Resumo do fim de semana

Canoagem

Ana Sátila. Foto: CBCa

O complexo de Deodoro foi palco da 1ª competição após os Jogos Olímpicos de Canoagem Slalom, com os Campeonatos Pan e Sul-Americanos. Sem a participação de EUA e do Canadá, o Brasil dominou a competição, vencendo 11 das 12 categorias em disputa.

Mesmo perdendo uma porta na final do C1, Ana Sátila venceu a prova e levou o 2º ouro no K1, como única a zerar a pista, vencendo com mais de 20s de vantagem. No K1, Pedro da Silva, 6º nos Jogos Olímpicos, ficou com o ouro e Anderson Oliveira/Charles Correa faturaram o C2. A única prova não conquistada por um brasileiro foi no C1, onde o argentino Sebastian Rossi venceu Charles Correa por apenas 0.16. O brasil ainda venceu todas as 5 provas juvenis e as 2 adultas que valiam apenas como Sul-americano.

Maratona Aquática

Poliana Okimoto foi bronze na última etapa do Circuito de 10km da FINA em Hong Kong. A brasileira completou os 10km em 2:17:28.2, mesmo tempo da italiana Arianna Bridi, 2ª colocada. A vitória ficou com a vice-campeã olímpica, a italiana Rachele Bruni, com 2:17:12.7. Simone Ruffini conquistou a prova masculina com 2:10:15.8.

Com o bronze, Poliana Okimoto termina em 2º lugar no geral na Copa do Mundo com 74 pontos, ficando atrás de Bruni, com 86. Poliana foi campeã do circuito mundial em 2009 e 3ª colocada em 2007. O Brasil tem outros 4 títulos gerais, sendo 3 de Ana Marcella Cunha (2010, 2012 e 2014) e um de Allan do Carmo (2014).

Atletismo

No brasileiro Sub-18 de atletismo, em São Bernardo, bons resultados da equipe de menores. O grande destaque foi sem dúvida a performance de Caio Henrique da Silva no decatlo. Com ótimos 7.396 pontos após as 10 provas, ele bateu o recorde sul-americano da categoria e ainda por cima estabeleceu a melhor marca de 2016 no mundo para a prova, superando em 14 pontos a marca do alemão Manuel Wagner.

Naiuri Krein

Foram mais dois recorde brasileiros da categoria: Naiuri Krein venceu o heptatlo com 5.052 pontos e Alencar Pereira levou o martelo masculino com 73,93m.

Outros Esportes

– Brasileiros venceram 7 medalhas no Aberto de Glasgow de judô, na Escócia. Phelipe Pelim (60kg) e Eduardo Barbosa (73kg) ficaram com o ouro. Já Raquel Silva (52kg) e Camila Nogueira (+78kg) perderam na final e ficaram com a prata. Os 3 bronzes foram para Gabriel Pinheiro (66kg), Eduardo Santos (81kg) e Nadia Merli (70kg).

Bruno Soares perdeu a chance de se tornar número 1 do mundo ao perder nas 4as do Masters 1.000 de Xangai. Ele e Jamie Murray foram derrotados por 63 76(4) para o finlandês Jenri Kontinen e para o australiano John Peers. O brasileiro segue com chances neste semana.

– Ygor Coelho fez ótima campanha no Aberto da Holanda de badminton, vencendo 3 jogos até perder nas 4as de final para o indiano Ajay Jayaram por 21-15 21-18.

– No Troféu Júlio de Lamare, que equivale ao brasileiro juvenil de natação, Guilherme Costa deu show nos 1.500m livre Juvenil 2, vencendo com 15:14.04, o 3º melhor tempo da história de um brasileiro na prova.

– Gabriela Yumi foi o grande destaque do Brasileiro de Ciclismo de Pista, em Maringá. Ela venceu 4 provas: Sprint individual, Sprint por equipes, 500m contra relógio e Keirin.

– Na etapa de Brasília do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, Álvaro Filho/Saymon e Larissa/Talita ficaram com os títulos.

– Adilson da Silva foi 25º em prova em Macau do Tour Asiático de golfe, uma posição abaixo do necessário para ganhar pontos no ranking mundial.

– Guilherme Toldo venceu o Brasileiro de Esgrima disputado no Rio no florete. William Zaytounlian no sabre e Athos Schwantes na espada ficaram com os títulos masculinos. No feminino, vitórias de Karina Lakerbai no sabre, Rayssa Costa na espada e Ana Bulcão no florete.

– No mundial de Basquete 3×3, na China, a Sérvia venceu a competição masculina com 21-16 nos EUA na final. No feminino, ouro para a República Checa, que venceu 21-11 a Ucrânia. O Brasil não disputou o Mundial.

Anúncios

Resumo do fim de semana

Vôlei de Praia

Captura de Tela 2016-06-13 às 23.12.27

Larissa e Talita na disputa do bronze. Foto: FIVB

No Major de Hamburgo, na Alemanha, as duplas olímpicas femininas do Brasil subiram no pódio. As campeãs mundiais Ágatha e Bárbara perderam na final para as alemãs Ludwig/Walkenhorst por 21-19 19-21 15-12 e ficaram com a prata. Na disputa do bronze, Larissa e Talita obtiveram uma bela vitória sobre as americanas Ross/Walsh, por 21-15 21-17. As brasileiras se enfrentaram na semifinal.

Na disputa masculina, Alison e Bruno Schmidt, que vinham de uma sequencia excelente de vitórias até o torneio anterior, chegaram na semifinal, mas perderam para os americanos Lucena/Dalhausser por 21-16 21-15 e na disputa do bronze perderam novamente de virada 15-21 22-20 15-10 para os russo Semenov/Krasilnikov. A outra dupla olímpica brasileira, Pedro Solberg/Evandro parou nas 8as de final.

Canoagem Slalom

Na 2ª etapa da Copa do Mundo de slalom, em La Seu d’Urgell, na Espanha, mais um ótimo resultado de Ana Sátila. Na primeira descida da qualificação, ela fez o 2º melhor tempo e se garantiu na semifinal. Na semi, foi a 9º e se garantiu na final pela 2ª etapa seguida. Na final, zerou a descida em 105.91, terminando na 7ª posição. A vitória foi pra espanhola Maialen Chourraut com 99.61.

No C2, Charles Correa e Anderson Oliveira garantiram vaga na semifinal pela 2ª etapa seguida, mas diferente da anterior, não se classificaram para a final, terminando em 15º na semi.

No K1, Ricardo Taques foi o único a avançar de fase, ficando em 36º na semi, mas a festa foi de Pedro da Silva que se garantiu matematicamente no Rio-2016! A vaga do C1 está quase definida. Basta Felipe Borges participar da 3ª etapa que a vaga será dele.

Atletismo

8650

Wagner Domingos. Divulgação

O lançador de martelo Wagner Domingo bateu pela 3ª vez no ano o recorde brasileiro da prova, com 75,62m, em Varazdin, na Croácia. Mas ele segue ainda sem índice olímpico, que é 77m. Mas o fim de semana viu dois novos índices olímpicos: Márcio Teles nos 400m com barreiras, com 49.09, em prova em Genebra, e Tatiele de Carvalho nos 10.000m com 32:09.14, em Portland. É o 4º melhor tempo da história de uma sul-americana!

Outros Esportes

– Na 1ª rodada do Grand Prix de vôlei feminino, o Brasil começou com 3 vitórias. Jogando no Rio, venceu 3-1 a Itália, 3-0 o Japão e 3-0 a Sérvia. Está em 2º na classificação geral, atrás da China que tem vantagem na razão de pontos.

Lucas Lee disputou o FedEx St. Jude Classic, no Tennessee, do PGA Tour. Lucas passou do corte e terminou em 58º com 284 tacadas.É a 2ª vez no ano que ele passa pelo corte numa etapa do PGA.

– Brasileiros conquistaram 4 pratas e 5 bronzes em Barcelona, no Mare Nostrum de natação. As pratas foram de Felipe França (100m peito com 59.63 e 50m peito com 26.43), Henrique Martins (50m borboleta com 23.56) e Guilherme Guido (100m costas com 54.52).

– Sem Fernando Saraiva na disputa, a seleção de levantamento de peso conquistou 3 bronzes no Pan em Cartagena, nenhum no total: Jaqueline Ferreira nos 75kg feminino com 105kg no arranco, Wellison da Silva nos 85kg no arremesso com 188kg e Mateus Machado nos 105kg no arranco com 170kg. A melhor colocação no total foi de Liliane Lacerda, em 4º nos 69kg.

– Como esperado, o Brasil ficou em 8º e último na Liga Mundial de Pólo Aquático Feminino. Em Xangai, perdeu na 1ª fase de 20-2 para EUA, 10-6 para a Espanha e de 16-4 para o Canadá. Nas 4as de 11-2 pra Austrália e nas rodada classificatórias de 7-6 para a Itália e de 12-6 para o Canadá novamente. O título ficou com as americanas, com 13-9 na Espanha na final.

Definição na canoagem slalom

Após a 1ª etapa da Copa do Mundo de canoagem slalom em Ivrea, na Itália, Charles Correa e Anderson Oliveira se garantiram nos Jogos na classe C2. Favoritos à vaga, a dupla superou Cassiano Alfredo e Welligton Munhoz após várias etapas e se garantira matematicamente.

2896-0606_-_300-6-6-2016-11-02-53

Charles Correa e Anderson Oliveira. Foto: CBCa

A classificação olímpica veio com um resultado inédito: a vaga na final da Copa do Mundo. Eles fizeram o 6º tempo na semifinal. Na grande final, pioraram um pouco o seu tempo e terminaram na 9ª posição, na frente dos irmãos eslovacos Hochschorner, tricampeões olímpicos, que perderam uma porta na final.

Ana Sátila também teve um ótimo resultado na etapa. Ela fez simplesmente o melhor tempo na 1ª descida da classificação, se garantindo na semifinal, onde fez o 7º tempo e pegou final. Com um erro na final, perdeu uma porta e terminou na 9ª colocação.

As disputas pelas vagas do K1 e C1 masculino seguem indefinidas. No K1, Pedro da Silva foi 20º na semifinal, único brasileiro a avançar, e está muito perto de colocar seu nome na equipe olímpica. Já no C1, Charles Correa foi 12º na semifinal, enquanto Leonardo Curcel foi 23º. Felipe Borges, que tinha a vantagem após as seletivas nacionais, não passou de fase e a disputa está embolada.

A definição dos nomes será na próxima etapa, em La Seu d’Urgell, na Espanha, nesta semana.

A melhor geração da canoagem slalom

Fiquei devendo um post sobre o ótimo Mundial Sub-23 e Juvenil de canoagem slalom na semana passada em Foz do Iguassu.

A equipe brasileira fez muito bonito e mostra que está no rumo certo. Praticamente toda a seleção adulta disputou este mundial e trouxe 3 medalhas nas provas olímpicas e 4 no geral.

Ana Sátila (esquerda) com sua prata no K-1 Sub-23. Foto: CBCa/Divulgação

 

Com apenas 19 anos, Ana Sátila é o maior nome da canoagem slalom brasileira na atualidade e, quiçá, de todos os tempos. Aos 16 já disputou sua primeira Olimpíada em Londres ficando em 16º. Em 2013 foi bronze no C1 juvenil, prova que n ão é olímpica no feminino. Ano passado aí veio o ouro no K1 junior. Em casa dessa vez ficou com a prata no K1 Sub-23, a 3s14 da campeã, a australiana Jessica Fox. Fox, aliás, é um monstro no esporte. Hoje com 20 anos, foi prata em Londres-2012 e ano passado se sagrou campeã mundial adulta no C-1 e no K-1 e é a mulher a ser batida.

Charles Correa e Anderson Oliveira. Foto: CBCa/Divulgação

 

Felipe da Silva levou o bronze no C-1 Sub23 a 3.56 do britânico Adam Burgess, campeão. Numa prova bem esvaziada com apenas 9 barcos (sendo 3 brasileiros e 3 argentinos), Charles Correa e Anderson Oliveira ficaram com o bronze no C-2 Sub-23, a a paneas 2.06 do ouro.

O K-1 Sub23 masculino contou com 3 brasileiros na final, com Pedro da Silva em 7º como melhor brasileiro. Ele brigava por medalha, mas cometeu 4 faltas (8s de penalidade) e ficou a 11s do campeão. Em compensação a equipe pegou o bronze na prova do K-1 Sub-23 por equipe, quando descem 3 barcos ao mesmo tempo e o tempo do 3º na chegada é que conta. No C-1 feminino Sub-23, Ana Sátila ainda ficou em 6º.

A equipe juvenil deixou a desejar, só participando da final do C-2, com um 5º lugar de Maicon de Borba e Carolis Moraes como melhor resultado.

Esta seleção é extremamente homogênea e vem mostrando melhores resultados a cada ano. Com essas medalhas masculinas inéditas, o Brasil não depende mais apenas da Ana Sátila. A temporada adulta só começará “de verdade” em junho com as Copas do Mundo e os Jogos Pan-Americanos. O Brasil já tem vaga garantida nos Jogos Olímpicos nas 4 provas.

Resumo do fim de semana

Judô

O Brasil teve uma participação excepcional no forte Grand Slam de Tyumen, na Rússia. Foram nada menos que 10 medalhas, sendo 5 ouros. A melhor participação brasileira em um Grand Slam!

No sábado, Sarah Menezes venceu os 48kg feminino com um ippon aos 32s de luta sobre a japonesa Emi Yamagishi e Charles Chibana nos 66kg também fez um ippon em menos de 1min (57s para ser mais exato) também sobre um japonês, Yuhei Rokugo. Foram ainda mais duas pratas no dia, duas derrotas no masculino: Felipe Kitadai (60kg) perdeu para japonês e Marcelo Contini (73kg) perdeu na final para russo. Alex Pombo nos 73kg e Érika Miranda nos 52kg ficaram com bronzes.

No domingo, foram mais 3 ouros! Victor Penalber (81kg – foto) venceu o russo Alan Khubetsov por waza-ari. O medalhista olímpico Rafael Silva (+100kg) venceu o japonês Takeshi Ojitani por 3 shidos a 1 e levou o 4º ouro. Agora, muito bem ver o retorno de Mayra Aguiar aos tatames! Mayra chegou a final onde enfrentaria sua grande rival, a americana campeã olímpica Kayla Harrison. Só que Harrison lesionou o pescoço na semifinal e não disputou a final. Completando o excelente fim de semana brasileiro, Maria Suelen Altheman (+78kg) ficou com o bronze

Atletismo

Fabiana Murer volta a ser destaque no atletismo brasileiro. Na etapa de Glasgow (que entrou no lugar de Londres) da Diamond League, ela venceu mais uma vez, desta vez com 4,65m, mesma marca da grega Katerina Stefanidi e da cubana Yarisley Silva. Só que Fabiana passou na altura de primeira, enquanto a grega na 2ª e a cubana na 3ª. Fabiana ainda tentou o 4,76m, mas não conseguiu.

Com o resultado, Fabiana assume a liderança da Diamond League no salto com vara com 8 pontos (ela também venceu na etapa de NY e foi 6ª em Roma). Silva também tem 8 pontos. Faltam 3 etapas. Lembrando que a Fabiana já venceu a Diamond League em sua primeira edição em 2010.

Também destaque para Wagner Domingos, que na quarta-feira 9, bateu o recorde brasileiro no lançamento de martelo com 73,03m em competição na Eslovênia.

Canoagem

O Brasil dominou por absoluto o Pan de Canoagem Slalom no México, levando ouro nas 5 provas! Foram ainda 2 pratas e 2 bronzes.

Ana Sátila fez a dobradinha, vencendo o C1 e o K1. Marina Costa foi bronze no C1. Ana venceu o C2 por quase 20s de vantagem e de 10s no K1! No C1 masculino, ouro para Felipe da Silva e bronze para Charles Correa. No K1, vitória de Pedro da Silva e prata de Ricardo Taques. E no C2, Anderson Oliveira/Charles Correa ganharam com Cassiano Alfredo/Wellignton Munhoz com a prata.

A competição valeu vagas para a disputa dos Jogos Pan-Americanos Toronto-2015, que terão pela primeira vez a disputa da canoagem slalom. E o Brasil garante um barco em cada prova.

Vôlei de Praia

Em mais um Grand Slam disputado, desta vez em Gstaad, Suíça, as duplas brasileiras não venceram. No masculino, Alison e Bruno perderam na final para os americanos Dalhausser e Rosenthal por 21-17 21-17. Segunda medalha de prata deles nesta temporada.

No feminino, as brasileiras ficaram fora do pódio. Juliana/Maria Elisa estão bem em sua primeira temporada juntas, mas perderam na disputa de bronze 27-25 21-19 para as checas Kolocova/Slukova.

Em 9 competições no ano, as duplas brasileiras levaram apenas 1 ouro.

Triatlo

Na sexta etapa do World Triathlon Series, em Hamburgo, Pamella Oliveira ficou na 23ª posição a 1min29s da campeã, a american Gwen Jorgensen. Jorgensen vence a quarta etapa seguida! No masculino, Reinaldo Colucci ficou em 34º e Diogo Sclebin em 36º. Pela primeira vez na temporada, a vitória não foi para um espanhol! Quem venceu foi o britânico campeão olímpico Alistair Brownlee.

No domingo, foi disputado o Mundial de Revezamentos de Triatlo, mas a equipe brasileira foi mal e ficou em 15º entre 17, a mais de 3min da fortíssima equipe britânica, que levou o ouro. A França ficou com a prata e a Hungria surpreendeu a todos com o bronze, deixando Austrália, Estados Unidos e Alemanha para trás.

Outros Esportes:

–  Brasileiros levaram 6 medalhas em provas na Europa de ciclismo de pista, 2 pratas e 2 bronzes. Na França, Wellyda Rodrigues prata na velocidade por equipe ao lado de lituana, a equipe masculina foi bronze no sprint por equipes e Kácio Fonseca bronze no km contra relógio. Na Irlanda, Fernando Sikora foi bronze no sprint e prata na Keirin e Gabriela Yumi venceu a Keirin e ficou com o ouro.

– A equipe feminina juvenil de handebol até começou bem o Mundial disputado na Croácia, ficando em 3º no grupo. Nas 8as, perderam 29-23 para a França. Nas rodadas de ranqueamento, duas derrotas apertadas 27-26 para a República Checa e 22-20 para a Suécia. Aí, uma vitória de 33-28 sobre Portugal e o 15º lugar geral. O título ficou com a Coreia do Sul com 34-27 na Rússia.

Teliana Pereira ficou com dois vices no forte ITF100,000 em Biarritz, França. Nas simples, perdeu na final 62 64 para Kaia Kanepi (EST) e nas duplas ao lado da espanhola Lourdes Dominguez Lino perderam 62 62 para Florencia Molinero (ARG)/Stephanie Vogt (LIE).

– Na terceira etapa da Copa do Mundo de Remo, apenas uma embarcação brasileira. Steve Hiestand disputou o single skiff, onde venceu a Final E e ficou na 25ª posição.

Título Mundial na Canoagem Slalom

Ana Sátila Vargas está na história do esporte olímpico brasileiro desde 2012. Em Londres, ela representou o Brasil na canoagem slalom e ficou conhecida como a caçulinha da delegação de 258 atletas quando tinha apenas 16 anos. Ela se classificou para os Jogos aos 15 anos e terminou na 16ª posição entre 21 atletas.

Em 2013, novamente entrou para a história conquistando a prata no Mundial Juvenil na C1 juvenil, prova não olímpica.

Agora, em 2014, mais um resultado excepcional! No Mundial Juvenil/Sub23 em Penrith, na Austrália, Ana Sátila venceu agora o K1 Juvenil com 114.48, realizando uma descida quase perfeita, cometendo apenas 1 falta e se tornando a primeira brasileira a ser campeã mundial na canoagem slalom. Ficou bem a frente da australiana Kate Eckhardt com 121,77 e da eslovaca Paulina Matulaniova com 122,19, medalhas de prata e bronze respectivamente.

Neste domingo, Ana voltou às corredeiras para disputar a final do C1 Juvenil, mas terminou na 4ª posição, a 4,44 do bronze!

A única outra medalha brasileiro no slalom foi de Gustavo Selbach, no mundial juniro de 1992.

Outros brasileiros

Em geral, os brasileiros foram bem e pegaram outras finais. Muito melhor que no ano passado, quando só a Ana pegou final.

No K1 Sub23 masculino, Pedro da Silva terminou em 9º lugar, Anderson Oliveira/Charles Correa terminaram em 5º no C2 Sub23. No C2 Juvenil, Maicon de Borba/Carlos Moraes ficaram em 7º e os irmãos Wallan e Welton de Carvalho terminaram em 9º. Ambas as duplas perderam 2 portas, o que prejudicou qualquer chance de medalha.

Nas provas por equipe, onde descem 3 barcos ao mesmo tempo, a equipe brasileira ficou em 5º no K1 Sub23 masculino, 6º no K1 feminino juvenil, 7º no C1 masculino Sub23. No C2 Sub23, o Brasil ficou em 3º, mas apenas 3 equipes participaram da disputa.

Agora, a equipe segue para as etapas da Copa do Mundo de Slalom, que começa em junho em Londres. Serão 5 etapas.

Mundial de Canoagem Slalom

Praga recebeu na última semana o 35° Campeonato Mundial de Canoagem Slalom. É a 2ª vez que a capital checa recebe o mundial (a outra foi em 2006) e a 3ª vez do país (1967 foi a primeira). Os donos da casa venceram 3 das 10 provas e os britânicos mostraram que crescem como uma das forças no esporte após a ótima participação nos Jogos de Londres.

Masculino

Prata em Londres no C-2 e em Pequim no C-1, o escocês David Florence (foto) deu show e faturou 2 ouros em provas olímpicas diferentes! Ele faturou no sábado o ouro no C-1 com 0s83 de vantagem sobre o eslovaco Alexander Slafkovsky e 3s26 do esloveno Benjamin Savsek.

No domingo, fez história e faturou ao lado de Richard Hounslow o ouro no C-2 por apenas 0s04!! Prata para os checos Jaroslav Volf e Ondrej Stepanek e bronze para os eslovacos Ladislav Skantar e Peter Skantar. A última vez que um mesmo atleta venceu estas duas provas em uma mesma edição foi em 1953, com o suíço Charles Dussuet.

Já no K-1, festa dos donos da casa. Vavrinec Hradilek (foto), prata em Londres, venceu com 94s52 contra 95s90 do seu compatriota Jiri Prskavec. Bronze para o polonês Mateusz Polaczyk com 95s98.

Nas provas por equipe, a Eslováquia levou o C-1, com a ajuda do bicampeão olímpico Michal Martikan, que faturou seu décimo título mundial. No C-2, ouro para a República Checa e no K-1 vitória surpresa da Itália.

Feminino

Na única prova olímpica feminina, a francesa Émilie Fer (foto) mostrou que manda, levando o ouro com 115s74, repetindo a medalha conquistada ano passado em Londres. Dobradinha francesa com Nouria Newman com 117s94 e bronze para a campeã mundial de 2009, a alemã Jasmin Schornberg com 118s99.

Na prova mais nova do esporte, o C-1 feminino, a australiana Jessica Fox (foto) é quase imbatível! Ela dominou em absoluto a competição, terminando a final com 126s09, muito a frente da britânica Mallory Franklin com 139s08 e da francesa Caroline Loir com 139s75. Lembrando que Fox foi prata em Londres no K1 com 18 anos e levou o ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude de Singapura-2010.

Por equipes, Fox foi a única a fazer dobradinha neste mundial na mesma prova, ajudando a Austrália a vencer e a República Checa venceu o C-1.

Brasileiros

A equipe brasileira ficou muito tempo na Europa e participou de todas as etapas da Copa do Mundo e do Mundial Juvenil/Sub23, onde Ana Sátila até medalhou.

Em Praga, a participação ficou aquém do esperado. O melhor resultado foi mesmo de Ana Sátila, terminando na 12ª posição no C-1. No K-1, prova que ela disputou em Londres, ficou apenas na 32ª posição, não passando nem para a semifinal.

No K-1 masculino, Pedro da Silva foi 39° nas eliminatórias, avançou e terminou em 37° na semifinal, após perder a porta 10. Ricardo Taques foi 66° e João Machado 97°. Por equipe, Brasil foi 18°.

No C-1, Leonardo Curcell foi 48°, Felipe da Silva 63° e Jean Pereira 64°. Por equipe, Brasil foi 13°.

No C-2, os campeões pan-americanos Charles Correa e Anderson Oliveira ficaram em 22° nas eliminatórias e não avançaram para a semifinal.

O próximo mundial será em setembro de 2014 no lago Deep Creek, em Maryland, Estados Unidos.