Resumo olímpico da semana

Atletismo

fabianamoraesiberoamericanathleticschampionships3mfkovlkgcxl

Fabiana Moraes

Marca excepcional de Fabiana Moraes nos 100m com barreiras. A atleta do Pinheiros venceu a prova em meeting na cidade espanhola de Ávila com 12.84 (+0,8m/s), seu recorde pessoal. Além da marca pessoal, ela fez a 2ª melhor marca da história para uma atleta sul-americana, perdendo apenas para o recorde continental de Maurren Maggi, de 12.71 desde 2001! Fabiana também atingiu o índice pro Mundial de Londres.

Na etapa marroquina de Rabat da Diamond League, o finalista olímpico Altobeli da Silva foi oitavo nos 3.000m com obstáculos com bons 8:23.67, melhorando seu recorde pessoal em pouco mais de 2s. Outros 3 brasileiros competiram. Darlan Romani foi 6º no arremesso de peso com 21,08m, Núbia Soares fez apenas 13,69m no salto triplo e Thiago Bráz mais uma vez decepcionou, ficando sem marca no salto com vara. Queimou as três em 5,40m.

Em São Bernardo, Lucas da Silva Carvalho ratificou o índice pro Mundial nos 400m com 45.37, melhorando o tempo que tinha de 45.45. No lançamento de martelo, Allan Wolski melhorou seu recorde pessoal para bons 75,22m, 3ª melhor marca da história na América do Sul, mas ainda abaixo do índice pro Mundial, que é de 76m.

Skate

Captura de Tela 2017-07-18 às 23.38.24

Letícia Bufoni

No X-Games em Minneapolis, Kelvin Hoefler deu show na prova de street, que será olímpica em Tóquio. Ele fez uma prova quase perfeita na 2ª passagem tirando espetaculares 92,33 para levar o ouro a frente dos americanos Alec Majerus (88,66) e Nyjah Huston (88,00). Após a sua excelente passagem, Kelvin rasgou no meio a camiseta para comemorar.

Na prova feminina, Leticia Bufoni ficou com o bronze com 82,00, atrás da japonesa de 15 anos Aori Nishimura (87,66) e da americana Samarria Brevard (84,66).

Outros Esportes:

Ygor Coelho chegou às 4as do GP do Canadá de badminton em Calgary. Ele venceu 3 partidas até perder de 21-9 21-9 para o sul-coreano Lee Hyun-il, cabeça 1 do torneio.

Gideoni Monteiro ficou em 5º em prova de Omnium na Itália com 104 pontos. A vitória foi do italiano campeão olímpico Elia Viviani.

Alexandre Rocha foi 29º em competição de golfe em Utah, válida pelo web.com Tour. Ele somou 269 tacadas, 6 a mais que o campeão, mas não pontuou pro ranking mundial.

– Em sua primeira prova desde setembro, Pamella Oliveira foi 23ª na etapa de Hamburgo da Série Mundial de triatlo, no formato sprint, com 1:01:23 em prova vencida por Flora Duffy, de Bermudas, com 59:00. Vittoria Lopes foi 33ª e Beatriz Neres 42ª. No masculino, Danilo Pimentel foi 45º e Manoel Messia não terminou.

Anúncios

Brasil domina Ibero-Americano

No evento-teste de atletismo no Engenhão, o Ibero-Americano foi dominado pelo Brasil, com 17 ouros em 44 provas. Algumas marcas boas, índices novos e a equipe olímpica brasileira cresceu mais, mas segue sem expectativa de grande resultado nos Jogos.

8583

Fabiana e Maila após os índices nos 100m com barreiras. Foto: Carol Coelho/CBAt

Entre os novos índices, a dobradinha nos 800m masculino com Lutimar Paes (1:45.42) e Kleberson Davide (1:45.79), correndo abaixo do 1:46 necessário. Outra dobradinha veio nos 100m com barreiras feminino, onde Fabiana Moraes venceu com 12.91 e Maila de Paula Machado foi prata com 12.99, ambas abaixo do índice de 13.00. O outro índice veio com Jailma Lima nos 400m, prova que venceu com 51.99. Nos 200m feminino, Kauiza Venancio também fez índice, com 23.18 e um bronze, mas é o 4º nome da prova.

Entre as boas marcas da equipe brasileira podemos ressaltar Geisa Arcanjo no arremesso de peso, prata com 17,92m, Caio Bonfim na marcha 20.000m com 1:26:40.7, Altobeli Silva com 8:33.72 nos 3.000m com obstáculos e Fabiana Murer com 4,60m no salto com vara.

8580

Kleberson e Lutimar após a prova dos 800m. Foto: Washington Alves/CBAt

Ainda seguem sem índice nomes fortes como Mauro Vinícius da Silva, apenas bronze no salto em distância com 7,71m. Mauro fez 8,14m esse ano no Rio em fevereiro, ficando a 1cm do índice. Ele é bicampeão mundial indoor da prova. Darlan Romani também segue sem índice no arremesso de peso. Ele venceu a prova no Ibero com 19,67m, longe do índice de 20,50m. Sua melhor marca do ano é 20,21m, de janeiro. Ronald Julião também segue longe do índice no disco. Ele venceu a prova com 59,56m e segue com dificuldades de atingir o índice de 65,00m.

O destaque negativo do evento foi por conta de Rosângela Santos. A velocista reclamou da pista e ainda foi mal educada com os jornalistas que cobriram o evento. Apesar disso, ela venceu os 100m com bons 11.24, mas isso não ajudou nada em sua imagem.

Agora os brasileiros seguem para campings na Europa e competições da Liga Diamante. O Troféu Brasil, no final de junho, vai fechar a equipe olímpica, que já tem cerca de 60 vagas e com quase nenhuma chance de medalha.

Temporada indoor segue animada

Dois recordes mundiais agitaram o meeting indoor em Estocolmo nesta quarta-feira.

Genzebe Dibaba em Estocolmo. Foto: Hasse Sjogren

Campeão mundial indoor nos 1.500m em 2014, Ayanleh Souleiman, do Djibouti, sobrou na pouco usual prova de 1.000m e venceu com 2:14.20 para conquistar o recorde. Já na prova de milha feminina, a grande Genzebe Dibaba estabeleceu a nova marca com 4:13.31. Favorita em duas provas no Rio-2016 (1.500m e 5.000m), Dibaba venceu a mais curta no Mundial ano passado e foi bronze na mais longa. Os dois chegarão como grandes favoritos ao Mundial Indoor, em março nos EUA e podemos ver mais recordes mundiais.

Na mesma competição, Fabiana Murer foi prata no salto com vara com 4,71m, perdendo para a grega Nikoleta Kyriakopoulou, que fez 4,81m.

Recordes Sul-Americanos

No último fim de semana, dois recordes sul-americanos para brasileiros no meeting de Berlim. Thiago Braz fez um salto espetacular e atingiu 5,93m no salto com vara, melhorando o recorde continental indoor em 17cm! Em competições outdoor, Thiago tem 5,92m. O outro recorde veio com Rosângela Santos na prova de 60m. Com o tempo de 7.17, terminou em 4º lugar e abaixou a marca anterior de 7.19.

Em competições indoor no Brasil, alguns bons resultados. Em São Caetano no sábado, Fabiana Moraes obtendo o índice pro Mundial nos 60m com barreiras. Com o tempo de 8.08, ela abaixo o recorde brasileiro da prova. Em São Bernardo no domingo, Eliane Martins fez 6,61m no salto em distância e pôs seu nome na equipe olímpica! Interessante que ela não fez índice pro Mundial indoor, que é de 6,65m.

Até o momento, apenas 8 atletas brasileiros conseguiram índice para o Mundial de Portland. No masculino João Vitor de Oliveira (60m com barreiras), Thiago Braz (vara), Augusto de Oliveira (vara) e Darlan Romani (peso). No feminino temos Ana Cláudia Lemos (60m), Rosângela Santos (60m), Fabiana Moraes (60m com barreiras) e Fabiana Murer (vara).