copa do Mundo

Na 3ª etapa da Copa do Mundo em Lucerna, Suíça, a dupla de Xavier Maggi e Willian Giaretton, que estiver no Rio-2016 no Double skiff leve, faturou a medalha de bronze no Dois Sem Leve, prova que não é olímpica, com 6:37.50, atrás de Irlanda com 6:34.00 e Rússia com 6:36.28. Na etapa anterior, eles já haviam ficado com o bronze, mas eram apenas 3 barcos na disputa. Desta vez, foram 6 embarcações e a dupla ficou a frente de 3: Grã-Bretanha, França e Noruega. Uma boa prova.

Foram ainda outros 3 barcos. No Single skiff masculino peso leve, não olímpico, Uncas Batista venceu a Final C, terminando em 13º no geral entre 26. Mas nas prova olímpicas do single skiff, tanto Lucas Ferreira no masculino como Milena Viana no feminino venceram a Final E. Provas bem ruins

Lutas

A seleção brasileira cadete disputou em Buenos Aires, na Argentina, o Pan da modalidade da categoria. Com 17 atletas no total, o Brasil voltou com 5 medalhas, todas no feminino. Maria Elizabeth da Silva, nos 56kg, foi a única medalha de prata, enquanto Ketellen do Nascimento (43kg), Letícia Pimenta (49kg), Júlia de Oliveira (60kg) e Thaissa Ribeiro (70kg) ficaram com a medalha de bronze.

Na luta livre masculina, foram 5 derrotas nas disputas do bronze. Entre eles, Igor Queiroz, que perdeu o bronze tanto na livre como na Greco-romana. Boa parte da equipe permanece na capital argentina pro Sul-Americano.

Vôlei de Praia

Pela primeira vez no ano o Brasil não venceu um ouro em uma prova de 4 ou 5 estrelas no circuito mundial. No Major de Gstaad, na Suíça, Larissa e Talita foram derrotadas na final para as alemãs Chantal Laboureur e Julia Sude por 21-18, 22-20, ficando com a prata. Entre os homens, Álvaro/Saymon e Evandro/André perderam na semi e se enfrentaram na disputa do bronze, onde Álvaro/Saymon venceram com 21-12, 21-18. O título ficou com os americano Phil Dalhausser/Nick Lucena, com 21-18, 21-19 sobre os poloneses Losiak/Kantor.

Ainda assim, o Brasil está disparado no quadro de medalhas do circuito, com 9 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. EUA vem atrás com 4-1-1.

Outros Esportes

Pedro Barros venceu a etapa de Vancouver do Vans Park Series com a espetacular nota de 95,53.

– Na etapa de Lausanne da Diamond League, o revezamento 4x100m feminino do Brasil ficou com a prata com 42.97, atrás da Suíça com 42.53. No arremesso de peso, Darlan Romani fez apenas um arremesso válido, com 20,07m, terminando em 10º. Na etapa de Londres no domingo, Rosângela Santos fez 11.25 na semifinal dos 100m e na final melhorou para 11.22, ficando em 8º lugar. Vitória foi da campeã olímpica Elaine Thompson com 10.94. Em meeting em Sotteville-Lès-Rouen, na França, Geisa Coutinho venceu os 400m com  51.93. Em Nembro, Itália, Altobeli da Silva venceu os 3.000m (SEM obstáculos) com 7:51.48.

– No Pan Juvenil de pólo aquático em Lima, o Brasil ficou com duas pratas por pouco. No masculino, perdeu a final pros EUA por 6-5 e no feminino foi derrotado pelas americanas por 9-7.

– Depois do 10º lugar na semana anterior, Henrique Avancini foi 22º na Copa do Mundo de Mountian Bike em Lenzerheide, na Suíça, com 1:33:42. O campeão foi, mais uma vez, Nino Schurter, com 1:29:48. No feminino, Raiza Goulão foi 20ª com 1:34:52 entre 67 que terminaram.

Alexandre Rocha não passou no corte no LECOM Health Challenge, válido pelo web.com Tour de golfe.

– Na Classe Star, que deixou de ser olímpica no Rio-2016, Lars Grael e Samuel Gonçalves ficaram com a medalha de prata no Mundial disputado na Dinamarca. Com 20 pontos perdidos, ficaram atrás dos noruegueses Eivind Melleby e Joshua Revkin, com 18.

Resumo olímpico da semana

Handebol

not_grd_0000032741

Sem adversários de mesmo nível, a seleção feminina conquistou o Torneio Quatro Nações em São Bernardo. Arrasou por 40-13 o Chile e por 36-9 a República Dominicana e derrotou Portugal por 35-29.

O Brasil enfrentou 3 equipes bem fracas na preparação para o Pan, que começa no próximo domingo na Argentina e dará 3 vagas para o Mundial em dezembro na Alemanha. Na primeira fase, o Brasil pega EUA, Colômbia, Paraguai e Porto Rico.

Luta

img-20170609-wa0046

Joilson Santos Jr no topo do pódio

A equipe brasileira juvenil conquistou 8 medalhas no Pan da categoria em Lima. Apesar da greco-romana ser o pior estilo do Brasil no adulto, foram 4 medalhas na competição juvenil. O único ouro do país em Lima veio com Joilson Ramos Jr, que venceu a categoria 66kg e se tornou bicampeão continental. Ele venceu suas 3 lutas com muita tranquilidade e superioridade. Rafael Crystêllo Filho foi prata nos 120kg, Erivan Rocha nos 55kg foi bronze e Douglas Rocha nos 96kg também foi bronze.

Na luta feminina, Shayenne Silva foi prata nos 48kg ao perder para peruana por 19-17 (!!). Fabiana Alcantara nos 63kg e Thais Oliveira nos 72kg foram bronze. Na luta livre, apenas um bronze, com Daniel Nascimento nos 55kg.

Vôlei

Na 2ª semana da Liga Mundial, o Brasil foi para a Bulgária e, assim como na 1ª, venceu duas partidas e perdeu uma.

Na sexta, venceu o Canadá por 3-1 (23-25, 25-20, 25-22, 25-23). No sábado, fez 3-1 na campeã mundial Polônia (25-21 ,25-20, 17-25, 25-19) e no domingo não foi páreo para a Bulgária, que venceu por 3-1 (25-22, 25-19, 23-25, 25-19).

Após 6 jogos, o Brasil está em 3º no Grupo 1 com 4V e 2D atrás da França, que está invicta com 6 vitórias, e Sérvia, que tem 5.

Outros Esportes

– Participação bem modesta dos brasileiros no Pan de pentatlo moderno, em Santo Domigno. No masculino, William Muinhos foi 8º com 1.399 pontos (52s atrás do campeão) e Gabriel Sasaqui foi 21º com 1.297 entre 41 atletas. No feminino, Priscila Oliveira terminou em 10º com 1,264 (85s atrás da campeã) e Bianca Cavalcanti foi 18ª com 1.189 entre 28 atletas.

Bia Haddad Maia segue embalada e chegou às semifinais do Bol Open, torneio da WTA de US$ 125.000 na Croácia. Bia venceu na 2ª rodada a sueca cabeça 1 Johanna Larsson por 76(3) 61 e nas quartas derrotou a italiana Sara Errani por 61 64, até perder na semifinal para a sérvia Aleksandra Krunic de virda por 16 62 60. Com mais uma boa campanha, Bia atingiu seu melhor ranking da carreira , o 94º lugar

Alexandre Rocha ficou em 4º no Rust-Oleum Championship, em Illinois, com 281 tacadas, 7 acima do alemão campeão Stephan Jaeger. Alexandre somou 3,45333 pontos pro ranking e subiu quase 400 posições no ranking, para 858º.

Philip Greenlees venceu a seletiva brasileira para os Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires-2018, em Campinas. A FEI ainda precisa confirmar as vagas sul-americanas pros Jogos.

– Em amistoso de Rugby XV em São Paulo, Brasil vence Portugal com virada histórica. Com menos de 10min pro final da partida, os Tupis perdiam de 21-6, mas, com 3 tries seguidos, virou para 25-21

– Na Série Mundial de triatlo em Leeds (GBR), Danilo Pimentel foi 31º na prova masculina com 1:53:26, quase 7min atrás do campeão Alistair Brownlee.

Vela e tiro com arco tem seus posts próprios.

Perfil 2016 – Abdulrashid Sadulaev (RUS)

15/75

Abdulrashid Sadulaev

Luta Livre

85kg

Mundiais: 2 ouros

 

 

Com apenas 20 anos, o russo Abdulrashid Sadulaevé hoje o principal nome da luta livre mundial.

De origem sunita, Sadulaev nasceu na República do Daguestão, que fica no sul da Rússia, fazendo fronteira com o Azerbaijão, Geórgia e a Chechênia, região muito forte no esporte. Sua estreia internacional foi no Mundial cadete em 2012, no Azerbaijão. Com 4 vitórias, sendo duas por encostamento, ficou com o título mundial.

Em 2013, voltou pro Mundial cadete na Sérvia, onde arrasou seus adversários. Precisou de 20s na semifinal para vencer e na grande final, encostou turco em 46s para se tornar bicampeão mundial da categoria. 3 meses depois, fez sua estreia em torneio adultos no Memorial Heydar Aliyev, no Azerbaijão, onde perdeu na estreia por encostamento para o azeri Gamzat Osmanov. Voltou na repescagem, venceu duas lutas e foi bronze.

Daí em diante, Sadulaev não soube mais o que é perder. Em 2014, venceu os tradicionais Grands Prix Ivan Yarygin na Rússia e Yasar Dogu, na Turquia. Dois meses depois, no Europeu na Finlândia, venceu 5 lutas e fechou o ouro com 5-2 na final sobre o bielorrusso Murad Gaidarov. Ainda em 2014, foi ouro em torneio na Polônia e chegou no Mundial, em setembro no Uzbequistão como favorito. Em seu primeiro mundial adulto, Sadulaev passeou. Em 3 das 5 lutas precisou de menos de 1min30s. Na final, em 1min25s, encostou o cubano Reineris Salas para levar seu primeiro mundial adulto.

Em 2015, o russo faturou torneio na Bielorrússia em março. Em junho, na primeira edição dos Jogos Europeus em Baku, mais 4 vitórias e o ouro, derrotando na final o moldavo Piotr Ianulov. Em setembro, no Mundial de Las Vegas, sua primeira competição fora da Europa, Sadulaev precisou de 6 lutas para chegar a mais um ouro. Na final, venceu o turco Selim Yasar por 6-0 e faturou seu 2º título mundial.

Neste ano, já venceu o Europeu Sub23 na Bulgária, com 4 encostamentos. Considerando as seletivas russas, Sadulaev tem um retrospecto oficial de 64 vitórias e apenas 1 derrota. Aos 20 anos, é um ouro quase que certo para a Rússia na categoria 86kg da luta livre.

Pan de Lutas

Depois do Pan de esgrima, Santiago recebeu o Pan de lutas, que definiria as últimas vagas pros Jogos Pan-Americanos. O Brasil enviou equipe completa em todas as categorias olímpicas. Só ficou de fora de um peso masculino não olímpico.

Luta Feminina

É a melhor categoria do Brasil e de onde veio a única medalha brasileira da história em Mundiais.

Captura de Tela 2015-04-26 às 22.26.11

Foto: Joice Silva/Instagram/Reprodução

 

Joice Silva conquistou o único ouro do Brasil no Pan na categoria 58kg. Uma das atletas mais experientes do Brasil, Joice já havia ganho em Pans 2 pratas e 4 bronzes, além do bronze no Pan-2011. Ela venceu 4 lutas culminando com 13-4 na final sobre a canadense Jazmyne Barker.

As outras duas medalhas vieram da vice-campeã mundial Aline Silva nos 75kg e de Giulia Oliveira nos 53kg, ambas levando medalha de bronze. Outras 3 atletas perderam a disputa de bronze. Por equipe, o Brasil terminou na ótima 3ª posição com 52 pontos, atrás apenas de Canadá e Venezuela, que empataram com 58 pontos, mas Canadá ficou na frente por ter dois ouros contra nenhuma da Venezuela. Os EUA também levaram equipe completa, mas ficaram em 5º lugar. Belo avanço do Brasil na modalidade.

Luta Masculina

Se as mulheres foram bem, os homens seguem mal. Bem mal.

Juan Bittencourt, de vermelho. Foto: Renato Sette/CBLA/Arquivo

 

Na luta livre, a única medalha veio nos 97kg. Juan Bittencourt perdeu nas 4as para americano e foi pra repescagem, onde venceu duas lutas até passar por 5-0 em argentino e ficar com bronze. Foram duas derrotas nas disputas do bronze, com Pedro Rocha nos 74kg e com Hugo Cunha nos 125kg. Nas outras duas categorias olímpicas que disputou (57kg e 86kg), derrotas logo na estreia. Por equipe, o Brasil ficou em 5º, mas o domínio foi total americano. Das 8 categorias em disputa, os americanos chegaram em todas as finais, vencendo em 6!

Na greco-romana, Davi Albino salvou a pátria brasileira surpreendendo e chegando até a final dos 98kg. Na grande final, perdeu por 4-0 para o cubano Reinier Romero, conquistando a única vaga da greco-romana pro Brasil pro Pan. De resto, todos os brasileiros em categorias olímpicas perderam na estreia.

Esse Pan mostrou mais uma vez a realidade da luta brasileira, onde as mulheres estão milhas na frente dos homens. Em Mundiais, eles raramente tem uma vitória, mas elas brigam pelas primeiras posições. Se nem em um Pan eles vencem, não dá para esperar muita coisa em um mundial ou Olimpíada.

O Brasil conquistou 9 vagas para os Jogos Pan-Americanos. 2 já tinham vindo ano passado com os ouros nos Jogos Sul-Americanos, ambas no feminino. Agora, serão 5 mulheres (em 6 categorias possíveis) e apenas 4 homens, 1 na greco-romana e 3 na livre. Pior que no Pan de 2011.