Mundial de Esgrima – Parte 2

O Mundial em Wuxi, China, fechou nesta sexta-feira com as últimas provas por equipe.

Dia 4

A equipe americana conseguiu aproveitar e levou o ouro pela 1ª vez na história na espada por equipe feminina. Com Katharine Holmes e as irmãs Courtney, bronze no individual, e Kelley Hurley, elas obtiveram uma ótima vitória de 24-23 sobre a forte Estônia, que defendia o título, nas 4as, 27-25 na Rússia na semifinal e um estudado 18-17 sobre a Coreia do Sul na decisão. Na disputa do bronze, a China fez 45-42 nas russas.

Captura de Tela 2018-07-28 às 16.05.54

Coreia do Sul vence o sabre por equipes masculino. Foto: FIE

No sabre masculino, a Coreia do Sul confirmou o favoritismo e levou o bicampeonato, com 45-39 na sempre forte Itália. A Coreia foi pro último combate com uma mega vantagem de 40-26. Luca Curatoli tentou tirar, fazendo 13-5 em Oh Sanguk, mas não foi o suficiente. O bronze foi pra Hungria, que derrotou a enorme zebra Geórgia. Os georgianos surpreenderam ao derrotar e grande equipe americana nas 8as por 45-38 e o forte Irã nas 4as por 45-37.

Dia 5

Captura de Tela 2018-07-28 às 16.07.46

Nicole Ross x Arianna Errigo na final do florete feminino. Foto: FIE

Mais uma medalha inédita pros Estados Unidos, que venceram o florete feminino por equipes. Até este ano, as americanas só haviam levado o sabre por equipes no feminino e uma vez venceram a espada masculina em Mundiais. As americanas surpreenderam a maior potência do florete mundial na decisão, a Itália, que chegou a abrir 15-12, mas viu Nzingha Prescod fazer 8-1 em Camilla Mancini, virar a final e não sair mais da frente. Na disputa do bronze, a França fez 35-26 na Coreia do Sul. Vale lembrar que a Itália venceu 6 dos últimos 9 mundiais nesta prova.

Na espada masculina, a surpresa veio com o título da Suíça, o 1º da história pro país em uma prova por equipes. Eles derrotaram a Itália nas 4as por 36-35, a potência França na semifinal por 45-38 e na decisão 36-31 a Coreia do Sul. A vitória suíça veio no 8º combate, com Max Heinzer pegando perdendo por 31-30 e entregando na frente com 40-33. A Rússia derrotou a França 45-35 pra ficar com o bronze.

Dia 6

Mesmo colocando 3 atletas no pódio da prova individual, a Rússia perdeu a final do sabre feminino por 45-35 pra França, que vence a prova pela 1ª vez desde 2007. A Coreia do Sul derrotou a Itália 45-40 e ficou com o bronze, 4ª medalha sul-coreana em 6 provas por equipes!

Captura de Tela 2018-07-28 às 16.10.08

França x Rússia na decisão do sabre feminino por equipes. Foto: FIE

Para fechar o Mundial, a Itália assegurou o seu 4º ouro com 45-34 sobre a fortíssima equipe americana na final do florete masculino, vencendo pela 3ª vez seguida o título mundial. Interessante que mesmo dominando, a Itália ficou de fora do pódio no Rio-2016. A Rússia venceu a Coreia do Sul (quase a 5ª medalha) por 45-35 pra ser bronze.

O Brasil só disputou as provas de florete. No feminino, o Egito deu WO e as brasileiras foram para as 8as, onde apanharam de 45-12 da Itália. Nos combates classificatórios perderam 45-40 pra China, venceram Singapura novamente por WO e perderam 45-28 pra Ucrânia, terminando na 14ª posição. No florete masculino, o Brasil fez um disputadíssimo duelo contra a Hungria, perdendo de 45-43, não avançando para as 8as. Essa é nossa melhor equipe e ela perdeu pontos importantíssimos para começar a busca por uma vaga olímpica. EUA deve levar uma vaga por ser top-4 do mundo e o Brasil precisa ficar entre os 16 para levar como melhor das Américas. Assim complicou um pouco.

Vale ressaltar que nas chaves principais o Brasil não venceu nenhum combate. No individual colocou 4 atletas entre os 64, mas todos perderam na 1ª rodada e nas equipes, as duas vitórias foram por WO. Em 2017 a situação tinha sido bem parecida, mas pelo menos a Nathalie Moellhausen havia vencido um combate.

O próximo Mundial será em 2019 em Budapeste.

Anúncios

Mundial de Esgrima – Parte 1

A Itália foi o destaque na 1ª metade do Mundial de Esgrima, na cidade chinesa de Wuxi, vencendo 3 ouros e mantendo seu domínio no florete.

Dia 1

Captura de Tela 2018-07-24 às 22.39.03

Pódio da espada feminina. Foto: FIE

No 1º dia de finais, a italiana Mara Navarria derrotou a veterana romena Ana Maria Branza por 13-9 para ficar com o ouro na espada feminina, sua 1ª medalha individual importante. Na semi, Navarria venceu 15-8 a suíça Laura Satehli e Branza passou com 14-13 pela americana Courtney Hurley, que foi ouro no Pan do Rio-2007. Navarria chegou como favorita e líder do ranking, confirmando o favoritismo. A ucraniana Olena Kryvytska, número 2, perdeu nas 4as para Branza. Campeã no Rio-2016, a húngara Emese Szász parou nas 4as para Staehli e a italiana bicampeã mundial Rossella Fiamingo caiu na 2ª rodada, também pra Branza.

No sabre masculino, o título ficou com o sul-coreano Kim Jung-hwan, bronze no Rio. Ele derrotou na final o talentoso americano Eli Dershwitz por 15-11. Nas semis, Kim passou com 15-13 pelo russo Kamil Ibragimov e Dershwitz com 15-14 pelo sul-coreano Kim Jun-ho. O outro coreano, líder do ranking, Gu Bon-gil perdeu para Kim nas 4as por 15-10. Os húngaros András Szatmári e Áron Szilagyi também pararam nas 4as. Szatmari defendia o título e perdeu 15-9 para Ibragimov, enquanto Szilagyi, ouro no Rio, perdeu 15-11 para Dershwitz.

Dia 2

O 2º ouro italiano veio no florete feminino com Alice Volpi. As italianas dominam essa prova e voltaram ao topo do Mundial, o que não acontecia desde 2014. Número 2 do ranking, Volpi venceu 15-12 a francesa Ysaora Thibus na decisão. Ficaram com os bronzes a italiana Arianna Errigo e a tunisiana Ines Boubakri, bronze no Rio. Bicampeã mundial, ouro nos Jogos do Rio e número 1 do mundo, a russa Inna Deriglazova foi surpreendida por Thibus nas 4as por 15-14. Desde 1991, foram 21 mundiais e as italianas venceram 14 títulos.

Captura de Tela 2018-07-24 às 22.37.45

Pódio da espada masculina. Foto: FIE

Na espada masculina, o ouro ficou com o francês Yannick Borel, que passou com fáceis 15-4 sobre o campeão olímpico de Londres, o venezuelano Ruben Limardo. Nas semifinais, os dois passaram por ucranianos. Os bronzes ficaram com Bohdan Nikishyn, número 1 do mundo, e Roman Svichkar. Campeão do Rio, o sul-coreano Park Sang-young caiu nas 4as 13-10 para Limardo e o campeão mundial de 2017, o italiano Paolo Pizzo, perdeu na 2ª rodada 15-14 para Svichkar.

Dia 3

Captura de Tela 2018-07-24 às 22.49.56

Pódio do sabre feminino. Foto: FIE

As russas sobraram no sabre feminino, com 3 chegando às semifinais. O título ficou com Sofia Pozdniakova ao derrotar 15-13 Sofya Velikaya, prata no Rio-2016. Velikaya venceu na semi 15-14 Yana Egorian, na reedição da final olímpica de 2016, quando Egorian venceu. Velikaya passou na semi pela americana Anne-Elizabeth Stone por 15-6. As semifinais só não foram totalmente russas pois Stone tirou Svetlana Sheveleva nas 8as. Número 1 do mundo e tricampeã mundial, Olha Kharlan caiu ainda na 2ª rodada 15-13 para a chinesa Shao Yaqi.

Fechando as provas individuais, veio o 3º ouro italiano, com Alessio Foconi no florete masculino. Ele venceu na final por 15-8 o britânico Richard Kruse, que chegou a estar na frente por 8-6 e não conseguiu encerrar o jejum britânico de ouro em mundiais de 59 anos. O último foi Allan Jay no florete masculino em 1959. Foconi derrotou na semifinal o sul-coreano Heo Jun por 15-12 e Kruse eliminou o espanhol Carlos Llavador por 15-11. Surpresa foi a derrota na 1ª rodada do americano Alexander Massialas, 3º do mundo e vice-olímpico no Rio.

Brasil

O Brasil colocou 4 atletas nas chaves principais, mas todos perderam na 1ª rodada. Na nossa melhor arma, o florete masculino, Julien Baneux, nascido na Bélgica e que mora nos EUA, fez uma excelente fase de poules, passando em 10º, mas caiu na estreia por 15-13 para o ucraniano Andrii Pogrebniak. Guilherme Toldo também chegou na chave principal, mas caiu 15-6 para o francês Enzo Lefort.

Na espada feminina, Nathalie Moellhausen perdeu para a russa Violetta Kolobova por 15-11 e Gabriela Cecchini, no florete feminino, perdeu 15-14 para a polonesa Martyna Jelinska. No último Mundial, foram 3 brasileiros na chave principal: Fabrizio Lazaroto na espada (1ª rodada), Nathalie Moellhausen na espada (2ª rodada) e Guilherme Toldo no florete (1ª rodada).

Resumo olímpico da semana

Vôlei de Praia

Captura de Tela 2018-01-10 às 00.54.37

Foto: FIVB

Mal começou o ano e já teve uma etapa 4 estrelas do circuito mundial em Haia, na Holanda. Com 6 duplas (4 femininas e 2 masculinas), o Brasil levou apenas uma medalha. Maria Elisa e Carol chegaram na decisão após 5 vitórias e sem perder um único set, mas na final foram superadas pelas americanas Alix Klineman e April Ross por 21-12 21-15. Klineman jogava até o ano passado no Praia Clube e este foi o seu 1º torneio do circuito mundial da carreira! Ela se torna a 3ª mulher na história a vencer uma etapa em sua estreia internacional. Também foi a 3ª vez na história no feminino que uma dupla venceu vindo do country-quota, um pré-qualifying. E pela 1ª vez na história a final foi disputada entre duas duplas vindas do qualificatório!

Bárbara /Fernanda perderam nas 4as para as campeãs, Ágatha e Duda caíram nas 8as para dupla suíça e Elize Maia/Taiana perderam nas 16as para russas. No masculino, Pedro Solberg/George e Guto/Vítor caíram nas 8as. A vitória da etapa ficou com letões Martins Plavins/Edgars Tocs.

Tênis

Bruno Soares e o britânico Jamie Murray ficaram com o vice do torneio ATP250 de Doha, perdendo na decisão para o austríaco Oliver Marach e pro croata Mate Pavic por 62 76(6). Esta foi a 52ª final no circuito do Bruno na carreira e a 12ª da dupla Soares/Murray. O brasileiro esta com 26 títulos e 26 vices e a dupla tem 6 títulos e 6 vices. Desde que formaram a parceria em 2016, ela sempre chegaram a uma final nos torneios preparatórios pro Australian Open.

No ATP250 de Brisbane, na Austrália, Marcelo Demoliner e o neozelandês Michael Venus perderam nas 4as para os argentinos Leonardo Mayer e Horacio Zabellos. No ATP250 de Puna, na Índia, Thiago Monteiro passou pelo qualificatório, venceu na estreia e abandonou nas 8as para o sul-africano Kevin Anderson quando perdia de 76(4) 32 com dores no tornozelo esquerdo. E no WTA de Auckland, Bia Haddad Maia caiu na estreia por 62 46 62 para a polonesa Agnieszka Radwanska.

Rugby

bra_x_uru_7_punta_2_large

Foto: CBR

A seleção masculina de sevens disputou a 1ª etapa do campeonato sul-americano em Punta del Este e terminou na 6ª posição. A competição contou com 6 equipes convidadas (EUA, Canadá, África do Sul, Irlanda, França e Alemanha). Na 1ª fase, o Brasil perdeu de 26-20 pra França, depois venceu 17-12 o Uruguai e 29-5 a equipe americana. Mas nas 4as enfrentou novamente a França e perdeu por 28-12. Depois venceu 17-12 a Irlanda e perdeu 24-12 pra Alemanha na disputa do 5º lugar. O título ficou com a equipe sul-africana ao vencer por 21-5 o Chile.

A 2ª etapa será nesta semana em Viña del Mar e serve como qualificatório pra Copa do Mundo de Sevens. São apenas 2 vagas pra América do Sul restantes e, no momento o Brasil está na 3ª posição entre os não classificados.

Outros Esportes

Mariana Pistoia ficou em 35º lugar na etapa de Udine (ITA) da Copa do Mundo juvenil de florete feminino, perdendo na estreia da chave final para húngara por 15-11. Na espada masculina também em Udine, Gabriel Bonamigo foi o melhor brasileiro terminando em 25º. Ele venceu bielorrusso na 1ª rodada por 15-11 e perdeu na 2ª rodada de 15-5 para francês. Fabrizio Lazaroto também chegou na chave final, perdeu na estreia para italiano e acabou em 58º.

Mundial de Esgrima – Final

No último dia, 4º ouro da Itália e medalha inédita pra Estônia.

Florete por equipe masculino

Captura de Tela 2017-07-26 às 23.40.28

A ótima equipe italiana venceu mais uma vez o título no florete, o 3º título em 4 Mundiais (embora tenha ficado fora do pódio no Rio-2016). Na decisão, um duelo bem apertado contra a equipe americana por 45-41. Os americanos chegaram a abrir 7 pontos, mas Giorgio Avola ajudou a virar e dar a vitória pros italianos. O bronze ficou com a França, com 45-37 na Rússia. Com apenas Gulherme Toldo na equipe remanescente dos Jogos do Rio, o Brasil perdeu na estreia para a inexpressiva equipe do Chile por 45-37 e terminou na 17ª posição.

Espada por equipe feminina

Captura de Tela 2017-07-26 às 23.41.38

A final foi entre as duas equipes favoritas: China e Estônia. A Estônia sofreu nas 4as, mas venceu a Alemanha pelo baixíssimo e inusitado placar de 12-11! 6 dos 9 combates foram 0-0! Nas semifinais, Estônia 37-27 Polônia e China 40-32 na Coreia do Sul. Na grande decisão, a Estônia, contando com a bicampeã mundial Julia Beljajeva derrotou a China por 45-33, para vencer o 1º ouro por equipes da história do país. A Polônia ficou com o bronze com 33-28 sobre a Coreia do Sul.

A Itália sai de Leipzig com 4 ouros e 9 medalhas no total, vencendo a espada masculina com Paolo Pizzo e 3 provas por equipes: florete masculino e feminino e sabre feminino. Já a Rússia levou 3 ouros, todos em provas individuais, os dois floretes e a espada feminina. Depois de fracassar nas provas individuais, os EUA se recuperaram, chegando a 2 finais por equipes. Já o Brasil pegou apenas 3 chaves finais e Nathalie Moellhausen foi a única a vencer um combate, terminando na melhor colocação, em 18º.

O próximo Mundial será em 2018 na cidade chinesa de Wuxi.

Mundial de Esgrima – Dia 7

Favoritas caem no sabre feminino e a França leva na espada masculina.

Espada por equipes masculina

Captura de Tela 2017-07-25 às 23.40.41

A França dominou por anos esta prova entre 2005 e 2011, vencendo 6 mundiais seguidos e os Jogos de Pequim. Depois venceu em 2014 e voltou a dominar com o ouro no Rio-2016 e agora mais um título mundial. Equipe cabeça 1, a França venceu 45-26 Taiwan, depois 45-26 a Alemanha, 45-23 o Egito e teve um duelo duríssimo com a Rússia na semifinal, que venceu por 45-43 graças a virada de Yannick Borel no 8º combate. Do outro lado, a Suíça surpreendeu eliminando a Itália nas 4as por um tenso 22-20 (estava 12-9 pra Suíça após 8 dos 9 combates!) e a Hungria na semifinal por 37-32. Na decisão, mais um combate tenso, novamente com um show de Borel. Ele recebeu perdendo de 32-25 no último combate e fez 20-11 em apenas 3min para dar o ouro com 45-43! Na disputa do bronze, Hungria 45-38 na Hungria. O Brasil perdeu na estreia de 45-38 para a Alemanha e não contou com Fabrizio Lazaroto, único brasileiro a chegar na chave final.

Sabre por equipes feminina

 

Captura de Tela 2017-07-25 às 23.38.23

Principais forças recentes na prova, Estados Unidos e Rússia caíram nas 4as. As americanas perderam de 45-41 pra Coreia do Sul e a Rússia, mesmo com a campeã olímpica e mundial Yana Egorian, perdeu de 45-43 pro Japão. No duelo asiático, a Coreia fez 45-32 no Japão e chegou na final. A única vez que uma equipe asiática subiu ao pódio de um Mundial foi a China em 2003. Na outra semi, a Itália venceu a forte equipe francesa por 45-42. Na final, a Itália fez 45-27 na Coreia do Sul e ficou com o ouro pela 1ª vez desde 2003. Com 45-39, a França venceu o Japão pra ficar com o bronze.

Mundial de Esgrima – Dia 6

Início de disputas em equipe e finalmente os Estados Unidos saem do zero.

Florete por equipes feminino

89250-womens20now

Maior campeã dos últimos tempos no florete, a equipe italiana não deu moleza e precisou de apenas 3 vitórias pra levar o ouro, o 5º seguido nesta prova em Mundiais e 7º nos últimos 8 mundiais. A Itália venceu 45-25 o Japão, depois 45-34 na Alemanha e derrotou na decisão as americanas por 45-25. Aliás, depois do fracasso nas provas individuais, finalmente veio a 1ª medalha americana em Leipzig. Pelo bronze, a Rússia, contando com a campeã olímpica e mundial Inna Deriglazova, derrotou a Alemanha por 45-29.

Sabre por equipes masculino

89251-mens20now

A Coreia do Sul se tornou o 1º país não-europeu a vencer o Mundial no sabre por equipes masculino, depois de eliminar China (45-20), Romênia (45-32), fazer um duelo duríssimo contra os Estados Unidos (45-44) na semi e derrotar a forte Hungria na decisão por 45-22, que contava com o campeão mundial 3 dias antes András Szatmari. Na semi, os húngaros também precisaram do ponto de ouro para vencer a Itália por 45-44. Pelo bronze, os italianos passaram pelos EUA por 45-40 para subir no pódio.

Mundial de Esgrima – Dia 5

Dois ouros russos inesperados em Leipzig.

Florete masculino

dfcmt9yxoamyb33

Dmitry Zherebchenko (RUS)

Os americanos vinham fazendo um mundial para esquecer na Alemanha e esta prova seria a melhor chance de medalhar no individual. Mas a sina seguiu. Os quatro americanos estavam entre os 16 melhores e dois até chegaram às 4as de final, mas foram derrotados. O número 2 do mundo Alexander Massialas perdeu pro russo Dmitry Zherebchenko por 15-8 e Race Imboden de 15-14 para o italiano campeão olímpico Daniele Garozzo. Nas semifinais, Garozzo perdeu de 15-12 para a surpresa japonesa Toshuya Saito e Zherebchenko venceu outro japonês, Takahiro Shikine, também por 15-12. Na decisão, o russo repetiu o 15-12 para levar o ouro e sua 1ª medalha individual em uma competição importante. Depois de fazer uma fase de poules brilhante, Guilherme Toldo perdeu ainda na estreia para Cheung Siu Lun, de Hong Kong, por 15-14, terminando em 35º.

Espada feminina

gudkova

Tatyana Gudkova (RUS)

As grandes favoritas foram ficando pelo caminho. A húngara Emese Szasz, campeã olímpica no Rio, perdeu nas 8as para a alemã Alexandra Ndolo por 15-14 e número 1 do mundo, a chinesa Sun Yiwen, também caiu nas 8as, mas para a ucraniana Olena Kryvytska, por 15-13. Prata no Rio, a italiana Rossella Fiamingo foi outra a cair nas 8as, por 13-12 para a polonesa Ewa Nelip. Nelipe, aliás, chegaria na final ao vencer na semi Kryvytska por 15-10. Do outro lado da chave, a russa Tatyana Gudkova, 48ª do mundo, venceu a estoniana Julia Beljajeva por 13-12 na semi e, na final, derrotou Nelip por 11-9 para levar o ouro. Cabeça 10, Nathalie Moellhausen vebceu na estreia por 6-5 a venezuelana María Martinez, mas caiu na 2ª rodada por 7-3 pra chinesa Xu Chengzi, terminando na 18ª posição.

Com 3 ouros em provas individuais em 6 provas, a Rússia agora volta as atenções para as provas em equipe, que começam nesta segunda-feira. Com 5 medalhas (1-1-3), a Itália vem logo atrás. Grande decepção foi os Estados Unidos, que não deixava de vencer pelo menos uma medalha em provas individuais desde 2007!