Tiro com arco faz sua estreia no ano

ant17_x17_8433-l

Bernardo Oliveira (direita) e Oleksii Hunbin (UKR)

A CBTARCO optou por enviar para a 2ª etapa da Copa do Mundo de tiro com arco, em Antalya, na Turquia, apenas 3 arqueiros e todos no masculino. A mesma equipe que defendeu o país nos Jogos do Rio (Marcus Vinícius D’Almeida, Daniel Xavier e Bernardo Oliveira) foi pra Turquia enquanto nenhuma mulher foi enviada, nem mesmo Ane Marcelle dos Santos, melhor brasileira nos Jogos do Rio e vencedora da seletiva nacional. A federação alegou que ela não atingiu o índice mínimo de 640 no Duplo 70m.

Na Turquia, Marcus Vinícius foi o melhor brasileiro no ranqueamento com 650 pontos e o 43º lugar. Bernardo foi 46º com 649 e Daniel 60º com 641 entre 88 arqueiros. Por equipes, o Brasil ficou na 15ª posição entre 18 e avançou pra chave final.

Daniel e Marcus venceram dois combates na chave masculina. Daniel passou com 6-4 pelo belga Nico Thiry e depois com 6-4 no malaio Haziq Kamaruddin, perdendo na 3ª rodada de 6-2 pro francês Thomas Chirault. Já Marcus venceu por 6-2 o iraniano Sadegh Ashrafi e também por 6-2 o japonês Naoya Oniyama, mas caiu para o japonês Hideki Kikuchi por 6-4. Ele fez um 21 no 4º set… Bernardo caiu logo na estreia por 6-5 com 10-9 na flecha da morte para o ucraniano Oleksii Hunbin.

Por equipes, o Brasil fez a favorita França suar e quase perder. Os franceses abriram 4-0 (56-53, 56-53), mas o Brasil empatou com 58-57 e 57-53. Nas flechas de desempate, um apertado 30-29 deu a vitória pros franceses.

O título da etapa ficou com o francês vice campeão olímpico Jean-Charles Valladont, que venceu o bronze no Rio-2016 Brady Ellison por 6-2. No feminino, vitória da russa Ksenia Perova com 6-5 (9*-9 nas flechas de desempate) na taiwanesa Lin Shih-Chia. Por equipes, ouro pra Itália no masculino (5-3 no Cazaquistão) e Taiwan no feminino (6-0 no Japão). Nas duplas mistas, agora olímpica, Taiwan fez 5-3 na França na decisão.

Resumo Rio-2016 – Tiro com Arco

Pela primeira vez desde que o formato atual com provas individuais e por equipe existe, o tiro com arco foi dominado por um único país. A Coreia do Sul, maior potência da modalidade, venceu os 4 ouros em disputa. Em 1988, 2000, 2004 e 2012, os sul-coreanos venceram 3 das 4 provas.

Individual masculino

dqqff650

No dia da abertura, tivemos o primeiro recorde mundial antes mesmo da Cerimônia de Abertura. Kim Woojin, até então o favorito ao ouro, fez 700 pontos em 720 possíveis na rodada de ranqueamento, batendo o recorde em 1 ponto, que vinha de Londres-2012. O americano Brady Ellison foi o 2º melhor com 690 e o italiano David Pasqualucci o 3º com 685. Marcus Vinícius D’Almeida foi o melhor brasileiro com a 34ª posição com 658 pontos.

Nas fases de eliminação, Kim Woojin foi surpreendido pelo indonésio Riau Ega Agatha na 2ª rodada, perdendo por 6-2. Pasqualucci também caiu na 2ª rodada, por 6-2 para o espanhol Antonio Fernandez. Enquanto isso, os outros favoritos avançavam, como os sul-coreano Ku Bonchan e Lee Seung-yun, o americano Brady Ellison, o francês Jean-Charles Valladont, o holandês Sjef van den Berg e o japonês Takaharu Furukawa. Entre os brasileiros, Daniel Xavier perder 6-2 pro Lee e Marcus Vinícius caiu na estreia por 6-2 pro americano Jake Kaminski. Bernardo Oliveira venceu na estreia 6-4 o australiano Alec Potts, mas perdeu na 2ª rodada por 7-1 pro jovem chileno de 16 anos Ricardo Soto.

Nas 4as, Valladont eliminou na flecha de morte o italiano Mauro Nespoli, ouro por equipes em Londres. Van den Berg tirou Lee Seung-yun num belíssimo combate que foi 6-4 pro holandês. Ku Bonchan venceu também na flecha de morte a surpresa australiana Taylor Worth e Ellison venceu 6-2 o japonês Fukuhara.

Nas semis, confrontos de altíssimo nível com Valladont fazendo 7-3 no van den Berg e Ku Bonchan vencendo na flecha decisiva 9-8 sobre o Ellison. Na final, o coreano abriu 4-0, mas viu o francês encostar com 5-3. Na última série, Bonchan 27-26 e o ouro pra Coreia do Sul. Na disputa do bronze, Brady Ellison aproveitou que o holandês não atirava bem para fechar com 6-2 e completar o pódio.

Equipes masculinas

9b671653b07bc02e0d7677cf56ecd48bb4f7670d

Como esperado, a Coreia do Sul ficou em 1º lugar no ranqueamento com 2057 pontos contra 2024 dos EUA e 2007 da Itália. O Brasil ficou em 11º entre 12 equipes com 1948.

Nas 8as, o Brasil caiu logo na estreia por 6-2 para China. Nas 4as, a Coreia do Sul fez 6-0 na Holanda, a Austrália, 4ª colocada, tirou a forte França, 5ª, com 5-3. Do outro lado da chave, a China surpreendeu a forte equipe italiana, que contava com 2 arqueiros campeões em Londres-2012, por 6-0 e os EUA eliminaram a Indonésia por 6-2.

Nas semifinais, a Coreia fez 6-0 na Austrália e EUA também venceu sem perder nenhum set, com 6-0 na China. Na disputa do bronze, a Austrália foi mais constante para levar o bronze inédito com 6-2 sobre os chineses e na grande final, mais um show do trio Kim Woojin, Ku Bonchan e Lee Seung-yun, que fechou com 6-0, com parciais excepcionais de 60-57, 58-57, 59-56. EUA fica pela 2ª vez seguida com a prata e a Coreia do Sul é ouro pela 5ª vez na história.

Individual feminino

rio-2016-womens-individual-archery-medal-winners-on-podium-photo

No ranqueamento, um dia perfeito pra Coreia do Sul, com os 3 primeiros lugares: Choi Misun 1ª com 669, Chang Hyejin 2ª com 666 e Ki Bobae, campeã em Londres, em 3º com 663. Tan Ya-ting, de Taipei, foi 4ª com 656. Ane Marcelle dos Santos foi a melhor brasileira na ótima 26ª posição com 637. Ela ficou boa parte do ranqueamento entre as 10 primeiras.

As 3 coreanas seguiram até as 4as de final. Uma das principais surpresas foi a eliminação logo na estreia da vice-campeã olímpica em Londres, a mexicana Aida Roman, que perdeu de 6-4 para Alexandra Mirca, da Moldávia. Entre as brasileiras, Sarah Nikitin caiu na estreia 6-0 para a norte-coreana Kang Un-ju e Marina Canetta perdeu 7-1 para a chinesa Qi Yuhong. Ane Marcelle foi a melhor do Brasil nessa edição. Ela venceu 7-3 japonesa na estreia, depois passou com 6-0 sobre australiana. Nas 8as, não atirou bem e perdeu para a britânica Naomi Folkard por 6-2.

Nas 4as, Choi Misun atirou mal e perdeu de 6-0 para a mexicana Alejandra Valencia e a alemã Lisa Unruh surpreendeu Tan Ya-ting na flecha decisiva. Do outro lado da chave, as coreanas sobraram. Ki Bobae fez 6-2 na chinesa Wu Jiaxin e Chang Hyejin passou pela Folkard com 7-1. Nas semis, Unruh seguiu sua excelente campanha e venceu a mexicana por 6-2 e no duelo sul-coreano, Chang bateu a campeã olímpica e mundial Ki Bobae por 7-3. Na disputa do bronze, Ki e Valencia fizeram um belo duelo, vencido pela coreana por 6-4, com um belo 30-25 no último set. Na grande final, Chang fez 6-2 na alemã para levar o ouro, o 8º do país na prova pela 8ª arqueira diferente!

Equipe feminina

Rio Olympics Archery Women

Com tranquilidade, a Coreia do Sul sobrou na prova. No ranqueamento ficou em 1º com 1998, 60 a mais que a 2ª colocada, a Rússia, e 65 a mais que a 3ª, a China. O Brasil terminou em 11º com 1845 entre 12 equipes.

Nas 8as, o Brasil perdeu por 6-0 para a Itália, atirando bem mal. Nas 4as, a Coreia do Sul passou com 5-1 pelo Japão e Taipei virou o combate sobre o México. As mexicanas abriram 4-0 e Taipei empatou. Nas flechas de desempate, 26-25 para as asiáticas. A Itália fez 5-3 na China e a Rússia eliminou a Índia por 5-4, com 25-23 no desempate.

Nas semifinais, a Coreia começou com um brilhante 60 sobre Taipei e fechou em 5-1. Na outra partida, as vicecampeãs mundiais russas começaram perdendo de 3-1, mas viraram para 5-3. A Itália tinha a vaga na final na mão. Estava empatada em 3-3 e a Rússia fez 52 no 4º set. A Itália tinha 28 e só precisava de de 25, mas uma das arqueiras fez um 3 e tirou a Itália da final. Muito abaladas, as italianas até tentaram, mas perderam de 5-3 para Taipei, que levou o bronze. Na final, a Coreia fez 58-49 e 55-51. No último set, 51-51 com Ki Bobae fechando com um 8 e dando o 4º ouro do tiro com arco pra Coreia do Sul. Em 8 edições da equipe feminina em Jogos, são 8 ouros sul-coreanos!