Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 11

Começam o atletismo e a natação e Brasil consegue grandes resultados nesses dois esportes. E vitórias incríveis no tênis de mesa!

Natação

Captura de Tela 2019-08-08 às 00.38.38

Breno Correia, Marcelo Chierighini, Bruno Fraus e Pedro Spajari. Foto: COB

Que primeiro dia da natação brasileira com 3 ouros e 6 medalhas! As primeiras finais foram dos 400m livre, onde Fernando Scheffer foi prata com 3:49.60 e Luiz Altamir Melo bronze com 3:49.91, atrás do americano Andrew Abruzzo com 3:48.41. No feminino, vitória da argentina Delfina Pignatiello com 4:10.86. Aline Rodrigues foi 5ª com 4:12.79 e Viviane Jungblut 6ª com 4:15.35.

Nos 100m peito, João Gomes Jr deu um show fazendo o melhor tempo nas eliminatórias com 59.57 e vencendo muito bem a final com 59.51! Felipe Lima, único ao lado do João a baixar do 1min nas eliminatórias, acabou em 4º com 1:00.36, com os dois americanos no meio dos brasileiros: Cody Miller 59.57 e Kevin Cordes 1:00.27. No feminino, vitória da americana Anne Lazor com 1:06.94 seguida da argentina Julia Sebastian com 1:07.09. Sebastian bateu o recorde sul-americano nas eliminatórias com 1:06.98. Jhennifer Conceição ficou em 5º com 1:08.00.

Último a entrar na equipe após o doping do Gabriel Santos, Léo de Deus abriu seu 3º Pan com o ouro nos 200m borboleta com 1:55.86 e se tornando tricampeão dos Jogos na prova! Luiz Altamir Melo foi 4º com 1:57.78. No feminino, nenhuma brasileira na final, mas a vitória foi da argentina Virginia Bardach com 2:10.87.

Fechando o dia, os revezamentos 4x100m livre. No masculino, o Brasil, com a mesma equipe que foi 6ª no Mundial duas semanas antes, venceu com 3:12.61, novo recorde dos Jogos e apenas 0.62 pior que o tempo da final de Gwangju. O Brasil sobrou com Breno Correia, Marcelo Chierighini, Bruno Fratus e Pedro Spajari. EUA foi 2º com 3:14.94, fechando com Nathan Adrian. No feminino, as meninas fizeram uma belíssima prova e brigaram centímetro a centímetro com a equipe americana até a última nadadora, quando Margo Greer pegou apenas 0.05 na frente do Brasil e entregou pro ouro com 3:39.59 contra 3:40.39 das brasileiras.

Atletismo

Captura de Tela 2019-08-08 às 00.38.21

Andressa de Morais, a cubana Yaimé Pérez e Fernanda Borges. Foto: COB

Foi uma final espetacular do lançamento de disco feminino. Andressa de Morais, que vem em excelente temporada, bateu o recorde sul-americano na 2ª tentativa com ótimos 65,98m, 5ª melhor marca do mundo este ano. Dona da melhor marca do ano, a cubana Yaimé Pérez vinha em 2º com 63,88m e a brasileira Fernanda Borges estava em 3º com 62,23m. Na última tentativa, Pérez e toda sua frieza fizeram um 66,58m, novo recorde dos Jogos e ela acabou levando o ouro., seguido de uma dobradinha brasileira no pódio. Bronze no Rio-2016, a cubana Denia Caballero foi 4ª com 60.46m.

Nos 5.000m masculino, o finalista olímpico Altobeli da Silva conseguiu a medalha de prata com 13:54.42. O mexicano Fernando Martinez foi ouro com 13:53.87 no ataque na última curva e Altobeli segurou o chileno Carlos Díaz, que foi bronze a apenas 0.01 do brasileiro! Nos 10.000m feminino, vitória da canadense Natasha Wodak com 31:55.17, destruindo o recorde dos Jogos por quase 46s. Ainda tivemos o ouro do jamaicano Fedrick Dacres no disco masculino com 67,68m, também recorde dos Jogos. E no salto em distância feminino, um histórico ouro de Chantel Malone com 6,68m, a 1º medalha da história em Pan das Ilhas Virgens Britânicas! Ouvimos até um “God Save the Queen” no pódio.

Os dois brasileiros venceram sua semifinais e passaram pra final dos 100m rasos com os melhores tempos: Rodrigo Nascimento 10.27 e Paula André de Oliveira 10.29. No feminino, Vitória Cristina Rosa passou com o 3º melhor tempo de 11.40. O melhor foi da campeã olímpica Elaine Thompson com 11.36. Nos 400m com barreiras, Alison Santos correu na raia 8 sem referência, fazendo o 2º tempo na sua semifinal com 49.74, suficiente para ir pra final. Jefferson Santos está em 6º após o 1º dia do decatlo com 3.932 pontos. Canadenses Damian Warner e Pierce Lepage lideram com 4.499 e 4.418.

Tênis de Mesa

Captura de Tela 2019-08-08 às 00.38.14

Numa final espetacular, Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi venceram a final de duplas masculinas os argentinos Gaston Alto e Horacio Cifuentes por 4-2 (11-6, 12-14, 8-11, 1-6, 12-10, 12-10) num jogão super disputado, dando o 3º ouro da carreira do Hugo em Pans e a 7ª medalha do Tsuboi, a 4ª de ouro.

Nas duplas femininas, as irmãs Adriana e Melanie Díaz, de Porto Rico, venceram por 4-3 (7-11, 11-8, 10-12, 11-7, 6-11, 11-8, 11-7) as americanas Wu Yue/Zhang Lily para levar o ouro! Em simples, Hugo Calderano venceu 4-1 o chileno Juan Lamadrid nas 8as e 4-0 o mexicano Marcos Madrid na 4as. Mas o grande resultado em simples foi de Bruna Takahashi. Ela passou fácil nas 8as por 4-0 pela dominicana Yasiris Ortiz, mas nas 4as derrotou a americana Zhang Lily num jogão por 4-3 (6-11, 5-11, 11-9, 11-9, 8-11, 11-6, 11-9).

Outros Esportes

Bela estreia do Brasil no basquete feminino, jogando bem e surpreendendo o Canadá com 79-71 pelo Grupo A, que também teve Porto Rico 91-73 no Paraguai. No Grupo B, dois placares apertados: Colômbia 69-66 Ilhas Virgens e Estados Unidos 68-62 Argentina.

O Brasil está em 2º na classificação dos saltos por equipes no hipismo. Estados Unidos liderou após a prova de contrarrelógio com 2,09 pontos contra 3,39 do Brasil e 6,21 do Canadá. No individual, Pedro Veniss está em 4º, Eduardo Menezes 5º, Rodrigo Lambre 7º e Marlon Zanotellie 11º.

No pólo aquático, o Brasil derrotou Porto Rico no feminino por 12-8 passando pras 4as com a 2ª melhor campanha no Grupo A. No masculino, venceu a Argentina 12-7 e fechou a 1ª fase com 3 vitórias.

Filho de francês com brasileira, Filipe Otheguy nasceu na França, não fala português e até outro dia nem tinha passaporte brasileiro, mas está representando o país na pelota basca. Depois de perder na estreia para mexicano na modalidade Fronton Manual, ele venceu nesta terça uruguaio por 2-1 (10-4, 9-10, 5-2) e está na semifinal.

Guilhermo Toldo perdeu nas 8as do florete masculino 15-12 pro chileno Gustavo Alarcón, que surpreendeu na semifinal o americano número 2 do mundo Race Imboden por 15-13, mas foi derrotado na final pro outro americano, Gerek Meinhardt por 15-11.

No 1º dia do remo, Uncas Batista e Lucas Verthein ficaram em 2º na sua bateria eliminatórias e na repescagem e estão na final do double skiff. Uncas voltou pra disputar o single skiff, mas teve problemas nas eliminatórias com o barco e nem disputou a repescagem.

As Leonas venceram o Chile por 3-1 e estão na final do hóquei na grama feminino onde enfrentarão o Canadá, que surpreendeu as americanas por 2-0.

Argentina venceu 3-0 o Paraguai e fará a final do futebol feminino contra a Colômbia, que venceu 4-3 a Costa Rica, marcando o gol decisivo aos 48min do 2º tempo após um frangaço da goleira costarriquenha.

Captura de Tela 2019-08-07 às 01.01.03

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
Dia 3 4 2 8 14
Dia 4 3 2 4 9
Dia 5 1 2 1 4
Dia 6 0 2 5 7
Dia 7 3 2 1 6
Dia 8 0 0 3 3
Dia 9 7 2 7 16
Dia 10 1 2 3 6
Dia 11 4 4 2 9
TOTAL 27 22 39 88

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Ginástica Artística 4 4 3 11
Canoagem Slalom 4 0 1 5
Natação 3 2 1 6
Taekwondo 2 2 3 7
Triatlo 2 2 0 4
Surfe 2 1 1 4
Boxe 1 3 2 5
Ginástica Rítmica 1 1 3 5
Tênis de Mesa 1 1 1 2
Badminton 1 0 4 4
Canoagem Velocidade 1 0 2 3
Águas Abertas 1 0 1 2
Patinação Artística 1 0 1 2
Tênis 1 0 1 1
Handebol 1 0 1 2
Levantamento de Peso 1 0 0 1
Atletismo 0 3 2 5
Ciclismo 0 1 2 3
Hipismo 0 1 2 3
Boliche 0 1 0 1
Tiro 0 0 2 2
Esgrima 0 0 1 1
Esqui Aquático 0 0 1 1
Pentatlo Moderno 0 0 1 1
Vôlei de Praia 0 0 1 1
Saltos Ornamentais 0 0 1 1
Vôlei 0 0 1 1
TOTAL 27 22 39 88

Jogos Pan-Americanos Lima-2019 – Dia 8

Foi um sábado atípico nos Jogos Pan-Americanos com poucas finais e pouquíssimas medalhas pro Brasil.

Ginástica Rítmica

Captura de Tela 2019-08-05 às 22.55.04

Natalia Gaudio. Foto: COB

No complemento do individual geral, Natália Gaudio fez 17,800 nas maças e 16,550 na fita para acabar com o bronze no individual geral com 67,150, mesma somatória de Bárbara Domingos, que tirou 16,450 nas maças e 17,300 na fita. Mas Gaudio teve uam somatória de execução melhor que a Bárbara e por isso foi bronze. Dobradinha americana com Evita Griskenas 75,825 e Camilla Feeley 70,725. Foi apenas a 2ª medalha de uma brasileira no individual geral em Pans.

Já na prova de grupos, o Brasil errou feio na prova de 3 arcos e 4 maças, perdendo o aparelho e tomando 1,100 de penalidade, acabando em 6º no aparelho com apenas 19,700 e 43,350 no geral, ficando com o bronze atrás de México com 48.375 e Estados Unidos com 45,975. E assim o Brasil quebra uma sequência de 5 ouros seguidos em Pans no grupo geral.

Tênis

Captura de Tela 2019-08-05 às 22.54.46

Luisa Stefani e Carol Alves. Foto: COB

O dia começou com Carolina Alves perdendo na semifinal para a americana Caroline Dolehide por 76(5) 62, mas mais tarde ela voltou à quadra ao lado de Luisa Stefani para vencer as chilenas Alexa Guarachi e Daniela Seguel por 26 75 [11-9] e conquistarem o bronze nas duplas femininas.

João Menezes seguiu sua brilhante campanha ao vencer o argentino Facundo Bagnis, que defendia o ouro,  por 46 62 64 e chegar à decisão de simples, garantindo vaga olímpica!

Tiro

E no último dia do Tiro, seguiu o desastre brasileiro. Ana Luiza Ferrão teve um ótimo segundo dia na quali da pistola de 25m e se classificou pra final. Ela vinha muito bem pra pegar medalha e a vaga olímpica. Precisando de 2 pontos pro bronze, ela errou os 5 tiros e foi eliminada, terminando em 4º.

Brasil termina o tiro com apenas 2 bronzes e nenhuma vaga olímpica, muito inferior aos 3 ouros e 1 prata de Toronto-2015.

Outros Esportes

Com um jogo pífio, o Brasil foi totalmente dominado por Cuba na semifinal do vôlei masculino e perdeu de 3-0, parciais de 25-16, 25-22, 25-21 e foi pra disputa de bronze. Cuba se garantiu na final para enfrentar a Argentina, que venceu o Chile por 3-1 (25-21, 23-25, 28-26, 25-17).

Apesar da eliminação de Ruy Fonseca no cross-country do CCE, os outros 3 conjuntos brasileiros foram bem e contaram com uma péssima participação do Canadá para assumir o 2º lugar da disputa por equipes.

Os Estados Unidos venceram a perseguição por equipes masculina no ciclismo de pista com 4:00.772 contra 4:05.098 da Colômbia. No sprint individual masculino, disputa entre trinitinos na decisão, com vitória de Nicholas Paul por 2-0 sobre Njisane Phillip. Na Omnium feminina, a americana Jennifer Valente sobrou pra levar o ouro com 198 pontos contra 162 da mexicana Lizbeth Salazar. Valente venceu a corrida tempo, a corrida de eliminação e sobrou na corrida por pontos, dando 2 voltas no pelotão. Wellyda dos Santos terminou em 10º com 74 pontos.

A canadense Meaghan Benfeito confirmou o favoritismo para vencer a final da plataforma nos saltos ornamentais com 375,05 pontos, seguida da sua compatriota Caeli McKay com 365,70. Ingrid de Oliveira foi 8ª com 257,90 e Andressa de Lima foi 9ª com 233,20. No trampolim sincronizado masculino, vitória mexicana com 429,81 pontos. A dupla brasileira de Luis Bonfim e Kawan Pereira acabou em 8º com 335,49.

Medalhas do Brasil:

Dia Ouro Prata Bronze Total
Dia 1 2 3 3 8
Dia 2 2 1 2 5
Dia 3 4 2 8 14
Dia 4 3 2 4 9
Dia 5 1 2 1 4
Dia 6 0 2 5 7
Dia 7 3 2 1 6
Dia 8 0 0 3 3
TOTAL 15 14 27 56

Por esporte:

Esporte Ouro Prata Bronze Total
Ginástica Artística 4 4 3 11
Taekwondo 2 2 3 7
Triatlo 2 2 0 4
Boxe 1 3 2 5
Surfe 1 1 0 2
Badminton 1 0 4 4
Canoagem Velocidade 1 0 2 3
Patinação Artística 1 0 1 2
Handebol 1 0 0 1
Levantamento de Peso 1 0 0 1
Ciclismo 0 1 2 3
Boliche 0 1 0 1
Ginástica Rítmica 0 0 2 2
Tiro 0 0 2 2
Esqui Aquático 0 0 1 1
Hipismo 0 0 1 1
Pentatlo Moderno 0 0 1 1
Tênis 0 0 1 1
Vôlei de Praia 0 0 2 2
Saltos Ornamentais 0 0 1 1
TOTAL 15 14 27 56

Boletim Rumo à Tóquio #8

Junho foi um mês agitado com classificações no rugby, futebol, tiro com arco, tiro, hipismo, pentatlo, tênis de mesa e mais.

Tiro com Arco

d19_2708-x4

Brady Ellison é campeão mundial de tiro com arco. Foto: WA

O Mundial deu vaga para 8 equipes e mais 4 individuais por gênero. Quem não classificar uma equipe pode enviar no máximo um arqueiro por sexo. Os Jogos Europeus realizados em Minsk, na Bielorrússia, também deram vaga. Os Jogos davam 1 vaga pra dupla mista campeã e mais 1 por cada prova individual. A Itália venceu nas mistas, mas já tinha 1 vaga no masculino pelo Mundial, com isso essa vaga foi pra disputa individual. Mas, considerando países não classificados, apenas a Espanha chegou na semifinal, então essa vaga extra fica pro pré-olímpico mundial de 2020 em Berlim.

Equipe masculina: AUS, CHN, GBR, IND, JPN, KAZ, KOR, NED, TPE

Individual masculino: 3 por cada equipe + BAN, ESP, INA, ITA, MAS, PRK, USA

Equipe feminina: BLR, CHN, GBR, GER, KOR, JPN, RUS, TPE, UKR

Individual feminino: 3 por cada equipe + DEN, INA, ITA, MEX, MDA, NED, PRK, SWE

Rugby Sevens

Captura de Tela 2019-06-04 às 21.57.34

Brasil classificado para Tóquio no Rugby 7s feminino

A Série Mundial de Rugby 2019-20 definiu as 4 equipes classificadas no masculino e no feminino. Entre os homens, o atual campeão olímpico Fiji venceu a temporada e se classificou, assim como os Estados Unidos, Nova Zelândia e África do Sul. No pré-olímpico sul-americano, a vaga ficou com a Argentina, que venceu o Brasil na final por 26-0. No feminino, Nova Zelândia, Estados Unidos, Canadá e Austrália conseguiram a vaga pela Série Mundial e o Brasil pelo sul-americano.

Masculino: ARG, FIJ, JPN, NZL, RSA, USA

Feminino: AUS, BRA, CAN, JPN, NZL, USA

Pólo Aquático

Em uma final espetacular vencida por 10-9, os Estados Unidos ficaram com o título da Liga Mundial de Pólo Feminino em Budapeste sobre a Itália e se juntam ao Japão como os únicos classificados no pólo até então. Na Liga Mundial masculina, a Sérvia se sagrou campeã pela 12ª vez da competição ao vencer a batalha contra a arqui-rival Croácia na decisão por 12-11.

Masculino: JPN, SRB

Feminino: JPN, USA

Futebol

No Europeu Sub-21 realizada na Itália e em San Marino, foram definidas as 4 vagas do continente no masculino. A Espanha ficou com o título ao vencer 2-1 a Alemanha. França e Romênia perderam na semifinais e também se classificaram. No feminino, as 3 vagas europeias saíram da Copa do Mundo encerrada neste domingo com o 4º título norte-americano. Como tivemos apenas 3 equipes europeias nas semifinais, não há necessidade de um pré-olímpico e as vagas ficaram com a campeã europeia Holanda, a vice-olímpica Suécia e a Grã-Bretanha (na verdade a vaga foi conquistada pela Inglaterra, que é a representante oficial na FIFA pra Grã-Bretanha).

Masculino: ESP, FRA, GER, JPN, ROU

Feminino: BRA, GBR, JPN, NED, NZL, SWE

Hipismo

Moscou sediou o pré-olímpico do grupo C de adestramento e levou a vaga por equipe. Nos saltos, também sediou o pré-olímpico do grupo regional C1, com a vaga indo para Israel, e Budapeste sediou o grupo C2, com a vaga indo pra Ucrânia.

Saltos por Equipes: AUS, GER, ISR, JPN, NED, SUI, SWE, UKR, USA

Adestramento por Equipes: AUS, ESP, GBR, GER, JPN, NED, RUS, SWE, USA

Tênis de Mesa

boll_franziska-ger_2019eg_te_prg_2174

Timo Boll e Patrick Franziska na final por equipes dos Jogos Europeus. Foto: ITTF

Os Jogos Europeus definiram as primeiras vagas pro torneio de tênis de mesa. É um sistema difícil de entender, cheio de etapas de classificação e teremos ainda muitas realocações, pois há disputa em equipes. Ou seja, se a equipe ganhar vaga depois, mudam os classificados no individual.

A Alemanha levou ouro nas equipes masculinas e femininas nos Jogos e garantiu equipe completa para Tóquio! No torneio de mistas, Patrick Franziska e Petrissa Solja foram ouro e garantiram seus nomes em Tóquio nas equipes alemãs. No individual, vagas para o dinamarquês Jonathan Groth e pro croata Tomislav Pucar. Entre as mulheres, a portuguesa Fu Yu e a veteraníssima de 55 anos Ni Xialian (agora 56, completados semana passada), que representa Luxemburgo, se garantiram em Tóquio.

Pentatlo Moderno

Tóquio recebeu a etapa final da Copa do Mundo de Pentatlo e os campeões garantiram o retorno à capital japonesa ano que vem. O britânico Joe Choong e a campeã olímpica de 2012, a lituana Laura Asadauskaite, se juntam ao egípcios campeões africanos como os primeiros nomes em Tóquio.

Quotas

Ainda sem contabilizar atletismo e natação, já são 1.254 vagas definidas para Tóquio e 70 países já estão classificados.

Pelos meus controles estes são os países com ao menos 5 vagas:

Japão – 400
Estados Unidos – 93
Nova Zelândia – 56
França – 51
Grã-Bretanha – 49
China – 46
Alemanha – 45
Rússia – 43
Brasil – 36
Austrália – 33
Espanha – 30
Dinamarca – 26
Itália – 24
Romênia – 19
Canadá, Coreia do Sul e Holanda – 16
Argentina e Sérvia – 15
África do Sul e Angola – 14
Ucrânia – 13
Fiji e Suécia – 12
Índia e Noruega – 10
Polônia – 9
Croácia, Israel, Suíça e Taiwan – 8
Bulgária – 7
Grécia – 6
Áustria, Eslováquia e Hungria – 5

Boletim Rumo a Tóquio #7

Fiquei 3 meses sem postar sobre as vagas olímpicas, então vamos a uma atualização das vagas disputadas em março, abril e maio.

Atletismo e Natação

Desde 1º de janeiro, as provas de 10.000m, marchas, maratonas e combinadas já valem para índice no atletismo e desde 1º de maio os índices para as outras provas do atletismo já podem ser feitos. Na natação, a janela para obter índice começou em 1º de março. Não vou contabilizar ainda as vagas individuais dessas modalidades, pois cada país tem seu critério próprio e muita coisa pode mudar.

A CABt ainda não divulgou os critérios para a equipe brasileira de atletismo, mas o mais provável é que quem fizer o índice, irá. 4 brasileiros já fizeram índice olímpico: Daniel Chaves da Silva na maratona, Caio Bonfim e Érica de Sena na marcha 20km, Darlan Romani no arremesso de peso.

Na natação, os índice só podem ser obtidos em competições específicas. O Troféu Brasil não estava nessa lista, mas alguns brasileiros já fizeram índices em outras competições, como Bruno Fratus nos 50m livre, mas a CBDA muito provavelmente terá apenas uma competição como válida para índice olímpico, o Troféu Brasil de 2020.

Tiro

headline_img

Pódio da Fossa masculina na Copa do Mundo de Chnagwon (KOR)

Foi o esporte que mais deu vagas nesses 3 meses, com 5 etapas da Copa do Mundo, 3 de tiro ao prato no México, Emirados Árabes e Coreia do Sul, e 2 de rifle e pistola, em Pequim e Munique. Em vermelho as vagas conquistadas nessas 5 competições. O Brasil ainda não tem nenhuma vaga no tiro. Em compensação a China já conseguiu 20 vagas.

Rifle de ar 10m masculino: AUT, CHN (2), CRO (2), IND, ITA, JPN, RUS (1+1), UKR, USA
Rifle 3 posições 50m masculino:CHN (1+1), CZE, HUN, ITA, JPN, KOR, NOR, POL, SRB, USA (2)
Pistola de ar 10m masculina: CHN (2), IND (1+1), JPN, KOR (2), MGL, RUS, SRB, UKR, USA
Pistola de fogo rápido 25m masculina: CHN (2), CUB, FRA (1+1), GER (2), JPN, RUS (1+1), UKRUSA
Fossa masculina: AUS, CHN, CRO, CYPEGY, ESP, JPN, KUW, GBR, MEX, PER, SVK,
Skeet masculino: CZE, DEN, FIN, FRA, ITA (1+1), JPN, KORKUW, NOR, USA (2)
Rifle de ar 10m feminino: CHN (2), DEN, HUN, IND (2), IRI, JPN, KOR (2), ROU, USA
Rifle 3 posições 50m feminino: CHN, CRO, GBR, GER, JPN, KOR, NOR (2), RUS (1+1), SUI, USA
Pistola de ar 10m feminina: CAN, CHN (1+1), GEO, GRE, IND, JPN, KOR (2), MGL, SRB, TPE
Pistola 25m feminina: BUL (2), CHN, GER (1+1), HUN, IND, JPN, TPE, RUS, UKR, USA
Fossa feminina: AUS, CHN (1+1), FRA (2), GBR, GUA, ITA (1+1), JPN, SVK, USA (1+1)
Skeet feminino: CHI, CHN, CYP, ITA (2), JPN, NZL, POL, RUS, SVK, USA (2)

Ciclismo

Algumas competições continentais definiram vagas na estrada e no mountain bike. Mas como o ranking é preferencial, as vagas continentais podem mudar, caso esses países conquistem vaga pelo ranking. Tivemos disputas do pan-americano, africano e asiático de estrada e do pan-americano e africano de mountain bike.

Estrada masculina: JPN (2), ALG, CHN, COL, ECU, ERI, KAZ
Estrada feminina: JPN (2), ERI, MEX, UZB
Mountain Bike masculino: CAN, JPN, RSA
Mountain Bike feminino: JPN, RSA,USA

Vela

Captura de Tela 2019-04-21 às 23.37.26

Jorge Zarif

O Campeonato Europeu da Classe Finn valeu como classificatório Mundial. Disputado em Atenas, deu 4 vagas. Com o 7º lugar, Jorge Zarif conquistou a vaga pro Brasil. Noruega, Estados Unidos e Grécia também se garantiram.

Finn masculino: ARG, BRA, CAN, GBR, GRE, HUN, JPN, NED, NOR, NZL, SWE, TUR, USA

Hipismo

Dois campeonatos no fim de maio definiram 3 vagas por equipe para o Concurso Completo de Equitação. Na Polônia, uma vaga para o Grupo C (Leste Europeu) em jogo e na França, duas vagas pros grupos F e G (Ásia e Oceania). A Polônia se deu bem em casa e ganhou e vaga. Como Japão tem vaga por ser sede e Austrália e Nova Zelândia conquistaram a vaga pelos Jogos Equestres, China e Tailândia se deram bem e levaram as vagas continentais, algo inimaginável antes dos Jogos Equestres.

CCE por Equipes (3 vagas por equipe): AUS, CHN, FRA, GBR, GER, IRL, JPN, NZL, POL, THA

Nado Artístico

A Copa dos Campeões Europeus definiu as vagas continentais para a Europa. E a vitória da Rússia não foi nenhuma surpresa. Assim, ela se junta ao Japão como únicos classificados até agora na prova de grupo. Quem disputa o grupo, tem vaga pro dueto. A vaga europeia apenas para o Dueto ficou com a Ucrânia que ainda pode brigar pela equipe no Mundial.

Quotas

Sem contar natação e atletismo, já temos 996 vagas definidas até agora, para 64 países. Países com ao menos 5 vagas:

Japão –  394
Estados Unidos – 81
Nova Zelândia – 56
China – 41
Rússia – 37
França – 32
Brasil, Dinamarca, Grã-Bretanha – 24
Itália – 22
Austrália, Alemanha – 18
Angola, África do Sul – 14
Fiji, Holanda – 12
Coreia do Sul – 11
Espanha, Noruega, Suécia – 10
Polônia – 8
Bulgária, Croácia, Índia, Suíça – 7
Grécia, Ucrânia – 6
Áustria, Eslováquia, Hungria – 5

Em junho teremos, valendo vaga olímpica, os pré-olímpicos sul-americanos masculino e feminino de Rugby 7s, a Copa do Mundo de Futebol feminino, a Liga Mundial feminina de Pólo Aquático, o mundial de Tiro com Arco, o Eurobasket feminino, o mundial de Vôlei de Praia, os Jogos Europeus (vagas no Tiro, Tiro com Arco e Karatê), o Europeu Sub21 masculino de Futebol, a final da Copa do Mundo de Pentatlo Moderno e 3 qualificatórios no Hipismo, 2 de saltos e 1 de adestramento.

Boletim Rumo a Tóquio-2020 #3

Em setembro tivemos 4 Mundiais que colocaram mais 8 países na lista de classificados para os Jogos.

Tiro

52nd ISSF World Championship All Events 2018 - Changwon, KOR - Final Skeet Men

Vincent Hancock (USA) na prova de Skeet no Mundial em Changwon. Foto: ISSF

O grande Mundial de tiro, em Changwon, na Coreia do Sul, alocou 4 vagas por prova individual e mais 2 por prova em equipe. Lembrando que pro tiro um atleta só pode garantir uma única quota pro seu país e cada país só pode ter no máximo 2 atletas por prova individual. Uma vez classificado, o atleta pode até disputar outras provas. Países classificados:

Pistola de ar 10m masculino: Coreia do Sul (2 vagas), Rússia e Ucrânia
Pistola de fogo rápido 25m masculino: China (2), França e Rússia
Rifle de ar 10m masculino: China, Croácia (2) e Rússia
Rifle 50m 3 posições masculino: China, Estados Unidos, Noruega e Polônia
Fossa masculina: Austrália, Eslováquia, Espanha e Kuwait
Skeet masculino: Estados Unidos, França, Itália e Noruega
Pistola de ar 10m feminino: China, Coreia do Sul, Grécia e Sérvia
Pistola 25m feminino: Alemanha, Rússia, Taiwan e Ucrânia
Rifle de ar 10m feminino: Coreia do Sul (2) e Índia (2)
Rifle 50m 3 posições feminino: Alemanha, Croácia, Grã-Bretanha e Rússia
Fossa feminina: Austrália, China, Eslováquia e Itália
Skeet feminino: Eslováquia, Estados Unidos (2) e Rússia
Pistola de ar 10m por equipe mista: China e Rússia
Rifle de ar 10m por equipe mista: China e Rússia
Fossa por equipe mista: Eslováquia e Rússia

A Rússia levou o maior número de vagas, com 12. China obteve 10, Coreia do Sul e Eslováquia 5 cada e Estados Unidos 4.

Ginástica Rítmica

RG WCh Sofia/BUL 2018:

O Mundial de Ginástica Rítmica em Sófia, na Bulgária, classificou os 3 grupos medalhistas na prova geral para os Jogos. A Rússia venceu a competição com 46,300 contra 44,825 da equipe da Itália e 42,050 da Bulgária. Apesar disso, a Rússia não levou nenhum dos ouros na finais por aparelho. Mas para a classificação olímpica o que valia era o geral.

Grupo feminino: Rússia, Itália e Bulgária.

Hipismo

charlotte-dujardin-mount-st-john-freestyle-photo-by-annan-hepner

Charlotte Dujardin (GBR) no adestramento nos Jogos Equestres

Nos Jogos Equestres, que só ocorrem a cada 4 anos, tivemos 6 vagas para cada uma dos 3 eventos por equipe. E uma extra no adestramento. A equipe americana venceu em casa o saltos por equipe numa disputa emocionante no desempate sobre a Suécia, a Grã-Bretanha levou no Concurso Completo e a Alemanha confirmou o favoritismo para dominar o adestramento. Cada evento vai ter qualificatórios regionais, mas ficou definido que a vaga no adestramento do Grupo G (que compreende o Sudeste Asiático e a Oceania) sairia para o melhor classificado nos Jogos Equestres. A Austrália foi a única equipe inscrito e só precisava que 3 conjuntos se apresentassem. Diferentes das edições anteriores, cada país só pode levar 3 conjuntos por prova e não mais 4. A Alemanha foi o único país que garantiu vaga nas 3 provas pelos Jogos Equestres. A Austrália também já está nos 3, mas a vaga do adestramento veio pela quota regional.

Saltos por Equipes: Alemanha, Austrália, Estados Unidos, Holanda, Suécia e Suíça
CCE por Equipes: Alemanha, Austrália, França, Grã-Bretanha, Irlanda e Nova Zelândia
Adestramento por Equipes: Alemanha, Austrália, Espanha, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Holanda e Suécia

Basquete

usa-basketball-team-768x432

Estados Unidos vence Copa do Mundo feminina. Foto: Xinhuanet.com

A equipe dos Estados Unidos venceu a Copa do Mundo feminina pela 3ª vez seguida e 10ª na história e, assim, já está classificada para os Jogos. As 10 vagas restantes sairão de 4 torneios pré-olímpicos mundiais, acabando com a representação continental no basquete feminino. Para buscar vaga olímpica, o Brasil precisa ficar entre os 8 primeiros na Copa América e depois entre os 2 primeiros de um dos 2 pré-qualificatórios americanos. Essas 4 equipes se classificam para os pré-olímpicos mundiais.

Quotas

45 países já se classificaram para Tóquio-2020. Bulgária, Eslováquia, Índia, Irlanda, Kuwait, Sérvia, Taiwan e Ucrânia entraram para essa lista.

Países com mais vagas:

Japão = 387
Estados Unidos – 41
Brasil – 23
Grã-Bretanha – 22
Austrália – 18
Rússia – 18
China – 17
Itália – 16
Alemanha – 15
França – 15
Nova Zelândia – 13
Holanda – 12
Espanha – 10
Suécia – 10
Dinamarca – 8

Em outubro teremos o início da Série Mundial de Rugby 7s feminino e o Mundial de Ginástica Artística, em Doha.

Jogos Equestres Mundiais – Dias 3 e 4

364_7771hd

Graves, Werth e Dujardin no pódio do adestramento. Foto: 

Na sexta-feira tivemos o Gand Prix Especial de adestramento e a veteraníssima alemã Isabell Werth fez uma grande apresentação na prova de movimentos obrigatórios com Bella Rose para tirar espetaculares 86,246% e levar o ouro! Werth está com 49 anos e chega ao seu 9º título mundial, o 4º individual. Lembrando que ela tem mais 6 ouros e 4 pratas olímpicos!

werth-bellarose-gold-100_v-gseapremiumxl

Isabell Werth (GER)

A americana Laura Graves com Verdades ficou com a medalha de prata com 81,717% e obtem o melhor resultado individual da história de uma americana no adestramento. Até então o melhor resultado era um bronze de Steffen Peters no Mundial de 2010 e um bronze olímpico nos Jogos de 1932! Maior nome da atualidade na modalidade no adestramento, a britânica Charlotte Dujardin, com seu novo cavalo Mount St. John Freestyle no lugar do aposentado Vallegro, ficou com o bronze com 81,489%. Por conta do furacão Florence e de muitas chuvas, a final do Estilo Livre que seria neste domingo foi cancelada.

No Concurso Completo, após a prova de adestramento e de cross-country, a alemã Ingrid Klimke com SAP Hale Bob OLD lidera com 23,3 pontos perdidos, todos do adestramento. Em 2º vem a britânica Rosalind Canter com Allstar B com 24,6 e em 3º a irlandesa Sarah Ennis com Horseware Stellor Rebound com 26,3. Por equipes, a Grã-Bretanha tem 80,8 pontos, contra 89,0 da Irlanda e 91,8 da França.

Márcio Carvalho Jorge com Coronel MCJ é o melhor brasileiro, em 30º com 39,0 pontos, sendo 29,4 do adestramento e 9,6 do cross-country. Marcelo Tosi é 46º com 47,6, Márcio Appel 67º com 87,1, Nilson Moreira da Silva 70º com 99,8 e Henrique Pinheiro foi eliminado no cross-country. Por equipes, o Brasil está em 15º entre 16 países.

Na final individual de Rédeas, o ouro ficou com o belga Bernard Flock com What a Wave, marcando 227,0 pontos. O americano Cade McCutcheon, melhor no qualificatório com 229,0 ficou em 3º com 225,0 empatado com o brasileiro João Felipe Lacerda. No desempate, McCutcheon fez 228,0 contra 227,0 do brasileiro e levou o bronze. Brasil batendo mais uma vez na trave nas rédeas. Thiago Boechat foi 7º com 223,0 e Roberto Inchausti 11º com 221,5.

Jogos Equestres Mundiais – Dia 2

A quinta-feira em Tryon coroou a espetacular equipe de adestramento da Alemanha.

7047cfec-4a90-4d27-ad70-2322813015ea

Isabell Werth e Bella Rose. Foto: Divulgação

A Alemanha vinha de 5 títulos mundiais seguidos por equipe em Jogos Equestres, mas perdeu pra Holanda em 2010 e retomou o título em 2014. Agora em 2018 levou novamente o título sem nenhuma ameaça. Graças às performances espetaculares do mito Isabell Werth (com Bella Rose) com 84,829% e Sönke Rothenberger (com Cosmo) com 81,444%, a Alemanha somou 242,950% para garantir o ouro. A equipe dos Estados Unidos mostrou que segue crescendo demais na modalidade e levou a prata com 233,136%, com destaque para os excelentes 81,527% de Laura Graves e seu cavalo Verdades. A Grã-Bretanha, que conta com a bicampeã olímpica Charlotte Dujardin (com seu novo cavalo Mount St John Freestyle), foi bronze com 229,628%.

O Brasil terminou em 15º e último por equipes com 193,900% com João Victor Oliva e Xiripiti como melhor conjunto com 65,512%. Com a prata, os Estados Unidos garantiram vaga olímpica para a equipe para Tóquio-2020. Com isso, liberaram uma vaga para os Jogos Pan-Americanos, que darão 2 vagas para os Jogos. O Brasil precisa brigar pelo bronze no Pan, o que não será nada fácil.

No 1º dia do adestramento do Concurso Completo, Marcelo Tosi e Glenfly ficaram em 31º com 36,4 pontos perdidos e Nilson Moreira da Silva e Magnum’s Martini em 40º com 41,4 entre 41 conjuntos.