Mundial de Esqui Alpino – Dia 1

E começou nesta terça-feira na bela St. Moritz, na Suíça, a 44ª edição do Mundial de Esqui Alpino. Por volta de 600 atletas de 76 países disputarão as 11 provas do programa. Com a inclusão do evento por equipes nos Jogos de Pyeongchang-2018, todas as 11 provas são agora olímpicas.

a32af1e573b44628950b00efc4ef5a7f-3aca35f4152c4568818a03cb23f02dd1-0

Nicole Schmidhofer (AUT)

Como acontece desde 2011, a prova que abre as disputas é o Super-G feminino. E foi um dia perfeito, com céu azul e condições ideias da neve.

A primeira a descer foi a italiana Elena Curtoni, que abriu o percurso de 1.950m e uma queda vertical de 550m no tempo de 1:21.89. Logo vieram mais duas italianas incluindo a favorita Sofia Goggia, que fez 1:22.25. Logo após, Tina Weirather, de Liechtenstein, conseguiu melhorar para 1:21.67 e assumiu a liderança. Favorita da torcida e competindo em casa, Lara Gut já venceu este tipo de prova 11 vezes na Copa do Mundo. Gut fazia uma ótima prova, mas perdeu a liderança por um detalhe e com 1:21.70 ficou apenas 0.03 atrás de Weirather.

Logo após da suíça, desceu a austríaca Nicole Schmidhofer. Com apenas 2 pódios na carreira e sem jamais vencer uma etapa de Copa do Mundo ou uma medalha em Mundiais ou Jogos Olímpicos, Schmidhofer fez a zebra. Numa prova perfeita para o seu estilo, como ela mesma admitiu após a vitória, a austríaca surpreendeu ao completar em 1:21.34, baixando o tempo de Weirather em 0.33. Em seguida, foi a vez da sensação da temporada, a eslovena Ilka Stuhec, que não fez uma boa descida e completou em 1:22.38, 7º tempo no momento e 11º no geral.

Embed from Getty Images

A seguinte era ninguém menos que a americana Lindsey Vonn. Em 2013, no Super-G que abriu o Mundial, Vonn sofreu um gravíssimo acidente, tendo que ser retirada de helicóptero e que a fez perder os Jogos de Sochi, mas ela voltou em 2015 quando faturou o bronze. Mas dessa vez, uma perda de um portão a tirou da prova. Como apenas as 20 primeiras teriam, teoricamente, chance de medalha, Schmidhofer só precisou esperar mais algumas atletas descerem. A alemã Viktoria Rebensburg fez ótima descida em 1:21.87, mas amargou um 4º lugar. Quando Anna Veith (ex-Anna Fenninger) errou um portão e Tessa Worley e Federica Brignone fizeram o mesmo tempo de 1:22.18, a austríaca já podia comemorar um ouro até pouco tempo inimaginável.

O Mundial segue nesta quarta-feira com o Super-G masculino.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s