Troféu José Finkel – Dia 3

Muitos índices, mais recordes e a vitória do nosso campeão olímpico.

Chierighini, Cielo e Santana no pódio dos 100m livre. Foto: Sátiro Sodré/SSPress/CBDA

O grande destaque do domingo no Clube Pinheiros foi a vitória de Cesar Cielo na prova mais nobre, os 100m livre. Cielo não vencia um nacional absoluto desde 2014! Desta vez aproveitou que Gabriel Santos, Marcelo Chierighini e Pedro Spajari não foram bem e venceu com 46.83, apenas 6 centésimos acima do índice pro Mundial de curta. Chierighini foi prata com 46.99, Matheus Santana (olha quem voltou!) bronze 47.00. Ainda tivemos Gabriel Santos 47.09, Breno Correia 47.21 e Pedro Spajari 47.39 fechando com os top-6 do Pinheiros.

No feminino, Larissa Oliveira venceu com 52.45, baixando o recorde sul-americano em 0.23 e nadando 2 centésimos abaixo do índice.

Vinicius Lanza brilhou nos 200m borboleta ao vencer com 1:51.00, seguido de Luiz Altamir 1:51.54 e Léo de Deus 1:51.86. Os dois primeiros nadaram abaixo do índice pro Mundial, que era 1:51.68. No feminino, vitória tranquila de Giovanna Diamante com 2:08.31, quase 3s acima do índice.

Felipe Lima venceu sua 2ª prova, agora levando os 50m peito com 26.00, único abaixo do índice de 26.08. João Gomes Júnior foi 2º com 26.13. No feminino, Jhennifer Conceição venceu no detalhe com 30.00, novo recorde sul-americano, e apenas 0.03 melhor que Carolyne Mazzo, mas sem índice que era 29.88,

Quem brilhou no domingo também foi Guilherme Guido. Ele voou nos 50m costas para bater o recorde sul-americano com 22.68 e obter o 2º melhor da era pós-trajes tecnológicos. Ele já havia melhorado o recorde nas eliminatórias com 22.75. No feminino, Etiene Medeiros marcou 25.95 para vencer e conseguir o índice. Lembrando que o recorde mundial da prova é dela com 25.67.

Como ficaria a equipe brasileira pro Mundial de Piscina Curta:

  1. Etiene Medeiros – 50m costas – 25.95 (índice) – 967
  2. Guilherme Guido – 50m costas – 22.68 (índice) – 940
  3. Vinicius Lanza – 200m medley e 200m borboleta – 1:52.16 e 1:51.00 (índices) – 933 e 935
  4. Caio Pumputis – 200m medley – 1:52.26 (índice) – 931
  5. Luiz Altamir – 200m borboleta – 1:51.54 (índice) – 921
  6. Felipe Lima – 50m peito – 26.00 (índice) – 913
  7. Larissa Oliveira – 100m livre – 52.45 (índice) – 914
  8. João Gomes Jr – 100m peito – 909
  9. Fernando Scheffer – 400m livre – 887
  10. Daiene Marçal Dias – 100m borboleta – 883
  11. Cesar Cielo – 100m livre – 883
  12. Breno Correia – 400m livre – 878
  13. Marcelo Chierighini – 100m livre – 874
  14. Giovana Diamante – 100m borboleta – 866
  15. Maria Paula Heitmann – 400m livre – 856
  16. Jhennifer Conceição – 100m peito – 855
  17. Nicholas Santos – 100m borboleta – 854
  18. Manuela Lyrio – 100m livre – 849
  19. Viviane Jungblut – 400m livre – 848
  20. Carolyne Mazzo – 100m peito – 847
Anúncios

Troféu Brasil de Natação – Dia 3

Com certeza um dos dias mais históricos da natação brasileira. A quinta-feira no Parque Aquático Maria Lenk viu uma prova histórica pro Brasil, com dois entrando no clube dos 47!

p1cbg2vmva191d14ja1o7u1us3rd37_crop

Pedro Spajari e Gabriel Santos. Foto: CBDA

As coisas já começaram bem com as eliminatórias, quando Pedro Spajari (Pinheiros) foi o mais rápido ao marcar excelentes 47.95, 2º melhor tempo de 2018, atrás apenas do japonês Katsumi Nakamura, com 47.87. Marcelo Chierighini (Pinheiros) fez 48.60 e Gabriel Silva Santos (Pinheiros) 48.73. Na final, Bruno Fratus (Minas) bateu na frente nos 50m com 22.47 contra 22.64 de Spajari, 22.85 de Chierighini e 22.94 de Gabriel, mas este voltou melhor e fechou em 47.98! Com a vitórias, Gabriel chega a 6 títulos nacionais seguidos na prova: Finkel 2016, Open 2016, Maria Lenk 2017, Finkel 2017, Open 2017 e agora o Troféu Brasil 2018, nadando pela 1ª vez abaixo de 48s. Spajari vinha na frente, mas uma levantada de cabeça pouco antes da chegada tirou a vitória e ele fez 48.01. A surpresa veio com Marco Antonio Ferreira (Minas), que pegou o bronze com bons 48.46. Chierighini em 4º completa a equipe do revezamento 4x100m pro Pan-Pacífico com 48.48. Fratus terminou em 5º com 48.68.

Na prova feminina, vitória de Larissa Oliveira (Pinheiros), já recuperada do acidente que a tirou de boa parte da temporada de 2017. Ela venceu com 54.53 seguida de Manuella Lyrio (Pinheiros) 55.19 e Dayna de Paula (SESI) 55.44. Brigando por vaga nos Jogos Olímpicos da Juventude, Rafaela Raurich foi 4ª com 55.96.

Giovanna Diamante (Pinheiros) venceu os 200m borboleta com 2:12.07, sua melhor marca pessoal e 1ª vitória na carreira no Troféu Brasil. A argentina Virginia Bardach (Corinthians) ficou em 2º com 2:13.05 e Nathalia Almeida (Flamengo) completou o pódio com 2:15.33. No masculino, Leonardo de Deus venceu seu 19º título individual no Troféu Brasil, recorde dos nadadores em atividade. Ele marcou bons 1:55.05 seguido de Luiz Altamir Melo (Pinheiros) com 1:55.92 e Kaue Carvalho (Corinthians) 1:56.76.

Nos 50m peito, Jhennifer Conceição (Pinheiros), mesmo largando muito mal, venceu a campeã olímpico dos 100m, a lituana Ruta Meilutyte (Flamengo). A brasileira marcou 30.64 contra 30.75 da lituana. Renata Sander (Minas) foi 3ª com 31.10. No masculino, o pódio segue com os mesmo 3: João Gomes Jr venceu com 26.85, Felipe Lima 2º com 26.87 e Felipe Silva 3º com 27.04.

Dobradinha estrangeira nos 50m costas feminino com a holandesa Kira Toussaint (Minas) 28.11 e a argentina Andrea Berrino (Unisanta) 28.26. Fernanda Goeij (Curitibano) foi 3ª com 28.92. No masculino, Guilherme Guido (Pinheiros) venceu com 25.00, seguido de Gabriel Fantoni (Minas) 25.14 e Guilherme Massê (Pinheiros) 25.24.

Após o 3º dia, a seleção pro Pan-Pacífico está assim, com os 4 melhores nos 100m livre masculino e os 12 melhores nas outras provas:

  1. Gabriel Santos – 100m livre – 47.98
  2. Pedro Spajari – 100m livre – 48.01
  3. Marco Antonio Jr – 100m livre – 48.46
  4. Marcelo Chierighini – 100m livre – 48.48
  5. Leo de Deus – 200m borboleta – 1:55.05 – 9º
  6. Vinícius Lanza – 200m medley – 1:58.10 – 12º
  7. Guilherme Costa – 800m livre – 7:52.54 – 14º
  8. Luiz Altamir Melo – 200m borboleta – 1:55.92 – 17º
  9. Leonardo Santos – 200m medley – 1:59.66 – 22º
  10. João Gomes Jr – 100m peito – 59.98 – 22º
  11. Iago Moussalem – 100m borboleta – 52.09 – 23º
  12. Larissa Oliveira – 100m livre – 54.53 – 24ª
  13. Daynara de Paula – 100m borboleta – 58.67 – 26ª
  14. Felipe França – 100m peito – 1:00.26 – 27º
  15. Fernando Scheffer – 400m livre – 3:49.06 – 28º
  16. Viviane Jungblut – 400m livre – 4:12.47 – 34ª

Pro YOG temos no momento:

  1. Ana Carolina Vieira – 100m peito – 1:09.95 – 21ª ranking mundial junior de 2017
  2. Rafaela Raurich – 400m livre – 4:14.74 – 24ª
  3. Maria Luiza Pessanha – 200m medley – 2:16.92 – 29ª
  4. Fernanda Goeij – 200m costas – 2:14.69 – 29ª
  5. André Luis Souza – 100m livre – 49.47 – 6º
  6. Lucas Peixoto – 100m livre – 49.66 – 6º
  7. Vitor Pinheiro de Souza – 100m peito – 1:02.87 – 13º
  8. Izaac de Paula Jr – 800m livre – 8:14.26 – 20º

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 6

Tempo espetacular no ouro do Matheus Santana, mais uma final no tênis, começa o tiro com arco e o atletismo se salva no último dia das qualificações.

Natação

Dessa vez, Matheus Santana não deixou o chinês se aproximar. Como esperado, ele dominou por absoluto os 100m livre, com direito a recorde mundial juvenil e tempo espetacular, que o coloca em 3º no ranking mundial! Especialista nos 50m, Yu Hexin abriu forte nos primeiros 50m, mas o brasileiro alcançou e bateram quase junto na metade, com o chinês com 0.03 de vantagem. Na volta, não teve para ninguém. Matehus fechou com o tempaço de 48.25, novo recorde mundial júnior. Quase ao mesmo tempo desta final, rolava a final dos 100m livre no Pan-Pacífico. O tempo do Matheus o daria a medalha de prata no Pan Pacífico! E ele tem só 18 anos. O chinês foi prata com 49.06 e Damian Wierling (GER) ficou com o bronze a apenas 0.01 do chinês.

Brasil disputou mais 3 finais com chances de medalha, mas não conseguiu. No revezamento 4x100m medley misto, o Brasil e classificou para a final em 7º, com Matheus nadando quase parando na sua bateria suficiente para vencer. Quase ficaram de fora. Na final, fizeram 3:53.93 com Matheus fechando para 48.24. Giovanna Diamante nadou o borboleta e entregou pro Matheus em 6º, que tentou recuperar, mas não deu. Mais um ouro para a China com 3:49.33, seguida de Rússia e Austrália.

Nos 200m borboleta masculino, Luiz Altamir Melo ficou em 5º com 1:58.34. Na dobradinha húngara, Tamas Kenderesi foi ouro com 1:55.95 e Benjamin Gratz prata com 1:57.71. Completou o pódio Giacomo Carini (ITA) com 1:58.14.

Nos 400m livre feminino, Bruna Primati foi a 7ª com 4:15.12. Ouro para Hannah Moore (USA) com 4:11.05, seguida colada pela tailandesa Sarisa Suwannachet com 4:11.23 e pela alemã Kathrin Demler 4:11.25.

Nas outras 5 finais, 5 países diferenets. Rozaliya Nasretdinova (RUS) venceu 24.88 os 50m livre feminino, Li Guangyuan (CHN) 1:56.94 nos 200m costas masculino, Liliana Szilagyi (HUN) 57.67 nos 100m borboleta feminino, Anastasiya Malyavina (UKR) 2:26.43 nos 200m peito feminino e Nikola Obrovac (CRO) 27.83 nos 50m peito masculino.

Atletismo

Os brasileiros se redimiram e foram bem melhor nas provas do 3º e último dia, alcançando 4 finais A. Nos outros dois dias, apenas uma final. O melhor foi Mikael Antonio de Jesus nos 400m com barreiras. Ele completou com 51.12, recorde pessoal e a 2ª melhor marca do dia atrás apenas do chinês Xu Zhihang com 50.79. Nos 200m feminino, Daysiellen Dias fez o 6º tepo com 24.70 e viu a jamaicana Natalliah Whyte fazer jus à fama do seu país e terminar com 23.79. Alexandra Maria da Silva fez a 9ª marca no lançamento de dardo com 48,28m e pegou a última vaga. A melhor marca foi da bielorrussa Hanna Tarasiuk com 55,48m. Fechando o bom dia brasileiro de finais A, Bruno Spinelli fez 4,80m no salto com vara e passou em 5º, com 4 atletas alcançando 4,90m.

Outro dois brasileiros competiram e vão para a Final B. Aliffer dos Santos foi o 9º nos 200m masculino com 21.64, ficando a 0.22 da vaga na final. Melhor tempo do americano Noah Lyles com 20.71. Nos 400m com barreiras feminino, Maria Leticia Peres foi a 11ª com 1:01.52 em prova com melhor marca da sul-africana Gezelle Magerman com 58.57.

Nas outras provas, os melhroes do dia foram: Miguel van Assen, do Suriname, no salto triplo masculino com 16,29m, Kokeb Alemu (ETH) com 4:21.87 nos 1.500m feminino, Alexandru Novac (ROU) com 77,61m no dardo masculino, Yanis David (FRA) com 13,06m no salto triplo feminino e Myles Marshall (USA) com 1:50.22 nos 800m masculino.

Amanhã começam as finais.

Outras Finais

A prova de estrada foi a última etapa das provas por equipe no ciclismo e os brasileiros foram muito bem, apesar de nada ter adiantado. No feminino, Ana Paula Casetta venceu a prova e somou 100 pontos para o Brasil, que terminou em 12º geral com 103. O pódio foi formado pela Itália com 248 (pontuou em todas as provas), República Checa com 230 e Dinamarca com 225. No masculino, Rodrigo Quirino foi 3º na prova e o Brasil terminou também em 12º com 95 pontos. O ouro foi para a Colômbia com 273, seguida de Dinamarca com 257 e Holanda com 256! Bem próximos.

Nas finais do badminton, Shi Yuqi venceu a final chinesa masculina 21-15 21-19 sobre Lin Guipu. No feminino, num jogo disputadíssimo, He Bingjiao (CHN) venceu 22-24 23-21 21-17 Akane Yamaguchi em longas 1h16min. Nas duplas mistas, June Wei Cheam (MAS)/Tsz Yau Ng (HKG) venceram 21-14 23-21 Kanta Tsuneyama (JPN)/Chia-Hsin Lee (TPE).

Nas duplas mistas do rifle de ar 10m no tiro, a egípcia Hadir Mekhimar e o húngaro Istvan Peni venceram 10-2 na final a argentina Fernanda Russo e o mexicano Jose Martinez.

No trampolim acrobático masculino, Dylan Schmidt (AUS) foi ouro com 57,340, seguido do chinês Liu Changxin com 56,935 e do português Pedro Ferreira com 56,040.

No levantamento de peso, a tailandesa Duanganksorn Chaidee venceu o +63kg feminino com 244kg no total. Svetlana Shcherbakova (RUS) e Tatyana Kapustina (UKR) empataram com 228kg, mas a russa foi prata por ter menos massa corporal. Nos 85kg masculino, ouro para Khetag Khugaev (RUS) com 355kg, bem a frente do uzbeque Farkhodbek Sobirov com 321kg com a prata e do egípcio Mohamed Shosha, bronze com 318kg.

Outros Esportes

Orlando Luz e Marcelo Zormann venceram japoneses Matsumura/Amasaki por tranquilos 6-1 6-2 e estão na final de duplas, já garantindo a prata. Orlandinho está nas duas finais! Nas duplas mistas, duas derrotas. Orlando e Luisa Stefani perderam 6-1 3-6 10-6 para chinesa e japonês e Marcelo Zormann com paraguaia perderam 7-5 6-2 para polonês e húngara. O líder do ranking juvenil Andrey Rublev (RUS) venceu a disputa de bronze.

Começaram as disputas do tiro com arco. Na rodada de qualificação (72 flechas a 60m), Marcus Vinícius D’Almeida fez a 3ª marca com 683 pontos e viu o sul-coreano fazer excepcionais 704 pontos (em 720 possíveis), batendo o recorde mundial cadete. No ranqueamento feminino, Ana Machado foi a 18ª com 627. Eun Gyeong Lee (KOR) liderou com 681 pontos, também recorde mundial cadete. Na primeira rodada das duplas mistas, o melhor no masculino fez duplas com a pior no feminino. Marcus e cazaque venceram 6-0 e Ana e polonês venceram 5-3 e ambas as duplas estão nas 8as. Quem se deu mal foram os coreanos, que se juntaram com o spiores e perderam suas disputas.

Finalmente chegou ao fim a primeira fase do vôlei de praia. Duda/Paty não jogaram por conta de WO de dupla da Serra Leoa e venceram seu grupo. George/Arthur venceram 22-20 21-6 dupla do Congo e ficaram em 2º no grupo.

O basquete 3×3 segue indo muito muito mal. No feminino, mais duas derrotas: 16-7 para a Espanha e 16-11 para a Alemanha. No masculino, vitória 12-7 sobre a Romênia.

Duas derrotas no handebol. No feminino, perderam 32-24 para a Suécia, mas avançaram para as semis, onde enfrentam a Rússia. No masculino, nova derrota, agora 29-23 para o Egito e Brasil está fora das semifinais. Vai pegar a Tunísia pelo 5º lugar.

Nas 8as das equipes mistas do tênis de mesa, Hugo Calderano e a uruguaia Maria Lorenzotti estão eliminados. Enfrentando a dupla Europa 2, Maria perdeu 3-1 para israelense, Hugo venceu sueco 3-0 e, nas duplas mistas, derrota de 3-2 dos sul-americanos.

Novamente todas as regatas da vela foram canceladas pela quasência quase total de vento.

O que vem por aí

No dia mais agitado dos Jogos, 28 finais no sábado! Na ginástica artística, o primeiro dia de finais por aparelhos com solo, cavalo com alças e argolas masculinos e salto e barras assimétricas no feminino; no atletismo, são 13 finais: no masculino, 100m, 400m, 110m com barreiras, salto em altura e disco; no feminino 100m, 400m, 800m, marcha 5.000m, 100m com barreiras, salto com vara, salto em distância e disco; nos saltos ornamentais, a plataforma 10m feminina; no pentatlo moderno, a prova feminina; na vela, as 4 regatas da medalha; no tênis de mesa, a prova por equipes mista; no tênis, o individual masculino e as duplas femininas e no levantamento de peso, os +85kg masculino.

Amanhã teremos o início do boxe, da canoagem e dos saltos ornamentais.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 5

Num dia sem medalhas pro Brasil (mas com brasileira ganhando medalha), destaque para provas de habilidades no basquete, mais fracasso do atletismo brasileiro e algumas vitórias importantes.

Natação

Foram apenas 4 finais. Nos 800m livre masculino (prova sem final), o egípcio Akram Ahmed (foto) venceu a série forte e fez o melhor tempo com 7:54.29 e ficou com a medalha de ouro inédita para o seu país. Prata para Mykhailo Romanchuk (UKR) com 7:56.34 e bronze para Henrik Christiansen (NOR) com 7:57.07.

Nos 50m borboleta, Yu Hexin (aquele dos 50m livre do dia anterior) venceu com 23.69, deixando Dylan Carter (TRI) com a prata com 23.81 e Mathys Goosen (NED) com o bronze com 24.13. A prova de 50m costas feminino teve como vencedora a holandesa Maaike de Waard co 28.36. Atrás dela a britânica Jessica Fullalove com 28.66 e a neozelandesa Gabrielle Fa’Amausili com 28.69.

O Brasil disputou apenas uma final, o revezamento 4x100m livre feminino. A equipe até começou bem, ficando entre as 4 primeiras por boa parte da prova, brigando pelo bronze. Na última nadadora, caiu e terminou em 5º com 3:46.34. Mais um ouro para a China, com 3:41.19, seguida de Rússia e Austrália.

Nas disputas de semifinais, destaque para Matheus Santana. Agora nadando sua especialidade, os 100m livre, sobrou. Nadou leve e fez 49.30, o melhor tempo bem a frente do segundo, com 49.78. A única outra a pular na piscina foi Giovanna Diamante nos 100m borboleta, que terminou em 10ª na semifinal com 1:00.77

Atletismo

Nenhum dos 3 brasileiros chegou a Final A da sua prova. O melhor foi Daniel do Nascimento nos 2.000m com obstáculos, que ficou em 9º, a uma posição da final, com 5:46.92. Melhor tempo do etíope Wogene Sidamo com 5:34.24. Mirna da Silva nos 100m fez o 11º tempo com 11.95 e vai pra Final B. A melhor marca foi da polonesa Ewa Swoboda (foto), com ótimos 11.30, tempo que a daria ouro no Mundial de Menores ano passado. Kelves dos Santos foi o 12º no salto em distância com 6,48m, muito longe do líder, o russo campeão mundial menor Anatoly Ryapolov com 7.65m.

Nas outras provas do dia, boa marca do australiano Trae Williams, melhor nos 100m masculino com 10.51. No peso masculino, Konrad Bukowiecki (POL) fez a melhor marca com ótimos 22,34m, marca que também daria ouro no mundial de 2013. Nos 1.500m masculino, Gilbert Soet (KEN) lidera a armada africana na final com 3:45.21. E no martelo masculino, ótima marca do húngaro Bence Halasz com 83,68m, 4m melhor que o campeão mundial do ano passado.

No feminino, a campeã mundial menor Rosefline Chepngetich (KEN) dominou os 2.000m com obstáculos com 6:20.10, 17s melhor que a segunda colocada. A russa Alena Bugakova venceu a quali do peso com 18,86m e no martelo deu a australiana Alex Hulley com 70,87m. Fechando o dia, o salto em altura feminino viu 8 meninas com 1,78m na final A.

Basquete

Uma grande novidade do dia foram as provas de habilidades do basquete, parecido com o que ocorre nos jogos das estrelas da NBA e da NBB. As meninas disputaram a prova de arremessos de 3. Eram 10 bolas em 33s. A melhor na qualificação foi a holandesa Esther Fokke, que acertou 8. Lucia Carpintero (ESP) foi a 2ª com 7. Na final, que contou com apenas 4 atletas, a espanhola fez novamente 7 cestas e ficou com o ouro. Ela Micunovic (SLO) e Katie Samuelson (USA) fizeram 4, mas a eslovena foi mais rápida. Fokke só fez 3 e ficou fora do pódio. A melhor brasileira foi Letícia Josefino em 33º lugar com 3 cestas em 23s7.

Já os meninos disputaram uma competição de enterradas. Na qualificação, foram duas chances para cada atleta. Os dois brasileiros não fizeram cesta na 1ª tentativa. Na 2ª, Felipe da Penha fez 24 pontos e foi o 14º geral e Gabriel Ferreira fez 24 e 15º geral. Na final, foram duas rodadas também. Dos 4 finalistas, apenas os 2 melhores avançavam pra finalíssima. O melhor foi Ziga Lah (SLO) que fez 59 na 1ª chance, mas na 2ª somou apenas 26 pontos e foi prata. O ouro ficou com o francês Karim Mouliom, com 54 na 1ª e 55 na 2ª. Bronze para o chinês Fu Lei.

Outras Finais

Nenhum brasileiro ganhou medalha para o Brasil, mas a campeã olímpica Layana Colman fez parte da equipe Geesink, que foi prata na prova por equipes do judô. Ao lado de uma russa, um bielorrusso, uma montenegrina, um coreano, uma taiwanesa e um sérvio, perderam para a equipe Rouge na final por 4-2.

De volta ao programa olímpico, o golfe premiou seus primeiros vencedores. No masculino, o norueguês que liderava após 2 rodadas ficou fora do pódio. O ouro foi para o italiano Renato Paratore com 11 abaixo do par, seguido do sueco Marcus Kinhult com 9 abaixo e do tailandês Danthai Boonma, com 6 abaixo, que venceu o norueguês nos buracos de desempate. No feminino, Soyoung Lee (KOR) dominou e fechou com 14 abaixo do par! Completando o pódio asiático, Ssu-Chia Cheng (TPE) com 11 abaixo e Supamas Sangchan (THA) com 7 abaixo.

No último dia do taekwondo, Milena Guimarães perdeu logo na estreia do +63kg feminino 2-1 para a americana Kendall Yount, que viria a ser a campeã. Na final, Yount venceu 4-2 Umida Abdullaeva (UZB). No +73kg masculino, ouro para Yoann Miangue (FRA) com 6-4 na final sobre Denys Voronovskyy (UKR).

No tiro, uma diferente prova de duplas mistas. Na pistola de ar 10m, a dupla formada pelo uzbeque Vladimir Svechnikov e pela búlgara Lidia Nencheva (foto), venceu na final um atleta do Egito e uma de Singapura por 10-5 e ficou com o ouro. Bronze para um guatemalteca e uma menina da Letônia. Nesta prova, o campeão do masculino fez dupla com a 20ª no feminino e assim por diante.

Já meio que esperado, o ouro do trampolim acrobático feminino foi para a chinesa Zhu Xueying, que na final tirou 55,425 contra 52,370 da japonesa Rana Nakano e 52,360 da russa Maria Zakharchuk. Quase teve empate.

No interessante revezamento misto do triatlo, a equipe da Europa 1 (foto), que contou com o campeão no individual Ben Dijkstra (GBR), venceu com 13s de vantagem sobre Europa 3 e com 53s de vantagem sobre a equipe da Oceania. Bárbara do Santos estava na América 3, com salvadorenha, venezuelano e um atleta de Bermudas. Eles terminaram em 11º entre 16 equipes, 8min atrás dos campeões.

No levantamento de peso, para coroar o ótimo dia do Egito em Nanjing, Sara Ahmed venceu a categroai 63kg feminina com 228kg no total, seguida de mexicana com 210kg e de ucraniana com 208kg. Nos 77kg masculino, ouro para Hakob Mkrtchyan, da Armênia, com 319kg no total. Pertinho dele, o indiano Venkat Ragala com 316kg e o cazaque Zhaslan Kaliyev com 310kg.

Outros Esportes

Orlando Luz (foto) segue 100% em Nanjing! Nas simples, venceu na semifinal Jumpei Yamasaki (JPN) 6-2 4-6 6-2 e está na final individual. Ele enfretará o polonês Kamil Adrian Machrzak, que venceu o Andrey Rublev (RUS), número 1 do mundo. Nas duplas mistas, Orlando e Luisa Stefani venceram americanos por 6-4 6-4 e estão nas 4as. Também nas mistas, Marcelo Zormann e Liz Campiz (PAR) venceram 5-7 6-3 10-5 sul-africano e egípcia e também estão nas 4as.

No tênis de mesa, o medalhista de bronze no individual Hugo Calderano e a uruguaia Maria Lorenzotti venceram dois confrontos na prova por equipe mista. Fizeram 3-0 na dupla da Alemanha e 3-0 na África 1. Com a derrota da outra equipe, eles venceram seu grupo e estão nas 8as de final.

O Brasil estreou no handebol. No feminino, venceu 32-18 a China e no masculino perdeu por apertados 33-31 para a Noruega.

Na eterna primeira fase do vôlei de praia, Duda/Paty venceram 21-16 21-18 dupla da Suíça e já venceram o grupo, porque o último jogo seria contra supla de Serra Leoa, que não foi para Nanjing. George/Arthur também venceram 21-12 21-18 dupla da Lituânia e seguem em 2º no grupo.

Definidas as semifinais do futebol masculino. Peru venceu Honduras 3-1 e pega na semifinal Cabo Verde, que venceu 7-1 Vanuatu. Do outro lado, Coreia do Sul e Islândia.

As finais do badminton também estão definidas. No masculino, final chinesa entre Lin Guipu (aquele que fez o jogão com o brasileiro) e Shi Yuqi. No feminino, He Bingjiao (CHN) pega Akane Yamaguchi (JPN). Nas duplas, também final asiática. Chia-Hsin Lee (TPE)/Kanta Tsuneyama (JPN) pegam Tsz Yau Ng (HKG)/June Wei Cheam (MAS).

O que vem por aí

Nesta sexta-feira, 18 finais agitam Nanjing: no badminton, as três provas serão definidas; no ciclismo, as provas por equipes masculina e feminina serão encerradas com a prova de estrada; no tiro, as duplas mistas do rifle de ar; na natação, 50m livre feminino, 200m costas masculino, 100m borboleta feminino, 100m livre masculino, 200m peito feminino, 200m borboleta masculino, 400m livre feminino, 50m peito masculino e 4x100m medley misto; na ginástica de trampolim, a prova masculina; e no levantamento de peso, os +63kg feminino e os 85kg masculino.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 4

O melhor dia para o Brasil até o momento foi marcado por 4 medalhas, uma polêmica na natação e um péssimo início no atletismo.

Medalhas históricas

O dia começou com um bronze histórico e inédito. Depois de perder na semifinal para japonês, Hugo Calderano voltou para disputar o bronze no tênis de mesa. Começou arrasador e não deu chances para Heng-Wei Yang, de Taiwan, abrindo 3-0. Aí veio o nervosismo para fechar o jogo. Hugo começou a errar muito no 4º game, e Yang diminui para 3-1. No 5º game, o asiático abriu 10-5 e Hugo ensaiou uma recuperação, fazendo 4 pontos seguidos mas acabou perdendo. Parecia que Yang iria empatar o jogo, mas, num game que era um ponto aqui, um ali, o brasileiro abriu 10-8 e levou o empate. No 3º match point, não desapontou e fechou por 4-2, parciais de 11-9, 11-8, 11-9, 9-11, 9-11, 12-10 e um bronze inédito para o país em competições olímpicas.

Sexta na qualificação, Flávia Saraiva chegou muito bem cotada para a final do individual geral e não decepcionou. Ela melhorou suas notas em relação à qualificação nos 4 aparelhos. Começou com um salto médio de 13,900 (13,750 na quali), foi muito bem nas barras assimétricas com 12,950, a 3ª melhor nota da final (12,150 na quali), fez uma ótima performance na trave, cravando tudo com 14,050, a melhor nota (13,200 na quali) e fechou com a melhor nota do solo com 13,800 (13,650 na quali), somando 54,700, bem acima dos 52,750 na qualiicação.

Parecia que ela iria ficar com o bronze, pois a chinesa teve quedas na trave e no solo, mas, na última rodada, a britânica Elissa Downie teve uma queda no solo e ficou com 54,150. Só restava a favorita, a russa Seda Tutkhalyan, que estava bem a frente, mas também caiu no solo e tirou uam nota bem baixa, com 12,450, mas na somatória, teve 54,900 e acabou com o ouro, graças às ótimas rotinas nas barras (14,050), trave (14,000) e salto (14,400). Uma prata inédita para a ginástica feminina brasileira em competições olímpicas. A britânica ficou com o bronze.

Natação

Captura de Tela 2014-08-20 às 07.19.37

O dia começou com a final dos 50m livre masculina com Matheus Santana. O chinês Yu Hexin já tinha surpreendido a todos na semifinal com 22.01, novo recorde mundial júnior, até que na final ele melhorou esse tempo e cravou 22.00, novo recorde e ouro. Matheus ficou com a prata na prova, que não é a sua especialidade, com 22.43, sua 2ª medalha em Nanjing. Completou o pódio Dylan Carter (TRI) com 22.53.

Vitor Santo disputou a final dos 50m costas e ficou em 6º com 25.85. A prova foi vencida pelo russo Evgeny Rylov com 25.09, seguido de Apostolos Christou (GRE) 25.44 e Simone Sabbioni (ITA) 25.47. Nos 50m borboleta feminino, Giovanna Diamante ficou com a 8ª posição com 27.40. O segundo ouro russo do dia foi para Rozaliya Nasretdinova com 26.26, seguida de Svenja Stoffel (SUI) com 26.62 e Nastja Govejsek (SLO) com 26.70. Completando as finais brasileiras, Andreas Mickosz também foi 8º, só que nos 200m peito com 2:17.17. Ippei Watanabe (JPN) passou no finalzinho e foi ouro com 2:11.31, na frente do venezuelano Carlos Claverie, que liderou boa parte da prova, com 2:11.74 e do russo Anton Chupkov com 2:11.87.

Ruta Meilutyte (LTU) levou seu 2º ouro, dominando por absoluto os 100m peito, prova que é a recordista mundial, campeã olímpica e campeã mundial. Ela venceu com 1:05.39, muito a frente da chinesa He Yun com 1:07.49 e da ucraniana Anastasiya Malyavina com 1:08.16. Como esperado, também, as chinesas dominaram os 200m livre feminino. Shen Duo nadou muito e venceu com 1:56.12, seguida da compatriota Qiu Yuhan com 1:56.82. Completou o pódio a australiana Brianna Throssell com 1:58.57.

A grande polêmica do dia veio no revezamento 4x100m medley masculino. O Brasil era favorito para medalha, inclusive de ouro, mas não disputou as eliminatórias. Ficaram as suposições e até agora não está muito claro o que aconteceu. Segundo o COB, os treinadores não confirmaram a presença 1 hora antes da prova e, com isso, a FINA não deixou o Brasil participar. A chefe de missão do Brasil, Adriana Behar, foi chamada, mas nada mudou. Já os treinadores dizem que estavam na piscina de aquecimento e uma representante da FINA foi à área de aquecimento pegar os cartões com os nomes dos participantes, mas perguntou para uma pessoa que estava com o agasalho brasileiro mas não era da comissão e houve um mal entendido. Os nadadores só souberam que não iriam participar quando estavam na câmara de chamada, momentos antes da prova e ficaram muito decepcionados. Uma pena por eles, que tinham uma medalha quase garantida. Na final, vitória da forte equipe da Rússia com 3:38.02, aproveitando a desclassificação da China nas eliminatórias. Prata Alemanha e bronze Austrália.

Atletismo

Oito brasileiros fizeram sua estreia em suas provas. Lembrando que cada atleta só disputa uma única prova individual nos Jogos. Dos 8, apenas um passou para a Final A. Todos os outros 7 disputarão a Final B.

Anderson Cerqueira foi o salvador da pátria nos 400m masculino. Ele foi 3º na sua bateria com 48.07 e avançou para a final com o 7º tempo. A melhor marca foi de Martin Manley (JAM) com 47.14.

Vamos às provas femininas. Nos 800m, Ana Karolyne Silva fez o 11º tempo com 2:11.29 e o melhor tempo foi da alemã Mareen Kalis com 2:05.67. Nos 100m com barreiras, Paolla Luchin foi a 15ª com 14.32 e por pouco não pega Final C. O melhor tempo foi de Laura Valette (FRA) com 13.34. No salto em distância, Elen Vasconcelos foi a 10ª com 5,57m e a melhor marca foi da italiana Beatrice Fiorese com bons 6,26m, que dariam a ela o bronze no último mundial menor. Thais Gomes foi a última brasileira, e terminou o salto com vara em 13º e último lugar com fraquíssimos 3,20m e viu a suíça Angelica Moser fazer a melhor marca com 3,80m.

Entre os meninos, Maycon Bonadeo 14º no disco com 51,65m. O chinês Cheng Yulong e o alemão Clemens Prufer fizeram a mesma marca: 59,88m. Mas o chinês teve um segundo lançamento melhor e ficou em 1º. No salto em altura, Danilo Cardoso foi 15º e último com apenas 1,95m. 5 atletas fizeram 2,10m. Nos 110m com barreiras, Vitor Henrique Venancio fez o 13º tempo com 13.91, longe do líder Jaheel Hyde (JAM, foto) com o tempaço de 13.16. O jamaicano campeão mundial menor fez a melhor marca do dia, e ficou apenas 0.04 do recorde mundial menor! Aliás, Hyde foi campeão mundial menor nos 110m ano passado e esse ano foi campeão mundial juvenil nos 400m com barreiras! Inusitado.

Mais quatro provas sem brasileiros. Nos 3.000m masculino, melhor marca do etíope Yomif Atomsa com 8:05.85. Na mesma prova feminina, Fatuma Chebsi (BRN) foi a melhor com 9:06.87. Nos 400m feminino, a líder foi a australiana Jessica Thornton com 52.78, tempo que daria a prata no Mundial menor ano passado. E no disco feminino, Al’Ona Byelyakova (UKR) foi a melhor com 50,89m.

Outra Finais

O Brasil conseguiu mais uma medalha no dia no hipismo, na prova por equipes. Só que as equipes são formadas por atletas de países diferentes, agrupadas por continente. A equipe da América do Sul, que contou com Bianca Rodrigues, ficou com a prata com 4 pontos perdidos, atrás apenas da Europa (com 0) e na frente da América do Norte (com 8). Bianca, aliás, foi a que mais atrapalhou a equipe. Na primeira rodada, foi eliminada e na final, fez 5 faltas (20 pontos). Deve estar com problemas com o cavalo.

Na esgrima por equipe, equipes por continente com 3 meninos e 3 meninas, um de cada arma. Os dois brasileiros (Pedro Marostega e Gabriela Cecchini) estavam na América 2. Na primeira rodada, venceram a África por 30-20. Nas 4as, por muito pouco não venceram os favoritos da Europa 1, perdendo por 30-29. Nas rodadas classificatórias venceram Europa 3 por 30-29 e Europa 4 por 30-28 e terminaram em 5º lugar. O ouro foi para a Ásia-Oceania 1, que venceu a Europa 1 por 30-26.

No remo, as quatro finais. No single skiff masculino, ouro para Tim Naske (GER), seguido de atleta do Azerbaijão e de canadense. Uncas Batista venceu a Final B e ficou em 7º. No single skiff feminino, a vitória ficou com a bielorrussa Krystsina Staraselets, seguida de grega e francesa. Nas provas do Dois Sem, duplo ouro para a Romênia. No masculino, a República Checa e a Turquia completaram o pódio e no feminino, China e Canadá.

O rugby viu seus primeiros medalhistas olímpicos desde que voltou. No masculino, a França arrasou a até então invicta Argentina por acachapantes 45-22! No bronze, medalha histórica para o Fiji, sua primeira em uma Olimpíada, seja adulta ou da juventude. No feminino, a Austrália (foto) não deu chances para o Canadá e venceu por 38-10, ficando com o ouro. Bronze para a China.

No tiro, era praticamente certeiro o ouro do chinês Yang Haoran no rifle de ar 10m masculino. Aos 18, já é o líder do ranking adulto e o homem a ser batido. Na final, sobrou, vencendo com 209,3 contra 204,3 do armênio Hrachik Babayan. Bronze para Istvan Peni (HUN).

Já falei do Hugo Calderano, mas não falei da final. Quem venceu, claro, foi um chinês. Fan Zhendong fez 4-2 no japonês Yuto Muramatsu. No feminino, mais um ouro no tênis de mesa pra China, com Liu Gaoyang, com 401 em Hoi Kem Doo (HKG). O bronze também foi inédito, indo para uma americana, a revelação Lily Zhang.

No taekwondo, a iraniana Kimia Zenoorin venceu nos 63kg feminino 10-7 a russa Yulia Turutina e nos 73kg masculino, ouro para Said Guliyev (AZE) com 10-4 na final sobre Hamza Karim (GER).

Outros Esportes

Mais um dia bom no tênis para o Brasil. Orlando Luz segue 100%, vencendo nas 4as o belga Clement Geens 6-2 6-4 e avançando à semifinal. Nas duplas, ao lado de Marcelo Zormann, nova vitória sobre peruanos 6-4 7-6 e também estão na semifinal.

Na vela, dia ruim para os brasileiros. Na Byte CII masculina, Pedro Correa caiu para 2º após um 20º, um 18º e um 9º! Na versão feminina, Natascha Boddener obteve um 24º, um 27º e um 10º e caiu para 11ª. Na Techno 293 masculina, Daniel Pereira obteve um 12º, um 14º e um 13º e é o 12º no geral.

Brasil segue muito mal no basquete 3×3. No masculino perdeu 12-11 para a Espanha e 14-8 para a Rússia. No feminino, nova derrota, agora 21-12 para a Hungria.

Nas equipe mistas do tênis de mesa, Hugo Calderano e a uruguaia Maria Lorenzotti perderam o confronto contra italiana e suíço. Hugo venceu 3-1, mas Maria perdeu 3-1 e nas duplas perderam também por 3-1.

No golfe, o líder no masculino é Viktor Hovland (NOR) com 8 abaixo do par. No feminino, a coreana Soyoung Lee lidera também com 8 abaixo.

Definidas as semifinais do futebol feminino. A China (que goleou a Namíbia por 10-0) pega a Eslováquia e do outro lado, Venezuela x México.

O que vem por aí

Nesta quinta, 16 finais: no basquete, desafio de arremessos feminino e desafio de enterradas no masculino; no golfe, as provas individuais masculinas e femininas; no judô, a prova por equipe; no tiro, as duplas mistas da pistola de ar 10m; na natação, 800m livre masculino, 50m borboleta masculino, 50m costas feminino e revezamento 4x100m livre feminino; no taekwondo, acima de 63kg feminino e acima de 73kg masculino; na ginástica de trampolim, a prova feminina; no triatlo, o revezamento misto; e no levantamento de peso, os 63kg feminino e os 77kg masculino.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 3

Mais um ouro brasileiro, derrota no tênis de mesa, a reestreia do golfe e muito mais.

Ouro inédito no taekwondo

Edival Pontes chegou em Nanjing bem cotado e principal favorito na sua categoria, até 63kg, afinal, ele vinha do ouro no campeonato mundial juvenil. Edival estreou direto nas 4as de final contra Eduard Frankford (AUT), vencendo tranquilamente por 16-4. Na semifinal, enfrentou o britânico Christian McNeish e venceu tranquilo também com 12-6.

Já na final, teve uma disputa muito forte com o mexicano Jose Ruben Rodriguez. Edival abriu 3-1 no 1º round. O mexicano teve um chute na cabeça contabilizado (3 pontos), mas foi solicitada a revisão por vídeo pelo técnico brasileiro e os pontos foram retirados. No 2º round, o mexicano empatou em 3-3. No 3º, luta bem apertada. O brasileiro tomou 6 penalidades (2 por round) e deu de graça 3 pontos para o adversário. A luta chegou nos últimos segundos empatada em 6-6, quando Edivaldo deu um golpe nos últimos segundos e venceu por 7-6! Primeiro ouro brasileiro no taekwondo em edições olímpicas. Até então, a única medalha foi o bronze de Natalia Falavigna em Atenas-2004.

Na outra categoria do dia, os 55kg feminino, Ivana Babic (CRO) venceu na final Fatma Saridogan (TUR) por apenas 1-0.

Raquetes

Hugo Calderano já é uma realidade no tênis de mesa brasileiro e tem tudo para ser o maior nome do esporte da história. Em Nanjing, disputou nesta terça as quartas-de-final, quando venceu por apertados 4-3 o polonês Patryk Zatowka (13-11, 7-11, 11-4, 4-11, 11-4, 10-12, 11-6). Na semifinal, Hugo não conseguiu encaixar o seu jogo e foi dominado pelo 2º cabeça de chave, o japonês Yuto Muramatsu. Hugo errava muito as devoluções e os forehands e acabou perdendo por 4-1, sendo arrasado no 1º set por 11-1. Parciais do jogo de 11-1, 11-4, 10-12, 11-6, 11-8. Agora, Hugo disputa o bronze com Heng-Wei Yang, de Taiwan, e o Muramatsu pega na final o chinês Fan Zhendong.

No tênis, Brasil foi 100%. Único sobrevivente nas simples, Orlando Luz, cabeça 2, venceu Juan Jose Rosas (PER) por 6-2 6-4 e está nas 4as de final. Nas duplas mistas, duas vitórias. Orlando e Luisa Stefani venceram 6-2 6-2 Kamonwan Buayam (THA)/Yun Seong Chung (KOR) e Marcelo Zormann ao lado da paraguaia Liz Camila Campiz venceu 7-5 7-5 Nicolas Alvarez (PER)/Marketa Vondrousova (CZE).

No badminton, Ygor Coelho fechou sua participação com 2 derrotas. Nas simples, caiu para o taiwanês Chia-Hung Lu 21-14 21-11 e nas duplas, com a ucraniana Vladyslava Lisna, perdeu 21-19 21-14 para Shi Yuqi (CHN)/Joy Lai (AUS).

Natação

Nas 5 finais do dia, 6 medalhistas de ouro. Isso porque houve novamente um empate pelo ouro! Foi na prova de 200m costas feminina, com Ambra Esposito (ITA) e Hannah Moore (USA) com 2:10.42. A espanhola Africa Sanz fechou o pódio com 2:11.94.

Nos 800m feminino, sem final, apenas com baterias, a medalha de ouro ficou com a italiana Simona Quadarella, com 8:35.39. O interessante é que ela nadou de manhã, nas baterias fracas. Na série forte, Jimena Blanco (ESP) venceu com 8:36.95 e ficou com a prata. Surpresa um bronze para as Bahamas! Joanna Evans fez 8:39.75. Bruna Primati nadou a noite e foi muito bem, terminado em 6º lugar no geral, com 8:42.80 e Viviane Jungblut foi 11ª com 8:50.49.

Nos 100m borboleta masculino, ouro para Li Zhuhao (CHN) com 52.94, com o russo Aleksandr Sadovnikov a apenas 0.03. Nos 100m livre feminino, mais um ouro chinês com Shen Duo com 53.84. Completou o pódio asiático Siobhan Haughey (HKG) e Qiu Yuhan (CHN). Na última final, o revezamento 4x100m livre masculino, ouro para a Grã-Bretanha com 3:21.19, seguida de Itália e Alemanha.

Matheus Santana finalmente estreou em provas individuais. Nas eliminatórias dos 50m livre, fez o melhor tempo, com 22.55. Já na semifinal, soltou no finalzinho e ficou com o segundo tempo, com 22.48. A surpresa foi o chinês Yu Hexin, com excelentes 22.01, novo recorde mundial júnior! Vitor Santo fez o 4º tempo na semifinal dos 50m costas com 25.79 e também está na final. Giovanna Diamante também faz final nesta quarta, nos 50m borboleta, onde passou com o 7º tempo de 27.05. Na última semifinal do dia, Ruta Meilutyte (LTU) foi a mais rápida nos 100m peito com 1:07.83. Ela perdeu essa prova no Europeu, que também foi nesta terça.

Outras Finais

O legado britânico segue com um ouro na ginástica. Giarnni Regini-Moran venceu o individual geral masculino com 84,725, bem a frente de Nikita Nagornyy (RUS) com 83,050, prata, e Alex Yoder (USA), bronze com 82,800. O britânico teve excelentes notas, como um 14,900 no solo, 14,850 nos salto e 14,400 nas barras paralelas.

Na esgrima, Pedro Marostega disputou o florete masculino, mas perdeu nas 8as por 15-11 para Seo Myeong Cheol (KOR). Quem levou o ouro foi o polonês Andrzej Rzadkowski com 15-13 em Chun Yin Ryan Choi (HKG). No sabre feminino, ouro russo para Alina Moseyko com 15-10 na final sobre Chiara Crovari (ITA).

No judô, Brigita Matic (CRO) venceu os 78kg feminino sobre Aleksandra Samardzic (BIH). Nos 100kg masculino, que tinha apenas QUATRO atletas (que bobeada da IJF), ouro para o iraniano Ramin Safaviyeh (foto), com ippon em Rostislav Dashkov (KGZ).

No rifle de ar 10m feminino, vitória da suíça Sarah Hornung. Ela foi a melhor na qualificação e na final, onde venceu com 207,8 contra 207,1 de Martina Veloso (SIN). Bronze Alemanha.

No levantamento de peso, Nien-Hsin Chiang (TPE) levou os 58kg feminino com 203kg no total, prata para a Rússia e bronze para a Argentina (!). Nos 69kg masculino, o primeiro ouro não-asiático. Bozhidar Andreev (BUL) venceu com 300kg, seguido de russo e colombiano.

Outros Esportes

No basquete 3×3, as meninas sofreram mais um derrota, agora para a Venezuela por 12-10, mas venceram a Síria por 19-7. No masculino, a primeira vitória, com 21-2 em Andorra.

Duda/Paty seguem invictas no vôlei de praia, vencendo a 3ª com 21-6 21-14 dupla do Vietnã. No masculino, George/Arthur venceram 21-17 21-10 dupla da Austrália.

Brasil segue mal no ciclismo. Nas provas de BMX, os brasileiros não passaram das 4as e não pontuaram.

Na abertura da prova de hipismo por equipe, Bianca Rodrigues foi mal e foi eliminada da competição, mas apesar disso, a equipe da América do Sul está em 2º com apenas 4 pontos, atrás apenas da Europa, que zerou.

Na vela, apenas regatas da Byte CII. Pedro Correa com dois 3º lugares segue líder com apenas 11 pontos, bem na frente do 2º, que tem 27. Na mesma classe no feminino, Natascha Boddener obteve um 5º e um 3º lugares e subiu para 7ª no geral.

Por muito, muito pouco Uncas Batista ficou fora da final do single skiff no remo. Ele fez o 4º tempo na sua semifinal e ficou 0.09 atrás do cubano e vai disputar Final B. Sophia Py foi 3ª na sua semi e vai para a Final C.

E o golfe voltou ao Jogos Olímpicos! Na primeira rodada, dois no masculino empatados (sueco e australiano) com 6 abaixo do par e no feminino, foram 4 empatadas com 3 abaixo do par.

O rugby definiu as suas finais. No masculino, França e Argentina se enfrentam enquanto Fiji e Quênia brigam pelo bronze. No feminino, Austrália e Canadá batalham pelo título e o bronze ficará entre Estados Unidos e China

O que vem por aí

Serão 22 finais nesta quarta-feira: na ginástica, o individual geral feminino; no hipismo, a prova por equipes; na esgrima, a prova por equipes; no remo, os dois single skiffs e os dois Dois Sem; no rugby, o masculino e o feminino; no tiro, o rifle de ar 10m masculino; na natação, 50m livre masculino, 200m peito masculino, 50m borboleta feminino, 50m costas masculino, 100m peito feminino, 200m livre feminino e 4x100m medley masculino; no tênis de mesa, o individual masculino e feminino; e no taekwondo, duas categorias.

Além disso, começam as provas de atletismo e os torneios de handebol.