Mundial de Ciclismo Pista – Dia 3

Sprint individual feminino

182249_8-lg-hd

Kristina Vogel (GER)

A alemã Kristina Vogel foi praticamente perfeita. Vindo do ouro nos Jogos do Rio, Vogel fez o 3º tempo na qualificatória com 10.816, atrás apenas da australiana Stephanie Morton com 10.724 e da favorita da casa Lee Wai Sze com 10.764. O 4º tempo da francesa Mathilde Gros de 10.826 foi o novo recorde mundial juvenil. Sem grandes surpresas nas primeiras rodadas, com as 3 melhores passando para as semifinais. Gros perdeu de 2-0 para a veterana lituana Simona Krupeckaite. Nas semis, Morton venceu por 2-1 de virada Krupeckaite enquanto Vogel passou com 2-0 por Lee Wai Sze. Na decisão, mais um show da alemã, com tranquilos 2-0 sobre Morton, com 0.149 e 0.147 de vantagem e o 3º título mundial deste prova para Vogel. Na disputa do bronze, Lee venceu a lituana e conquistou a única medalha de Hong Kong no Mundial.

Corrida por Pontos masculina

Foi um show do australiano Cameron Meyer, que já havia vencido esta prova em 2009, 2010 e 2012. Ele já comeõu se impondo logo no início, vencendo alguns dos primeiros sprints e, após dar 2 voltas no pelotão, conquistou mais 40 pontos. Ele soube dosar nos sprints, vencendo 5 dos 16 e somar excelentes 76 pontos, muito a frente dos outros. O polonês Wojciech Pszczolarski chegava para o último sprint com 40 pontos, contra 34 do dinamarquês Niklas Larsen e 30 do belga Kenny de Ketele. No sprint final, o polonês bobeou e viu De Ketele vencer o último sprint, com pontuação dobrada, e empatar com 40 pontos. Como o belga cruzou a linha de chegada antes, levou a prata e Pszczolarski acabou com o bronze.

Omnium feminina

Embed from Getty Images

O novo formato da Omnium, agora com apenas 4 provas e todas no mesmo dia, dá vantagem para os fundistas. E a britânica Katie Archibald começou melhor, vencendo as 2 primeiras provas, o scratch e a corrida tempo. Foi a 5ª na corrida de eliminação, vencida pela australiana Amy Cure. As duas iriam empatadas para a corrida por pontos, com 112, seguidas da holandesa Kristen Wild com 106 e da americana Sarah Hammer com 96.

Logo no início da corrida por pontos, 4 atletas conseguiram dar uma volta no pelotão, ganhando 20 pontos, mas nada que alterasse o pódio. Os pontos foram bem distribuídos e Archibald só controlou a sua liderança, já que Cure praticamente não pontuava. No último sprint, a britânica tinha 123 pontos e Cure e Wild com 115. Como nenhuma pontuou na 80ª volta, Wild cruzou a linha antes e com isso ficou com a prata.

Perseguição individual masculina

Na qualificação, o australiano Jordan Kerby dominou com 4:12.172, novo recorde do campeonato e 3ª melhor marca de todos os tempos, marcando a final contra o italiano Filippo Ganna, campeão no ano anterior e que marcou 4:14.647. Na decisão, que precisou ser reiniciada após quase 1km, Kerby não deu chances a Ganna, vencendo por 4:17.068 contra 4:21.299 do italiano. Na disputa do bronze, vitória do australiano Kelland O’Brien com 4:16.909 contra 4:19.436 do francês Corentin Ermenault.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s