Prévias Rio-2016 – Hipismo

Saltos individual

Pódio em Londres-2012: Ouro – Steve Guerdat (SUI); Prata – Gerco Schroder (NED); Bronze – Cian O’Connor (IRL)

Último Mundial (2014): Ouro – Jeroen Dubbeldam (NED); Prata – Patrice Delaveau (FRA); Bronze – Beezie Madden (USA)

Jeroen Dubbeldam (NED)

Uma das prova mais difíceis de prever, os saltos tem muita gente boa junta e tudo pode acontecer. Uma falta separa o ouro de um lugar fora da final. O campeão em Londres, o suíço Steve Guerdat (1O-1B) é a principal esperança do país. O campeão dos Jogos Equestres, o holandês Jeroen Dubbeldam (1O) venceu em Sydney-2000 e levou o europeu no ano passado. Apenas dois britânicos remanescentes de Londres-2012 estão na equipe campeã olímpica: Nick Skelton (1O) e Ben Maher (1O).

A França aposta no líder do ranking Simon Delestre enquanto os Estados Unidos tem os super experientes McLain Ward (2O), Beezie Madden (2O-1B) e Kent Farrington. Já a super equipe da Alemanha tem Marcus Ehning (1O), Ludger Beerbaum (4O) e Christian Ahlmann (1B). De olho também nos suecos Rolf-Göran Bengtsson (2P), Peder Fredricson (1P) e Malin Baryard-Johnsson (1P), na brasileira naturalizada portuguesa Luciana Diniz, no holandês Juri Vrieling (1P), no francês Kevin Staut e no belga Nicola Philippaerts.

E o Brasil? Com equipe renovada, o Brasil tem apenas Álvaro de Miranda Neto (2B), o Doda, com experiência olímpica, indo para sua 5ª participação. Pedro Veniss tem obtido grandes resultados recentes e é o brasileiro em melhor fase. Eduardo Menezes e Stephen Barcha completam a equipe. Difícil uma medalha no individual, mas Pedro tem as melhores condições.

Meu Pódio: Ouro – Jeroen Dubbeldam (NED); Prata – Rolf-Göran Bengtsson (SWE); Bronze – Mclain Ward (USA)

Saltos por Equipe

Pódio em Londres-2012: Ouro – Grã-Bretanha; Prata – Holanda; Bronze – Arábia Saudita

Último Mundial (2014): Ouro – Holanda; Prata – França; Bronze – Estados Unidos

Assim como no individual, a prova por equipes será extremamente disputada, com pelo menos 8 equipes brigando pelo ouro. A equipe alemã vem como força total com Marcus Ehning (1O), Ludger Beerbaum (4O) e Christian Ahlmann (1B), mas ficou fora do pódio olímpico nas 2 últimas edições. A equipe americana liderada por McLain Ward (2O) e Beezie Madden (2O-1B) quer voltar ao topo, após os ouros em Atenas e Pequim. Campeões mundiais nos Jogos Equestres em 2014, a Holanda foi prata em Londres e conta agora com o campeão mundial e olímpico em 2000 Jeroen Dubbeldam (1O) e com 2 remanescentes da prata em Londres.

A França tem o líder do ranking Simon Delestre e também entra na disputa, assim como Suécia, Suíça, Grã-Bretanha, ouro em Londres, e o Qatar, que pode surpreender.

E o Brasil? A equipe brasileira é boa e também está na briga. Foi 4ª colocada nos Jogos Equestres, mas conta com 3 estreantes em Jogos Olímpicos. Ainda assim, pode brigar por um bronze, após ficar fora do pódio por 3 edições seguidas.

Meu Pódio: Ouro – Alemanha; Prata – Estados Unidos; Bronze – Holanda

Adestramento individual

Pódio em Londres-2012: Ouro – Charlotte Dujardin (GBR); Prata – Adelinde Cornelissen (NED); Bronze – Laura Bechtolsheimer (GBR)

Último Mundial (2014): Ouro – Charlotte Dujardin (GBR); Prata – Helen Langehanenberg (GER); Bronze – Adelinde Cornelissen (NED)

Charlotte Dujardin (GBR)

A britânica campeã olímpica e mundial Charlotte Dujardin (2O) é imbatível. Montando o belíssimo Valegro, a dupla faz uma parceria espetacular que atinge facilmente mais de 90%. O recorde mundial é deles com 94,300 obtidos em prova em Londres em 2014. O conjunto venceu que disputou desde julho de 2014! São 16 vitórias consecutivas. A líder do ranking mundial é a alemã Kristina Bröring-Sprehe (1P), campeã mundial por equipes em 2014.

Mas talvez o maior nome da modalidade seja a alemã Isabell Werth (5O-3P). Campeã olímpica em Atlanta-1996, venceu mais 4 ouros por equipe! Além disso tem 7 ouros em mundiais. Werth chega a sua 5ª Olimpíada aos 47 anos e como 3ª do mundo! A equipe holandesa é muito forte e tem Adelinde Cornelissen (1P-1B), Edward Gal (1B) e Hans Peter Minderhoud (1P) como principais nomes. Outros fortes nomes para o pódio são o britânico Carl Hester (1O), a espanhola Beatriz Ferrer-Salat, os americanos Steffen Peters e Laura Graves e a austríaca Victoria Max-Theurer.

E o Brasil? Representam o Brasil Luiza Almeida, Pedro de Almeida, João Victor Oliva e Giovanna Pass. A equipe é bem jovem e tem evoluído bastante, mas não tem pretensão nenhuma de medalha. O objetivo é avançar de fase.

Meu Pódio: Ouro – Charlotte Dujardin (GBR); Prata – Adelinde Cornelissen (NED); Bronze – Kristina Bröring-Sprehe (GER)

Adestramento por Equipes

Pódio em Londres-2012: Ouro – Grã-Bretanha; Prata – Alemanha; Bronze – Holanda

Último Mundial (2014): Ouro – Alemanha; Prata – Grã-Bretanha; Bronze – Holanda

Com sua super equipe com Kristina Bröring-Sprehe (1P), Dorothee Schneider (1P), Sönke Rothenberger e o mito Isabell Werth (5O-3P), a Alemanha é a equipe a ser batida. Mesmo sem a vice-campeã mundial Helen Langehanenberg, a Alemanha vem do título mundial por equipes e conquistou o ouro na prova 7 vezes seguidas, até perder em Londres-2012 para os britânicos. Aliás, a Grã-Bretanha com o incrível conjunto Charlotte Dujardin (2O) e Valegro vem com tudo para conquistar o bi, contando com a ajuda principalmente de Carl Hester (1O).

Bronze em Londres e nos Jogos Equestres de 2014, a Holanda é outra equipe fortíssima, liderada por Adelinde Cornelissen (1P-1B). Outras ótimas equipe são a Espanha, França, Dinamarca e Estados Unidos.

E o Brasil? A equipe brasileira é bem jovem e apenas Luiza Almeida tem experiência olímpica. Ainda estão longe dos melhores do mundo e dificilmente chegam aos 70% de aproveitamento. São 11 equipes na disputa e o Brasil sonha em não ficar em último.

Meu Pódio: Ouro – Alemanha; Prata – Holanda; Bronze – Grã-Bretanha

CCE individual

Pódio em Londres-2012: Ouro – Michael Jung (GER); Prata – Sara Algotsson Ostholt (SWE); Bronze – Sandra Auffarth (GER)

Último Mundial (2014): Ouro – Sandra Auffarth (GER); Prata – Michael Jung (GER); Bronze – William Fox-Pitt (GBR)

Michael Jung (GER)

O alemão Michael Jung (2O) é o cavaleiro a ser batido nos Jogos. Campeão em Londres e nos Jogos Equestres de 2010, perdeu em 2014 para sua compatriota Sandra Auffarth (1O-1B), mas lidera o ranking mundial com muita folga, vindo de títulos importantes no ano, como no torneio de Badminton e de Lexington, nos EUA e possui 3 títulos europeus. Auffarth será sua principal concorrente. Atual campeã mundial, foi bronze em Londres e prata no europeu do ano passado.

O britânico William Fox-Pitt (2P-1B) venceu prova em Badminton este ano também e vem do bronze nos Jogos Equestres. Aos 47 anos, está em sua 4ª Olimpíada. Também de olho na britânica Gemma Tattersall, no experiente americano (antes australiano) Phillip Dutton (2O) de 52 anos em sua 6ª Olimpíada, nos australiano Stuart Tinney (1O) e Shane Rose (1P) e no megaveterano Mark Todd (2O-3B), bicampeão olímpico em 1984 e 1988! Todd vai para sua 8ª Olimpíada!

E o Brasil? Serão 4 cavaleiros brasileiros: Ruy Fonseca, Carlos Paro, Márcio Jorge e Márcio Appel. Com Tom Bambadill Too, Ruy Fonseca foi bronze no Pan e pode surpreender nos Jogos. Eles melhoraram demais no adestramento, que sempre foi nosso ponto fraco, e com isso não ficam mais tão distantes. Ruy pode brigar por um inédito top-10 brasileiro no CCE.

Meu Pódio: Ouro – Michael Jung (GER); Prata – Sandra Auffarth (GER); Bronze – Phillip Dutton (USA)

CCE por Equipes

Pódio em Londres-2012: Ouro – Alemanha; Prata – Grã-Bretanha; Bronze – Nova Zelândia

Último Mundial (2014): Ouro – Alemanha; Prata – Grã-Bretanha; Bronze – Holanda

Dificilmente alguém vencer a Alemanha, que tem tudo para levar o tricampeonato. Com Michael Jung (2O) e Sandra Auffarth (1O-1B) na equipe, a Alemanha é favoritíssima ao ouro. Com apenas um cavaleiro da equipe prata em Londres, William Fox-Pitt (2P-1B), a equipe britânica vem renovada, mas sempre forte. Busca o 5º pódio seguido em Jogos Olímpicos!

Potências no CCE, a Nova Zelândia e a Austrália brigam por medalha, assim como a sempre forte equipe dos Estados Unidos. Irlanda e Holanda vem logo atrás.

E o Brasil? A equipe brasileira é boa e pode surpreender. Liderados por Ruy Fonseca, bronze no Pan, a equipe foi prata em Toronto e tem tudo para ser top-6, entre 13 equipes. O ponto fraco sempre foi o adestramento, mas ele melhorou demais e vai ajudar a equipe.

Meu Pódio: Ouro – Alemanha; Prata – Nova Zelândia; Bronze – Grã-Bretanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s