Mundial de Ciclismo Estrada – Parte II

Uma cara bem conhecida e um título inédito nas provas de estrada.

 

78eb9eac4d989c0a76b24b672421de4d

Pódio feminino com ouro para Amalie Dedriksen (DEN)

No sábado, na prova feminina, a americana Amber Neben bem que tentou fazer história e levar as duas provas em um mesmo mundial. Ela dominou boa parte da prova e disparou na liderança. Chegou a abrir 45s e vantagem sobre o pelotão, mas no início da última volta, com menos de 15km pro fim, foi engolida e acabou praticamente desistindo da prova, terminando em 98º a 6min46s da campeã. Prova extremamente plana significava pelotões grandes e decisão no sprint final. E quem se deu melhor foi a dinamarquesa Amalie Dideriksen, completando os 134,1km em 3:10:27, com a holandesa Kirsten Wild ficando com a prata e a finlandesa Lotta Lepistö com o bronze. Foi a 1ª medalha da história na prova da Dinamarca e da Finlândia. Dideriksen foi bicampeã mundial, mas na prova juvenil em 2013 e 2014.

 

 

peter-sagan-m-verteidigte-seinen-wm-titel

Peter Sagan (SVK) cruzando a linha de chegada

 

Já neste domingo, numa prova de quase o dobro da distância feminina, com 257,3km, 21 ciclistas dispararam e abriram do resto o grupo ainda na primeira metade da prova. Doze chegaram juntos e a vitória também veio no Sprint final, com o eslovaco Peter Sagan, se tornando o 1º bicampeão mundial da prova desde Paolo Bettini em 2006-07. Sagan é um dos melhores ciclistas gerais, com títulos em estrada, mountain bike e cyclo-cross. No Rio-2016 ele optou por competir no mountain bike e terminou apenas em 36º. Ele é nada menos que pentacampeão por pontos do Tour de France.

Em segundo lugar ficou o grande Mark Cavendish, campeão mundial em 2011 e prata no Rio-2016 na prova de Omnium. Campeã mundial em 2005, o belga Tom Boonen ficou com o bronze. 197 ciclistas começaram a prova, mas apenas 53 acabaram!

O norueguês Kristoffer Halvorsen veneu a proa Sub-23, enquanto o dinamarquês Jakob Egholm e a italiana Elisa Balsamo levaram as provas juvenis.

Tony Martin sai de Doha com 2 ouros (contrarrelógio e contrarrelógio por equipes) e a finlandesa Lotta Lepistö com dois bronzes (estrada e contrarrelógio por equipes). O próximo Mundial será em 2017 em Bergen, na Noruega.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s