Resumo olímpico da semana

Tênis

esporte-marcelo-melo-kubot-20180112-001

Marcelo Melo e Lukasz Kubot

Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot começaram a temporada de 2018 com título no ATP250 de Sydney. Eles venceram na decisão o alemão Jan-Lennard Struff e o sérvio Viktor Troicki por 6-3 6-4 e faturaram o 9º título juntos. Foi também o 29º título da carreira do Marcelo, que segue liderando o ranking mundial empatado com seu parceiro.

No ATP250 de Auckland, Rogério Dutra Silva, depois de furar o quali, perdeu na estreia 6-3 6-2 para o canadense Denis Shapovalov e Marcelo Demoliner e o filipino Treat Huey perderam na estreia 6-3 6-4 para Santiago Gonzalez e Juan Peralta. Já no WTA de Hobart, Bia Haddad Maia venceu na estreia 6-3 6-2 a australiana Lizette Cabrera e perdeu na 2ª rodada 6-4 6-4 para a belga Elise Mertens, que viria a ficar com o título.

Rugby Sevens

Na 2ª etapa do Campeonato Sul-Americano de Rugby Sevens, em Viña del Mar, Chile, o Brasil terminou na 8ª posição. Na 1ª fase, empatou em 14-14 com a Irlanda, venceu 29-21 o Paraguai e empatou novamente em 14-14 com uma equipe sul-africana. Precisando vencer para buscar a vaga pra Copa do Mundo de Rugby Sevens, o Brasil perdeu de 14-7 para o Uruguai. Já sem chances de conquistar a vaga, ainda perdeu de 12-5 para a Alemanha e de 26-12 pro Chile, terminando em 8º.

Após as duas etapas, Uruguai e Chile se classificaram para a Copa do Mundo e para o Hong Kong Sevens, que serve como classificatório pra Série Mundial.

Outros Esportes:

– Única brasileira no Grand Slam Champions de taekwondo, em Wuxi, na China, Iris Tang Sing perdeu ainda na estreia por 6-1 para a sul-coreana Min-ah Há na categoria até 49kg.

Almir Cunha dos Santos fez 17,06m no salto triplo em prova indoor nos EUA, superando em 1cm o índice pro Mundial Indoor em fevereiro. Está também é a melhor marca do mundo este ano em competições indoor.

Ygor Coelho perdeu na estreia do Masters da Tailândia de badminton. Cabeça de chave número 5 da competição, ele foi derrotado por Pham Cao Cuong, do Vietnã. Ele joga esta semana no Masters da Malásia.

– No ranking mundial de mountain bike divulgado na semana passada, Henrique Avancini, 4º colocado no último mundial, subiu 2 posições e aparece na excelente 5ª colocação, a frente de grandes nomes como o campeão olímpico de 2012, o checo Jaroslav Kulhavy. No ranking de nações, o Brasil está em 10º.  No feminino, Raiza Goulão entrou pela primeira vez no Top-10 do ranking e é hoje a 9ª do mundo.

Mariana Pistoia terminou na 71ª posição na Copa do Mundo de florete feminino em Katowice, na Polônia. Ela passou pela fase de poules, venceu polonesa por 15-8 e perdeu na última rodada preliminar 15-5 para francesa. Em torneio satélite de espada masculina em Estocolmo, Gabriel Bonamigo foi 12º, Fabrizio Lazaroto 15º e Leopoldo Gubert 18º.

– CBDA convocou 26 atletas para a primeira edição da Copa UANA de natação, em Coral Springs, na Flórida. Foram convocados nadadores das categorias petiz, infantil, juvenil e júnior 1. A lista completa está aqui.

Adilson da Silva terminou na 20ª posição no BMW SA Open, válido pelo Sunshine Tour de golfe, na África do Sul. Ele somou 279 tacadas, 12 a mais que o campeão, o inglês Chris Paisley, com 267. O brasileiro somou 1,76 ponto no ranking

Prévias Rio-2016: Taekwondo

Até 58kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Joel González (ESP); Prata – Lee Dae-hoon (KOR); Bronzes – Aleksey Denisenko (RUS) e Óscar Muñoz (COL)

Último Mundial (2015): Ouro – Farzan Ashourzadeh (IRI); Prata – Si Mohamed Ketbi (BEL); Bronzes – Ruslan Poiseev (RUS) e Zhao Shuai (CHN)

farzan20ashour20zadeh20fallah20right

Farzan Ashourzadeh

Na categoria mais leve masculina, a disputa promete com o sul-coreano Kim Tae-hun, bicampeão mundial na categoria 54kg. Atual ouro nos Jogos Asiáticos e no campeonato asiático, Kim venceu a Final do GP de 2015. Seu grande adversário é o líder do ranking olímpico, o iraniano Farzan Ashourzadeh, campeão mundial nesta categoria em 2015 e também campeão asiático e dos Jogos Asiáticos em 2014.

O português Rui Bragança é bicampeão europeu e venceu o GP de Samsum em 2015 e tem boas chances, assim como o alemão Levent Tuncat, tricampeão europeu. De olho também no belga Si Mohamed Ketbi, vice-campeão mundial, o jovem espanhol Jesús Tortosa de 18 anos, e o medalhista em Londres, o colombiano Óscar Muñoz e o mexicano César Rodríguez.

E o Brasil? Venílton Teixeira surpreendeu com o bronze no último, na categoria 54kg e pode surpreender novamente no Rio, mas decepcionou no Pan, ficando em 5º. Pode ser uma boa surpresa pro Brasil, embora ele já seja medalhista mundial.

Meu Pódio: Ouro – Farzan Ashourzadeh (IRI); Prata – Kim Tae-hun (KOR); Bronzes – Levent Tuncat (GER) e Si Mohamed Ketbi (BEL)

Até 68kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Servet Tazegül (TUR); Prata – Moahmmad Bagheri (IRI); Bronzes – Terrence Jennings (USA) e Rohullah Nikpai (AFG)

Último Mundial (2015): Ouro – Servet Tazegül (TUR); Prata – Aleksey Denisenko (RUS); Bronzes – José Antonio Rosillo (ESP) e Shin Dong-yun (KOR)

O turco Servent Tazegül (1O-1B) defende o título olímpico e mundial da categoria e tem boas chances de repetir o feito no Rio. Ele esbarra no sul-coreano Lee Dae-hoon (1P), prata em Londres na categoria abaixo e bicampeão mundial nos 63kg. Lee venceu 2 etapas do Grand Prix em 2014 e 2 em 2015 e é o favorito da categoria.

Esta categoria promete belos duelos com vários medalhistas olímpicos e mundiais. O espanhol Joel González (1O) também subiu de categoria e foi ouro em Londres nos 58kg. Ele também foi vice-campeão mundial nos 63kg em 2015. O russo Aleksey Denisenko (1B) é vice mundial nos 68kg e venceu algumas etapas do circuito mundial, como o Aberto de Samsum em 2015. Também ficar de olho no croata Filip Grgic, no mexicano Saúl Gutiérrez e no belga Jaouad Achab.

E o Brasil? Nenhum brasileiro disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Lee Dae-hoon (KOR); Prata – Aleksey Denisenko (RUS); Bronzes – Joel Gonzalez (ESP) e Servet Tazegül (TUR)

Até 80kg masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Sebastián Crismanich (ARG); Prata – Nicolás García (ESP); Bronzes – Lutalo Mohammmad (GBR) e Mauro Sarmiento (ITA)

Último Mundial (2015): Ouro – Mehdi Khodabakhshi (IRI); Prata – Damon Sansum (GBR); Bronzes – Aaron Cook (MDA) e Tahir Güleç (GER)

Embed from Getty Images

O iraniano Mehdi Khodabakhshi é o campeão mundial e líder do ranking. Campeão asiático e dos jogos Asiáticos, é presença constante em pódios do circuito mundial e nome forte da categoria. Mas um veterano americano quer sua 4ª medalha olímpica aos 37 anos! Steven López (2O-1B) só não subiu ao pódio olímpico em Londres, quando caiu logo na estreia. Hexacampeão mundial, bicampeão dos Jogos Pan-Americano, López é extremamente experiente e um dos maiores nomes do taekwondo. Apesar da idade, não se deve subestimá-lo.

Mas esta categoria promete por conta de outros dois nomes envolvidos em uma mesma polêmica. Aaron Cook (contei a história dele aqui), que agora representa a Moldova, e o britânico Lutalo Muhammad (1B) também tem grandes chances de subir ao pódio e quem sabe se confrontarem em um dos duelos mais esperados do taekwondo. Também de olho nos medalhistas mundiais em 2015 nos 74kg, Ismael Coulibaly, do Mali, e o russo Albert Gaun. Interessante que a Coreia do Sul nunca medalhou nesta categoria na história e não terá representante no Rio.

E o Brasil? Nenhum brasileiro disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Mehdi Khodabakhshi (IRI); Prata – Aaron Cook (MDA); Bronzes – Lutalo Muhammad (GBR) e Steven López (USA)

Acima de 80kg masculino

Pódio de Londres-2012: Ouro – Carlo Molfetta (ITA); Prata – Anthony Obame (GAB); Bronzes – Robelis Despaigne (CUB) e Liu Xiaobo (CHN)

Último Mundial (2015): Ouro – Dmitriy Shokin (UZB); Prata – Firmin Zokou (CIV); Bronzes – Anthony Obame (GAB) e Robelis Despaigne (CUB)

Dois uzbeques lideram o ranking mundial, mas apenas um estará no Rio e é o campeão mundial Dmitriy Shokin. Além do Mundial, ele venceu em 2015 as etapas de Moscou e Manchester do GP e é o favorito. O sul-coreano Cha Dong-min (1O) venceu a categoria em Pequim, mas decepcionou em Londres. Já algum tempo ele não sobe no pódio em uma competição mundial ou continental.

O azeri Radik Isayev foi ouro no Mundial de 2015 na categoria até 87kg e foi ouro nos Jogos Europeus. Outro que tem boas chances é Anthony Obame (1P), do Gabão. Favorito em Londres, perdeu na final para o italiano Carlo Molfetta, que não estará no Rio. Obame foi campeão mundial em 2013 e bronze em 2015 e é forte candidato ao pódio. Também de olho no iraniano Sajjad Mardani e no francês M’Bar N’Diaye.

E o Brasil? Maicon Andrade defende o Brasil na prova, mas tem poucas chances de medalhar. Deve pegar logo na estreia um dos candidatos ao ouro.

Meu Pódio: Ouro – Dmitriy Shokin (UZB); Prata – Radik Isayev (AZE); Bronzes – Anthony Obame (GAB) e Sajjad Mardani (IRI)

Até 49kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Wu Jingyu (CHN); Prata – Brigitte Yagüe (ESP); Bronzes – Chanatip Sonkham (THA) e Lucija Zaninovic (CRO)

Último Mundial (2015): Ouro – Ha Min-ah (KOR); Prata – Wu Jingyu (CHN); Bronzes – Svetlana Igumenova (RUS) e Tijana Bogdanovic (SRB)

Na categoria olímpica mais leve no feminino, a chinesa Wu Jingyu (2O) é o grande nome. Bicampeã olímpica, Wu também é bicampeã mundial (2007 e 2011) e é a atual vice-campeã mundial da categoria. Dominou o circuito em 2015, com 3 ouros em 4 etapas, e lidera o ranking com folga. A tailandesa Panipak Wongpattanakit é campeã mundial dos 46kg, mas esse ano foi ouro no asiático nos 49kg. Aos 18 anos, ela vem forte e com o ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude em Nanjing-2014.

A coreana da categoria será Kim So-hui, bicampeã mundial dos 46kg em 2011 e 2013. Jamais uma coreana medalhou nesta categoria em Olimpíadas e Kim pode quebrar esse tabu. Também de olho na croata Lucija Zaninovic (1B), tricampeã europeia e bronze em Londres.

E o Brasil? Iris Tang Sing chega muito bem aos Jogos, com o bronze no mundial de 2015 nos 46kg, bronze no Pan e o ouro nos Jogos Militares de 2015, disputado na Coreia do Sul.

Meu Pódio: Ouro – Kim So-hui (KOR); Prata – Wu Jingyu (CHN); Bronzes – Iris Tang Sing (BRA) e Lucija Zaninovic (CRO)

57kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Jade Jones (GBR); Prata – Hou Yuzhou (CHN); Bronzes – Marlene Harnois (FRA) e Tseng Li-Cheng (TPE)

Último Mundial (2015): Ouro – Mayu Hamada (JPN); Prata – Eva Calvo (ESP); Bronzes – Kimia Alizadeh (IRI) e Edina Kotsis (HUN)

Embed from Getty Images

Campeã em Londres e atual campeã europeia, a britânica Jade Jones (1O) é a líder do ranking e a maior pontuação somando todas as categoria no masculino e no feminino. Grande favorita, ainda levou os Jogos Europeus e medalhou nas 4 etapas do Grand Prix em 2015, vencendo 2. Suas principais adversárias são a japonesa Mayu Hamada, atual campeã mundial da categoria, e a croata Ana Zaninovic, campeã mundial em 2011 e europeia em 2014.

A iraniana Kimia Alizadeh foi ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude em 2014 e bronze no último mundial. Aos 16 anos, em 2015, derrotou por 10-9 Jade Jones no Mundial. Refugiada na Bélgica, a iraniana de nascimento Raheleh Asemani defenderá a nação europeia, mas se classificou no pré-olímpico europeu como refugiada. Já defendendo a Bélgica, foi bronze no europeu este ano e será uma surpresa interessante na categoria. De olho também na forte espanhola Eva Calvo, vice mundial e medalha em 6 dos últimos 8 Grand Prix, e na egípcia Hedaya Malak.

E o Brasil? Júlia Vasconcelos foi 5ª no Pan e bronze no US Open este ano, mas não deve ir longe nos Jogos.

Meu Pódio: Ouro – Jade Jones (GBR); Prata – Kimia Alizadeh (IRI); Bronzes – Eva Calvo (ESP) e Ana Zaninovic (CRO)

67kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Hwang Kyung-Seon (KOR); Prata – Nur Tatar (TUR); Bronzes – Paige McPherson (USA) e Helena Fromm (GER)

Último Mundial (2015): Ouro – Chuang Chia-chia (TPE); Prata – Nur Tatar (TUR); Bronzes – Paige McPherson (USA) e Katherine Dumar (COL)

A número 1 do mundo é a francesa Haby Niaré, campeã mundial em 2013 e campeã dos GPs de Manchester e da Cidade do México em 2015. A taiwanesa Chuang Chia-chia é a campeã mundial e bicampeã asiática, outra favorita ao pódio. De olho também na americana Paige McPherson (1B), bronze em Londres e no último Mundial, ouro no Pan de Toronto-2015 e maior chance americana no esporte.

Também observar a australiana Carmen Marton, campeã mundial nos 62kg em 2013, e na forte turca Nur Tartar (1P), atual vice olímpica e mundial.

E o Brasil? Nenhuma brasileira disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Paige McPherson (USA); Prata – Chung Chia-chia (TPE); Bronzes – Haby Niaré (FRA) e Nur Tartar (TUR)

Acima de 67kg feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Milica Mandic (SRB); Prata – Anne-Caroline Graffe (FRA); Bronzes – Anastasia Baryshnikova (RUS) e Maria Espinoza (MEX)

Último Mundial (2015): Ouro – Bianca Walkden (GBR); Prata – Gwladys Épangue (FRA); Bronzes – Nafia Kus (TUR) e Olga Ivanova (RUS)

Embed from Getty Images

A chinesa Zheng Shuyin foi prata no Mundial de 2015 na categoria 67kg e é presença constante em pódios do Grand Prix e bronze no último asiático. A veterana francesa Gwladys Épangue (1B), bronze em Pequim, tem 5 medalhas em Mundiais  e 7 em europeus e ficou de fora de Londres por conta de uma contusão, mas volta aos Jogos com grandes chances de medalha.

A britânica Bianca Walkden é a atual campeã mundial da categoria além de ser campeã europeia este ano. Campeã em Londres, a sérvia Milica Mandic faz parte do Hall da Fama e tem 3 pratas em europeus. A mexicana María Espinoza (1O-1B) foi ouro em Pequim e bronze em Londres, além de campeã mundial em 2007 e prata no Pan de 2015. Olho também na americana Jackie Galloway e em Sorn Seavmey, do Camboja, ouro nos fortíssimos Jogos Asiáticos de 2014 e única chance de medalha de seu país, que jamais ganhou uma medalha olímpica.

E o Brasil? Nenhuma brasileira disputa esta categoria.

Meu Pódio: Ouro – Gwladys Épangue (FRA); Prata – Bianca Walkden (GBR); Bronzes – Zheng Shuyin (CHN) e Sorn Seavmey (CAM)

Resumo do fim de semana

Rugby

Foto: World Rugby

Começou a temporada da da World Series de Rugby, tanto no masculino como no feminino, ambos começando em Dubai. O Brasil disputou o torneio feminino, mas levou 3 goleadas na fase de grupos: 25-5 para a França, 36-5 para a Nova Zelândia e 41-0 pra Rússia. Na disputa do bowl, venceu 29-7 a Irlanda e perdeu 13-0 para o Japão, terminando em 10º lugar. O título foi para a Austrália, com 31-12 na final contra a Rússia. A Nova Zelândia, que vencia tudo, terminou em 5º.

No masculino, Fiji atropelou quase todo mundo para levar o título com 28-17 na final contra a Inglaterra. O próximo torneio feminino será apenas em fevereiro, em Barueri, enquanto os homens voltam a jogar neste fim de semana na Cidade do Cabo.

Esgrima

Nathalie Moellhausen foi novamente o destaque do Brasil no GP de Doha. Ela se classificou diretamente para a chave final, por estar entre as 16 melhores do mundo! Nathalie venceu na estreia 15-7 francesa, depois fez 14-13 em estoniana até perder nas 8as para a número 1 do mundo, a chinesa Anqi Xu por 15-10. Somando mais 12 pontos, Nathalie é hoje a 12ª do mundo na espada feminina! Emese Takacs foi a 90ª e Katherine Miller 91ª, também pontuando pro ranking mundial. Entre os homens, Athos Schwantes terminou em 85º, também pontuando.

Ciclismo Pista

Gideoni na disputa de uma das provas da Omnium. Foto: UCI/Divulgação

4 brasileiros disputaram a Copa do Mundo de pista na Nova Zelândia.

Gideoni Monteiro começou bem na disputa da Onmnium. Foi 5º na Scratch, 10º na perseguição e 7º na corrida de eliminação, mas obteve tempos fracos no contra relógio e volta lançada (19º em ambas), despencando. Ele terminou a competição na 13ª posição com 98 pontos.

Nas provas de velocidade, o Brasil foi 16º no sprint por equipes masculino com 45.377. No sprint, Kácio Freitas foi apenas o 39º com 10.319. Na Keirin, Flávio Cipriano foi 2º na sua bateria da 1ª rodada. Na repescagem acabou em 3º e não avançou. A 3ª e última etapa será em janeiro em Hong Kong.

Judô

Maria Portela no pódio. Foto: IJF

Depois de derrotas precoces no ano, Sarah Menezes voltou a subir no pódio! No fortíssimo Grand Slam de Tóquio, ela ficou com o bronze nos 48kg, após perder na semifinal para a japonesa Haruna Asami e vencer espanhola na disputa do bronze. Nos 70kg, Maria Portela foi um surpreendente bronze, com destaque para sua vitória nas 4as sobre a japonesa Karen Nun Ira.

Felipe Kitadai (60kg) e Rafaela Silva (57kg) terminaram em 5º, perdendo a disputa do bronze, e David Moura (+100kg), Nathalia Brígida (48kg) e Mayra Aguiar (78kg) ficaram em 7º. O Japão arrasou, com 11 ouros e 5 pratas em 14 categorias!

Outros Esportes:

Paulo Roberto de Paula foi 6º na maratona de Fukuoka com ótimos 2:11:02, se tornando o 7º a obter o índice olímpico da prova o masculino. Ele assume o 2º lugar do ranking brasileiro e estaria classificado pro Rio-2016 com o Marilson dos Santos e o Solonei da Silva.

Iris Tang Sing foi a única brasileira na final do GP de taekwondo no México, perdendo logo na estreia nas 4as para francesa por 1-0. Apesar disso, Iris se garantiu no Rio2016 por estar entre as 6 primeiras do ranking mundial na categoria 49kg.

Jogos Pan-Americanos Toronto-2015 – Prévia IV

Última prévia dos Jogos. Vamos aos que faltam!

Atletismo (47 provas)

Fabiana Murer

Com praticamente todos os maiores nomes da modalidade do país em Toronto, a equipe brasileira chega bem no Pan. Em 2011, foram 23 medalhas sendo 10 de ouro, uma medalha a menos que a natação.

Entre os homens, Thiago Braz é muito cotado ao ouro, já que saltou 5,92m este ano, mas o canadense Shawnacy Barber conseguiu 5,91m e deve ser a pedra no sapato do brasileiro. Caio Bonfim vem fazendo ótima temporada na Marcha 20km e também deve medalhar. Outras boas chances no masculino são de Darlan Romani no peso, Franck Caldeira na maratona, Luiz Alberto de Araújo no decatlo, Giovani dos Santos nos 10.000m, Thiago André nos 1.500m, Hederson Estefani nos 400m com barreiras, Bruno Lins e Aldemir da Silva nos 200m e Vitor Hugo dos Santos nos 100m, além dos revezamentos, principalmente o 4x400m.

Boas chances também no feminino. Fabiana Murer tem 4,80m este ano, mas terá como grande adversária a americana Jenn Suhr, campeã olímpica e com 4,82m este ano, além da forte cubana Yarisley Silva. Ana Cláudia Lemos (100m e 200m) e Rosangela Santos (100m) estão em ótima fase e devem medalhar, também fazendo parte do ótimo revezamento 4x100m. Geisa Coutinho nos 400m e Flávia Maria de Lima nos 800m e 1.500m podem surpreender. Prata em 2007 na distância e no triplo, Keila Costa está em boa fase também. A equipe brasileira dos lançamento está muito bem, com Andressa de Morais e Fernanda Borges no disco e Jucilene Lima no dardo. Curioso também para ver Vanessa Spinola e Tamara Alexandrino no heptatlo, Érica Sena na marcha 20km e Adriana da Silva e Marily dos Santos na maratona.

A equipe americana é um B/C com alguns atletas A, como a Suhr. Já o Caribe com Jamaica, Trinidad & Tobago e Bahamas também costumam fazer bonito nas corridas mais curtas, assim como México nas mais longas. Outro nome é forte é a canadense Brianne Theisen-Eaton, líder do ranking mundial do heptatlo, mas ela não vai disputar a sua prova, apenas o revezamento 4x400m e o salto em distância. Difícil prever muita coisa no atletismo.

Minha previsão: 27 medalhas (7O-11P-9B)

Ciclismo Estrada (4)

As provas de estrada costumam ser decididas no sprint final, então são relativamente difíceis de prever, mas o favoritismo cai sobre a forte equipe colombiana, liderada por Carlos Betancur, 5º no Giro d’Italia em 2013 e campeão da Paris-Nice ano passado. O Canadá tem nomes competitivos, como Rémi Pelletier, medalhista nos Jogos da Comunidade Britânica e os EUA só contam com um atleta, o que os deixa quase sem chances. Os brasileiros vem por fora, com pouca chance na estrada ou na contra-relógio.

Entre as mulheres, os EUA tem Lauren Tamayo, prata em Londres na perseguição por equipes, enquanto a Colômbia tem a veterana Maria Luisa Calle Williams. Canadá e Cuba são boas apostas e o Brasil conta com 3 boas atletas, Janildes e Clemilda Fernandes e Ana Paula Polegatch.

Minha previsão: 1 medalha (1B)

Ginástica de Trampolim (2)

Rosie MacLennan

Camilla Gomes e Carlos Pala representam o Brasil na modalidade sem muitas chances. O destaque é canadense, com a veterana e multi medalhista olímpica e mundial Karen Cockburn e a campeã olímpica em Londres e mundial em 2013 Rosie MacLennan.

Minha previsão: 0

Handebol (2)

Vale vaga olímpica para o campeão de cada naipe. Já classificado pro Rio-2016, o Brasil mandou praticamente sua equipe completa e deve levar os dois ouros. As mulheres foram campeãs pan-americanas em maio sem nenhum problema e ficarão com o pentacampeonato, mesmo sem a capitã Dara. No masculino, o Brasil deve fazer pela 4ª vez seguida final com a Argentina. Os recentes resultados da seleção em amistosos mostrou uma grande evolução e devem levar o ouro.

Minha previsão: 2 medalhas (2O)

Pentatlo Moderno (2)

Yane Marques

Valendo 5 vagas olímpicas no masculino e mais 5 no feminino, é a chance do Brasil garantir a segunda vaga entre as mulheres, já que a Yane já se garantiu com o bronze no Mundial. Yane Marques é o principal nome do Brasil e novamente fará duelo com a americana Margaux Isaksen. A brasileira venceu em 2007 e a americana em 2011. Isaksen foi mal no mundial, mas no âmbito das Américas isso não vai se repetir. Torcida também pra Priscilla Oliveira e Larissa Lellys garantirem a vaga. No masculino, Felipe Nascimento e Danilo Fagundes dificilmente irão ao pódio, mas o objeto é a vaga olímpica (embora o Brasil já tenha vaga garantida por ser sede).

Minha previsão: 1 medalha (1O)

Tiro (15)

Kim Rhode

Vaga olímpica para os 15 campeões além dos vices em 5 provas. É a grande chance do Brasil pegar a vaga na pistola 50m e nos rifle de ar 10m e 3 posições no masculino. Como os EUA já garantiram várias vagas, eles não mandaram sua equipe principal, mas muitos nomes fortíssimos, como a dona de 5 medalhas olímpica Kim Rhode. Atual campeã olímpica e pan-americana no skeet, ela ainda vai levar a bandeira americana na cerimônia de abertura. Cuba tem uma forte equipe também, com destaque pro campeão olímpico em Londres Leuris Pupo.

O Brasil tem uma ótima equipe no masculino, com o finalista mundial na fossa Rodrigo Bastos, a turma da pistola Stenio Yamamoto, Felipe Wu, Emerson Duarte e Julio Almeida e a do rifle Cássio Rippel, Leonardo Moreira e Bruno Heck. No feminino, se alguém pegar final, já é lucro. Medalhas no masculino são muito prováveis. Em 2011 foram 5 bronzes.

Minha previsão: 6 medalhas (1O-2P-3B)

Taekwondo (8)

Boa equipe do Brasil, com destaque pros medalhistas no Mundial esse ano Iris Tang Sing e Venilton Teixeira, além de Julia Vasconcelos e Guilherme Felix. Grandes nomes estão na disputa, como o bicampeão olímpica Steven Lopez, além de outras 4 medalhistas no mundial esse ano: as americanas Paige McPherson e Jackie Galloway, o mexicano Saul Gutierrez e a colombiana Katherine Dumar.

Minha previsão: 3 medalhas (1O-2B)

Lutas (18)

Aline Ferreira

Os brasileiros foram muito mal no último Pan, o que já da para esperar quase nada no masculino. A unica medalha em categoria olímpica foi de Davi Albino na greco-romana. O cubano que o venceu na final do Pan não estará em Toronto. As medalhas virão no feminino. No Pan em abril foram 3, com Joice Silva, Giulia Penalber e Aline Ferreira, atual vice mundial. As únicas medalhas no último Pan em 2011 fora justamente da Joice e da Aline.

Minha previsão: 4 medalhas (1O-1P-2B)

Vôlei (2)

Por conta da Liga Mundial e do Grand Prix, o Brasil está com equipes B, assim como Estados Unidos, Canadá, Argentina, Peru, Cuba, República Dominicana e Porto Rico. Ainda assim, o Brasil é sempre favorito e conta com grandes nomes como Adenizia e Fernanda Garay.

Minha previsão: 2 medalhas (2O)

Outros Esportes

O Pan também tem alguns esportes não-olímpicos: baseball, boliche, karatê, raquetebol, patinação de velocidade, patinação artística, softball, squash e esqui aquático. Seguindo a média dos últimos Pans, podemos esperar umas 5 medalhas no karatê, 2 na patinação artística e 1 no wakeboard. Não posso dizer muito, pois não acompanho estes esportes.

Minha previsão: 8 medalhas (2O-2P-4B)

Total

Somando todas as previsões, chegamos em 57 ouros, 55 pratas e 71 bronzes, 183 medalhas no geral. Em 2011 foram 41-41-50, 141 no total e em 2007 foram 52-40-65, 157 no total.

E a partir de sábado, vamos saber o quanto eu acertei ou errei!

Mundial de Taekwondo – Dias 1 e 2

O primeira dia de disputas (terça-feira) foi apenas de eliminatórias até as semifinais, cujas finais ocorreram nesta quarta. E veio medalha pro Brasil!

46kg feminino

Iris (azul) na semifinal. Foto: Mas Taekwondo/Reprodução

Na categoria mais leve, Íris Tang Sing chegou como a 3ª cabeça de chave e favorita a medalha em Chelyabinsk. No primeiro dia, a brasileira venceu 3 lutas e se garantiu nas semifinais! Em sua estreia direto na 2ª rodada, Íris venceu Claudia Lipcsei (HUN) por 2-1, depois passou com 5-3 pela sul-coreana Sim Jae-young. Lembrando que a Coreia do Sul é a maior potência do esporte. Nas 4as, venceu a chinesa Li Zhaoyi por 1-0 no finalzinho. Nas 3 lutas ela venceu com pontos nos instantes finais.

Tailandesa dando golpe na brasileira. Foto: WTF/Divulgação

Nesta quarta, Íris pegou na semifinal a tailandesa Panipak Wongpattanakit. A asiática abriu 1-0, mas a brasileira conseguiu igualar. Faltando 20s para o fim, um golpe da tailandesa e a vitória por 8-4. Primeira medalha brasileira em um Mundial no ano, embora numa prova não-olímpica. Na final, Wongpattanakit venceu a ucraniana Iryna Romoldanova no golden score após empate em 5-5 e ficou com o ouro. Foi a primeira medalha da história da Ucrânia no esporte.

Apesar de não ser categoria olímpica, conta pontos pro ranking mundial olímpico, o que pode ajudá-la a subir no ranking olímpico e, quem sabe, ficar entre as 6 e dar mais uma vaga ao Brasil nos Jogos do Rio! Foi a 13ª medalha do Brasil em Mundiais de taekwondo (tem 1-4-8).

58kg masculino

Farzan Ashourzadeh (azul). Foto: WTF/Divulgação

Favorito absoluto, o jovem iraniano Farzan Ashourzadeh de apenas 18 anos foi dominante neste Mundial e ficou com o ouro. Depois de levar praticamente tudo no ano passado, confirmou o favoritismo na Rússia.

Ele venceu por 17-3 quirguize, 14-6 equatoriano, 11-1 tailandês, 9-2 mexicano para só ter dificuldades na semifinal. Enfrentando a esperança da casa, o russo Ruslan Poiseev, venceu por apertados 12-11. Na final, fez 8-3 no belga Si Mohamed Ketbi para levar mais um título.

Tricampeão europeu e 2º favorito, o alemão Levent Tuncat foi surpreendido nas 4as pelo belga por 11-9. O brasileiro Leonardo Moraes perdeu logo na estreia por 6-5 para holandês.

Mundial de Taekwondo – Prévia

Nesta terça se inicia o 5º Mundial de esportes olímpicos do ano. Depois do handebol masculino, ciclismo de pista, tênis de mesa e revezamentos de atletismo (que podemos discutir se vale como mundial ou não), é a vez do Taekwondo. A cidade russa de Chelyabinsk, que recebeu o Mundial de judô no ano passado, agora recebe nada menos que 873 atletas de 139 países, bem mais que o mundial de judô ano passado.

Em Jogos Olímpicos, são apenas 4 provas no masculino e 4 no feminino, mas em Mundiais, são disputadas todas as 8 categorias de cada naipe, totalizando 16 provas. Maior vencedoira da história, a Coreia do Sul deve brigar por medalhas em todas as categorias, e tentará melhoras os 10 pódios e 6 ouros de 2013.

Apesar do Mundial não dar vaga olímpica direta, é a grande competição do ano e dá pontos importantes para o ranking olímpico, que definirá 6 classificados para o Rio-2016

Masculino

Farzan Ashourzadeh de vermelho

Nos 58kg, o iraniano Farzan Ashourzadeh chega como cabeça 1 e está disparado na liderança do ranking mundial, com mais de 300 pontos contra 175 do 2º colocado, o alemão tricampeão europeu Levent Tuncat. Campeão dos Jogos Asiáticos, do campeonato asiático ano passado e da final do Grand Prix no México, Ashourzadeh lidera a fortíssima equipe iraniana no Mundial. O sul-coreano Cha Tae-moon que venceu em 2013 não está no Mundial. Nenhum medalhista do último Mundial está neste, incluindo o brasileiro Guilherme Dias, que não passou pela pesagem na seletiva nacional.

Maior chance da casa no masculino, o russo Alexey Denisenko chega como cabeça 1 nos 68kg. Seus principais adversários são o mexicano Isaac Vazquez e o turco campeão olímpcio em Londres e mundial em 2011 Servet Tazegül.

Aaron Cook de vermelho

Os 80kg contarão com a estreia internacional do Aaron Cook defendendo a Moldávia. Tricampeão europeu (2 pela Grã-Bretanha e 1 vez pela minúscula Ilha de Man, após mudar de nacionalidade após não ter sido escolhido para os jogos de Londres, apesar de ser número 1 do mundn na época), Cook é o principal nome e grande favorito da categoria e busca sua primeira medalha em mundiais. Terceiro do ranking e bronze em 2011, o alemão Tahir Guelec também chega como favorito ao lado do iraniano Mahdi Khoabakhshi.

Campeão olímpico acima de 80kg, o italiano Carlo Molfetta nem é cabeça de chave na categoria 87kg, que tem o uzbeque Jasur Baykuziyev como favorito. Acima de 87kg, Anthony Obame é o cabeça 1. O atleta do Gabão vice campeão olímpico não terá o sul-coreano Dong-min Cha como adversário, fora do Mundial.

Feminino

Lucija Zaninovic de azul

Na categoria até 49kg, a croata Lucija Zaninovic chega como favorita. Bronze em Londres e no úlçtimo mundial, a tricampeã europeia tem cmo grandes adversárias a chinesa campeã olímpica Wu Jingyu, a espanhola vice-campeã olímpica e campeã mundial em 2009 Brigitte Yague e a tailandesa Chanatip Sonkham, também bronze em Londres e atual campeã mundial.

Campeã em Londres em casa, Jade Jones é a queridinha dos britânicos. Cabeça 1 e líder do ranking mundial, ela pode repetir a final olímpica e a do mundial de 2011 com a chinesa Hou Yuzhou, já bicampeã mundial. De olho também na espanho Eva Calvo, cabeça 2 e bronze em 2013.

Atual bicampeã olímpica, a sul-coreana Hwang Kyung-seo é a mulher a ser batida, apesar de não ser cabeça de chave por não competir em eventos internacionais há mais de um ano. A líder do ranking é a sueca Elin Johansson.

Ouro em Londres, a sérvia Milica Mandic é a favorita nos 73kg enquanto a mexicana Briseida Acosta lidera o ranking na categoria acima de 73kg. Nesta prova, a russa Olga Ivanova, que é de Chelyabinsk tenta defender o seu título mundial de 2013 em casa.

Brasileiros

Iris Tang Sing de vermelho

O Brasil mandou 16 atletas para a Rússia, mas chega quase sem chances boas. Bronze no último mundial, Guilherme Dias não competirá como já disse. A maior esperança de medalha é Íris Tang Sing, na categoria mais leve, os 46kg, que não é olímpica. Íris é a cabeça número 3 e vem do título do Aberto de Luxor, no Egito, e do bronze no forte Aberto dos EUA, ambos esse ano. A outra boa chance é no acima de 87kg masculino, com Guilherme Félix, também bronze no Aberto dos EUA. Outra ausência brasileira é o campeão dos Jogos da Juventude na categroia 63kg, Edival Pontes.

Eia a equipe brasileira completa:

Masculino – Venilton Teixeira (54kg), Leonardo Moraes (58kg), Davilani Cunha (63kg), Gustavo Almeida (68kg), Henrique Moura (74kg), André Bilia (80kg), John lee Silva (87kg) e Guilherme Félix (+87kg)

Feminino – Íris Tang Sing (46kg), Talisca Reis (49kg), Alessandra Trevisan (53kg), Josiane Lima (57kg), Júlia Vasconcelos (62kg), Paloma Lima (67kg), Raphaella Galacho (73kg) e Hellorayne Paiva (+73kg)