Mundial de Badminton – Dia 5

Dia de quartas de finais em Glasgow. No masculino, o sul-coreano Son Wan-ho vai enfrentar na semifinal o chinês Lin Dan, ouro em Pequim-2008 e em Londres-2012. Na outra semi, a reedição da semifinal olímpico no Rio entre o chinês Chen Long e o dinamarquês Viktor Axelsen.

nozomi-okuhara

Nozomi Okuhara (JPN)

No feminino, teremos duas indianas nas semifinais e apenas uma chinesa. Chen Yufei venceu a tailandesa Ratchanok Intanon por 14-21 21-16 21-12 e terá pela frente a indiana P.V. Sindhu, prata no Rio, e que venceu 21-14 21-9 a chinesa Sun Yu.  Bicampeã mundial e ouro no Rio, a espanhola Carolina Marín teve sua 1ª derrota em mundiais desde 2013. Marín perdeu para a japonesa Nozomi Okuhara, que vai enfrentar por uma vaga na final a indiana Saina Nehwal.

Nas duplas masculinas, os indonésios Mohammad Ahsan/Rian Saputro seguem vencendo, agora foi a vez de derrotarem os sul-coreanos Chung Eun-seo/Kim Duk-young. Com duas vitórias, as duplas chinesas irão se enfrentar na semi. Um delas, formada por Liu Cheng/Zhang Nan derrotou os dinamarqueses Mathias Boe/Carsten Morgensen.

Nas duplas femininas, tudo encaminhando para a repetição da final olímpica entre as japonesas Misaki Matsumoto/Ayaka Takahashi e as dinamarquesas Kamilla Rytter Juhl/Christinna Pedersen, basta elas venceram as semifinais. Nas mistas, Zheng Siwei/Chen Qingchen enfrentarão os irmãos ingleses Chris e Gabriell Adcock. Na outra, duelo entre indonésios Tontowi Ahmad e Liliana Natsir, campeões olímpicos no Rio, contra Lee Chun Hei e Chau Hoi Wah, de Hong Kong.

Anúncios

Mundial de Badminton – Dia 4

Pela chave masculina, 3 chineses estão nas 4as, incluindo os campeões olímpicos Lin Dan (14-21 21-17 21-16 no inglês Rajiv Ouseph) e Chen Long (21-11 21-10 no indiano Ajay Jayaram). Bronze no Rio, o dinamarquês Viktor Axelsen também está nas 4as após vencer por 21-17 21-13 em Ng Ka Long, de Hong Kong, e é o único não-asiático nas 4as. O sul-coreano cabeça 1 Son Wan-ho também venceu com 21-14 17-21 21-13 no tailandês Tanongsak Saensomboonsuk.

4day_kirsty-gilmour

Kirsty Gilmore (SCO)

Já no feminino, caíram as duas primeiras cabeças de chave. A japonesa Akane Yamaguchi, número 1 do mundo, perdeu por 21-18 21-19 para a chinesa Chen Yufei. Já a número 2, a sul-coreana Sung Ji-hyun foi surpreendida pela indiana Saina Nehwal por 21-19 21-15. Assim, a espanhola campeã olímpica Carolina Marín segue rumo ao tricampeonato mundial após 21-7 21-111 na dinamarquesa Mia Blichfeldt. Surpresa a escocesa Kirsty Gilmour, que eliminou a 6ª do mundo, a chinesa He Bingjiao por 21-14 15-21 21-16.

Nas duplas masculinas, os indonésios Mohammad Ahsan/Rian Saputro, que eliminaram os chineses número 1, venceram mais uma com 21-19 21-12 nos dinamarqueses Mathias Christiansen/David Dagaard. Em compensação, as duas outras duplas dinamarquesas venceram: Mathias Boe/Carsten Mogensen e Mads Conrad-Petersen/Mads Pieler Kolding.

No feminino, a única dupla não asiática é a formada pelas dinamarquesas Kamilla Rytter Juhl/Christinnna Perdersen, vice olímpicas no Rio. Nas mistas, apenas os irmãos ingleses Chris e Gabrielle Adcock.

Mundial de Badminton – Dia 3

ygor-coelho-de-oliveira

Ygor Coelho (BRA)

Depois da surpreendente derrota do Lee Chong Wei no dia anterior, os cabeças de chave passaram incólumes nesta quarta-feira em Glasgow, com todos os outros 15 vencendo no masculino. Ygor Coelho deu trabalho para o cabeça 4, o chinês Shi Yuqi, que venceu com 21-17 21-23 21-10. Cabeça 1, o sul-coreano Son Wan-ho venceu 21-13 21-9 o húngaro Gergely Krausz. Também avançaram os chineses Lin Dan (19-21 21-8 21-16 sobre o dinamarquês Emil Holst) e Chen Long (21-13 21-9 no indonésio Sony Dwi Kuncoro). Entre os 16 que restaram, 12 asiáticos e 4 europeus.

Apenas uma cabeça de chave perdeu no feminino. Foi a japonesa Sayaka Sato, cabeça 10, que perdeu de 21-14 14-21 21-18 para a dinamarquesa Mia Blichfeldt. Campeã olímpica e atual bi mundial, a espanhola Carolina Marin destruiu Yip Pui Yin, de Hong Kong, por 21-5 21-7. Também avançaram a japonesa cabeça 1 Akane Yamaguchi (21-6 21-13 na dinamarquesa Line Kjaersfeldt), a sul-coreana Sung Ji-hyun (21-9 21-19 na indiana Tanvi Lad) e a indiana vice olímpica P. V. Sindhu (22-16 22-14).

Nas duplas masculinas, zebra dos indonésios Mohammad Ahsan/Rian Agung Saputro, que derrotaram os chineses cabeças 1 Li Junhui/Liu Yuchen por 19-21 21-18 21-18. Derrota também dos malaios vice olímpicos Goh V Shem/Tan Wee Kiong, que perderam de 21-18 21-16 para dupla sul-coreana. Nas duplas femininas, todas as 16 cabeças de chave venceram. São 12 duplas asiáticas e 4 europeias.

Resumo Rio-2016 – Badminton

Esperava-se um grande domínio chinês no esporte, assim como em Londres-2012, onde a China levou os 5 ouros em disputa. Mas dessa vez o fracasso foi bem grande, com apenas 3 medalhas contra 8 da edição anterior.

Individual masculino

Badminton - Men's Singles Gold Medal Match

Chen Long (CHN)

Na fase de grupos, apenas um dos 13 cabeças de chave não avançou. Pelo grupo K, o irlandês Scott Evans surpreendeu o alemão Marc Zwiebler de virada, com 9-21 21-17 21-7 para avançar. Este era o grupo do brasileiro Ygor de Oliveira, que perdeu de 21-8 19-21 21-8 pro Evans e de 21-12 21-12 pro Zwiebler. Como só avançava o campeão do grupo, o alemão foi a grande decepção da primeira fase. Nos outros grupos, sem surpresas.

Nas 8as, o dinamarquês Jan Jorgensen, cabeça 5, perdeu por 21-19 21-19 pro indiano Srikanth Kidambi, na maior surpresa da rodada. Nas 4as, o favorito malaio Lee Chong Wei passeou por Chou Tien0chen, de Taipei, com 21-9 21-15. Já o chinês bicampeão olímpico Lin Dan sofreu com o indiano Kidambi, mas levou por 21-6 11-21 21-18. O dinamarquês Viktor Axelsen venceu o britânico Rajiv Ouseph por 21-12 21-16 e o chinês Chen Long passou pelo sul-coreano Son Wan-ho por 21-11 18-21 21-11.

Nas semifinais, o tão esperado confronto entre Lee Chong Wei e Lin Dan, a reedição das últimas duas finais olímpicas! E foi um jogo disputadíssimo, mas dessa vez quem venceu foi Lee, por 15-21 21-11 22-20. Na outra semi, Chen Long passou pelo Axelsen com 21-14 21-15. Na disputa do bronze, Axelsen surpreendeu Lin Dan de virada, com 15-21 21-10 21-17. Já na final, não deu novamente pro malaio. O eterno vice ficou com a prata, perdendo pro Chen Long por 21-18 21-18. Lee Chong Wei acumula 3 pratas olímpicas e 3 vices mundiais.

Duplas masculinas

646a4ab47f949270bce84dc5bd2998836d371376

Fu Haifeng e Zhang Nan (CHN)

Apesar do ouro, a dupla chinesa Fu Haifeng e Zhang Nan não fez uma campanha brilhante. Fu defendia o ouro de Londres, conquistado com outro parceiro, Cai Yun. Na ocasião, não perderam nenhum set.

Na fase de grupos, a dupla venceu tranquilamente a dupla americana e a alemã, mas num grande jogo perdeu para os malaios Goh Shem e Tan Wee Kiong de virada por 16-21 21-15 21-18, na prévia da final. Apesar da derrota, passaram para as 4as, já que avançavam duas duplas por grupo. No Grupo A, surpresa com a vitória dos russos Vladimir Ivanov e Ivan Sozonov, que derrotaram os favoritos sul-coreanos Lee Yong-dae e Yoo Yeon-seong, cabeças 1. No C, o destaque foi a vitória dos britânicos Marcus Ellis/Chris Langridge sobre os dinamarqueses Mathias Boe/Carsten Mogensen, prata em Londres, e eliminados, já que também perderam para a dupla sul-coreana.

Nas 4as, apenas uma dupla que venceu seu grupo alcançou as semifinais: os malaios Goh Shem/Tan Wee Kiong venceram os sul-coreanos Lee/Yoo, números 1 do mundo por 2-1 de virada. Fu Haifeng/Zhang Nan suaram para derrotar a outra dupla da Coreia do Sul por 11-21 21-18 24-22 e levar a vaga na semi. A outra dupla chinesa eliminou os russos e os britânicos derrotaram os japoneses.

Na semifinal, os malaios venceram Chai/Hong por 2-1 para avançar à final. Na outra, com bons 21-14 21-18, Fu/Zhang derrotam os britânicos. Pelo bronze, Chris Langridge/Marcus Ellis fizeram uma bela partida contra chineses Chai/Hong 21-18 19-21 21-10 para levar o bronze. Na final, ouro chinês com Fu/Zhang com 16-21 21-11 23-21 sobre os malaios. 2º ouro olímpico de cada chinês.

Individual feminino

Embed from Getty Images

Depois de 4 Olimpíadas seguidas com 2 chinesas no pódio, nenhuma conseguiu uma medalha desta vez.

Duas favoritas ficaram de fora do mata-mata. No Grupo G, a indiana Saina Nehwal. 5ª do mundo e bronze em Londres, foi surpreendida pela ucraniana Marija Ulitina por 21-18 21-19 e não avançou. Assim como no masculino, a surpresa foi no grupo do brasileiro. Lohaynny Vicente perdeu para a indiana por 21-17 21-17 e para a ucraniana 21-13 21-13. Outra favorita que não passou foi a britânica Kirsty Gilmour.

Nas 8as, apenas vitórias asiáticas. A principal surpresa foi a derrota da ex-número 1 do mundo, a tailandesa Ratchanok Intanon. Ela perdeu de 21-19 21-16 para a japonesa Akane Yamaguchi. Pelas 4as, a bicampeã mundial e favorita ao ouro Carolina Marin (ESP) não decepcionou e derrotou a sul-coreana Sung Ji-hyun por 21-12 21-16. 2ª do ranking mundial, a chinesa Wang Yihan perdeu para a indiana P.V. Sindhu por 22-20 21-19.

Nas semifinais, Marin derrotou a chinesa Li Xuerui, campeã em 2012, por 21-14 21-16. Na outra semi, Sindhu venceu a japonesa Nozomi Okuhara por 21-19 21-10. Na disputa de bronze, a medalha caiu no colo da japonesa, já que Li Xuerui deu WO por conta de uma lesão ocorrida na semifinal. Na final, Carolina Marin virou sobre a indiano P.V. Sindhu com 19-21 21-12 21-15 para levar o ouro.Foi o primeiro ouro olímpico feminino da história do badminton não vencido por um país asiático e o 2º no esporte. O 1º foi do dinamarquês Poul-Erik Larsen em Atlanta-1996.

Duplas femininas

Embed from Getty Images

Assim como no individual, nenhuma chinesa subiu ao pódio, quebrando uma sequência de 5 ouros olímpicos seguidos para o país!

Na primeira fase, destaque pára a eliminação das chinesas Luo Ying/Luo Yu, que haviam sido escolhidas pela China no lugar da dupla Tian Qing/Zhao Yunlei, campeã em Londres. Ocorreu um tríplice empate no grupo e nos critérios de desempate, as chinesas ficaram de fora.

Nas 4as, vitórias das dinamarquesas Christinna Pedersen/Kamilla Juhl sobre as sul-coreanas Chang Ye-na/Lee So-hee por 2-1. Nas semifinais, as dinamarquesas novamente surpreenderam com 21-16 14-21 21-19 sobre as chinesas Tang Yuanting/Yu Yang. Na outra partida, as japonesas Misaki Matsumoto/Ayaka Takahashi venceram 21-16 21-15 as sul-coreanas Jung Kyung-eun/Shin Seung-chan. Na disputa do bronze, as coreanas ganharam tranquilamente da dupla chinesa com 21-8 21-17 pra levar a medalha. Na final, as embaladas dinamarquesas começaram bem sobre as japonesas, mas levaram a virada, perdendo por 18-21 21-9 21-19. Foi o 1º ouro japonês da história no badminton.

Duplas mistas

Embed from Getty Images

Na competição de mistas, o maior imprevisto veio com a eliminação precoce dos dinamarqueses Joachim Nielsen/Christinna Pedersen, bronze em Londres. Eles perderam 2 jogos e ficaram em último em seu grupo. Parecia que seria a redenção dos chineses, quando as duas duplas venceram tranquilamente suas quartas-de-final, mas na semi, ambas foram derrotadas.

Campeões em Londres, Zhang Nan/Zhao Yunlei caíram para os indonésios Tontowi Ahmad/Liliyana Natsir por 21-16 21-15. Na outra semi, Xu Chen/Ma Jin perderam para os malaios Chan Peng Soon/Goh Liu Ying por tranquilso 21-12 21-19. Na disputa chinesa pelo bronze, melhor para Zhang/Zhao com fáceis 21-7 21-11. Pelo ouro, a dupla da Indonésia arrasou os malaios com 21-14 21-12 para faturar o primeiro ouro do país nas duplas mistas.

Prévias Rio-2016: Badminton

Individual masculino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Lin Dan (CHN); Prata – Lee Chong Wei (MAS); Bronze – Chen Long (CHN)

Último Mundial (2015): Ouro – Chen Long (CHN); Prata – Lee Chong Wei (MAS); Bronzes – Kento Momota (JPN) e Jan Jorgensen (DEN)

lee-chongwei_2300397b

Lee Chong Wei (MAS)

Atual bicampeão mundial, o chinês Chen Long (1B) é o 2º do mundo e venceu 7 títulos em 2015. Mas este ano só decepcionou. Disputou 7 torneios, chegou em 3 finais e perdeu todas. Inclusive perdeu sua partida nas 4as da Thomas Cup, quando a China foi derrotada pela Coreia do Sul. Quem voltou à liderança do ranking foi o malaio Lee Chong Wei (2P), o eterno perdedor de finais. Falei do doping e das derrotas do malaio aqui. De volta ao topo e com 4 títulos esse ano, terá a chance de finalmente vencer um torneio mundial.

O atual bicampeão olímpico e pentacampeão mundial Lin Dan (2O) chega ao Rio em busca do tricampeonato com 3 títulos esse ano na bagagem, incluindo o forte Masters da China. Os dinamarqueses Viktor Axelsen e Jan Jorgensen podem quebrar o domínio asiático, o que já ocorreu quando ajudaram a Dinamarca a levar a Thomas Cup pela 1ª vez na história em maio.

E o Brasil? Ygor Coelho será o 1º brasileiro a disputar o badminton os Jogos. Como apenas os vencedores dos grupos avançam, Ygor vai enfrentar um dos melhores do mundo na 1ª fase então avançar é algo praticamente impossível.

Meu Pódio: Ouro – Lee Chong Wei (MAS); Prata – Lin Dan (CHN); Bronze – Viktor Axelsen (DEN)

Individual feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Li Xuerui (CHN); Prata – Wang Yihan (CHN); Bronze – Saina Nehwal (IND)

Último Mundial (2015): Ouro – Carolina Marín (ESP); Prata – Saina Nehwal (IND); Bronzes – Sung Ji-hyun (KOR) e Lindaweni Fanetri (INA)

A espanhola Carolina Marín lidera o ranking mundial e chegará no Rio com dois títulos mundiais na bagagem. Embalada, tem tudo para quebrar a sequência de 4 ouros chineses na prova. A espanhola lidera com folga o ranking mundial e tem feito belos duelos com as asiáticas. Quem pode aparecer no pódio é a tailandesa Ratchanok Intanon, de 21 anos. Intanon vem muito bem na temporada e já conquistou 4 títulos, incluindo o fortíssimo Aberto da Malásia, um Super Series Premier, e o Aberto da Índia e de Singapura, ambos Super Series. Na final na Índia venceu a chinesa Li Xuerui (1O), atual campeã olímpica.

Campeã em Londres, Li foi ainda duas vezes vice mundial nesse ciclo olímpico, perdendo em 2013 e 2014. 3ª do mundo, Li foi prata no asiático, mas perdeu cedo nos torneios Premier, caindo na 2ª rodada na Malásia e na Indonésia. Sua compatriota Wang Yihan (1P) venceu o asiático, mas não venceu nenhum título do circuito este ano. A indiana Saina Nehwal (1B) subiu ao pódio em Londres, é a atual vice-mundial e chegou pelo menos às 4as de final em todos os torneios que disputou no ano. Outros nomes que podem surpreender são a japonesa Nozomi Okuhara, a taiwanesa Tau Tzu-ying, a dinamarquesa Line Kjaersfeldt e a armada asiática em geral.

E o Brasil? Lohaynny Vicente fará a estreia nos Jogos, mas devido ao baixo ranking mundial entre as classificadas, vai pegar no seu grupo uma das principais favoritas ao ouro. Ela cresceu muito nos últimos anos, mas está bem aquém ainda das líderes do ranking. Seu grupo pode ter 2 ou 3 jogadoras, então é bem provável que ela perca todos seus jogos.

Meu Pódio: Ouro – Ratchanok Intanon (THA); Prata – Wang Yihan (CHN); Bronze – Carolina Marin (ESP)

Duplas masculinas

Pódio em Londres-2012: Ouro – Cai Yun/Fu Haifeng (CHN); Prata – Mathias Boe/Carsten Mogensen (DEN); Bronze – Jung Jae-sung/Lee Yong-dae (KOR)

Último Mundial (2015): Ouro – Mohammad Ahsan/Hendra Setiawan (INA); Prata – Liu Xiaolong/Qiu Zihan (CHN); Bronzes – Lee Yong-dae/Yoo Yeon-seong (KOR) e Hiroyuki Endo/Kenichi Hayakawa (JPN)

Embed from Getty Images

Os líderes do ranking são hoje os sul-coreanos Lee Yong-dae (1O-1B) e Yoo Yeon-seong. Lee foi bronze em Londres-2012 e ouro nas mistas em Pequim além de 5 medalhas em mundiais nas duplas masculinas, mas com parceiros diferentes. A dupla vem tendo um ótimo ano de 2016, ao vencer o campeonato asiático, o Masters da China e o Aberto da Indonésia, além de outras 3 semifinais. A dupla venceu 7 títulos em 2015 e foi bronze no Mundial. Favoritos ao título. Vice-líderes do ranking, os indonésios Hendra Setiawan (1O) e Mohammed Ahsan não fazem uma boa temporada, perdendo em várias 8as de final. Setiawan foi campeão olímpico em Pequim nas duplas com outro parceiro.

Os sul-coreanos Kim Gi-jung/Kim Sa-rang venceram este ano na Malásia mas vem do título mundial ano passado em Jacarta, jogando em casa. Jamais subestime duplas chinesas no badminton. Fu Haifeng (1O-1P) e Zhang Nan (1O) venceram em Singapura, mas caíram nas 4as do último Mundial. Fu foi campeão em Londres com outro parceiro e Zhang levou em Londres as duplas mistas. Os dinamarqueses Mathias Boe (1P)/Carsten Mogensen (1P) foram prata em Londres e seguem entre os melhores com algumas medalhas na temporada. Se classificaram aos Jogos por pouco, ficando a frente da outra dupla dinamarquesa por uma posição no ranking.

E o Brasil? Não há brasileiros na prova.

Meu Pódio: Ouro – Fu Haifeng/Zhang Nan (CHN); Prata – Lee Yong-dae/Yoo Yeon-seong (KOR); Bronze – Kim Gi-jung/Kim Sa-rang (KOR)

Duplas femininas

Pódio em Londres-2012: Ouro – Tian Qing/Zhao Yunlei (CHN); Prata – Mizuki Fujii/Reika Kakiiwa (JPN); Bronze – Valeria Sorokina/Nina Vislova (RUS)

Último Mundial (2015): Ouro – Tian Qing/Zhao Yunlei (CHN); Prata – Christinna Pedersen/Kamilla Rytter Juhl (DEN); Bronzes – Nitya Maheswari/Greysia Polii (INA) e Naoko Fukuman/Kurumi Yonao (JPN)

As chinesas Tian Qing (1O) e Zhao Yunlei (2O) defendem o título olímpico e são as atuais bicampeãs mundiais. Apesar disso, são apenas a 3ª dupla do ranking e venceram apenas um torneio no ano, na Tailândia. Mesmo assim, chegam como favoritas e Zhao tem grandes chances de fazer a dobradinha com as duplas mistas, como ocorreu em 2012.

As japonesas Misaki Matsumoto e Ayaka Takahashi lideram o ranking graças a 5 títulos conquistados só esse ano, como os fortes Abertos da Inglaterra e da Indonésia. As chinesas Tang Yuanting e Yu Yang (1O-1B) fizeram 10 finais nos últimos 8 meses, sendo 5 títulos.

Vale ficar de olho nas indonésias Nitya Maheswari e Greysia Polii, bronzes no último Mundial, nas dinamarquesas Kamilla Juhl e Christinna Perdersen (1B) e nas duplas sul-coreanas. Lembrando que um dos maiores escândalos de Londres-2012 foi nesta prova, com a combinação de resultado e a desclassificação de 4 duplas, o que ocasionou um inesperado bronze para a Rússia.

E o Brasil? Não há brasileiros na prova.

Meu Pódio: Ouro – Tian Qing/Zhao Yunlei (CHN); Prata – Misaki Matsumoto/Ayaka Takahashi (JPN); Bronze – Kamilla Juhl/Christinna Perdersen (DEN)

Duplas mistas

Pódio em Londres-2012: Ouro – Zhang Nan/Zhao Yunlei (CHN); Prata – Xu Chen/Ma Jin (CHN); Bronze – Joachim Nielsen/Christinna Pedersen (DEN)

Último Mundial (2015): Ouro – Zhang Nan/Zhao Yunlei (CHN); Prata – Liu Cheng/Bao Yixin (CHN); Bronzes – Tontowi Ahmad/Liliyana Natsir (INA) e Xu Chen/Ma Jin (CHN)

Embed from Getty Images

Campeões em Londres, os chineses Zhang Nan (1O) e Zhao Yunlei (2O) são a dupla a ser batida. Além do título olímpico, venceram 3 Mundiais, incluindo os de 2014 e 2015. Levaram também os Jogos Asiáticos em 2014 e mais alguns títulos. Jogaram muito pouco esse ano, em apenas 4 torneios, mas venceram o campeonato asiático e foram bronze nos outros 3 campeonatos. Zhao tem grandes chances de fazer novamente a dobradinha nas duplas femininas e duplas mistas.

Prata em Londres, os chineses Xu Chen (1P) e Ma Jin (1P) estão apenas em 6º no ranking, mas venceram este ano o Aberto da Indonésia e o Masters da China. Os sul-coreanos Ko Sung-hyun e Kim Ha-na venceram este ano os Abertos de Singapura e da Alemanha e contam com o vice no Masters de 2015. Bronze no último mundial, os indonésios Tontowi Ahmad e Liliyana Natsir (1P) não fazem um bom ano e correm por fora.

Outras duplas para ficar de olho são os dinamarqueses Joachim Nielsen (1B) e Christina Pedersen (1B), bronzes em Londres, e os irmãos britânicos Chris Adcock (1P) e Gabrielle Adcock.

E o Brasil? Não há brasileiros na prova.

Meu Pódio: Ouro – Zhang Nan/Zhao Yunlei (CHN); Prata – Joachim Nielsen/Christina Pedersen (DEN); Bronze – Ko Sun-hyun/Kim Ha-na (KOR)

Classificados no Badminton

Com a divulgação do ranking mundial nesta quinta-feira, a BWF anunciou quase todas as vagas do badminton para os Jogos.

lin-dan

Lind Dan em Londres-2012

Líder do ranking mundial, o chinês Chen Long será o favorito no masculino ao lado do seu compatriota Lin Dan, atual campeão olímpico, e do malaio Lee Chong Wei, um dos maiores nomes do esporte e que passou por uma suspensão por doping em 2014.

No feminino, a atual bicampeã mundial, a espanhola Carolina Marín quebra o domínio asiático e terá como principais concorrentes a tailandesa Ratchanok Intanon, que vem fazendo uma grande temporada, e as chinesas Li Xuerui (atual campeã olímpica) e Wang Yihan.

zhang-nan-zhao-yunlei

Zhao Yunlei e Zhang Nan nas duplas mistas em Londres-2012

Em Londres, a China dominou com os 5 ouros possíveis e praticamente todos estarão no Rio para defender seus títulos. A única mudança é nas duplas masculinas, onde Cai Yun não jogará, mas Fu Haifeng irá defender seu título olímpico, agora ao lado do Zhang Nan, campeã olímpico nas duplas mistas. Zhao Yunlei, que levou ouro nas duplas femininas e nas mistas em Londres, tentará novamente a dobradinha com grandes chances de repetir o feito.

Marin e a bela armada dinamarquesa tem grandes chances de quebrar a sequencia chinesa, principalmente pelo dinamarquês Viktor Axelsen, campeão europeu no último fim de semana.

O Brasil terá apenas dois representantes, os primeiros da história olímpica brasileiro. Ygor Coelho, que disputou os Jogos da Juventude de 2014 em Nanning, entrou pelo ranking com a 28ª vaga graças ao seu 60º lugar no ranking mundial. No feminino, Lohaynny Vicente será a atleta brasileira no Riocentro. 70ª do mundo, Lohaynny entrou como vaga pro país sede, já que o corte foi um pouco antes da sua colocação.

Vale lembrar o ocorrido em Londres, quando 4 duplas femininas favoritas foram desclassificadas dos jogos por claramente armarem resultados para escolher suas adversárias nas 4as de final. Com isso, tivemos um estranho bronze pra Rússia na prova na ocasião.

Os torneios individuais serão divididos em 16 grupos de 2 ou 3 atletas onde apenas o campeão passa para as 8as de final. Nas duplas, 4 grupos com 4 duplas cada, onde as 2 primeiras passam para as 4as de final.

Aguardando apenas a BWF definir os 3 convidados de cada gênero para assim fechar as 172 vagas olímpicas.

Mundial de Badminton – Finais

O Mundial viu 4 das 5 categorias repetirem os campeões de 2014!

Carolina Marin

Depois de se tornar a primeira fora do eixo Ásia-Dinamarca a vencer um mundial feminino, a espanhola Carolina Marin seguiu a sequencia e levou mais uma vez o título! Com 21-16 21-19 na final sobre a indiana Saina Nehwal, bronze em Londres-2012, Marin se mantém no topo e é a favorita para o ouro no Rio-2016. Foi a primeira vez que nenhum chinesa subiu ao pódio desde o mundial de 1980! Os bronzes ficaram com a sul-coreana Sung Ji-hyun e a indonésia Lindaweni Fanetri.

Embed from Getty Images

Na final masculina, uma repetição do confronto do ano passado. Chen Long faturou o bicampeonato com 21-14 21-17 sobre Lee Chong Wei, da Malásia, que está de volta ao circuito após suspensão por doping. Foi o 8º título mundial seguido de um chinês. Ficaram com os bronzes o japonês Kento Momota e o dinamarquês Jan Jorgensen.

Embed from Getty Images

As chinesas Tian Qing e Zhao Yunlei são os nomes a serem batidos no mundo hoje. Bicampeãs mundiais e campeãs olímpicas, chegarão ao Rio como favoritas pro bi. Na final em Jacarta venceram de virada 23-25 21-8 21-15 as dinamarquesas Christinna Pedersen e Kamilla Juhl. Bronzes para Indonésia e Japão. 13º ouro seguido pra China nas duplas femininas.

Embed from Getty Images

Nas mistas, Zhao Yunlei jogando com o Zhang Nan também ficaram com o bi. Zhao se torna bicampeã seguida em duas categorias, a primeira a conseguir isso desde 1991. Numa final toda chinesa, venceram 21-17 21-11 Liu Cheng/Bao Yixin. Bronzes para a China e Indonésia.

Embed from Getty Images

Os únicos campeões novos vieram nas duplas masculinas, para a festa dos donos da casa. Mohammad Ahsan/Hendra Setiawan deram o único ouro pra Indonésia com 21-17 21-14 sobre os chineses Liu Xiaolong/Qiu Zihan. E nem foram campeões novos, pois venceram o mundial em 2013.

O próximo Mundial será apenas em 2017, em Glasgow, Escócia, já que eles não ocorrem em anos olímpicos.