Prévias Rio-2016: Ginástica feminina

Individual geral feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Gabrielle Douglas (USA); Prata – Viktoria Komova (RUS); Bronze – Aliya Mustafina (RUS)

Último Mundial (2015): Ouro – Simone Biles (USA); Prata – Gabrielle Douglas (USA); Bronze – Larisa Iordache (ROU)

Simone Biles (USA)

A pergunta não é quem vai ganhar, mas quanto vai ser a diferença. Tricampeã mundial e praticamente perfeita, a americana Simone Biles só perde o ouro se se machucar. Ela sobrou nos 3 mundiais e em 2 deles venceu por quase 1 pontos de diferença. Será sua 1ª Olimpíada, mas ela já chega com 10 títulos mundiais na bagagem!

Campeã olímpica em Londres, a americana Gabby Douglas (2O) está de volta a sua grande forma e deve fazer a dobradinha com Biles, assim como no último mundial. Mais velha da equipe americana, Aly Raisman (2O-1B) vai brigar com Douglas pela 2ª vaga americana na final e também pode fazer a dobradinha com Biles. Quem poderia pegar o bronze é a romena Larisa Iordache, mas a Romênia fracassou e só classificou uma atleta e Iordache está fora dos Jogos.

A disputa pelo bronze deve ficar entre a chinesa Shang Chunsong, a suíça Giulia Steingruber, a canadense Ellie Black, que dominou o Pan de Toronto, a russa Aliya Mustafina, a italiana Vanessa Ferrari e a brasileira Flávia Saraiva.

E o Brasil? Flávia Saraiva, Jade Barbosa e Lorrane Oliveira são as melhores brasileiras no individual geral e duas devem ir pra final. No último mundial foram à final Lorrane e Flávia e no evento-teste Flávia e Jade (que não disputou o Mundial). Flávia é a mais certa na final e tem boas chances de um top-8. No último mundial teve muitas quedas e praticamente abandonou a final, ficando em último lugar, mas nos Jogos vai com tudo, graças às suas excelentes rotinas de trave e solo.

Meu Pódio: Ouro – Simone Biles (USA); Prata – Gabby Douglas (USA); Bronze – Ellie Black (CAN)

Equipe feminina

Pódio em Londres-2012: Ouro – Estados Unidos; Prata – Rússia; Bronze – Romênia

Último Mundial (2015): Ouro – Estados Unidos; Prata – China; Bronze – Grã-Bretanha

As americanas não perdem esse ouro por nada. Com 3 das melhores ginastas do mundo no individual geral, precisa muita coisa dar errada para elas não ficarem no topo do pódio. Prata no último mundial, a China tem uma excelente equipe e que quase não erra, com tudo para ficar com a prata.

A disputa do bronze, entretanto, será maior. Grã-Bretanha ficou em 3ª no mundial com a Rússia colada em 4ª. O Brasil pode surpreender na prova e até beliscar uma medalha. Japão e Canadá vem logo atrás. A maior ausência é sem dúvida a Romênia, bronze em Londres

E o Brasil? O Brasil cresceu demais e tem uma grande equipe que pode surpreender. Com as notas obtidas no evento-teste, o Brasil se credencia a um grande resultado. O fator casa na ginástica é fundamental e, sem grandes erros, o Brasil briga pelo bronze com Grã-Bretanha e Rússia.

Meu Pódio: Ouro – Estados Unidos; Prata – China; Bronze – Rússia

Salto feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Sandra Izbasa (ROU); Prata – McKayla Maroney (USA); Bronze – Maria Paseka (RUS)

Último Mundial (2015): Ouro – Maria Paseka (RUS); Prata – Hong Un-jong (PRK); Bronze – Simone Biles (USA)

Sem a atual campeã olímpica na disputa, a briga deve ficar entre as 3 medalhistas do último mundial: a russa Maria Paseka (1P-1B), a americana Simone Biles e a norte-coreana Hong Um-jong (1O), campeã olímpica em Pequim. Paseka venceu em 2015, Hong levou no mundial de 2014 e Biles esteve no pódio nos últimos 3 mundiais, mas nunca venceu.

Presença constante em finais, a suíça Giulia Steingruber pode aproveitar o erro de alguém e beliscar uma medalha, assim como a britânica Ellie Downie, a veterana uzbeque Oksana Chusovitina (1O-1P) e a realmente surpreendente indiana Dipa Karmakar, que venceu a prova no evento-teste.

E o Brasil? Jade Barbosa é a melhor brasileira no salto sobre a mesa. Bronze no mundial de 2010 e 4ª em 2011, Jade está de volta a boa forma e pode pegar uma final. Outra que pode ir bem é Rebeca Andrade.

Meu Pódio: Ouro – Hong Um-jong (PRK); Prata – Simone Biles (USA); Bronze – Maria Paseka (RUS)

Barras assimétricas femininas

Pódio em Londres-2012: Ouro – Aliya Mustafina (RUS); Prata – He Kexin (CHN); Bronze – Beth Tweddle (GBR)

Último Mundial (2015): Ouro – Fan Yilin (CHN), Viktoria Komova (RUS), Daria Spiridonova (RUS), Madison Kocian (USA); Prata – sem medalha; Bronze – sem medalha

Fan Yilin (CHN)

O último mundial foi absolutamente surpreendente, com quatro atletas empatando no ouro, fato inédito na história do esporte. A única das 4 que não virá ao Rio é a russa Viktoria Komova. A campeã em Londres foi a russa Aliya Mustafina (1O-1P-2B), presente nos pódios dos mundiais de 2010 e 2013. Essa é a menor chance de medalha de Simone Biles, que tem como melhor resultado no aparelho um 4º lugar no Mundial de 2013. Nos seguintes, nem pegou final.

Mas as americanas tem Madison Kocian, uma das campeãs mundiais de 2015, e Gabby Douglas (2O). Quem costuma dominar as barras são as chinesas. Foram 3 chinesas diferentes campeãs mundiais nos últimos 3 mundiais. Na festa de ouro de 2015, tivemos Fan Yilin, de apenas 16 anos, entre as campeãs. De olho também na chinesa Shang Chunsong e na britânica Ruby Harrold.

E o Brasil? Rebeca Andrade é a melhor brasileira no aparelho, com o bronze no evento-teste, mas não tem uma nota de dificuldade tão alta. Não deve pegar final.

Meu Pódio: Ouro – Fan Yilin (CHN); Prata – Aliya Mustafina (RUS); Bronze – Shang Chunsong (CHN)

Trave feminina

Pódio em Londres-2012: Ouro – Deng Linlin (CHN); Prata – Sui Lu (CHN); Bronze – Alexandra Raisman (USA)

Último Mundial (2015): Ouro – Simone Biles (USA); Prata – Sanne Wevers (NED); Bronze – Pauline Schäfer (GER)

Simone Biles é a atual bicampeã mundial e levou o mundial de 2015 com mais de 1 pontos de diferença sobre a segunda colocada! Com seus saltos e acrobacias precisas, a americana tem tudo para levar mais um ouro no Rio. A única que chegou a ameaça-la foi a chinesa Bai Yawen, em 2014, mas ela não está na equipe da China deste ano. Nenhuma das chinesas que esteve no pódio de Londres virá ao Rio de Janeiro.

Atrás da americanas teremos uma boa disputa. A holandesa Sanne Wevers foi prata no mundial e venceu o evento-teste. A chinesa Wang Yan foi ouro na prova nos Jogos Olímpicos da Juventude em 2014. A canadense Ellie Black venceu o Pan de Toronto. Também de olho na russa Seda Tutkhalyan, na russa Aliya Mustafina (1O-1P-2B), no mito romeno Catalina Ponor (3O-1P-1B) e na americana Aly Raisman, bronze em Londres.

E o Brasil? Flávia Saraiva tem uma excelente rotina da trave. Prata no evento-teste, Flavinha tem tirado constantemente notas acima de 14,500, o que daria medalha no último mundial. Melhor chance de medalha do Brasil na ginástica feminina.

Meu Pódio: Ouro – Simone Biles (USA); Prata – Wang Yan (CHN); Bronze – Flávia Saraiva (BRA)

Solo feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Alexandra Raisman (USA); Prata – Catalina Ponor (ROU); Bronze – Aliya Mustafina (RUS)

Último Mundial (2015): Ouro – Simone Biles (USA); Prata – Ksenia Afanasyeva (RUS); Bronze – Maggie Nichols (USA)

Outro barbada para a americana Simone Biles. Tricampeã mundial, a americana sobra sobre as outras concorrentes. Ela venceu em 2015 com 0.700 de diferença, bastante para uma final de solo e deve sobrar novamente. As outras medalhistas do último mundial não estarão nos Jogos. Bronze em Londres e no mundial de 2014, a russa Aliya Mustafina (1O-1P-2B) pode ser uma aposta de medalha.

Outras fortes no solo são a romena Catalina Ponor (3O-1P-1B), a italiana Vanessa Ferrari, a canadense Ellie Black, campeã do Pan, a chinesa Shang Chunsong, as britânica Ellie Downie e Claudia Fragapane e a fortíssima suíça Giulia Steingruber.

E o Brasil? Flávia Saraiva venceu o evento-teste e tem uma boa rotina na prova, mas tem poucas chances de medalha. Daniele Hypólito e Rebeca Andrade podem surpreender e pegar uma vaga na final também.

Meu Pódio: Ouro – Simone Biles (USA); Prata – Giulia Steingruber (SUI); Bronze – Catalina Ponor (ROU)

Ginástica rítmica individual feminina

Pódio em Londres-2012: Ouro – Yevgeniya Kanayeva (RUS); Prata – Daria Dmitrieva (RUS); Bronze – Liubov Charkashyna (BLR)

Último Mundial (2015): Ouro – Yana Kudryavtseva (RUS); Prata – Margarita Mamun (RUS); Bronze – Melitina Staniouta (BLR)

Yana Kudryavtseva (RUS)

Nada mais óbvio que uma dobradinha russa na prova. Há alguns meses, a escolha pro ouro mais óbvia seria de Yana Kudryavtseva, tricampeã mundial no individual geral. Mas sua compatriota Margarita Mamun vem crescendo bastante e na final da Copa do Mundo em Baku, Mamun venceu no geral com 77,150 contra 77,050 de Kudryavtseva. Nos Jogos, a situação deve ser bem semelhante, com as duas brigando nos décimos pela ouro. A Rússia venceu esta prova nas últimas 4 Olimpíadas.

A briga pelo bronze deve ficar entre a bielorrussa Melitina Staniuota, bronze em 3 mundiais no geral e a ucraniana Ganna Rizatdinova, uma das poucas não-russas a vencer uma prova no mundial nos últimos anos, com o ouro no arco em 2013. Atrás delas temos a francesa Kseniya Moustafaeva, a a cazaque Sabina Ashirbayeva, a georgiana Salome Pazhava, a azeri Marina Durunda e a americana Laura Zeng.

E o Brasil? Natália Gaudio será a brasileira na prova. Sem grandes pretensões, Natalia briga para ficar entre as 16 melhores, entre 24 ginastas. Mesmo assim, não terá uma missão fácil.

Meu Pódio: Ouro – Yana Kudryavtseva (RUS); Prata – Margarita Mamun (RUS); Bronze – Melitina Staniouta (BLR)

Ginástica rítmica grupo feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Rússia; Prata – Bielorrússia; Bronze – Itália

Último Mundial (2015): Ouro – Rússia; Prata – Bulgária; Bronze – Espanha

No grupo, a Rússia também venceu as últimas 4 Olimpíadas, mas em Mundiais, apesar de ter vencido no ano passado, ficou 5 edições sem o ouro. Nesse ínterim, foram 3 vitórias da Itália, uma da Bielorrússia e uma da Bulgária. No último mundial, a Rússia deu show com 0,700 de vantagem após os dois aparelhos e se aproveitou dos erros da Itália na qualificação para vencer.

Mas a Itália venceu a prova de 5 fitas com nota muito melhor que na quali e pegaria uma prata no geral. Portanto, de olho em Rússia, Itália, Bulgária, Bielorrússia, Israel e a nova força Espanha.

E o Brasil? A equipe brasileira volta aos Jogos após ficar de fora em Londres e quer uma vaga na final entre as 8 melhores equipes, das 15 participantes. No último mundial, o Brasil ficou em 16º, mas mostrou uma boa evolução nas etapas da Copa do Mundo, com notas melhores e boas apresentações. Ainda assim, uma vaga na final é muito, muito difícil.

Meu Pódio: Ouro – Itália; Prata – Rússia; Bronze – Bulgária

Trampolim acrobático feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Rosannagh MacLennan (CAN); Prata – Huang Shanshan (CHN); Bronze – He Wenna (CHN)

Último Mundial (2015): Ouro – Li Dan (CHN); Prata – Liu Lingling (CHN); Bronze – Tatsiana Piatrenia (BLR)

A canadense Rosannagh MacLennan venceu em Londres deixando as chinesas para trás. Campeã mundial em 2013, foi prata em 2014, mas ficou de fora do pódio no ano passado. Ainda assim, MacLennan é uma das melhores da modalidade. Quem vem do título mundial é a chinesa Li Dan, que também venceu o mundial em 2010.

Outras que brigam por medalha são a também chinesa He Wenna (1O-1B), campeã olímpica em Pequim, as bielorrussas Tatsiana PiatreniaHanna Harchonak, a russa Yana Pavlova e a uzbeque Ekaterina Khilko (1B).

E o Brasil? O Brasil não participa da prova.

Meu Pódio: Ouro – Li Dan (CHN); Prata – He Wenna (CHN); Bronze – Tatsiana Piatrenia (BLR)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s