Prévia Pyeongchang-2018: Combinado Nórdico

Único esporte exclusivamente masculino nos Jogos Olímpicos (seja verão ou inverno), o combinado nórdico reune os saltos em esqui e o cross-country. A FIS está desenvolvendo a versão feminina da modalidade e já tivemos neste ano uma prova teste no Mundial Jr e a modalidade deve em breve entrar no Mundial adulto e, por consequência, nos Jogos Olímpicos.

NH/10km Masculino

Pódio em Sochi-2014: Ouro – Eric Frenzel (GER); Prata – Akito Watabe (JPN); Bronze – Magnus Krog (NOR)

Último Mundial (2017): Ouro – Johannes Rydzek (GER); Prata – Eric Frenzel (GER); Bronze – Björn Kircheisen (GER)

akito-watabe-sochi-usatsi_7731625-1024

Akito Watabe (JPN)

Cada atleta faz primeiro um salto na pista menor de saltos, assim como na prova de esqui em saltos e a pontuação segue as mesmas regras. A prova de 10km é no formato perseguição. O melhor nos saltos larga em primeiro com 4s de vantagem para cada ponto de vantagem na prova de saltos. Ganha o primeiro que cruzar a linha de chegada.

Os alemães deram um show no último Mundial, ficando com as 4 primeiras posições na prova em Lahti, liderado por Johannes Rydzek, que saiu da cidade finlandesa com 4 ouros em 4 provas possíveis (nos Jogos são apenas 3 provas). Mas Rydzek não faz uma boa temporada na Copa do Mundo e conta com apenas um vitória e 3 pódios, bem abaixo das 8 vitórias e 17 pódios da passada (sem contar o Mundial). Mas o grande nome do esporte na atualidade é Eric Frenzel. Segundo maior vencedor da história da Copa do Mundo com 42 vitórias e 73 pódios, foi campeão das últimas 5 temporadas e defende o título olímpico da prova na pista curta. Björn Kircheisen é o veterano da equipe alemã, venceu sua 1ª medalha olímpica em 2002 e tem 17 vitórias no circuito além de 12 medalhas em Mundiais.

O japonês Akito Watabe é o nome da temporada. Ele lidera a Copa do Mundo e acaba de vencer as 3 provas do tradicional Triplo de Seefeld (3 provas em 3 dias seguidos, uma de 5km, uma de 10km e a final de 15km). Tem 13 vitórias na carreira e 53 pódios. A Noruega é a outra força com Jan Schmid e Espen Andersen, 2 vitórias cada nesta temporada, além de Jorgen Graabak, dois ouro em Sochi. Muito fraco no salto, o italiano Alessandro Pittin tem um excelente cross-country e pode surpreender caso consiga acertar o salto.

Meu Pódio: Ouro – Akito Watabe (JPN); Prata – Jan Schmid (NOR); Bronze – Johannes Rydzek (GER)

LH/10km Masculino

Pódio em Sochi-2014: Ouro – Jørgen Graabak (NOR); Prata – Magnus Moan (NOR); Bronze – Fabian Riessle (GER)

Último Mundial (2017): Ouro – Johannes Rydzek (GER); Prata – Akito Watabe (JPN); Bronze – Fraçois Braud (FRA)

johannes-rydzek-jubelt-beim-zieleinlauf

Johannes Rydzek (GER)

Esta prova tem os mesmo moldes da anterior, mas é disputada na pista longa, dando mais vantagem aos bons saltadores. Cada ponto de vantagem nos saltos também equivale a 4s no cross-country.

O japonês Akito Watabe lidera a Copa do Mundo no geral e na classificação de melhor saltador, dando-lhe boa vantagem na prova da pista longa. O austríaco Mario Seidl deu um show no salto no último mundial e largou com 46s de vantagem no cross-country, mas viu 3 passarem por ele e terminou em 4º. Seu compatriota Wilhelm Denifl foi o 2º no salto e acabou em 5º, mas eles podem surpreender. Os noruegueses Jarl Magnus Riiber, Espen Andersen e Jan Schmid são ótimos no salto e tem um bom cross-country, o que pode colocá-los na briga por medalha, mas Magnus Moan, atual vice olímpico, é melhor no cross-country. E, claro, de olho na forte equipe alemã, com Johannes Rydzek, atual campeão mundial, o Eric Frenzel e Fabian Riessle.

Meu Pódio: Ouro – Johannes Rydzek (GER); Prata – Akito Watabe (JPN); Bronze – Espen Andersen (NOR)

LH/4x5km por Equipe Masculino

Pódio em Sochi-2014: Ouro – Noruega; Prata – Alemanha; Bronze – Áustria

Último Mundial (2017)*: Ouro – Alemanha; Prata – Noruega; Bronze – Áustria

* A prova disputada no Mundial foi na pista curta, não na longa

Na prova por equipes, cada um dos 4 atletas dá um salto e a pontuação é somada. Cada ponto dá 1,33s de vantagem pra equipe no revezamento (45 pontos equivalem a 1min), também no formato de perseguição.

Alemanha e Noruega se destacam por terem as melhores equipes. A Alemanha venceu neste formato nos últimos 2 mundiais e a Noruega levou em Sochi-2014. Nesta temporada, a Noruega venceu as duas vezes que rolou o revezamento na Copa do Mundo, e a Alemanha foi vice nas duas vezes. Áustria, Japão, França e Finlândia tem equipes bem inferiores e devem brigar pelo bronze.

Meu Pódio: Ouro – Noruega; Prata – Alemanha; Bronze – Japão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s