Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 15

Foi um sábado com muitas, muitas emoções. Derrotas duras, vitórias incríveis, muitas medalhas e os recordes batidos pro Brasil num dia de 71 finais.

Atletismo

10650

Altobeli da Silva. Foto: CBAt

O último ouro brasileiro no atletismo veio de uma maneira brilhante com o finalista olímpico Altobeli da Silva vencendo os 3.000m com obstáculos. Ele dosou bem a prova e soube segurar os fortes americanos. Na última volta, ele ligou o turbo e foi a frente, abrindo para vencer com 8:30.73.

Augusto Dutra conseguiu a medalha de prata no salto com vara com 5,71m contra 5,76m do americano Christopher Nilsen. Campeão olímpico Thiago Braz ficou em 4º com 5,51m, queimando as 3 tentativas em 5,61m. Já nos 110m com barreiras, o favorito ao ouro Gabriel Constantino tropeçou na 6ª barreira e caiu, dando a vitória para Shane Brathwaite, que, com 13.31, conquistou o 1º ouro de Barbados da história em Pans. Eduardo de Deus cruzou em 3º com 13.48.

No lançamento de martelo feminino, dobradinha americana com Gwen Berry 74,62m e Brooke Andersen 71,07m. A brasileira Mariana Marcelino conseguiu um ótimo 4ª posição com 66,15m. No salto triplo, ouro pro americano Omar Craddock com 17,42m. Almir dos Santos, que volta de lesão, acabou em 4º com 16,70m. E tivemos mais um 4º lugar do Brasil, com Tatiane da Silva nos 3.000m com obstáculos com 9:56.19 em vitória da canadense Geneviève Lalonde com 9:41.45.

Muito legal o pódio do lançamento de dardo masculino com a vitória de Anderson Peters, de Granada, com 87,31m, novo recorde dos Jogos e 1ª medalha de ouro da história de Granada em Pans. Prata foi pro trinitino Keshorn Walcott, campeão olímpico em 2012, com 83,55m e bronze para Albert Reynolds, de Santa Lúcia, com 82,19. Os outros ouros do dia foram pro canadense Marco Arop nos 800m com 1:44.25, pro quarteto americano no 4x400m feminino 3:26.46 e uma linda vitória da Colômbia no 4x400m masculino com 3:01.41.

Natação

Captura de Tela 2019-08-12 às 01.09.22

Equipe de natação com sua medalhas. Foto: COB

Fechando as disputas da natação, o Brasil faturou mais um ouro e 5 medalhas, batendo o recorde de 11 ouros (o anterior era 10) e 32 medalhas (anterior 26). Depois de ir bem mal no Mundial de Gwangju, Guilherme Costa dominou os 1.500m livre com 15:09.93, liderando do início ao fim.

No revezamento 4x100m medley masculino, o Brasil ficou com a prata com 3:30.98, com Guilherme Guido, João Gomes Jr, Vinícius Lanza e Marcelo Chierighini, contra 3:30.25 dos Estados Unidos, que contou com Daniel Carr, Nicolas Fink, Ton Shields e Nathan Adrian. Na prova feminina, a equipe ficou com o bronze com altos 4:04.96 e Larissa Oliveira levou sua 7ª medalha neste Pan!

Saindo de uma lesão na virilha que o atrapalhou demais no Mundial, Caio Pumputis se recuperou e foi prata nos 200m medley com 2:00.12 com Leonardo Santos na prata 2:00.29, ambos atrás do americano William Licon, ouro com 1:59.13. A argentina Delfina Pignatiello conquistou seu 3º ouro em Lima nos 1.500m livre com 16:16.54 e a americana Amanda Walsh venceu os 200m medley com 2:11.24.

Basquete

Captura de Tela 2019-08-12 às 01.09.13

Foto: COB

Talvez o ouro que eu menos esperava de esportes coletivos nesse Pan. Jogando bem demais no Pan todo, o Brasil fez um grande jogo com a equipe universitária dos Estados Unidos e venceu por 79-73, faturando o 1º ouro do basquete feminino em Pans desde Havana-1991! Tainá fez 24 pontos na decisão e Clarissa dos Santos, um dos principais nomes dessa equipe, fez 12. Na disputa do bronze, Porto Rico venceu a Colômbia por 66-55.

Vela

Mais 3 ouros no dia derradeiro da vela em Lima, totalizando 5. As campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze sobraram na 49erFX e já tinham garantido o ouro muito antes do final. Nas outras 4 classes não-olímpicas, medalhas em todas. Bruno Lobo venceu a Formula Kite e Matheus Dellagnelo foi ouro na Sunfish. Na Snipe, bronze para Rafael Martins e Juliana Duque, mas destaque para a prata na Classe Lightning, com Cláudio Biekarck, que, aos 68 anos, leva sua 10ª medalha em Pans em 10 Pans disputados!

Tênis de Mesa

Captura de Tela 2019-08-12 às 01.09.47

Bruna Takahashi, Jéssica Yamada e Caroline Kumahara. Foto: COB

Foi doído demais. O dia começou com dois confrontos Brasil x EUA. No feminino, as meninas tinham uma dura missão. As americanas abriram 1-0 nas duplas, Bruna Takahashi diminuiu, Caroline Kumahara perdeu para Wu Yue, mas Jéssica Yamada empatou. No jogo decisivo, Bruna venceu novamente a forte americana Zhang Lily, assim como tinha acontecido nas 4as da chave de simples e colocou o Brasil em uma final feminina inédita em Pans. Na final, a forte equipe de Porto Rico, com a espetacular Adriana Díaz. No 1º jogo, Jéssica e Caroline perderam nas duplas 3-2 (com 12-10 no 5º) para Melanie Diaz e Daniely Rios. Mas Bruna Takahashi brilhou num jogo espetacular contra Adriana Díaz, vencendo por 3-1. Caroline Kumahara venceu 3-1 Rios e o Brasil virou 2-1 no confronto, mas Adriana fez 3-1 em Jéssica para empatar. No jogo decisivo, Bruna pegou a irmã de Adriana, Melanie, e abriu 2-0. Chegou a ter QUATRO match points, mas perdeu 17-15 e levou a virada no que talvez tenha sido a derrota mais dura do Brasil em todo o Pan.

Já no masculino, o Brasil teve uma inesperada derrota na semifinal para os americanos. Nas duplas, Eric Jouti e Gustavo Tsuboi perderam 3-2 para Nicholas Tio/Nikhil Kumar. Hugo Calderano passou com 3-0 pelo talentoso Kanka Jha, mas Tsuboi perdeu de 3-2 para Kumar e Jouti também perdeu 3-2 para Kanak Jha e os americanos desbancaram o Brasil, que acabou com o bronze.

Judô

Com um ippon relâmpago de 18s, Eduardo Yudy Santos faturou o único ouro do dia do Brasil no judô, nos 81kg, derrotando o dominicano Medickson del Orbe. Nos 63kg feminino, Alexia Castilhos perdeu na semi dos 63kg para venezuelana, mas venceu equatoriana na disputa do bronze. Já Rafael Macedo perdeu a disputa do bronze para peruano e ficou sem medalha, assim como Ellen Santana, que nem chegou a disputar o bronze.

Outros Esportes

Vice mundial, Valéria Kumizaki foi ouro no 55kg do karatê, derrotando na final a canadense Kathryn Campbell por 4-1. Nos 50kg, Jéssica de Paula perdeu a semifinal 2-1 para mexicana e ficou com o bronze.

Com o jogo na mão, o Brasil teve 2 match points no 4º set contra a Colômbia na semifinal do vôlei feminino, mas levou a virada e foi derrotado por 3-2 (22-25, 25-27, 25-14, 28-26, 15-9).

Dois bronze no pólo aquático. A equipe feminina fez 8-7 em Cuba e acabou em 3º lugar e a masculina venceu a Argentina por 9-6. Estados Unidos e Canadá se enfrentaram nas duas finais, com vitórias americanas em ambas: 24-4 no feminino e 18-6 no masculino.

O Brasil ficou sem medalha no último dia da esgrima, decepcionando na espada por equipes feminina. Ela venceram nas 4as o México por 45-31, mas perderam na semi 45-37 pra Cuba e de 45-37 pra Venezuela na disputa do bronze.

Brasil também sem medalha no último dia do remo. No Quatro Sem masculino, o quarteto brasileiro ficou em 4º a apenas 0.04 do bronze. Também tivemos o 4º lugar no Oito Com masculino, o 5º lugar de Vanessa Cozzi no single skiff e o 5º lugar no skiff quádruplo feminino.

Roberto Hernandez, de El Salvador, surpreendeu na final do arco composto o favorito americano Braden Gellenthien por 147-116 e ficou com o ouro. No feminino, a colombiana Sara Lopez confirmou o mega favoritismo e venceu 146-142 a mexicana Andrea Becerra. Nas duplas mistas, ouro para a Argentina enquanto o Brasil perdia a disputa do bronze pra Colômbia.

El Salvador levou mais dois ouros no dia, nas provas de fisiculturismo, que fez sua estreia em Pans.

A Bolívia também ganhou sua 1ª medalha de ouro da história ao conquistar o raquetebol por equipes masculinas, com 2-1 sobre a Colômbia na final.

A Argentina venceu mais dois coletivos, fechando 8 ouros nessas modalidades! Venceu na final do futebol masculino 4-1 Honduras e confirmou o favoritismo no hóquei na grama com 5-2 sobre o Canadá, garantindo vaga olímpica. Argentina venceu no masculino o rugby 7s, o softball, o basquete, o vôlei, o handball, o hóquei e o futebol e no feminino o hóquei.

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
Dia 3 4 2 8 14
Dia 4 3 2 4 9
Dia 5 1 2 1 4
Dia 6 0 2 5 7
Dia 7 3 2 1 6
Dia 8 0 0 3 3
Dia 9 7 2 7 16
Dia 10 1 2 3 6
Dia 11 4 4 2 9
Dia 12 4 4 6 14
Dia 13 5 2 6 13
Dia 14 10 8 9 27
Dia 15 8 5 9 22
TOTAL 54 42 68 164

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Natação 11 9 12 32
Atletismo 6 6 4 16
Vela 5 2 2 9
Ginástica Artística 4 4 3 11
Judô 4 1 2 7
Canoagem Slalom 4 0 1 5
Taekwondo 2 2 3 7
Tênis de Mesa 2 2 3 7
Triatlo 2 2 0 4
Hipismo 2 1 2 5
Surfe 2 1 1 4
Boxe 1 3 2 5
Ginástica Rítmica 1 1 3 5
Badminton 1 0 4 4
Karatê 1 0 3 4
Canoagem Velocidade 1 0 2 3
Patinação Artística 1 0 1 2
Tênis 1 0 1 1
Handebol 1 0 1 2
Basquete 1 0 0 1
Levantamento de Peso 1 0 0 1
Ciclismo 0 4 2 6
Esgrima 0 1 2 3
Lutas 0 1 2 3
Remo 0 1 2 3
Boliche 0 1 0 1
Pólo Aquático 0 0 2 2
Tiro 0 0 2 2
Esqui Aquático 0 0 1 1
Pelota Basca 0 0 1 1
Pentatlo Moderno 0 0 1 1
Vôlei de Praia 0 0 1 1
Saltos Ornamentais 0 0 1 1
Vôlei 0 0 1 1
TOTAL 54 42 68 164

Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 12

Recorde mundial no tiro com arco, show de Darlan Romani, ouro no hipismo e domínio americano na natação, num dia de 2 grandes polêmicas no Jogos.

Atletismo

3dac099c-ba83-416a-8ba4-fbb3d22cb884

Darlan Romani. Foto: SFP/Getty Images

Favoritaço no arremesso de peso, Darlan Romani deu show absoluto na final. Abriu com 20,81m, melhorou para 20,92m, depois para 21,19m, fez 21,16m, melhorou novamente com 21,54m e fechou com espetaculares 22,07m para levar o ouro. O 2º colocado foi o americano Jordan Geist com 20,67m. Ou seja, Darlan ganharia o ouro com qualquer uma das suas 6 tentativas.

Nas finais dos 100m, Paulo André de Oliveira ficou com a medalha de prata com 10.16, perdendo pro favorito americano Michael Rodgers, que venceu com 10.09. Rodrigo do Nascimento foi 4º com 10.27. No feminino, um belo bronze de Vitória Cristina Rosa com 11.30. O ouro foi pra campeã olímpica no Rio-2016 Elaine Thompson com 11.18.

Ainda tivemos vitória do cubano Juan Miguel Echevarría no salto em distância com 8,27m, onde Alexsandro de Melo foi 4º com 7,77m, vitória da jamaicana Natoya Goule nos 800m feminino com 2:01.26 e do canadense Damian Warner no decatlo com 8.513 pontos.

Hipismo

Foi uma prova sensacional do Brasil nos saltos por equipe. Após o 1º dia de prova, os EUA lideravam com 2,09 pontos contra 3,39 do Brasil. Na 1ª passagem do dia, 2 brasileiros, 2 americanos e 2 mexicanos zeraram, e o Brasil foi pra liderança com 7,39. Estados Unidos em seguida com com 10,09 e México com 10,97.

Captura de Tela 2019-08-08 às 23.58.37

Foto: COB

Na 2ª passagem, Eduardo Menezes fez 2 faltas, Marlon Zanotelli fez uma no último obstáculo, Pedro Veniss estourou o tempo e perdeu 1,00 pontos enquanto Rodrigo Lambre zerou. Pro México, dois zeraram contra 3 faltas de um conjunto. Já pros EUA, apenas um conjunto zerou e a sua melhor amazona, Beezie Madden, fez duas faltas. Assim, o Brasil levou o ouro com 12,39 seguido do México com 22,97 e dos americanos com 23,09!

Tênis de Mesa

Hugo Calderano é um monstro! Na semifinal ele venceu o canadense Eugene Wong por 4-2 (8-11, 11-7, 11-6, 7-11, 11-9, 11-6) e, na decisão, fez um jogaço com o chinês naturalizado dominicano Wu Jiaji, que chegou a ter 2-1 e 3-2 na final. Mas Calderano soube segurar e empatar, até que fechou com um 7º set espetacular parcial 11-2 e vencer por 4-3 (11-8, 6-11, 8-11, 11-7, 8-11, 11-8, 11-2). Calderano chega a seu 4º ouro em Pans e 20 vitórias em 20 jogos.

Bruna Takahashi perdeu a semifinal pra porto-riquenha Adriana Díaz por 4-0 (11-9, 11-8, 11-3, 11-4) e ficou com o bronze no individual, sua 3ª medalha em Lima. Díaz ficou com o ouro ao passar pela americano Wu Yue por 4-1 (11-8, 11-3, 11-9, 8-11, 11-6).

Natação

Captura de Tela 2019-08-08 às 23.58.30

Breno Correia e Fernando Scheffer. Foto: COB

No dia dos EUA na piscina, Fernando Scheffer foi o único não-americano a levar ouro, faturando os 200m livre com 1:46.68. Breno Correia completou a dobradinha brasileira na prova com 1:47.47 pra prata e o americano Drew Kibler foi bronze com 1:47.71. Nas outras 6 provas, ouros americanos.

O Brasil ainda conquistou mais 4 medalhas. Larissa Oliveira foi bronze nos 200m livre com 1:59.78 em prova com vitória de Claire Rasmus 1:58.64. Vinícius Lanza foi bronze nos 100m borboleta com 51.88, atrás do americano Tom Shields 51.59 e do guatemalteca Luis Carlos Martinez 51.63. Leonardo de Deus foi bronze nos 200m costas com 1:58.73 com vitória do americano Daniel Carr com 1:58.13. E o Brasil foi prata no revezamento 4x100m livre misto com 3:25.97, ficando atrás dos americanos com 3:24.84. Brasil fez uma excelente prova liderando até os 350m, quando Margo Geer ultrapassou a Etiene Medeiros nos 50m finais.

Tivemos mais dois ótimos resultados do Brasil, com Fernanda Geoij batendo o recorde sul-americano nos 200m costas, 4ª com 2:11.95 a 1.00 do bronze, e com Giovana Diamante 4ª nos 100m borboleta com 59.31 a 0.20 do bronze.

Tiro com Arco

header_brady_ellison_702_lima2019

Brady Ellison e seu alvo do WR. Foto: World Archery

O tiro com arco foi um dos destaques do dia em Lima. A começar pelo ranqueamento masculino, onde o americano Brady Ellison obteve a melhor pontuação com incríveis 702 entre 720 possíveis, batendo em 2 pontos o recorde mundial que o sul-coreano Kim Woojin fez no Rio-2016. Em 2º, Marcus Vinícius D’Almeida melhorou o seu recorde brasileiro em 7 pontos para 692. Foram ainda mais 3 recordes do Pan, com o EUA por equipes no masculino com 2057, da mexicana Alejandra Valencia no feminino com 675 e da equipe feminina com o México marcando 1971. Foi o 1º recorde mundial batido em um Pan desde Winnipeg-1999 no levantamento de peso.

Mas a grande polêmica veio nas 4as de final da equipe masculina, no confronto entre Brasil e Chile. O confronto empatou em 4-4 e foi pras flechas de desempate, onde as equipes novamente empataram em 28-28. Nesse caso, ganha quem tiver a flecha mais próxima do centro. O árbitro deu a vitória pro Brasil, o Chile apelou, o resultado demorou muito tempo e foi dada a vitória aos chilenos. Ainda tem muita coisa obscura nessa prova, mas a polêmica foi forte. A final será entre Canadá e Chile. No feminino, o Brasil venceu nas 4as 6-0 o Canadá, perdeu para as mexicanas por 6-0 na semi e disputará o bronze contra a Colômbia.

Outros Esportes

Campeã mundial há algumas semanas, Nathalie Moellhausen perdeu na semifinal da espada feminina para a americana Katharine Holmes por 15-9 e ficou com um dos bronzes na esgrima. Holmes foi ouro e seu compatriota Daryl Homer venceu no sabre masculino.

Magno Nazaret foi prata na prova de ciclismo contrarrelógio. Ele completou os 37km da prova em 46:17.44, ficando atrás do colombiano Daniel Martinez, que sobrou com 44:22.71. Dona de 5 ouros em Mundiais de pista, a americana Chloe Dygert venceu no feminino completando os 18,5km em 23:36.51.

O Brasil venceu a 2ª no basquete feminino, agora com 64-58 sobre Porto Rico. As adversárias chegaram a abrir 26-13, mas o Brasil virou 32-31. Chegamos a abrir 14 pontos, mas tiveram um apagão, Porto Rico encostou em 62-58, mas deu Brasil. A polêmica do dia foi no jogo entre Argentina e Colômbia. As duas equipes chegaram para o jogo de uniforme azul, mas a Argentina deveria ter ido de branco. Só que elas não levaram o uniforme reserva pro ginásio e perderam por WO.

O Brasil finalmente estreou no vôlei feminino, vencendo Porto Rico por 3-0 (25-16, 25-16, 25-15) pelo Grupo A.

No início de disputas da luta, Angelo Marques perdeu a disputa do bronze da greco-romana 77kg para o cubano Yosvanys Peña.

Filipe Othguy perdeu na semifinal da pelota basca, prova de Fronton com as mãos, 2-0 (10-4, 10-0) para cubano e vai disputar o bronze.

Mais uma final de coletivos pra Argentina, que venceu 3-0 o Uruguai na semifinal do futebol masculino. Vai enfrentar na decisão Honduras, que empatou em 1-1 com o México, mas venceu 4-2 nos pênaltis.

O México destruiu no raquetebol, levando 4 ouros nesta quarta-feira, nas duas provas individuais e nas duas de duplas.

Captura de Tela 2019-08-08 às 01.02.12

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
Dia 3 4 2 8 14
Dia 4 3 2 4 9
Dia 5 1 2 1 4
Dia 6 0 2 5 7
Dia 7 3 2 1 6
Dia 8 0 0 3 3
Dia 9 7 2 7 16
Dia 10 1 2 3 6
Dia 11 4 4 2 9
Dia 12 4 4 6 14
TOTAL 31 26 45 102

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Natação 4 4 4 12
Ginástica Artística 4 4 3 11
Canoagem Slalom 4 0 1 5
Taekwondo 2 2 3 7
Triatlo 2 2 0 4
Tênis de Mesa 2 1 2 5
Surfe 2 1 1 4
Atletismo 1 4 3 8
Boxe 1 3 2 5
Ginástica Rítmica 1 1 3 5
Hipismo 1 1 2 4
Badminton 1 0 4 4
Canoagem Velocidade 1 0 2 3
Águas Abertas 1 0 1 2
Patinação Artística 1 0 1 2
Tênis 1 0 1 1
Handebol 1 0 1 2
Levantamento de Peso 1 0 0 1
Ciclismo 0 2 2 4
Boliche 0 1 0 1
Esgrima 0 0 2 2
Tiro 0 0 2 2
Esqui Aquático 0 0 1 1
Pentatlo Moderno 0 0 1 1
Vôlei de Praia 0 0 1 1
Saltos Ornamentais 0 0 1 1
Vôlei 0 0 1 1
TOTAL 31 26 45 102

Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 11

Começam o atletismo e a natação e Brasil consegue grandes resultados nesses dois esportes. E vitórias incríveis no tênis de mesa!

Natação

Captura de Tela 2019-08-08 às 00.38.38

Breno Correia, Marcelo Chierighini, Bruno Fraus e Pedro Spajari. Foto: COB

Que primeiro dia da natação brasileira com 3 ouros e 6 medalhas! As primeiras finais foram dos 400m livre, onde Fernando Scheffer foi prata com 3:49.60 e Luiz Altamir Melo bronze com 3:49.91, atrás do americano Andrew Abruzzo com 3:48.41. No feminino, vitória da argentina Delfina Pignatiello com 4:10.86. Aline Rodrigues foi 5ª com 4:12.79 e Viviane Jungblut 6ª com 4:15.35.

Nos 100m peito, João Gomes Jr deu um show fazendo o melhor tempo nas eliminatórias com 59.57 e vencendo muito bem a final com 59.51! Felipe Lima, único ao lado do João a baixar do 1min nas eliminatórias, acabou em 4º com 1:00.36, com os dois americanos no meio dos brasileiros: Cody Miller 59.57 e Kevin Cordes 1:00.27. No feminino, vitória da americana Anne Lazor com 1:06.94 seguida da argentina Julia Sebastian com 1:07.09. Sebastian bateu o recorde sul-americano nas eliminatórias com 1:06.98. Jhennifer Conceição ficou em 5º com 1:08.00.

Último a entrar na equipe após o doping do Gabriel Santos, Léo de Deus abriu seu 3º Pan com o ouro nos 200m borboleta com 1:55.86 e se tornando tricampeão dos Jogos na prova! Luiz Altamir Melo foi 4º com 1:57.78. No feminino, nenhuma brasileira na final, mas a vitória foi da argentina Virginia Bardach com 2:10.87.

Fechando o dia, os revezamentos 4x100m livre. No masculino, o Brasil, com a mesma equipe que foi 6ª no Mundial duas semanas antes, venceu com 3:12.61, novo recorde dos Jogos e apenas 0.62 pior que o tempo da final de Gwangju. O Brasil sobrou com Breno Correia, Marcelo Chierighini, Bruno Fratus e Pedro Spajari. EUA foi 2º com 3:14.94, fechando com Nathan Adrian. No feminino, as meninas fizeram uma belíssima prova e brigaram centímetro a centímetro com a equipe americana até a última nadadora, quando Margo Greer pegou apenas 0.05 na frente do Brasil e entregou pro ouro com 3:39.59 contra 3:40.39 das brasileiras.

Atletismo

Captura de Tela 2019-08-08 às 00.38.21

Andressa de Morais, a cubana Yaimé Pérez e Fernanda Borges. Foto: COB

Foi uma final espetacular do lançamento de disco feminino. Andressa de Morais, que vem em excelente temporada, bateu o recorde sul-americano na 2ª tentativa com ótimos 65,98m, 5ª melhor marca do mundo este ano. Dona da melhor marca do ano, a cubana Yaimé Pérez vinha em 2º com 63,88m e a brasileira Fernanda Borges estava em 3º com 62,23m. Na última tentativa, Pérez e toda sua frieza fizeram um 66,58m, novo recorde dos Jogos e ela acabou levando o ouro., seguido de uma dobradinha brasileira no pódio. Bronze no Rio-2016, a cubana Denia Caballero foi 4ª com 60.46m.

Nos 5.000m masculino, o finalista olímpico Altobeli da Silva conseguiu a medalha de prata com 13:54.42. O mexicano Fernando Martinez foi ouro com 13:53.87 no ataque na última curva e Altobeli segurou o chileno Carlos Díaz, que foi bronze a apenas 0.01 do brasileiro! Nos 10.000m feminino, vitória da canadense Natasha Wodak com 31:55.17, destruindo o recorde dos Jogos por quase 46s. Ainda tivemos o ouro do jamaicano Fedrick Dacres no disco masculino com 67,68m, também recorde dos Jogos. E no salto em distância feminino, um histórico ouro de Chantel Malone com 6,68m, a 1º medalha da história em Pan das Ilhas Virgens Britânicas! Ouvimos até um “God Save the Queen” no pódio.

Os dois brasileiros venceram sua semifinais e passaram pra final dos 100m rasos com os melhores tempos: Rodrigo Nascimento 10.27 e Paula André de Oliveira 10.29. No feminino, Vitória Cristina Rosa passou com o 3º melhor tempo de 11.40. O melhor foi da campeã olímpica Elaine Thompson com 11.36. Nos 400m com barreiras, Alison Santos correu na raia 8 sem referência, fazendo o 2º tempo na sua semifinal com 49.74, suficiente para ir pra final. Jefferson Santos está em 6º após o 1º dia do decatlo com 3.932 pontos. Canadenses Damian Warner e Pierce Lepage lideram com 4.499 e 4.418.

Tênis de Mesa

Captura de Tela 2019-08-08 às 00.38.14

Numa final espetacular, Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi venceram a final de duplas masculinas os argentinos Gaston Alto e Horacio Cifuentes por 4-2 (11-6, 12-14, 8-11, 1-6, 12-10, 12-10) num jogão super disputado, dando o 3º ouro da carreira do Hugo em Pans e a 7ª medalha do Tsuboi, a 4ª de ouro.

Nas duplas femininas, as irmãs Adriana e Melanie Díaz, de Porto Rico, venceram por 4-3 (7-11, 11-8, 10-12, 11-7, 6-11, 11-8, 11-7) as americanas Wu Yue/Zhang Lily para levar o ouro! Em simples, Hugo Calderano venceu 4-1 o chileno Juan Lamadrid nas 8as e 4-0 o mexicano Marcos Madrid na 4as. Mas o grande resultado em simples foi de Bruna Takahashi. Ela passou fácil nas 8as por 4-0 pela dominicana Yasiris Ortiz, mas nas 4as derrotou a americana Zhang Lily num jogão por 4-3 (6-11, 5-11, 11-9, 11-9, 8-11, 11-6, 11-9).

Outros Esportes

Bela estreia do Brasil no basquete feminino, jogando bem e surpreendendo o Canadá com 79-71 pelo Grupo A, que também teve Porto Rico 91-73 no Paraguai. No Grupo B, dois placares apertados: Colômbia 69-66 Ilhas Virgens e Estados Unidos 68-62 Argentina.

O Brasil está em 2º na classificação dos saltos por equipes no hipismo. Estados Unidos liderou após a prova de contrarrelógio com 2,09 pontos contra 3,39 do Brasil e 6,21 do Canadá. No individual, Pedro Veniss está em 4º, Eduardo Menezes 5º, Rodrigo Lambre 7º e Marlon Zanotellie 11º.

No pólo aquático, o Brasil derrotou Porto Rico no feminino por 12-8 passando pras 4as com a 2ª melhor campanha no Grupo A. No masculino, venceu a Argentina 12-7 e fechou a 1ª fase com 3 vitórias.

Filho de francês com brasileira, Filipe Otheguy nasceu na França, não fala português e até outro dia nem tinha passaporte brasileiro, mas está representando o país na pelota basca. Depois de perder na estreia para mexicano na modalidade Fronton Manual, ele venceu nesta terça uruguaio por 2-1 (10-4, 9-10, 5-2) e está na semifinal.

Guilhermo Toldo perdeu nas 8as do florete masculino 15-12 pro chileno Gustavo Alarcón, que surpreendeu na semifinal o americano número 2 do mundo Race Imboden por 15-13, mas foi derrotado na final pro outro americano, Gerek Meinhardt por 15-11.

No 1º dia do remo, Uncas Batista e Lucas Verthein ficaram em 2º na sua bateria eliminatórias e na repescagem e estão na final do double skiff. Uncas voltou pra disputar o single skiff, mas teve problemas nas eliminatórias com o barco e nem disputou a repescagem.

As Leonas venceram o Chile por 3-1 e estão na final do hóquei na grama feminino onde enfrentarão o Canadá, que surpreendeu as americanas por 2-0.

Argentina venceu 3-0 o Paraguai e fará a final do futebol feminino contra a Colômbia, que venceu 4-3 a Costa Rica, marcando o gol decisivo aos 48min do 2º tempo após um frangaço da goleira costarriquenha.

Captura de Tela 2019-08-07 às 01.01.03

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
Dia 3 4 2 8 14
Dia 4 3 2 4 9
Dia 5 1 2 1 4
Dia 6 0 2 5 7
Dia 7 3 2 1 6
Dia 8 0 0 3 3
Dia 9 7 2 7 16
Dia 10 1 2 3 6
Dia 11 4 4 2 9
TOTAL 27 22 39 88

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Ginástica Artística 4 4 3 11
Canoagem Slalom 4 0 1 5
Natação 3 2 1 6
Taekwondo 2 2 3 7
Triatlo 2 2 0 4
Surfe 2 1 1 4
Boxe 1 3 2 5
Ginástica Rítmica 1 1 3 5
Tênis de Mesa 1 1 1 2
Badminton 1 0 4 4
Canoagem Velocidade 1 0 2 3
Águas Abertas 1 0 1 2
Patinação Artística 1 0 1 2
Tênis 1 0 1 1
Handebol 1 0 1 2
Levantamento de Peso 1 0 0 1
Atletismo 0 3 2 5
Ciclismo 0 1 2 3
Hipismo 0 1 2 3
Boliche 0 1 0 1
Tiro 0 0 2 2
Esgrima 0 0 1 1
Esqui Aquático 0 0 1 1
Pentatlo Moderno 0 0 1 1
Vôlei de Praia 0 0 1 1
Saltos Ornamentais 0 0 1 1
Vôlei 0 0 1 1
TOTAL 27 22 39 88

Mundial de Tênis de Mesa – Dia 5

Infelizmente Hugo Calderano deu azar no sorteio e estava destinado a enfrentar o chinês bicampeão mundial e campeão olímpico Ma Long nas 8as. O chinês ficou 6 meses sem disputar torneios por conta de uma lesão e entrou no Mundial apenas como cabeça de chave 11. Hugo começou muito bem vencendo o 1º set 11-8 e manteve seu bom jogo, mas Ma Long devolveu os 11-8 no 2º set. Aí o chinês ligou o modo trator e arrasou com 11-1 no 3º. Jogando seu melhor, o chinês não deu chances pro brasileiro e venceu por 4-1 (8-11, 11-8, 11-1, 11-3, 11-8).

Captura de Tela 2019-04-28 às 21.02.06

Hugo Calderano x Ma Long. Foto: ITTF

Um dos maiores do mundo, o alemão Timo Boll abandonou o mundial por lesão e deu WO no jogo de simples contra o sul-coreano Jang Woojin. Algoz do chinês Xu Xin, o francês Simon Gauzy venceu tranquilo o chinês naturalizado eslovaco Wang Yang por 4-0 (11-0, 11-5, 11-4, 11-8). Outra grande surpresa do torneio é o sul-coreano An Jaehyun, que veio do qualificatório. Nas 8as ele derrotou o talentosíssimo jovem japonês Tomokazu Harimoto por 4-2 (11-7, 3-11, 11-8, 11-7, 8-11, 11-9).

No feminino, só deu China. A número 1 do mundo Ding Ning venceu a japonesa Miu Hirano por 4-1 (11-8, 4-11, 11-2, 11-7, 11-9), Liu Shiwen passou pela japonesa Miyu Kato 4-1 (11-9, 8-11, 11-4, 11-6, 11-5). Na chave de baixo, Wang Manyu venceu no duelo chinês Sun Yingsha por 4-2 (11-9, 10-12, 21-19, 11-6, 9-11, 11-8) e Chen Meng fez 4-2 (9-11, 11-7, 11-7, 8-11, 12-10, 11-4) em Doo Hoi Kem, de Hong Kong. Com isso, as 4 primeiras cabeças de chave chegaram às semifinais.

Nas duplas masculinas, do lado de cima só com asiáticos, vitórias das duas duplas chinesas. Na chave de baixo, os portugueses Tiago Apolonia e João Monteiro passaram direto pra semi por conta do WO de Timo Boll. O romeno Ovidiu Ionescu e o espanhol Alvaro Robles venceram os suecos Mattias Falck e Kristian Karlsson por 4-0.

Já nas duplas femininas, só tínhamos duplas asiáticas. E as duas chinesas e as duas japonesas venceram seus jogos, marcando uma semifinal chinesa e uma japonesa.

Por fim, tivemos as semifinais das mistas. No duelo chinês, Xu Xin/Liu Shiwen venceram 4-0 (11-5, 11-8, 13-11, 16-14) Fan Zhendong/Ding Ning. No outro jogo, os campeões mundial de 2017, os japoneses Maharu Yoshimura e Kasumi Ishikawa derrotaram por 4-1 (11-9, 11-6, 11-6, 5-11, 11-6) os alemães Patrick Franziska e Petrissa Solja.

Mundial de Tênis de Mesa – Dia 4

Liebherr 2019 ITTF World Table Tennis Championships

Hugo Calderano. Foto: ITTF

Hugo Calderano teve na 3ª rodada da chave masculina seu jogo mais tranquilo até aqui. Ele dominou o confronto contra o indiano Sathiyan Gnanasekaran ao vencê-lo por 4-0 (11-6, 11-3, 11-9, 11-9) e se classificou pela 1ª vez às 8as de final de um Mundial, onde enfrentará o fortíssimo chinês Ma Long, bicampeão mundial, campeão olímpico no Rio-2016 e considerado um dos maiores mesatenistas da história.

A grande zebra da quarta-feira foi a vitória do francês Simon Gauzy sobre o chinês Xu Xin, cabeça 2. Tricampeão mundial de duplas, Xu Xin perdeu por 4-2 (11-8, 6-11, 11-13, 11-6, 11-9, 11-9) e foi o 1º chinês a perder em Budapeste. Com isso, não há mais chinês na chave de baixo. Também venceram na 3ª rodada o chinês Fan Zhendong, cabeça 1, com 4-0 (12-10, 11-2, 11-6, 11-9) sobre o nigeriano Quadri Aruna, o jovem japonês Tomokazu Harimoto com 4-0 (11-8, 14-12, 11-7, 11-7) sobre o português Marcos Freitas e o alemão Timo Boll com 4-0 (11-3, 11-9, 11-7, 11-8) sobre o japonês Masataka Morizono.

gauzy-simon-fra_2019wttc_prg_3048-e1556156970935

A zebra francesa Simon Gauzy. Foto: ITTF

Na chave feminina, rodada dupla que definiu as quartas-de-final. Todas as 16 jogadoras que estavam nas 8as eram asiáticas. E as 5 chinesas venceram. Ding Ning fez 4-1 (11-6, 11-9, 5-11, 11-6, 11-9) na sul-coreana Suh Hyowon, Liu Shiwen venceu por 4-0 (11-6, 11-5, 11-6, 11-4) a norte-coreana Kim Song-I, Wang Manyu fez 4-2 (9-11, 11-4, 11-9, 8-11, 11-4, 11-9) na japonesa Hitomi Sato, Sun Yingsha venceu 4-0 (11-7, 11-3, 11-3, 11-7) a norte-coreana Cha Hyo-sim e Chen Meng derrotou Feng Tianwei, de Singapura, por 4-1 (12-10, 11-6, 11-6, 11-13, 11-7).

Nas duplas mistas, tivemos a definição das semifinais, onde as duplas chinesas Fan Zhendong/Ding Ning e Xu Xin/Liu Shiwen irão se enfrentar. Na outra semi, os japoneses atuais campeões Maharu Yoshimira/Kasumi Ishikawa irão enfrentar os alemães Patrick Franziska/Petrissa Solja.

Nas duplas masculinas, temos 4 duplas euriopeias e 4 asiáticas nas 4as. Interessante que as 4 europeias estão na chave de cima e as 4 asiáticas na de baixo. Legal ver os portugueses Tiago Apolonia e João Monteiro nas 4as, onde enfrentam os alemães Timo Boll/Patrick Franziska. Já nas duplas femininas, são 8 duplas asiáticas e as 2 chinesas estão na chave de baixo.

Apesar das várias vitórias chinesas, só poderemos ter uma final totalmente chinesa no individual feminino.

Mundial de Tênis de Mesa – Dia 3

Num dia com dezenas e dezenas de jogos, Hugo Calderano foi o único brasileiro a sobreviver e chegar à 3ª rodada.

calderano-hugo-bra-7-m-53

Hugo Calderano. Foto: ITTF

Na 1ª rodada masculina, Calderano venceu o argentino Horacio Cifuentes por 4-2 (11-6, 9-11, 15-13, 11-7, 7-11, 11-1) num jogo duro pro brasileiro, que está tendo problemas com a bolinha usada na competição. Eric Jouti também venceu na estreia, com 4-2 (8-11, 13-11, 9-11, 11-5, 11-8, 11-9) sobre o chileno Felipe Olivares. Já Gustavo Tsuboi perdeu pro romeno Cristian Pletea por 4-0 (11-5, 11-8, 11-7, 11-5), Vítor Ishiy pro francês Can Akkuzu por 4-1 (11-4, 11-7, 11-8, 7-11, 12-10) e Thiago Monteiro pro português Marcos Freitas por 4-1 (12-10, 12-10, 9-11, 13-11, 11-8).

Na 2ª rodada, Calderano derrotou o japonês Kazuhiro Yoshimira por 4-2 (11-7, 14-12, 7-11, 10-12, 11-5, 11-8) e chegou às 16as de final. Jouti abriu 3-0 sobre o austríaco Daniel Habesohn, cabeça 25, mas levou uma bela virada e perdeu por 4-3 (4-11, 8-11, 3-11, 11-7, 11-6, 11-7, 11-8).

No feminino, Bruna Takahashi venceu na estreia a chilena Judith Morales por 4-0 (11-9, 11-6, 11-7, 11-5), mas caiu na 2ª rodada pra sul-coreana Suh Hyowon, cabeça 10, por 4-1 (11-7, 11-4, 9-11, 11-4, 11-3). Lin Gui perdeu na 1ª rodada pra japonesa cabeça 12 Hitomi Sato por 4-0 (11-3, 11-5, 11-3, 11-5).

Derrotas vieram nas duplas também. Na masculina, Eric Jouti e Gustavo Tsuboi perderam 4-1 (5-11, 11-9, 11-4, 12-10, 11-7) para os húngaros Nandor Ecseki/Adam Szudi e Vitor Ishiy/Thiago Monteiro perderam 4-1 (5-11, 11-9, 11-9, 11-8, 11-9) para a dupla de Taiwan Lin Yun-Ju/Wang Tai-Wei. Nas duplas femininas, Bruna Takahashi e a sérvia Andrea Todorovic caíram para as alemãs Chantal Mantz/Sabine Winter por 4-2 (10-12, 11-7, 11-4, 11-7, 8-11, 11-9).

Liebherr 2019 ITTF World Table Tennis Championships

Foto: ITTF

Dos 32 que sobraram na chave masculina, apenas 3 não são cabeças de chave e os 5 chineses avançaram sem problema. Na chave feminina, apenas 1 das 32 não é cabeça de chave e 23 são asiáticas. Calderano é o único americano que restou entre os homens. Já no feminino, temos 3 das Américas: a porto-riquenha Adriana Díaz, que vai pegar a cabeça 1 Ding Ning, a canadense Zhang Mo e a americana Jennifer Wu.

Nas duplas masculinas, a surpresa foi a derrota da dupla número 1 formada pelos japoneses Masataka Morizono/Yuya Oshima para os franceses Trista Flore/Emmanuel Lebesson por 4-3.

Curioso que como os chineses não jogam tantas etapas do circuito, eles não aparecem sempre no topo do ranking e com isso pegam chaves ruins. Ou seja, teremos duelos de chineses cedo. Nas duplas masculinas, femininas e nas mistas não há possibilidade de final chinesa.

Hugo Calderano vence mais um

Mais um título continental pra Hugo Calderano, atual 6º do mundo no tênis de mesa. Dessa vez foi em Porto Rico, com o título da Copa Pan-Americana.

Cabeça de chave 1 da competição, ele entrou direto nas 4as onde venceu o porto-riquenho Brian Afanador por 4-0 (11-9, 11-4, 11-9, 11-9). Na semifinal, não fez uma grande partida, mas passou pelo perigoso paraguaio Marcelo Aguirre por 4-2 (11-7, 7-11, 9-11, 13-11, 11-9, 13-11).

Na decisão, ele pegou a sensação americana Jha Kanak, que havia eliminado na semi Gustavo Tsuboi. Hugo venceu por 4-1 (11-2, 12-14, 11-3, 11-8, 12-10), conquistou o título e, assim como Kanak, garantiu vaga na Copa do Mundo. Tsuboi acabou com o bronze, ao vencer Aguirre por 4-1.

No feminino, Bruna Takahashi perdeu na semifinal 4-0 para a canadense Mo Zhang e perdeu na disputa do bronze pra americana Yue Wu por 4-2. O título ficou em casa, com a porto-riquenha Adriana Díaz.

Esse foi o 4º título panamericano do Calderano, que já havia vencido esse torneio em 2018, além do Campeonato Pan-Americano de 2017 e dos Jogos Pan-Americanos em 2015, quando tinha 19 anos.

Calderano se firma cada vez mais como o principal jogador do mundo fora da Ásia, capaz de enfrentar de igual pra igual os chineses e o japonês Tomokazu Harimoto.