Troféu Brasil – Final

O Troféu Brasil de 2017 acabou neste domingo com ótimas marcas em São Bernardo e a certeza de que o atletismo está indo no caminho certo.

Pista

9304

Márcio Teles e Hederson Estefani

Duas marcas chamaram muita atenção: o excelente tempo de 20.15 (+1,3m/s) de Aldemir Gomes da Silva Jr. nos 200m e 48.94 de Márcio Teles nos 400m com barreiras, recorde do Troféu. Este tempo colocaria Aldemir em 6º na final olímpica do Rio. Os dois conseguiram o índice pro mundial e nos 400m com barreiras Hederson Estefani também baixou do índice, com 49.13 e a prata. Vitória Cristina Rosa venceu os 200m feminino com 22.93 (+1,5m/s), ratificando o índice pro Mundial, assim como Rosângela Santos com 22.95.

Também venceram com índice Éder Souza nos 110m com barreiras com 13.47 (+0,8m/s) e Thiago André nos 800m com 1:44.81. Os outros campeões do dia foram: Altobeli da Silva nos 5.000m com 13:46.72, Maria Aparecida Ferraz nos 5.000m com 16:31.98, Kleidiane Jardim nos 1.500m com 4:23.58, Jailma Sales de Lima nos 400m com barreiras com 56.76, B3 Atletismo no 4x400m feminino com 3:35.45 e o EC Pinheiros no 4x400m masculino com 3:07.43.

Campo

9302

Laila Ferrer

O grande destaque no campo foi Núbia Soares no salto triplo. Ela saltou duas vezes para ótimos 14,56m ficando a apenas 2cm do recorde brasileiro! Tânia Ferreira da Silva ficou em 2º também com índice, de 14,13m. Geisa Arcanjo fez sua melhor marca do ano com 18,08m na primeira tentativa na final do arremesso de peso, mais uma vez melhor que o índice. Está chegando na marca que fez na final olímpica no Rio, com 18,16m, mas ainda longe do seu PB de 19,02m. No dardo, Laila Ferrer venceu com 62,52m, superando o índice pro Mundial de 61,20m.

Thiago Braz ainda não está no seu melhor, mas ficou com o ouro no salto com vara, empatando em 1º  com Augusto Dutra, ambos com 5,52m na 2ª tentativa e 3 erros no total. Ambos tentaram 5,62m, mas Augusto falhou 3 vezes e Thiago desistiu após sentir a panturrilha, preferindo se poupar. No heptatlo, Tamara Alexandrino venceu com bons 6.040, superando pela 1ª vez a barreira dos 6.000 pontos, mas ainda sem índice pro Mundial, que é 6.200. Vanessa Spindola fez 5.812, longe do seu PB de 6.188.

Os outros campeões foram Felipe Lorenzon no disco com fracos 57,97m, Paulo Enrique da Silva no dardo com 74,86m, Alexsandro de Melo no salto triplo com 16,42m, Fernando Ferreira no salto em altura com 2,25m e Julia Cristina dos Santos no salto em altura com 1,80m.

Por equipes, vitória do Pinheiros no masculino, no feminino e no geral, enquanto a B3 Atletismo ficou em 2º lugar nas 3 classificações.

A equipe pro Mundial já conta com 24 atletas, sem contar os maratonistas e revezamentos. Não é tão grande, mas tem ótima qualidade. A CBAt está no rumo certo.

Resumo da semana olímpica

Badminton

f346db8d48

A equipe brasileira foi prata no Pan-Americano por equipes mistas, disputado na República Dominicana.Na 1ª fase, vitória de 5-0 sobre o México e depois de 3-2 sobre os Estados Unidos. Na semifinal, mais uma boa vitória de 3-2 sobre o Peru. A decisão veio na última partida, de duplas mistas, onde Hugo Arthuso/Fabiana Silva venceram Bruno Deza/Danica Higa por 21-13 21-17.

Na grande final, o Brasil foi derrotado por 3-0 pelo Canadá, maior força da modalidade no continente. Ygor Oliveira perdeu 21-19 21-13 para Jason Ho-Shue. Depois, foi a vez de Brittney Tam vencer 21-14 21-14 Fabiana Silva. Nas duplas masculinas, Ho-Shue e Nyl Yakura derrotaram Hugo Arthuso/Fabrício Farias por 16-21 21-13 21-15, dando o título ao Canadá. A equipe brasileira tinha 19 jogadores, 10 homens e 9 mulheres e não contou com as irmãs Lohaynny e Luana Vicente.

Judô

144842190217european-judo-open-men-rome-2017-02-18-225375

Pódio dos 81kg em Roma

Depois de uma boa campanha no Grand Slam de Paris, Eduardo Yudi Santos faturou o título do Aberto Europeu de Roma. Em final brasileira na categoria 81kg, Eduardo venceu por waza-ari Rafael Macedo no golden score. Na categoria 73kg, Marcelo Contini e Lincoln Neves ficaram com os dois bronzes.

Já a equipe feminina competiu na Áustria, em Oberwart. O melhor resultado foi de Yanka Pascoalino, eu chegou às disputas de bronze dos 63kg, perdendo por ippon para espanhola.

Rugby

Como esperado, o Brasil venceu tranquilamente o Sul-Americano de Rugby 7s feminino, sofrendo tries apenas na final. Na 1ª fase, arrasou o Uruguai por 52-0, depois 45-0 no Paraguai e 31-0 na Venezuela.

Nas 4as, derrotou o Peru por 53-0 e na semifinal passou pela Colômbia por 32-0. Na decisão, mais uma vez contra a Argentina, venceu por 31-12. Assim, o Brasil conquista pela 12ª vez consecutiva o torneio e segue com um retrospecto invicto contra os rivais continentais.

Outros Esportes

9083

Daniel Nascimento

Daniel Nascimento foi o grande destaque brasileiro no Sul-Americano de Cross-Country, em Santiago, Chile. Ele venceu pela 3ª vez seguida a prova juvenil (sub-20) com uma enorme vantagem. Ele completou os 8km da prova em 23:14, bem a frente do colombiano Carlos Hernandez, com 25:28. Gilberto Silvestre Lopes foi bronze no adulto masculino 10km, 7s atrás do peruano campeão René Champi. Daniel será o único brasileiro no Mundial de Cross-Country, no fim de março na Uganda.

Geisa Arcanjo foi o destaque em dois torneios realizados no Esporte Clube Pinheiros na semana. Ela marcou 17,68m e 17,74m no arremesso de peso, ficando a 1cm do índice pro Mundial de Londres (17,75m). Outras boas marcas foram de Darlan Romani também no arremesso de peso (20,29m) e de Gabriel Menezes Oliveira, com 7,51m no salto em distância, índice pro Pan-americano Sub-20.

Gideoni Monteiro terminou em lugar na Copa do Mundo de Ciclismo em Pista, em Cali, Colômbia. Em sua primeira competição no novo formato, com apenas 4 provas em um único dia, o brasileiro foi 13º na Scratch, 10º na Tempo Race e 9º na corrida de eliminação. Na corrida por pontos, somou apenas 6, terminando com 68 pontos no total. Vitória do australiano Sam Welsford, com 128 pontos.

Isaquias Queiroz ganhou dois bronzes em prova desafio em Portugal, nas não-usuais distância de 1.500m e 150m, em prova que reuniu vários nomes fortes da canoagem.

– Ingrid Oliveira e Giovanna Pedroso na plataforma e Luana Lira no trampolim conseguiram índices para disputar o Grand Prix de saltos ornamentais em Porto Rico. Ingrid fez 334,80 e Giovanna 302,00 enquanto o índice na plataforma era 296,85. No trampolim, o índice era 256,81 e Luana somou 287,30.

– Rafael Becker foi 6º no Colombia Open, válido pelo circuito Latinoamericano do PGA de golfe. Ele somou 275 tacadas, ficando 6 acima do campeão, o mexicano Jose de Jesus Rodriguez. Rafael soma 1,2 ponto pro ranking,subindo mais de 350 posições no ranking. No Panamá, pelo circuito web.com Tour, Alexandre Rocha não passou no corte, ficando 3 tacadas acima.

Gabriela Cecchini foi o destaque brasileiro na esgrima, com o 19º lugar na Copa do Mundo juvenil de florete, em Udine, Itália. Ela venceu 5 dos 6 confrontos na fase de poules. Nas 16as de final, perdeu para a grega Aikaterini-Maria Kontochristopoulou por 15-14.

João Victor Oliva, melhor brasileiro no adestramento no Rio-2016, alcançou 67,420% no GP em Neumünster, Alemanha, em prova seletiva para a Copa do Mundo. No GP Freestyle, ele tirou 67,650%.

– Nos saltos, em Portugal, Marlon Zanotelli foi vice em GP 3* a 1,50m. Ele e mais 11 conjuntos foram para o desempate e o brasileiro não venceu por apenas 0.02.

Thiago Monteiro chegou às 4as de final do ATP250 de Buenos Aires, após vencer na estreia 62 61 o dominicano Victor Estrella Burgos, que vinha de título em Quito, e na 2ª rodada o veterano Tommy Robredo por 63 64.Nas 4as, perdeu de virada para o argentino Carlos Berlocq por 36 62 63.

– Em Maceió, pelo circuito brasileiro de vôlei de praia, Larissa e Talita ficaram com o título no feminino, ao vencer por 21-18 21-16 Ágatha/Duda, repetindo a final da etapa do circuito mundial de Fort Lauderdale. No masculino, Álvaro Filho e Saymon seguem embalados. Eles ficaram com o título após vitória de 19-21 21-16 15-6 sobre Evandro/André, também repetindo a final de Fort Lauderdale.

Brasil domina Ibero-Americano

No evento-teste de atletismo no Engenhão, o Ibero-Americano foi dominado pelo Brasil, com 17 ouros em 44 provas. Algumas marcas boas, índices novos e a equipe olímpica brasileira cresceu mais, mas segue sem expectativa de grande resultado nos Jogos.

8583

Fabiana e Maila após os índices nos 100m com barreiras. Foto: Carol Coelho/CBAt

Entre os novos índices, a dobradinha nos 800m masculino com Lutimar Paes (1:45.42) e Kleberson Davide (1:45.79), correndo abaixo do 1:46 necessário. Outra dobradinha veio nos 100m com barreiras feminino, onde Fabiana Moraes venceu com 12.91 e Maila de Paula Machado foi prata com 12.99, ambas abaixo do índice de 13.00. O outro índice veio com Jailma Lima nos 400m, prova que venceu com 51.99. Nos 200m feminino, Kauiza Venancio também fez índice, com 23.18 e um bronze, mas é o 4º nome da prova.

Entre as boas marcas da equipe brasileira podemos ressaltar Geisa Arcanjo no arremesso de peso, prata com 17,92m, Caio Bonfim na marcha 20.000m com 1:26:40.7, Altobeli Silva com 8:33.72 nos 3.000m com obstáculos e Fabiana Murer com 4,60m no salto com vara.

8580

Kleberson e Lutimar após a prova dos 800m. Foto: Washington Alves/CBAt

Ainda seguem sem índice nomes fortes como Mauro Vinícius da Silva, apenas bronze no salto em distância com 7,71m. Mauro fez 8,14m esse ano no Rio em fevereiro, ficando a 1cm do índice. Ele é bicampeão mundial indoor da prova. Darlan Romani também segue sem índice no arremesso de peso. Ele venceu a prova no Ibero com 19,67m, longe do índice de 20,50m. Sua melhor marca do ano é 20,21m, de janeiro. Ronald Julião também segue longe do índice no disco. Ele venceu a prova com 59,56m e segue com dificuldades de atingir o índice de 65,00m.

O destaque negativo do evento foi por conta de Rosângela Santos. A velocista reclamou da pista e ainda foi mal educada com os jornalistas que cobriram o evento. Apesar disso, ela venceu os 100m com bons 11.24, mas isso não ajudou nada em sua imagem.

Agora os brasileiros seguem para campings na Europa e competições da Liga Diamante. O Troféu Brasil, no final de junho, vai fechar a equipe olímpica, que já tem cerca de 60 vagas e com quase nenhuma chance de medalha.

Resumo do fim de semana

Vela

© Sailing Energy / World Sailing - Sailing World Cup Miami 2016

A equipe olímpica brasileira volta da Copa do Mundo de Miami com 3 medalhas, sendo dois ouros e um bronze. Robert Scheidt começou mal a competição com um 12º, um 14º e um 15º, mas foi se recuperando, apenas com top5 nas 8 regatas seguintes para ficar com o ouro com 53 pontos perdidos, contra 54 do francês Jean Baptiste Bernaz.

Quem voltou com tudo foi Jorge Zarif. Nada como ter o seu técnico espanhol Rafael Trujillo de volta. O ex-campeão mundial fez uma grande competição para vencer na Finn com 38 pontos contra 45 de dinamarquês. Vale ressaltar que os principais nomes da classe não estiveram em Miami. Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan lideraram a classe 470 por boa parte, com uma grande disputa contra a dupla austríaca, campeã mundial este ano. Mas o último lugar na regata da medalha deixaram a dupla brasileira com o bronze.

Patrícia Freitas frequentou o top3 por boa parte da competição, mas caiu nas últimas regatas e terminou a RSX em 4º lugar. O mesmo aconteceu com Martine Grael e Kahena Kunze, que ficara em 5º na 49erFX. Ricardo Santos foi bem irregular e ficou em 8º na RSX masculina. A próxima etapa será em Hyeres, em abril.

Outros Esportes

– Nas Copas do Mundo de sabre, Renzo Agresta em Pádova e Marta Centurion em Atenas ficaram na mesma 64ª posição. Eles passaram à chave principal, mas perderam na estreia. Ambos pegaram os cabeças de chave 1 na estreia. Marta perdeu 15-7 pra Olha Kharlan e Renzo por 15-8 pro sul-coreano Gu Bongil.

– 3 brasileiros fora à Sófia, Bulgária, disputar o Aberto Europeu de judô. David Moura venceu suas 4 lutas e terminou com o ouro na categoria acima de 100kg. Luciano Correa chegou à final dos 100kg, perdendo por waza-ari para egípcio e ficando com a prata

– Em provas em São Bernardo, Darlan Romani começou bem a temporada com 20,21m no arremesso de peso. No mesmo meeting, Geisa Arcanjo fez 17,36m. Em prova indoor em São Caetano, Fabiana Murer fez 4,50m antes de viajar à Suécia para um camping internacional.

Hugo Calderano foi o único brasileiro no forte aberto de Berlim de tênis de mesa. Na quali, ele venceu na estreia 4-3 atleta de Singapura para perder na 2ª para russo por 4-1.

Atletismo segue com bons resultados

Fabiana Murer em NY. Foto: Victah Sailer

Fabiana Murer venceu a etapa de NY da Diamond League no sábado, com 4,80m. Ela travou um belo duelo com a grega Nikoleta Kiriakopoulou, que passou em 4,74m de primeira. Fabian errou e pediu pra ir pro 4,80m. Nesta altura, ambas passaram de primeira, até queimarem as 3 em 4,86m. Como nas alturas anteriores a grega cometeu mais erros, a vitória ficou com a brasileira, que ainda levou os 4 pontos e assumiu a liderança isolada da Corrida pelo Diamante. Ela e a grega estavam empatadas. Keila Costa ficou em 7º no salto em distância com 6,19m. Rosângela dos Santos ia disputar os 100m, mas não compareceu.

Com uma equipe mais B que A, o Brasil venceu o Campeonato Sul-Americano de atletismo em Lima, Peru. O destaque brasileiro foi Julio César de Oliveira, que venceu o dardo com 81,22m, batendo o recorde brasileiro da prova que era dele mesmo com 80,05m em 2009.

Geisa Arcanjo está voltando a velha forma e levou o arremesso de peso com 17,76m, conseguindo índice para o Mundial de Pequim por 1cm e ficando a 4cm do índice olímpico! Andressa de Morais levou o disco com bons 61,15m, Jucilene de Lima faturou o dardo com 60,16m e Geisa Coutinho venceu os 400m com 53.07. Completam os ouros brasileiros Ana Paula de Oliveira com 1,82m no salto em altura, o 4x400m feminino com 3:34.51, Wagner Domingos no martelo com 71,47m, Luiz Alberto de Araújo no decatlo com 7.799 pontos, Fernando Ferreira com 2,22m no salto em altura e João Vitor de Oliveira nos 110m com barreiras em 13.96.

Bicampeão mundial indoor, Mauro Vinícius da Silva decepcionou no salto em distância com 7,81m e ficando com o bronze.

Troféu Brasil de Atletismo – Último Dia

Que dia! Fechando com chave de ouro com mais 6 índices olímpicos! E tem muita gente boa que ainda não conseguiu.

Pista

Aldemir Junior. Foto: Carol Coelho/CBAt

As provas de 200m foram o destaque deste 4º e último dia. No masculino, Aldemir Gomes conseguiu o bi na prova e venceu com 20.44, seguido colado do Bruno Lins, com 20.46. Ambos fizeram abaixo do índice pro Rio-2016. No feminino, a situação foi semelhante. Ana Claúdia Lemos conseguiu seu segundo índice olímpico, com 23.08 na final dos 200m. A surpresa foi Vitória Cristina Rosa, segunda colocada com 23.11 e também índice! Espero mais de 3 atletas com índices nessas duas provas. Muito bom.

Uma super surpresa foi nos 400m com barreiras. Hederson Estefani, 2º nos 400m, venceu os 400m com barreiras com 49.40, fazendo exatamente o índice para o Rio-2016! Detalhe que essa não é a prova dele. aproveitou a ausência do Mahau no Troféu e ficou com a vitória com quase 1s de vantagem sobre o 2º colocado. Na prova feminina, vitória de Jailma Sales de Lima com 58.14, quase 2s do índice.

Thiago André após vencer os 1.500m. Foto: Carol Coelho/CBAt

Depois de conseguir o índice ontem de forma inesperada nos 110 com barreiras, Éder Souza ficou apenas em 2º na final da prova, com 13.82. Quem venceu foi João Vitor de Oliveira com 13.70. Nos 800m, mais um ouro pro jovem Thiago André, com 1:47.74.

Nos 5.000m masculino, título para Altobeli da Silva com 14:05.19 numa prova com apenas 6 inscritos. Flávia Maria de Lima também conquista seu segundo ouro, vencendo os 1.500m com 4:13.29. Nos revezamentos 4x400m, a BM&F venceu no masculino com 3:04.47 e no feminino com 3:37.29.

Campo

Fabiana Murer. Foto: Wagner Carmo/CBAt

Fabiana Murer é outra que já colocou seu nome na lista olímpica. Ela venceu com 4,65m, superando o índice de 4,50m em sua primeira competição ao ar livre na temporada. Keila Costa também faturou seu segundo ouro, vencendo o salto triplo com 14,03m.

Mauro Vinícius da Silva, o Duda, venceu o salto em distância com 8,03m, o único a passar dos 8m na prova. O índice olímpico é 8,15m. Geisa Arcanjo levou o arremesso de peso com 17,35m, ainda longe da sua boa forma. Encerrando as provas do Troféu, o dardo masculino, vencido mais uma vez pelo Julio Cesar de Oliveira, com 75,67, a mais de 7m do índice.

O título geral ficou mais uma vez com a equipe da BM&F Bovespa, com 567,5 pontos, muito a frente do Pinheiros, com 376,5. A equipe levou 20 ouros no total.

Foi um Troféu muito bom, com 12 índices olímpicos, 16 pro Mundial, um recorde sul-americano juvenil e apenas um recorde do campeonato. Resultados bem interessantes e até inesperados, como o índice dos 110m com barreiras, a excelente marca nos 800m feminino, a ótima prova da Andressa no disco e um torneio excelente da Rosangela. Bom ver novos nomes brilhando, como o Thiago André e o alto nível da equipe masculina de 400m. O próximo torneio da seleção será o Sul-Americano em Lima em junho.

Mundial de Atletismo – Dia 2

Bons resultados para o Brasil, título de Bolt e mais 5 finais.

100m masculino

20130812-213210.jpg

O já conhecido domínio jamaicano começou na semifinal, quando os 4 avançaram para a final, com Nickel Ashmeade o mais rápido com 9.90, seguido de Usain Bolt com 9.92. Alias, todos correram para abaixo de 10s, menos o francês Christophe Lemaitre, com exatos 10.00.
Na final, Bolt fez aquilo que está acostumado. Saiu atras do americano Justin Gatlin, campeão olímpico em 2004, mas se recuperou e abriu, vencendo com 9.77, seu melhor tempo do ano, debaixo de muita chuva. Gatlin em segundo com 9.85 e Nesta Carter bronze com 9.95.

Decatlo masculino

Belíssima prova de Carlos Chinin! Com 14.05 (968, recorde pessoal) nos 110m com barreiras, 45,84m (784) no disco, 5,10m 941, recorde pessoal) no salto com vara, 59,98m no dardo (738, outro recorde pessoal) e 4:36.01 (706) nos 1.500m ele somou 8.388 no total, ficando a apenas 5 pontos do seu recorde sul-americano e atingiu a excelente 6ª colocação! Ashton Eaton novamente deu show e venceu com 8.809 pontos, a 60 pontos do seu ouro olímpico e venceu pela 1ª vez o Mundial! Prata para palmeado Michael Schrader com 8.670, após 2 anos sofrendo com lesões, e o bronze para o canadense David Warner com 8.512.

Marcha 20km masculino

O estádio estava lotando ainda para a chegada da Marcha e para uma grande surpresa. O primeiro ouro russo veio com Aleksandr Ivanov, vicecampeão mundial juvenil ano passado da marcha 10.000m. Com 1:20:58, ele venceu o campeão olímpico da prova, o chinês Cheng Ding com 1:21:09. O bronze ficou com o espanhol Miguel Angel Lopez com 1:21:21.

Salto em distancia feminino

Depois de quase ficar fora da final, a campeã olímpica americana Brittney Reese venceu e se tornou a primeira tricampeã mundial da prova! Com 7,01m na 2ª tentativa, ela assegurou a medalha de ouro. Bronze em Pequim, a nigeriana Blessing Okagbare foi prata com 6,99m e a campeã mundial juvenil em 2008, a sérvia Ivana Spanovic, com novo recorde nacional de 6,82 pegou o bronze.

Arremesso de disco feminino

Após um ano perfeito, era mais que esperado que a croata Sandra Perkovic vencesse a prova. Ela já abriu a prova com 67,52m, melhorando para 67,99 na segunda e teve um 67,80 ainda na 4ª tentativa. As outras 3 foram faltas. A francesa Melina Robert-Michon venceu sua primeira medalha importante com a prata com 66,28, recorde francês. O bronze ficou para a cubana Yarelys Barrios com 64,96, sua quarta medalha seguida em Mundiais. A lituana Zinaida Sendriute, melhor marca na quali, foi apenas 9ª com 62,54.

10.000m feminino

Quando a etíope Tirunesh Dibaba está no start list numa prova importante, difícil alguém superá-la. Com 30:43.35, a bicampeã olímpica se tornou tricampeã mundial da prova (venceu em 2005 e 2007). A queniana campeã africana Gladys Cherono foi prata com 30:45.17 e a etíope Belaynesh Oljira de 23 anos completou o pódio com 30:46.98.

Provas da manhã

Geisa Arcanjo não repetiu sua boa performance de Londres e ficou apenas em 18ª na quali do arremesso de peso com 17,55m, mas a favorita neozelandesa Valerie Adams fez a melhor marca com 19,89, atingida logo no primeiro arremesso. O americano David Oliver fez o melhor tempo dos 110m com barreiras com 13.05. Nos 400m, Anderson Henriques fez seu melhor tempo da vida com 45.13, vencendo sua bateria.
Nas eliminatórias dos 1.500m feminino, a surpresa ficou por conta da eliminação de 2 etíopes incluindo Gelete Burka, campeã mundial indoor desta prova. Melhor tempo de outra etíope, Genzebe Dibaba com 4:06.78. Nas eliminatórias dos 100m feminino, ótimas provas das brasileiras Ana Cláudia Lemos, 2ª na sua bateria com 11.08, e Franciele Krasucki, 2ª na sua com 11.17.

Provas da tarde

Na quali do salto com vara feminino, Fabiana Murer passou em 4,55m na sua terceira tentativa e se garantiu na final. Quem passou nesta altura chegou na final. Diferente de Karla Rosa, que ficou no 4,30m, e da campeã mundial de 2009, a polonesa Anna Rogowska, que ficou sem marca.
Na semi dos 800m masculino, menor tempo do americano Duane Solomon com 1:43.87. Na semi dos 400m feminino, Amantle Montsho, de Botsuana, fez o melhor tempo com 49.56, seguida da britânica Christine Ohuruogu com 49.75.