Mais dois títulos mundiais de Ana Sátila!

Duas Olimpíadas nas costas, 3 medalhas em Mundiais e 2 em Jogos Pan-Americanos, mas Ana Sátila ainda disputa mundiais de base!

3334-capa_final-20-7-2019-16-49-03

Ana Sátila. Foto: CBCa

Ela esteve na Cracóvia, na Polônia, na semana passada para a disputa do seu último Mundial Júnior/Sub23 de canoagem slalom. Ana fez 23 anos em março, mas ainda pode disputar esta categoria até o fim do ano.

Após ir mal no K1 na sexta-feira, ao perder uma porta na semifinal, ela voltou com tudo no sábado para uma belíssima prova do C1, sua favorita. Ela não cometeu nenhuma falta e, numa prova perfeita, completou em 101,06. A russa Alsu Minazova fez um tempo melhor, com 100,45, mas bateu em 2 portas e terminou com a prata com 102,45. Bronze para a eslovaca Monika Skachova com 105,95.

No domingo, Ana voltou pra disputar o Extreme K1 e ela saiu com mais um ouro, repetindo o topo do pódio de 2018! Apesar de não ser olímpica, ela prova será disputada no Pan, onde a Ana busca dois ouros: no C1 e no K1 Extreme.

Ana Sátila chega a 10 medalhas em Mundiais! Em adultos tem 1-1-1, em Sub23 3-2-0 e em Jr 1-0-1.

Ana Sátila é bronze na Eslováquia

Depois de decepcionar na 1ª etapa semana passada na Grã-Bretanha, Ana Sátila é bronze no domingo na 2ª etapa da Copa do Mundo em Bratislava no C1.

youtube

Pódio do C1 feminino: Vilarrubla, Jaquet e Ana Sátila. Foto: Reprodução/Youtube

Na eliminatória do C1 na sexta-feira, Ana Sátila foi a melhor com 104,76 se classificando direto pra semifinal. Neste domingo, Ana foi a 5ª na semi com 120,04, 2,91 atrás da líder alemã Andrea Herzog. Na decisão, ela vinha muito bem, quando bateu na 19ª e na 23ª e última porta, levando 4 pontos de penalidade, terminando com 113,80, 1,65 atrás da campeã, a francesa Claire Jacquet. Monica Villarubla, de Andorra, foi prata com 112,32. No K1, Ana parou na semifinal em 22º, após perder a 18ª porta. Foi o 4º bronze da Ana Sátila no C1 em Copas do Mundo.

Quem não vem tão bem na Copa do Mundo é a australiana Jessica Fox. No ano passado, ela venceu as 5 etapas do C1 e 3 no K1, se sagrando campeã da temporada nas duas modalidades. Este ano, ela foi bronze nas duas provas na 1ª etapa, mas decepcionou em Bratislava, ficando em 6º no K1 e nem pegando final do C1. A britânica Mallory Franklin, que venceu as 2 provas na 1ª etapa, não competiu na Eslováquia.

O namorado da Ana, o francês naturalizado brasileiro Mathieu Desnos chegou na semifinal do K1, onde terminou em 22º a 7,62 do líder e 5,13 da final. Felipe Borges foi 24º na semifinal do C1 masculino. Na prova do K1 Extreme, que não é olímpica, mas terá nos Jogos Pan-Americanos, Pedro Gonçalves foi prata

Mundial de Canoagem Slalom – Parte II

Ninguém segura Jessica Fox.

jess_fox_c1gold_rio2018

Jessica Fox (AUS). Foto: ICF

Após brilhar no K1 no sábado, a australiana brilhou na final do C1 no domingo. Numa descida perfeita, ela voou e completou o percurso em 109,07, quase 5s mais rápida que a 2ª melhor, a britânica Mallory Franklin, com 113,85. Franklin também repetiu a cor da medalha do K1 no sábado. A checa Tereza Fiserova ficou com o bronze com 116,74. Ana Sátila terminou na 6ª posição, com 117,41, a apenas 0.26 do 4º lugar. Ana esbarrou a ponta do barco na porta de remonta 16 e tomou uma falta. Se zerasse, seria bronze. Fox encerra uma temporada espetacular, onde ela venceu todas as 5 etapas da Copa do Mundo. Aos 24 anos, ela chega a espetaculares 9 títulos mundiais adultos, fora o 4 juniores e 8 Sub-23.

hannes_aigner_k1gold_rio2018

Hannes Aigner (GER). Foto: ICF

No K1 masculino, show do alemão Hannes Aigner, bronze em Londres-2012. Zerando sua passagem, ele voou para 89,69, único abaixo dos 90s. Bronze no Rio-2016 e campeão mundial em 2015, o checo Jiri Prskavec foi prata com 90,65 e o russo Pavel Eigel, que jamais medalhou nesta prova em Copas do Mundo, surpreendeu com o bronze com 92,17. O campeão olímpico do Rio, o britânico Joe Clarke, foi 5º e o esloveno bicampeão mundial Peter Kauzer vinha muito bem, mas perdeu uma porta e acabou em 10º. Na semifinal, o brasileiro Pedro Gonçalves, 6º no Rio-2016, acabou em 27º, a 3s da vaga na final.

ana-sc3a1tila-k1-extreme-mundial-de-canoagem-slalom

Foto: Olimpíada Todo Dia

Mas Ana Sátila não zerou pro Brasil. Ela ficou com o ouro na empolgante e divertida prova do K1 Extreme, onde descem 4 por bateria e os 2 primeiros avançam de fase. Ela venceu sua bateria de 8as, de 4as, foi segunda na sua semifinal e ficou com o ouro, melhorando a prata de 2017. No masculino, vitória do italiano Christian de Dionigi e um intressante bronze para o argentino Thomas Bersinger.

O próximo Mundial de slalom será em 2019 em La Seu d’Urgell, na Espanha, local que recebeu várias etapas de Copas do Mundo e outros 2 Mundiais. E este valerá vaga olímpica.

Mundial de Canoagem Slalom – Parte I

Este é o 1º Mundial de um esporte olímpico no Rio de Janeiro após os Jogos de 2016 (tivemos um paralímpico de ciclismo na pista em março). Alguns problemas de organização, pois havia dúvida se teríamos mesmo o Mundial por falta de dinheiro, mas o governo federal bancou e cá estamos nós novamente na linda raia de Deodoro. E todos os melhores do mundo vieram.

jessica_fox_riok1gold

Jessica Fox (AUS). Foto: ICF

Nesta sábado, a australiana Jessica Fox deu mais um show para coroar uma excelente temporada  no K1. Das 5 etapas da Copa do Mundo, Fox venceu 3 e levou o título geral da temporada pela 1ª vez. Fox foi a melhor na 1ª descida nas eliminatórias, mas na semifinal teve um probleminha e ficou em 6º. Na decisão, novamente zerou sem faltas e venceu com o melhor tempo de 102,06 para levar o Mundial pela 3ª vez na carreira na prova! A britânica Mallory Franklin foi prata com 104,34 e a alemã Ricarda Funk completou o pódio com 105,32 (1 falta). Ana Sátila chegou à final, mas perdeu uma porta e deu 3 toques em portas, terminando em 9º com 162,99.

franz_anton_germany_c1goldrio

Franz Anton (GER). Foto: ICF

No C1 masculino, o título ficou com o alemão Franz Anton, que havia sido campeão mundial em 2015 no agora extinto C2 masculino. Zerando na final, Anton completou o percurso em 97,06, deixando a prata pro britânico Ryan Westley com 97,94 e bronze pro também alemão Sideris Tasiadis, com 98,87. Depois veio a armada eslovaca com Matej Benus 4º, Alexander Slafkovsky 5º e o mito Michal Martikan em 6º. Martikan, aos 39 anos, segue entre os maiores nomes da prova, com 5 medalhas olímpicas (ele não esteve no Rio-2016) e 22 em Mundiais, sendo 14 ouros! Desde 1995 ele está entre os melhores. Na semifinal da prova, Felipe Borges conseguiu um ótimo 18º lugar entre 30.

Nas provas por equipe, a Eslováquia venceu no C1 masculino, a Grã-Bretanha no K1 masculino e no C1 feminino e a França levou o K1 feminino. No C2 misto, ouro para os poloneses Marcin Pochwala e Aleksandra Stach.

Mais medalhas para Ana Satila. E quem segura Jessica Fox?

Na 3ª etapa da Copa do Mundo de canoagem slalom, Ana Sátila faturou mais duas medalhas e chega a 5 medalhas até agora na Copa do Mundo.

3232-gr-1-7-2018-16-23-43

Ana Sátila na 2ª etapa. Foto: CBCa

Na cidade alemã de Augsburg, Ana ficou com o bronze no C1 com 115,79, atrás da australiana Jessica Fox com 111,15 e da britânica Mallory Franklin com 115,65. Na prova de Extreme K1, uma espécie de corrida em formato de baterias, mas que não é olímpica, Ana venceu e levou o ouro. No sábado, ela parou na semifinal do K1, perdendo duas portas e terminando em 28º.

Na 1ª etapa, há duas semanas na Eslováquia, Ana já havia ficado com a prata no Extreme K1 e pego as duas finais nas provas olímpicas, terminando em 9ª no K1 e em 10ª no C1. E na semana passada, na Polônia, ela ficou com o bronze no C1 e mais uma prata no Extreme K1, mas no K1 parou na semifinal, em 16º.

Mas quem está imbatível é a australiana Jessica Fox. Prata em Londres-2012 e bronze no Rio-2016, Fox venceu o K1 e o C1 nas três etapas! 100% de aproveitamento nas duas provas, algo simplesmente espetacular. Na classificação geral, Ana está em 2º lugar no C1 e em 15º no K1. No masculino, o britânico Joseph Clarke lidera no K1 e o eslovaco Alexander Slafkovsky, prata nas 3 etapas, no C1.

A Copa do Mundo só retorna no fim de agosto para uma etapa na Eslovênia e em setembro pra etapa final na Espanha.

 

Mundial de Canoagem Slalom – Parte II

3133-20171001-3400-1-10-2017-16-18-02

Ana Sátila e sua 2ª medalha neste Mundial! Foto: CBCa

Depois de fracassar no C1 apesar de todo o favoritismo, a australiana Jessica Fox deu show na final do K1. Na semifinal, passou com o 10º tempo, ficando a apenas 0.07 da 11ª. Na decisão, ela foi a 1ª a descer e fez uma prova limpa com 97.14. Aí foi só torcer contra. Nenhuma atleta chegava perto do tempo da australiana. A última a descer foi a britânica Fiona Pennie, a melhor nas eliminatórias e na semifinal, mas, quando ela perdeu a 10ª porta, o ouro caiu nas mãos da jovem australiana de apenas 23 anos e 7 títulos mundiais! A eslovaca Jana Dukatova foi prata com 101.76 e a alemã Ricarda Funk bronze com 102.62. Ana Sátila, bronze no C1 na sexta, ficou em 15º lugar na semi e não pegou final.

20170930-03625_pau

Benjamin Savsek (SLO). Foto: ICF

Na final do C1 masculino, o esloveno Benjamin Savsek foi espetacular. Mesmo com uma falta e a punição de 2s, conseguiu fazer o melhor tempo, com 94.81. Em 2º lugar o eslovaco Alexander Slafkovsky com 96.29 e o bronze foi pro veteraníssimo e multicampeão eslovaco Michal Martikan. Após 3 pódios seguidos em mundiais, Savsek finalmente levou o ouro enquanto Martikan, aos 38 anos, chega a sua 21ª medalha em Mundiais! Ele ainda tem 5 medalhas olímpicas. Felipe Borges ficou em 25º na semifinal.

No domingo, foi a vez da estreia do Extreme Kayak em mundiais. É uma prova de baterias com 4 por vez onde os 2 primeiros avançam. Há portas que devem ser cruzadas pela direita ou pela esquerda, portas de remonta e área onde deve ser feito um rolamento. Ana Sátila foi avançando, venceu sua bateria de 4as de final, contou com duas desclassificações na semi e, na decisão, conseguiu uma medalha de prata, sua 2ª medalha neste Mundial! A vitória foi da alemã Caroline Trompeter e no masculino o ouro foi pro checo Vavrinec Hradilek.

Mundial de Canoagem Slalom – Parte I

Ana Sátila novamente entra para a história da canoagem brasileira conquistando a 1ª medalha de um brasileiro em Mundiais de canoagem slalom, em Pau, na França.

3131-20170929-300-29-9-2017-16-08-46

Ana Sátila. Foto: CBCa

Na prova do C1 feminino, que fará sua estreia olímpica em Tóquio-2020, Ana brilhou e contou bastante com a sorte. Nas eliminatórias na quarta-feira, fez o 13º tempo na 1ª descida para avançar pra semifinal. Hoje na semi, deu 3 toques nas portas, mas fez uma descida excelente (a 3ª mais rápida) e terminou em 7º lugar com 119.21 se garantindo na decisão. A australiana Jessica Fox vinha com o melhor tempo de 114.44. Na final, a britânica Mallory Franklin, a 1ª a descer, brilhou zerando com 109.09. As duas russas fizeram descidas ruins. Uma inclusive virou o caiaque e perdeu 6 portas. Ana foi a 4ª a descer e vinha muito bem, mas acabou tocando na penúltima porta. Ainda assim, assumiu o 2º lugar com 114.29. Aí foi hora de secar as 6 restantes. A britânica Eilidh Gibson vinha muito bem, mas tocou uma no final e piorou seu tempo, ficando atrás da brasileira. A checa Tereza Fiserova, penúltima a descer, zerou sua passagem e assumiu o 2º lugar, jogando a brasileira para 3º. Restava apenas Fox. A australiana comeõu muito bem, mas deu dois toques seguidos e se embananou numa porta invertida e, com 119.72, terminou em 6º. Medalha inédita de bronze para Ana Sátila em um Mundial adulto!

No K1 masculino, dobradinha checa num quase empate. Ondrej Tunka e Vit Prindis fizeram o 1-2 com 91.84 e 91.86 respectivamente, ambos zerando. Prata no Rio-2016, o esloveno Peter Kauzer completou o pódio com 92.13. No C2 masculino, que não é mais olímpica, vitória dos donos da casa Gauthier Klauss/Matthieu Péché com 105.30, deixando os primos eslovacos campeões olímpicos Ladislav e Peter Skantar em 2º com 105.37. Tricampeões olímpicos, os gêmeos eslovacos Pavol e Peter Hochschorner seguem em má fase, perdendo 2 portas e terminando em 10º.

No retorno do C2 misto a mundiais após um hiato de 36 anos, mais um ouro francês com Margaux Henry/Yves Prigent. Nas provas por equipes na terça-feira, a Eslováquia venceu no C1 masculino, República Checa no K1 masculino, Grã-Bretanha no C1 feminino e Alemanha no K1 feminino.

Foi a 19ª medalha do Brasil em provas olímpicas em Mundiais em 2017.