Jogos Mundiais Wroclaw-2017 – Resumo

A cidade polonesa de Wroclaw recebeu na semana passada os Jogos Mundiais, uma espécie de Olimpíadas para modalidades não olímpicas.

É uma competição bem interessante que coloca esportes nem tão diferentes como ginástica aeróbica, bilhar, boliche, ju-jitsu, patinação artística, patinação de velocidade, squash e esqui aquático com outros bem menos usuais, como natação com nadadeiras, cabo de guerra, corrida de orientação, punhobol, floorball, canoagem-pólo, paraquedismo, dança esportiva, korfball, lacrosse e sumo.

35334046534_dec14f3fd0_h

Korfball

Mais de 3.200 atletas de 102 países competiram em 219 eventos (199 oficiais e 20 demonstrativos).

Brasil em Wroclaw

O Brasil enviou 72 atletas em 13 modalidades (ginástica aeróbica, paraquedismo, handebol de praia, boules, dança esportiva, punhobol, karatê, kickboxing, corrida de orientação, levantamento de peso básico, patinação artística, sumô e ginástica de trampolim) e venceu 8 medalhas nas provas regulares, sendo 4 ouros, 2 pratas e 2 bronzes, e um ouro em esportes de demonstração.

not_grd_0000032878

Handebol de praia

Depois que a CBH disse que não pagaria as viagens das equipes de handebol de praia, que defendiam o ouro, por falta de recursos, os atletas fizeram uma vaquinha online e conseguiram viajar pra Polônia. E trouxeram dois ouros! No masculino, ficaram em 2º lugar no Grupo B, vencendo Austrália e Uruguai, mas perdendo pro Qatar. Nas 4as, 2-0 na Polônia, na semi 2-0 na Hungria e na decisão venceu por 2-1 (22-28, 24-18, 9-8) a Croácia. No feminino,foram 6 vitórias sem perder um set sequer. Na 1ª fase venceu Austrália, Polônia e Taipei, depois no mata-mata venceu Tunísia, Espanha e, na decisão, a Embed from Getty ImagesArgentina por 22-10 15-12.

Vice mundial, Valéria Kumizaki venceu o ouro no karatê kumitê 55kg com 1-0  na final sobre a taiwanesa Wen Tzu-Yun. No levantamento de peso básico, a bicampeã mundial Ana Castellain ficou com o ouro na categoria pesada após somar 651,83kg corrigidos (635,0kg no total, sendo 247,5kg no agachamento, 175,0kg no supino e 212,5kg no levantamento terra).

As pratas vieram no sumo peso leve com Luciana Higuchi, após perder final para ucraniana, e com a dupla Ana Caroline Martins e Noeli Corte no boules modalidade Raffa em duplas femininas. Hernani Veríssimo foi bronze no karatê 75kg e Rafaela Freitas também foi bronze na patinação artística, com 325,10 pontos, atrás de italiana e espanhola. Guto Inocente venceu o ouro no kickboxing +91kg, mas a modalidade era de demonstração.

Olímpicos em Wroclaw

Embed from Getty Images

Apesar de ser uma competição de modalidades que não estão no Jogos Olímpicos, há muitas provas (e, portanto, vários atletas) que tem relação com os Jogos. O karatê e a escalada esportiva farão suas estreias olímpicas em Tóquio-2020, mas ainda fizeram parte dos Jogos Mundiais. Na escalada, ficaram com as medalhas de ouro: Keiichiro Korenaga (JPN, no lead masculino), Anak Verhoeven (BEL, no lead feminino), Reza Alipourshenazandifar (IRI, na velocidade masculina), Iuliia Kaplina (RUS, na velocidade feminina), Yoshiyuki Ogata (JPN, no boulder masculino) e Stasa Gejo (SRB, no boulder feminino). No karatê, 19 medalhistas do último mundial subiram ao pódio na Polônia! Os campeões mundiais que venceram ouro nos Jogos Mundiais foram: Ryo Kyuna (JPN – kata masculino), Kiyou Shimizu (JPN – kata feminino) e Alexandra Recchia (FRA – 50kg feminino).

wga17_a17_7098-x3

Lisa Unruh (GER)

O tiro com arco recebeu disputas da modalidade Field no arco recurvo e no instintivo (recurvo sem mira), que coloca alvos a distâncias variadas (marcadas ou não marcadas), e nos combates como tivemos nos Jogos Olímpicos, mas no arco composto. Na prova do recurvo, foram 5 arqueiros que estiveram nos Jogos do Rio, incluindo 3 medalhistas: o francês Jean-Charles Valladont (prata no individual no Rio), o americano Brady Ellison (3 medalhas olímpicas) e a alemã Lisa Unruh (prata no individual no Rio). Unruh ficou com o ouro no feminino e Ellison foi prata no masculino.

A ginástica rítmica tem nos Jogos Mundiais as disputas por aparelho, completamente dominadas pelas irmãs gêmeas russas Arina e Dina Averina. Arina venceu no arco, na bola e na fita e foi bronze nas maças. Dina foi ouro nas maças e prata nos outros 3 aparelhos. 10 ginastas em Wroclaw estiveram nos Jogos do Rio. No trampolim, temos nos Jogos Mundiais as 3 provas que não são olímpicas: trampolim sincronizado, mini trampolim duplo e o tumbling. No sincronizado, tivemos 7 atletas que disputaram os Jogos do Rio, incluindo os medalhistas chineses Dong Dong (uma medalha olímpica de cada cor) e Li Dan (bronze no feminino no Rio). Dong Dong e Tu Xiao foram ouro no masculino e as ucranianas Nataliia Moskvina e Svitlana Malkova venceram no feminino.

A Rússia dominou o quadro geral com 28 ouros, 21 pratas e 14 bronzes, seguida de Alemanha (18-10-14), Itália (16-13-13), França (14-14-15), Ucrânia (10-7-8) e Colômbia (9-10-2).

A próxima edição dos Jogos Mundiais será na cidade americana de Birmingham, Alabama, em 2021.

Anúncios

Tiro com arco faz sua estreia no ano

ant17_x17_8433-l

Bernardo Oliveira (direita) e Oleksii Hunbin (UKR)

A CBTARCO optou por enviar para a 2ª etapa da Copa do Mundo de tiro com arco, em Antalya, na Turquia, apenas 3 arqueiros e todos no masculino. A mesma equipe que defendeu o país nos Jogos do Rio (Marcus Vinícius D’Almeida, Daniel Xavier e Bernardo Oliveira) foi pra Turquia enquanto nenhuma mulher foi enviada, nem mesmo Ane Marcelle dos Santos, melhor brasileira nos Jogos do Rio e vencedora da seletiva nacional. A federação alegou que ela não atingiu o índice mínimo de 640 no Duplo 70m.

Na Turquia, Marcus Vinícius foi o melhor brasileiro no ranqueamento com 650 pontos e o 43º lugar. Bernardo foi 46º com 649 e Daniel 60º com 641 entre 88 arqueiros. Por equipes, o Brasil ficou na 15ª posição entre 18 e avançou pra chave final.

Daniel e Marcus venceram dois combates na chave masculina. Daniel passou com 6-4 pelo belga Nico Thiry e depois com 6-4 no malaio Haziq Kamaruddin, perdendo na 3ª rodada de 6-2 pro francês Thomas Chirault. Já Marcus venceu por 6-2 o iraniano Sadegh Ashrafi e também por 6-2 o japonês Naoya Oniyama, mas caiu para o japonês Hideki Kikuchi por 6-4. Ele fez um 21 no 4º set… Bernardo caiu logo na estreia por 6-5 com 10-9 na flecha da morte para o ucraniano Oleksii Hunbin.

Por equipes, o Brasil fez a favorita França suar e quase perder. Os franceses abriram 4-0 (56-53, 56-53), mas o Brasil empatou com 58-57 e 57-53. Nas flechas de desempate, um apertado 30-29 deu a vitória pros franceses.

O título da etapa ficou com o francês vice campeão olímpico Jean-Charles Valladont, que venceu o bronze no Rio-2016 Brady Ellison por 6-2. No feminino, vitória da russa Ksenia Perova com 6-5 (9*-9 nas flechas de desempate) na taiwanesa Lin Shih-Chia. Por equipes, ouro pra Itália no masculino (5-3 no Cazaquistão) e Taiwan no feminino (6-0 no Japão). Nas duplas mistas, agora olímpica, Taiwan fez 5-3 na França na decisão.

Resumo Rio-2016 – Tiro com Arco

Pela primeira vez desde que o formato atual com provas individuais e por equipe existe, o tiro com arco foi dominado por um único país. A Coreia do Sul, maior potência da modalidade, venceu os 4 ouros em disputa. Em 1988, 2000, 2004 e 2012, os sul-coreanos venceram 3 das 4 provas.

Individual masculino

dqqff650

No dia da abertura, tivemos o primeiro recorde mundial antes mesmo da Cerimônia de Abertura. Kim Woojin, até então o favorito ao ouro, fez 700 pontos em 720 possíveis na rodada de ranqueamento, batendo o recorde em 1 ponto, que vinha de Londres-2012. O americano Brady Ellison foi o 2º melhor com 690 e o italiano David Pasqualucci o 3º com 685. Marcus Vinícius D’Almeida foi o melhor brasileiro com a 34ª posição com 658 pontos.

Nas fases de eliminação, Kim Woojin foi surpreendido pelo indonésio Riau Ega Agatha na 2ª rodada, perdendo por 6-2. Pasqualucci também caiu na 2ª rodada, por 6-2 para o espanhol Antonio Fernandez. Enquanto isso, os outros favoritos avançavam, como os sul-coreano Ku Bonchan e Lee Seung-yun, o americano Brady Ellison, o francês Jean-Charles Valladont, o holandês Sjef van den Berg e o japonês Takaharu Furukawa. Entre os brasileiros, Daniel Xavier perder 6-2 pro Lee e Marcus Vinícius caiu na estreia por 6-2 pro americano Jake Kaminski. Bernardo Oliveira venceu na estreia 6-4 o australiano Alec Potts, mas perdeu na 2ª rodada por 7-1 pro jovem chileno de 16 anos Ricardo Soto.

Nas 4as, Valladont eliminou na flecha de morte o italiano Mauro Nespoli, ouro por equipes em Londres. Van den Berg tirou Lee Seung-yun num belíssimo combate que foi 6-4 pro holandês. Ku Bonchan venceu também na flecha de morte a surpresa australiana Taylor Worth e Ellison venceu 6-2 o japonês Fukuhara.

Nas semis, confrontos de altíssimo nível com Valladont fazendo 7-3 no van den Berg e Ku Bonchan vencendo na flecha decisiva 9-8 sobre o Ellison. Na final, o coreano abriu 4-0, mas viu o francês encostar com 5-3. Na última série, Bonchan 27-26 e o ouro pra Coreia do Sul. Na disputa do bronze, Brady Ellison aproveitou que o holandês não atirava bem para fechar com 6-2 e completar o pódio.

Equipes masculinas

9b671653b07bc02e0d7677cf56ecd48bb4f7670d

Como esperado, a Coreia do Sul ficou em 1º lugar no ranqueamento com 2057 pontos contra 2024 dos EUA e 2007 da Itália. O Brasil ficou em 11º entre 12 equipes com 1948.

Nas 8as, o Brasil caiu logo na estreia por 6-2 para China. Nas 4as, a Coreia do Sul fez 6-0 na Holanda, a Austrália, 4ª colocada, tirou a forte França, 5ª, com 5-3. Do outro lado da chave, a China surpreendeu a forte equipe italiana, que contava com 2 arqueiros campeões em Londres-2012, por 6-0 e os EUA eliminaram a Indonésia por 6-2.

Nas semifinais, a Coreia fez 6-0 na Austrália e EUA também venceu sem perder nenhum set, com 6-0 na China. Na disputa do bronze, a Austrália foi mais constante para levar o bronze inédito com 6-2 sobre os chineses e na grande final, mais um show do trio Kim Woojin, Ku Bonchan e Lee Seung-yun, que fechou com 6-0, com parciais excepcionais de 60-57, 58-57, 59-56. EUA fica pela 2ª vez seguida com a prata e a Coreia do Sul é ouro pela 5ª vez na história.

Individual feminino

rio-2016-womens-individual-archery-medal-winners-on-podium-photo

No ranqueamento, um dia perfeito pra Coreia do Sul, com os 3 primeiros lugares: Choi Misun 1ª com 669, Chang Hyejin 2ª com 666 e Ki Bobae, campeã em Londres, em 3º com 663. Tan Ya-ting, de Taipei, foi 4ª com 656. Ane Marcelle dos Santos foi a melhor brasileira na ótima 26ª posição com 637. Ela ficou boa parte do ranqueamento entre as 10 primeiras.

As 3 coreanas seguiram até as 4as de final. Uma das principais surpresas foi a eliminação logo na estreia da vice-campeã olímpica em Londres, a mexicana Aida Roman, que perdeu de 6-4 para Alexandra Mirca, da Moldávia. Entre as brasileiras, Sarah Nikitin caiu na estreia 6-0 para a norte-coreana Kang Un-ju e Marina Canetta perdeu 7-1 para a chinesa Qi Yuhong. Ane Marcelle foi a melhor do Brasil nessa edição. Ela venceu 7-3 japonesa na estreia, depois passou com 6-0 sobre australiana. Nas 8as, não atirou bem e perdeu para a britânica Naomi Folkard por 6-2.

Nas 4as, Choi Misun atirou mal e perdeu de 6-0 para a mexicana Alejandra Valencia e a alemã Lisa Unruh surpreendeu Tan Ya-ting na flecha decisiva. Do outro lado da chave, as coreanas sobraram. Ki Bobae fez 6-2 na chinesa Wu Jiaxin e Chang Hyejin passou pela Folkard com 7-1. Nas semis, Unruh seguiu sua excelente campanha e venceu a mexicana por 6-2 e no duelo sul-coreano, Chang bateu a campeã olímpica e mundial Ki Bobae por 7-3. Na disputa do bronze, Ki e Valencia fizeram um belo duelo, vencido pela coreana por 6-4, com um belo 30-25 no último set. Na grande final, Chang fez 6-2 na alemã para levar o ouro, o 8º do país na prova pela 8ª arqueira diferente!

Equipe feminina

Rio Olympics Archery Women

Com tranquilidade, a Coreia do Sul sobrou na prova. No ranqueamento ficou em 1º com 1998, 60 a mais que a 2ª colocada, a Rússia, e 65 a mais que a 3ª, a China. O Brasil terminou em 11º com 1845 entre 12 equipes.

Nas 8as, o Brasil perdeu por 6-0 para a Itália, atirando bem mal. Nas 4as, a Coreia do Sul passou com 5-1 pelo Japão e Taipei virou o combate sobre o México. As mexicanas abriram 4-0 e Taipei empatou. Nas flechas de desempate, 26-25 para as asiáticas. A Itália fez 5-3 na China e a Rússia eliminou a Índia por 5-4, com 25-23 no desempate.

Nas semifinais, a Coreia começou com um brilhante 60 sobre Taipei e fechou em 5-1. Na outra partida, as vicecampeãs mundiais russas começaram perdendo de 3-1, mas viraram para 5-3. A Itália tinha a vaga na final na mão. Estava empatada em 3-3 e a Rússia fez 52 no 4º set. A Itália tinha 28 e só precisava de de 25, mas uma das arqueiras fez um 3 e tirou a Itália da final. Muito abaladas, as italianas até tentaram, mas perderam de 5-3 para Taipei, que levou o bronze. Na final, a Coreia fez 58-49 e 55-51. No último set, 51-51 com Ki Bobae fechando com um 8 e dando o 4º ouro do tiro com arco pra Coreia do Sul. Em 8 edições da equipe feminina em Jogos, são 8 ouros sul-coreanos!