Jogos Olímpicos da Juventude – Último Dia

Só dois brasileiros participaram de competições, apesar das 25 finais do dia.

Lutas

O único que competiu como Brasil (a outra foi em prova mista de países) foi Rafael Filho na luta livre até 100kg. Na estreia, perdeu de Igbal Hajizada (AZE) por 4-0 (11-0 em pontos técnicos). Na segunda luta, perdeu de 4-1 (13-2 técnicos) para o egípcio Abdalla Elgizawee em apenas 1min21s. Rafael encerrou a primeira fase vencendo o mexicano Eduardo Betanzos por 3-0 (5-0) e ficou em 3º no grupo. Na disputa do 5º lugar, ele enfrentou Muhammet Rozykulyyev (TKM) e perdeu de 4-1 (13-1) e termina na 6ª posição.

Os cinco ouros da luta livre ficaram com: Ismail Gadzhiev (RUS) nos 46kg, Mukhambet Kuatbek (KAZ) nos 54kg, Teymur Mammadov (AZE, de azul na foto) nos 63kg, Yajuro Yamasaki (JPN) nos 76kg e por fim, Igbal Hajizada (AZE) nos 100kg.

No boxe, foram definidas as 10 finais masculinas: Rufat Huseynov (AZE) nos 49kg, Shakur Stevenson (USA) nos 52kg, Javier Ibañez Diaz (CUB) nos 56kg, Ablaikhan Zhussupov (KAZ) nos 60kg, Vincenzo Arecchia (ITA) nos 64kg, Bektemir Melikuziev (UZB) nos 69kg, Ramil Gadzhyiev (KAZ) nos 75kg, Blagoy Naydenov (BUL) nos 81kg, Yordan Morejon (CUB) nos 91kg e Peter Kadiru (GER) no acima de 91kg.

Outras Finais

Os russos Artem Iarzutkin e Oleg Stoyanovskiy venceram os venezuelanos Jose Gregorio Gomez/Rolando Hernandez por 21-12 21-13 e ficaram com o ouro no vôlei de praia masculino.Os argentinos Aulisi/Aveiro ficaram com o bronze.

Na canoagem por obstáculos, foram dois ouros para a França. No C1 masculino, Lucas Roisin venceu o irlandês Robert Hendrick na final por menos de 1s. No K1 feminino, o ouro francês foi para Camille Prigent, que venceu a chinesa Yan Jiahua por 0s6. No C1 feminino, vitória da austríaca Nadine Weratschnig por 2s6 sobre a checa Martina Satkova. E no K1 masculino, ouro do esloveno Anze Urankar com 2s de vantagem sobre o eslovaco Jakub Grigar.

Como já é costume, os ouros na ginástica rítmica foram para a Rússia. Irina Annenkova venceu o individual geral com 58,575, bem a frente da bielorrussa Maryia Trubach com 56,950 e da americana Laura Zeng com 56,750. Annenkova foi a melhor em 3 aparelhos e a segunda na fita. Na prova de conjuntos, a Rússia venceu com 29,550, na frente de Bulgária com 27,050 e Cazaquistão com 25,050.

Na prova de duplas mistas dos saltos ornamentais, Ingrid de Oliveira fez parceria com o alemão Timo Barthel e eles terminaram na 10ª posição com 280,40. O ouro foi para a mexicana Alejandra Loza e pro norueguês Daniel Jensen com 379,50.

Na final do hóquei na grama masculino, a Austrália venceu o Canadá nos pênaltis por 3-2 após empate em 3-3. O bronze ficou com a Espanha, que venceu a África do Sul por 7-4.

Na última final, a do futebol masculino, o Peru (foto) virou o jogo 2-1 sobre a Coreia do Sul e faturou seu primeiro ouro em competições olímpicas desde 1948! O bronze foi para a Islândia, com 4-0 sobre Cabo Verde.

Resumo

Pela primeira vez na história, a cerimônia de encerramento terá um dia só para ela, como ocorre com a abertura. Quem levará a bandeira brasileira será Matheus Santana, que levou uma medalha de cada cor, o ouro nos 100m livre, prata nos 50m livre e bronze no revezamento 4x100m livre misto.

Após 222 eventos, a China foi absoluta. Venceu 38 ouros, 13 pratas e 14 bronzes, seguida da Rússia, com 27-19-11 e dos Estados Unidos, que decepcionou, com 10-5-7. O Brasil teve uma ótima participação, levando 13 medalhas, sendo 6 ouros, 6 pratas e 1 bronze. Tirando as provas com equipes de países mistos, 52 países venceram um ouro e 87 países levaram pelo menos uma medalha.

Fiji (bronze no rugby masculino) e El Salvador (prata nos 400m livre masculino) venceram suas primeiras medalhas da história em uma competição olímpica. Gana, Moldova, Singapura e Zâmbia levaram seu primeiro ouro em um evento olímpico.

Legal ver alguns países medalhando, como o Suriname, ouro no salto triplo, o Iraque, bronze no salto com vara (!!), Burundi, Bósnia, Islândia.

A próxima edição dos Jogos ser;a disputada de 11 a 23 de setembro de 2018, em Buenos Aires.

Anúncios

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 10

No penúltimo dia dos Jogos, o Brasil levou duas medalhas, sendo uma prata histórica no tiro com arco e um ouro disputado no vôlei de praia.

Vôlei de Praia

A maior revelação dos últimos tempos no vôlei de praia é sem dúvida a Eduarda Lisboa, a Duda. Aos 14, foi campeã mundilal Sub19 em 2013 e defendeu o título esse ano aos 15. Agora, ao lado de Ana Patrícia Ramos, a Paty, fizeram um torneio perfeito e, com 9 vitórias (sendo 8 por 2-0) levaram o ouro no vôlei de praia feminino!

Primeiro, venceram as russas Makroguzova/Rudykh 21-18 21-19 na semifinal.

Já na final, enfrentaram a forte dupla das irmãs gêmeas canadenses Megan e Nicole McNamara, que foram bronze no Mundial Sub19 este ano. As canadenses começaram vencendo o primeiro set por 21-17, aí as brasileiras entraram na partidas e viraram o jogo, com 21-13 16-14 nos sets seguintes. Apesar do Brasil ser uma potência no vôlei de praia feminino, o único ouro olímpico havia sido em Atlanta-1996, com Jackeline e Sandra.

De olho na Duda, que acaba de fazer 16 anos.

Tiro com Arco

Marcus Vinícius D’Almeida chegou como um dos favoritos ao ouro na prova individual. Porta-bandeira brasileiro na cerimônia de abertura, enfrentou algumas dificuldades até chegar a final. Nas 8as, venceu o belga Rick Martens por 6-4 (28-30, 29-25, 28-28, 28-28, 28-23), de forma bem apertada. Nas 4as, teve mais tranquilidade com o britânico Bradley Denny, vencendo por 6-0 (29-26, 27-25, 30-29). Na semifinal, nova disputa bem apertada com o indiano Atul Verman, onde venceu por 6-4 (28-28, 28-30, 28-28, 29-27, 28-27).

Na final, ele pegou o sul-coreano Lee Woo Seok, que em sua primeira competição internacional fez 704 pontos em 720 possíveis na rodadad e ranqueamento e só tinha perdido um set em todo o torneio.

Foi uma das provas mais disputadas que vi, com os dois atirando de forma quase que perfeita. No primeiro set, o coreano fez 30 contra 29 do brasileiro. No segundo, novamente 30-29. No terceiro, os dois fizeram 30 e a disputa estava 5-1 para Lee. No 4º, o primeiro “erro” de Lee, com dois 9, apõs uma sequencia de 9 10s. Marcus fez 29-28 e diminuiu para 5-3. No 5º set, com o brasileiro precisando da vitória, o coreano nvamente fez um 30 contra 29 do brasileiro e fechou com 7-3.

Em 15 tiros, Lee fez teze 10s e dois 9s e Marcus onze 10s e quatro 9s. Final de altíssimo nível. Lembrando que em Nanjing a distância do alvo foi de 60m, contra os 70m das provas adultas.

Foi a primeira medalha brasileira no tiro com arco em uma competição olímpica.

Outras Finais

O atletismo foi encerrado com o inusitado revezamento 8x100m misto, com equipes de 4 meninos e 4 meninas de países diferentes provenientes de provas diferentes, incluindo os atletas de arremesso, lançamentos, provas de fundo, marcha, etc. Foram 67 equipes totalizando 536 atletas. Legal que apenas uma equipe não terminou e uma só foi desclassificada. Os oito melhores tempos passaram para a final. Apenas um brasileiro disputou. Mirna da Silva estava na equipe 7, que ficou com o 4º lugar com 1:44.77. A equipe 34 foi a vencedora com 1:40.20. Faziam parte da equipe Lakeisha Warner, australiana dos 800m, Ioana Gheorghe, romena dos 200m, Tatiana Blagoveshchenskaia, russa do salto triplo, Chelsea James, trinitina do arremesso de peso, Maria Simancas, venezuelana dos 400m, Trae Williams, australiano bronze nos 100m, Daou Aboubacar, atleta dos Comores dos 1.500m, Merten Howe, alemão bronze no arremesso de peso, e Witthawat Thumcha, tailandês dos 400m com barreiras.

Nas finais do basquete 3×3, a Lituânia ficou com o ouro no masculino de forma invicta após vencer 18-16 a França na prorrogação após empate em 16-16. Bronze para a Argentina com 17-14 na Rússia. No feminino, ouro também invicto para os Estados Unidos, com 19-10 na Holanda na final. Bronze para a Espanha com 12-11 na Hungria.

No boxe feminino, 3 países diferentes com o ouro. Nos 51kg, Chang Yuan (CHN) venceu 3-0 Irma Testa (ITA), nos 60kg ouro para a americana Jajaira Gonzalez 3-0 em Ciara Ginty (IRL) e nos 75kg Elzbieta Wojcik (POL) 2-1 em Nien-Chin Chen (TPE).

Na luta livre feminina, os ouros foram para Kim Sonhyang (PRK, foto) nos 46kg, Mayu Mukaida (JPN) nos 52kg, Grace Jacob Bullen (NOR) nos 60kg e Daria Shisterova (RUS) nos 70kg.

A China fechou o domínio nos saltos ornamentais com 4 ouros. Yang Hao venceu a plataforma 10m com 665,90, muito a frente do canadense Philippe Gagne com 531,70 e do mexicano Rodrigo Lopez com 512,75. Segundo ouro do chinês.

No revezamento misto do pentatlo moderno, a portuguesa Maria Teixeira e o ucraniano Anton Kuznetsov venceram com 3s de vantagem sobre a húngara Anna Toth e o mexicano Ricardo Reyes.

Na prova por equipes do golfe, após 3 dias de competições, o ouro ficou com a dupla da Suécia, que empatou com a Coreia do Sul com 16 abaixo do par. No desempate, deu Suécia. Também foi necessário um desempate no bronze, quando Itália e Dinamarca ficaram com 14 abaixo. Deu Itália.

No hóquei na grama feminino, oouro para a China que venceu a Holanda nas disputas de pênaltis por 3-2 após empate em 5-5. A China havia aberto 4-0, a Holanda virou 5-4 e a China empaotu faltando 1min! Bronze para a Argentina com 5-2 no Japão.

No futebol feminino, mais um ouro chinês, que venceu fácil 5-0 a Venezeula. Bronze para o México, com 3-1 na Eslováquia.

Outros Esportes

Miriam Barbosa não se acertou na qualificação da corrida com obstáculos da canoagem e foi desclassificada tanto no C1 como no K1.

Na ginástica rítmica, Mayra Siñeriz foi bem mal, ficando em 17º entre 18 com 43,300. Seu melhor aparelho foi o arco, com a 14ª nota. Ela teve a pior nota da bola e a penúltima nas maças e na fita. Irina Annenkova (RUS) foi a melhor com 58,950, seguida da americana Laura Zheng com 57,375. Na quali dos grupos, a Rússia liderou com 29,650, seguida de perto pela Bulgária com 29,200. Uzbequistão e Cazaquistão completam as equipes na final.

O que vem por aí

No último dia de disputas nesta quarta-feira, as últimas 25 finais.

O Brasil só tem chances de medalha na luta livre 100kg com Rafael Filho. Ingrid Oliveira disputa a prova por equipes mistas nos saltos ornamentais ao lado do alemão Timo Barthel.

Além dessas duas provas, teremos as finais do vôlei de praia, futebol e hóquei na grama masculinos, a prova individual e por grupos da ginástica rítmica, as 4 finais da canoagem por obstáculos e as 10 finais masculinas do boxe.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 9

Sem medalha no dia pro Brasil, uma quase no tiro com arco e o fracasso do atletismo. Novamente.

Atletismo

No último dia de provas individuais, 3 finais com brasileiros. A maior chance de medalha foi nos 400m com barreiras masculino, onde Mikael de Jesus ficou em 4º lugar com 51.30 a 0.11 do bronze. O campeão só saiu no photo finish, pois o chinês Xu Zhihang e o tunisiano Mohamed Jlasse fizeram o mesmo tempo, 50.61, mas o chinês chegou ligeiramente na frente.

Bruno Spinelli ficou em 6º no salto com vara com 4,85m. Com 5,10m, o espanhol Noel-Aman Vilalta venceu. Agora o inusitado foi o bronze, para o iraquiano (isso mesmo, iraquiano) Muntadher Abdulwahid com 5,05m. No dardo feminino, Alexandra Maria da Silva ficou em 8º com 47,54m. Bem a frente, vitória de Hanna Tarasiuk (BLR) com 59,52m.

Nas outras finais masculinas, Myles Marshall (USA) levou os 800m com 1:49.14. Nos 2.000m com obstáculos, mais um pódio africano, mas dessa vez liderado por Wogene Sidamo (ETH) com 5:38.42. No salto triplo, mais um campeão de país com pouca tradição. Miguel van Assen, do Suriname, era mesmo o favorito e venceu com 16,15m. Lembrando que a única medalha de ouro do Suriname em Olimpíadas foi de Anthony Nesty nos 100m borboleta em Seul-1988. No dardo masculino, Lukas Moutarde (FRA, foto) venceu com 74,48m.

Nas provas femininas, a queniana Rosefline Chepngetich (foto) dominou e levou com 6:22.67. Ela foi campeã mundial menor em 2013 e prata no mundial juvenil este ano. Gezelle Magerman (RSA) levou os 400m com barreiras com 57.91, tempo que a daria ouro no mundial menor ano passado. Kokeb Alemu (ETH) levou mais um ouro para a Etiópia vencendo os 1.500m com 4:15.38. Na última final (que na verdade foi a primeira do dia), Yanis David (FRA) levou o salto triplo com 13,33m.

Outras Finais

O Brasil ficou muito perto de uma medalha inédita no tiro com arco. Ana Machado (foto) venceu nas 8as a indonésia Diananda Choirusina por 6-5. Choirusina foi a 2ª colocada na rodada de ranqueamente e era a favorita. Ela venceu o primeiro set, aí a brasileira acertou a mira e virou para 4-2. No 4º set, Ana atirou mal e Choirusina entrou na partida empatando. No 5º e definitivo set, a indonésia venceu por 28-27, mas uma flecha da brasileira foi duvidosa e revista para cima. Empate em 28-28 e em 5-5, o que levou o combate para a flecha de desempate. E as duas fizeram um 10, quase na mesma posição. Após longa análise dos árbitros, a flecha da brasileira foi um pouco mais perto e ela levou a vitória dramática. Nas 4as, a situação foi quase idêntica. A polonesa Sylwia Zyzanska abriu 5-1, até a brasileira empatar. Na flecha de desempate, ambas fizeram 9, mas a da brasileira foi mais perto! Na semifinal, não resistiu à chinesa Li Jiaman e perdeu por 6-2 e restava disputar o bronze com a coreana favorita ao ouro Lee Eun Gyeong. Ana até que atirou bem, mas a coreana venceu por 7-1 e foi bronze. Na final, a chinesa venceu a francesa Melanie Gaubil por 6-4, também na flecha de desempate com um 10-9. Segundo ouro de Li, que também venceu nas duplas mistas.

No trampolim 3m feminino dos saltos ornamentais, mais um ouro chinês com Wu Shengping com 492,05. Ingrid de Oliveira, que é especialista na plataforma, ficou em 7º com 392,35. Wu também havia vencido na plataforma.

No handebol feminino, o Brasil perdeu para a Suécia por 23-16 após um péssimo primeiro tempo brasileiro quando saiu perdendo de 11-5. O ouro ficou com a Coreia do Sul, que venceu 32-31 a Rússia. No masculino, A Eslovênia venceu o Egito 31-25 e o bronze ficou com a Noruega, que fez 33-25 no Qatar.

Nas disputas da luta greco-romana, a Rússia venceu duas categorias, com Arslan Zubairov (58kg, foto, de vermelho) e Mark Bemalian (85kg). Os outros vencedores foram Ri Seung (PRK) nos 42kg, Ilkhom Bakhromov (UZB) nos 50kg e Islambek Dadov (AZE) nos 69kg. Calebe Correia venceu sua luta de estreia por 4-0 de Kaiser Muller, das Ilhas Marshall. Depois, duas derrotas, para uzbeque e para argelino. Na disputa do 5º lugar, perdeu para turco.

Outros Esportes

No basquete 3×3, o Brasil perdeu 20-16 para a Bélgica nas 8as de final no feminino. No masculino, o Brasil surpreendeu a China nas 8as com 12-11. Já nas 4as, acabou perdendo de 12-8 para a Rússia.

Nas 4as de finais do vôlei de praia, Duda/Paty seguem invictas e venceram 26-24 21-14 dupla da Argentina. Já os campeões mundiais Sub19 George/Arthur caíram para os russos Art/Oleg por duros 15-21 21-9 15-12.

Definidas as finais do hóquei na grama masculino, com Canadá, que venceu 6-5 a Espanha na semi, contra Austrália, que fez 4-3 na África do Sul.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 8

Domingo de ouro para o Brasil com duas vezes o hino tocando e uma medalha de prata.

Ginástica Artística

Captura de Tela 2014-08-24 às 09.23.05

Flávia Saraiva encantou os brasileiros e o público em Nanjing com a sua graça e, porque não, fofura. Aos 14 anos e com apenas 1,31m, ela foi à China substituir a lesionada Rebeca Andrade e não decepcionou. Depois de levar a prata no individual geral semana passada, disputou neste domingo duas finais por aparelhos.

Primeiro foi a vez da trave. Na qualificação, Flávia fez 13,200 e foi a 5ª, mas no individual geral, fez uma prova espetacular e tirou a melhor nota daquele dia com 14,050. Na final do aparelho Flávia foi a 5ª a se apresentar e viu a chinesa Wang Yan impecável com 14,633 e rotinas não muito boas da italiana e da britânica, suas principais adversárias. A brasileira então não fez sua série completa, mas cravou tudo e tirou 14,000, levando uma bela prata. Elissa Downie (GBR) foi bronze com 13,500.

Depois veio a final do solo. Flávia teve a melhor nota do aparelho na qualificação com 13,650 e na final do individual geral também foi a melhor com 13,800. Na final, tirou da cartola o ouro. A russa Seda Tutkhalyan entrou antes no tablado e fez uma bela apresentação com 13,733. A brasileira foi impecável e ficou a frente, com 13,766, encerrando uma campeonato excelente com 1 ouro e 2 pratas. O bronze ficou, também, com Elissa Downie (GBR) com 13,466.

Nas finais masculinas, 3 vencedores. Campeão do individual, Giarnni Regini-Moran (GBR) fatura seu 3º ouro e 5ª medalha em Nanjing no salto com 14,695, após vencer o geral e o solo. Prata Chine e bronze Rússia. O russo Nikita Nagornyy, aliás, venceu as barras paralelas com 14,033, seguido de húngaro e do britânico Regini-Moran. Nagornyy fatura também 3 ouros e 5 medalhas. Fechando a ginástica, como sempre, a barra fixa, que deu ouro ao japonês Kenya Yuasa com 13,700. Completou o pódio um belga e o britânico.

Tênis

E o segundo ouro do Brasil no dia veio no tênis! Orlando Luz, prata no individual, e Marcelo Zormann novamente venceram um grande torneio, após levar o caneco de Wimbledon. Na final de duplas, venceram os russos Karen Khachanov e Andrey Rublev por 7-5 3-6 10-3.

No individual feminino, mais um ouro chinês, com Xu Shilin 6-3 6-1 em Iryna Shymanovich (BLR). Nas duplas mistas, Jil Teichamnn (SUI)/Jan Zielinski (POL) venceram Jumpei Yamasaki (JPN)/Ye Qiuyu (CHN) 4-6 6-3 10-4.

Atletismo

Muitas finais no 2º dia, com apenas um brasileiro. Nos 200m feminino, Daysiellen Dias ficou em 6º com 24.73 e viu a jamaicana Natalliah Whyte fazer jus a fama do seu país e vencer com 23.55.

Foram outras 4 finais femininas. Alena Bugakova (RUS) levou o arremesso de peso com 18.95m. Yuliya Levchenko (UKR, foto) faturou o salto em altura com 1,89m, marca que a daria ouro no último mundial de menores. Nozomi Takamatsu (JPN) deixou pra trás a armada africana nos 3.000m com 9:01.58. No martelo, Xu Xinying (CHN) venceu de maneira impressionante. Ela e a australiana Alex Hulley empataram em 68,35m, mas o 2º melhor lançamento da chinesa (67,70m) foi melhor que o 2º melhor da australiana (66,81m).

Noah Lyles (USA) levou o primeiro ouro americano no atletismo, com 20.80 nos 200m. Ns 1.500m, pódio africano liderado por Gilbert Soet (KEN) com 3:41.99. Nos 3.000m, também pódio africano, mas com Yomif Atomsa (ETH) no topo com 7:56.20, quase 10s mais rápido que o 2º colocado. Fechando as provas de pista, Minoru Onogawa (JPN) levou a marcha 10.000m com 42:03.64.

Nas provas de campo, Hlib Piskunov (UKR) faturou o martelo masculino com 82,65, o que o daria ouro no último mundial da categoria por mais de 3m. No arremesso de peso, marca excepcional de 23,17m do polonês Konrad Bukowiecki (foto), que é da categoria menor, mas foi campeão esse ano no mundial juvenil. No salto em distância, Anatoly Ryapolov (RUS), campeão mundial menor, confirmou o favoritismo e venceu com 7,54m.

O único outro brasileiro a entrar no estádio foi Aliffer dos Santos, que venceu a final B dos 200m com 21.68.

Outras Finais

No tiro com arco, a disputa foi por duplas mistas. Marcus Vinícius D’Almeida atirou ao lado de cazaque. Nas 8as, venceram 6-2 indiana e búlgaro, mas nas 4as perderam para finlandesa e canadense por 6-2. Ana Machado fez parceria com polonês, e perderam nas 8as 6-2. O ouro ficou com a chinesa Li Jiaman e o filipino Luis Gabriel Moreno com 6-0 na final sobre alemã e malásio. Isso porque eles quase deram WO nas 4as, pois pegaram trânsito no caminho de ida, chegando em cima da hora.

Nas finais da canoagem sprint, um bom dia para a Bielorrússia, com dois ouros. Stanislau Daineka venceu no K1 masculino o húngaro Milan Mozgi na final mais apertada do dia por 1:36.913 a 1:37.336. Kamila Bobr deu o segundo ouro ao pa~is no C1 femiino, vencendo ucraniana Liudmyla Luzan por 5s5. No C1 masculino, ouro para a Moldávia, com Serghei Tarnovschi contra Vadim Korobov (LTU) e no K1 feminino, vitória da russa Inna Nikitina por 1s5 na húngara Luca Homonnai.

A última prova do ciclismo foi um revezamento misto de dois meninos e duas meninas. Começava com uma menia percorrendo um cicuito de cross-country, seguida de um menino também no cross-country, depois um menino na estrada e enecrrando com a última menina na estrada. Entre 29 equipes, o Brasil ficou em 9º com 18min21s, a 50s da equipe campeã, a República Checa. Completaram o pódio a Itália e a Ucrânia.

Mais um ouro chinês nos saltos ornamentais com Yang Hao no trampolim 3m masculino. Ele somou após 5 saltos 613,80, com o mexicano Rodrigo Lopez em 2º com 593,65 e o canadense Philippe Gagne em 3º com 566,75.

Na final dos saltos individuais do hipismo, 4 conjuntos zeraram a segunda passagem e foram para o desempate. Nele, Emily Fraser (NZL) montando Exilio zerou em 39s75 e venceu o ouro por muito pouco sobre a argentina Martina Campi, que também zerou mais com 39.95. Bronze para Jake Hunter (AUS) com uma falta e Sabrina Meza (ESA) foi a 4ª com 2 faltas e por pouco não levou a seugnda medalha da histõria para El Salvador.

O pentatlo moderno masculino foi vencido pelo russo Aleksandr Lifanov com 1.184 pontos, chegando na combinada 9s a frente do húngaro Gergely Regos. Completou o pódio o lituano Dovydas Vaivada a 33s do campeão.

Depois de muitos dias sem regatas por falta de ventos, as regatas finais da vela ocorreram. Na Byte CII masculina, depois de liderar no começo e depois ter um péssimo desempenho, PEdro Correa terminou na 6ª colocação geral com 51 pontos Ouro para Cheok Khoon Chin (SIN) com 38, o 1º ouro em uma competição olímpica de Singapura. Na mesma classe no feminino, Samantha Yom (foto) deu o 1º ouro da história para Singapura e Natascha Boddener terminou em 17º. Na Techno 293 masculina, Daniel Pereira terminou em 12º e o ouro foi para o argentino Francisco Birkner. Na prova feminina, ouro para a chinesa Wu Linli, que venceu 4 das 7 regatas disputadas.

Outros Esportes

Na última rodada da primeira fase do basquete 3×3, a equipe feminina perdeu 21-6 para a Holanda e venceu 14-6 a China, terminando seu grupo em 7º lugar. No masculino, equipe perdeu 15-13 para a Venezuela e terminou o grupo na 6ª posição.

Nas primeiras rodadas eliminatórias do vôlei de praia, George/Arthur veneram 21-18 21-16 peruanos e depois nas 8as passaram 21-12 21-10 pela dupla da Ucrânia. No feminino, Duda/PAty, direto nas 8as, venceram porto-riquenhas por 21-16 21-12.

No handebol, o Brasil perdeu 30-22 a semifinal feminina para a Rússia e no masculino vitória de 38-31 na Tunísia na 1ª partida da decisão do 5º lugar.

O hóquei na grama feminino definiu as finais. A Holanda, que venceu 4-2 a Argentina, pega na final a China, que passou 4-3 pelo Japão.

O futebol masculino também definiu as finais. O Peru, que venceu 3-1 Cabo Verde, enfrenta a Coreia do Sul, que venceu a Islândia por 3-1 nos pênaltis após empate em 1-1.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 7

Apenas uma prata no sábado dourado para a China.

Tênis

Orlando Luz foi o único medalhista brasileiro no sábado. Na final do torneio individual, não resistiu ao polonês Kamil Majchrzak e perdeu 6-4 7-5, terminando com a medalha de prata. 15º do ranking mundial juvenil, Majchrzak chegou às 4as de final do Australian Open e venceu o brasileiro, 3º do mundo no juvenil, em 1h30min.

Na final de duplas femininas, Anhelina Kalinina (UKR)/Iryna Shymanovich (BLR) venceram 6-4 6-4 as russas Daria Kasatkina e Anastasiya Komardina.

Atletismo

No primeiro dia de finais do atletismo, apenas um brasileiro em Finais A. Nos 400m masculino, Anderson Cerqueria ficou em 7º com 47.81. O vencedor foi o jamaicano Martin Manley com 46.31, seguido de Karabo Sibanda (BOT) com 46.76 e de Henri Delauze (BAH) com 46.91.

O destaque do dia foi o jamaicano Jaheel Hyde (foto). Campeão mundial menor nos 110m com barreiras e mundial juvenil nos 400m com barreiras, ele venceu novamente nos 110m, com o tempaço de 12.96, novo recorde mundial menor. Henrik Hannemann (GER) foi prata com 13.40 e Gyeongtae Kim (KOR) bronze com 13.43.

A China dominou o dia levando 4 ouros. Ma Zhenxia dominou a marcha 5.000m feminina com 22:22.08, seguida da mexicana Valeria Martinez com 23:19.27 e da italiana Noemi Stella com 23:38.10. No disco masculino, Cheng Yulong foi ouro com 64,14m. O alemão Clemens Prufer com 63,52m e o ucraniano Ruslan Valitov com 57,48m completaram o pódio. No disco feminino, Sun Kangping liderou com 52,79m, seguida da ucraniana Al’Ona Byelyakova com 51,64m e da alemã Lara Kempka com 50,70m. Fechando o dia dourado chinês, Liang Xiaojing venceu os 100m feminino com 11.65, num pódio meio fora do comum para a prova, com a cipriota Paraskevi Andreou na prata com 11.71 e a australiana Sam Geddes no bronze com 11.76. A mais rápida da qualificação e favorita, a polonesa Ewa Swoboda queimou a largada e foi desclassificada.

Dois países fizeram história e ouviram pela primeira vez o seu hino em uma competição olímpica. Martha Bissah levou o primeiro ouro de Gana, nos 800m feminino, com 2:04.90. Hawi Negeri (ETH) com 2:06.01 e Mareen Kalis (GER) com 2:06.03 completaram o pódio. Sydney Siame levou o primeiro ouro da Zâmbia e logo na prova mais rápida, os 100m. Ele venceu com 10.56, seguido de perto pelo japonês Kenta Oshima com 10.57 e do australiano Trae Williams com 10.60.

Nos 400m feminino, Jessica Thornton (AUS) venceu com 52.50, tempo que daria ouro no Mundial de Menores de 2013. Laura Valette (FRA) venceu os 100m com barreiras com 13.34. No salto em distância feminino, Yelyzmaveta Baby (UKR) levou com 6,26m. Angelica Moser (SUI) dominou o salto com vara com 4,36m, marca que também daria ouro no mundial de menores de 2013 com 11cm de folga. Ela tentou o 4,48m, que seria recorde mundial de menores, mas não conseguiu. Fechando o dia, Danil Lysenko (RUS) venceu o salto em altura com 2,20m, também marca para ouro em Mundial.

Os brasileiros disputaram finais B. Mirna da Silva foi 4ª nos 100m com 12.12. Ana Karolyne Silva 3ª nos 800m com 2:11.27. Danilo Cardoso 2º no salto em altura com 2,05m, recorde pessoal. Thais Gomes ficou sem marca no salto com vara, queimando as três em 3,20m. Maycon Bonadeo 3º no disco com 54,15m. Elen Vasconcelos 2ª no salto em distância com 5,60m. Vitor Venâncio 2º nos 110m com barreiras com 13.81 e Paolla Luchin venceu a Final C dos 100m com barreiras com 14.16.

Ginástica Artística

No primeiro dia de finais por aparelhos, um dia dourado para a Rússia, que venceu 3 das 5 finais.

No cavalo com alças, Nikita Nagornyy (foto, no pódio das argolas) fez 13,966 e foi ouro, com Vladyslav Hryko (UKR) colado com 13,933 e Timur Kadirov (UZB) com 13,800. Nagornyy ainda levou ouro nas argolas com 14,000, na frente do chinês Ma Yue com 13,866 e novamente do ucraniano com 13,533. Nas barras assimétricas, a russa Seda Tutkhalyan venceu com 13,575, seguida da italiana Iosra Abdelaziz com 13,366 e da chinesa Wang Yan com 13,066.

No salto feminino, Wang Yan tirou 14,783, seguida da britânica Elissa Downie com 14,566 e da japonesa Sae Miyakawa também com 14,566, mas bronze por conta dos critérios de desempate. Fechando o dia, o campeão do individual geral, o britânico Giarnni Regini-Moran levou o solo com 14,766, bem a frente do japonês Kenya Yuasa com 14,133 e do coreano Lim Myongwoo com 13,766.

Outras Finais

Na primeira final dos saltos ornamentais, deu, como esperado, China. Wu Shengping foi muito superiora às outras, com 526,20. A prata ficou com Chiayi Loh, da Malásia, com 450,65. Ingrid de Oliveira ficou com a 5ª posição, com 399,60.

No pentatlo moderno feminino, o ouro ficou com a chinesa Zhong Xiuting (foto) com 1.054 pontos, chegando 10s na frente da britânica Francesca Summers.

Mais um ouro chinês no dia. Foi na final por equipes do tênis de mesa. Na decisão, vitória de 2-0 sobre o Japão. O bronze ficou com a dupla de Hong Kong.

Na última categoria do levantamento de peso, o acima de 85kg masculino, ouro para Simon Martirosyan (ARM) com 391kg, muito a frente dos outros. A prata foi para o sérvio Tamas Kajdoci com 336kg.

Outros Esportes

Foi um dia bom para o basquete 3×3 brasileiro. No masculino, vitórias de 9-8 na Nova Zelândia e de 19-4 na Guatemala. No feminino, 20-9 na Eslovênia.

Na primeira rodada individual do tiro com arco, Marcus Vinícius D’Almeida venceu tranquilo filipino Luis Gabriel Moreno por 6-0 com séries quase perfeitas: 29-22, 30-26, 28-27. No feminino, Ana Machado também venceu, mas por 7-3 a finlandesa Mirjam Tuokkola.

Miriam Barbosa disputou as eliminatórias e as primeiras fase da canoagem, tanto no K1 como no C1. No C1, ela foi 9ª na qualificação, e 6ª na repescagem, não avançando. No K1, foi 11ª nas eliminatórias, aí venceu a repescagem. Nas 8as, fez o 8º tempo e avançou às 4as, onde perdeu para Camila Rey (ESP) por pouco mais de 6s.

No hipismo, Bianca Rodrigues não se deu bem mesmo com o cavalo. Na primeira rodada individual, foi novamente eliminada, como ocorreu na primeira fase da prova por equipe.

Nas semifinais do futebol feminino, Venezuela vence México nos pênaltis por 4-3 após 1-1 no tempo normal. Na outra, após empate em 0-0, a China venceu por 4-2 nos pênaltis a Eslováquia.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 6

Tempo espetacular no ouro do Matheus Santana, mais uma final no tênis, começa o tiro com arco e o atletismo se salva no último dia das qualificações.

Natação

Dessa vez, Matheus Santana não deixou o chinês se aproximar. Como esperado, ele dominou por absoluto os 100m livre, com direito a recorde mundial juvenil e tempo espetacular, que o coloca em 3º no ranking mundial! Especialista nos 50m, Yu Hexin abriu forte nos primeiros 50m, mas o brasileiro alcançou e bateram quase junto na metade, com o chinês com 0.03 de vantagem. Na volta, não teve para ninguém. Matehus fechou com o tempaço de 48.25, novo recorde mundial júnior. Quase ao mesmo tempo desta final, rolava a final dos 100m livre no Pan-Pacífico. O tempo do Matheus o daria a medalha de prata no Pan Pacífico! E ele tem só 18 anos. O chinês foi prata com 49.06 e Damian Wierling (GER) ficou com o bronze a apenas 0.01 do chinês.

Brasil disputou mais 3 finais com chances de medalha, mas não conseguiu. No revezamento 4x100m medley misto, o Brasil e classificou para a final em 7º, com Matheus nadando quase parando na sua bateria suficiente para vencer. Quase ficaram de fora. Na final, fizeram 3:53.93 com Matheus fechando para 48.24. Giovanna Diamante nadou o borboleta e entregou pro Matheus em 6º, que tentou recuperar, mas não deu. Mais um ouro para a China com 3:49.33, seguida de Rússia e Austrália.

Nos 200m borboleta masculino, Luiz Altamir Melo ficou em 5º com 1:58.34. Na dobradinha húngara, Tamas Kenderesi foi ouro com 1:55.95 e Benjamin Gratz prata com 1:57.71. Completou o pódio Giacomo Carini (ITA) com 1:58.14.

Nos 400m livre feminino, Bruna Primati foi a 7ª com 4:15.12. Ouro para Hannah Moore (USA) com 4:11.05, seguida colada pela tailandesa Sarisa Suwannachet com 4:11.23 e pela alemã Kathrin Demler 4:11.25.

Nas outras 5 finais, 5 países diferenets. Rozaliya Nasretdinova (RUS) venceu 24.88 os 50m livre feminino, Li Guangyuan (CHN) 1:56.94 nos 200m costas masculino, Liliana Szilagyi (HUN) 57.67 nos 100m borboleta feminino, Anastasiya Malyavina (UKR) 2:26.43 nos 200m peito feminino e Nikola Obrovac (CRO) 27.83 nos 50m peito masculino.

Atletismo

Os brasileiros se redimiram e foram bem melhor nas provas do 3º e último dia, alcançando 4 finais A. Nos outros dois dias, apenas uma final. O melhor foi Mikael Antonio de Jesus nos 400m com barreiras. Ele completou com 51.12, recorde pessoal e a 2ª melhor marca do dia atrás apenas do chinês Xu Zhihang com 50.79. Nos 200m feminino, Daysiellen Dias fez o 6º tepo com 24.70 e viu a jamaicana Natalliah Whyte fazer jus à fama do seu país e terminar com 23.79. Alexandra Maria da Silva fez a 9ª marca no lançamento de dardo com 48,28m e pegou a última vaga. A melhor marca foi da bielorrussa Hanna Tarasiuk com 55,48m. Fechando o bom dia brasileiro de finais A, Bruno Spinelli fez 4,80m no salto com vara e passou em 5º, com 4 atletas alcançando 4,90m.

Outro dois brasileiros competiram e vão para a Final B. Aliffer dos Santos foi o 9º nos 200m masculino com 21.64, ficando a 0.22 da vaga na final. Melhor tempo do americano Noah Lyles com 20.71. Nos 400m com barreiras feminino, Maria Leticia Peres foi a 11ª com 1:01.52 em prova com melhor marca da sul-africana Gezelle Magerman com 58.57.

Nas outras provas, os melhroes do dia foram: Miguel van Assen, do Suriname, no salto triplo masculino com 16,29m, Kokeb Alemu (ETH) com 4:21.87 nos 1.500m feminino, Alexandru Novac (ROU) com 77,61m no dardo masculino, Yanis David (FRA) com 13,06m no salto triplo feminino e Myles Marshall (USA) com 1:50.22 nos 800m masculino.

Amanhã começam as finais.

Outras Finais

A prova de estrada foi a última etapa das provas por equipe no ciclismo e os brasileiros foram muito bem, apesar de nada ter adiantado. No feminino, Ana Paula Casetta venceu a prova e somou 100 pontos para o Brasil, que terminou em 12º geral com 103. O pódio foi formado pela Itália com 248 (pontuou em todas as provas), República Checa com 230 e Dinamarca com 225. No masculino, Rodrigo Quirino foi 3º na prova e o Brasil terminou também em 12º com 95 pontos. O ouro foi para a Colômbia com 273, seguida de Dinamarca com 257 e Holanda com 256! Bem próximos.

Nas finais do badminton, Shi Yuqi venceu a final chinesa masculina 21-15 21-19 sobre Lin Guipu. No feminino, num jogo disputadíssimo, He Bingjiao (CHN) venceu 22-24 23-21 21-17 Akane Yamaguchi em longas 1h16min. Nas duplas mistas, June Wei Cheam (MAS)/Tsz Yau Ng (HKG) venceram 21-14 23-21 Kanta Tsuneyama (JPN)/Chia-Hsin Lee (TPE).

Nas duplas mistas do rifle de ar 10m no tiro, a egípcia Hadir Mekhimar e o húngaro Istvan Peni venceram 10-2 na final a argentina Fernanda Russo e o mexicano Jose Martinez.

No trampolim acrobático masculino, Dylan Schmidt (AUS) foi ouro com 57,340, seguido do chinês Liu Changxin com 56,935 e do português Pedro Ferreira com 56,040.

No levantamento de peso, a tailandesa Duanganksorn Chaidee venceu o +63kg feminino com 244kg no total. Svetlana Shcherbakova (RUS) e Tatyana Kapustina (UKR) empataram com 228kg, mas a russa foi prata por ter menos massa corporal. Nos 85kg masculino, ouro para Khetag Khugaev (RUS) com 355kg, bem a frente do uzbeque Farkhodbek Sobirov com 321kg com a prata e do egípcio Mohamed Shosha, bronze com 318kg.

Outros Esportes

Orlando Luz e Marcelo Zormann venceram japoneses Matsumura/Amasaki por tranquilos 6-1 6-2 e estão na final de duplas, já garantindo a prata. Orlandinho está nas duas finais! Nas duplas mistas, duas derrotas. Orlando e Luisa Stefani perderam 6-1 3-6 10-6 para chinesa e japonês e Marcelo Zormann com paraguaia perderam 7-5 6-2 para polonês e húngara. O líder do ranking juvenil Andrey Rublev (RUS) venceu a disputa de bronze.

Começaram as disputas do tiro com arco. Na rodada de qualificação (72 flechas a 60m), Marcus Vinícius D’Almeida fez a 3ª marca com 683 pontos e viu o sul-coreano fazer excepcionais 704 pontos (em 720 possíveis), batendo o recorde mundial cadete. No ranqueamento feminino, Ana Machado foi a 18ª com 627. Eun Gyeong Lee (KOR) liderou com 681 pontos, também recorde mundial cadete. Na primeira rodada das duplas mistas, o melhor no masculino fez duplas com a pior no feminino. Marcus e cazaque venceram 6-0 e Ana e polonês venceram 5-3 e ambas as duplas estão nas 8as. Quem se deu mal foram os coreanos, que se juntaram com o spiores e perderam suas disputas.

Finalmente chegou ao fim a primeira fase do vôlei de praia. Duda/Paty não jogaram por conta de WO de dupla da Serra Leoa e venceram seu grupo. George/Arthur venceram 22-20 21-6 dupla do Congo e ficaram em 2º no grupo.

O basquete 3×3 segue indo muito muito mal. No feminino, mais duas derrotas: 16-7 para a Espanha e 16-11 para a Alemanha. No masculino, vitória 12-7 sobre a Romênia.

Duas derrotas no handebol. No feminino, perderam 32-24 para a Suécia, mas avançaram para as semis, onde enfrentam a Rússia. No masculino, nova derrota, agora 29-23 para o Egito e Brasil está fora das semifinais. Vai pegar a Tunísia pelo 5º lugar.

Nas 8as das equipes mistas do tênis de mesa, Hugo Calderano e a uruguaia Maria Lorenzotti estão eliminados. Enfrentando a dupla Europa 2, Maria perdeu 3-1 para israelense, Hugo venceu sueco 3-0 e, nas duplas mistas, derrota de 3-2 dos sul-americanos.

Novamente todas as regatas da vela foram canceladas pela quasência quase total de vento.

O que vem por aí

No dia mais agitado dos Jogos, 28 finais no sábado! Na ginástica artística, o primeiro dia de finais por aparelhos com solo, cavalo com alças e argolas masculinos e salto e barras assimétricas no feminino; no atletismo, são 13 finais: no masculino, 100m, 400m, 110m com barreiras, salto em altura e disco; no feminino 100m, 400m, 800m, marcha 5.000m, 100m com barreiras, salto com vara, salto em distância e disco; nos saltos ornamentais, a plataforma 10m feminina; no pentatlo moderno, a prova feminina; na vela, as 4 regatas da medalha; no tênis de mesa, a prova por equipes mista; no tênis, o individual masculino e as duplas femininas e no levantamento de peso, os +85kg masculino.

Amanhã teremos o início do boxe, da canoagem e dos saltos ornamentais.

Jogos Olímpicos da Juventude – Dia 5

Num dia sem medalhas pro Brasil (mas com brasileira ganhando medalha), destaque para provas de habilidades no basquete, mais fracasso do atletismo brasileiro e algumas vitórias importantes.

Natação

Foram apenas 4 finais. Nos 800m livre masculino (prova sem final), o egípcio Akram Ahmed (foto) venceu a série forte e fez o melhor tempo com 7:54.29 e ficou com a medalha de ouro inédita para o seu país. Prata para Mykhailo Romanchuk (UKR) com 7:56.34 e bronze para Henrik Christiansen (NOR) com 7:57.07.

Nos 50m borboleta, Yu Hexin (aquele dos 50m livre do dia anterior) venceu com 23.69, deixando Dylan Carter (TRI) com a prata com 23.81 e Mathys Goosen (NED) com o bronze com 24.13. A prova de 50m costas feminino teve como vencedora a holandesa Maaike de Waard co 28.36. Atrás dela a britânica Jessica Fullalove com 28.66 e a neozelandesa Gabrielle Fa’Amausili com 28.69.

O Brasil disputou apenas uma final, o revezamento 4x100m livre feminino. A equipe até começou bem, ficando entre as 4 primeiras por boa parte da prova, brigando pelo bronze. Na última nadadora, caiu e terminou em 5º com 3:46.34. Mais um ouro para a China, com 3:41.19, seguida de Rússia e Austrália.

Nas disputas de semifinais, destaque para Matheus Santana. Agora nadando sua especialidade, os 100m livre, sobrou. Nadou leve e fez 49.30, o melhor tempo bem a frente do segundo, com 49.78. A única outra a pular na piscina foi Giovanna Diamante nos 100m borboleta, que terminou em 10ª na semifinal com 1:00.77

Atletismo

Nenhum dos 3 brasileiros chegou a Final A da sua prova. O melhor foi Daniel do Nascimento nos 2.000m com obstáculos, que ficou em 9º, a uma posição da final, com 5:46.92. Melhor tempo do etíope Wogene Sidamo com 5:34.24. Mirna da Silva nos 100m fez o 11º tempo com 11.95 e vai pra Final B. A melhor marca foi da polonesa Ewa Swoboda (foto), com ótimos 11.30, tempo que a daria ouro no Mundial de Menores ano passado. Kelves dos Santos foi o 12º no salto em distância com 6,48m, muito longe do líder, o russo campeão mundial menor Anatoly Ryapolov com 7.65m.

Nas outras provas do dia, boa marca do australiano Trae Williams, melhor nos 100m masculino com 10.51. No peso masculino, Konrad Bukowiecki (POL) fez a melhor marca com ótimos 22,34m, marca que também daria ouro no mundial de 2013. Nos 1.500m masculino, Gilbert Soet (KEN) lidera a armada africana na final com 3:45.21. E no martelo masculino, ótima marca do húngaro Bence Halasz com 83,68m, 4m melhor que o campeão mundial do ano passado.

No feminino, a campeã mundial menor Rosefline Chepngetich (KEN) dominou os 2.000m com obstáculos com 6:20.10, 17s melhor que a segunda colocada. A russa Alena Bugakova venceu a quali do peso com 18,86m e no martelo deu a australiana Alex Hulley com 70,87m. Fechando o dia, o salto em altura feminino viu 8 meninas com 1,78m na final A.

Basquete

Uma grande novidade do dia foram as provas de habilidades do basquete, parecido com o que ocorre nos jogos das estrelas da NBA e da NBB. As meninas disputaram a prova de arremessos de 3. Eram 10 bolas em 33s. A melhor na qualificação foi a holandesa Esther Fokke, que acertou 8. Lucia Carpintero (ESP) foi a 2ª com 7. Na final, que contou com apenas 4 atletas, a espanhola fez novamente 7 cestas e ficou com o ouro. Ela Micunovic (SLO) e Katie Samuelson (USA) fizeram 4, mas a eslovena foi mais rápida. Fokke só fez 3 e ficou fora do pódio. A melhor brasileira foi Letícia Josefino em 33º lugar com 3 cestas em 23s7.

Já os meninos disputaram uma competição de enterradas. Na qualificação, foram duas chances para cada atleta. Os dois brasileiros não fizeram cesta na 1ª tentativa. Na 2ª, Felipe da Penha fez 24 pontos e foi o 14º geral e Gabriel Ferreira fez 24 e 15º geral. Na final, foram duas rodadas também. Dos 4 finalistas, apenas os 2 melhores avançavam pra finalíssima. O melhor foi Ziga Lah (SLO) que fez 59 na 1ª chance, mas na 2ª somou apenas 26 pontos e foi prata. O ouro ficou com o francês Karim Mouliom, com 54 na 1ª e 55 na 2ª. Bronze para o chinês Fu Lei.

Outras Finais

Nenhum brasileiro ganhou medalha para o Brasil, mas a campeã olímpica Layana Colman fez parte da equipe Geesink, que foi prata na prova por equipes do judô. Ao lado de uma russa, um bielorrusso, uma montenegrina, um coreano, uma taiwanesa e um sérvio, perderam para a equipe Rouge na final por 4-2.

De volta ao programa olímpico, o golfe premiou seus primeiros vencedores. No masculino, o norueguês que liderava após 2 rodadas ficou fora do pódio. O ouro foi para o italiano Renato Paratore com 11 abaixo do par, seguido do sueco Marcus Kinhult com 9 abaixo e do tailandês Danthai Boonma, com 6 abaixo, que venceu o norueguês nos buracos de desempate. No feminino, Soyoung Lee (KOR) dominou e fechou com 14 abaixo do par! Completando o pódio asiático, Ssu-Chia Cheng (TPE) com 11 abaixo e Supamas Sangchan (THA) com 7 abaixo.

No último dia do taekwondo, Milena Guimarães perdeu logo na estreia do +63kg feminino 2-1 para a americana Kendall Yount, que viria a ser a campeã. Na final, Yount venceu 4-2 Umida Abdullaeva (UZB). No +73kg masculino, ouro para Yoann Miangue (FRA) com 6-4 na final sobre Denys Voronovskyy (UKR).

No tiro, uma diferente prova de duplas mistas. Na pistola de ar 10m, a dupla formada pelo uzbeque Vladimir Svechnikov e pela búlgara Lidia Nencheva (foto), venceu na final um atleta do Egito e uma de Singapura por 10-5 e ficou com o ouro. Bronze para um guatemalteca e uma menina da Letônia. Nesta prova, o campeão do masculino fez dupla com a 20ª no feminino e assim por diante.

Já meio que esperado, o ouro do trampolim acrobático feminino foi para a chinesa Zhu Xueying, que na final tirou 55,425 contra 52,370 da japonesa Rana Nakano e 52,360 da russa Maria Zakharchuk. Quase teve empate.

No interessante revezamento misto do triatlo, a equipe da Europa 1 (foto), que contou com o campeão no individual Ben Dijkstra (GBR), venceu com 13s de vantagem sobre Europa 3 e com 53s de vantagem sobre a equipe da Oceania. Bárbara do Santos estava na América 3, com salvadorenha, venezuelano e um atleta de Bermudas. Eles terminaram em 11º entre 16 equipes, 8min atrás dos campeões.

No levantamento de peso, para coroar o ótimo dia do Egito em Nanjing, Sara Ahmed venceu a categroai 63kg feminina com 228kg no total, seguida de mexicana com 210kg e de ucraniana com 208kg. Nos 77kg masculino, ouro para Hakob Mkrtchyan, da Armênia, com 319kg no total. Pertinho dele, o indiano Venkat Ragala com 316kg e o cazaque Zhaslan Kaliyev com 310kg.

Outros Esportes

Orlando Luz (foto) segue 100% em Nanjing! Nas simples, venceu na semifinal Jumpei Yamasaki (JPN) 6-2 4-6 6-2 e está na final individual. Ele enfretará o polonês Kamil Adrian Machrzak, que venceu o Andrey Rublev (RUS), número 1 do mundo. Nas duplas mistas, Orlando e Luisa Stefani venceram americanos por 6-4 6-4 e estão nas 4as. Também nas mistas, Marcelo Zormann e Liz Campiz (PAR) venceram 5-7 6-3 10-5 sul-africano e egípcia e também estão nas 4as.

No tênis de mesa, o medalhista de bronze no individual Hugo Calderano e a uruguaia Maria Lorenzotti venceram dois confrontos na prova por equipe mista. Fizeram 3-0 na dupla da Alemanha e 3-0 na África 1. Com a derrota da outra equipe, eles venceram seu grupo e estão nas 8as de final.

O Brasil estreou no handebol. No feminino, venceu 32-18 a China e no masculino perdeu por apertados 33-31 para a Noruega.

Na eterna primeira fase do vôlei de praia, Duda/Paty venceram 21-16 21-18 dupla da Suíça e já venceram o grupo, porque o último jogo seria contra supla de Serra Leoa, que não foi para Nanjing. George/Arthur também venceram 21-12 21-18 dupla da Lituânia e seguem em 2º no grupo.

Definidas as semifinais do futebol masculino. Peru venceu Honduras 3-1 e pega na semifinal Cabo Verde, que venceu 7-1 Vanuatu. Do outro lado, Coreia do Sul e Islândia.

As finais do badminton também estão definidas. No masculino, final chinesa entre Lin Guipu (aquele que fez o jogão com o brasileiro) e Shi Yuqi. No feminino, He Bingjiao (CHN) pega Akane Yamaguchi (JPN). Nas duplas, também final asiática. Chia-Hsin Lee (TPE)/Kanta Tsuneyama (JPN) pegam Tsz Yau Ng (HKG)/June Wei Cheam (MAS).

O que vem por aí

Nesta sexta-feira, 18 finais agitam Nanjing: no badminton, as três provas serão definidas; no ciclismo, as provas por equipes masculina e feminina serão encerradas com a prova de estrada; no tiro, as duplas mistas do rifle de ar; na natação, 50m livre feminino, 200m costas masculino, 100m borboleta feminino, 100m livre masculino, 200m peito feminino, 200m borboleta masculino, 400m livre feminino, 50m peito masculino e 4x100m medley misto; na ginástica de trampolim, a prova masculina; e no levantamento de peso, os +63kg feminino e os 85kg masculino.