Resumo Rio-2016: Boxe – pesos leves

Até 49kg masculino

c04fea1584194f81091c1ca450003bee4c9dcb9a

Hasanboy Dusmatov (UZB)

Com a profissionalização do bicampeão da categoria, o chinês Zou Shiming, o favoritismo recaiu sobre os campeões mundiais recentes, o cazaque Birzhan Zhakypov e o cubano Joahnys Argilagos, mas ambos decepcionaram. O cubano, de apenas 19 anos, derrotou na estreia o britânico Galal Yafai por 2-1 e depois o queniano Peter Mungai Warui por 3-0, mas na semifinal foi surpreendido pelo colombiano Yuberjen Martínez por 2-1. Outro grande favorito, o irlandês Paddy Barnes, bronze nas últimas 2 Olimpíadas, foi a grande decepção, perdendo na estreia para o espanhol Samuel Carmona.

Pela chave de baixo, Zhakypov perdeu nas 4as para o uzbeque Hasanboy Dusmatov por decisão unânime. Enquanto isso, o russo vice-campeão mundial Vasily Yegorov também parou na estreia, perdendo de 3-0 para o americano Nico Hernandez. O americano venceu o equatoriano Carlos Quipo nas 4as, mas na semifinal caiu pro uzbeque campeão asiático. Na decisão, Dusmatov começou melhor e foi aumentando o ritmo dos golpes na 1ª final do boxe no Rio-2016. Martínez tentou buscar no 3º round, mas já era tarde e o uzbeque ficou com a medalha de ouro.

Hasanboy Dusmatov venceu o 1º ouro do esporte nos Jogos e a 1ª medalha do Uzbequistão no peso mosca-ligeiro e a 3ª seguida da Ásia na categoria. A prata de Yuberjén Martínez foi a 1ª medalha da Colômbia no boxe desde Seul-1988. Joahnys Argilagos ficou com um dos bronzes, colocando Cuba de volta ao pódio da categoria após ficar de fora em Londres-2012. O americano Nico Hernández ficou com o outro bronze, a 1ª medalha do país na categoria desde Seul-1988. Depois de 3 presenças seguidas no pódio, a China ficou de fora.

Até 52kg masculino

Boxing - Men's Fly (52kg) Final Bout 271

Shakhobidin Zoirov (UZB)

Campeão mundial em 2015 e dos Jogos Europeus no mesmo ano, o azeri Elvin Mamishzada venceu cazaque na estreia, mas perdeu nas 4as para o uzbeque Shakhobidin Zoirov por 3-0, em mais uma boa atuação de um boxeador do Uzbequistão. Prata nos Jogos Asiáticos de 2014, Zoirov venceu por 3-0 na semifinal o venezuelano Yoel Finol, grande surpresa da categoria, que eliminou o britânico Muhammad Ali, homônimo do grande ídolo, e o argelino Mohamed Flissi, 2 medalhas em mundiais.

Na parte do baixo, o favoritismo era todo do russo Misha Aloyan, bronze em Londres-2012 e bicampeão mundial em 2011 e 2013. O russo passou bem pelas 2 lutas iniciais, sempre por unanimidade, até vencer o chinês Hu Jianguan na semifinal também por 3-0. O chinês, aliás, se vingou da derrota na semi do último mundial pro cubano Yosvany Veitia, eliminando-o nas 4as. Na decisão, Aloyan começou melhor e venceu o 1º round, mas Zoirov voltou melhor do intervalo, empatando o confronto. No round decisivo entrou de maneira devastadora para vencer por decisão unânime dos árbitros e levar o ouro com 3-0.

Shakhobidin Zoirov faturou o 2º ouro uzbeque no boxe no Rio-2016, sendo que o 3º viria menos de uma hora depois. Assim como na categoria abaixo, foi a 1ª medalha da história do país na categoria mosca e encerrando a sequencia de ouros de Cuba e Tailândia na categoria, que venceram o ouro nas últimas 5 Olimpíadas. O russo Misha Aloyan ficou com a prata melhorando o bronze conquistado 4 anos antes. O bronze de Yoel Finol foi a 1ª medalha da Venezuela no boxe em 32 anos. O outro bronze foi pro chinês Hu Jianguan, a 1ª medalha do país no peso mosca.

Até 56kg masculino

size_960_16_9_robeisy-ramirez-ouro-boxe-olimpiada-rio-2016

Robeisy Ramirez (CUB)

O irlandês Michael Conlan era o cabeça de chave 1 e atual campeão mundial. Ele começou bem com 3-0 sobre o armênio Aram Avagyan, mas foi derrotado nas 4as pro russo Vladimir Nikitin, vice mundial em 2013. A luta foi muito criticado por ambos os lados por conta das decisões dos juízes, algo que infelizmente foi comum nos Jogos. Por conta de uma lesão adquirida nesse luta, Nikitin não disputou a semifinal, dando a vaga na decisão pro americano Shakur Stevenson. O americano havia eliminado nas 8as o brasileiro Robenílson de Jesus.

Na chave de baixo, todo favoritismo do cubano Robeisy Ramirez, campeão olímpico em Londres-2012 na classe inferior, peso mosca. Agora lutando no peso galo, Ramirez estreou vencendo o indiano Shiva Thapa, bronze no último mundial. Nas 4as boa vitória sobre o chinês Zhangh Jiawei e na semifinal mais uma vitória por 3-0, agora sobre o uzbeque Murodjon Akhmadaliev, atual vice mundial. A final foi espetacular entre o cubano de 22 anos e o americano de apenas 19. Ramirez venceu o 1º round enquanto o americano levou o 2º. O 3º foi muito disputado, mas com ligeira vantagem pro cubano, que acabou com o ouro por 2-1 (29-28, 29-28, 28-29).

Robeisy Ramirez faturou seu 2º ouro olímpico e deu o 4º ouro cubano em 7 Olimpíadas na categoria. Cuba esteve em todos os pódios do peso galo desde Barcelona-1992. Shakur Stevenson ficou com a prata e se tornou o 1º americano a chegar em uma final olímpica desde André Ward em Atenas-2004. O bronze do russo Vladimir Nikitin foi a 1ª medalha russa na categoria desde Atlanta-1996. O outro bronze ficou com o uzbeque Murodjon Akhmadaliev.

Até 60kg masculino

robso

Robson Conceição (BRA)

Assim que saíram as chaves do torneio de boxe dos Jogos Olímpicos do Rio-2016, havia uma certeza: a final do peso leve masculino seria na semifinal. Bicampeão mundial, o cubano Lázaro Álvarez é o nome de Cuba para uma categoria que teve Mario Kindelán, bicampeão olímpico e tri mundial. Do outro lado, o brasileiro Robson Conceição, que subiu ao pódio nos dois últimos mundiais e era a grande esperança do país no esporte. Álvarez iniciou sua campanha vencendo o italiano Carmine Tommasone e depois o americano Carlos Balderas. Robson venceu por nocaute técnico o tadjique Anvar Yunusov e passou pela uzbeque Hurshid Tojibaev. A semifinal foi como esperado, de altíssimo nível e valendo o ouro. Robson tomou a iniciativa da luta desde o início, vencendo os 3 rounds. No último, o cubano deu um golpe que abriu o supercílio do brasileiro, mas nada que tenha atrapalhado a vitória e a vaga na final.

A outra vaga na final ficou com o francês Sofiane Oumiha, prata nos Jogos Europeus em 2015. Ele passou por um boxeador da Nicarágua e por um tailandês, até eliminar nas 4as o azeri Albert Selimov, de quem tinha perdido na final dos Jogos Europeus. Na semi, Oumiha enfrentou o mongol Dorjnyambuugiin Otgondalai, vencendo por 3-0. A decisão lotou o Pavilhão 6 do Riocentro e traria a 3ª medalha de ouro do Brasil nos Jogos, após as vitórias no judô e no salto com vara. O brasileiro começou mais agressivo e o francês buscava o contra-ataque. Mesmo tomando um soco no final do 1º round, Robson saiu vitorioso para todos os juízes. No 2º, fez boas esquivas e dava golpes precisos, que derrubaram o francês, mas o árbitro não abriu contagem. Mais uma vitória do brasileiro que já tinha quase nas mãos o ouro. No 3º e decisivo, Robson foi mais conservador, mas continuou se impondo, apesar de 2 dos 3 árbitros darem a vitória no round para Oumiha. Na soma dos pontos, 3-0 pro brasileiro e o ouro inédito para delírio de 9.000 torcedores presentes no Pavilhão 6.

O ouro de Robson Conceição foi o 1º do Brasil na história do boxe, superando a prata de Esquiva Falcão em Londres-2012. Sofiane Oumiha ficou com a prata, repetindo o feito do francês Daouda Sow na mesma categoria em Pequim-2008. O cubano Lázaro Álvarez ficou com um dos bronzes, sua 2ª medalha olímpica, a 2ª de bronze. Foi o 3º bronze seguido da ilha na categoria e o 5º pódio seguido. O bronze do mongol Dorjnyambuugiin Otgondalai foi a 1ª medalha do país na categoria desde Barcelona-1992.

Até 64kg masculino

597903-fazliddin-gaibnazarov

Fazliddin Gaibnazarov (UZB)

Campeão mundial em 2015, o russo Vitaly Dunaytsev viu em seu caminho para a final o uzbeque Fazliddin Gaibnazarov, no que seria a reedição da final do último mundial ainda na semifinal. Dunaytsev estreou vencendo um boxeador da Mongólia e depois passou por um chinês. Enquanto isso, Gaibnazarov passou por congolês, indiano e por um americano até chegar na semifinal. Em uma luta apertadíssima, Dunaytsev começou vencendo o 1º round, mas sem unanimidade. Gaibnazarov foi melhor no 2º, mas Dunaytsev acabou indo melhor no 3º. Apesar do enorme equilíbrio, na soma das pontuações dos juízes, o uzbeque venceu por 2-1 e foi para a final, concluindo a revanche.

A chave de baixo tinha dois cubanos que se enfrentariam nas 4as. Duas medalhas em mundiais, o cubano Yasniel Toledo venceu britânico e chegou às 4as. Já Lorenzo Sotomayor, sobrinho de Javier Sotomayor, decidiu defender o Azerbaijão, onde teria menor concorrência. Ele venceu duas lutas até enfrentar Toledo. Mas Sotomayor dominou o combate, vencendo por 3-0 e se garantindo na semifinal contra o alemão Artem Harutyunyan. O azeri-cubano mais uma vez dominou e venceu o alemão por 3-0 se garantindo na final. Sotomayor começou melhor e venceu o 1º round da final, mas Gaibnazarov aumentou a velocidade e dominou o resto da decisão, vencendo por unanimidade e levando o 3º ouro do Uzbequistão no Rio-2016, o 2º do último dia dos Jogos.

O ouro de Fazliddin Gaibnazarov foi o 2º da história do Uzbequistão na categoria meio-médio ligeiro. Lorenzo Sotomayor defende o Azerbaijão, mas é cubano de nascimento. Foi a 7ª Olimpíada seguida com um cubano no pódio da prova, apesar de defender outro país. O bronze do alemão Artem Harutyunyan foi a 1ª medalha alemã na categoria desde Atlanta-1996 e a 1ª medalha alemã no boxe olímpico desde Atenas-2004. O russo Vitaly Dunaytsev completou o pódio com o 2º bronze se tornando o 1º russo a medalhar na prova desde Tóquio-1964.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s