Tiro com arco faz sua estreia no ano

ant17_x17_8433-l

Bernardo Oliveira (direita) e Oleksii Hunbin (UKR)

A CBTARCO optou por enviar para a 2ª etapa da Copa do Mundo de tiro com arco, em Antalya, na Turquia, apenas 3 arqueiros e todos no masculino. A mesma equipe que defendeu o país nos Jogos do Rio (Marcus Vinícius D’Almeida, Daniel Xavier e Bernardo Oliveira) foi pra Turquia enquanto nenhuma mulher foi enviada, nem mesmo Ane Marcelle dos Santos, melhor brasileira nos Jogos do Rio e vencedora da seletiva nacional. A federação alegou que ela não atingiu o índice mínimo de 640 no Duplo 70m.

Na Turquia, Marcus Vinícius foi o melhor brasileiro no ranqueamento com 650 pontos e o 43º lugar. Bernardo foi 46º com 649 e Daniel 60º com 641 entre 88 arqueiros. Por equipes, o Brasil ficou na 15ª posição entre 18 e avançou pra chave final.

Daniel e Marcus venceram dois combates na chave masculina. Daniel passou com 6-4 pelo belga Nico Thiry e depois com 6-4 no malaio Haziq Kamaruddin, perdendo na 3ª rodada de 6-2 pro francês Thomas Chirault. Já Marcus venceu por 6-2 o iraniano Sadegh Ashrafi e também por 6-2 o japonês Naoya Oniyama, mas caiu para o japonês Hideki Kikuchi por 6-4. Ele fez um 21 no 4º set… Bernardo caiu logo na estreia por 6-5 com 10-9 na flecha da morte para o ucraniano Oleksii Hunbin.

Por equipes, o Brasil fez a favorita França suar e quase perder. Os franceses abriram 4-0 (56-53, 56-53), mas o Brasil empatou com 58-57 e 57-53. Nas flechas de desempate, um apertado 30-29 deu a vitória pros franceses.

O título da etapa ficou com o francês vice campeão olímpico Jean-Charles Valladont, que venceu o bronze no Rio-2016 Brady Ellison por 6-2. No feminino, vitória da russa Ksenia Perova com 6-5 (9*-9 nas flechas de desempate) na taiwanesa Lin Shih-Chia. Por equipes, ouro pra Itália no masculino (5-3 no Cazaquistão) e Taiwan no feminino (6-0 no Japão). Nas duplas mistas, agora olímpica, Taiwan fez 5-3 na França na decisão.

Prévias Rio-2016: Tiro com Arco

Individual masculino

Pódio Londres-2012: Ouro – Oh Jin-hyek (KOR); Prata – Takaharu Furukawa (JPN); Bronze – Dai Xiaoxiang (CHN)

Último Mundial (2015): Ouro – Kim Woo-jin (KOR); Prata – Rick van der Ven (NED); Bronze – Takaharu Furukawa (JPN)

Kim Woo-jin (KOR)

Quando o assunto é tiro com arco, não da para não falar de Coreia do Sul. O campeão olímpico Oh Jin-hyek não passou pela seletiva sul-coreana e não estará no Rio. Mas o campeão mundial Kim Woo-jin estará e é o favorito ao ouro olímpico. Apesar do país dominar o esporte, o ouro de Oh Jin-hyek foi o 1º no individual masculino da Coreia do Sul, e Kim pode continuar o domínio. Ele foi campeão mundial em 2011 e em 2015. Seu compatriota Lee Seung-yun foi campeão mundial em 2013 e, junto com Ku Bon-chan, pode formar um pódio completo da Coreia do Sul.

O americano Brady Ellison (1P) nunca ganhou um título mundial individual, mas é um dos maiores arqueiros do mundo. Com 22 vitórias em Copas do Mundo, uma medalha de cada cor em Mundiais, 3 ouros em Pans, ele é um forte candidato ao pódio, após fracassar no individual nas duas últimas Olimpíadas, caindo na 2ª rodada. Os holandeses vem mostrando grande evolução na prova e hoje estão entre os melhores, como o atual vice-campeão mundial Rick van der Ven e seu compatriota Sjef van den Berg.

Também ficar de olho no francês Jean-Charles Valladont, atual campeão europeu, no espanhol Miguel Alvariño, ouro nos Jogos Europeus, no japonês Takaharu Furukawa (1P) e no italiano Mauro Nespoli (1O-1P).

E o Brasil? O país cresceu bastante no tiro com arco e a equipe é liderada por Marcus Vinícius D’Almeida. Com 18, ele é campeão mundial cadete e foi prata nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2014, mas não vem num bom ano. Ainda assim, é uma ótima aposta, mas a pressão pode pesar sobre ombros tão novos. Bernardo Oliveira teve bons resultados na Copa do Mundo em 2015, mas este ano ainda não passou da 2ª rodada. Daniel Xavier esteve em Londres-2012 e teve resultados parecidos. Marcus é o que deve chegar mais longe entre os 3.

Meu Pódio: Ouro – Kim woo-jin (KOR); Prata – Ku Bon-chan (KOR); Bronze – Rick van der Ven (NED)

Equipe masculina

Pódio em Londres-2012: Ouro – Itália; Prata – Estados Unidos; Bronze – Coreia do Sul

Último Mundial (2015): Ouro – Coreia do Sul; Prata – Itália; Bronze – Taipei

Difícil não prever mais um título sul-coreano na prova. Eles venceram 7 dos últimos 8 mundiais e 3 das últimas 4 Olimpíadas, mas a derrota na semi de Londres-2012 e a ausência no pódio do mundial de 2013 podem colocar o título em dúvida. A equipe é formada por Kim Woo-jin, Ku Bon-chan e Lee Seung-yun, nenhum deles com experiência olímpica, mas todos tem títulos mundiais na carreira. Este ano, venceram as 3 etapas da Copa do Mundo e estão mais que credenciados pro topo do pódio, onde já estiveram no evento-teste em setembro de 2015.

Há outras excelentes equipes capazes de destronar os coreanos. Atuais campeã olímpica, a Itália tem 2 arqueiros da campanha de ouro de 2012, Mauro Nespoli (1O-1P) e Marco Galiazzo (2O-1P), mas só conquistaram um bronze nos últimos dois anos em Copas do Mundo. Em compensação, foram vice-campeões mundiais em 2015 com a mesma formação que virá ao Rio. A equipe americana tem dois vice-campeões olímpicos em Londres: o excelente Brady Ellison (1P) e Jake Kaminski (1P), mas nenhum pódio esse ano em Copas do Mundo. A equipe da Holanda é muito boa, com Sjef van den Berg e Rick van der Ven, mas não subiram muito ao pódio em provas recentes. Outras equipe que podem beliscar uma medalha são o Brasil, China, Taipei e França. São apenas 12 equipes na disputa.

E o Brasil? A equipe cresceu demais e pode causar uma enorme surpresa logo no 1º dia dos Jogos. Sem Marcus Vinícius D’Almeida, ficaram em 4º na etapa turca da Copa do Mundo. Completa, pode surpreender, mas dependerá de um bom ranqueamento para fugir dos favoritos.

Meu Pódio: Ouro – Coreia do Sul; Prata – Holanda; Bronze – Itália

Individual feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Ki Bo-bae (KOR); Prata – Aída Roman (MEX); Bronze – Mariana Avitia (MEX)

Último Mundial (2015): Ouro – Ki Bo-bae (KOR); Prata – Lin Shih-chia (TPE); Bronze – Choi Mi-sun (KOR)

A atual campeã olímpica, a sul-coreana Kim Bo-bae (2O) vem com todo o favoritismo pro ouro. Ano passado venceu o único título que ainda não tinha, o mundial, mas não vence uma prova individual em Copa do Mundo desde 2012! Sua maior rival é sua compatriota Choi Mi-sun, que fará sua estreia olímpica. Ela venceu duas etapas esse ano, em Medellin e Antalya, e chegou a duas finais no ano passado no circuito. O bronze no Mundial só melhora suas chances. As arqueiras de Taipei Lin Shih-chia e Tan Ya-ting são boas ameaças às coreanas. Lin foi vice no último mundial e Tan esteve esse ano nos 3 pódios de Copas do Mundo, a única a conseguir tal feito em 2016.

As russa estão em ótima fase. Ksenia Perova foi vice na etapa de Antalya e Tuyana Dashidorzhieva foi prata no europeu. As duas ao lado de Inna Stepanova foram campeãs mundiais por equipe no ano passado. De olho também nas mexicanas, lideradas pela vice-campeã olímpica Aida Roman (1P), nas indianas, em especial na Deepika Kumari e na chinesa Wu Jiaxin. Também podem surpreender a alemã Lisa Unruh e a americana Mackenzie Brown.

E o Brasil? Sarah Nikitin é a arqueira brasileira com o melhor resultado da história, quando chegou às 4as de final do Mundial de 2013. Se juntam a ela Ane Marcelle dos Santos e Marina Canetta. Ane Marcelle é quem vem de melhores resultados esse ano e dominou a seletiva brasileira. Ela e a Sarah tem melhores condições de chegar mais longe. Canetta não deve chegar muito longe, não.

Meu Pódio: Ouro – Ksenia Perova (RUS); Prata – Choi Mi-sun (KOR); Bronze – Tan Ya-ting (TPE)

Equipe feminina

Pódio em Londres-2012: Ouro – Coreia do Sul; Prata – China; Bronze – Japão

Último Mundial (2015): Ouro – Rússia; Prata – Índia; Bronze – Coreia do Sul

Coreia do Sul

Dificilmente a Coreia do Sul perde o ouro neste prova. Em 7 edições olímpicas que a prova por equipes foi disputada, jamais a Coreia não ficou com o ouro. Em Mundiais, são 10 títulos nas últimas 14 edições! Ki Bo-bae (4O), Choi Mi-sun e Chang Hye-jin formam uma das equipes mais fortes dos Jogos. As três foram ouro por equipe nas últimas duas Copas do Mundo e tem tudo para manter a escrita no Sambódromo.

Cinco equipes vem fortes e podem subir ao pódio. A Ucrânia vem do título europeu este ano e a Rússia levou duas medalhas na Copa do Mundo, mas contam com o título mundial em 2015, após vencer a Coreia na semifinal por 5-4, com 28-27 nas flechas de desempate! A equipe da Índia tem Deepika Kumari e Laxmirani Majhi e tem a medalha de prata do último mundial. China e Taipei são muito fortes, podendo pegar uma medalha também.

E o Brasil? As meninas do Brasil tem poucas chances de medalha. No ranqueamento, devem ficar de fora do top4 e precisarão disputar a preliminar, onde provavelmente vão encarara logo na estreia uma das equipes favoritas. Podem surpreender? Se atirarem bem, sim, mas não é o provável.

Meu Pódio: Ouro – Coreia do Sul; Prata – Rússia; Bronze – Índia